Você está na página 1de 62

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA


INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA
DEPARTAMENTO DE ÁREAS ACADÊMICAS

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE


CONCLUSÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM
ENGENHARIA CIVIL

NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE,


COORDENAÇÃO DE CURSO E
COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

APARECIDA DE GOIÂNIA
2018
APRESENTAÇÃO

Apresentamos à comunidade acadêmica o manual de orientação para elaboração do


Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Curso Superior de Bacharelado em Engenharia
Civil do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFG) do Campus Aparecida de
Goiânia.

Esse manual traduz as experiências e esforços para a construção de um trabalho coletivo do


Núcleo Docente Estruturante (NDE), da Coordenação e do Colegiado do Curso de
Engenharia Civil. É importante ressaltar ainda que o referido documento foi aprovado pelo
Colegiado, Conselho Departamental e Conselho de Campus.

As exceções e revisões deverão ser submetidas à apreciação e deliberação do NDE e da


Coordenação de Curso.
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO.............................................................................................. 5
2 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO TCC ............................................. 7
3 PRODUTO DO TCCI – MONOGRAFIA ...................................................... 11
3.1 Estrutura da monografia .................................................................. 11
3.2 Elementos pré-textuais .................................................................... 13
3.2.1 Capa ........................................................................................................... 13
3.2.2 Folha de rosto ............................................................................................. 14
3.2.3 Folha de aprovação .................................................................................... 15
3.2.4 Dedicatória.................................................................................................. 17
3.2.5 Agradecimentos .......................................................................................... 18
3.2.6 Epígrafe ...................................................................................................... 19
3.2.7 Resumo ...................................................................................................... 20
3.2.8 Lista de ilustrações ..................................................................................... 21
3.2.9 Lista de tabelas ........................................................................................... 22
3.2.10 Lista de abreviaturas e siglas ...................................................................... 23
3.2.11 Lista de símbolos ........................................................................................ 23
3.2.12 Sumário ...................................................................................................... 24
3.3 Elementos textuais ........................................................................... 24
3.3.1 Introdução ................................................................................................... 24
3.3.2 Desenvolvimento ........................................................................................ 25
3.3.3 Considerações finais ou conclusão ............................................................. 32
3.4 Elementos pós- textuais .................................................................. 32
3.4.1 Referências................................................................................................. 32
3.4.2 Anexo ......................................................................................................... 33
3.4.3 Apêndice ..................................................................................................... 33
4 PRODUTO DO TCC II – ARTIGO CIENTÍFICO .......................................... 34
4.1 Cabeçalho ......................................................................................... 35
4.2 Título ................................................................................................. 35
4.3 Autor(es) ........................................................................................... 35
4.4 Nota de rodapé ................................................................................. 35
4.5 Resumo ............................................................................................. 36
4.6 Introdução......................................................................................... 36
4.7 Corpo do texto .................................................................................. 37
4.6.1. Seções e títulos .......................................................................................... 37
4.6.2. Tópicos ....................................................................................................... 37
4.6.3. Formatação de equações, tabelas ou ilustrações ....................................... 38
4.6.4. Citações ...................................................................................................... 39
4.8 Conclusões ....................................................................................... 39
4.9 Agradecimentos ............................................................................... 39
4.10 Referências ..................................................................................... 39
REFERÊNCIAS DO MANUAL DO TCC ................................................................... 40
ANEXO A - CARTA DE SOLICITAÇÃO DE ORIENTAÇÃO .................................... 42
ANEXO B - PRÉ-PROJETO DO TCC ...................................................................... 43
ANEXO C - LINHAS DE PESQUISA E TEMÁTICAS PARA TCC ............................ 45
ANEXO D – REQUERIMENTO PARA REALIZAÇÃO DO TCC COM 2 OU 3
INTEGRANTES .......................................................................................... 51
ANEXO E - ATIVIDADE COMPLEMENTAR ............................................................ 52
ANEXO F - ATA DE DEFESA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)
................................................................................................................... 54
ANEXO G - TERMO DE APROVAÇÃO ................................................................... 56
ANEXO H - TERMO DE CIÊNCIA ............................................................................ 57
ANEXO I - TERMO DE AUTORIZAÇÃO PARA PUBLICAÇÃO ELETRÔNICA NA
BIBLIOTECA DIGITAL DO IFG .................................................................. 58
ANEXO J – DOSSIÊ DE ACOMPANHAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO
DE CURSO (TCC) ...................................................................................... 60
1 INTRODUÇÃO

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é componente curricular obrigatório para o Curso


Superior de Bacharelado em Engenharia Civil, conforme Resolução CNE/CES 11 (BRASIL,
2002) e as atividades de pesquisa, construção do texto e apresentação dos resultados serão
desenvolvidas de acordo com regulamentação específica aprovada no Conselho Superior
do IFG.

Segundo a Resolução nº 28 (IFG, 2014), o TCC visa, a partir da ação de integração de


conhecimentos entre as diferentes áreas da Engenharia Civil, promover a capacidade de
escolha da temática, a formulação de problemas, a elaboração de projetos, a identificação
de métodos e técnicas de pesquisa e o controle de planejamento, integrando conhecimentos
que contemplem a formação do estudante e estabeleçam a relação entre teoria e prática.

Além disso, ainda obedece aos seguintes princípios: a investigação como método de
conhecimento e de ensino-aprendizagem; a indissociabilidade do ensino, pesquisa e
extensão na formação acadêmica do educando; a integração entre teoria e prática na
produção de conhecimento e a produção do conhecimento como prática social
historicamente situada (IFG, 2014).

O TCC possui como objetivos (IFG, 2014):

a) Desenvolver a capacidade de aplicação, de forma integrada, dos conhecimentos científicos,


tecnológicos, filosóficos, artísticos e culturais adquiridos durante o curso por meio da execução de
um trabalho final.

b) Desenvolver a capacidade de planejamento de estudos e a disciplina para identificar, analisar


e implementar abordagens e soluções para problemas sociais, naturais e/ou tecnológicos no
âmbito das áreas de formação do curso.

c) Despertar o interesse pela pesquisa em geral e pela pesquisa aplicada e de inovação


tecnológica em particular.

d) Estimular o espírito investigativo admitindo como substrato os referenciais científicos ou de


pesquisas consolidados e o incentivo para a contribuição e estabelecimento de novos referenciais.

e) Produzir conhecimentos, soluções tecnológicas e informações voltadas para o


desenvolvimento dos projetos acadêmicos e da pesquisa na Instituição.

f) Contribuir para a consolidação da Instituição como um centro de produção acadêmica,


científica, tecnológica, filosófica e artística voltado para a democratização do saber e do fazer
integrado em prol da sociedade.

5
g) Promover o desenvolvimento de projetos de extensão junto à sociedade, tendo em vista a
identificação de problemas e a busca de soluções dos mesmos, no âmbito acadêmico teórico-
científico, educacional e tecnológico, para atender as demandas em vigência na sociedade.

h) Subsidiar docentes e discentes no processo do ensino, contribuindo para o desenvolvimento


da análise crítica em relação aos próprios conteúdos programáticos das disciplinas pertinentes ao
currículo do curso.

