Você está na página 1de 21

Nota Técnica n° 0069/2018-SRD/ANEEL

Em 15 de junho de 2018.

Processo n°: 48500.005911/2016-94.

Assunto: Revisão da regulamentação de


continuidade do fornecimento de energia
elétrica.

I. DO OBJETIVO

1. Apresentar o Relatório de Avaliação de Impacto Regulatório sobre proposta de revisão da


regulamentação da continuidade do fornecimento de energia elétrica com vistas à instauração de Audiência
Pública para receber subsídios dos agentes interessados e da sociedade. Trata-se da atividade nº 54 da
Agenda Regulatória da ANEEL para o biênio 2018-2019.

II. DOS FATOS

2. Em 17 de abril de 1978, o DNAEE emitiu a Portaria nº 46, que estabeleceu as disposições


relativas à continuidade do serviço a serem observadas pelos concessionários de serviço público no
fornecimento de energia elétrica a seus consumidores.

3. Em 28 de janeiro de 2000, a ANEEL emitiu a Resolução nº 24, que revogou a Portaria


DNAEE nº 46/1978 e incorporou as atualizações necessárias e as disposições constantes dos Contratos de
Concessão de Distribuição de Energia Elétrica.

4. Em 31 de dezembro de 2008, foi publicada a primeira versão do Módulo 8 do PRODIST, a


qual incorporou as disposições trazidas pela Resolução ANEEL nº 24/2000, tendo esta última sido
posteriormente revogada.

5. Em 8 de novembro de 2011, foi publicada a primeira versão do Submódulo 2.5 do PRORET,


que incluiu o componente Q no Fator X com vistas a incentivar a melhoria contínua dos indicadores de
qualidade, entre os quais se incluem os indicadores de continuidade do fornecimento.

6. Em 2016, a ANEEL realizou a Consulta Pública nº 15, cujo objetivo foi debater itens da
regulamentação da continuidade do fornecimento de energia elétrica, em especial os custos relacionados à
confiabilidade do serviço de distribuição.

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
48554.001111/2018-00
Fl.2 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

7. Em 5 de setembro de 2017, por meio do Ofício Circular nº 20/2017-SRD/ANEEL, foram


solicitados às distribuidoras os dados das apurações dos indicadores individuais de continuidade e das
compensações pela transgressão dos limites desses indicadores.

8. A Atividade nº 54 da Agenda Regulatória da ANEEL para o biênio 2018-2019, aprovada pela


Portaria nº 4.821/2017, prevê para o primeiro semestre de 2018 a abertura de Audiência Pública para discutir
com a sociedade proposta de aprimoramentos na regulamentação de continuidade do fornecimento de
energia elétrica.

III. DA ANÁLISE

9. Esta Nota Técnica tem como objetivo apresentar proposta de revisão da regulamentação
acerca da continuidade do fornecimento de energia elétrica. Para tanto, apresenta-se em anexo a Análise
de Impacto Regulatório – AIR, documento no qual são discutidos os problemas identificados bem como
apresentadas as alternativas para aprimoramento da regulação. De forma complementar, esta Nota Técnica
trata de alguns aspectos sobre os quais a AIR não se aprofunda, mas que representam o alicerce sobre o
qual as propostas de aprimoramento foram estruturadas.

10. De forma geral, quatro são os aspectos abordados na proposta de revisão da


regulamentação apresentada na AIR, quais sejam: 1) foco da compensação por violação dos indicadores
de continuidade individuais; 2) formulação da compensação com vistas à sua simplificação e previsibilidade;
3) aprimoramento do mecanismo de incentivo relativo ao componente Q do Fator X; e 4) consideração de
interrupções no suprimento para definição dos limites e avaliação do desempenho das distribuidoras.

11. Tanto o levantamento do diagnóstico atual quanto a elaboração das alternativas para
aprimoramentos são atividades que demandam uso intensivo de dados. Assim, além dos dados disponíveis
na ANEEL, provenientes dos processos tarifários e do Sistema de Indicadores de Qualidade – Indqual, foram
também solicitados das empresas os limites e compensações realizadas, bem como os valores de DIC, FIC,
DMIC, DICRI, EUSD e EUSD Fio B1 apurados de cada unidade consumidora, com periodicidade mensal
para o ano de 2016. Adicionalmente, de forma a permitir avaliar o impacto da origem dos eventos de
interrupção, solicitou-se que os valores apurados dos indicadores individuais fossem fornecidos de forma
segregada de acordo com o tipo de evento, interno ou externo ao sistema de distribuição. Tais informações
foram solicitadas por meio do Ofício Circular nº 20/2017-SRD/ANEEL, de 5 de setembro de 2017, o qual
também forneceu orientações sobre a padronização dos dados, a forma de encaminhamento e o prazo de
resposta (aproximadamente 55 dias).

III.1. Da Análise e Validação dos Dados Requeridos no Ofício Circular nº 20/2017

12. No Ofício Circular nº 20/2017-SRD/ANEEL, foi definida a data de 1º/11/2017 como limite
para o envio dos dados à ANEEL. No entanto, algumas empresas tiveram dificuldade em atender o prazo e
encaminharam as informações somente no final de janeiro de 2018, o que impactou sobremaneira o
cronograma de desenvolvimento de análises e estudos inicialmente previstos. Ainda, das 100 distribuidoras
que deveriam ter encaminhado os dados relativos ao ano de 2016, 4 não os enviaram: Ceral, Cocel,
Eletrobrás Amazonas e Eletrobrás Roraima.

