Você está na página 1de 37

Mecânica dos Fluidos

Aula 03

Prof. Dr. Gilberto Garcia Cortez

1
3.5- Força hidrostática sobre superfícies submersas
A determinação de forças na superfície de corpos submersos é
importante no projeto de tanques para armazenamento de fluidos,
navios, submarinos, barragens e de outras estruturas hidráulicas
que esteja sob ação de forças de superfície submersas.
Para determinar completamente a resultante da força atuando
sobre uma superfície submersa, devemos especificar:
1- A magnitude ou módulo da força resultante;
2- O sentido da força;
3- A linha de ação da força.

3.5.1- Força hidrostática sobre uma superfície plana submersa


A determinação das forças que atuam sobre superfícies planas
submersas é um problema frequente da estática dos fluidos. Essas
forças são devidas às distribuições de pressões nos fluidos, e a força
resultante é obtida através da integração da distribuição de
pressões sobre a superfície plana submersa.
2
a) Superfície plana submersa
A força total de contato superficial no corpo pode ser determinada
pela soma vetorial das forças superficiais em toda a área do corpo
submerso.
P0 g  (superfície livre)

dA
FR
líquido
y dF
Centro de Pressão, CP
(+) h Ponto de aplicação
z x’
CP da força resultante

x y’
y
P
O x

3
A força de pressão agindo sobre o elemento de área, dA, no ponto O
é dado por:
d F   Pd A (vetor)
(1)
dF  PdA (escalar)
onde o sinal menos indica que a força dF age sobre o elemento de
área dA, em sentido oposto ao da normal da área A. A força
resultante é dado por:


FR  d F   Pd A

A
(2)

A pressão P no ponto O sobre superfície plana de área A é dado por:

P  P0  ρfluido gh (3)

onde P0 é a pressão na superfície livre (h = 0).

4
Portanto, a força resultante total aplicada a uma superfície plana
submersa horizontal é dado por:

FR 
 P0  ρgh d A (4)

Podemos escrever também:

FR  FRx i  FRy j  FRz k (5)

onde FRx , FRy e FRz são as componentes escalares de FR nos


sentidos positivos de x, y e z, respectivamente.

5
onde:
FR  FRx i  FRy j  FRz k


R
 
F  F .i  d F.i   Pd A.i   PdA
 Rx
A
 Ax
x


  

FRy  FR . j  d F. j   Pd A. j   PdA y
 A Ay

  

FRz  FR .k  d F.k   Pd A.k   PdA z
 A Az

6
b) Superfície plana inclinada

y
dA

h
senθ   h  ysenθ
y
7
dA

8
FR 

A

d F   Pd A
A

FR  

A
P0  ρgh d A

h  ysenθ d A  Wdy k W = largura da comporta

9
 
FR

  P0  ρysenθg  Wdy k

 
 P
  
 dA
y2
 
FR

   P0 W  ρg

y1 

γ
Wysen θ dy k


y2
 y 2
FR   P0 Wy  ρg
 W senθ  k
 γ
2 
y1

FR

  P0 W y 2  y1   γ Wsenθ
 
y 22  y12 
k
     2 
A


  P0 A  γ Wsenθ

y 22  y12  
FR  k (6)
 2 
10
O momento, M, da força distribuída em relação ao eixo no ponto O
é dado por:

M  r' . FR 
 
r . d F   r . Pd A (7)

y
FR dF
z
x
r'  x' i  y ' j
x' r  xi  yj
CP
y'
y d A  dA k
o x FR   FR k

11
1
A

M y  0  x' FR  xPdA  0  x' 
FR A
xPdA 
(8)
1
A

M x  0  y ' FR  yPdA  0  y ' 
FR  yPdA
A

Exemplo 01: A superfície inclinada mostrada, articulada ao longo de


A, tem 5 m de largura. Determine a força resultante, FR , da água e
do ar sobre a superfície inclinada.

