Você está na página 1de 31

Página 1 de 31

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP - 2019

1 Mulher, 35 anos de idade, é trazida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, vítima

de acidente automobilístico há 20 minutos. Apresenta dor torácica à direita, taquidispneia, com


timpanismo à percussão do hemitórax direito e murmúrio vesicular diminuído à direita. Sinais
vitais: pressão arterial = 110 x 70 mmHg, frequência cardíaca = 90 bpm e frequência respiratória =
25 ipm. Qual é a conduta imediata?

A) Toracocentese de alívio à direita.


B) Toracocentese de alívio à direita seguida de drenagem torácica ipsilateral.
C) Drenagem torácica à direita no segundo espaço intercostal.
D) Toracotomia de urgência.
E) Drenagem torácica à direita no sexto espaço intercostal.

2 Paciente de 30 anos de idade, apresenta estase jugular, pletora, edema em região de face,

tórax e membros superiores, além de circulação colateral no tórax. Radiografia de tórax mostra
massa bocelada mediastinal, sem limites com as estruturas adjacentes. Tomografia de tórax
evidencia diminuição da luz da veia cava superior, por invasão da referida massa, e
comprometimento bilateral do mediastino. Qual o diagnóstico mais provável?

A) Timoma.
B) Ganglioneuroma.
C) Bócio mergulhante.
D) Teratoma.
E) Linfoma.

3 Recém-nascido a termo apresentou insuficiência respiratória logo após o nascimento. A

radiografia de tórax evidenciou imagens radioluscentes com aspecto de bolhas de diversos


tamanhos no hemitórax esquerdo, com desvio contralateral do mediastino. Bolha gástrica tópica.
O diagnóstico provável é:

A) malformação adenomatoide cística.


B) hérnia diafragmática.
C) cisto broncogênico.
D) pneumotórax.
E) hipoplasia pulmonar.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 2 de 31

4 Recém-nascido prematuro apresenta musculatura abdominal deficiente, criptorquidia

bilateral e abaulamento no hipogástrio, que melhorou após passagem de sonda uretral de alívio e
saída de urina. A ultrassonografia evidenciou uretero-hidronefrose bilateral, além de bexiga de
grande capacidade e parede fina. A uretrocistografia miccional mostrou bexiga lisa e de grande
capacidade, úraco patente, uretra pérvia e com calibre normal em todo seu trajeto. O diagnóstico
provável é:

A) válvula de uretra posterior.


B) síndrome de Prune Belly.
C) megaureter obstrutivo primário bilateral.
D) bexiga neurogênica arreflexa.
E) duplicidade pielocalicial com ureter ectópico bilateral.

5 Homem, 59 anos de idade, apresenta dor súbita em membro inferior direito há 2 horas.

Refere infarto agudo do miocárdio há 2 anos e nega claudicação prévia. Exame físico: ausência de
todos os pulsos do membro inferior direito. Demais pulsos estão presentes e sem alterações.
Qual o diagnóstico mais provável e a conduta adequada?

A) Trombose arterial aguda; trombectomia com cateter de Fogarty.


B) Trombose arterial aguda; heparinização plena seguida de anticoagulação oral.
C) Embolia; embolectomia com cateter de Fogarty.
D) Embolia; heparinização plena.
E) Embolia; arteriografia diagnóstica

6 Mulher, 35 anos de idade refere há 3 anos dor e cansaço nas pernas, com piora no

decorrer do dia. O exame físico evidencia varizes tronculares com 4 mm de diâmetro em território
de safena magna e veias perfurantes insuficientes. Qual a classificação clínica do CEAP (Clinical,
Etiology, Anatomical, Pathophysiology)?

A) C1
B) C0.
C) C2
D) C3.
E) C4.

7 Homem, diabético tipo 2, refere lesão na planta do pé direito há 4 dias. Apresenta-se

prostrado, com frequência cardíaca 110 bpm e temperatura 39° C. À palpação observa-se
crepitação, edema e hiperemia até o terço inferior da perna direita e ausência de pulsos distais em
ambos os membros inferiores. Qual a conduta imediata?

A) Drenagem de planos profundos e debridamento dos tecidos desvitalizados.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 3 de 31

B) Arteriografia e revascularização endovascular.


C) Arteriografia e debridamento dos tecidos desvitalizados.
D) Ultrassom Doppler e debridamento dos tecidos desvitalizados.
E) Drenagem de planos profundos e revascularização aberta.

8 Vítima de queimadura grave recente sendo submetida à anestesia geral para fasciotomia

extensa em membros inferiores. Apresenta pressão parcial de oxigênio baixa na gasometria


arterial, porém o oxímetro de pulso mostra saturação adequada. Qual dos quadros abaixo
explicaria melhor o achado?

A) Shunt pulmonar.
B) Concentração elevada de carboxihemoglobina.
C) Aumento do espaço-morto anatômico.
D) Choque hiperdinâmico.
E) Hiperpotassemia devido ao uso de succinilcolina.

9 Paciente com 70 kg está sendo submetido a drenagem de abscesso no cotovelo, sob

anestesia local com lidocaína a 1% com vasoconstritor. Após usar 20 mL da solução, o paciente
continua apresentando sensibilidade dolorosa na região. Qual das alternativas explicaria o
quadro?

A) O vasoconstritor não deveria ser usado nesse tipo de situação.


B) A sensibilidade dolorosa persistente constitui sinal precoce de toxicidade.
C) O anestésico local continua em sua forma solúvel (ionizada).
D) A bupivacaína a 0,25% com vasoconstritor deveria ter sido usada no lugar da lidocaína.
E) A dose de anestésico utilizada foi insuficiente.

10 Em relação à hipertermia maligna. Assinale a alternativa correta:

A) trata-se de uma doença adquirida causada pela succinilcolina.


B) é provocada pelo uso do anestésico inalatório halotano em concentrações muito elevadas.
C) pode ser controlada com diltiazem.
D) a taquicardia e a elevação da concentração de CO² no gás exalado frequentemente antecedem a
elevação da temperatura corporal.
E) Não deve ser tratada com compressas geladas ou administração de fluidos gelados devido ao risco de CIVD
por hipotermia.

11 Paciente foi submetido à osteossíntese dos ossos do antebraço direito há 4 meses sob

anestesia geral. Retorna com dor em queimação e dificuldade para movimentar a mão e dedos

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 4 de 31

desde a retirada do gesso. Ao exame físico: antebraço direito com pele e anexos atróficos e mais
frio do que o esquerdo. Qual é o diagnóstico?

A) Lesão do plexo braquial.


B) Lesão do nervo ulnar.
C) Sindrome miofascial.
D) Osteoartrose.
E) Síndrome dolorosa complexa regional.

12 O gráfico apresentado foi obtido durante monitoramento da mecânica ventilatória em

paciente sob ventilação com pressão positiva intermitente. Qual o parâmetro mostrado no eixo
das ordenadas (Y)?

A) Pressão de pico.
B) Volume corrente.
C) Fluxo.
D) Pressão de platô (pausa inspiratória).
E) Complacência pulmonar.

13 Um paciente sob anestesia geral balanceada (inalatória + venosa) apresenta um ídice

bispectral reduzido (=20) e taxa de supressão do traçado do eletroencefalograma elevada. Qual


dos abaixo corresponderia melhor a esses achados:

A) paciente desperto e com parâmetros hemodinâmicos normais.


B) paciente em profundidade anestésica excessiva e hipotensão arterial.
C) paciente acordado durante a cirurgia e sob efeito de bloqueador neuromuscular.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 5 de 31

D) paciente em plano anestésico adequado numa cirurgia sem intercorrências.


E) paciente em plano anestésico superficial, taquicárdico e com hipertensão arterial.

14 Paciente sob anestesia para tratamento de abdome agudo vascular, apresenta elevação

da variação da pressão de pulso (delta PP). Em qual das alternativas pode-se encontrar esta
situação?

A) Choque cardiogênico com pressão venosa central elevada.


B) Edema agudo de pulmões por estenose mitral grave.
C) Fibrilação ventricular com necessidade imediata de reanimação cardiopulmonar.
D) Boa resposta à reposição volêmica.
E) Tamponamento cardíaco.

15 Assinale a alternativa correta com relação à lesão apresentada.

A) Deve-se solicitar glicemia para esclarecer o diagnóstico.


B) A lesão é causada por insuficiência venosa.
C) A lesão é causada por uma insuficiência arterial.
D) A lesão é causada pela diminuição de mobilidade do paciente.
E) Deve-se solicitar biopsia para esclarecer o diagnóstico.

16 Com relação ao atendimento inicial do paciente grande queimado, assinale a alternativa

correta.