1 Montante do EUSD relativo à Parcela B, obtido pela multiplicação da TUSD Fio B pelos montantes de energia e demanda
faturados.
* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.3 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

13. Após recebimento das informações, procedeu-se o seu carregamento em um banco de


dados de forma a possibilitar a análise de consistência dos dados fornecidos. Não foi possível carregar os
dados de 9 empresas que encaminharam as informações fora do padrão definido no Ofício Circular nº
20/2017. Na Tabela 1 estão listadas as distribuidoras que não tiveram os dados carregados no banco dados
devido a problemas de padronização.

Tabela 1 - Distribuidora que não tiveram os dados carregados devido a problemas no padrão.
Código Distribuidora Tipo
5367 Ceprag Permissionária
6898 Cerbranorte Permissionária
6610 Cermc Permissionária
2381 Cermissões Permissionária
5368 Cersul Permissionária
5369 Certrel Permissionária
26 Eletrobrás Distribuição Acre Concessionária
31 CEA Concessionária
38 Eletrobras Distribuição Piauí Concessionáira

14. Após o carregamento das informações no banco de dados, passou-se então à etapa de
avaliação de consistência, que foi dividida em duas fases. Na primeira fase, buscou-se confrontar os valores
apurados dos indicadores de continuidade com aqueles constantes do sistema Indqual. Assim, a partir dos
valores dos indicadores individuais de continuidade foram calculados os indicadores coletivos, cujos
resultados foram comparados com os valores consolidados no Indqual. Conforme a Tabela 2, após a
execução do procedimento acima mencionado, não foi possível obter resultados consistentes para 19
distribuidoras. Ressalta-se que as empresas reprovadas nessa fase foram aquelas cujas diferenças em
relação ao Indqual são bastante relevantes, ou seja, foram toleradas divergências consideradas pouco
significativas. Na comparação realizada, foram avaliadas as diferenças percentuais e absolutas do número
de consumidores, e dos indicadores coletivos DEC e FEC.

Tabela 2 – Distribuidoras cujos dados estão inconsistentes com as informações do Indqual.


Código Distribuidora Tipo
5707 CEEE-D Concessionária
5697 Celesc-dis Concessionária
37 Cemar Concessionária
5377 Cercos Permissionária
5353 Cergal Permissionária
5364 Cermoful Permissionária
5365 Cerpalo Permissionária
3223 Certaja Permissionária
7371 Certel Permissionária
5371 Coopercocal Permissionária
5373 Coopermila Permissionária
2866 Copel-Dis Concessionária
2351 Coprel Permissionária
51 Dmed Concessionária
380 EDP ES Concessionária

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.4 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

Código Distribuidora Tipo


385 Elektro Concessionária
44 Eletrobras Distribuição Alagoas Concessionária
405 EMT Concessionária
382 Light Concessionária

15. A segunda fase do processo de validação consistiu em calcular as compensações por


violações de transgressão dos limites individuais de continuidade a partir dos dados encaminhados em
reposta ao Ofício Circular nº 20/2017-SRD/ANEEL. Nessa fase, considerou-se como satisfatório os
resultados nos quais a diferença entre o valor de compensações calculado e aquele constante do Indqual
ficou inferior a 10%. Conforme pode ser visto na Tabela 3, nesse passo, a divergência ficou acima da
tolerância definida para 22 empresas.

Tabela 3 - Distribuidoras cujos valores de compensações estão divergentes em relação ao Indqual.


Código Distribuidora Tipo
6896 Cejama Permissionária
6897 Ceraçá Permissionária
4248 Ceral Dis Permissionária
5352 Cerej Permissionária
5355 Cergapa Permissionária
5382 Ceris Permissionária
5385 Cerrp Permissionária
5379 Cetril Permissionária
103 Chesp Concessionária
5370 Coopera Permissionária
2904 Cooperaliança Concessionária
7016 Coorsel Permissionária
71 CPFL Leste Paulista Concessionária
2783 Creral Permissionária
386 EEB Concessionária
86 Eflul Concessionária
381 ELFSM Concessionária
6072 Enel GO Concessionária
6612 Enf Concessionária
399 Hidropan Concessionária
87 Ienergia Concessionária
46 Sulgipe Concessionária

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.5 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

16. Após a realização das etapas de análise de consistência acima descritas, 46 distribuidoras
tiveram seus dados aprovados em todas as etapas, sendo 11 permissionárias e 35 concessionárias,
conforme Tabela 4. Ressalta-se que, das 35 concessionárias, duas (CEB DIS e Forcel) encaminharam
valores incorretos de EUSD Fio B, os quais foram corrigidos pela SRD com vistas ao aproveitamento das
informações fornecidas. Por sua vez, das 11 permissionárias, apenas 3 haviam passado por revisão tarifária
até 2016 e possuíam valor de TUSD Fio B, de forma que puderam informar o valor de EUSD Fio B. As 11
permissionárias foram orientadas a preencherem o correspondente campo com valor nulo (“0”). Para
algumas análises e estudos apresentados na AIR foram consideradas somente 38 distribuidoras (35
concessionárias e 3 permissionárias) que possuem TUSD Fio B.

