Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA

DEPARTAMENTO DE SAÚDE
PET-SAÚDE
DISCENTE: Bruno da Silva Lisboa

ESTUDO DIRIGIDO

1) O que é Atenção Básica?


“Conjunto de ações de saúde individuais, familiares e coletivas que envolvem promoção, pre-
venção, proteção, diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de danos, cuidados paliativos
e vigilância em saúde, desenvolvida por meio de práticas de cuidado integrado e gestão quali-
ficada, realizada com equipe multiprofissional e dirigida à população em território definido,
sobre as quais as equipes assumem responsabilidade sanitária.”

2) Qual a diferença entre Atenção Básica e Atenção Primária?


O termo Atenção Básica em Saúde surge a partir da não equivalência com o português do termo
“Primary Health Care”, onde a palavra Primary e primário guardam diferenças entre si. Apesar
disso, hoje, os termos Atenção Básica e Atenção Primária são considerados equivalentes.

3) Quais os princípios e as diretrizes da Atenção Básica?


Os princípios são os mesmos do SUS: universalidade, equidade e integralidade, levando em
consideração os determinantes e condicionantes sociais de saúde. As diretrizes são: regionali-
zação e hierarquização; territorialização; população adscrita; cuidado centrado na pessoa; reso-
lutividade; longitudinalidade do cuidado; coordenação do cuidado; ordenação da rede e parti-
cipação da comunidade.

4) Qual a estratégia prioritária da Atenção Básica?


A estratégia prioritária é a ESF (Estratégia Saúde da Família), e as estratégias anteriores devem
ser estimuladas a serem convertidas no modelo atual.

5) O que é uma Unidade Básica de Saúde?


São todos os estabelecimentos que prestem ações e serviços de atenção básica, no âmbito do
SUS.
6) Cite três competências da Secretaria Municipal de Saúde em relação à atenção básica que
são compreendidas e percebidas por você.
Fornecimentos de insumos, qualificação e educação permanente da equipe de saúde, contribuir
com o financiamento da atenção básica junto às outras esferas do governo.

7) Em relação à infraestrutura, ambiência e funcionamento da atenção básica responda:


a) Que ambientes deve ter em uma unidade básica de saúde (UBS)?
Consultório médico, de enfermagem e odontológico (caso haja), sala de procedimentos, sala de
vacinas, área para assistência farmacêutica, sala de inalação coletiva, sala de coleta/exames,
sala de curativos, expurgo, sala de esterilização, sala de observação, sala de atividades coletivas,
recepção, local para arquivos, sala multiprofissional de acolhimento, sala de administração, ba-
nheiros para público e para funcionários.

b) Como deve ser o seu funcionamento?


Deve funcionar pelo menos 40 horas semanais, por 5 dias na semana e 12 meses no ano.

c) Qual a quantidade de pessoas do território a serem assistidas por uma equipe de Atenção
Básica (eAB) ou de Saúde da Família (eSF)?
2.000 a 3.500 pessoas.

d) Qual a quantidade de equipes por UBS?


4 equipes por unidade de saúde.

e) O que são padrões essenciais e padrões ampliados de ações e serviços da atenção básica?
Padrões essenciais: ações e procedimentos básicos relacionados a condições essenciais de
acesso e qualidade na AB.
Padrões ampliados: ações e procedimentos estratégicos para alcançar padrões elevados de qua-
lidade na atenção, levando em consideração especificidades locais, indicadores e parâmetros
nas regiões de saúde.

f) Quais informações deverão estar afixadas em local visível, próximo à entrada da UBS?
Identificação e horários de atendimento, mapa de abrangência, identificação do gerente da AB
e dos componentes de cada equipe da UBS, relação de serviços disponíveis e detalhamento das
escalas de atendimento de cada equipe.
g) Qual a composição da equipe de saúde da família recomendados pela portaria e a carga
horária semanal obrigatória dos membros dessas equipes?
Médico, enfermeiro, técnico de enfermagem e agente comunitário de saúde (ACS). Além des-
ses, podem fazer parte os agentes de combate às endemias (ACE), cirurgião-dentista e técnico
em saúde bucal. A carga horária é de 40 horas semanais para todos os profissionais.

h) Qual o número máximo de pessoas que o Agente Comunitário de Saúde (ACS) deve acom-
panhar?
750 pessoas por ACS

i) Qual a composição da equipe de atenção básica e sua carga horária?


