Você está na página 1de 8

COSMOVISÃO

O que é? É a nossa visão de mundo. Trata-se do comprometimento, da orientação fundamental do


coração, que é expressa como um conjunto de pressuposições que temos sobre como vemos e
encaramos a realidade. Isso é importante porque é o conjunto de crenças básicas que definem a
forma como nós tomamos nossas decisões, organizamos e vivemos nossas vidas.

Observação 1: Pressuposição é algo que se supõe antecipadamente (por ser uma crença básica)
aquilo que se imagina e pensa ser verdade sobre determinada coisa ou situação.

Nossas pressuposições podem ser:

– Totalmente Verdadeiras

– Parcialmente Verdadeiras

– Totalmente Falsa

Observação 2: Todas as pessoas têm uma cosmovisão. Mas se essa cosmovisão é lógica ou
contraditória é outra questão. O objetivo disso é que a pessoa tente viver da forma mais coerente
possível (mesmo que de maneira inconsciente).

Como interpretamos o mundo? A construção do conhecimento parte primeiramente de nossas


pressuposições e não dos fatos. Se lemos um texto ou recebemos uma notícia, interpretamos os
fatos (conscientes ou inconscientes) a partir dos pressupostos que já temos.

No fundo, nós utilizamos nossos pressupostos para interpretar uma mensagem, um texto lido e fatos
da vida, buscando lógica e coerência para tudo.

Individualidade na interpretação: A grande questão é: “será que quando eu leio um texto, este
apresenta um significado único para mim, isto é, sem importar o significado do autor do texto? Ou
será que eu posso encontrar o significado real do texto sem considerar minha interpretação
individual?”.

Importante: Essa pergunta é importante pois saberemos se podemos entender a Bíblia como palavra
imutável de Deus ou se é algo que depende de um ponto de vista particular.

Lógica e coerência:

Lógica: é o que trata das formas do pensamento em geral que visam determinar o que é

5
verdadeiro ou não.

Coerência: ligação lógica, nexo ou harmonia entre fatos ou ideias; relação harmônica,
conexão.

É a partir da busca pela lógica e pela coerência de nossos pressupostos que estabelecemos nosso
padrão de interpretar as coisas.

OS PRESSUPOSTOS DA TEOLOGIA EVANGÉLICA

Os teólogos evangélicos creem que a Bíblia corresponde a um comunicado infalível e


absolutamente verdadeiro, feito em linguagem humana, que se originou de um Deus infinito,
pessoal e moralmente perfeito. Esta fé pressupõe que muitas coisas são verdadeiras — a maioria
delas é vista com animosidade pela nossa cultura atual.

Pressupostos da teologia evangélica: O Evangelicalismo pressupõe a existência de um Deus teísta


(o pressuposto metafísico) que criou o mundo e que pode intervir miraculosamente nele
(pressuposto sobrenatural); um Deus que se revelou tanto na forma geral quanto na especial (o
pressuposto revelacional); esta ultima sujeita às leis da lógica (pressuposto racional) e contendo
afirmações com significado objetivo (pressuposto semântico) que são objetivamente verdadeiras (o
pressuposto epistemológico) e exclusivamente verdadeiras (pressuposto oposicional); estas
afirmações, por sua vez, podem ser apropriadamente compreendidas em linguagem análoga
(pressuposto linguístico), sendo que a sua verdade e sentido podem ser objetivamente
compreendidos (pressuposto hermenêutico), inclusive os elementos relacionados aos eventos
históricos (pressuposto histórico); que esta revelação pode ser sistematizada por um método
teológico completo e compreensivo (pressuposto metodológico).
E, mesmo que esse projeto possa nos parecer um tanto complicado, estes são os pressupostos
necessários para que a Teologia evangélica se torne possível.
A IMPORTÂNCIA DOS PRESSUPOSTOS
Um pressuposto torna possível o que nele se baseia.

Por exemplo: as condições para que dois seres humanos se comuniquem entre si, minimamente
falando, incluem:
(1) A existência de uma mente capaz de enviar uma mensagem.
(2) A existência de outra mente capaz de receber esta mensagem.

6
(3) A existência de um meio comum de comunicação (por exemplo, um idioma)
compartilhado por ambos.

Sem estes pressupostos necessários, a comunicação não poderá ocorrer. De maneira similar, a
ausência dos pressupostos acima citados torna impossível construção de um a teologia sistemática
evangélica.

Exemplos – pressupostos cristãos: A partir dos nossos pressupostos cristãos, afirmamos que há uma
ordem na criação, por isso aplicamos as regras básicas da lógica subordinada à revelação para a
interpretação do mundo.

Observe que isso é o contrário do que o incrédulo faz: dependendo de suas experiências
particulares, sem nenhuma referência, tentam interpretar o mundo.