Tabela 4 – Distribuidoras que tiveram seus dados validados após a realização da análise de
consistência.
Código Distribuidora Tipo
5216 Caiuá-D Concessionária
5160 Ceb-Dis Concessionária
5381 Cedrap Permissionária
5366 Cedri Permissionária
371 Celpa Concessionária
43 Celpe Concessionária
4950 Cemig-d Concessionária
5274 Ceres Permissionária
5363 Cergral Permissionária
2763 Ceriluz Permissionária
5386 Cerim Permissionária
5378 Ceripa Permissionária
6609 Cernhe Permissionária
5384 Cerpro Permissionária
84 CFLO Concessionária
75 CNEE Concessionária
47 Coelba Concessionária
3627 Cooperluz Permissionária
40 Cosern Concessionária
69 CPFL Jaguari Concessionária
70 CPFL Mococa Concessionária
63 CPFL Paulista Concessionária
2937 CPFL Piratininga Concessionária
72 CPFL Santa Cruz Concessionária
73 CPFL Sul Paulista Concessionária
598 Creluz-D Permissionária
95 Demei Concessionária
6611 EBO Concessionária
5217 EDEVP Concessionária
391 EDP SP Concessionária
88 EFLJC Concessionária
369 Eletrobras Distribuição Rondônia Concessionária
398 Eletrocar Concessionária
* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.6 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

Código Distribuidora Tipo


390 Eletropaulo Concessionária
6585 EMG Concessionária
404 EMS Concessionária
39 Enel CE Concessionária
383 Enel RJ Concessionária
6600 EPB Concessionária
6587 ESE Concessionária
32 ETO Concessionária
83 Forcel Concessionária
401 Muxenergia Concessionária
397 RGE Concessionária
396 RGE-Sul Concessionária
400 Uhenpal Concessionária

17. Na Tabela 5 é apresentado um resumo dos processos de recebimento, carregamento e


validação dos dados. Com vistas a considerar o maior número de distribuidoras possível nos estudos
realizados para a formulação das alternativas para aprimoramento da regulamentação, espera-se que as
distribuidoras que ainda não encaminharam os dados, bem como aquelas listadas nas Tabelas 1, 2 e 3,
encaminhem ou reencaminhem os dados corrigidos ao longo do processo da Audiência Pública.

Tabela 5 – Resumo dos processos de recebimento, carregamento e validação dos dados.


Total de Distribuidoras 100
Distribuidoras que não enviaram os dados 4
Distribuidoras que enviaram os dados fora do padrão 9
Distribuidoras reprovadas na 1ª fase da análise de consistência 19
Distribuidoras reprovadas na 2ª fase da análise de consistência 22
Distribuidoras aprovadas em todas as etapas 46

III.2. Da Proposta dos Novos Limites dos Indicadores de Continuidade Individuais

18. Conforme já mencionado acima e discutido em maiores detalhes na AIR anexa, um dos
aprimoramentos pretendidos com a presente proposta de revisão da regulamentação diz respeito ao foco
das compensações por transgressões dos limites dos indicadores individuais de continuidade DIC, FIC e
DMIC2. Atualmente mais de 10% das unidades consumidoras no Brasil recebem esse tipo de compensação.
Em linha com os aspectos conceituais associados a esse instrumento regulatório, a proposta apresentada
na AIR visa redirecionar o foco das compensações para os consumidores com piores níveis de serviço.
Como resultado, um menor número de consumidores seria compensado por um valor monetário médio mais
elevado, sendo este último efeito também desejado. O alcance desses objetivos passa necessariamente
pela redefinição dos limites constantes das cinco tabelas do Anexo I, da Seção 8.2, do Módulo 8 do
PRODIST.

2 Deseja-se avaliaraprimoramentos também no indicador DICRI. Entretanto, nessa primeira etapa da Audiência Pública, em razão
dos problemas verificados e do atraso na entrega dos dados encaminhados em resposta ao Ofício Circular nº 20/2017, não foi
possível apresentar uma proposta. Assim, a nova proposta para o indicador DICRI será levada à segunda etapa da Audiência.
* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.7 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

19. Nesse contexto, o primeiro ponto de discussão se refere à quantidade de unidades


consumidoras que se almeja compensar. Conforme pode-se consultar na AIR anexa, as alternativas
avaliadas variaram entre compensar de 1% a 2,5% dos consumidores. Para a definição dos novos limites
que atingissem esses níveis de consumidores compensados foram utilizados os dados apurados dos
indicadores individuais fornecidos pelas distribuidoras em resposta ao Ofício Circular nº 20/2017-
SRD/ANEEL. Foram considerados os dados de todas as distribuidoras aprovadas na primeira fase da
análise de consistência descrita na Subseção anterior, ou seja, as 68 empresas listadas nas Tabelas 3 e 4
desta Nota Técnica.

20. Um outro objetivo da revisão da regulamentação é a simplificação das regras associadas às


compensações. Nesse sentido, conforme pode ser verificado na AIR, propõe-se que não mais se definam
limites anuais e trimestrais para os indicadores individuais, mas somente limites mensais. Além do ganho
com a simplificação, percebeu-se que o modelo atual não representa adequadamente a sazonalidade das
diferentes regiões do país, indicando que os limites trimestrais e anuais podem não significar um ganho na
consideração da realidade de algumas distribuidoras.

21. Ainda, outro argumento em favor da proposta é a própria disponibilidade de dados mensais
dos indicadores de continuidade, conforme descrito na seção anterior, que já carregam o efeito da
sazonalidade da área de atuação das empresas. Assim, propõe-se que as compensações sejam pagas
apenas pela violação dos limites mensais sem a necessidade de realização de complicados ajustes e
abatimentos entre os valores compensados no mês, no trimestre e no ano.

