Você está na página 1de 3

Tribunal de Comarca de Faro

Juízo de Família e Menores de Faro – Juiz 2


Processo nº

Meritíssima Senhora Dra. Juiz de Direito

mmm, solteiro, maior, portador do CC n. 000 9zy0, válido até


01.06.2019 e do NIF 0000, residente na …., com o telemóvel nº …

Representada por …, advogada, CP …, com domicílio profissional na


Rua …. (cfr. Procuração já junta nos autos principais)

vem ao abrigo do disposto no art. 1º, 2º e 3º nº1 da Lei nº 75/98, de


19 de novembro, e 3º e 4º do Dec. Lei nº 164/99, de 13 de maio,
requerer a fixação da prestação a cargo do Fundo de Garantia de
Alimentos Devidos a Menores, com os seguintes fundamentos:

1.
Conforme decorre dos autos de regulação do exercício das
responsabilidades parentais, à margem identificados, a mãe da menor
ficou obrigado a pagar a quantia mensal de € 100,00 (ponto 13.doc. 1)
a título de pensão de alimentos.
2.
Mais ficou determinado que esse pagamento seria efetuado por
transferência bancária para a conta do progenitor mensalmente.
3.
Sucede que, embora tenham sido efetuadas diversas diligencias por este
tribunal no âmbito do apenso -A, não foi apurado que a mãe da menor
auferisse rendimentos do tipo dos enunciados no art. 48º do RGPTC.
4.
A progenitora apenas efetuou o referido pagamento de pensão de
alimentos no mês de outubro de 2018, mês em que fora celebrado o
acordo sendo o progenitor a suportar na integra as necessidades da
menor.
5.
Assim, a requerida não tem liquidado as prestações de alimentos
devidas desde 1 outubro de 2018, estando em divida €1.000,00;
6.
Não é possível recorrer à medida de desconto do salário da progenitora
visto não ser conhecida qualquer entidade patronal do mesmo, apesar da
diligencias efetuadas nesse sentido.
7.
O progenitor aufere do rendimento de €600,00 (seiscentos euros) (doc.
2 e 3), vivendo com a ajuda de familiares e amigos, em casa emprestada
pelos seus pais;
8.
É o requerente que tem vindo a suportar todas as necessidades da
menor, entre eles €170,68 de creche (doc. 4 e 5);

9.
O requerente suporta a título de despesas mensais com água, luz,
telefone, seguros cerca de €250,00/mês, a que acresce a alimentação de
ambos na ordem dos €300,00/mês e ainda todos os bens inerentes com as
necessidades da menor, como roupa, calçado, etc;
10.
É, pois, com grande dificuldade que o requerente consegue sobreviver,
não fora a ajuda de alguns familiares e amigos.

Nestes termos, requer-se a V. Exa, se


digne a fixar o montante de alimentos que
é devido pela progenitora a cargo do Fundo
de Alimentos Devidos a Menor, no valor
correspondente à prestação fixada, ou
seja, €100,00, notificando-se o Instituto
de Gestão Financeira da Segurança Social,
para que este providencie junto do centro
regional da Segurança Social da sua
residência, com vista a iniciar o
respetivo pagamento.

Para tanto, junto ao processo o presente requerimento, e feitas as


diligencias necessárias e respetivo inquérito, seguindo-se os
ulteriores termos.

Junta: 11 documentos
A Advogada, RL