Você está na página 1de 6

UMA FAMÍLIA IMPROVÁVEL, SEGUNDO A VONTADE DE DEUS

Oséias foi profeta em Israel num tempo de grande apostasia religiosa e


descalabro moral. O povo estava chafurdado no pecado, a violência campeava nas
ruas, a injustiça nos tribunais e a idolatria nos templos. Depois de Deus falar à nação
por intermédio de vários profetas, agora fala pela vida do profeta Oséias. O casamento
e os filhos de Oséias seriam a grande mensagem de Deus ao povo.

Oséias casou-se com Gômer, uma mulher infiel. Tiveram três filhos, cujos
nomes eram uma mensagem de juízo à nação: Jezreel, Desfavorecida e Não-meu-
povo. Os dois últimos filhos eram frutos da infidelidade de Gômer, que se transformou
mais tarde numa prostituta cultual, ou seja, entregou seu corpo para a prostituição em
rituais pagãos. Gômer abandonou seu marido e foi explorada como um objeto sexual
sem qualquer valor. Quando já estava completamente acabada, foi colocada no
mercado para ser vendida como escrava. Oséias, o marido traído, entra no mercado,
dá o maior lance e compra sua própria mulher. Compra-a, não para humilhá-la, mas
para amá-la e restaurá-la.

O problema que enfrentamos é distância de Deus. O que fazer quando nos


sentimos longes da presença de Deus? Quando parece que as nossas orações não
sobem além do teto? Qual o problema? Como podemos voltar? Este é o problema
que o livro de Oséias procura solucionar.
Creio que o problema de distância de Deus tem sua raiz no nosso conceito de
Deus. Muitas vezes essa distância manifesta-se na culpa que sentimos perante Deus-
-culpa falsa, e também culpa verdadeira--que criam uma distância imaginada ou às
vezes real entre nós e Deus. Olhamos para as nossas vidas, e vemos os pecados, e
sentimos sujos. Sabemos dos nossos hábitos, pensamentos, desonestidade,
relacionamentos quebrados, e pecados no passado. Como que o amor-fiel de Deus
nos afeta nesses casos?

Precisamos ouvir uma palavra de graça, uma lembrança da aceitação, do


amor-fiel de Deus, mesmo sendo pecadores tão ruins. Precisamos entender o quanto
Ele nos ama, o quanto Ele nos busca, o quanto Ele nos purifica na Pessoa de
Jesus. Assim, o remédio para quem se sente distante de Deus é voltar para Seu
amor-fiel: constante, incessante, perseverante e paciente.

UM CASAMENTO DESFEITO E RESTAURADO


É a história de um voto quebrado e de um lar desfeito, de um coração partido, de uma
vida destruída. Mas em outros aspectos a história é tão absolutamente única que está
na linha de uma das mais admiráveis de toda a literatura. Deus escolheu a história
triste e sórdida deste profeta de coração partido, a fim de revelar o Seu coração e
manifestar o Seu amor.

Crabtree tem razão quando escreve: “A tragédia doméstica de Oseias o preparou para
entender e interpretar o amor imutável do Senhor”." Aquilo que as visões de chamado
fizeram para Isaías (Is 6.1-8), Jeremias (Jr 1.1-5) e Ezequiel (Ez 1.1-3), o casamento
fez para Oseias.

DECEPCIONADO NO AMOR
A história de Oséias aconteceu na cidade de Samaria. Oséias encontrou, amou e mais
tarde se casou com uma jovem mulher chamada Gômer. Gômer deve ter sido
arrebatada por este homem de coração heroico, apaixonado como um poeta e zeloso
como um santo. Ainda que Deus conhecesse bem o desenrolar desse relacionamento,
deu sua permissão para que Oséias cassasse com Gômer. "...Disse, pois, o
SENHOR a Oséias: Vai, toma uma mulher de prostituições e filhos de
prostituição; porque a terra certamente se prostitui, desviando-se do SENHOR".
(Oséias 1:2)

A vida de qualquer homem é abençoada ou amaldiçoada conforme a mulher com


quem se casa. Logo que Oséias encontrou Gômer, deve ter pensado que ela era tão
pura como o lírio do vale do seu poema favorito - Cântico dos Cânticos de Salomão.
Ele deve ter esperado que o seu futuro fosse repleto de bênçãos e alegria.