A) As condições clínicas prévias à queimadura e traumas associados não interferem na hidratação endovenosa.
B) As soluções utilizadas na hidratação em adultos são as soluções cristalóides, solução de glicose e albumina
nas primeiras 24 horas.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 6 de 31

C) Quanto à diurese do paciente vítima de trauma elétrico, o uso de furosemida e a acidificação da urina evitam
insuficiência renal.
D) Para a hidratação de crianças, nas diversas faixas etárias, usa-se a fórmula de Wallace.
E) Nos idosos ou em portadores de insuficiência cardíaca ou renal, a hidratação deve ser iniciada com
metade do volume calculado, com avaliações frequentes da ausculta pulmonar.

17 De acordo com a fórmula de Parkland, qual volume deve ser infundido, nas primeiras 24

horas, em um paciente adulto, com 80 Kg e queimadura de segundo grau em 27% da superfície


corporal?

A) 4.320 mL.
B) 8.640 mL.
C) 6.480 mL.
D) 2.160 mL.
E) 10.800 mL.

18 Assinale a alternativa que contém, respectivamente, dois fatores de risco e dois fatores

protetores dietéticos para a formação de cálculos urinários.

A) Proteínas e sódio; água e citrato.


B) Proteínas e cálcio; oxalato e citrato.
C) Citrato e cálcio; fosfato e sódio.
D) Magnésio e citrato; água e sódio.
E) Proteínas e citrato; oxalato e fosfato.

19 Qual é a principal causa de pielonefrite aguda na infância?

A) Estenose de junção pieloureteral.


B) Válvula de uretra posterior.
C) Refluxo vesicoureteral.
D) Megaureter obstrutivo.
E) Dissinergia vesicoesfincteriana.

20 Homem, 45 anos de idade, sem comorbidades, realiza tomografia de abdome que

demonstra uma massa renal sólida, incidental, hipervascular, com 4 cm de diâmetro, no polo
inferior do rim direito, distando 3 cm da via excretora. Qual é a conduta mais adequada?

A) Nefrectomia radical laparoscópica ou robótica.


B) Ultrassom de alta intensidade.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 7 de 31

C) Biópsia renal percutânea.


D) Nefrectomia parcial aberta ou minimamente invasiva.
E) Sunitinibe e nefrectomia radical.

21 Mulher de 88 anos de idade apresenta hipertensão arterial, hipotireoidismo, osteoartrite

de joelhos e neoplasia maligna de pâncreas com metástase. Faz uso domiciliar de codeína e
dipirona e tem ficado mais acamada, necessitando de ajuda para transferência. Foi internada por
piora da dor abdominal que melhorou com uso de morfina parenteral. Diagnosticada úlcera por
pressão em região sacral (estágio 3). Qual é o melhor preditor de prognóstico para a paciente?

A) Baixa performance funcional.


B) Idade avançada.
C) Dor não controlada.
D) Comorbidades múltiplas.
E) Uso de opióides.

22 Mulher, 23 anos de idade, refere palpitações aos grandes esforços. Ao exame físico:

bom estado geral, corada, hidratada, PA = 120x80mmHg, FC = 96 bpm, com pulso irregular.
Ausculta cardíaca: bulhas arrítmicas, com sopro diastólico em ruflar em foco mitral. Ausculta
pulmonar: murmúrio vesicular presente, sem ruídos adventícios. Abdome: sem alterações.
Membros inferiores: pulsos presentes e simétricos, sem edema. Quais são os diagnósticos mais
prováveis?

A) Estenose valvar aórtica e extrassístoles supraventriculares.


B) Insuficiência valvar mitral e fibrilação atrial.
C) Insuficiência valvar aórtica e taquicardia ventricular.
D) Estenose valvar mitral e fibrilação atrial.
E) Insuficiência valvar tricúspide e flutter atrial.

23 Homem, 60 anos de idade, hipertenso, com interrupção do uso de quatro medicamentos

para controle pressórico há uma semana, procurou o pronto-socorro com cefaleia intensa. Ao
exame clínico: PA= 206 x 122 mmHg; ausculta cardíaca: bulhas rítmicas, normofonéticas, com
sopro sistólico em área mitral ++/4; ausculta pulmonar: murmúrio vesicular normal, sem ruídos
adventícios; pulsos todos presentes e normais. Fundo de olho: aumento do reflexo dorsal das
arteríolas e papila bem delimitada, sem edema. Assinale a alternativa correta.

A) É uma urgência hipertensiva, e deve ser tratada com medicamentos orais em 24 horas.
B) É uma encefalopatia hipertensiva, e a pressão deve ser mantida abaixo de 130 x 80 mmHg.
C) É uma encefalopatia hipertensiva, e a pressão deve ser mantida abaixo de 160 x 100 mmHg.
D) É uma emergência hipertensiva, e deve ser tratada com nifedipina sublingual.
E) É uma emergência hipertensiva, deve ser tratada com nitroprussiato de sódio e a pressão mantida abaixo de
160 x 100 mmHg.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 8 de 31

24 Considere os seguintes anti-hipertensivos: inibidor da enzima conversora da

angiotensina (IECA), bloqueador do receptor da angiotensina II (BRA); antagonista dos canais de


cálcio (ACC), betabloqueador, vasodilatador arterial e diurético. A combinação mais potente é?

A) IECA + BRA + diuréticos.


B) IECA ou BRA + ACC + diuréticos.
C) IECA ou BRA + betabloqueador + ACC.
D) Diurético + ACC + betabloqueador.
E) Diurético + ACC + vasodilatador arterial.

25 Homem, 62 anos de idade, hipertenso há 15 anos, apresenta queixa de dispneia

progressiva aos esforços, há 1 ano. Exame físico: PA = 130 x 80 mmHg, FC = 94 bpm, ictus
cardíaco desviado para esquerda e edema bilateral em membros inferiores. Eletrocardiograma
com ritmo sinusal e sobrecarga de câmaras esquerdas. Ecocardiograma com hipocinesia difusa e
fração de ejeção de 33%. Qual é a combinação terapêutica mais adequada em termos de melhora
de sobrevida?

A) Losartan, bisoprolol, clonidina.


B) Enalapril, digoxina, espironolactona.
C) Captopril, nifedipina, espironolactona.
D) Enalapril, carvedilol, espironolactona.
E) Losartan, diltiazem, espironolactona.

26 Homem, 50 anos de idade, chega ao pronto-socorro com dor torácica há duas horas.

Eletrocardiograma inicial com supradesnivelamento de segmento ST em derivações V1-V6. O


tempo necessário para transferir o paciente para o serviço de hemodinâmica mais próximo é de
130 minutos. Qual é a melhor conduta nesta situação?

A) Administrar trombolítico e transferir o paciente se houver piora clínica.


B) Administrar trombolítico e, em caso de sucesso, realizar cateterismo no sétimo dia pós IAM.
C) Administrar trombolítico e transferir o paciente para realizar cateterismo entre 2-24 horas.
D) Transferir o paciente imediatamente para realizar cateterismo.
E) Administrar AAS e aguardar resultado de enzimas cardíacas.

27 O diagnóstico de diabetes mellitus pode ser estabelecido quando o indivíduo apresenta:

A) glicemia de jejum "maior ou igual a" 100 mg/dL independente dos valores da glicemia pós-prandial e da
HbA1c.
B) glicosúria e frutosamina "maior ou igual a" 300 mg/dL.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 9 de 31

C) glicemia de jejum "maior ou igual a" 126 mg/dL ou glicemia 2h após sobrecarga de glicose via oral "maior
ou igual a" 200 mg/dL ou HbA1c "maior ou igual a" 6,5%.
D) glicosúria e/ou cetonúria positivas.
E) glicemia de jejum "maior ou igual a" 115 mg/dL e poliúria superior a 4 litros por dia.

28 Homem, 28 anos de idade, chega ao pronto socorro com história de agitação

psicomotora, perda de peso (10 kg) e palpitações há um mês. Há 2 dias, houve piora dos sintomas
e passou a ter alucinações visuais. Exame físico: agitado, consciente e acianótico; pele quente e
úmida; temperatura 38,9°C; FC = 140 bpm, arrítmico; PA = 160x60 mmHg; tiroide aumentada cerca
de 2 vezes seu tamanho normal e proptose ocular bilateral. ECG revelou fibrilação atrial. Exames
laboratoriais mostraram: TSH <0,05 mUI/L (referência: 0,45- 4,5) e T4 livre >7,7 ng/dL (referência:
0,6-1,5). Qual a hipótese diagnóstica mais provável e a conduta mais apropriada?

