Você está na página 1de 8

Quesitos para Pericia Médica Trabalhista

O RECLAMANTE DELIMITA QUESITOS À PERÍCIA

Ação de Reparação de Danos


Proc. nº. 803-05.2012.5.03.0030
Reclamante: Pedro das Quantas
Reclamada: Posto Xista Ltda

Intermediado por seu mandatário ao final firmado,


comparece, com o devido respeito à presença de Vossa Excelência, PEDRO DAS
QUANTAS, já qualificado na exordial desta querela trabalhista, para, com estribo no
art. 421, § 1º, do Estatuto Buzaid, no qüinqüídio legal, apresentar seus quesitos à
perícia.

Cumpre-nos, primeiramente, pleitear que o expert utilize-


se da faculdade expressa no art. 429 da Legislação Adjetiva Civil,.

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

Art. 429 – Para o desempenho de sua função, podem o perito e os assistentes


técnicos utilizar-se de todos os meios necessários, ouvindo testemunhas, obtendo
informações, solicitando documentos que estejam em poder da parte ou em
repartições públicas, bem como instruir o laudo com plantas, desenhos, fotografias e
outras e quaisquer peças.

Ademais, o Reclamante vem pela presente indicar seu


assistente técnico, a saber:

Dr. José das Quantas, brasileiro, casado, médico, com consultório sito na Av. Delta,
nº. 0000 – sala 1122 – Curitiba (PR) – CRM (PR) n. 001122

Outrossim, por oportuno, apresenta os quesitos a serem


respondidos pelo senhor perito:

1 - O(A) periciado(a) se encontra acometido(a) de alguma doença que o(a) incapacite


para o trabalho? Em caso positivo, qual a sua natureza ?

2 - Desde quando o(a) periciado(a) é portador(a) da doença e há quanto tempo estaria


incapacitado(a)? E, sendo possível, informar a data provável da consolidação da
lesão.

3 - Desde quando se manifestaram as seqüelas da doença?


4 - Caso o(a) periciado(a) tenha fruído de benefício previdenciário, é possível afirmar
que se encontrava incapacitado(a) para o trabalho ou para suas atividades habituais
quando da cessação do referido benefício? Em caso de resposta positiva, por quanto
tempo ?

5 - Houve (ou continua havendo) progressão ou agravamento da doença? E de suas


seqüelas? Especifique.

6 - As seqüelas da doença podem ser eliminadas ou minimizadas? Como?

7 - Tal doença incapacita-o(a) temporariamente, permitindo recuperação; ou


permanentemente?

8 - Há chance de reabilitação profissional?

9 - A incapacidade é restrita a algum(ns) tipo(s) de atividade(s); ou é plena, para


qualquer atividade laboral?

10 - Há outras informações, inclusive sobre doenças diversas das mencionadas na


petição inicial, que podem ser úteis à solução da lide?

11 - Está o(a) periciado(a) incapacitado(a) para a vida independente?

12 - O(A) periciado(a) necessita de constante assistência de terceira pessoa,


sobretudo para sua higiene, para vestir-se ou alimentar-se?

13 – A(s) seqüela(s) encontradas tem(têm) nexo causal com o acidente relatado neste
processo ?

14 – Houve progressão, agravamento ou desdobramento da doença ou lesão, ao


longo do tempo ?

15 – Em razão de sua enfermidade a parte autora necessita de permanente cuidados


médicos, de enfermagem ou de terceiros? Especificar.

16 – A parte autora necessita de auxílio de órteses ou próteses ? Caso positivo,


especificar.

17 – Se necessário prestar outras informações que o caso requeira e sejam


pertinentes à solução da lide.

Respeitosamente, pede deferimento.