12
Solução: Para determinar o vetor FR , devemos especificar:
a) Sua magnitude;
Dados:
b) Seu sentido;
W = 5m (largura da comporta)
c) Sua linha de ação.  = 999kg/m3
água

Patm ( 0)
+h

y
H
P

H
sen30   H  ysen30
y
h  D  H
13
Equações básicas:

 
FR  d F   Pd A
A
P  Patm  ρ água gh

a) Uma vez que estamos interessados na força resultante da água


sobre a comporta, desprezamos Patm ( 0) e obtemos:

P  P atm  ρ água gh  ρ água gh


P  ρ água gD  ysen30

14

FR   ρg D  ysenθ Wdy k
 
P dA
L
 y 2

FR   ρgW Dy  senθ  k
 2 0
 L2 1 
FR   ρgW DL   k
 2 2
kg m  4m2 1 
FR   999 3 9,81 2 5m 2mx4m  k
m s  2 2
kg m
FR   588011,4 3 2 m 3 k   588011,4 N k
m s

FR   588,01 kN k
15
b) Os momentos em relação ao eixo x passando pelo ponto A:

M x  0

16
P  ρ água gD  ysen30 
M x  0 dA  Wdy
dF   PdA

M x  y ' FR   ydF  0
A

  yPdA
1
y ' FR  yPdA  0  y ' 
A
FR A

 y[ρ
1
y'  água g D  ysen30]Wdy
FR A
L
Wρ água g
y' 
FR 0

[Dy  y 2sen30]dy

17
L
ρgW  Dy 2
y3

y'   sen30
FR  2 3 0
ρgW  DL2 L3 1 
y'   
FR  2 3 2 
kg m 5m  2m x16m 2 64m 3 
y'  999 3 9,81 2 2 

m 5
s 5,8810 kg/m.s  2 6 
y'  2,22m
Também considerando os momentos em relação ao eixo y passando
pelo ponto A, temos:

M y  x' FR 

A
xdF  0

 
1
x' FR  xPdA  0  x'  xPdA
FR
A A 18
Como W é constante e a integração está sendo realizada sobre o
eixo y, temos que:


1
x'  xPdA
FR
A


1 W
x'  PdA
FR 2
A

WF R

W W 5m
x'  PdA     2,5m
2FR 2F R 2 2

A
FR
x'  2,5m
c) A linha de ação da força resultante é paralela ao eixo z,
passando sobre r’, ou seja:

r'  x' i  y ' j r'  2,5i  2,22 j m


19
Exemplo 02: A porta lateral do tanque é articulada na borda inferior.
Uma pressão de 100 lbf/ft2 (manométrica) é aplicada na superfície
livre do líquido. Determine a força Ft necessária para manter a porta
fechada.

Comporta

P = 100 lbf/ft2
 L = 3ft

 = 100 lbf/ft3 Articulação (eixo x)

b = 2ft

20
Solução: Aplicando os momentos em relação ao eixo x da
articulação, temos: z

Ft
 P0

h (+) L h =L - z
dF
z o

Articulação (eixo x)
x

M x  Ft .L 

Mx ()
zdF  0

Mx ()


1
Ft  zdF
L
L

 
1 1
Ft  zPdA  zP bd
 z
L L dA
A 0 21
P  P0  ρ fluido gh  P0  γ fluido h
h Lz
P  P0  γ fluido L  z 
L


1
Ft  zbP0  γ fluido L  z dz
L
0
L L

Ft 
b
L 
P0 zdz 
γb
L  Lz  z 2 dz
0 0
2 L 3 L
 P0 bz  γb  Lz 2
z 
Ft      2  
 2 L 0 L  3 0
P0 bL2 γb  LL2 L3 
Ft     
2L L 2 3
22
2
P0 bL  1 1  P bL γbL
Ft   γ bL2     0 
2  2 3 2 6
lbf 2ft x 3ft lbf 2 ft x 9 ft 2
Ft  100 2 x  100 3 x
ft 2 ft 6
Ft  600 lbf

Este problema ilustrou:

a) A inclusão da pressão manométrica diferente de zero na


superfície livre do líquido;
b) O emprego direto do momento distribuído sem a avaliação da
força resultante e sua linha de ação em separado.

23
Exemplo 03: A medida que a água sobe no lado esquerdo da
comporta retangular de largura W, ela abrir-se-á automaticamente.
A que profundidade ‘D’ acima da articulação (A) isso ocorrerá?
Despreze a massa da comporta.
y


h1
P1 1,5 m
D h2 dF1
y

P2 A z
líquido z
dF2

24
D 1,5 m

M A   ydF
0
1   zdF
0
2  0

D 1,5 m

 yP dA
0
1 1
  zP dA
0
2 2
 0

D 1,5 m

 yρgh
0

dA
P1
1 1
  zρgh
0

dA
P2
2 2

D 1,5 m

 yρ g D  y W
0
 dy

dA1
  zρ g DW
0
 dz

dA 2

D 1,5 m


0
y D  y dy  
0
zDdz

25
1, 5 m
  z 
D
 Dy y 
2 3 2

 2  3   D 2 
0  0
DD 2
D3
1,5m 
2

  D
2 3 2
D3 D3
  Dx1,125m 2
2 3
D3
 Dx1,125m 2
6

D  2,6m

26
Exemplo 04: A comporta de 2 m de comprimento é articulada em H. Sua
largura de 2 m é normal ao plano da Figura. Calcule a força Ft requerida em
A para manter a comporta fechada.
Dado: água = 9810 N/m3