A) Crise adrenérgica por feocromocitoma associada à tirotoxicose por Doença de Graves. Conduta: tratamento
com drogas antitiroidianas e internação para alfa-bloqueio e planejamento cirúrgico da neoplasia adrenal.
B) Crise de pânico precipitada por hipertiroidismo por Doença de Graves e fibrilação atrial. Conduta: tratar com
drogas antitiroidianas, anticoagulação e avaliação psiquiátrica.
C) Surto psicótico precipitado por hipertiroidismo por Doença de Graves. Conduta: estabilização do quadro de
agitação com antipsicóticos, anticoagulação e encaminhamento para tratamento ambulatorial do
hipertiroidismo com especialista.
D) Tiroidite aguda levando a tirotoxicose e sepse. Conduta: antibioticoterapia de amplo espectro e, se
identificado abscesso, drenagem cirúrgica.
E) Tempestade tiroidiana complicada com fibrilação atrial. Conduta: internação hospitalar em unidade de
cuidados intensivos; antitiroidianos, betabloqueadores, corticoide e, se disponível, iodeto de potássio após
1-2 horas da primeira dose de antitiroidianos.

29 Em 2016 foi publicado o SEPSIS-3, com a proposta de novas definições para sepse. Um

escore sugerido para a identificação de pacientes com sepse foi o Quick Sequential Organ Failure
Assessment (qSOFA). Quais são os componentes deste escore?

A) Taquicardia, taquipneia e alteração do nível de consciência.


B) Taquipneia, alteração do nível de consciência e febre.
C) Taquipneia, hipotensão e febre.
D) Hipotensão, febre e alteração do nível de consciência.
E) Taquipneia, hipotensão e alteração do nível de consciência.

30 Paciente de 28 anos de idade em acompanhamento por hipotiroidismo por tiroidite de

Hashimoto, vem em consulta para reavaliação clínica. Refere sonolência diurna e piora do hábito
intestinal, com tendência a constipação. Faz uso diário de levotiroxina 125 mcg, omeprazol 20 mg
e carbonato de cálcio 500 mg pela manhã. Exame físico: peso 55 kg, PA = 120 x 80 mmHg, FC =
62 bpm, tiroide com volume diminuído, sem outras alterações. Os exames laboratoriais mostram:
TSH = 18,0 mUI/L (referência: 0,45-4,5) e T4 livre = 0,5 ng/dL (referência: 0,6-1,5). É correto afirmar
que:

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 10 de 31

A) a paciente está em hipotiroidismo subclínico, o que não justifica os sintomas. Outras causas devem ser
investigadas.
B) é necessário verificar se a administração da levotiroxina está sendo feita da forma preconizada.
C) os sintomas podem ser pelo hipotiroidismo, pois a paciente recebe dose insuficiente de levotiroxina para o
seu peso, devendo-se aumentar a dose.
D) os sintomas podem ser pelo hipotiroidismo, devendo ser associada reposição de T3, pois é possível que a
paciente apresente defeito na desiodase responsável pela conversão de T4 em T3.
E) suspeita-se de resistência ao hormônio tiroidiano e, se confirmada, deve ser feita a investigação dos
familiares também.

31 O esquema de primeira escolha para profilaxia pós-exposição (PEP) ao HIV, segundo

recomendação do Ministério da Saúde, atualizada em 27/09/2017 é:

A) efavirenz + lamivudina + tenofovir.


B) lopinavir/ritonavir + lamivudina + zidovudina.
C) tenofovir + lamivudina + zidovudina.
D) atazanavir/ritonavir + lamivudina + tenofovir.
E) dolutegravir + lamivudina + tenofovir.

32 Homem, 34 anos de idade, apresenta há 8 meses mácula hipocrômica de limites mal

definidos, com 6 cm de diâmetro no braço direito e alteração de sensibilidade térmica. Em relação


a esse paciente, é correto afirmar que:

A) apresenta a forma tuberculoide da doença e o teste de Mitsuda é negativo.


B) o agente etiológico é uma micobactéria gram-positiva, que é cultivada em meio ágar Sabouraud.
C) o tratamento deve ser realizado por 2 anos com poliquimioterapia.
D) apresenta a forma indeterminada da doença e o teste de Mitsuda pode ser positivo ou negativo.
E) a baciloscopia revela grande número de bacilos álcool-ácido resistentes.

33 Homem, 30 anos de idade, refere queimação e dormência na ponta dos pés há 14 dias,

que ascendeu até joelhos e mãos, seguida de fraqueza em membros inferiores com dificuldade
para deambular. Nega alterações urinárias e intestinais. O exame neurológico evidencia ausência
de reflexos osteotendíneos e comprometimento de sensibilidade superficial e profunda. Qual é o
diagnóstico mais provável?

A) Mielite transversa
B) Polimiosite
C) Síndrome de Guillain-Barré
D) Esclerose lateral amiotrófica
E) Miastenia gravis

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 11 de 31

34 Qual é a imagem mais característica do carcinoma colorretal no enema opaco?

A) Múltiplas formações diverticulares difusamente distribuídas.


B) Defeito de enchimento com coluna de contraste em crescente.
C) Estreitamento circunferencial com aspecto de “maçã mordida”.
D) Estreitamento luminal com aspecto de “bico de pássaro”.
E) Perda das haustrações com aspecto de “cano de chumbo”.

35 Qual é o exame de imagem de maior acurácia na avaliação de urolitíase?

A) Urografia excretora.
B) Tomografia Computadorizada Helicoidal de abdome total.
C) Ultrassonografia das vias urinárias.
D) Radiografia simples de abdome.
E) Ressonância Magnética de abdome e pelve.

36 Mulher, 75 anos de idade, foi levada ao pronto socorro pela filha, com história súbita de

alteração do comportamento, caracterizada por discurso desconexo, diminuição da concentração


e desorientação espacial, fato este que nunca tinha ocorrido. Na noite anterior apresentou
agitação psicomotora e irritabilidade, chegando a agredir a filha. Na manhã seguinte, encontrava-
se mais calma, embora muito sonolenta. Ela não tinha conhecimento dos fatos ocorridos,
manifestava um discurso com pouca fluência, com dificuldade para se expressar e compreender
as perguntas elaboradas, além de certa perplexidade em relação ao ambiente. Várias vezes
chamou a filha pelo nome de sua mãe e alegava que se encontrava na fazenda de seu falecido
esposo, que já fora vendida há cinco anos. Qual a hipótese diagnóstica mais provável?

A) Síndrome demencial.
B) Transtorno afetivo bipolar tardio.
C) Transtorno de ansiedade generalizada.
D) Transtorno dissociativo.
E) Delirium.

37 Criança de 2 anos de idade, proveniente de abrigo, cujos dados de pré-natal e parto são

desconhecidos, apresenta retardo de desenvolvimento neuropsicomotor. A acompanhante acha


que a criança não enxerga. Ao exame, nota-se que ela não consegue fixar e seguir objetos,
inclusive os sonoros, e apresenta alterações ósseas e dentárias (dentes de Hutchinson). Qual o
achado mais provável no fundo de olho?

A) Alteração pigmentar do tipo “sal e pimenta".


B) Cicatriz de coriorretinite em "farol de neblina”.
C) Ingurgitamento vascular e hemorragias intrarretinianas.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 12 de 31

D) Estreitamento vascular e "fios de prata e cobre”.


E) Hipoplasia óptica com sinal do "duplo anel”.

38 Mulher, 54 anos de idade, procura atendimento com queixa de baixa acuidade visual há

4 meses, pior em olho direito, de forma progressiva e indolor. Nega outros sintomas oculares.
Apresenta DM tipo 2 insulino- dependente há 14 anos, HAS controlada há 7 anos e IMC 30 kg/m².
O que se espera encontrar no exame oftalmológico dessa paciente?

A) Catarata nuclear
B) Edema macular
C) Descolamento de retina tracional
D) Neovascularização de disco óptico
E) Vasculite arteriolar periférica

39 Homem, 40 anos de idade, divorciado há cinco meses, morando sozinho, foi

encaminhado pelo cardiologista com queixa de acordar várias vezes durante a noite, de forma
súbita e inesperada, com medo intenso, dificuldade para respirar, palpitação, sudorese e náuseas.
Nos últimos três meses, os sintomas ocorreram pelo menos duas vezes por semana,
desenvolvendo ansiedade antecipatória para iniciar o sono. Qual o diagnóstico mais provável?

A) Transtorno de pânico.
B) Terror noturno.
C) Ataque de pânico.
D) Transtorno de ansiedade de separação.
E) Transtorno somatoforme.