ANEXO II - QUESITOS AOS PERITOS MÉDICOS

1)Quais as doenças ou lesões o reclamante é portador? Existem exames, atestados ou outros


documentos que comprovam a doença ou lesão? Quais? Quais as doenças constantes
nos exames e documentos médicos do autor se enquadram no LISTA DE DOENÇAS
RELACIONADAS COM O TRABALHO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE - (elaborada
em cumprimento da Lei 8.080/90 - inciso VII, parágrafo 3º do artigo 6º - disposta
segundo a taxonomia, nomenclatura e codificação da CID-10), da Portaria Nº. 1339/GM
em 18 de novembro de 1999?
2)O reclamante “trabalha em atividades e tarefas que impõem alto risco de lesões, pela
extensão e pela intensidade de força despendidas durante a jornada de trabalho, que
causam fadiga das estruturas musculares que produzem danos tecidual, dor inflamação
e constante progressão/cronicidade, gerando circulo vicioso, que evolui para mais
lesão, degeneração e
3
crescente incapacidade até acarretar a ruptura dos tendões,”? Tais condições
acarretam a ocorrência de acidente de trabalho?
2)Apresenta as lesões mencionadas na peça inicial? Estão elas vinculadas às condições
de trabalho ? É portador das seqüelas em decorrência do acidente de trabalho relatado
nos autos
?
3)Em caso afirmativo, esta doença ou lesão o incapacita para seu trabalho ou sua
atividade habitual? Discorra sobre a lesão do tais como origem, forma de manifestação,
limitações e possibilidades terapêuticas.
4)As referidas patologias refletem limitação funcional para quais movimentos? São
decorrentes
da exposição a ambiente nocivo Persiste risco de agravação com a manutenção do
obreiro em suas atividades laborais?
5)Tratam-se de moléstias cuja alteração foi influenciada pelo trabalho? O afastamento
do obreiro de suas funções habituais é medida indispensável para impedir o
agravamento? A continuidade do trabalho nas mesmas condições é perniciosa?
Acarretou ou acarretará a incapacidade?
6)Constatada incapacidade, esta impede total ou parcialmente o de praticar sua atividade
habitual?
7)O reclamante está incapacitado para o exercício de atividades que possam lhe prover
rendimentos? Está incapacitado para a vida independente, que o impeça de exercer as
atividades da vida comum(alimentar-se, vestir-se, locomover-se, banhar-
se, etc.) respeitando-se os parâmetros de normalidade para a sua faixa etária, sem o
auxílio de terceiros? Se não estiver totalmente incapacitado sofre

alguma limitação para tais atividades? Quais? Informar se o necessita da assistência


permanente de outra pessoa.
8)Caso a resposta ao quesito anterior seja positiva, informar qual o fator responsável
pela condição apresentada?
9)É possível determinar a data de início da incapacidade? Informar os critérios
utilizados para a fixação desta data, esclarecendo quais exames foram apresentados pelo
quando examinado e em quais exames baseou-se para concluir pela incapacidade e as
razões pelas quais assim agiu?
10)Caso a incapacidade decorra de doença, é possível determinar a data de início da
doença?
11)Caso constatado o agravamento ou progressão da doença ou lesão, é possível
determinar a partir de que data isto ocorreu? Se afirmativo, informar em que se baseou
para fixar a data do agravamento ou progressão.
12)Sendo o reclamante portador de seqüelas, informe o perito se estas decorrem de
doença ou consolidação de lesões e se implicam redução da capacidade do para o
trabalho que habitualmente exercia.
13)As moléstias apresentadas pelo reclamante têm caráter permanente ou são curáveis?
Estão sedimentadas sequelas ou limitações? Quais? Em qual percentual de
comprometimento da capacidade do reclamante?
14)Tais moléstias impedem ou dificultam o realizar suas atividades de trabalho?
15)O poderá executar as mesmas atividades profissionais, antes desempenhadas?
16)Em caso positivo despenderá mais esforços para a sua execução?
17)As moléstias foram ou poderão ser agravadas pelo desempenho das mesmas
atividades?
4
18)Caso a incapacidade seja parcial, informar se o teve redução da capacidade para o
trabalho que habitualmente exercia, se as atividades são realizadas com maior grau de
dificuldade e que limitações enfrenta.
19)Qual o benefício acidentário a que o faz jus dentre aqueles possíveis (auxílio-
doença-acidentário, auxílio-acidente ou aposentadoria por invalidez acidentária)?
20)Caso não haja incapacidade do ponto de vista desta especialidade médica, informar
se o apresenta outra moléstia incapacitante e se faz necessário a realização de perícia
com outra especialidade. Qual?
21)O está acometido de espondiloartrose anquilosante?
22)Qual o quadro clínico do ? Se este é portador de moléstia incapacitante para o
exercício de sua atividade habitual e atividades que exigem esforço físico e emprego de
força física, exposição a movimentos antiergonômicos com mãos, braços, ombros,
pernas, joelhos, coluna, audição; dentre outras atividades correlatas à sua função) ou de
qualquer atividade que lhe garanta subsistência,especificando-a se positiva a resposta;
23)Qual a explicação para o surgimento das doenças e se é possível fixar o seu termo
inicial e qual é este?
24)É possível tê-las adquirido em seu ambiente profissional, uma vez que trabalha
desde 1998?
25)Há possibilidade de recuperação total do ? Em quanto tempo?
26)As doenças do podem ser consideradas DOENÇAS DO TRABALHO? Quais? O
autor recebe ou recebeu benefício de natureza acidentária? Auxílio-acidente? Foi
submetido em algum momento ao processo de reabilitação profissional? Quais as
funções exercidas pelo reclamante no interregno de tempo entre as altas dadas pelo
INSS? Descreva as funções e os riscos de agravamento da condição inicial devido a
manutenção em atividade perniciosa
27)As lesões podem ser revertidas cirurgicamente? A cirurgia deixará seqüelas ou
limitações?
28)É possível uma reabilitação profissional no caso em tela?
29)Por que após todo o período de intenso tratamento desde o primeiro afastamento as
dores ainda continuam?
30)Esclareça o Sr. Perito sobre a possibilidade das doenças constatadas terem surgido
de forma precoce ou se, mesmo já portador, o trabalho teria contribuído para o quadro
atual;
31)Indique o Sr. Perito outras informações que se façam necessárias à caracterização da
doença do reclamante, capazes de comprovar ser a mesma tipificada como acidente do
trabalho?