22. A seguir são descritos os passos utilizados para a definição dos novos limites mensais
propostos para os indicadores individuais de continuidade DIC, FIC e DMIC:

 Passo 1: Para cada distribuidora, por limite do indicador de continuidade coletivo (DEC
ou FEC), pela tensão de atendimento (AT, MT ou BT) e localização (urbana ou não urbana)
da unidade consumidora ou central geradora, determina-se o valor apurado do
correspondente indicador individual mensal (DIC, FIC ou DMIC) correspondente a
determinado percentil. Por meio do valor apurado que representa um percentil pode-se ajustar
o limite individual do indicador de acordo com um objetivo definido como, por exemplo, definir o
percentual pretendido de compensações de um conjunto. Observe-se que o valor de DIC
encontrado para o percentil 99 dos conjuntos com determinado limite anual de DEC de uma
distribuidora indica o valor para o qual 99% das apurações desses conjuntos estão abaixo. Por
exemplo, se 4 horas é o DIC do percentil 99 referente aos conjuntos com limite de 10 horas para
o DEC, 99% das apurações mensais de DIC são inferiores a 4 horas. Nessa análise, foram
somente consideradas apurações mensais, todas possuindo o mesmo peso para a definição do
valor do percentil.

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.8 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

Na Figura 1 é apresentado o resultado da dispersão das apurações mensais de DIC após a


realização do passo 1 para todas as 68 distribuidoras, considerando-se o percentil 98 dos
consumidores de baixa tensão, situados em área urbana, com o limite de DEC dos conjuntos
variando de 3 a 20 horas. O número de pontos associado a cada limite de DEC corresponde ao
número de distribuidoras que possuem conjuntos com esse limite. Assim, do exemplo abaixo,
nota-se que existem 3 distribuidoras que possuem conjuntos com o limite de 3 horas para o
DEC, para conjuntos urbanos que atendem consumidores de baixa tensão. Pode-se observar
que, para uma dessas distribuidoras, o valor de DIC, correspondente ao percentil 98, é 2,92
horas, ou seja, 98% das apurações de DIC mensal dessa empresa são inferiores a esse valor.
Assim, hipoteticamente, se o limite de DIC mensal fosse de 2,92 horas para os consumidores
de conjuntos com esse limite de DEC, apenas 2% das apurações teriam violado o limite
estabelecido.

25

20
DIC Mensal [h]

15

10

5 3,92
2,92

0
2 4 6 8 10 12 14 16 18 20
Limite de DEC [h]
Figura 1 – Dispersão do percentil 98 das apurações mensais de DIC dos consumidores de baixa
tensão localizados em área urbana.
 Passo 2: Calcula-se um único indicador individual, associado a cada limite do indicador
coletivo correspondente, com base na média ponderada pelo número de apurações de
cada distribuidora. Na Figura 2 é mostrado o resultado da aplicação desse passo sobre os
dados utilizados no exemplo da Figura 1. Observe-se agora que para cada limite de DEC, temos
um único valor de DIC associado.

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.9 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

25

20

15
DIC Mensal [h]

10

0
0 5 10 15 20

Limite de DEC [h]


Figura 2 - Média ponderada das apurações mensais do indicador DIC dos consumidores de baixa
tensão localizados em área urbana (percentil 98).

 Passo3: Determina-se a linha de tendência e a equação associada que explicam a média


ponderada dos indicadores de continuidade individuais, conforme a Figura 3. As linhas de
tendência de todos os indicadores (DIC, FIC e DMIC), foram obtidas a partir de uma regressão
não linear, não segmentada, modelada por uma função potência na qual o indicador coletivo é
a variável independente (x) e o indicador individual é a variável dependente (y). Portanto, para
cada limite de DEC ou FEC existente, pode-se obter o correspondente valor de DIC, FIC e DMIC
que representam o percentil para o qual as curvas foram estimadas. Optou-se pela função de
potência porque ela apresentou a melhor representação da dispersão dos percentis dos dados.

25

20

15
DIC Mensal [h]

y = 3,1533x0,3796

10

0
0 5 10 15 20

Limite de DEC [h]


Figura 3 - Linha de tendência e equação associada obtidas para a média ponderada das apurações
mensais do indicador DIC dos consumidores de baixa tensão localizados em área urbana.

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.10 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

23. Utilizando-se os três passos acima descritos, foram obtidas equações a partir das quais
foram estimados novos limites mensais para os indicadores DIC, FIC e DMIC. A segregação dos
consumidores quanto ao nível de tensão e à localização seguiu exatamente a mesma estrutura atualmente
existente no Anexo I, da Seção 8.2, do Módulo 8 do PRODIST. Dessa forma, foram definidos limites para
indicadores de continuidade individuas considerando-se a seguinte segregação: 1) consumidores/geradores
atendidos em tensão maior ou igual a 69 kV; 2) consumidores/geradores situados em área urbana atendidos
em tensão maior que 1 kV e menor que 69 kV; 3) consumidores/geradores atendidos por sistema isolado
ou situados em área não urbana e tensão contratada maior que 1 kV e menor que 69 kV; 4)
consumidores/geradores situados em área urbana e atendidos em tensão menor ou igual a 1 kV; e 5)
consumidores/geradores situados em área não urbana e atendidos em tensão menor ou igual a 1 kV.

24. Ainda quanto à segregação, propõe-se que os limites individuais dos


consumidores/geradores atendidos em tensão maior ou igual a 69 kV sejam definidos com base na
classificação Urbano/Não Urbano em detrimento da classificação atual Interligado/Isolado. O mesmo deve
ser estendido a todos os consumidores, independentemente do seu nível de tensão. Essa alteração se
fundamenta no fato de que a interligação de novas regiões do país avançou significativamente desde o
momento em que os limites atuais foram definidos, com a conexão de Acre, Amapá, Amazonas e Rondônia
ao Sistema Interligado Nacional e continua avançando, com a expectativa de que o estado de Roraima seja
interligado nos próximos anos. Assim, o universo de consumidores conectados em sistemas isolados será
menor, apontando para necessidade de se definir uma classificação mais representativa do universo de
consumidores. Destaca-se que os dados recebidos das distribuidoras já estão segregados com base na
classificação ora proposta.