Segundo o Projeto Pedagógico do Curso (PPC) de Bacharelado em Engenharia Civil do


Campus Aparecida de Goiânia, o TCC será desenvolvido pelos discentes em duas
disciplinas, TCC I e TCC II. Para cada uma dessas disciplinas deverão ser elaborados
produtos que serão avaliados por banca examinadora. No TCC I deverá ser elaborada uma
monografia, já em TCC II elaborado um artigo científico.

Procurando atender aos regulamentos institucionais para o desenvolvimento de pesquisas e


trabalhos acadêmicos, bem como em consonância com as exigências da Associação
Brasileira e Normas Técnicas (ABNT), foi elaborado o presente manual pelo NDE, a
Coordenação e o Colegiado do Curso de Engenharia Civil.

O objetivo do manual é oferecer orientações gerais quanto aos padrões técnicos de


organização e formatação textual para o desenvolvimento e a apresentação de trabalhos
acadêmicos do Curso Superior de Bacharelado em Engenharia Civil. Além disso, o manual
visa estabelecer diretrizes para serem seguidas durante todo processo de desenvolvimento
e finalização do TCC.

Nesse sentido, inicialmente são apresentadas algumas diretrizes essenciais para a


elaboração do TCC e, em seguida, de forma resumida e exemplificada, cada um dos
aspectos que o compõe os documentos a serem avaliados tanto na modalidade monografia,
como de artigo científico.

6
2 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO TCC

No ato da solicitação de matrícula na disciplina TCC I, o estudante regularmente matriculado


deverá ter sido aprovado na disciplina de Metodologia Científica e ter a quantidade de
créditos obrigatórios aprovados no Q-Acadêmico igual ou superior a 60%, em relação ao
total exigido no currículo.

O discente deve protocolar a solicitação de matrícula em TCC I, no período previsto em


calendário acadêmico, a Coordenação do Curso e anexar os seguintes documentos:
histórico escolar disponível no Q-Acadêmico, carta de solicitação de orientação devidamente
assinada (ANEXO A) e pré-projeto do TCC (ANEXO B), de acordo com as linhas e
temáticas de pesquisa do curso (ANEXO C). As linhas de pesquisas e as temáticas para
TCC são definidas e atualizadas pelo NDE, em conjunto com a Coordenação do Curso e o
Colegiado da Engenharia Civil.

O TCC será conduzido individualmente pelo discente, ou podendo chegar até dois ou três
membros, somente quando autorizado pelo NDE. No caso do discente optar por fazer o TCC
em dupla ou trio, deverá anexar um requerimento de autorização para realização do TCC
com dois ou três integrantes ao NDE (ANEXO D), justificando a relevância da temática e a
real necessidade de mais integrantes para o desenvolvimento do TCC. O requerimento será
por discente, portanto, não será permitido protocolar solicitação de TCC por grupo.

Os professores orientadores do TCC devem pertencer ao quadro efetivo de docentes em


exercício no IFG e possuir formação mínima de pós-graduação lato sensu. Cada professor
orientador poderá ter no máximo quatro orientações de trabalho por semestre e deverá
seguir os prazos estabelecidos para o TCC, conforme calendário acadêmico do campus
Aparecida de Goiânia. De acordo com a Resolução no. 28 (2014), o professor orientador
deve atender periodicamente seus alunos orientandos; assegurando atendimento semanal
aos discentes.

Para a aprovação dos pré-projetos de TCC, o NDE observará os seguintes aspectos: a sua
contribuição para a consolidação do perfil profissional do egresso; a interdisciplinaridade na
abordagem dos conteúdos e das áreas de conhecimento; a sua contribuição para o incentivo
e fortalecimento das linhas de pesquisa e extensão da Instituição, do departamento de áreas
acadêmicas e do curso; as diretrizes curriculares nacionais para os cursos de graduação e a
incorporação das temáticas obrigatórias por lei; inovações apresentadas; custos, condições
e materiais disponíveis e a disponibilidade do professor orientador.

7
Somente após a aprovação do pré-projeto e o cumprimento dos pré-requisitos, que o
discente será matriculado na disciplina de TCC I. O pré-requisito para matrícula na disciplina
de TCC II é a aprovação na disciplina TCC I.

O TCC deve ser entregue à banca examinadora com antecedência de no mínimo 15 dias da
data tanto da qualificação (TCC I), quanto da defesa oral (TCC II), conforme solicitado pelos
avaliadores (impresso ou digitalizado).

Para a primeira etapa do TCC, o TCC I, o discente deverá elaborar como texto mínimo da
monografia: a definição do cronograma de trabalho, formulação do problema de pesquisa,
construção das hipóteses, elaboração dos objetivos, justificativa, referencial teórico,
metodologia, resultados esperados e quando houver necessidade, a discussão dos
resultados preliminares. O produto deve ser uma monografia e a qualificação (apresentação
da monografia). A qualificação deve ter quinze minutos de apresentação, seguida de
quarenta e cinco minutos para a arguição da banca examinadora (15 minutos para cada
membro). A banca examinadora deve ser escolhida pelo orientador. A banca deve ser
formada pelo orientador (presidente da banca) mais dois professores internos ao IFG.
Quando o trabalho tiver coorientador, preferencialmente, este será membro interno da banca
examinadora do TCC I.

A segunda etapa do TCC, o TCC II, deverá envolver necessariamente uma pesquisa
empírica e pesquisa bibliográfica. A pesquisa empírica contempla a coleta de dados, que
poderá ser realizada no local de trabalho, estágio, laboratórios, visitas in loco, entrevistas
com profissionais da área e qualquer outra forma pertinente à pesquisa. O produto deve ser
um artigo científico completo com a sua defesa (apresentação oral). A defesa do TCC II
deve ter vinte minutos de apresentação, seguida de cinquenta minutos para arguições da
banca examinadora (20 minutos para cada membro convidado). A banca examinadora deve
ser escolhida pelo orientador. A banca deve ser formada pelo orientador (presidente da
banca) mais um professor interno e um externo ao IFG. O examinador externo poderá ser
um profissional convidado que pertença a área de trabalho ou um docente de outro campus
ou outra instituição superior de ensino. Na avaliação de TCC II o examinador interno não
poderá ser o coorientador.

Na avaliação do TCC serão considerados os seguintes critérios: delimitação adequada do


objeto, relevância do desenvolvimento do objeto, abordagem adequada do problema objeto
da pesquisa, domínio do conteúdo, abordagem teórico-crítica, analítica e propositiva, clareza
e objetividade, coesão e unidade do trabalho, análise interdisciplinar, observância dos
aspectos formais da língua portuguesa e da língua estrangeira (quando for o caso), respeito

8
às diretrizes técnicas e formais definidas pela ABNT. Na avaliação da apresentação e das
respostas às arguições orais serão levados em conta os seguintes critérios: controle e
organização do tempo de apresentação, domínio do conteúdo, clareza, objetividade,
adequação das ideias ao discurso e consistência das respostas aos questionamentos da
banca examinadora.