40 Mulher, 72 anos de idade, apresenta petéquias, equimoses, fadiga, desânimo, e

sangramento gengival há 6 semanas. Não utiliza antiagregante plaquetário. Exame laboratorial


revela anemia macrocítica e plaquetopenia. O que deve ser feito para determinar seu prognóstico?

A) Dosagem de eritropoietina no sangue.


B) Análise citogenética para cromossomo Philadelphia.
C) Ultrassonografia de fígado e baço.
D) Biópsia de medula óssea.
E) Dosagem sérica de vitamina B12 e perfil de ferro.

41 Você é chamado para atender uma criança de 8 meses de idade que se encontra

internada na enfermaria por pneumonia, em oxigenoterapia com máscara Venturi FiO2 40%. A
enfermeira avisa que a criança está agitada, afebril, com frequência respiratória de 40 ipm,

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 13 de 31

frequência cardíaca de 180 bpm e saturação de O² no oxímetro de pulso de 92%. Qual a conduta
imediata?

A) Prescrever inalação com soro fisiológico.


B) Aumentar a oferta de oxigênio.
C) Solicitar atendimento de fisioterapia.
D) Prescrever analgesia e sedação.
E) Verificar se não houve falha na administração da prescrição.

42 Adolescente de 14 anos de idade é atendido no pronto-socorro com história de urina

“cor de coca cola” e redução do volume urinário há 2 dias. Ao exame físico apresenta edema
palpebral e de membros inferiores, ausculta cardíaca sem alteração e PA= 139 x 89 mmHg. Qual a
conduta farmacológica inicial mais indicada para este quadro?

A) Beta bloqueador
B) Inibidor da enzima de conversão
C) Furosemida
D) Corticosteroide
E) Bloqueador de canal de cálcio

43 Você atende em pronto-socorro uma criança de 3 meses de idade, com história de

coriza, tosse e febre há 3 dias, que vem piorando progressivamente, com desconforto respiratório
há 2 dias. Ao exame físico: regular estado geral, taquidispneica, com frequência respiratória de 72
movimentos por minuto, sibilos generalizados e saturação periférica de O2 = 90%. A radiografia de
tórax mostra hiperinsuflação pulmonar. Qual a conduta adequada ao caso?

A) Tratamento domiciliar com prednisolona e fenoterol inalatório.


B) Três cursos de inalação com fenoterol com intervalo de 20 minutos, corticoide IV e reavaliar.
C) Internação, antibioticoterapia, corticoide IV, inalação com fenoterol e oxigenoterapia.
D) Internação, oxigenoterapia e hidratação.
E) Internação em UTI, corticoide IV e ventilação mecânica.

44 Menino de 11 anos de idade, vítima de atropelamento, é trazido à emergência

inconsciente, bradipneico e com quadro de choque hipotensivo. Após 2 tentativas de acesso


venoso periférico sem sucesso, o que você solicitaria?

A) Dispositivo de agulha intraóssea manual para inserir na tíbia proximal.


B) Dispositivo de cateter de duplo lúmen para inserir na veia jugular interna.
C) Cateter intravenoso calibroso para inserir na veia femoral.
D) Cateter intravenoso calibroso para inserir na veia subclávia.
E) Dispositivo de agulha intraóssea manual para inserir na tíbia distal.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 14 de 31

45 A avaliação antropométrica de um pré-escolar de 4 anos de idade, resulta nos seguintes

valores de escore Z para os índices calculados: E/I= -0,8; P/E= 2,1; P/I=1,7 e IMC/I= 2,4. De acordo
com a Organização Mundial da Saúde, qual é a classificação nutricional desta criança?

A) Sobrepeso e estatura adequada para idade.


B) Sobrepeso e risco de baixa estatura.
C) Risco para sobrepeso e estatura adequada para idade.
D) Obesidade e estatura adequada para idade.
E) Peso adequado para idade e risco de baixa estatura.

46 Menina de 9 meses de idade é trazida pela mãe ao pronto-socorro com história de

queda do berço há um dia. Ao exame, observa-se uma criança muito chorosa, irritada, com
aumento de volume no braço direito e coxa esquerda, além de equimoses na parte anterior e
posterior do tórax em diferentes estágios de evolução. O exame radiológico indica fratura recente
de fêmur esquerdo e calo ósseo em úmero direito. Além da radiografia de esqueleto, quais
condutas são mais adequadas ao caso?

A) Tomografia de crânio, hemograma, encaminhamento ambulatorial para investigação e notificação de


violência.
B) Internação, tomografia de crânio, hemograma e contato imediato com a autoridade policial.
C) Internação, hemograma, ultrassonografia transfontanelar e solicitação de avaliação genética e hematológica.
D) Hemograma, coagulograma, encaminhamento ambulatorial para investigação e contato com a vara da
infância e/ou conselho tutelar.
E) Internação, tomografia de crânio, fundo de olho, notificação de violência, contato com a vara da infância
e/ou conselho tutelar.

47 Você é chamado para atender uma criança de 2 anos internada por doença respiratória.

A enfermeira relata que a criança está mais dispneica e gemente. Os controles dos sinais vitais
mostram taquicardia persistente e taquipneia progressiva, sem febre associada. Ao exame físico:
tiragem diafragmática e intercostal, retração de fúrcula e uso de musculatura acessória.
Assimetria de expansão torácica com o hemitórax direito não expandindo na base. Ausculta com
sons pulmonares abolidos e presença de macicez pulmonar à percussão em base direita. Qual o
diagnóstico?

A) Pneumonia.
B) Atelectasia.
C) Interferência da presença hepática.
D) Paralisia diafragmática.
E) Derrame pleural.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 15 de 31

48 Menino saudável com 2 anos de idade apresenta claudicação há 3 dias e teve infecção

das vias aéreas superiores na semana anterior. No exame físico, está em bom estado geral e
afebril, com discreta limitação de quadril direito à rotação interna. Os exames laboratoriais estão
normais exceto por discreto aumento de velocidade de hemossedimentação (30 mm na 1a hora).
Qual a conduta neste caso?

A) Reavaliação ambulatorial em 24 a 48 horas.


B) Artrocentese de quadril direito.
C) Antibioticoterapia imediatamente.
D) Realizar tomografia do quadril afetado.
E) Prescrever ácido acetilsalicílico 80 mg/kg/dia.

49 Você atende uma parturiente com idade gestacional de 39 semanas, sem alterações ao

exame clínico, que foi tratada adequadamente para sífilis, antes da gestação. As sorologias
realizadas no primeiro trimestre mostram os seguintes resultados: Toxoplasmose,
Citomegalovírus e Rubéola - Ig G positiva e Ig M negativa; Hepatite B - HBs Ag negativo e Anti-HBs
positivo. A sorologia para sífilis realizada no terceiro trimestre mostrou VDRL negativo e
hemaglutinação indireta positiva. Com esses resultados podemos afirmar que o recém-nascido
tem risco de apresentar infecção congênita por qual dos seguintes agentes?

A) Treponema pallidum.
B) Toxoplasma gondii.
C) Vírus da rubéola.
D) Citomegalovírus.
E) Vírus da hepatite B.

50 Você atende em consulta de rotina, um menino de um ano de idade. Nascido a termo,

peso nascimento: 3.500 gramas, recebeu aleitamento materno exclusivo até sexto mês de vida,
sem outras intercorrências. A mãe refere que faz suplementação profilática com ferro desde os
seis meses de vida, conforme orientação médica; come bem todos os alimentos, inclusive carnes,
e continua em aleitamento materno. Estava descorado +/4+ e foi solicitado hemograma: Hb: 10,1
g/dL; VCM: 68 fL; HCM: 22pg; leucócitos: 6.000/mm3 (distribuição normal), plaquetas:
300.000/mm3. Qual a principal hipótese diagnóstica?

A) Anemia Sideroblástica.
B) Talassemia minor.
C) Anemia Megaloblástica.
D) Anemia Falciforme.
E) Anemia de Blackfan-Diamond.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 16 de 31

51 Na comunicação entre médicos e pacientes, podem ocorrer os chamados “ruídos”,

como em qualquer tipo de comunicação. Os “ruídos” são caracterizados como interferências na


transmissão e/ou na recepção da mensagem. Qual das alternativas abaixo, melhor exemplifica
esses ruídos?

A) Presença de mais de um componente da família na reunião de comunicação.


B) Médico com postura compassiva e atento aos familiares.
C) Vínculo profissional de saúde-paciente-família recente.
D) Presença de componente da equipe multidisciplinar.
E) Linguajar técnico e grau de esperança da família/paciente.

