Você está na página 1de 4

1.

Os recursos extraordinário e especial

A) serão recebidos no efeito devolutivo.

B) são recebidos nos efeitos suspensivo e devolutivo.

C) podem ser interpostos na mesma petição.

D) devem ser interpostos na instância excepcional.

2. Julgado mandado de segurança em única instância por Tribunal Regional


Federal, sendo a decisão favorável em parte a um dos litigantes e em parte ao
outro, versando o acórdão sobre o mérito e aplicando, expressamente, lei
federal e dispositivo da Constituição da República, são cabíveis recursos

A) ordinário, apenas para o impetrante, e, especial e extraordinário, para o


impetrado.

B) especial e extraordinário retidos, para ambos os litigantes, indistintamente

C) somente os especiais, para ambos os litigantes, indistintamente.

D) somente os ordinários, para ambos os litigantes, indistintamente.

E) especial e extraordinário, para ambos os litigantes, indistintamente.

3. Qual recurso abaixo representa recurso para instância extraordinário?

A) Recurso especial ao STJ

B) Embargos de divergência ao STF ou ao STJ

C) Recurso Extraordinário ao STF

D) Todas as respostas estão corretas

4. O recurso especial possui efeito suspensivo?

A) Sim, sempre.

B) Não, nunca.
C) De regra não.

D) Sim, a critério do relator.

5. Em caso de interposição simultânea dos recursos especial e extraordinário,


qual órgão julgará primeiro?

A) Ambos serão julgados simultaneamente.

B) Aquele que interpôs o recurso deverá especificar qual órgão julgará


primeiro.

C) O recurso especial será julgado em primeiro lugar pelo STJ.

D) Os recursos não serão conhecidos.

6. Em caso de interposição simultânea dos recursos especial e extraordinário,


o que ocorrerá caso o relator do recurso especial considere que o recurso
extraordinário é prejudicial em relação ao especial?

A) O relator ordenará que a parte interessada se manifeste a respeito.

B) O relator remeterá os autos ao STF em decisão irrecorrível e ali,


também em decisão irrecorrível, será apreciada a hipótese de
prejudicialidade.

C) O relator remeterá os autos ao STF em decisão irrecorrível e ali, em decisão


recorrível, será apreciada a hipótese de prejudicialidade.

D) O recurso não será conhecido.

7. Em se tratando de recurso, assinale a alternativa correta:

a) a decisão do relator que recebe a apelação e determina seu


processamento é irrecorrível;

b) cabe recurso especial contra decisão do Relator não conhece de agravo de


instrumento por intempestividade;

c) questões de fato podem fundamentar recurso extraordinário;


d) prequestionamento é um requisito comum aos recursos especial e
extraordinário, consistente na necessidade de que, na decisão recorrida,
a questão que serve de fundamento para o recurso tenha sido
questionada nos graus inferiores.

8. Quanto aos recursos é incorreto afirmar que:

a) interposta apelação contra decisão que julgou procedente pedido formulado


em face da fazenda pública, o prazo para que esta apresente resposta é
contado em dobro;

b) Ao contrário do recurso especial, o extraordinário é cabível contra decisões


de órgãos de primeiro grau não – impugnáveis por outra via, como a decisão
da turma acerca de recurso contra sentença do juizado especial cível;

c) Interpostos e admitidos recursos extraordinário e especial, de regra,


primeiro processa-se e julga-se o recurso especial; só depois remetem-se os
autos ao STF, para julgamento do extraordinário, caso não esteja prejudicado;

d) Da decisão do Tribunal a quo que nega seguimento a recurso especial


e extraordinário cabe agravo ao STJ e ao STF.

e) O Agravo em recurso especial não será conhecido se o recorrente deixar


de comprovar o pagamento do respectivo preparo.

9. Tratando-se de Recurso Extraordinário ou de Recurso Especial, é correto


afirmar:

A) Por meio desses recursos não se pode pleitear a revisão da matéria de fato.
Além disso, os possíveis fundamentos e hipóteses de cabimento, tanto do
Recurso Especial quanto do Extraordinário, estão previstos na Constituição
Federal.

B) Para que sejam interpostos, é necessário que sejam formados instrumentos,


já que esses recursos seguem para os órgãos julgadores, enquanto os autos
de que se originaram permanecem arquivados no Tribunal a quo.

C) Tanto o Recurso Especial quanto o Extraordinário sempre possuem


efeito suspensivo, paralisando a decisão impugnada.

D) O Recurso Especial, ou o Extraordinário, quando interposto contra decisão


interlocutória ficará retido nos autos e somente será processado se o reiterar a
parte, no prazo para a interposição do recurso contra a decisão de primeiro
grau, ou nas contra-razões de apelação. Importante ressaltar que essa
retenção somente se dá no processo de conhecimento.
10. Quanto aos recursos de natureza extraordinária, assinale a alternativa
incorreta:

A) O Ministério Público, nas ações civis públicas, não está sujeito à incidência
dos enunciados 282 e 356 das súmulas do Supremo Tribunal Federal, em face
da natureza do direito posto em causa.

B) O Ministério Público, quando atua como custus legis, tem legitimidade


para deduzir Recurso Especial e Recurso Extraordinário.

C) O Ministério Público atua no juízo delegado de admissibilidade.

D) A divergência jurisprudencial entre Câmaras de idêntico Tribunal de Justiça


não autoriza o manejo de Recurso Especial.

E) Não se admite Recurso Extraordinário para mero reexame de prova.