Identificado e comprovado o plágio de TCC pela banca examinadora ou pela comunidade


acadêmica, será aberto processo acadêmico para a aplicação das penalidades previstas no
regimento do corpo discente da instituição aprovado pelo Conselho Superior.

Às pesquisas de TCC que envolvam experimentação com seres humanos, recomenda-se


que sejam devidamente respaldadas pelo Comitê de Ética em Pesquisa do IFG, conforme
legislação vigente, sendo esta providência de responsabilidade do orientador. De acordo
com a Resolução CNS 466 (BRASIL, 2012), entende-se como pesquisa envolvendo seres
humanos toda pesquisa que, individual ou coletivamente, tenha como participante o ser
humano, em sua totalidade ou partes dele, e o envolva de forma direta ou indireta, incluindo
o manejo de seus dados, informações ou materiais biológicos.

Qualquer membro da comunidade interna ou externa poderá assistir à apresentação oral de


TCC. O discente que assistir a defesa de TCC deverá assinar a lista de presença
(ANEXO E) para que sejam contabilizadas as horas como atividades complementares.

Após a defesa oral do TCC, deverão ser devidamente preenchidos e assinados: a Ata de
Defesa (ANEXO F), o Termo de aprovação (ANEXO G) e o Termo de Ciência sobre o prazo
máximo para protocolar a versão final corrigida do TCC (ANEXO H). Ressalta-se que a
versão digital do Termo de Aprovação assinado somente será disponibilizada pelo
orientador ao discente depois de terem sido realizadas todas as correções propostas e
aceitas pela banca examinadora.

Cabe ao discente protocolar ao Departamento Acadêmico do IFG do campus Aparecida de


Goiânia dentro do prazo previsto em calendário acadêmico a seguinte documentação em
cópia eletrônica (CD): a versão final corrigida do TCC (em PDF), o Termo de Autorização
para publicação eletrônica na biblioteca digital do IFG (ANEXO I, em Word e PDF) e o
Termo de Aprovação com as assinaturas (ANEXO G, em PDF). Cabe ao estudante
concluinte atender à solicitação da Coordenação do Curso, caso houver necessidade de
ajustes no texto do arquivo em PDF que contém a versão final do TCC, bem como nos
demais documentos exigidos.

O professor orientador de TCC II será responsável por encaminhar dentro do prazo

9
estipulado, no Termo de Ciência, para a Coordenação do Curso, que dará os devidos
encaminhamentos necessários, os seguintes documentos originais devidamente
preenchidos e assinados: a Ata de Defesa (ANEXO F), o Termo de Aprovação (ANEXO G) e
o Termo de Ciência (ANEXO H), bem como a lista de presença dos alunos que assistiram a
apresentação oral de defesa do trabalho, ou seja, a folha referente a Atividade
Complementar (ANEXO E). Já o professor orientador de TCC I deve encaminhar apenas a
Ata de Defesa (ANEXO F) e a folha referente a Atividade Complementar (ANEXO E).

O professor orientador, tanto do TCC I quanto do TCC II, também deve informar por e-mail
aos professores responsáveis pelas disciplinas de TCC I e TCC II a média final do trabalho
conferida pelos membros da banca de defesa após avaliação.

É relevante relatar que o professor responsável pela disciplina de TCC I ou TCC II tem as
seguintes atribuições, de acordo com a Resolução noo28 (2014):

a) mediar as relações entre alunos e professores orientadores;

b) programar em conjunto com os professores orientadores as datas de recebimento e avaliação


das atividades do TCC;

c) programar e organizar os ambientes para a realização das sessões de defesa final do TCC e
encaminhar as cópias das atas de defesa, bem como os resultados finais dos TCC’s ao órgão
responsável pelo controle acadêmico (CORAE), para arquivamento na pasta do aluno;

d) registrar no sistema de gestão acadêmica os resultados finais da avaliação do TCC, nos


prazos estabelecidos no Calendário Acadêmico para o lançamento de notas semestrais.

Com base ainda na Resolução noo28 (2014), o professor da disciplina de TCC I ou TCC II
pode solicitar ao orientador relatórios sobre o andamento dos trabalhos, os quais devem
constar uma breve descrição das etapas realizadas, de acordo como o cronograma
proposto, bem como o estágio atual de desenvolvimento e os possíveis ajustes que se
fizerem necessários para sua conclusão. O documento em questão deve ser encaminhado
aos professores que ministram as disciplinas de TCC I e TCC II sempre que for requerido;
sendo esse denominado de Dossiê de Acompanhamento de Trabalho de Conclusão de
Curso (ANEXO J).

Por fim, ressalta-se que ao IFG são reservados os direitos de coautoria dos TCC’s que
resultarem em inovação tecnológica com a solicitação de patente, conforme a legislação em
vigor. Quando o TCC for realizado em parceria com empresas ou outras organizações,
deverá ser formalizado um termo de compromisso próprio, com definição das atribuições,
dos direitos e deveres das partes envolvidas, inclusive a autorização para divulgação do
nome da empresa na publicação do trabalho.

10
3 PRODUTO DO TCCI – MONOGRAFIA

Neste capítulo, inicialmente, são apresentados os aspectos gerais sobre a estrutura e a


formatação da monografia a ser entregue para fins avaliativos da disciplina de TCC I. Em
seguida, é feita a descrição de cada um dos elementos que compõem a estrutura da
monografia.

3.1 Estrutura da monografia

A estrutura do trabalho deve obedecer a NBR 14724 (ABNT, 2011) que trata sobre
apresentação de trabalhos acadêmicos.

Os trabalhos devem ser digitados e impressos em papel branco ou reciclado, A4 (210 mm x


297 mm) em uma só face da folha. As margens devem ser: esquerda e superior de 3 cm e
direita e inferior de 2 cm. A Figura 1 ilustra a disposição das margens nas folhas.

Figura 1 – Padrão de margens para as folhas

Fonte: Japiassú (2017)

11
Em geral, deverá ser usada para redação do texto a fonte Arial, tamanho 11, espaçamento
de 12 pontos antes e depois do parágrafo e entre linhas de 1,5. Para citações de mais de
três linhas, notas de rodapé, alíneas, paginação e legendas deverá ser utilizada fonte Arial,
tamanho 9, espaçamento de 6 pontos antes e depois do parágrafo e espaçamento entre
linhas de 1,5.

A estrutura da monografia é composta por elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais.


No Quadro 1 são listados os elementos que compõem cada uma dessas categorias, bem
como a indicação de quais elementos são obrigatórios e quais são opcionais, no caso de
monografia. Ressalta-se ainda que a ordem dos elementos na elaboração da monografia
deve seguir a mesma apresentada no Quadro 1.