52 Menina de 34 dias de vida é trazida ao pronto atendimento devido a persistência de

icterícia. Nascida a termo com peso de 3.500g, pré-natal sem intercorrências, apresentou icterícia
3 dias depois do nascimento, sem necessidade de fototerapia. Tipagem sanguínea da mãe O
positivo e da criança A positivo. Há 10 dias mãe notou piora da icterícia. No exame físico a criança
está em bom estado geral, ictérica +++/+4, abdome globoso, fígado a 4cm do rebordo costal
direito, baço não palpável. A bilirrubina direta é de 9 mg/dL. Qual a causa mais provável da
hiperbilirrubinemia?

A) Sepse.
B) Atresia de via biliar.
C) Colecistite aguda.
D) Galactosemia clássica.
E) Incompatibilidade sanguínea.

53 Recém-nascido a termo com peso de 3500 gramas está com 60 horas de vida,

recebendo aleitamento materno exclusivo e sem intercorrências, iniciou quadro de icterícia há 24


horas. Ao exame físico encontra-se ictérico zona II leve e sem outras alterações. A tipagem
sanguínea da mãe é A Rh positivo e do recém-nascido O Rh negativo. Esse quadro é decorrente
de:

A) deficiência da glicuroniltransferase.
B) hemólise por incompatibilidade Rh.
C) hemólise por incompatibilidade ABO.
D) aumento da captação hepática de bilirrubina.
E) deficiência da glicose -6 fosfato-desidrogenase.

54 Você atende em consulta de rotina na UBS uma menina de 40 dias de vida. A mãe não

relata qualquer queixa e traz o resultado da triagem neonatal (Teste do Pezinho), que apresenta
HbFS. O hemograma mostra valores normais para a idade. Ao exame físico: corada, fígado e baço

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 17 de 31

não palpáveis. A criança apresenta adequado ganho de peso. Qual é a conduta, em relação ao
achado da HbFS no teste da triagem neonatal?

A) Solicitar dosagem de ferro e ferritina séricos para esclarecer o diagnóstico da triagem neonatal.
B) Orientar que a presença da HbF no teste da triagem neonatal torna desnecessárias outras medidas até os 12
meses de vida.
C) Solicitar de imediato a eletroforese de hemoglobina da criança para confirmação diagnóstica.
D) Orientar que a criança é portadora de traço falciforme, não sendo necessário adotar medidas adicionais além
do acompanhamento de rotina.
E) Orientar que a criança é portadora de doença falciforme e que devem procurar um centro de referência de
hematologia para iniciar acompanhamento.

55 Criança de três meses de idade é levada ao pronto atendimento com história de febre

não medida há dois dias. Ao exame físico: FC=160 bpm, FR= 45 ipm, temperatura de 39,8oC, em
regular estado geral, palidez cutânea, restante do exame físico sem alterações. A conduta mais
adequada nesse momento é:

A) orientações gerais, sintomáticos e reavaliação após 24 horas.


B) coleta de hemograma, culturas e reavaliação após 24 horas.
C) iniciar antibioticoterapia empírica e retornar se febril após 48 horas.
D) internação, coleta de hemograma, urina I e culturas.
E) internação, antitérmico e reavaliação após 48 horas.

56 Menina de 4 anos de idade, infectada pelo HIV por via vertical, tomou apenas as vacinas

previstas pelo calendário do programa nacional de imunizações até os 11 meses de idade. Quais
vacinas podem ser aplicadas de imediato, antes da avaliação imunológica?

A) DTP (tríplice bacteriana), pólio oral, sarampo.


B) Sarampo, caxumba, rubéola (tríplice viral).
C) DTP (tríplice bacteriana), Hib, pólio inativada.
D) Meningococo C conjugada, varicela, pneumocócica.
E) Pneumocócica, pólio oral, hepatite A.

57 Criança nascida com idade gestacional de 36 semanas, teve seu cordão clampeado aos

3 minutos de vida. Entre as repercussões possíveis desse procedimento, encontra-se:

A) Redução do risco de icterícia neonatal.


B) Redução do risco de hemorragia intraventricular.
C) Redução do risco de policitemia.
D) Aumento do risco de sepse neonatal.
E) Aumento do risco de enterocolite.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 18 de 31

58 Menina de 15 meses de vida recebe aleitamento materno e dieta geral adequada para a

idade. Há 6 meses apresenta diarreia sem sangue e sem muco, acompanhada por déficit de
ganho de peso. Ao exame físico: descorada, apática, com distensão abdominal, com hipotrofia da
musculatura glútea, ânus sem anormalidades. Qual o diagnóstico mais provável?

A) Doença celíaca.
B) Alergia à proteína do leite de vaca.
C) Doença de Crohn.
D) Colite ulcerativa.
E) Síndrome do intestino irritável.

59 Você atende um lactente de 2 meses de idade, em aleitamento materno exclusivo. A

mãe refere que a criança elimina fezes amolecidas em intervalos superiores a três dias, com
regurgitações esporádicas e bom ganho de peso. Qual a hipótese diagnóstica?

A) Disquesia do lactente.
B) Constipação crônica.
C) Pseudoconstipação.
D) Pseudodiarreia.
E) Doença de Hirschprung.

60 Jovem de 15 anos de idade, HIV+ por transmissão vertical, mora com um tio que iniciou

tratamento para tuberculose pulmonar há 10 dias. A jovem está com boa adesão ao esquema
antirretroviral, com carga viral do HIV abaixo de 40 cópias/mL, assintomática e com radiografia de
tórax normal. Nunca fez qualquer tipo de tratamento para tuberculose anteriormente. A conduta
mais adequada é?

A) Se contagem de células T CD4+ estiver inferior a 200, iniciar tratamento para tuberculose doença,
independente do resultado do teste tuberculínico.
B) Se contagem de células T CD4+ estiver inferior a 500, iniciar tratamento para tuberculose latente, após
afastar tuberculose doença.
C) Se teste tuberculínico resultar maior que 10mm, tratar como tuberculose doença, independentemente da
contagem de células T CD4+.
D) Afastado o diagnóstico de tuberculose doença, avaliar contagem de células T CD4+ e resultado do teste
tuberculínico para iniciar tratamento de tuberculose latente.
E) Observar aparecimento de sintomas de tuberculose doença e retorno em 30 dias para realizar teste
tuberculínico e nova radiografia de tórax.

61 A Constituição Federal de 1988 estabelece que “A saúde é direito de todos e dever do

Estado”. A garantia desse direito foi fundamental para superar a condição anterior a esse período
que se caracterizava por:

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 19 de 31

A) restrição desse direi to à população trabalhadora com vínculo formal de emprego.


B) assegurar esse direito aos trabalhadores urbanos por meio de empresas de medicina de grupo e de seguro-
saúde.
C) garantir à população residente em centros urbanos esse direito após a criação do Instituto Nacional da
Previdência Social (INPS).
D) garantir à população urbana esse direito desde a criação das Caixas de Aposentadoria e Pensões (CAPs).
E) garantir aos trabalhadores rurais esse direito após a criação dos Institutos de Aposentadoria e Pensão (IAPs).

62 O município de Mar Azul tem 125 mil habitantes e conta com os seguintes serviços de

saúde: 8 Unidades Básicas de Saúde (UBS), sendo 5 estruturadas com equipes de Saúde da
Família e 3 com equipes de Atenção Básica; uma Santa Casa; um Ambulatório de Especialidades
público; e alguns consultórios, clínicas e laboratórios privados. Considerando a regulamentação
do Sistema Único de Saúde (SUS), assinale a alternativa correta.

A) A gestão do SUS municipal deverá reorganizar a Atenção Básica incorporando equipes de Saúde da Família
nas 8 UBS.
B) Para garantir o repasse financeiro integral da Atenção Básica, a gestão do SUS municipal deverá implantar
uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).
C) A inexistência de um hospital de especialidades no município inviabiliza a organização de uma Rede de
Atenção à Saúde.
D) A Santa Casa não pode compor a Rede de Atenção à Saúde do município por ser um hospital privado e
filantrópico.
E) A gestão do SUS municipal poderá contratar serviços dos laboratórios privados para garantir acesso
universal aos distintos níveis de atenção.

63 Qual o princípio do Sistema Único de Saúde que garante atendimento para uma criança

com deficiência cognitiva na Atenção Básica e na Rede de Atenção à pessoa com deficiência?

A) Regionalização.
B) Integralidade.
C) Hierarquização.
D) Equidade.
E) Descentralização.

64 Um pesquisador está interessado em estudar a associação entre hábito de fumar da

mãe (sim/não) e o baixo peso ao nascer do bebê (sim/não). Ao revisar a literatura, encontrou
quatro diferentes estudos com os seguintes intervalos de 95% de confiança para a medida de
associação razão de chances (odds ratio): (I) 0,8 a 0,9; (II) 0,8 a 1,2; (III) 1,2 a 4,1; (IV) 0,5 a 20,5;
Adotando- se um nível de significância de 5%, qual ou quais desses intervalos de confiança para a
razão de chances indica( m) associação entre baixo peso ao nascer e hábito de fumar da mãe?