Termos em que,
Quesitos para Pericia Trabalhista – Insalubridade

1) Em qual setor da empresa o reclamante trabalhava? O setor ainda existe? O


trabalho era, ou, é desenvolvido internamente, externamente ou ambos?
2) Descreva detalhadamente as tarefas executadas no desenvolvimento da função
definindo a periodicidade e frequência das mesmas?.
3) Quais as condições encontradas no ambiente físico de trabalho?
Avaliando o local de trabalho do Reclamante, informe o Sr. Perito se nele se fazem
presentes as condições apontadas na exordial como causadoras de insalubridade,
indicando e descrevendo o agente (específico) enventualmente nocivo à saúde.
Caso seja constatada a existência de insalubridade e descrito o agente causador da
mesma, indique e descreva o Sr. Perito o grau de agressividade que apresenta em
relação ao homem, especificando:
Verificação e indicação do tempo de exposição do funcionário ao(s) suposto agente(s)
agressor(es).
Se nas funções desempenhadas pelo Autor (em todos os setores em que se ativou),
quanto tempo o mesmo permanecia próximo e/ou adentrava em câmara fria e/ou
resfriada e quantas vezes por dia.
a. O limite de tolerância conhecido quanto ao tempo de exposição ao agente nocivo:
4) Quais os equipamentos de proteção coletiva existem no ambiente de trabalho?
Existem: exaustor? Ventilação forçada? Capela? Outros? Quais?
4) Com quais substâncias químicas lidava a Reclamante?
5) Qual a frequência de utilização destes produtos pelo Reclamante e Quais as
quantidades manipuladas diariamente?
Quais os equipamentos de proteção individual foram empregados? Luvas? Óculos de
proteção? Máscaras? Protetor para audição? Capacete? Outros? De que tipo? São
apropriadas para os riscos eventualmente encontrados? São trocados em que
periodicidade? Existem recibos de entrega aos empregados? Os empregados
receberam treinamento para a utilização? O uso era fiscalizado?
Informe, ainda, se a Reclamada fornece os devidos Equipamentos de Proteção e se
foi constatada “in loco” a utilização dos mesmos, assim como se os mesmos são
capazes de elidir o agente provocador da condição insalubre.
11) As pessoas que acompanharam a vistoria trabalharam com a Reclamante?
12) Houve indagação às mesmas, se as condições de trabalho anteriores são as
mesmas de agora ?
8) Quais as ferramentas/instrumentos/ equipamentos eram utilizadas no
desenvolvimento da atividade laboral? Oferecem riscos? Quais?

