Você está na página 1de 27

www.ggili.com.

br
Título original: Virkkuri publicado em 2013 por
Kustannusosakeyhtiö Nemo, Helsinque

Fotografias: Saara Salmi


Projeto gráfico: Oona Viskari

Tradução: Ana Luiza Olivete


Preparação de texto: Kelly de Jesus Corrêa Ávila
Revisão de texto: Solange Monaco
Design da capa: Toni Cabré/Editorial Gustavo Gili, SL

Qualquer forma de reprodução, distribuição,


comunicação pública ou transformação desta obra só
pode ser realizada com a autorização expressa de
seus titulares, salvo exceção prevista pela lei. Caso
seja necessário reproduzir algum trecho desta obra,
seja por meio de fotocópia, digitalização ou
transcrição, entrar em contato com a Editora.

A Editora não se pronuncia, expressa ou


implicitamente, a respeito da acuidade das
informações contidas neste livro e não assume
qualquer responsabilidade legal em caso de erros
ou omissões.

© Kustannusosakeyhtiö Nemo e Molla Mills, 2013


© da tradução: Ana Luiza Olivete Dados Internacionais de Catalogação
na Publicação (CIP)
para a edição em português:
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
© Editorial Gustavo Gili, SL, Barcelona, 2017
Mills, Molla
www.ggili.com.br

Crochê moderno : acessórios de crochê e


Impresso na China projetos para sua casa / Molla Mills ; [tradução
ISBN: 978-85-8452-088-6 Ana Luiza .Olivete]. -- São Paulo : Gustavo Gili, 2017.

Título original: Virkkuri


Editorial Gustavo Gili, SL ISBN 978-85-8452-088-6
Via Laietana 47, 2º, 08003 Barcelona, Espanha.
1. Crochê 2. Trabalhos manuais I. Olivete,
Tel. (+34) 93 3228161 Ana Luiza II. Título.

Editora G. Gili, Ltda 17-01249 CDD-746.434


Av. José Maria de Faria, 470, Sala 103, Lapa de Baixo
CEP: 05038-190, São Paulo-SP, Brasil. Índices para catálogo sistemático:
Tel. (+55) (11) 3611 2443 1. Crochê : Trabalhos manuais : Artes 746.434
Molla Mills

CROCHÊ
MODERNO
Acessórios de crochê e projetos para sua casa
www.ggili.com.br

GG GG GG
8
6
12

GG
7

GG
4,5 GG
10
PREFÁCIO

EU ESTOU VICIADA!
Meu amor pelo trabalho e pelo crochê herdei de minha mãe, que por sua
vez herdou da sua. Minhas primeiras incursões no mundo da costura
nasceram quando eu estava na escola primária. Naquela época eu ainda
não podia segurar uma agulha de crochê e minhas primeiras experiên-
cias com artesanato eram projetos de costura feitos com diversos mate-
riais reciclados. No colégio, as minhas capacidades ampliaram para o tri-
cô e o trabalho em couro, e passei os meus três anos de estudo em
costura tingindo tecidos e fazendo quadrados de crochê para minha avó.
Minha formação em costura me levou à escola de design de produto, e
de lá para um breve período em design de moda. Por fim, estudei marke-
ting visual e, em 2008 comecei um negócio de produção de acessórios
em pequena escala. Meu produto mais popular era uma boina de crochê
do tamanho de um pegador de panela.
Minha paixão por crochê começou quando eu fazia o meu mestrado.
As aulas eram tão chatas que, para evitar pegar no sono, eu crochetei (e
vendi) centenas de cestas feitas de fios grossos de tecido, confecciona-
das com um bom número de quilos de cordão. Um dos meus projetos,
um conjunto de vasos e tapetes de cordão, viajou para a exposição do
Festival Internacional de Design DMY de Berlim, de lá para a bienal de
moda Cheongju, na Coreia do Sul, e de lá, novamente para Helsinque.
Desde então, meus trabalhos de crochê estão presentes em periódicos e
blogs de lugares tão distantes como a Austrália, e as minhas cestas de
crochê foram destaque em revistas de decoração no meu país de origem
várias vezes.
Além da alegria que vem do sucesso, a melhor coisa sobre trabalhos
manuais são seus desafios. Meu maior desafio até agora tem sido a rea-
lização de oficinas de crochê em Leipzig, Alemanha; eu sei um total de
apenas três palavras em alemão, entretanto, a falta de linguagem em
comum não impediu a concretização dos trabalhos manuais com os
www.ggili.com.br

alunos. Sentamos lado a lado e crochetamos, laçada a laçada. Em meus


workshops conheci pessoas de todo o mundo. E os trabalhos manuais
são uma atividade mais social do que eu pensava. As oficinas também
me ensinaram muito e me deram a inspiração para a criação deste livro
e tem me permitido descobrir truques fundamentais para explicar as
instruções e as técnicas de crochê de uma maneira fácil e compreensível.