A) Somente (I).
B) (I) e (III).

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 20 de 31

C) Somente (II).
D) (II) e (IV).
E) (I), (III) e (IV).

65 Como pode ser estabelecido o limite superior da faixa endêmica ou limite epidêmico em

um diagrama de controle de ocorrência de um agravo/doença, para cada semana epidemiológica?

A) Incidência média observada nos últimos anos.


B) Incidência máxima observada nos últimos anos.
C) Incidência média observada nos últimos anos, acrescida de 1,96 desvio padrão das incidências
observadas.
D) Incidência máxima observada nos últimos anos, acrescida de 1,96 desvio padrão das incidências observadas
E) Incidência mínima observada nos últimos anos, acrescida de 1,96 desvio padrão das incidências observadas.

66 O trabalho com Projeto Terapêutico Singular (PTS) em uma Unidade Básica de Saúde

(UBS):

A) considera como caso para estudo uma indicação da gestão loco-regional de saúde para a equipe da UBS,
visando à padronização de condutas na rede.
B) é elaborado pela rede interssetorial, apresentado na reunião do distrito de saúde e conduzido pela equipe
multiprofissional da UBS.
C) é proposto pelo médico e os demais profissionais da equipe desenvolvem atividades para estimular a
aderência do usuário
D) requer o conhecimento do usuário pela equipe multiprofissional da UBS, sendo um dos passos
necessários envolvê- lo, assim como seus familiares, agregados e cuidadores.
E) é uma discussão de caso clínico, a partir da definição de um diagnóstico clínico e indicação de uma conduta,
com base em conhecimentos e técnica biomédicos

67 Uma gestante de 19 anos em seguimento pré- natal realiza testes para sífilis que

constam como reagentes: o teste rápido treponêmico e o teste não treponêmico (VDRL=1/32). Ela
relata que nunca teve diagnóstico anterior de sífilis. O médico responsável pelo seu atendimento,
entre outras condutas, deve realizar a notificação compulsória:

A) em até 24 horas.
B) após confirmação por nova sorologia treponêmica.
C) em até uma semana.
D) em até 72 horas.
E) em até 48 horas.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 21 de 31

68 Indivíduos com obesidade grau 3 (N =252) foram randomizados para dois tipos de

dietas: restrição de carboidratos ou restrição de gorduras. A análise estatística mostrou que os


indivíduos que seguiram a dieta com restrição de carboidratos apresentaram perda média de peso
de 5,8 kg (desvio padrão = 3,0 kg) enquanto aqueles submetidos à dieta com restrição de gorduras
apresentaram perda média de peso de 3,5 kg (desvio padrão = 5,0 kg). Comparando- se a perda
média de peso entre esses dois grupos obteve- se um valor de p=0,003. Adotando- se um nível de
significância de 5% (α=0,05), esse valor de p apresentado significa que:

A) existe diferença estatisticamente significante entre os grupos, pois 99,7% dos indivíduos do grupo da dieta
com restrição de carboidratos perderam mais peso do que os indivíduos que seguiram a dieta com restrição de
gorduras.
B) existe diferença estatisticamente significante entre os grupos para a média de perda de peso e o poder
associado ao teste estatístico é igual a 99,7%.
C) não existe diferença estatisticamente significante entre os grupos no que se refere à perda média de peso e o
erro que se comete com esta afirmação é igual a 0,3%.
D) não existe diferença estatisticamente significante entre os grupos no que se refere à perda média de peso,
pois a diferença média de peso entre os grupos é de apenas 0,3%.
E) existe diferença estatisticamente significante entre os grupos no que se refere à perda média de peso e o
risco de errar ao se afirmar que os dois grupos diferem com relação à perda de peso é igual a 0,3%.

69 Na Unidade Básica de Saúde (UBS), o trabalho em equipe multiprofissional:

A) ocupa lugar restrito na organização do trabalho, pois na UBS cada profissional tem autonomia para a
condução da assistência a partir de seu núcleo de saber.
B) busca a centralização das decisões e a padronização das condutas técnicas.
C) deve priorizar a reciclagem dos profissionais, incentivando a participação destes profissionais em cursos e
congressos.
D) acontece a partir de reuniões de equipe para organizar o trabalho, discussões de caso, atividades
assistenciais conjuntas e períodos para apoio com matriciamento.
E) pode ser substituído pela atuação de um profissional com formação integral.

70 Pesquisadores brasileiros elaboraram um estudo epidemiológico para investigar os

fatores associados à microcefalia. Conduziram um estudo com um grupo de recém- nascidos


com microcefalia e compararam com um grupo de recém-nascidos sem microcefalia e avaliaram
se as suas mães tiveram infecção pelo Zika vírus durante a gestação. Qual é o tipo de estudo e
qual é a medida de associação?

A) Caso-controle e odds ratio (OR).


B) Ensaio clínico e risco relativo (RR).
C) Coorte e razão de risco (RR).
D) Transversal e odds ratio (OR).
E) Ecológico e risco relativo (RR).

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 22 de 31

71 Você é médico em uma UBS num município em que a raiva é controlada e atende uma

mulher de 32 anos com ferimento corto-contuso leve na perna direita por mordedura canina. Ela
refere vacinação em dia, embora não tenha apresentado sua Carteira de Vacinação. A mordedura
ocorreu durante tentativa de contenção de briga entre dois cachorros, um dos quais pertencia à
paciente. O cachorro agressor era conhecido, sadio e com a vacinação completa (comprovada
pelas carteiras de vacinação do animal). Considere as condutas abaixo: I - Observar o animal
agressor por 10 dias. II - Notificar raiva humana. III - Aplicar soro antirrábico. IV - Aplicar vacina dT.
V - Aplicar vacina antirrábica em 4 doses. VI - Notificar acidente por animal potencialmente
transmissor da raiva (atendimento antirrábico). Qual alternativa mostra as condutas iniciais
corretas referentes ao caso?

A) II, III e V.
B) IV, V e VI.
C) III, V e VI.
D) II, IV e V.
E) I, IV e VI.

72 A Política Nacional de Atenção Básica (2017) estabelece que o Núcleo Ampliado de

Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB) deve ser composto por uma equipe
multiprofissional e interdisciplinar de profissionais da saúde. Assinale a alternativa que NÃO
contempla atribuições do NASF-AB.

A) Participar do planejamento conjunto com as equipes que atuam na Atenção Básica a que estão vinculadas.
B) Auxiliar no aumento da capacidade de análise e de intervenção da Atenção Básica sobre problemas e
necessidades de saúde.
C) Realizar discussão de casos e construção conjunta de projetos terapêuticos com a equipe da Atenção Básica,
D) Organizar agenda de livre acesso para atendimento individual ou coletivo em serviços da Atenção Básica.
E) Realizar atendimento individual e compartilhado com profissionais das equipes da Atenção Básica.

73 A figura abaixo mostra a evolução temporal de um indicador de saúde para o Brasil em

anos selecionados. Que indicador é esse?

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 23 de 31

A) Mortalidade infantil total.


B) Mortalidade infantil neonatal precoce.
C) Mortalidade infantil neonatal tardia.
D) Mortalidade infantil pós-neonatal.
E) Mortalidade materna.

74 Secretário municipal de saúde deseja calcular a incidência de leptospirose em sua

cidade no ano anterior. Para isso deverá consultar qual(ais) sistema(s) de informação em saúde
e/ou fonte(s) de dados? SINAN: Sistema de Informação de Agravos de Notificação; IBGE: Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística; SIH-SUS: Sistema de Informações Hospitalares do SUS; SIA-
SUS: Sistema de Informações Ambulatoriais do SUS

A) SIH-SUS e SIA-SUS.
B) SIH-SUS e IBGE.
C) SINAN e SIH-SUS.
D) SIA-SUS e IBGE.
E) SINAN e IBGE.

75 Na investigação por fatores associados a um agravo à saúde foram encontrados os

seguintes riscos relativos (RR) e respectivos intervalos de confiança de 95% (IC95%): Fator I: RR =
0,87 (0,60-0,97); Fator II: RR = 0,97 (0,94-1,01); Fator III: RR = 1,57 (1,32-1,77); Fator IV: RR = 1,20
(0,97-2,10); Considerando apenas as informações disponíveis, assinale a alternativa correta:

A) I é protetor, II e IV não associados e III aumenta o risco.