Quadro 1– Elementos textuais

Elementos Obrigatório Opcional

Capa X

Folha de rosto X

Dedicatória X

Agradecimentos X

Epígrafe X

Resumo em língua nacional X


Pré-textuais
Resumo em língua estrangeira X

Lista de ilustrações X

Lista de tabelas X

Lista de abreviaturas e siglas X

Lista de símbolos X

Sumário X

Introdução X

Textuais Desenvolvimento X

Considerações Finais ou Conclusão X

12
Elementos Obrigatório Opcional

Referências X

Glossário X
Pós-textuais
Apêndices X

Anexos X

Fonte: Lagana et al. (2015)

3.2 Elementos pré-textuais

A seguir segue uma breve descrição e apresentação do padrão de formatação dos


elementos pré-textuais da monografia.

3.2.1 Capa

A capa deve apresentar formatação conforme apresentado, a seguir, pela Figura 2 e deve
conter as seguintes informações:

a) nome da instituição;

b) nome do campus;

c) nome do curso;

d) título do trabalho;

e) nome do(s) autor(es);

f) subtítulo quando houver;

g) local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado; e

h) ano de entrega.

13
Figura 2 – Modelo de capa de monografia

MODELO CAPA
✓ Logo IFG, preto e branco,
inserida no cabeçalho (h=4cm)

✓ Fonte Arial, tamanho 11,


maiúsculo e sem negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado

✓ Fonte Arial, tamanho 16,


maiúsculo e com negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado

✓ Fonte Arial, tamanho 14,


maiúsculo e com negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado

✓ Fonte Arial, tamanho 11,


maiúsculo e sem negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado
Fonte: Japiassú (2017)

3.2.2 Folha de rosto

Os elementos que compõem a folha de rosto devem seguir o padrão de formatação


apresentado, a seguir, pela Figura 3. Os elementos devem ser apresentados na seguinte
ordem:

a) nome do(s) autor(es);

b) título;

c) subtítulo (se houver);

d) nota explicativa: relata acerca do caráter acadêmico do documento (trabalho acadêmico,


trabalho de conclusão de curso, monografia, dissertação, etc.), o objetivo, o grau
pretendido, a instituição onde foi apresentado, a disciplina ou área, e o nome do orientador.
Essa nota é transcrita com letra fonte Arial, tamanho 11, com espaçamento simples e
alinhada a partir do centro da página para a direita;

e) nome do orientador;

f) local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado; e

g) ano de entrega.

14
Figura 3 – Modelo de folha de rosto

✓ Fonte Arial, tamanho 11,


maiúsculo e sem negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado
✓ Fonte Arial, tamanho 14,
maiúsculo e com negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado
✓ Fonte Arial, tamanho 16,
maiúsculo e com negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado
✓ Fonte Arial, tamanho 11,
sem negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Justificado, recuo esquerdo de 8cm

✓ Fonte Arial, tamanho 11,


maiúsculo e sem negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado

Fonte: Japiassú (2017)

3.2.3 Folha de aprovação

A folha referente ao Termo de Aprovação (ANEXO G) deve ser preenchida durante a defesa
oral do TCC. Nas Figuras 4 e 5, apresentadas a seguir, está indicado o padrão de
formatação. Os itens que a constituem o Termo de Aprovação são:

a) logomarca da instituição;

b) termo de aprovação;

c) nome do(s) autor(es);

d) título do trabalho;

e) subtítulo (se houver);

f) nota explicativa: relata acerca do caráter acadêmico do documento (trabalho acadêmico,


trabalho de conclusão de curso, monografia, dissertação, etc.), o objetivo, o grau
pretendido, a instituição onde foi apresentado, a disciplina ou área, e o nome do orientador.
Essa nota é transcrita com letra fonte Arial, tamanho 11, com espaçamento simples e
alinhada a partir do centro da página para a direita;

15
g) Cidade e data;

h) Identificação dos membros da banca examinadora: título; nome completo e o tipo de


examinador (presidente - orientador, examinador interno ou externo)

Figura 4 – Modelo de folha do termo de aprovação

✓ Logo IFG, preto e branco,


inserida no cabeçalho (h=4cm)

✓ Fonte Arial, tamanho 16,


maiúsculo e com negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado

✓ Fonte Arial, tamanho 11,


sem negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Justificado, recuo esquerdo de 8cm

✓ Fonte Arial, tamanho 11,


maiúsculo e com negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado

Fonte: Japiassú (2017)

16
Figura 5 – Modelo de folha do termo de aprovação (continuação)

✓ Fonte Arial, tamanho 14,


maiúsculo e com negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Centralizado

✓ Fonte Arial, tamanho 11,


com negrito
✓ Espaçamento simples,
6 pontos antes e depois,
✓ Alinhado à direita

✓ Fonte Arial, tamanho 11,


sem negrito
✓ Espaçamento simples,
0 pontos antes e 8 pontos depois,
✓ Centralizado

Fonte: Japiassú (2017)

3.2.4 Dedicatória

Espaço para que o(s) autor(es) preste(m) homenagem a alguém. A Figura 6, apresentada a
seguir, ilustra um modelo.

17
Figura 6 – Modelo de dedicatória

✓ Fonte Arial, tamanho 11,


em itálico e sem negrito
✓ Espaçamento 1,5 entre linhas,
12 pontos antes e depois,
✓ Alinhado à direita junto à
margem inferior, recuo
esquerdo de 8cm

Fonte: Adaptado de Japiassú (2011)

3.2.5 Agradecimentos

O(s) autor(es) pode(m) redigir um texto agradecendo àqueles que contribuíram na


elaboração do trabalho, conforme exemplificado na Figura 7, apresentada a seguir.

18
Figura 7 – Modelo de agradecimentos

TÍTULOS SEM NUMERAÇÃO


✓ Fonte Arial, tamanho 14
✓ Negrito e maiúsculo
✓ Espaçamento 1,5 - 36 pontos
antes e 24 pontos depois
✓ Centralizado

TEXTO GERAL
✓ Fonte Arial, tamanho 11
✓ Sem negrito
✓ Espaçamento 1,5 - 12 pontos
antes e 12 pontos depois
✓ Justificado

Fonte: Japiassú (2017)

3.2.6 Epígrafe

Epígrafe é um elemento pré-textual facultativo ao autor no trabalho acadêmico-científico.


Trata-se de uma curta citação, seguida de indicação de autoria, inscrita em uma página no
início do trabalho. A epígrafe também pode aparecer nas folhas de abertura das seções
primárias (BRITO, 2017).

O autor pode apresentar uma citação, seguida de indicação de autoria, relacionada com o
assunto desenvolvido no corpo do trabalho, de acordo com a Figura 8, apresentada a
seguir.

19
Figura 8 – Modelo de epígrafe

✓ Fonte Arial, tamanho 11,


em itálico e sem negrito
✓ Espaçamento 1,5 entre linhas,
12 pontos antes e depois,
✓ Alinhado à direita junto à
margem inferior, recuo
esquerdo de 8cm

Fonte: Japiassú (2017)

3.2.7 Resumo

Segundo a NBR 6028 (ABNT, 2003), o resumo é composto por frases concisas, afirmativas
em parágrafo único e sem enumeração de tópicos. Deve-se ressaltar o objetivo, o método,
os resultados e as conclusões do documento. Nesta parte, os autores devem apresentar o
resumo (com no mínimo 150 palavras e no máximo 200 palavras).