 Patm ( 0)

z
1m L = 2m

h
H

h1
30 Ft

dF 30 A
água

27
M H
 Ft L   ydF  0
L
1 1 1
Ft 
L 
ydF 
L
yPdA  
L 0
yPL dy 
L


Ft  yPdy
0

P  P atm  ρ água gh  γ água h dA  Wdy


W  L  2m
h  1m  h1  1m  ysen300
P  γ água  1m  ysen30 0

28
L L

Ft  yγ água 1m  ysen300 dy 


  γ água 1m.y  y 2sen300 dy
0 0
L  2m
 
2 3
y y
Ft  γ água 1m.  sen300 
 2 3 0
 (2m)2 (2m)3 1 
Ft  γ água 1m.  
 2 3 2 
N  4m 2 8m 3 
Ft  9810 3 1m 
m  2 6 
Ft  32700 N

Ft  32,7 kN
29
Exemplo 05: O nível de água é controlado por uma comporta plana de
espessura uniforme e articulado em A. A largura da comporta, normal ao
plano da Figura, é W = 10 ft. Determine a massa M, necessária para manter
o nível à profundidade H, ou menos, se a massa da comporta for desprezível.
Dado: água = 1,94 slug/ft3

z y

H = 4 ft h
dF

 D

W 

M
30
M A  Wz 2,5ft   ydF  0
7,5ft

Wcosθ 2,5ft   ydF   yPdA   yPwdy


0
7,5ft

Mgcosθ 2,5ft   yPwdy


0

P  P atm  ρ água gh  γ água h


h  4ft  D  4ft  ysenθ
4ft
senθ   0,53  θ  arcseno(4/7,5)  θ  32,23 0
7,5ft
P  γ água h  γ água 4ft  ysenθ 
31
7,5ft

Mgcosθ 2,5ft   yγ água 4ft  ysenθ wdy


0
7,5ft
wg ρ água
M   y 4 ft  y 2senθ dy
2,5ft g cosθ  0
7,5ft
wρ água  y 2
y 
3

M  4 ft  senθ
2,5ft cosθ   2 3 
0

10ft 1,94slug/f t 3   (7,5ft) 2 (7,5ft) 3 


M  4ft  sen32,230 
2,5ft cos32,230   2 3 

M  344 slug
32
Exemplo 06: A comporta AOC mostrada na Figura tem 6 ft de largura e é
articulada ao longo de O. Desconsiderando o peso da comporta, determine a
força na barra AB.
Dado: água = 1,94 slug/ft3 ; 1slug = lbf.s2/ft ; g = 32,2 ft/s2

Ft

33
y
Ft
A B
 3 ft

h1

12 ft h2 dF1

C
O z
dF2
z
8 ft
6 ft

34
M O 
 Ft 15ft   zdF2  ydF1  0

Ft 15ft   ydF   zdF


1 2

Ft 15ft   yP dA   zP dA
1 1 2 2

12 ft 6ft

Ft 15ft   yP Wdy   zP Wdz


0
1
0
2

P1  P atm  ρ água gh 1  γ água h1


h1  12ft  y
P1  γ água 12ft  y 
P2  P atm  ρ água gh 2  γ água h 2
h 2  12ft
P2  γ água 12ft 35
12 ft 6ft

Ft 15ft   yP Wdy   zP Wdz


0
1
0
2

12 ft 6ft

Ft 15ft   yγ
0
água
12ft  y Wdy   z12ft Wdz
0

 
12 ft 6ft

Ft 15ft  Wγ água  y12ft  y dy  12ft zdz 



2

 0 0 
 y 2 3 12ft
y   z  
2 6ft

Ft 15ft  Wγ água   12ft    12ft  


2 3 0  2 0 

36
  y 2 y 3 12ft  z 2  6ft 

Ft 15ft  Wρ água g   12ft    12ft  
  2 3 0  2  0 
 lbf.s 2  ft   12ft 2 12ft 3   6ft 2  
Ft 15ft  6ft 1,94 4  32,2 2   12ft    12ft  
 ft  s  
 2 3   2  
lbf

Ft 15ft  374,51 4 ft 864ft3  576ft3  216ft3
ft
  
Ft  1797,6 lbf

37