7
Exemplos:

Cosmovisão ← Pressupostos → Influência na interpretação


bíblica
Catolicismo: religião que a) Salvação ocorre em cooperação a) Ênfase na prática de sacrifícios,
a) reconhece o papa como autoridade entre fé e boas obras; penitencias etc;
máxima; b) Fé e razão são opostas b) A Bíblia não é única palavra de
b) confirma e reforça a graça por meio c) visão hierárquica e dualista da Deus;
de sacramentos; criação; c) distingue entre o sagrado e o
c) venera os santos; d) outros mediadores assumem o profano, abrindo espaço para o
d) aceita a tradição como verdade papel de Cristo na redenção; misticismo;
incontestável; d) Exclusão do uso da razão
enfraquece a teologia e a ética
resultando em ações com a premissa
de que os fins justificam os meios.
Espiritismo: religião que crê a) A história é cíclica; a) Interesse obsessivo pelo
a) na reencarnação da alma; b) Salvação ocorre pelas obras; sobrenatural;
b) possibilidade de comunicação com c) O homem é bom, não existe pecado b) Ênfase em novas revelações;
os mortos; original; c) Ênfase na ação social para a
d) A revelação pode ocorrer pela salvação;
mediação de seres espirituais;
Ateísmo: sistema que a) completa negação da a) “interpretação científica” da Bíblia;
a) nega a existência de Deus; transcendência b) nega a inspiração da Escritura,
b) o universo existe como uma b) não creem no sobrenatural sacrifício de Cristo e ressurreição;
uniformidade de causa e efeito; c) o mal é relativo c) reinterpretação dos milagres;
c) prima pela objetividade científica. d) tudo pode ser interpretado d) ética relativista.
cientificamente;

Em suma: Somos todos dependentes de nossos pressupostos e sistemas de crenças. Esses


pressupostos determinam nossa interpretação da bíblia, do mundo e até mesmo dos afetos e
experiências (pense nos aniversários, casamentos, festas religiosas e ritos fúnebres). No fundo, todo
ser humano se apega a um conjunto de crenças, sejam ídolos, ideologias ou ciência.

É relativo? Se a interpretação é individual, como afirmar, de maneira inequívoca, a nossa crença


em Deus? Para responder a esta pergunta analisamos a coerência interna para decidir se uma crença
é ou não verdadeira.

8
Desta maneira existe a possibilidade de dizermos que uma cosmovisão é absolutamente verdadeira
(e não apenas relativamente verdadeira). Isto é feito quando encontramos uma ligação coerente
entre os pressupostos: lógica e interpretação, dados e fatos e a experiência cotidiana.

Convicção: Ousamos ainda dizer que apenas no cristianismo pode-se afirmar a total coerência entre
pressupostos, fatos e experiência, porque Deus não apenas criou os fatos, mas deu a interpretação
dos mesmos. O não cristão não consegue entender isso, vivendo sempre na crise de experimentar e
não conseguir justificar intelectualmente as suas experiencias.

O cristianismo: É muito mais do que apenas a adesão a algumas doutrinas tomadas isoladamente,
ou a mero comportamento moralista; O CRISTIANISMO É UMA COSMOVISÃO.

Cosmovisão e pressupostos cristãos. A fé cristã afirma a necessidade de abraçarmos certos


pressupostos que determinarão como interpretaremos as Escrituras. Esses pressupostos
determinarão nosso culto, nosso viver diário, nossa postura diante de dilemas morais. Assim, a
construção de uma cosmovisão cristã depende dos pressupostos claramente cristãos.

O papel dos pressupostos na fé cristã

Pressupostos e a Bíblia: Avançamos a partir dos pressupostos das Escrituras, através dos
argumentos das Escrituras, para podermos chegar às conclusões das Escrituras. Não podemos
entender corretamente a Bíblia com pressupostos estranhos à Bíblia. A aceitação das pressuposições
bíblicas nos preservam de uma idolatria intelectual e nos leva a um conhecimento da verdade e da
realidade.

Exemplo de um pressuposto cristão: Nosso trabalho agora será analisar os pressupostos que dão
sentido à fé cristã. Por exemplo, ao falar de fé, no recordamos das palavras de Jesus: “Quem crer
em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva” (Jo 7:37-39). Devemos
notar que devemos crer em Jesus. Essa é uma verdade evangélica básica (pressuposto). Nós somos
salvos pela graça por meio da fé. Entretanto, essa fé não é mero pensamento positivo, confiança
cega e irracional, ou mera intuição. A fé salvadora, da qual Cristo nos fala, agarra-se a uma verdade
recebida, verdade que está revelada nas Escrituras.