4
Molla Mills nasceu em Ostrobótnia
do Sul (Finlândia) em 1979.
É licenciada em Design e Artes
Aplicadas e crocheteira profissional.
www.ggili.com.br

5
CONTEÚDO
PREFÁCIO: EU ESTOU VICIADA! . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
INTRODUÇÃO: MÃOS À OBRA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11

1 INSTRUÇÕES BÁSICAS
FERRAMENTAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
SELEÇÃO DOS FIOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16
TÉCNICAS DE CROCHÊ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
Posição das mãos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
O primeiro ponto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
Ponto corrente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23
Ponto baixo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24
Ponto baixo trabalhado em espiral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26
Casa para botões e alças . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28
Ponto alto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30
Mudando de cor no meio de uma fileira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32
Mudar de fio de forma invisível . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Mudar de fio com nó . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
Ponto baixíssimo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Arremate dos fios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38
Zíperes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40
Duas técnicas de costura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40

ABREVIATURAS E NÍVEIS DE DIFICULDADE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42

2 PROJETOS PARA A SUA CASA


CESTAS E VASOS
Cesta de fio de tecido (P) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
Cesta de fio de tecido (M) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54
Cesta de fio de tecido (G) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58
Cesta de fio de tecido (GG) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
www.ggili.com.br

Vaso de fio de tecido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62


Cesta de listras diagonais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 68
Cesta com desenhos triangulares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 75

ALMOFADAS
Almofadas pastilha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 79
Três almofadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84
Almofada com desenhos triangulares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 90
Almofada de listras diagonais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94
Almofada zigue-zague . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 98
TAPETES
Tapete de crochê (P) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 102
Tapete de crochê (M) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 108
Tapete hexagonal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 110

INTERIORES
Abajur . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 120
Capa para cabo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 131
Instalações elétricas e cabos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 136
Corrente de crochê . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 141

3 ACESSÓRIOS DE CROCHÊ
CAPAS E BOLSAS
Capa para tablet . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 152
Capa para celular . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 159
Bolsa favorita . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 160
Bolsa com listras diagonais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 166
Bolsa de noite com desenhos triangulares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172
Bolsa cilíndrica em zigue-zague . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 180
Estojo cilíndrico em zigue-zague . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 188

BIJUTERIAS
Correntes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 196
Colar de argola . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 202
Brincos de argolas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 208
Bijuterias de laços . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 212

4 CROCHÊ DE PIXELS
INSTRUÇÕES BÁSICAS
Desenhar um padrão de pixel . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 222
Crochetar um padrão de pixel . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 226

BOLSAS DE PIXELS
Bolsa de bolinhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 232
www.ggili.com.br

Bolsa de rede (P) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 240


Bolsa de rede (M) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 247

5 TOQUES FINAIS
ETIQUETAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 250
BEM-ESTAR DO CROCHETEIRO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 259
AGRADECIMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 260
MATERIAIS USADOS NESTE LIVRO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 261
INFORMAÇÕES SOBRE FIOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 262
Corrente de crochê, 141