Médico, enfermeiro, técnico de enfermagem. Além desses, podem ser incluídos cirurgiões-den-
tistas, técnico em saúde bucal, ACS e ACE. A carga horária mínima é de 10 horas por semana.

j) Comente sobre as funções e a composição do Núcleo Ampliado de Saúde da Família e


Atenção Básica.
O NASF é formado por uma equipe multidisciplinar, que atua de forma integrada à equipe
mínima. A vivência interdisciplinar é essencial para longitudinalidade do cuidado, comparti-
lhando práticas, saberes e gestão do cuidado, maximizando as habilidades individuais. Dentre
suas competências estão a participação no planejamento, contribuir com a integralidade do cui-
dado, discutir os casos, bem como realizar atendimento individual, compartilhado, intercon-
sulta, educação permanente, intervenções no território etc.
Pode ser composto por: Médico Acupunturista; Assistente Social; Profissional de Educação
Física; Farmacêutico; Fisioterapeuta; Fonoaudiólogo; Médico Ginecologista/Obstetra; Médico
Homeopata; Nutricionista; Médico Pediatra; Psicólogo; Médico Psiquiatra; Terapeuta Ocupa-
cional; Médico Geriatra; Médico Internista, Médico do Trabalho, Médico Veterinário, Arte
educador e Profissional de Saúde Sanitarista.

k) Comente sobre as estratégias utilizadas no processo de trabalho do NASF


O processo de trabalho do NASF depende de algumas estratégias, como o Apoio Matricial, a
qual possui duas dimensões: a assistencial, focada na ação clínica; e a técnico-pedagógica, fo-
cada no apoio educativo da equipe. Outra estratégia, a Clínica Ampliada, visa a integralidade
do cuidado, encarando o paciente como uma construção biopsicossocial levando em considera-
ção os determinantes de saúde. Por fim, o Projeto Terapêutico singular (PTS), é constituído por
um conjunto de condutas terapêuticas que não estão dissociadas mas interligadas, resultado da
articulação entre a equipe e resultando num melhor atendimento ao paciente.
l) O artigo “Perspectivas e desafios do Núcleo de Apoio a Saúde da Família quanto às prá-
ticas de saúde”, foi publicado no ano de 2013, você observou alguma diferença entre o que
se preconiza em relação ao NASF antes da PNAB 2017 e após essa?
O NASF foi criado com o objetivo de ampliar o cuidado na atenção básica através da lógica do
apoio matricial. A PNAB não traz muitas alterações com relação às categorias ou carga horária.
Porém, a mudança na nomenclatura, sendo agora Núcleo Ampliado de Saúde da Família e
Atenção Básica pode perder a função de apoio e pela possibilidade de atender unidades básicas
tradicionais, podem ter uma interferência negativa no seu funcionamento, justamente pela difi-
culdade em atuar nesse tipo de unidade através do apoio matricial.

m) Cite cinco atribuições comuns a todos os membros das equipes que atuam na Atenção
Básica.
É comum a todos os membros das equipe de atuação na atenção básica participar do processo
de territorialização e mapeamento da área de atuação da equipe; se responsabilizar pelo acom-
panhamento da população adscrita ao longo do tempo no que se refere às múltiplas situações
de doenças e agravos; realizar busca ativa e notificar doenças e agravos de notificação compul-
sória; realizar ações de atenção à saúde conforme necessidade de saúde da população local;
participar do acolhimento dos usuários, proporcionando cuidado humanizado, realizando clas-
sificação de risco, identificando necessidades de intervenção e se responsabilizando pela conti-
nuidade da atenção, viabilizando o vínculo.

n) Cite sete atribuições dos ACS.


Realizar diagnóstico demográfico, social, cultural, ambiental, epidemiológico e sanitário; de-
senvolver atividades de promoção à saúde, prevenção de doenças e agravos; registrar dados de
nascimentos, óbitos, doenças e outros agravos de saúde; cadastrar todas as pessoas da sua área,
mantendo dados atualizados no sistema de informação; desenvolver ações que busquem a inte-
gração entre a equipe de saúde e a população adscrita; informar usuários sobre datas e horários
de consultas e exames agendados; identificar parceiros e recursos na comunidade que possam
potencializar ações intersetoriais de relevância para promoção da qualidade de vida da popula-
ção, como ações e programas de educação, esporte e lazer.

8 - Como se dá o financiamento da atenção básica?


O financiamento da atenção básica é tripartite, ou seja, envolve as esferas federal, estadual e
municipal, devendo ser composto por recursos per capita, transferido mensalmente de forma
automática pelo Fundo Nacional de Saúde ao Fundo Municipal de Saúde; recursos condiciona-
dos a implantação de estratégias e programas, transferidos a cada mês, tendo como base o nú-
mero de equipes de Saúde registrados; recursos condicionados à abrangência da oferta de ações
e serviços; e os recursos condicionados ao desempenho dos serviços de AB com parâmetros,
aplicação e comparabilidade nacional. Para solicitação de credenciamento dos serviços e de
todas as equipes que atuam na AB, uma solicitação de credenciamento deve ser realizada para
receber o recurso através de uma proposta enviada a esfera estadual, que deverá analisar e en-
caminhar ao Ministério da Saúde para que seja aprovado e iniciado o repasse.