O título “Resumo” deve estar localizado na parte superior da página de modo centralizado,
escrito com letra Arial, tamanho 14. Após o título deve ser inserido a referência do trabalho
de monografia conforme padrão da ABNT. Em seguida, deve ser redigido o conteúdo do
resumo propriamente dito em um parágrafo único sem recuos com fonte Arial, tamanho 11,
com alinhamento justificado (esquerda e direita).

As palavras-chave identificam os principais assuntos que o trabalho aborda e deve vir após
descrição do resumo. Para tanto, deixar um espaço de 6 pontos e, então, redija o título
“Palavras-chave” em negrito, alinhado à esquerda, com letra fonte Arial, tamanho 11.
Segundo a NBR 6028 (ABNT, 2003), devem ser indicadas de 3 a 5 palavras-chave,
separadas por ponto e finalizadas também por ponto, com somente a primeira letra de cada
20
palavra-chave em maiúscula.

A Figura 9 ilustra o padrão de formatação a ser utilizado no Resumo do trabalho de


monografia.

Figura 9 – Modelo de resumo

✓ Fonte Arial, tamanho 14


✓ Negrito e maiúsculo
✓ Espaçamento 1,5 - 36 pontos
antes e 24 pontos depois
✓ Centralizado

✓ Fonte Arial, tamanho 11


sem negrito
✓ Espaçamento simples,
18 pontos antes e depois
✓ Justificado

✓ Fonte Arial, tamanho 11


sem negrito
✓ Espaçamento 1,5 entre linhas,
36 pontos antes e depois
✓ Justificado

✓ Fonte Arial, tamanho 11


✓ Negrito apenas em
“Palavras-chave:”
✓ Espaçamento simples,
18 pontos antes e depois
✓ Alinhado à esquerda

Fonte: Japiassú (2017)

3.2.8 Lista de ilustrações

A lista de ilustrações é elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto. Cada item
deve ser designado por seu nome específico, travessão, título e respectivo número da folha
ou página. Quando necessário, recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo
de ilustração (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas,
organogramas, plantas, quadros, retratos e outras). Recomenda-se que seja elaborada a
lista quando o número de ilustrações ultrapasse 5 (cinco), conforme ilustrado pelas
Figuraso10 e 11, apresentadas a seguir.

21
Figura 10 – Modelo de lista de figuras

Fonte: Melo Júnior (2011)

Figura 11 – Modelo de lista de quadros

Fonte: Melo Júnior (2017)

3.2.9 Lista de tabelas

A lista de tabelas deve ser elaborada semelhante à lista de ilustrações. Deve ser elaborada
de acordo com a ordem apresentada no texto e cada item deve ser designado por seu nome
específico, título e respectivo número da folha ou página.

22
3.2.10 Lista de abreviaturas e siglas

Lista em ordem alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto seguidas das
palavras ou expressões correspondentes grafadas por extenso como ilustrado na Figura 12.
Consiste na relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguidas das
palavras ou expressões correspondentes grafadas por extenso. Siglas quando mencionadas
pela primeira vez no texto, devem ser indicadas entre parênteses, precedidas do nome
completo.

Figura 12 – Modelo de lista de abreviaturas e siglas

Fonte: Melo Júnior (2016)

3.2.11 Lista de símbolos

A lista de símbolos deve ser elaborada de acordo com a ordem apresentada no texto e cada
símbolo deve ser seguido de seu significado, conforme Figura 13.

Figura 13 – Modelo de lista de símbolos

Fonte: Melo Júnior (2016)

23
3.2.12 Sumário

O sumário é a numeração das divisões, seções e outras partes de uma publicação, na


mesma ordem e grafia em que aparecem no texto. Deve ser elaborado conforme a NBR
6027 (ABNT, 2012). O sumário é o último elemento pré-textual, ou seja, antes da introdução.

Quanto à formatação, o título “sumário” deve estar centralizado, em negrito e caixa alta
(maiúscula). A subordinação dos itens do sumário deve ser destacada pela apresentação
tipográfica utilizada no texto, conforme Figura 14. É importante ressaltar que os elementos
pré-textuais não devem constar no sumário e que cada seção deve ser designada por seu
título e respectivo número da folha ou página.

Figura 14 – Modelo de Sumário

Fonte: NBR 6027 (ABNT, 2012)

3.3 Elementos textuais

Os elementos textuais são: a introdução, o desenvolvimento e a conclusão. A seguir é


apresentada a descrição de cada um desses elementos.

3.3.1 Introdução

Na introdução deve-se expor a finalidade e os objetivos do trabalho de modo que o leitor


tenha uma visão geral do tema abordado. São elementos da introdução: o tema do Trabalho
de Conclusão de Curso (TCC), justificativas, problema de pesquisa, hipóteses, objetivos do
24
TCC (geral e específicos), metodologia utilizada e principais autores pesquisados.

3.3.2 Desenvolvimento

É a parte principal do trabalho e inclui metodologia, referencial teórico, conceitos relativos ao


tema do trabalho, recursos, apresentação e análise dos dados obtidos por meio de pesquisa,
resultados alcançados e discussão. Na estrutura do TCC, o tópico Desenvolvimento deve
contemplar o detalhamento da pesquisa ou estudo com o verbo na voz ativa e na terceira
pessoa do singular.

No item metodologia o pesquisador define o percurso do estudo que pretende realizar,


aponta o tipo de pesquisa, indica as técnicas, os materiais e os instrumentos de coleta de
dados que pretende utilizar no desenvolvimento da pesquisa. O principal objetivo do
referencial teórico no texto é que ele permite a apresentação de teorias, conceitos, além de
categorias e seus respectivos autores, contribuindo para fundamentar teoricamente a
pesquisa e a análise dos dados (BRITO, 2016).

As notas de rodapé é um elemento opcional; mas, quando utilizada deve ser digitada dentro
das margens, ficando separadas do texto por um espaço simples entre as linhas e por filete
de 5 cm, a partir da margem esquerda.

De acordo com a NBR 6024 (ABNT, 2012), todas as seções devem conter um texto
relacionado a elas, o qual inicia em outra linha. Além disso, cada seção deve ser precedida
por um indicativo numérico, em algarismo arábico, alinhado à esquerda, separado por um
espaço do título da seção. Na Figura 15 é apresentada modelos de indicativos numéricos
estabelecidos pela norma para as seções primária até a quinaria.

Figura 15 – Modelo de indicadores numéricos por seção.

Fonte: NBR 6024 (ABNT, 2012)

25
No Quadro 2 é apresentado o padrão de formatação das seções para ser utilizado no
trabalho de monografia do IFG campus Aparecida de Goiânia.

