Você está na página 1de 5

VISUALVENTOS: PROGRAMA PARA CÁLCULO DE ESFORÇOS

DEVIDO AO VENTO

Juliana Ana Chiarello, Zacarias M. Chamberlain Pravia


Universidade
Universidade de Passo Fundo - UPF
Campus São José – CEP 99001-970 – Passo Fundo/RS
29946@lci.upf.tche.br, zacarias@upf.tche.br 

Resumo.  Na engenharia estrutural é quase vento em edificações industriais com planta


impossível ignorar os avanços tecnológicos da retangular e telhado a duas águas,
informática, um profissional que utiliza um considerando as recomendações da norma
 software para realizar seus projetos ganha brasileira NBR6123/88.
tempo e se permite realizar o cálculo de
estruturas mais complexas obtendo resultados   Ferramenta
Palavras-chave:  educacional,
mais precisos. Porém a maioria dos  Forças devidas ao vento
 programas trabalham com sistema fechado
(como “caixa preta”) fornecendo resultados
que podem ou não ser confiáveis dependendo 1. INTRODUÇÃO
do modo como os dados são cadastrados.
Cabe ao engenheiro possuir a capacidade de O VisualVentos é mais um programa
analisar se os resultados do programa são, ou desenvolvido no âmbito do projeto Etools,
não coerentes. Deste modo é importante que tendo como objetivo principal realizar o
as ferramentas computacionais sejam cálculo de forças devido ao vento ao vento em
didáticas e sirvam também de referência edificações com planta retangular e telhado
teórica.Com base nestes conceitos é que duas águas. Os procedimentos para
decorre o projeto Etools – UPF que vem desenvolvimento dos algoritmos de cálculo do
desenvolvendo ferramentas computacionais  programa foram realizados com base nas
educacionais para dimensionamento de exigências da NBR 6123/88. A utilização desta
estruturas. Os programas desenvolvidos estão ferramenta agiliza o processo manual de
 sendo utilizados como ferramenta de ensino dimensionamento, bem como proporciona aos
 por professores de engenharia e arquitetura alunos de graduação maior motivação para
de modo a motivar e estimular os alunos de estudar e discutir conceitos e assuntos
 graduação para o estudo de sistemas referentes às disciplinas de estrutura, ou até
estruturais, como também facilitar a mesmo profissionais, que queiram se adequar
visualização e compreensão dos mesmos com às novas exigências de norma, podem fazer
respeito a fenômenos físicos envolvidos nos uso da mesma.
cálculos de dimensionamento. Está didática
esta tornando o aprendizado mais dinâmico, 2. APRESENTAÇÃO DO
interativa e eficiente. Neste trabalho VISUALVENTOS
apresenta-se o programa VisualVentos, que
 proporciona o cálculo de forças devido ao Desenvolvido em linguagem Delphi, com
 base na plataforma Windows, o software
trabalha utilizando menus em abas, permitindo
a visualização da seqüência lógica de
funcionamento e de cadastro de dados, como
 podemos observar na Fig. 1.

Figura 2 – Tela da velocidade básica do vento

A próxima aba nos permite fazer a escolha


do fator topográfica S1, o qual é determinado
com base nas variações de relevo do terreno
Figura 1 – Interface principal onde a edificação se encontra ou ainda, se esta
estiver situada em um talude ou morro, o
Cada aba ativada abre uma janela que usuário deverá fornecer características mais
exige do usuário o fornecimento de valores, específicas sobre o terreno e então o sistema
que devem ser digitados ou selecionados, para calculará a valor de S1, como demonstra a Fig.
que posteriormente sejam associados ao 3.
cálculo das cargas de vento.
Os principais dados a serem cadastrados
são referentes às dimensões da edificação, bem
como as áreas de suas respectivas aberturas
(Fig. 1), velocidade básica do vento, fatores
topográfico, de rugosidade do terreno e
estático.
 Na determinação da velocidade básica do
vento o usuário pode utilizar-se de um mapa
do Brasil que demonstra as isopletas de várias
regiões brasileiras, sendo que o valor adotado
deve corresponder a isopleta da região em que
a construção encontra-se localizada, como
mostra a Fig. 2.
Figura 3 – Tela para determinação do fator S1

O próximo passo consiste na obtenção do


fator de rugosidade S2, que considera o efeito
combinado do terreno, da variação da
velocidade do vento com a altura acima do
terreno e das dimensões da edificação.Isso é
melhor ilustrado na Fig. 4.