O Credo dos Apóstolos: Como exemplo da fé cristã, podemos mencionar o Credo dos Apóstolos,
um antigo documento cristão que confessa a fé evangélica da seguinte forma:

9
Creio em Deus Pai todo-poderoso, criador dos
céus e da terra, e em Cristo Jesus, seu Filho
unigênito, nosso Senhor, concebido pelo
Espírito Santo, nasceu pela Virgem Maria,
padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado,
morto e sepultado, no terceiro dia ressuscitou
dos mortos, subiu aos céus e assentou-se à
direita do Pai, de onde virá para julgar os
vivos e os mortos.

Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja, na


comunhão dos Santos, na remissão dos
pecados, na ressurreição da carne e na vida
eterna. Amém.

Quais as crenças do credo? Repare que o credo afirma as coisas mais básicas das Escrituras. Em
segundo lugar, devemos observar que não é possível que alguém afirme ser cristão e rejeite as
afirmações do credo, pois são revelados ao homem pelas Escrituras. Sem essas doutrinas básicas,
torna-se impossível aprofundar nossas crenças elementares.

Cosmovisão cristã: A seguir, apresentamos um quadro com os pressupostos cristãos deduzido do


Credo dos Apóstolos e a influencia que exercem sobre a interpretação bíblica:

10
Credo dos Apóstolos ←Pressupostos cristãos → Influência sobre a interpretação
bíblica
Creio em Deus Pai todo-poderoso, a. Deus é um ser infinito e pessoal, a. O cristianismo é centrado em
criador dos céus e da terra, trino, que criou o homem à sua Deus; ênfase na soberania de Deus.
imagem, para se relacionar com ele. A fé buscando entendimento.
b. Deus criou todas as coisas ex b. Espiritualidade integral e culto
nihilo (a partir do nada), e toda a integral. Toda a criação é boa.
criação é boa. c. Intimidade, não religiosidade.
c. Deus ama aquilo que criou. Sem que haja mérito em nós, Deus
d. A ética é revelada, sua base não nos fez seus filhos. Isso coloca
está no homem, mas em Deus. todos os cristãos em igualdade,
exigindo humildade e amor para
com o próximo em Cristo.
e em Cristo Jesus, seu Filho a. Jesus é verdadeiramente Deus e a. O sacrifício de Jesus é único e
unigênito, nosso Senhor, concebido verdadeiramente homem. perfeito, capaz de aplacar a ira de
pelo Espírito Santo, nasceu pela b. Sua humilhação e exaltação Deus ante o pecado.
Virgem Maria, padeceu sob Pôncio ocorreram em nossa história. b. Os seres humanos foram
Pilatos, foi crucificado, morto e c. Tanto a cruz quanto a criados bons, mas por causa da
sepultado, no terceiro dia ressuscitou ressurreição são elementos queda, a imagem de Deus tornou-
dos mortos, subiu aos céus e centrais da fé cristã. se danificada: por meio da obra
assentou-se à direita do Pai, de onde de Jesus Cristo, Deus redime seu
virá para julgar os vivos e os mortos. povo eleito.

Creio no Espírito Santo, na Santa a. A igreja é uma comunidade a. Por causa da queda, o homem
Igreja, na comunhão dos Santos, na mantida e sustentada pelo não é mais o que foi um dia. Só pelo
remissão dos pecados, na Espírito Santo. Espírito Santo, a imagem de Deus
ressurreição da carne e na vida b. Para cada pessoa, a morte é a no pecador pode ser restaurada.
eterna. Amém. porta tanto para a vida com Deus b. Somos chamados para viver em
e seu povo, como para a eterna comunidade.
separação do único que pode c. A ressurreição exclui a
preencher nossas aspirações reencarnação: a morte não é o fim;
mais profundas. ela representa uma porta para a
c. Ressurreição: homem integral eternidade: com Deus ou sem Deus.
d. Esperança escatológica d. A história é linear, uma
sequência significativa de eventos
que ocorrem para o cumprimento
dos propósitos de Deus para a
criação: a volta em glória de Cristo.

11
A ênfase dos pressupostos: É a centralidade em Cristo. Devemos tomar cuidado para não
abandonar, reinterpretar ou ignorar alguma linha do documento, de forma que tiremos a
centralidade em Cristo.

Observe que nenhum escritor bíblico tenta provar a existência de Deus. Antes a existência de Deus
é pressuposta em cada linha da Escritura. Por isso, a mensagem do evangelho exige crer em Deus.

Mente cristã: A fé cristã começa com uma transformação de nossos pressupostos mais básicos.
Nossa lógica passa a estar em conformidade com a revelação. Assim também passamos entender o
mundo com a mente cristã, tal que toda a criação passa a ser interpretada a partir do que é revelado
nas Escrituras.

12