Quadro 2– Formatação das seções para a monografia

Tipo de seção Formatação

Seção ✓ Fonte Arial, tamanho 14


Primária ✓ Negrito e maiúsculo
✓ Espaçamento 36 pontos antes e 24 pontos depois
✓ Alinhado à esquerda
✓ Iniciar em uma nova página

Seção ✓ Fonte Arial, amanho 12


Secundária ✓ Negrito
✓ Espaçamento 24 pontos antes e 12 pontos depois
✓ Alinhado à esquerda

Seção ✓ Fonte Arial, tamanho 11


Terciária ✓ Sem negrito
✓ Espaçamento 18 pontos antes e 12 pontos depois
✓ Alinhado à esquerda

Fonte: Os autores, (2018)

As alíneas são subdivisões das seções de um documento devendo no trabalho de


monografia do IFG ter recuo a esquerda de 2 cm. Conforme NBR 6024 (ABNT, 2012, p.3),
as alíneas devem seguir as seguintes regras de formatação:

a) os diversos assuntos que não possuam título próprio, dentro de uma mesma seção, devem ser
subdivididos em alíneas;

b) o texto que antecede as alíneas termina em dois pontos;

c) as alíneas devem ser indicadas alfabeticamente, em letra minúscula, seguida de parêntese.


Utilizam-se letras dobradas, quando esgotadas as letras do alfabeto;

d) as letras indicativas das alíneas devem apresentar recuo em relação à margem esquerda;

e) o texto da alínea deve começar por letra minúscula e terminar em ponto-e-vírgula, exceto a
última alínea que termina em ponto final;

f) o texto da alínea deve terminar em dois pontos, se houver subalínea;

g) a segunda e as seguintes linhas do texto da alínea começam sob a primeira letra do texto da
própria alínea.

26
Os títulos sem indicativo numérico (errata, agradecimentos, lista de ilustrações, lista de
abreviaturas e siglas, lista de símbolos, resumos, sumário, referências, glossário,
apêndice(s), anexo(s) e índices(s)) devem ser centralizados e seguir a formatação da seção
primária. Ressalta-se que a dedicatória e epígrafe são elementos que não possuem título e
indicativos numéricos.

A partir da folha de rosto, todas as folhas devem ser contadas sequencialmente; porém, só
será numerada a partir da primeira folha da parte textual, ou seja, a partir da introdução. A
paginação deve ser em algarismos arábicos localizadas no rodapé no canto direito inferior
da folha.

A sigla, quando mencionada pela primeira vez no texto, deve ser indicada entre parênteses,
precedida do nome completo. Após abreviação deve-se utilizar na redação do texto apenas
a palavra abreviada.

Citações são trechos transcritos ou informações retiradas das publicações consultadas para
a realização do trabalho, ou seja, é a menção, no corpo do texto, de uma informação
extraída de outra fonte. Conforme NBR 10520 (ABNT, 2002a), as citações podem ser
representadas pelos sistemas numéricos ou autor-data, devendo, o sistema escolhido, ser
mantido ao longo de todo o trabalho.

O NDE definiu que nos trabalhos acadêmicos da Engenharia Civil do IFG Campus
Aparecida deve-se utilizar o sistema autor-data, por exemplo: (AUTOR, ANO). É necessário
seguir todas as regras estabelecidas pela NBR 10520 (ABNT, 2002a) para este sistema de
citação. Ressalta-se que este manual não pretende apresentar todos os casos e regras e,
portanto, não substitui as normas de referência.

Citação direta é uma transcrição textual de parte da obra do autor consultado, sem
alteração. Deve-se mencionar o número da página. As citações diretas com até 3 linhas são
inseridas no texto, entre aspas duplas, como aparece no original, com indicação da fonte.
Caso existam aspas no texto original, substitua-as, na citação, por aspas simples. Após a
citação, a fonte aparece de forma simplificada, mencionando-se o sobrenome do autor,
seguido da data de publicação da obra citada e a página de onde foi retirada a citação, entre
parênteses. A fonte completa deve constar na Lista de Referências no final do trabalho. As
citações diretas com mais de três linhas deverão ser apresentadas em destaque, separadas
do texto com um recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra fonte Arial, tamanho 9,
espaçamento simples e sem aspas (Figura 15).

27
Figura 15 – Modelo de citações diretas longas

Fonte: Adaptado de Japiassú (2011)

Citação indireta é um texto baseado na obra do autor consultado, sendo a citação do


conteúdo do autor com alterações. A indicação da página é facultativa, podendo ou não ser
mencionada. Neste caso, as aspas não devem ser usadas. No final do trabalho, na listagem
de referências, relaciona-se o documento consultado de forma completa.

Citação de citação é uma transcrição direta ou indireta de um texto em que não se teve
acesso ao original, ou seja, retirada de fonte citada pelo autor da obra consultada. Indicar o
sobrenome do autor do texto original, seguido do termo “apud” (que significa citado por,
conforme, segundo) e do sobrenome do autor em cuja obra a citação foi feita. Na Lista de
Referências indica-se somente a obra consultada. Ressalta-se que a citação de citação
deve ser evitada em trabalhos acadêmicos, sendo utilizado apenas em casos de
impossibilidade de consulta do documento original.

As ilustrações devem estar inseridas no texto com a formatação, preferencialmente, no


formato alinhado e centralizado (quando possível), não podendo ultrapassar as margens do
texto.

Conforme a NBR 14724 (ABNT, 2011), qualquer que seja o tipo de ilustração, sua
identificação aparece na parte superior, precedida da palavra designativa (figura, quadro,
gráfico, entre outros), seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em
algarismos arábicos, travessão e do respectivo título. Após a ilustração, na parte inferior,
indicar a fonte consultada (elemento obrigatório, mesmo que seja produção do próprio

28
autor), legenda, notas e outras informações necessárias à sua compreensão (se houver).

Para as legendas (identificações) das ilustrações, deve-se utilizar fonte Arial, tamanho 9,
centralizada, sem ponto ao final, com espaçamento 12 pontos antes e 6 pontos depois. Para
a referência da fonte da ilustração usar Arial, tamanho 9, 6 pontos antes e 12 pontos depois.

As ilustrações devem ser citadas no corpo do texto, por exemplo: conforme Figura 16,
(Figura 16) ou (ver Figura 16). A palavra “Figura” deve ter a primeira letra maiúscula e não
pode ser abreviada. Não devem ser incluídas ilustrações que não sejam citadas no texto.
Toda ilustração deve ser localizada o mais próximo possível da parte do texto onde é citada,
salvo quando, por motivos de dimensão, isto não seja possível. Em caso de ilustração
adaptada, informe "adaptado de” seguido da citação da fonte.

Figura 16 – Modelo de Figura

Fonte: adaptado de Japiassú (2011)

Deve ser evitado o uso de objetos "flutuando sobre o texto", por isso recomenda-se colocar
a figura dentro de uma tabela sem bordas.

Nos Quadros e Tabelas deve ser usada, preferencialmente, a fonte Arial, tamanho 9. O estilo
utilizado no interior de quadros, tabelas ou caixas de texto deve ser o estilo normal, o qual

29
pode ser editado (alinhamento, espaçamento, tipo de fonte), conforme a necessidade.

