Você está na página 1de 5

Fronteira de possibilidades de produção

A Curva de Possibilidades de Produção (CPP), ou ainda Fronteira de


Possibilidades de Produção (FPP), relaciona as quantidades máximas em que é
possível produzir entre dois ou mais produtos. Este conceito considera a escassez, a
limitação nas escolhas de uma produção, já que para produzir mais de um produto a
quantidade de outro é reduzida, quando a capacidade é máxima.
Para a FPP consideram-se os recursos e tecnologias disponíveis que
possibilitam obter as quantidades máximas na economia. Além disso, ao se analisar
um gráfico, a curva é o que indica o máximo na combinação da produção.
Todas as escolhas ao longo de uma FPP mostram eficiência produtiva, ou seja,
é impossível utilizar os recursos da sociedade para produzir mais de um bem sem
diminuir a produção do outro bem. Escolhas fora da FPP são inatingíveis e as
escolhas dentro da FPP são um desperdício. Quando o custo de oportunidade de um
país para um bem específico é menor que o de outro país, dizemos que o país tem
vantagem comparativa em relação a esse bem.
A FPP, nos faz refletir em nossas escolhas. Nem sempre compramos ou
fazemos tudo o que quisermos, uma vez que como na sociedade os recursos são
escassos e nem tudo pode ser produzido, nossas escolhas também devem ser bem
pensadas, pois elas refletem em outras. Assim, é necessário saber qual é mais
benéfico para nós e para sociedade refletindo e analisado dentro do custo de
oportunidade.
A FPP pode ser representada de uma forma simplificada num gráfico
bidimensional em que em cada eixo é colocado um determinado bem. Vejamos esse
exemplo entre Saúde e Educação.

Fonte:"The Production Possibilities Frontier and Social Choices" porOpenStaxCollege.


Como percebemos que se for investido mais em uma, terá pouco
desenvolvimento em outra. Assim como entre a Saúde e Educação, os países têm
outros vários trade-offs para serem analisados. Com isso, ao longo do tempo, uma
economia em crescimento tenderá a ampliar sua FPP para fora.

Fluxograma Circular de Renda

Fluxo Circular de Renda (ou de Riqueza) é um modelo célebre da área de


economia para explicar as relações básicas do modelo econômico em que vivemos.
O conceito é sintetizado em um diagrama, que posiciona os atores envolvidos no
ciclo, bem como os sentidos do fluxo monetário e real.

Segundo o conceito do Fluxo Circular de Renda, existem dois mercados na


economia: o mercado de bens (tangíveis) e serviços (intangíveis) e o mercado de
fatores de produção (trabalho, capital e terra). Para fazer circular os itens integrantes
desses mercados, existem dois atores principais: as famílias e as empresas.
O Fluxo Circular de Renda, então, acontece com a seguinte dinâmica:
● Fluxo real: Empresas ofertam bens e serviços ao mercado, que são
demandados pelas famílias. As famílias, por sua vez, ofertam fatores de produção ao
mercado, que são demandados pelas empresas para produzir seus bens e serviços.
● Fluxo monetário: Empresas obtém receitas com a venda de bens e serviços
no mercado, que geram despesas para as famílias que os consomem. As famílias,
por sua vez, obtêm renda com a oferta de fatores de produção ao mercado, que são
pagos pelas empresas para produzir os seus bens e serviços.

Taxa marginal de Substituição

Em microeconomia, Taxa marginal de substituição, representado por TMS é o


quanto um consumidor está disposto a trocar de um bem que possui por outro, a fim
de manter seu grau de utilidade inalterado, permanecendo sob a mesma curva de
indiferença.
A taxa marginal de substituição geralmente depende da quantia de cada bem
que o consumidor possui no momento e, como as pessoas estão mais dispostas a
trocar bens que têm em abundância pelos que tem em escassez, a taxa é sempre
maior para um bem que se tem mais.
Algebricamente, a Taxa Marginal de Substituição (PMS) pode ser calculada
pela seguinte função matemática:

TMSxy = ( dU / dx ) / ( dU / dy )

Em que U é a Utilidade, x o consumo do bem x, y o consumo do bem y e d a


variação marginal da variável; assim, dU / dx será a Utilidade Marginal do bem x e dU
/ dy a Utilidade Marginal do bem y. O número de unidades de Y que tem que ser
sacrificadas por uma unidade a mais de X de forma que o consumidor mantenha o
nível de utilidade.

Vejamos um exemplo. Suponha que estamos analisando dois produtos em um


mercado, requeijão e margarina. Agora imagine que o preço do requeijão seja igual a
R$3,00 e o da margarina seja R$1,00. Podemos dizer que a taxa de troca do mercado
para esse produto é de p1/p2=3/1, pois uma unidade de requeijão compra 3 unidades
de margarina. Ora, se sabemos que esses preços foram ajustados pela demanda do
consumidor, podemos presumir que sua taxa de troca deve ser a mesma do mercado.
Logo, a escolha ótima do consumidor entre margarina e requeijão será a escolha
onde a taxa marginal de substituição for igual a 3. Isso quer dizer que a cesta dos
consumidores terá sempre 3 vezes mais margarina que requeijão.

Fonte: http://ecoteorica.blogspot.com

Isto ocorrerá para todas as cestas de ótimas, isto é, a inclinação da curva de


indiferença (taxa marginal de substituição) no ponto de tangência com a restrição
orçamentária, será sempre igual à divisão entre os preços dos bens 1 e 2.

Referências
Curva de Possibilidades de Produção. Dicionário Financeiro. Disponível em:
https://www.dicionariofinanceiro.com/curva-possibilidades-producao/. Acesso em: 28
de Jun. 2019.

Fronteira de Possibilidades de Produção. Knoow.net. NUNES, Paulo. 12 de Fev. de


2015. Disponível em: http://knoow.net/cienceconempr/economia/fronteira-de-
possibilidades-de-producao/. Acesso em: 28 de Jun. 2019.

Preferência Revelada e Taxa Marginal de Substituição. Economia Teórica. 03 de Nov


2013. Disponível em: http://ecoteorica.blogspot.com/2010/10/preferencia-revelada-e-
taxa-marginal-de.html. Acesso em: 28 de Jun de 2019.

The Production Possibilities Frontier and Social Choices. 04 de Set. 2015. OpenStax
CNX. Disponível em: https://legacy.cnx.org/content/m57210/latest/. Acesso em: 28 de
Jun. 2019.

TMS - Taxa Marginal de Substituição Microeconomia. Forumeiros. Em 16 de Mai


2013. Disponível em: http://mercadofinanceiro.forumeiros.com/t44-tms-taxa-
marginal-de-substituicao-microeconomia. Acesso em: 28 de Jun 2019