Capa para cabo, 131

Três almofadas, 84
Almofadas pastilha, 79

Cesta de fio de tecido


(GG), 61

Bolsa favorita, 160


www.ggili.com.br

Bolsa
8
com listras diagonais, 166 Tapete hexagonal, 110
Abajur, 120

Bolsa cilíndrica em zigue-zague, 180

Correntes, 196
Almofada com desenhos
triangulares, 90

Cesta de fio de
tecido (P), 48

Cesta com desenhos


triangulares, 75
www.ggili.com.br

Tapete de crochê
(M), 108

9
Capa para tablet, 152
Bolsa de noite com
desenhos triangulares, 172
www.ggili.com.br

10
INTRODUÇÃO

MÃOS À OBRA

O vício pelo crochê começa quase que impercepti- manuais no espírito “Yarn Bomb”, com decorações
velmente. Você encontra-se a entrar em lojas de no concreto cinza, árvores nos parques envolvidas
fios repetidamente, enchendo a sua cestinha com em vestes coloridas, grades das pontes envolvidas
novelos de fios macios e talvez pegando um par de em listrados, tubos de malha. Essas obras estão
agulhas de crochê. Você percebe que está carregan- longe de ser vandalismo. Seus pontos são para
do uma bola de fios em sua bolsa e secretamente trazer colorido às ruas da cidade. Grafites feitos
faz crochê sempre que tem chance. Seus dedos com fios são um exemplo maravilhoso de como
estão cheios de calos, o seu nariz coça por causa da atualizar as técnicas de trabalhos manuais antigos
poeira do fio, e os músculos de seus ombros para atender às nossas necessidades atuais. Avós,
começam a curvar-se para a frente. Mas o crochê é, assim como pessoas jovens, participam do ato,
entretanto, bom para você. É uma pausa no meio de crochetando e tricotando projetos em grupo. No
um dia de rotina, com as mãos no trabalho último verão, eu e meus alunos do workshop
enquanto a mente viaja e o cérebro recarrega. crochetamos dezenas de correntes de crochê com
Crochetar pode ser realmente contagioso – você 130 metros, com as instruções da página 141, para
pode até transmitir a dependência aos seus amigos. pendurar nas árvores em um parque no centro de
Há anos eu estava trabalhando na loja, Helsinque, como parte de um evento de grafite de
crochetando cestas de fio de tecidos volumosos, fios. Peças incomuns viram notícia, numa janela de
quando um casal japonês veio e ficou olhando pelo uma popular loja de artesanato e, eventualmente,
vidro da janela. Eles foram para o lado de dentro da na New York Fashion Week.
loja para acariciar as cestas e admirar o meu Como o grafite de fios, o crochê moderno
trabalho. Em breve eu estava enviando uma grande introduz novidades nas velhas técnicas. O livro usa
caixa de cestas de crochê para serem vendidas num instruções ilustradas, no formato passo a passo, e
mercado de design em Nagano. Essa não foi a linguagem acessível para mostrar todas as coisas
primeira vez que eu chamei atenção de alguém por que você pode criar com o crochê. Não é preciso ser
fazer crochê em lugares públicos – no ônibus, na um profissional para fazer esses projetos – com a
www.ggili.com.br

sala de espera, no parque ou em uma palestra. Fazer ajuda das ilustrações você certamente obterá
trabalhos manuais em público abre muitos canais sucesso mesmo com os padrões mais desafiadores.
sociais e a possibilidade de conhecer muitas Experimente os padrões, teste-os e adapte-os ao
pessoas novas, não só para comercializar o seu seu estilo pessoal para fazer objetos úteis para você.
trabalho, mas para formar novas comunidades. Lembre-se, não há regras rigorosas quando se trata
Grafites feitos com fios de tecido em peças de trabalhos manuais. Esses padrões são apenas um
públicas de artesanato e espaços públicos estão guia para ajudá-lo a aprender algo novo. Estou aqui
começando a serem vistos com mais frequência na para desejar muitas alegrias em seu trabalho!
Finlândia. As ruas são enfeitadas com trabalhos

11
www.ggili.com.br

12
1
INSTRUÇÕES
BÁSICAS
www.ggili.com.br

13
FE R R A M E N TA S

Use agulhas grossas de plástico ou


metal para trabalhar com tapetes
de fios de tecido

Agulhas menores são boas para Use alfinetes de bambu


crochê de bijuterias e padrão de para marcar as fileiras
pixel
www.ggili.com.br

Faça o acabamento e costure seu trabalho com


uma agulha de tapeçaria – ela não vai romper as
fibras dos fios
Carregue um caderninho com você para
lembrar das ideias que tiver pelo caminho

Tesoura afiada evita


colapsos nervosos
www.ggili.com.br

Colchetes de pressão são


uma alternativa menos
visível aos botões
Fita crepe pode servir como
curativo para os ferimentos
causados pelo crochê
S EL E Ç Ã O
DO S F I OS

Barbante grosso Paula

Cordão para tapete Barbante grosso Paula


www.ggili.com.br

Fio para
bijuteria Petra

Fio de tecido Pareo


Quando fabrica algo com suas próprias mãos, pode mais frouxo, sua agulha de crochê pode facilmente
adaptá-lo a suas necessidades e, também, evita ter deslizar entre os cabos e provocar a formação de
que comprá-lo. As coisas feitas à mão, geralmente, pequenos nós no seu trabalho.
têm uma vida útil mais longa do que a das que Para os projetos que propomos neste livro são
compramos prontas, sempre e quando, evidente- usados tanto fios de algodão e fibras artificiais
mente, investimos em materiais de qualidade. como mesclas de poliéster e algodão, que fortale-
Eu apoio os produtos locais e ecológicos, por- cem a fibra e dão flexibilidade ao fio. O projeto de
que em artesanato isso é tudo. Escolha sempre um tapete hexagonal da página 110, por exemplo, re-
fio adequado para o projeto que você tem em men- quer um barbante misto de algodão e poliéster.
te. Para uma peça que vai entrar em contato com a Para alguns projetos, utiliza-se fios para rede de
pele é bom usar fibras naturais. Estas incluem algo- pesca tradicionais, para outros, o fio de algodão
dão, lã, seda, bambu, linho e cânhamo. Para a con- mercerizado, e as cestas grandes de fio de tecido
fecção de objetos para decoração da casa, é reco- são confeccionadas com lãs de tricô recicladas.
mendável usar tecidos mais resistentes e fios de Se você tem tempo e paciência, faça uma pe-
maior peso, como barbante ou fio de tecido para quena amostra de prova com o fio que escolheu e
tapete. Os fios de peso médio funcionam bem para compare seu tamanho com o tamanho indicado no
bolsas e travesseiros. Você também pode usar fios projeto. Isso lhe dará uma ideia do tamanho final
duplos para obter resultados mais duradouros. do trabalho e se sua maneira de trabalhar se adéqua
O número de cabos de um fio é um fator impor- ao tamanho da agulha sugerida no projeto. Para
tante que deve-se levar em conta. Para peças que cada projeto se recomenda um tipo de fio, porém,
sofrerão um forte desgaste, escolha um fio firme- pode ser substituído por outro que lhe agrade mais
mente retorcido, que não se deteriorará com o uso (é possível consultar a sugestão de substituição de
e que permite a você obter fileiras de pontos lim- fios na página 262).
pas e bem diferenciadas. Se quiser uma peça mais É possível crochetar com praticamente qual-
suave, escolha um fio de cabos mais soltos, mas te- quer material, desde que seja suficientemente fle-
nha muito cuidado ao usá-lo, porque, com um fio xível.