Nos Quadros as informações aparecem em forma textual e não contém dados estatísticos
conforme Figura 17. Possui como objetivo simplificar o entendimento do texto. No Quadro as
laterais devem ser fechadas e possuem todas as divisões internas.

Figura 17 – Modelo de Quadro

Fonte: Adaptado de Japiassú (2011)

As regras de formatação de Tabelas são estabelecidas, conforme IBGE (1993). De um


modo geral, as tabelas seguem as mesmas regras de formatação apresentadas
anteriormente para figuras e quadros; no entanto, apresentam algumas diferenças.

Diferentemente do quadro, na tabela são apresentadas informações das quais o dado


numérico se destaca como informação central. Além disso, as tabelas não devem ser
delineadas à direita e à esquerda com traços na vertical e os traços na vertical internos são
facultativos, conforme ilustrado pela Figura 18, apresentada a seguir.

30
Figura 18 – Modelo de Tabela

Fonte: Japiassú (2011)

As equações (Figura 19) devem ser destacadas no texto (para facilitar a leitura), e, se
necessário, numeradas com algarismos arábicos entre parênteses, alinhados à direita,
conforme NBR 14724 (ABNT, 2011). Na sequência normal do texto, deve-se usar o
espaçamento de 12 pontos antes e depois; sendo permitido também o uso de uma linha
com espaçamento maior que comporte seus elementos (expoentes, índices e outros).
Quando destacadas do parágrafo, as equações devem ser centralizadas e, se necessário,
devem numerá-las. Quando fragmentadas em mais de uma linha por falta de espaço, devem
ser interrompidas antes do sinal de igualdade ou depois dos sinais de adição, subtração,
multiplicação e divisão.

31
Figura 19 – Modelo de Equações e Fórmulas

Fonte: Adaptado de Japiassú (2011)

3.3.3 Considerações finais ou conclusão

Parte final da monografia na qual se apresentam as conclusões correspondentes aos


objetivos e hipóteses, apresentados na introdução. Nesse item devem ser apresentadas as
respostas às hipóteses e aos objetivos propostos no TCC. As análises e observações dos
autores devem estar devidamente embasadas pelos dados, conceitos e informações
apresentados no desenvolvimento, devendo ser inseridas no texto. Podem ser incluídas
breves recomendações e sugestões para trabalhos futuros.

3.4 Elementos pós- textuais

Os principais elementos pós-textuais são: as referências, os apêndices e os anexos, os


quais estão apresentados a seguir.

3.4.1 Referências

Elemento obrigatório, onde se encontra a relação de todos os documentos citados pelo


autor no texto do trabalho. Em casos omissos, neste manual, deve-se consultar a NBR 6023
(ABNT, 2002b) que trata da elaboração das referências.

O título da seção "Referências” deve ser centralizado e não deve ser numerado. É
32
importante salientar que todas as citações diretas e indiretas incluídas no texto devem
constar na Lista de Referências (elemento pós-textual). As referências que identificarão a
fonte das citações deverão estar devidamente normalizadas, padronizadas, conforme
NBRo6023 (ABNT, 2002b). No corpo do texto, as citações serão identificadas pelo sistema
autor- data. As referências devem ser alinhadas à esquerda com fonte Arial, tamanho 11,
espaçamento simples, prevendo 12 pontos antes e depois de cada referência, exatamente
como nas referências descritas ao final desse manual. Devem ser separadas entre si por um
espaço simples em branco.

3.4.2 Anexo

O Anexo é um elemento pós-textual complementar e opcional que pode integrar o trabalho


acadêmico-científico. Pode ser um texto ou documento não elaborado pelo autor, com o
objetivo de fundamentar, comprovar ou ilustrar algum aspecto contido no trabalho. São
exemplos de anexos: mapas, leis, normas, estatutos, fotos, entre outros (BRITO, 2017).

3.4.3 Apêndice

Apêndice é um elemento complementar ao texto e pode ser incluído ao final do trabalho


quando for imprescindível à compreensão de algum aspecto do tema, da metodologia ou do
problema desenvolvido pelo autor. Portanto, apêndices são textos elaborados pelo autor do
trabalho científico, a fim de complementar sua argumentação. São exemplos de apêndices:
mapas, fotos, formulários de pesquisa, entre outros (BRITO, 2017).

33
4 PRODUTO DO TCC II – ARTIGO CIENTÍFICO

O produto final do TCC II é um artigo científico, acompanhado de uma apresentação (defesa


oral). Observe as instruções e formate o seu trabalho de acordo com o padrão. A adequação
do seu trabalho a esta norma é fundamental para sua aprovação na disciplina de TCC II.

O trabalho deve ser redigido em português e deve seguir a estrutura apresentada pela
Figura 20.

Figura 20 – Síntese da estrutura do artigo de TCC

Fonte: Brito (2017)

O artigo, incluindo figuras, tabelas e referências, deverá ter de 10 a 12 páginas. As margens


devem ser: esquerda e superior de 3 cm e direita e inferior de 2 cm. O tamanho de página
deve ser A4. A fonte utilizada em todo o texto é Arial.

No artigo de TCC II deve constar a numeração das páginas em algarismos arábicos


localizadas no rodapé, no canto direito inferior da folha, com exceção da primeira folha. A
numeração de páginas deve ter a fonte Arial, tamanho 9.

34
4.1 Cabeçalho

O cabeçalho deve conter a logomarca do IFG na primeira página centralizada e nas páginas
subsequentes na fonte Arial, tamanho 9, alinhado à direita, apenas o texto: IFG – Aparecida
de Goiânia, Brasil, ano/semestre em numeral cardinal.

4.2 Título

O título deve exprimir a ideia central do texto e estar na primeira linha da primeira página. Deve
estar centralizado, com fonte Arial, tamanho 15, em negrito e em caixa alta (todas as letras
maiúsculas). Formatar com espaçamento de linha 18 pontos antes e depois do título. Incluir
uma primeira nota de rodapé no final do título que remete à referência bibliográfica do artigo,
segundo a norma NBR 6023 (ABNT, 2002b).

4.3 Autor(es)

Logo após o título do artigo de TCC II deve ser indicado o(s) nome(s) do(s) autor(es),
instituição e e-mail(s).

4.4 Nota de rodapé

A primeira nota de rodapé do artigo deve constar a referência do artigo que está sendo
escrito com o nome dos autores, em seguida o título do artigo, seguido do nome da
instituição, local e ano, com fonte Arial, tamanho 9, negrito e alinhado à esquerda.

As demais notas devem ser escritas, conforme o exemplo da Figura 21, apresentada a
seguir, ou seja, com fonte Arial, tamanho 9 e texto justificado com espaçamento simples.