Figura 6 – Coeficientes de pressão externa nas


 paredes

Figura 4 – Tela para determinação do fator S2

O fator estatístico S3 é baseado em


conceitos estáticos e considera o grau de
segurança requerido e a vida útil da edificação,
mostrado na Fig. 5.

Figura 7 – Coeficientes de pressão externa no


telhado

Os coeficientes de pressão interna poderão


ser escolhidos baseado nas aberturas
dominantes e na impermeabilidade das faces,
ou calculada fundamentando-se nas áreas das
Figura 5 – Tela para determinação do fator S3 aberturas especificadas ainda no
dimensionamento da edificação, como mostra
Após todas as informações serem Fig. 8.
fornecidas pelo usuário, o software procede
com os cálculos e os resultados são
demonstrados nas abas seguintes. Resultados
referentes aos coeficientes de pressão externos
das paredes (Fig. 6) e do telhado (Fig. 7) da
edificação, com análise do vento a zero e 90°.
Figura 8 – Coeficientes de pressão interna Figura 10 – Esforços resultantes

Posteriormente o programa ilustrará e Os procedimentos de cálculo adotados


calculará as piores combinações de ações bem  pelo programa podem ser visualizados
como os valores da ação devido ao vento das detalhadamente nos resultados, Fig. 11.
mesmas (Fig. 9 e 10).

Figura 11 – Resultados
Figura 9 – Combinação dos coeficientes de
 pressão O sistema ainda apresenta uma ajuda
contextual que foi desenvolvido a fim de
auxiliar o usuário em questão referente à
teoria, procedimento de cálculo adotado no
 programa e especificações de como os dados
devem ser cadastrados. Pode ser acionada a
qualquer momento simplesmente clicando-se
no botão de “Ajuda”.
através das bolsas de iniciação cientifica
oferecidas nos anos de 2000 a 2001 (processo
01507023), 2002 a 2003 (processo 99506823)
e 2003 (processo 01507023)  permitiu o
andamento e crescimento qualitativo do
 projeto de desenvolvimento de ferramentas
computacionais para ensino de engenharia
desenvolvido no núcleo Etools do LAMEC
(Laboratório de Métodos e Computação
Gráfica Cientifica) da Faculdade de Engenharia
e Arquitetura da Universidade de Passo Fundo.
Figura 12 – Ajuda contextual
3. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Quaisquer dúvidas referentes à
nomenclatura das variáveis adotadas no O desenvolvimento desta pesquisa ressalta
 programa, podem ser sanadas nas “Notações”, a importância do emprego de ferramentas
onde é descrito de forma objetiva o significado computacionais nos cursos de engenharia e
de cada uma destas. arquitetura. Permite demonstrar um
aproveitamento mais eficiente dos alunos da
graduação, visto que estes passam a
compreender com mais clareza o
comportamento dos sistemas estruturais, bem
como os fenômenos físicos envolvidos no
cálculo dos mesmos.
Assim como as demais ferramentas
computacionais desenvolvidas no projeto
Etools – UPF, o programa VisualVentos, por
ter uma interface gráfica simples e amigável, é
uma ferramenta educativa didática capaz de
tornar o aprendizado, referente ao cálculo dos
esforços devido ao vento, mais dinâmico e
Figura 13 – Visualização das notações interativo.

O sistema já esta sendo utilizado como 4. REFERÊNCIAS


ferramenta de ensino por professores de
engenharia ou arquitetura de modo a motivar e [1] Associação Brasileira de Normas Técnicas
estimular os alunos de graduação, como (ABNT). Forças devidas ao vento em
também facilita a visualização e compreensão edificações – NBR 6123:1988. ABNT,
dos mesmos com respeito a aspectos Rio de Janeiro, 1988.
associados à ação do vento em sistemas
estruturais. [2] Chamberlain Pravia, Z.M., E., Drehmer,
G.A. Estruturas de Aço. Universidade de
Agradecimentos Passo Fundo, Passo Fundo, 2002.

A FAPERGS (Fundação de Apoio a


Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul) que