B) I e II aumentam o risco e III e IV são protetores.
C) I e II são protetores e III e IV aumentam o risco.
D) Não há precisão nos achados.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 24 de 31

E) I aumenta o risco, II e IV são pouco precisos e III é protetor.

76 Considerando o planejamento familiar no Brasil, a esterilização voluntária pode ser

permitida em:

A) homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de 25 anos de idade e que tenham, pelo menos,
dois filhos vivos.
B) homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de 30 anos de idade ou que tenham, pelo menos,
dois filhos vivos.
C) homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de 30 anos de idade e que tenham, pelo menos,
dois filhos vivos.
D) homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de 25 anos de idade ou que tenham, pelo
menos, dois filhos vivos.
E) homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de 25 anos de idade ou que tenham, pelo menos,
quatro filhos vivos.

77 Segundo as diretrizes brasileiras, o exame de citologia oncológica (Papanicolaou) deve

ser disponibilizado às mulheres:

A) desde o início de vida sexual ativa.


B) dois anos após o início de vida sexual ativa.
C) com vida sexual ativa a partir dos 25 anos de idade.
D) cinco anos após o início de vida sexual ativa.
E) com vida sexual ativa a partir dos 30 anos de idade.

78 Preocupadas com a prevenção e o controle de doenças, nos últimos anos a OMS e

OPAS têm se empenhado em difundir novos referenciais clínicos para assistência na Atenção
Primária, fundamentados em: assistência fortemente relacionada com promoção e prevenção
clínica em saúde; foco em incapacidades individualizadas; informação, automanejo, recursos
comunitários e proatividade da equipe. Qual o conceito que se relaciona com esses novos
referenciais?

A) Comorbidades.
B) Condições crônicas.
C) Doenças crônicas.
D) Multimorbidades.
E) Saúde coletiva.

79 Admita que um teste diagnóstico para uma dada doença seja aplicado tanto à

população que procura a Atenção Básica (ABS) como a pacientes referenciados a um ambulatório

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 25 de 31

de especialidade dessa doença. Nesse ambulatório, que probabilidade relacionada ao teste


diagnóstico deverá ter seu valor aumentado em comparação com o valor obtido na ABS?

A) Valor preditivo negativo.


B) Sensibilidade.
C) Valor preditivo positivo.
D) Especificidade.
E) Razão de verossimilhança.

80 No Brasil, na última década (2006-2016), a taxa de detecção de aids (por 100.000

habitantes):

A) teve tendência ascendente em menores de cinco anos de idade.


B) aumentou em homens e diminuiu em mulheres na faixa etária de 20 a 24 anos de idade.
C) diminuiu em homens e aumentou em mulheres na faixa etária de 15 a 19 anos de idade.
D) manteve-se relativamente estável em ambos os sexos na faixa etária de 30 a 59 anos de idade.
E) diminuiu em ambos os sexos na faixa etária de 60 e mais anos de idade.

81 Gestante de 29 semanas, secundigesta, primípara (parto normal de termo), procura

pronto atendimento com queixa de dores no baixo ventre há 2 dias. Exame físico: afebril, FC = 88
bpm, PA = 100x60 mmHg, altura uterina 26 cm, FCF = 144 bpm, detecta-se 1 contração uterina em
10 minutos, com duração de 20 segundos, toque com colo amolecido, longo, pérvio para 1 dedo,
apresentação cefálica, bolsa íntegra. Nesse caso, a melhor conduta é:

A) ampliar período de observação para melhor caracterizar como verdadeiro trabalho de parto prematuro.
B) inibição do trabalho de parto prematuro utilizando atosiban ou nifedipina.
C) inibição do trabalho de parto prematuro utilizando nifedipina ou terbutalina.
D) corticoterapia para amadurecimento do pulmão fetal e inibição do trabalho de parto prematuro com
nifedipina, terbutalina ou atosiban.
E) corticoterapia para amadurecimento do pulmão fetal e sulfato de magnésio para neuroproteção fetal.

82 Considerando a predição ou prevenção do parto pré-termo, é correto afirmar:

A) em gestantes com dor em baixo ventre o uso da progesterona natural micronizada por via vaginal reduz o
risco de nascimento prematuro.
B) a ultrassonografia do colo por via endovaginal entre 20 e 24 semanas é contraindicada em gestantes com
sangramento vaginal.
C) o repouso no leito em gestantes com comprimento do colo uterino curto entre 20 e 24 semanas aumenta
o risco de eventos tromboembólicos e não reduz a prematuridade.
D) o uso da progesterona natural micronizada via oral reduz o risco de parto prematuro em gestantes com
antecedente de prematuridade.
E) a maioria das gestantes com comprimento do colo "menor ou igual a" 25mm tem parto espontâneo com
menos de 37 semanas.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 26 de 31

83 Primigesta, 41 semanas, foi submetida a preparo de colo e indução do parto. Analise o

partograma apresentado na figura. Nesse caso, as características importantes do partograma,


para o prognóstico de sucesso do parto por via vaginal, são:

A) variedade de posição OEP e batimentos cardíacos fetais normais.


B) dilatação do colo uterino de 7 cm e 4 contrações uterinas em 10 minutos.
C) descida da apresentação em +1 e bolsa das águas rota.
D) bolsa das águas íntegra e ter completado a rotação interna para OP.
E) dilatação do colo uterino de 7 cm e bolsa das águas íntegra.

84 Tercigesta, secundipara (1 cesárea), 28 anos de idade, 34 semanas, com diagnóstico de

pré-eclâmpsia. Procurou pronto socorro queixando-se de cefaleia, dor de estômago e visualização


de pontos brilhantes há 2 horas. Exame físico: PA = 180 / 120 mmHg, edema de membros
inferiores, altura uterina de 31 cm, FCF =140 bpm, apresentação cefálica, ausência de contrações,
toque colo grosso, amolecido, medianizado, pérvio para 2 cm, bolsa íntegra. Cardiotocografia
normal. Nesse caso, a conduta é:

A) nifedipina, sulfato de magnésio para neuroproteção fetal e indução do parto.


B) nifedipina, corticoterapia para maturação pulmonar fetal e cesárea.
C) hidralazina, profilaxia para streptococo B e indução do parto.
D) hidralazina, sulfato de magnésio para prevenção de eclâmpsia e cesárea.
E) hidralazina, corticoterapia, gluconato de cálcio e cesárea.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 27 de 31

85 Gestante, 31 anos de idade, 2G 1P (natimorto de termo) com diagnóstico de diabetes

mellitus gestacional estabelecido com 34 semanas, foi orientada a realizar atividade física diária e
dieta para diabetes. A gestante, pouco aderente ao tratamento, não seguiu as orientações e
retornou com 36 semanas, quando foi constatado, à ultrassonografia, que o feto apresentava
peso no percentil 99, polidrâmnio e diminuição da movimentação fetal. Nessa situação, a conduta
é:

A) orientação dietética com nutricionista e avaliação semanal.


B) internação para corticoterapia e insulinização.
C) internação e resolução da gestação.
D) avaliação da vitalidade fetal, insulinização e retorno em 1 semana.
E) internação para corticoterapia e resolução da gestação.

86 Quartigesta, nulípara, 35 anos de idade, 12 semanas de gestação, refere antecedente de

perdas gestacionais com 20, 18 e 16 semanas, que foram, rápidas, indolores e sem sangramento
importante. A ultrassonografia constatou feto único, vivo, sem anomalias e biometria compatível
com a idade gestacional menstrual. O próximo passo no cuidado dessa gestante é:

A) cerclagem via vaginal entre 12 e 16 semanas.


B) progesterona vaginal e medidas seriadas do colo uterino.
C) pessário vaginal e cerclagem entre 16 e 20 semanas.
D) abstinência sexual e progesterona vaginal.
E) repouso no leito e progesterona vaginal.

87 Secundigesta, primípara, 20 anos de idade, 39 semanas, procura o pronto atendimento

com queixa de perda de líquido pela vagina. Ao exame físico é confirmada a rotura prematura de
membranas. Questionada sobre o “teste do cotonete” no pré-natal, informa que não realizou. A
condição que indicaria a profilaxia da transmissão vertical do estreptococo do grupo B (EGB),
nesse caso, é:

A) gestação anterior com rotura prematura de membranas.


B) urocultura positiva para EGB durante o pré-natal.
C) rotura de membranas ocorrida há 8 horas.
D) cultura positiva para EGB na gestação anterior.
E) qualquer infecção do trato urinário durante o pré-natal.