25. No tocante à simplificação, além da eliminação dos limites trimestrais e anuais, buscou-se
definir limites para os indicadores individuais que abranjam maiores faixas de variação de limites do DEC
e/ou FEC, ou seja, buscou-se realizar uma maior agregação das faixas de variação dos limites dos
indicadores coletivos. Como exemplo, pode-se citar a Tabela 2 do Anexo I, da Seção 8.2, do Módulo 8 do
PRODIST, onde estão definidos os limites de DIC, FIC e DMIC para as unidades consumidoras situadas em
áreas urbanas e atendidas em média tensão. Na Tabela atual existem limites individuais para 42 faixas de
limites de DEC e/ou FEC. Na revisão ora em discussão, está sendo proposta a redução do número de faixas
dos limites dessa Tabela para apenas 6 ou 7, dependendo do percentil considerado e do nível de agregação
adotado.

26. Um dos critérios utilizados na proposta foi de que a diferença entre duas faixas de variação
do limite do indicador coletivo não poderia ser inferior a 5 horas/interrupções. Assim, o valor proposto para
o limite do indicador individual abrange consumidores situados em conjuntos cujos limites estão contidos
em uma faixa de variação de pelo menos 5 horas/interrupções.

27. Além de simplificar as tabelas, a agregação (ou redução do número de faixas) atende outro
objetivo da revisão da regulamentação, qual seja o de direcionar as compensações para os consumidores
com piores níveis de serviço. Para entender esse efeito, considere a Tabela 6 que mostra um estrato dos
limites de DIC vigentes3, os valores de DIC obtidos da equação e os limites de DIC propostos. A equação
utilizada, 𝑦 = 1,0284. 𝑥 0,4732, foi obtida do percentil 98 dos valores apurados de DIC relativos aos
consumidores situados em áreas urbanas e atendidos em média tensão.

3 Tabela 2, Anexo 1, Seção 8.2 do Módulo 8 do PRODIST.


* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.11 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

Tabela 6 - Exemplificação do processo de definição dos limites individuais e o efeito da agregação


das faixas de limite de DEC
DIC Limite DIC obtido DIC Limite
DEC Limite
Vigente da equação Proposto
(horas)
(horas) (horas) (horas)
1 2,81 3,16 7,00
2 2,92 3,87 7,00
3 3,03 4,35 7,00
4 3,13 4,73 7,00
5 3,24 5,05 7,00
6 3,35 5,33 7,00
7 3,46 5,57 7,00
8 3,57 5,80 7,00
9 3,68 6,00 7,00
10 3,79 6,19 7,00

28. Conforme pode ser visto, atualmente adota-se uma faixa de variação horária de limite de
DEC para a definição do correspondente limite de DIC. Com a agregação proposta, todos os conjuntos com
limites de DEC iguais ou inferiores a dez horas passariam a possuir o mesmo limite de DIC, obtido a partir
dos valores apurados de DIC dos consumidores atendidos por conjuntos cujo limite de DEC é de 10 horas
(último limite de DEC da faixa que se deseja agregar). Com efeito, espera-se que com a proposta ora em
discussão os consumidores atendidos por conjuntos com limites de DEC inferiores, nos quais o DIC apurado
é mais baixo, sejam menos compensados, e as compensações sejam direcionadas para os consumidores
com indicadores mais elevados (piores indicadores).

29. No Anexo I desta Nota Técnica são apresentados três conjuntos de limites para os
indicadores de continuidade individuais elaborados para serem avaliados na revisão da regulamentação. O
primeiro conjunto de limites foi obtido a partir do percentil 98. Os dois restantes foram obtidos do percentil
99, considerando-se dois níveis distintos de agregação das faixas de variação de limites de DEC e/ou FEC.

30. Ressalta-se que os limites apresentados no Anexo I foram obtidos da aplicação direta dos
procedimentos descritos nesta Seção. Assim, não foram realizados ajustes adicionais para contemplar um
ou outro aspecto que mereça consideração. Apenas como exemplo, considere as Tabelas 2 e 4 obtidas a
partir das apurações referentes ao percentil 98. Da Tabela 2 tem-se que o limite de DIC, de conjuntos com
limites de DEC menores ou iguais a 10 horas, é de 7 horas. Por sua vez, da Tabela 4 tem-se que o limite de
DIC, de conjuntos com limites de DEC menores ou iguais a 5 horas, é de 6 horas. Ou seja, para conjuntos
com limites de DEC de uma a cinco horas, os limites de DIC dos consumidores de baixa tensão seriam
inferiores aos dos consumidores de média tensão.

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.12 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

31. Por fim, destaca-se a relevância dos dados fornecidos pelas empresas na definição dos
novos limites, visto que os novos valores propostos são decorrentes dos valores apurados. Assim, para
contemplar de forma mais ampla as especificidades das concessões de distribuição e propor limites mais
aderentes à realidade brasileira, é de fundamental importância que o maior número de distribuidoras forneça
dados consistentes para a elaboração da proposta final.

III.3. Da Proposta de Aprimoramentos na Regulamentação Acerca da Continuidade do Fornecimento

32. Estão sendo apresentadas propostas de endereçamento para cada um dos quatro
problemas identificados na regulamentação da continuidade. Para cada problema foram avaliadas mais de
uma alternativa, ponderadas as vantagens e desvantagens, e optando-se pela alternativa considerada mais
vantajosa. Todas as discussões sobre os problemas, as propostas de aprimoramentos e as justificativas
para a escolha das alternativas são apresentadas na AIR anexa. Aqui será descrita de forma bastante
resumida a proposta consolidada de revisão da regulamentação.