9)O reclamante estava expostos a risco biológico, o segundo a Portaria 3.214 de


08/07/1978- NR15, anexo 14, por agente biológico? Quais os agentes? O contato era
habitual e permanente? Persiste insalubridade em decorrência de tal risco? Em que
grau?

10)O reclamante estava expostos a risco físico, segundo a Portaria 3.214 de


08/07/1978- NR15, anexo 01, por ruído contínuo? Qual volume verificado? A
exposição era habitual e permanente? Persiste insalubridade em decorrência de tal
risco? Em que grau?

11)O reclamante estava exposto a risco físico Segundo a Portaria 3.214 de


08/07/1978- NR15, anexo 02, por ruído de impacto, Quantos decibéis foi verificado? O
contato era habitual e permanente? Persiste insalubridade em decorrência de tal
risco? Em que grau?

12)O reclamante estava expostos a risco físico, segundo a Portaria 3.214 de


08/07/1978- NR15,anexo 03, por calor? Qual temperatura verificada? O contato era
habitual e permanente? Persiste insalubridade em decorrência de tal risco? Em que
grau?

13)O reclamante estava exposto a risco físico segundo a Portaria 3.214 de


08/07/1978- NR15, anexo 05, por radiações ionizantes? Quais elementos? O contato
era habitual e permanente? Persiste insalubridade em decorrência de tal risco? Em
que grau?

15)O reclamante estava exposto a risco físico segundo a Portaria 3.214 de


08/07/1978- NR15, anexo 07, por radiações não ionizantes? Qual radiação e de que
forma? O contato era habitual e permanente? Persiste insalubridade em decorrência
de tal risco? Em que grau?

19)O reclamante estava expostos a risco físico segundo a Portaria 3.214 de


08/07/1978- NR15, anexo 11, por agentes químicos caracterizada por limite de
tolerância e inspeção no local de trabalho? Quais os agentes? O contato era habitual e
permanente? Persiste insalubridade em decorrência de tal risco? Em que grau?

20)O reclamante estava exposto a risco físico segundo a Portaria 3.214 de


08/07/1978- NR15, anexo 12, por poeiras minerais? Quais os minérios encontrados?
O contato era habitual e permanente? Persiste insalubridade em decorrência de tal
risco? Em que grau?

21)O reclamante estava exposto a risco físico segundo a Portaria 3.214 de


08/07/1978- NR15, anexo 13, por outros agentes químicos não constantes nos anexos
11 e 12? Quais os agentes? O contato era habitual e permanente? Persiste
insalubridade em decorrência de tal risco? Em que grau? Quais os produtos químicos
utilizados na execução da atividades? E para a manutenção das ferramentas ou
instrumental ou máquinas?

23)O reclamante estava exposto a risco físico segundo a Portaria 3.214 de


08/07/1978- NR16, anexo 02- INFLAMÁVEIS? Quais os elementos? O contato era
habitual e permanente? Persiste periculosidade em decorrência de tal risco? Em que
grau?

O serviço desempenhado pelo reclamante, assim como o local e o ambiente em que


laborava apresentam condições insalubres?

1) Conforme o item 1.7 da NR-1, cabe ao empregador “elaborar ordens de serviço


sobre segurança e medicina do trabalho, dando ciência aos empregados”, com o
objetivo, inclusive, de “adotar medidas para eliminar ou neutralizar a insalubridade ou
periculosidade e as condições inseguras de trabalho”. A Reclamada atendeu o 1.7 da
NR-1, ou permitiu que o Reclamante trabalhasse sem conhecimento, sem segurança e
de forma insalubre ou perigosa?

Quesito nº 3. Em caso de resposta afirmativa ao quesito nº 2, supra, informe qual o


agente ou agentes deletérios que envolvem a atividade e o ambiente?

Quesito nº 4. Ainda, sendo afirmativa a resposta ao quesito nº 2, o agente ou agentes


deletérios constatados se enquadram na NR 15, Anexo 13, da Portaria nº 3214/78 do
Ministério do Trabalho?

Quesito nº 5. Sendo afirmativa a resposta ao quesito nº 4, qual o grau de


enquadramento?

Você também pode gostar