Cordão fino para tapete

Fio de algodão Cordão para


mercerizado rede Liina
Eco Baby
www.ggili.com.br

Fio de algodão
Esito

Fio de algodão Big


Cotton
Fio para bordado Fio de tecido
torcido Estrella
Barbante grosso Paula

Barbante fino Paula

Fio de algodão mercerizado


Eco Baby
www.ggili.com.br

Fio de algodão Big


Cotton
Fio de tecido
torcido Estrella

18
Cordão para tapete Cordão para tapete

Cordão para
rede Liina Fio de algodão
torcido 18 cabos Esito
Fio para bijuteria
Petra
www.ggili.com.br

Cordão para rede


Liina torcido
12 cabos AMOSTRAS
As amostras são 10 pontos por 10 fileiras. Como você pode ver, fios
diferentes produzem tamanhos e texturas muito diferentes. Todas
estas amostras foram feitas em crochê ida e volta.

19
T É C N I CA S DE
C RO CH Ê
www.ggili.com.br

20
www.ggili.com.br

21
POSIÇÃO DAS MÃOS

1 2

1 Posição de lápis, para crochetar fios finos. 2 Posição de faca, para fios de tecido e outros
Esta posição é utilizada para conseguir um fios pesados. Esta posição é utilizada quando
toque suave. precisa imprimir mais força.

O PRIMEIRO PONTO

1 2
www.ggili.com.br

1 O primeiro ponto é um nó corrediço que 2 Já temos o primeiro ponto na agulha.


pode ser feito de diferentes maneiras. Estamos prontos para trabalhar!
Uma delas é a que mostramos aqui.

22
3 3 Cada um tem sua própria maneira de apoiar
o fio e trabalhar os pontos. Esta sugestão
com três dedos é fácil e mantém o fio em
uma tensão constante.

PONTO CORRENTE

1 2

3 1 Coloque o primeiro ponto na agulha.


Os dedos indicador e polegar de sua mão
livre apoiam o trabalho e os outros três
guiam o fio. Pegue o fio uma vez na agulha.
www.ggili.com.br

2 Passe o fio através da laçada com a agulha.

3 Continue fazendo a correntinha até obter


o número de pontos pedido no projeto,
mantenha sempre 1 ponto na agulha.

23
PONTO BAIXO

1 2

3 4

5 6
www.ggili.com.br

24
7

1 Comece com uma base de pontos corrente. 4 Continue fazendo 1 ponto baixo em cada ponto
Insira a agulha através da segunda fileira a corrente da base.
partir da agulha. Recolha o fio com a agulha.
5 Para virar o trabalho, faça 1 ponto corrente
2 Puxe o fio através do ponto e pegue o fio na extra.
agulha novamente. Agora você tem duas
laçadas na agulha. 6 Continue trabalhando com 1 ponto baixo
a cada ponto da fileira anterior.
3 Puxe o fio através de ambas as laçadas.
www.ggili.com.br

Este é o seu primeiro ponto baixo. 7 Faça o número de fileiras pedido no trabalho.

25
PONTO BAIXO TRABALHADO
EM ESPIRAL

1 2

1 Faça uma correntinha com o número de


pontos pedidos. Para formar um anel
circular, una o primeiro ponto ao ponto
extremo da correntinha com 1 ponto baixo.

2 Faça 1 ponto baixo a cada um dos pontos da


correntinha.
www.ggili.com.br

3 Continue trabalhando o ponto baixo em


espiral. A mudança de fileira será invisível.

26
A peça de cima está trabalhada em ida
e volta, a de baixo, em espiral. Há uma
diferença notável na textura.
www.ggili.com.br

27