Mas à medida que se passavam os dias e ele ia conhecendo-a melhor, começou


a ficar decepcionado. Será que as pétalas de sua pureza já não haviam sido
arrancadas e pisoteadas pelas paixões de homens vis e impuros antes do casamento?
Será que Oséias estava ocupado demais para dar à sua jovem esposa a atenção de
que ela necessitava? Talvez jamais venhamos a sabê-lo. Sabemos apenas que o
coração de Gômer se afastou do marido e que ela foi em busca do afeto de outros
amantes.

Oséias deve ter notado e sofrido com esse esfriamento da afeição da esposa. E não
foi esse o único fardo colocado sobre o seu coração. Ele também via sua nação, a
nação de Israel, afastando-se de Deus. Tinha havido uma série de vitórias militares
sob o rei Joás, cujo filho Jeroboão II continuou o seu sucesso militar e prosperidade,
ganhando para si um reinado de quarenta e um anos. Contudo o Rei Jeroboão afastou
de Deus o coração do seu povo. "E fez o que era mau aos olhos do SENHOR; nunca
se apartou de nenhum dos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, com que fez pecar
Israel" (2 Reis 14:24).

Oséias pôde observar que sua nação, embora próspera, eventualmente iria cair vítima
da máquina bélica da Assíria, a não ser que se arrependesse do seu pecado. Dia após
dia, Oséias regressava ao lar com o fardo de uma nação decadente pesando em seu
coração. Noite após noite, ele ficava acordado, a ponto de prejudicar-se, aguardando o
regresso da esposa ao lar.

Certamente ele deve ter orado e visto como era um homem piedoso, levou o seu fardo
ao Senhor.

FILHOS DO ADULTÉRIO
Foi então que Gômer deu à luz um bebê. Para Oséias isso seria uma renovação de
esperança. Talvez quando ele segurou aquele menino nos braços, deve ter
raciocinado: "Foi Deus quem o fez. Pois este garotinho tomará uma mão gorducha e a
colocará ao redor do meu peito e com a outra enlaçará o coração de Gômer e manterá
nossas vidas unidas".

"E disse-lhe o SENHOR: Põe-lhe o nome de Jizreel; porque daqui a pouco


visitarei o sangue de Jizreel sobre a casa de Jeú, e farei cessar o reino da casa
de Israel" (Oséias 1:4).

Na língua hebraica "Jizreel" significa "se livrar de alguma coisa", deixar algo de
lado. Era também o nome de uma cidade que havia desempenhado um papel trágico
na história de Israel. A terrível apostasia sob o Rei Acabe e a Rainha Jezabel havia
chegado a um desfecho ameaçador, quando a rainha foi atirada de uma janela do seu
palácio e o seu corpo foi devorado por cães, nas ruas de Jizreel.
Então quando Deus disse a Oséias que chamasse o seu filho de Jizreel, ele
estava tornando o garoto e sua família, uma lição ilustrativa da relação de Deus
com o seu povo. É como se hoje um pai judeu chamasse o filho de Dachau, ou
Bergen-Belsen, nomes dos campos de horror de Hitler, onde milhões de judeus foram
massacrados durante a II Guerra Mundial. Esses nomes, soando aos ouvidos de um
judeu hoje em dia, iriam arrancar do cemitério das memórias, fantasmas dos dias
passados.