33. Com relação ao foco das compensações, o objetivo é redirecionar o pagamento de


compensações para os consumidores com piores níveis de serviço, ou seja, aqueles que percebem uma
pior qualidade sob o aspecto da continuidade. Subsidiariamente busca-se também aumentar o valor médio
das compensações recebidas pelos consumidores.

34. Para o alcance desses objetivos estão sendo propostos novos limites dos indicadores
individuais de continuidade definidos com base no percentil 98 das dispersões das apurações das
distribuidoras, conforme abordado na Seção anterior, os quais são apresentados no Anexo I desta Nota
Técnica. Os limites foram definidos agregando-se faixas de variação de DEC e FEC. Para cada faixa de
variação dos indicadores coletivos, o limite foi definido com base no valor do indicador individual
correspondente ao maior valor de DEC e FEC abrangido pela faixa em consideração.

35. No que diz respeito à formulação das compensações, as alterações propostas visam conferir
maior estabilidade e aderência entre o desempenho da distribuidora, o impacto financeiro das
compensações, e a receita gerenciável pelas distribuidoras. Assim, propõe-se que em substituição à TUSD,
a TUSD Fio B passe a ser utilizada como base para o cálculo das compensações. Adicionalmente, com
base nos argumentos apresentados anteriormente, propõe-se que deixe de existir pagamento de
compensações por violação de limites trimestrais e anuais.

36. Importante notar que a formulação proposta para o cálculo das compensações também
implica pagamento de maiores compensações para os consumidores com pior qualidade do serviço, uma
vez que o valor a ser compensado passa a ser proporcional ao tempo total da interrupção, e não mais ao
tempo em que o limite definido foi excedido.

37. Salienta-se que uma parte do estudo previsto nessa atividade qual seja, a avaliação da
implantação da regulação de Interrupção em Situação de Emergência – ISE, será conduzido na segunda
fase deste estudo.

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.13 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

38. No tocante à componente Q do Fator X, as alterações propostas visam simplificar e conferir


maior previsibilidade ao mecanismo de forma que ele passe a orientar de maneira mais determinante o
comportamento das distribuidoras no que diz respeito à continuidade do fornecimento. Visto que as
compensações estão sendo reorientadas para os consumidores com pior qualidade do serviço, o correto
ajuste da componente Q do Fator X representa um ponto crucial para o incentivo à melhoria dos indicadores
coletivos DEC e FEC.

39. Assim, com relação à componente Q do Fator X, para atingir os objetivos acima
mencionados, propõe-se que não exista mais a comparação entre as empresas para a definição da
intensidade do benefício/penalidade. Com isso, o valor percebido por cada empresa é dependente somente
de seu próprio desempenho, atribuindo maior previsibilidade ao instrumento. Propõe-se também que a
parcela da componente Q relativa à continuidade contemple somente o desempenho relativo ao DEC, visto
ser este o indicador que mais requer ação das distribuidoras sob o ponto de vista da continuidade do
fornecimento.

40. A proposta prevê ainda que a intensidade do sinal seja majorada para as distribuidoras
reincidentes na violação do DEC global. Por fim, além indicador global, é introduzido um incentivo para o
cumprimento dos limites de DEC dos conjuntos com vistas à uniformização da qualidade em toda a
concessão.

41. O último ponto da proposta diz respeito ao tratamento dado às interrupções no suprimento.
Na regulamentação vigente, essas interrupções são consideradas para avaliação do desempenho das
distribuidoras e para o pagamento de compensações aos consumidores. Com vistas a conferir uma
abordagem mais correta do ponto de vista conceitual, mais aderente à prática internacional, e que mitigue
os custos administrativos associados ao regulamento vigente, propõe-se que as distribuidoras passem a ser
responsabilizadas e premiadas/penalizadas somente por eventos de origem interna. Ressalta-se que a
proposta de limites apresentadas no Anexo I já contempla essa proposta, ou seja, os limites foram obtidos
das apurações dos indicadores internos das distribuidoras. Na Tabela 7 estão listadas as principais
alterações propostas na regulamentação vigente.

Tabela 7 -Resumo das alterações propostas na regulamentação de continuidade do fornecimento


Tema Alternativa Alteração Proposta
Escolhida
(AIR)4
 Redirecionamento das compensações para os consumidores
Foco da
Alternativa P98 com piores níveis de continuidade
compensação
 Aumento do valor médio das compensações
 Utilização da TUSD Fio B como base para o cálculo das
Formulação da compensações
Alternativa 2
Compensação  Extinção dos limites trimestrais e anuais
 Compensação proporcional ao tempo total da interrupção
 Mecanismo associado somente à variação do DEC (o FEC não
Componente Q será mais considerado)
Alternativa 3
do Fator X  Benefício/penalidade vinculado somente ao desempenho da
própria distribuidora

4 O detalhamento das Análises encontra-se no Relatório anexo.


* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.14 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

Tema Alternativa Alteração Proposta


Escolhida
(AIR)4
 Intensidade do sinal majorada para distribuidoras reincidentes
na violação do DEC global
 Introduzido sinal que incentiva o cumprimento dos limites dos
conjuntos
 Não consideração de eventos no suprimento para
Estrutura dos premiação/desconto das distribuidoras pelo desempenho
Alternativa 1
Indicadores quanto à qualidade e para pagamento de compensações aos
consumidores

IV. DO FUNDAMENTO LEGAL

42. Os dispositivos legais aplicáveis ao caso são o Art. 6º da Lei nº 8.987/1995, o Art. 2º da Lei
nº 9.427/1996, o Art. 25 da Lei nº 9.074/1995 e Módulo 8 do PRODIST.