88 Gestante com 30 semanas e diagnóstico de restrição de crescimento fetal estabelecido

desde a 26ª semana. No acompanhamento pelo exame de Doppler de artéria umbilical a


resistência é aumentada, e, na avaliação do ducto venoso verifica-se o resultado demonstrado na
imagem. Nesse caso, o próximo passo para o melhor cuidado é:

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 28 de 31

A) preparo de colo e indução do parto.


B) corticoterapia por 48h e indução do parto.
C) corticoterapia por 48h e cesárea.
D) sulfato de magnésio e Doppler diário.
E) sulfato de magnésio e cesárea.

89 Primigesta, 28 anos de idade, encontra-se na fase ativa do trabalho de parto, apresenta

cardiotocografia conforme a figura. A dilatação cervical é de 5 cm, bolsa rota, líquido claro. Nesse
caso, o tipo de desacelerações da frequência cardíaca fetal e o próximo passo para o melhor
cuidado, respectivamente, são:

A) precoces; amnioinfusão.
B) tardias; cesárea.
C) variáveis; cesárea.
D) variáveis; mudança de decúbito.
E) tardias, expansão volêmica.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 29 de 31

90 Quanto ao calendário vacinal na gestante é correto afirmar que:

A) gestantes com anti-HBsAg positivo devem ser revacinadas para Hepatite B para conferir proteção ao recém-
nascido.
B) a vacinação contra o sarampo é indicada para moradoras ou viajantes para áreas endêmicas.
C) a vacina contra a coqueluche recomendada na gestação é a tríplice bacteriana adulta celular.
D) a vacinação contra a influenza não pode ser administrada no primeiro trimestre.
E) a vacina contra a febre amarela é recomendada para moradoras ou viajantes para áreas endêmicas.

91 Mulher, 50 anos de idade, refere fogachos e irregularidade menstrual há 3 meses. Que

hormônio deve ser avaliado e seu respectivo nível sérico para confirmar o diagnóstico de
transição menopausal?

A) Hormônio antimulleriano – elevado.


B) FSH – elevado.
C) Inibina – diminuído.
D) Prolactina – diminuído.
E) Progesterona – diminuído.

92 Mulher, 65 anos de idade, hipertensa, obesa e diabética, refere sangramento vaginal há 7

meses. Identificou-se espessamento endometrial de 9 mm à ultrassonografia. O resultado da


biópsia do endométrio evidenciou adenocarcinoma endometrióide G1. Qual a conduta a seguir?

A) Histerectomia subtotal com salpingooforectomia bilateral e coleta do lavado peritoneal.


B) Histerectomia total com salpingectomia bilateral e coleta do lavado peritoneal.
C) Histerectomia subtotal com salpingooforectomia bilateral, linfadenectomia pélvica e periaórtica.
D) Histerectomia total com salpingectomia bilateral, linfadenectomia pélvica e periaórtica.
E) Histerectomia total com salpingooforectomia bilateral e coleta do lavado peritoneal.

93 Mulher, 47 anos de idade, assintomática, realizou uma ultrassonografia (US) de mamas

que detectou nódulo de forma redonda, margens não-circunscritas, com reforço posterior e
medindo 1,7 cm no maior eixo. Qual é a hipótese diagnóstica mais provável e a conduta?

A) Câncer de mama, biopsia tipo core (agulha grossa) guiada por US.
B) Fibroadenoma, biopsia a vácuo guiada por mamografia.
C) Cisto complexo, biopsia tipo core (agulha grossa) guiada por US.
D) Câncer de mama, biópsia a vácuo guiada por mamografia.
E) Fibroadenoma, punção com agulha fina guiada por US.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 30 de 31

94 Com relação à dismenorreia primária, assinale a afirmativa correta:

A) os sintomas não estão relacionados às primeiras ovulações.


B) é rara a associação com quadros depressivos.
C) está associada à adenomiose.
D) está associada a ciclos ovulatórios.
E) os sintomas começam nas 72 horas que precedem o catamênio.

95 Mulher, 27 anos de idade, retorna na UBS com resultado de citologia oncótica

cervicovaginal: ASCUS. Qual é a conduta adequada?

A) Repetir a citologia após um ano.


B) Realizar colposcopia.
C) Realizar biópsia de colo uterino.
D) Fazer exérese da zona de transformação.
E) Prescrever creme vaginal com antibiótico.

96 Mulher, 24 anos de idade, 3 filhos vivos, viúva, procurou o Serviço de Planejamento

Familiar para solicitar laqueadura tubária. Refere que teve 3 partos cesáreas, sendo a idade dos
filhos de 7 anos, 3 anos e 1 ano. Não pretende ter novo relacionamento. Qual alternativa apresenta
a melhor conduta segundo a lei 9263 referente ao Planejamento Familiar?

A) A paciente não apresenta condições para solicitar a esterilização definitiva pois a idade mínima para pleitear
a laqueadura tubária é de 25 anos, devendo se indicar outro método contraceptivo reversível.
B) A paciente não apresenta condições para solicitar a esterilização definitiva pois não tem relacionamento
estável; por ser viúva e sem desejo de novo relacionamento, não se deve indicar outros métodos contraceptivos.
C) A paciente apresenta condições para solicitar a esterilização definitiva, porém cabe à equipe de saúde
multidisciplinar apresentar todos os métodos contraceptivos reversíveis, e indicá-los como alternativa à
laqueadura tubária.
D) A paciente apresenta condições para solicitar a esterilização definitiva, porém deve aguardar completar os 25
anos para realizar o procedimento cirúrgico, e utilizar outro método reversível até lá.
E) A paciente não apresenta as condições para solicitar a esterilização definitiva e não se deve indicar o
dispositivo intrauterino pois teve 3 cesáreas e maior risco de perfuração uterina.

97 Mulher, 45 anos de idade, refere perda urinária involuntária contínua após 2 semanas de

histerectomia total abdominal por mioma uterino. Refere que tem urinado menos vezes. Qual o
provável diagnóstico?

A) Divertículo uretral.
B) Síndrome da bexiga hiperativa.
C) Infecção do trato urinário.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018
Página 31 de 31

D) Incontinência urinária de esforço.


E) Fístula vésico-vaginal.

98 Mulher, 73 anos de idade, tercigesta, secundípara, procura o Posto de Saúde

preocupada com o resultado de ultrassonografia endovaginal solicitado pelo geriatra. Refere ser
hígida, nega sangramento genital e queixas climatéricas. Não faz uso de medicação diária. Laudo
da Ultrassonografia = nódulo sólido uterino intramural com área calcificada medindo 15x13mm,
espessura do endométrio: 2 mm, ovários não observados. Qual o provável diagnóstico e qual a
conduta?

A) Leiomiossarcoma uterino; histerectomia.


B) Teratoma uterino; histerectomia.
C) Mioma uterino calcificado; tranquilizar a paciente.
D) Mioma uterino; miomectomia.
E) Nódulo uterino a esclarecer; biópsia percutânea.

99 Mulher, 52 anos de idade, refere “bola na vagina” há 5 anos e urge-incontinência urinária

há 1 ano. Ao exame físico observa-se o seguinte POP-q: Aa=+3, Ap=+1, Ba=+4, Bp=+1, C=-7, D=-8,
HG=6, CP=2, CVT=9. Qual o diagnóstico e a melhor conduta?

A) Prolapso vaginal completo, histerectomia vaginal com fixação sacroespinhal da cúpula e anticolinérgico no
pós-operatório.
B) Síndrome da bexiga hiperativa, prescrição de anticolinérgico, e caso não haja melhora indicar colpofixação
retropúbica.
C) Prolapso vaginal do compartimento apical, promontofixação via abdominal e prescrição de B1- adrenérgico.
D) Prolapso vaginal dos compartimentos anterior e posterior, correção sítio-específica e orientação quanto
a possibilidade de regressão dos sintomas urinários no pós-operatório.
E) Incontinência urinária mista, prescrição de alfa-adrenérgico, e caso não haja melhora indicar correção sítio-
específica de parede vaginal anterior.

100 Mulher, 18 anos de idade, queixa-se de corrimento cinza de odor fétido há 7 dias, dor

em hipogástrio e febre há 2 dias. É usuária de DIU de cobre há 6 meses. Qual o provável agente
etiológico responsável pelo quadro e qual a melhor conduta?

A) Candida glabrata, antifúngico, manutenção do DIU.


B) Clamydia trachomatis, antibioticoterapia, manutenção do DIU.
C) Actinomyces israelli, antiparasitário, retirada imediata do DIU.
D) Mycoplasma hominis, antibioticoterapia, retirada do DIU.
E) Vaginose bacteriana, antiparasitário, retirada do DIU.

http://ctrlpanel.medgrupo.com.br/imprimir_prova.aspx?prova=925098&concurso=31... 12/11/2018