Desse modo, Jizreel era um lembrete a Israel do relacionamento de Deus com o


seu povo. Cada vez que Oséias chamasse o seu filho para brincar, cada vez que o
chamasse no mercado, esse nome iria soar aos ouvidos de um judeu piedoso como
uma nefasta lembrança de que no passado Deus havia sido fiel para lidar com o
pecado da nação.

Contudo, apesar do filho pequeno, Gômer não mudou. "E tornou ela a conceber, e deu
à luz uma filha. E Deus disse: Põe-lhe o nome de Lo-Ruama; porque eu não
tornarei mais a compadecer-me da casa de Israel, mas tudo lhe tirarei" (Oséias
1:6). Este nome significa "desgraça" ou "sem misericórdia".

Depois que Lo-Ruama foi desmamada, Gômer gerou uma terceira criança - o segundo
filho. Por ordem de Deus este foi chamado Lo-Ami.

Esses três nomes dos filhos de Oséias significam duas coisas. Primeiro, eles nos dão
um esboço do que iria acontecer à nação de Israel. Segundo, eles nos dão um relance
quanto ao que iria acontecer com a família do profeta. Pois este terceiro nome Lo-Ami,
significa não meu povo. Mostram que em sua amargura e sofrimento de coração,
Oséias foi dominado por uma suspeita que se tornou uma certeza condenatória de que
essas crianças geradas em seu lar não eram de modo algum seus filhos!

INDO ATRÁS DE UMA ESPOSA INFIEL


Muito embora Gômer vivesse em adultério, Oséias não quis divorciar-se dela. O que
aconteceu depois pode ser avaliado, conforme a mensagem de Deus dada por Oséias
ao seu povo no Capítulo 2. Parece que Gômer o abandonou. Quem sabe ela deixou
um bilhete pregado na porta, dizendo-lhe que estaria indo embora para viver sua
própria vida, deixando as crianças com Oséias, e que este não deveria ir atrás dela.

Então podemos visualizar o profeta, à noite, colocando na cama, seus filhos para
dormir. Ele tem de ser pai e mãe ao mesmo tempo. Ele lhes dá o jantar frugal e escuta
suas orações e depois fica velando até que adormeçam. Mas Oséias continua insone.
Muito embora Gômer tenha abandonado o lar, não abandonou o seu coração.

Provavelmente, quando Gômer abandonou Oséias, pensou que iria melhorar de


vida. "Porque sua mãe se prostituiu; aquela que os concebeu houve-se
torpemente, porque diz: Irei atrás de meus amantes, que me dão meu pão e a
minha água, a minha lã e o meu linho, o meu óleo e as minhas bebidas" (Oséias
2:5). Talvez ela tivesse sido iludida por promessas de alimentos exóticos e roupas
excitantes. Mas, como sempre acontece com as pessoas que trilham esse desastroso
caminho, que a princípio parece conduzir às alturas, de repente muda e cai até às
profundezas.

Todo esse tempo Oséias ficou observando a trilha degradante seguida pela esposa.
Eventualmente parece que Gômer caiu nas mãos de um homem incapaz de prover
suas necessidades básicas da vida. Mesmo sem o amor da esposa, Oséias deve ter
decidido prover suas necessidades. Podemos imaginá-lo indo à casa do amante dela,
apresentando-se e dizendo: "O senhor é o homem que está vivendo com Gômer, filha
de Diblaim? O homem responde: "Bem, e se eu for?" Oséias diz: "Sou o marido dela".
O homem fecha o punho e se prepara para a luta. Oséias diz: "Não, o senhor não
entende. Veja, eu amo minha esposa. Amo-a profundamente e gostaria de saber se o
senhor receberia um pouco do meu ouro e da minha prata para comprar as coisas de
que ela precisa".

O homem olha espantado o profeta. Contudo, ao ver a prata na palma de sua mão, ele
pensa: "não existe um tolo maior do que um velho tolo", e concorda com a proposta do
profeta.