V. DA CONCLUSÃO

43. Nesta Nota Técnica e no relatório de Análise de Impacto Regulatório em anexo foram
apresentados o diagnóstico e os quatro aspectos passíveis de aprimoramentos na regulamentação acerca
da continuidade do fornecimento de energia elétrica, quais sejam: 1) foco das compensações; 2) formulação
das compensações; 3) componente Q do Fator X; e 4) estrutura dos indicadores de continuidade.

44. Para cada um desses aspectos foram avaliadas alternativas de endereçamento,


ponderadas vantagens e desvantagens, e selecionada a alternativa que se mostrou mais adequada aos
objetivos almejados.

45. Recomenda-se que a proposta consolidada seja colocada em Audiência Pública para o
colhimento de contribuições dos agentes e da sociedade em geral a respeito dos aprimoramentos a serem
efetuados na regulamentação relativa à continuidade do fornecimento de energia elétrica.

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.15 da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

VI. DA RECOMENDAÇÃO

46. Recomenda-se que seja instaurada a primeira fase da Audiência Pública, com prazo de 60
dias, para o recebimento de contribuições a respeito da AIR anexa e da proposta de aprimoramentos da
regulamentação relativa à continuidade do fornecimento de energia elétrica.

DAVI VIDAL RÔLA ALMEIDA RENATO EDUARDO FARIAS DE SOUSA


Especialista em Regulação Especialista em Regulação

MARCELO SILVA CASTRO MARCOS VENICIUS LEITE VASCONCELOS


Especialista em Regulação Especialista em Regulação

De acordo:

CARLOS ALBERTO CALIXTO MATTAR


Superintendente de Regulação dos Serviços de Distribuição

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
ANEXO I

PROPOSTAS DOS LIMITES DOS INDICADORES DE CONTINUIDADE INDIVIDUAIS

Limites obtidos a partir do percentil 98.

Tabela 1
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou Central Geradora
Sistema Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras com Tensão Contratada ≥ 69 kV
DIC Mensal (horas) FIC Mensal (interrupções) DMIC Mensal (horas)
Urbano 2,00 2,00 1,00
Não Urbano 7,00 4,00 5,00

Tabela 2
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou
Central Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos situadas em áreas urbanas com Tensão Contratada:
(DEC ou FEC) 1kV < Tensão < 69 kV
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤ 10 7,00 4,00 6,00
> 10 e ≤ 20 8,00 5,00 6,00
> 20 e ≤ 30 9,00 6,00 6,00
> 30 e ≤ 40 10,00 6,00 8,00
> 40 e ≤ 80 12,00 9,00 8,00
> 80 13,00 11,00 8,00

Tabela 3
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou
Central Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos situadas em áreas não-urbanas com Tensão
(DEC ou FEC) Contratada: 1kV < Tensão < 69 kV
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤ 10 18,00 6,00 14,00
> 10 e ≤ 30 22,00 8,00 14,00
> 30 e ≤ 60 24,00 9,00 15,00
> 60 e ≤ 90 26,00 10,00 15,00
> 90 28,00 12,00 15,00

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.2 do Anexo I da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

Tabela 4
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou Central
Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de
Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras situadas em
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos
áreas urbanas com Tensão Contratada ≤ 1 kV
(DEC ou FEC)
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤5 6,00 3,00 5,00
> 5 e ≤ 10 8,00 4,00 6,00
> 10 e ≤ 20 10,00 5,00 6,00
> 20 e ≤ 30 12,00 7,00 7,00
> 30 e ≤ 40 13,00 8,00 8,00
> 40 e ≤ 60 15,00 10,00 9,00
> 60 e ≤ 80 17,00 11,00 9,00
> 80 e ≤ 100 19,00 12,00 10,00
> 100 21,00 15,00 11,00

Tabela 5
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou Central
Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de
Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras situadas em
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos
áreas não urbanas com Tensão Contratada ≤ 1 kV
(DEC ou FEC)
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤5 12,00 4,00 11,00
> 5 e ≤ 10 16,00 6,00 12,00
> 10 e ≤ 15 19,00 7,00 13,00
> 15 e ≤ 20 21,00 7,00 14,00
> 20 e ≤ 30 25,00 9,00 16,00
> 30 e ≤ 40 28,00 10,00 16,00
> 40 e ≤ 50 31,00 11,00 17,00
> 50 e ≤ 60 33,00 12,00 18,00
> 60 e ≤ 70 35,00 12,00 18,00
> 70 e ≤ 80 37,00 13,00 19,00
> 80 e ≤ 100 41,00 15,00 20,00
> 100 e ≤ 120 44,00 16,00 21,00
> 120 47,00 17,00 26,00

Limites obtidos a partir do percentil 99 (mais agregado).

Tabela 1
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou Central Geradora
Sistema Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras com Tensão Contratada ≥ 69 kV
DIC Mensal (horas) FIC Mensal (interrupções) DMIC Mensal (horas)
Urbano 2,00 2,00 2,00
Não Urbano 9,00 4,00 6,00
* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.3 do Anexo I da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

Tabela 2
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou
Central Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos situadas em áreas urbanas com Tensão Contratada:
(DEC ou FEC) 1kV < Tensão < 69 kV
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤ 10 9,00 4,00 7,00
> 10 e ≤ 20 10,00 5,00 7,00
> 20 e ≤ 30 11,00 6,00 7,00
> 30 e ≤ 40 12,00 7,00 8,00
> 40 e ≤ 80 13,00 9,00 8,00
> 80 14,00 11,00 8,00

Tabela 3
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou
Central Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos situadas em áreas não-urbanas com Tensão
(DEC ou FEC) Contratada: 1kV < Tensão < 69 kV
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤ 10 24,00 7,00 19,00
> 10 e ≤ 30 27,00 9,00 19,00
> 30 e ≤ 60 28,00 10,00 20,00
> 60 e ≤ 90 29,00 11,00 20,00
> 90 31,00 12,00 20,00

Tabela 4
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou Central
Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de
Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras situadas em
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos
áreas urbanas com Tensão Contratada ≤ 1 kV
(DEC ou FEC)
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤5 9,00 4,00 7,00
> 5 e ≤ 10 11,00 5,00 8,00
> 10 e ≤ 20 14,00 6,00 9,00
> 20 e ≤ 30 15,00 8,00 10,00
> 30 e ≤ 40 17,00 9,00 11,00
> 40 e ≤ 60 19,00 10,00 12,00
> 60 e ≤ 80 21,00 12,00 13,00
> 80 e ≤ 100 23,00 14,00 13,00
> 100 26,00 15,00 14,00

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.4 do Anexo I da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

Tabela 5
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou Central
Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de
Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras situadas em
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos
áreas não urbanas com Tensão Contratada ≤ 1 kV
(DEC ou FEC)
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤5 15,00 5,00 14,00
> 5 e ≤ 10 20,00 6,00 16,00
> 10 e ≤ 15 24,00 7,00 17,00
> 15 e ≤ 20 27,00 8,00 18,00
> 20 e ≤ 30 31,00 10,00 20,00
> 30 e ≤ 40 35,00 11,00 21,00
> 40 e ≤ 50 39,00 12,00 22,00
> 50 e ≤ 60 42,00 13,00 23,00
> 60 e ≤ 70 44,00 14,00 23,00
> 70 e ≤ 80 47,00 15,00 24,00
> 80 e ≤ 100 51,00 16,00 25,00
> 100 e ≤ 120 55,00 17,00 26,00
> 120 59,00 18,00 27,00

Limites obtidos a partir do percentil 99 (menos agregado).

Tabela 1
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou Central Geradora
Sistema Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras com Tensão Contratada ≥ 69 kV
DIC Mensal (horas) FIC Mensal (interrupções) DMIC Mensal (horas)
Urbano 2,00 2,00 2,00
Não Urbano 9,00 4,00 6,00

Tabela 2
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou
Central Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos situadas em áreas urbanas com Tensão Contratada:
(DEC ou FEC) 1kV < Tensão < 69 kV
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤5 8,00 4,00 7,00
> 5 e ≤ 10 9,00 4,00 7,00
> 10 e ≤ 20 10,00 5,00 7,00
> 20 e ≤ 30 11,00 6,00 7,00
> 30 e ≤ 40 12,00 7,00 8,00
> 40 e ≤ 80 13,00 9,00 8,00
> 80 14,00 11,00 8,00

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.5 do Anexo I da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

Tabela 3
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou
Central Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos situadas em áreas não-urbanas com Tensão
(DEC ou FEC) Contratada: 1kV < Tensão < 69 kV
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤5 22,00 6,00 19,00
> 5 e ≤ 10 24,00 7,00 19,00
> 10 e ≤ 15 25,00 8,00 19,00
> 15 e ≤ 20 26,00 8,00 19,00
> 20 e ≤ 30 27,00 8,00 19,00
> 30 e ≤ 60 28,00 9,00 20,00
> 60 e ≤ 90 29,00 11,00 20,00
> 90 31,00 12,00 20,00

Tabela 4
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou Central
Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de
Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras situadas em
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos
áreas urbanas com Tensão Contratada ≤ 1 kV
(DEC ou FEC)
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤5 9,00 4,00 7,00
> 5 e ≤ 10 11,00 5,00 8,00
> 10 e ≤ 15 12,00 5,00 8,00
> 15 e ≤ 20 14,00 6,00 9,00
> 20 e ≤ 25 15,00 7,00 9,00
> 25 e ≤ 30 15,00 8,00 10,00
> 30 e ≤ 40 17,00 9,00 11,00
> 40 e ≤ 60 19,00 10,00 12,00
> 60 e ≤ 80 21,00 12,00 13,00
> 80 e ≤ 100 23,00 14,00 13,00
> 100 26,00 15,00 14,00

Tabela 5
Limite de Continuidade por Unidade Consumidora ou Central
Geradora
Faixa de Variação dos Limites Anuais de
Unidades Consumidoras ou Centrais Geradoras situadas em
Indicadores de Continuidade dos Conjuntos
áreas não urbanas com Tensão Contratada ≤ 1 kV
(DEC ou FEC)
DIC Mensal FIC Mensal DMIC Mensal
(horas) (interrupções) (horas)
≤5 15,00 5,00 14,00
> 5 e ≤ 10 20,00 6,00 16,00
> 10 e ≤ 15 24,00 7,00 17,00
* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.
Fl.6 do Anexo I da Nota Técnica nº 0069/2018-SRD/ANEEL, de 15/06/2018.

> 15 e ≤ 20 27,00 8,00 18,00


> 20 e ≤ 30 31,00 10,00 20,00
> 30 e ≤ 40 35,00 11,00 21,00
> 40 e ≤ 50 39,00 12,00 22,00
> 50 e ≤ 60 42,00 13,00 23,00
> 60 e ≤ 70 44,00 14,00 23,00
> 70 e ≤ 80 47,00 15,00 24,00
> 80 e ≤ 100 51,00 16,00 25,00
> 100 e ≤ 120 55,00 17,00 26,00
> 120 59,00 18,00 27,00

* A Nota Técnica é um documento emitido pelas Unidades Organizacionais e destina-se a subsidiar as decisões da Agência.