Vocês me diriam: "Não é lógico um homem pagar em prata e ouro pela manutenção
de uma mulher que foi falsa com ele". E concordo plenamente. Mas o caso é que,
conforme se vê, Oséias não está agindo pela lógica. Está agindo por amor! "O coração
tem razões que a própria razão desconhece" (Blaise Pascal). Pois o amor é de Deus e
é infinito. "Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer
que ama é nascido de Deus e conhece a Deus" (1 João 4:7). Oséias está
desempenhando com Gômer o papel que Deus tem desempenhado com você e
comigo, durante toda a nossa vida.

Vejamos então este libidinoso crápula, voltando para casa. Seus braços estão cheios
de coisas compradas com o dinheiro de Oséias. Gômer sai da cabana, vê o amante
com os braços cheios de provisões e se atira sobre ele enlaçando-o e agradecendo
pelo que ele fez.

Em algum lugar por trás das sombras, vemos Oséias. Ele tem uma rápida visão de
Gômer e esta lhe enche o coração. Ele vê quando Gômer extravasa o seu afeto pelo
sensual amante, agradecendo as coisas que o amor do marido lhe proveu. Em
lágrimas Oséias diz: "Ela, pois, não reconhece que eu lhe dei o grão, e o mosto, e
o azeite, e que lhe multipliquei a prata e o ouro, que eles usaram para Baal"
(Oséias 2:8).

Antes de se zangar com uma mulher como Gômer, gostaria de lembrar-lhe que
você e eu temos feito exatamente isso com Deus. É de Sua mão que recebemos o
dom da vida. Dele temos recebido o alimento para nossas mesas e as vestes para
nossos corpos. Contudo, quão depressa agradecemos a todos e a tudo, exceto a
Deus, que no-los deu. Agradecemos aos amigos, ao governo, agradecemos o nosso
vigor físico, a tudo e a todos, exceto a Deus, de quem provêm as bênçãos.

REDIMINDO A REBELDE
Em Oséias 2:9-23, Deus anuncia o seu plano de dupla face, no sentido de ganhar de
volta o seu povo. Primeiro ele diz que lhe trará dureza, privando-o de todos as boas
coisas da vida: "Portanto tornarei a tirar o meu grão a seu tempo e o meu mosto
no seu tempo determinado; e arrebatarei a minha lã e o meu linho, com que
cobriam a sua nudez" (Oséias 2:9).

Em seguida, quando o seu povo cair na maior miséria, Deus começará a "cortejá-lo"
novamente, procurando ganhar-lhe de volta os corações. "Portanto, eis que eu a
atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração" (Oséias 2:14). Tanto a
justiça como o amor de Deus, fazem parte do seu plano. Nem a Sua justiça nem o Seu
amor permitir-lhe-ão abandonar o seu povo.
Será que Deus nos ama desse modo? Podemos ver isso em sua palavra, está a
verdade de que Deus nos ama exatamente assim.

Deus dá ao homem o metal da mina. Deus dá ao homem as árvores da floresta. Deus


dá ao homem a destreza manual. O homem com a sua destreza derruba a árvore. O
homem com a sua destreza extrai o metal da mina. Depois do metal extraído e da
árvore cortada, o homem com a sua destreza pega essa árvore e faz dela uma cruz.
Com sua destreza toma o metal e o transforma em pregos.

Em seguida, Deus vem na Pessoa de Jesus Cristo e permite que os homens, com
violência cruel, fixem os pregos em suas mãos. Então Ele morre naquela cruz por
amor de cada homem que ali o colocou, pelas multidões que zombam ao pé da cruz,
pelos soldados que cravaram os pregos em suas mãos. Ele morre ali por eles e por
nós, por você e eu, para que tenhamos os nossos pecados perdoados, a fim de
obtermos vida eterna e possamos ir morar no céu, para todo o sempre.

No Capítulo 3 descobrimos o último ato deste admirável drama da redenção. Não


apenas Gômer caiu nas mãos de um homem incapaz de prover suas necessidades.
Ela agora caiu nas mãos de um homem que não queria provê-las. Evidentemente,
esse homem decide vendê-la como escrava.

Nos dias em que esta história aconteceu, a escravidão era institucionalizada. Alguns
historiadores contam que quando uma mulher era oferecida num leilão de escravos,
ela era despida de suas vestes e forçada a permanecer de pé diante da multidão
curiosa. Foi evidentemente para esse lugar que Gômer fora levada e para lá Oséias
fora chamado.

Vocês podem imaginar o cochicho da multidão e o comentário que ia de boca em


boca, quando esta viu Oséias. As pessoas diziam: "Ele veio para observar o que ela
merecia. Ele veio para observar o seu castigo".

Então começa o pregão. Alguém oferece dez peças de prata, outro oferece doze. E
Oséias diz: "dou quinze peças de prata". Alguém mais diz: "dou quinze peças de prata
e um feixe de cevada". Oséias diz: "dou quinze peças de prata e um feixe e meio de
cevada". Soa o martelo e Oséias se apressa em redimir a esposa. "E comprei-a para
mim por quinze peças de prata, e um ômer, e meio ômer de cevada" (Oséias 3:2).

Enquanto a conduz para longe da multidão, o povo deve ter dito: "é um preço alto
pago pela vingança. Por que não apenas deixou que ela fosse vendida como escrava?
Por que pagar tanta prata por uma mulher que usou de falsidade?"

Mas Oséias não comprou sua esposa a fim de puni-la, mas para redimi-la. "E ele lhe
disse: Tu ficarás comigo muitos dias; não te prostituirás, nem serás de outro
homem; assim também eu esperarei por ti" (Oséias 3:3). O que Oséias está
sugerindo é : "o que você não faria de sua livre vontade, peço-lhe para fazer agora
como uma possessão adquirida".

Isso é o que depreendemos através de toda a Bíblia. Deus diz que nos ama e porque
Ele nos redimiu, pede que O sirvamos. O apóstolo Pedro disse aos que estavam sob
os seus cuidados: "Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou
ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição
recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo" (1 Pedro
1:18,19-a).
O apóstolo Paulo escrevendo aos Coríntios, membros de uma igreja culpada de
perversão sexual, disse-lhes: "Porque fostes comprados por bom preço; glorificai,
pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus" (1
Coríntios 6:20).

Lições de Oséias
A primeira lição de Oséias é esta: se você fosse servir a Deus, de hoje até o dia de
sua morte, ele não o amaria mais do que o ama agora. Porque Deus não o ama por
causa do que você faz. Deus o ama apesar do que você faz.

Somos supremamente amados e porque temos sido tão amados, retribuímos com
adoração, serviço, amor e louvor.

A segunda lição talvez seja para homens e mulheres que absolutamente não
conhecem a Deus e jamais colocaram sua confiança em Cristo. É uma lição para
pessoas de corações partidos e lares desfeitos, com sonhos desfeitos e vidas
destruídas. É uma lição para aqueles que das profundezas de suas almas clamam na
escuridão da noite: "onde está Deus? Onde está Ele para que eu possa encontrá-Lo?"

A resposta do livro de Oséias é: "Deus não está perdido, você é quem está".

Este é o Deus que foi à cruz do Calvário, e em busca dos homens, através do túnel de
um túmulo vazio. Sempre e sempre Ele os procura para trazê-los de volta até Ele.

Quando os homens gritam: "onde está Deus?" A resposta é sempre a mesma.

Deus está aqui mesmo. Ele está esperando por você. Ele pede que você venha
até Ele. Ele o espera para enlaçá-lo com o Seu amor. Ele o apressa a vir pela fé, a
fim de conhecê-Lo e conhecer a significação do amor na verdadeira
profundidade do seu coração.

Você também pode gostar