35
Figura 21 – Modelo de Notas de rodapé

Fonte: Adaptado de Japiassú (2011)

4.5 Resumo

Nesta parte, os autores devem apresentar o resumo do artigo (com 150 a no máximo 200
palavras). Escreva o título “RESUMO” centralizado, com letra Arial, tamanho 12. Na linha
seguinte, digite o conteúdo do resumo, em tamanho 10, com alinhamento justificado (esquerda
e direita). Não use parágrafos ou tópicos. Deixe um espaço de 6 pontos e, então, digite o
título “Palavras-chave” em negrito, alinhado à esquerda, com letra fonte Arial, tamanho 10.
Digite de três a cinco palavras-chave, separadas por ponto, com somente a primeira letra de
cada palavra-chave em maiúscula, segundo a NBR 6028 (ABNT, 2003b). Formate as
palavras-chave com espaçamento de 12 pontos depois do parágrafo.

4.6 Introdução

A estrutura da introdução pode ser a mesma de um trabalho completo, com o cuidado para
o fato de que a revisão bibliográfica não deve ser extensa; mas, deve apenas contextualizar
brevemente o referencial teórico.

36
4.7 Corpo do texto

O corpo do texto deve iniciar imediatamente abaixo dos títulos das seções. O corpo de texto
utiliza fonte Arial, tamanho 11, justificado a direita e esquerda, com espaçamento entre
linhas simples, com espaçamento 6 pontos antes e depois do parágrafo.

4.6.1. Seções e títulos

No Quadro 3 é apresentado o padrão de formatação das seções para ser utilizado no artigo
de TCC. As seções devem estar alinhadas à esquerda.

Quadro 3– Formatação das seções para o artigo de TCC do IFG Campus Aparecida de Goiânia

Tipo de seção Formatação

Seção ✓ Fonte Arial, tamanho 12


Primária ✓ Negrito e maiúsculo
✓ Espaçamento 24 pontos antes e 12 pontos depois

Seção ✓ Fonte Arial, tamanho 11


Secundária ✓ Negrito
✓ Espaçamento 18 pontos antes e 6 pontos depois

Seção ✓ Fonte Arial, tamanho 11


Terciária ✓ Negrito
✓ Espaçamento 18 pontos antes e 6 pontos depois

Fonte: Os autores, (2018).

No artigo do TCC II os títulos sem indicativo numérico, ou seja, resumo, agradecimentos e


referências, devem ser centralizados e seguir a formatação da seção primária.

4.6.2. Tópicos

No caso do uso de tópicos utilizar recuo de 2 cm em relação a margem, texto em fonte Arial,
tamanho 9, com as seguintes configurações de formato:

• o marcador disponível é este que aparece no início desta frase;

• usar a formatação alinhada à esquerda e direita (justificado);

• deixe um espaço de 3 pontos acima de cada um dos itens a serem listados;

• após o último tópico, deixar um espaço de 12 pontos, como aparece a seguir.

Caso queira utilizar listas numeradas (1, 2, 3... ou a, b, c...), isso deve ser feito manualmente
37
utilizando os mesmos recuos que aparecem nesta lista com marcadores.

4.6.3. Formatação de equações, tabelas ou ilustrações

As equações devem ser destacadas no texto (para facilitar a leitura), e, se necessário,


numeradas com algarismos arábicos entre parênteses, alinhados à direita, conforme NBR
14724 (ABNT, 2011). Na sequência normal do texto, deve-se usar o espaçamento de 12
pontos antes e depois.

As ilustrações devem estar inseridas no texto com a formatação, preferencialmente, no


formato alinhado e centralizado (quando possível), não podendo ultrapassar as margens do
texto. Todas as ilustrações e tabelas devem estar referenciadas no corpo do texto.

Qualquer que seja o tipo de ilustração, sua identificação aparece na parte superior,
precedida da palavra designativa (Figura, Quadro, Gráfico, entre outros), seguida de seu
número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, travessão e do respectivo
título. Após a ilustração, na parte inferior, indicar a fonte consultada (elemento obrigatório,
mesmo que seja produção do próprio autor), legenda, notas e outras informações
necessárias à sua compreensão (se houver), conforme a NBR 14724 (ABNT, 2011).

Para as legendas (identificações) das ilustrações, deve-se utilizar fonte Arial, tamanho 9,
centralizada, sem ponto ao final, com espaçamento 12 pontos antes e 6 pontos depois. Para
a referência da fonte da ilustração usar Arial, tamanho 9, com espaçamento 6 pontos antes
e 12 pontos depois.

As referências das ilustrações devem constar no corpo do texto, por exemplo: conforme
Figura 1, (Figura 1) ou (ver Figura 1). A palavra “Figura” deve ter a primeira letra maiúscula
e não pode ser abreviada. Não devem ser incluídas ilustrações que não sejam citadas no
texto. Toda ilustração deve ser localizada o mais próximo possível da parte do texto onde é
citada, salvo quando, por motivos de dimensão, isto não seja possível.

Nos quadros e tabelas deve ser usada, preferencialmente, a fonte Arial, tamanho 9. O estilo
utilizado no interior de quadros, tabelas ou caixas de texto deve ser o estilo normal, o qual
pode ser editado (alinhamento, espaçamento, tipo de fonte), conforme a necessidade.

Deve ser evitado o uso de objetos "flutuando sobre o texto"; por isso, recomenda-se colocar
a figura dentro de uma tabela sem bordas.

38
4.6.4. Citações

O(s) autor(es) deve(m) referenciar os trabalhos citados ao longo do texto (no sistema autor-
data), que constarão na seção “Referências”. Não colocar no item “Referências” trabalhos
que não foram citados ao longo do texto. As notas devem vir ao final de cada página no
rodapé. Evitar ao máximo o uso de notas de rodapé. As citações diretas, no texto, com mais
de três linhas, devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra
menor que a do texto utilizado (tamanho 9), com espaçamento simples e sem as aspas,
segundo a NBR 10520 (ABNT, 2002b, p.2).

4.8 Conclusões

O item “Conclusões” deve conter a ideia principal do trabalho, com retomada sucinta do que
já foi explanado, esclarecendo as deduções, apresentando a síntese das conclusões e, se
houver necessidade, fazendo alguns apontamentos.

4.9 Agradecimentos

Nesta seção, os autores podem agradecer aos colaboradores (pessoas ou empresas),


agências de financiamento, etc., que contribuíram para a redação do trabalho final ou com o
desenvolvimento do trabalho relatado no artigo.

Os títulos, sem indicativo numérico, como resumo, agradecimentos e referências devem ser
centralizados, segundo a NBR 14724 (ABNT, 2011).

4.10 Referências

Para o texto das “Referências”, deve-se utilizar texto com fonte Arial, tamanho 11,
espaçamento simples, prevendo 12 pontos antes e depois de cada referência. As
referências devem aparecer em ordem alfabética (do sobrenome do primeiro autor), estar
alinhadas à esquerda (não justificado) e não podem ser numeradas. Todas as referências
citadas no texto, e apenas estas, devem ser incluídas ao final, na seção “Referências”. Deve-
se seguir as orientações da norma NBR 6023 (ABNT, 2002b) para formatar as referências.

39
REFERÊNCIAS DO MANUAL DO TCC

ANDERY, P., HIROTA, E. Instruções para a preparação do artigo completo para o


ENTAC 2016. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE
CONSTRUÍDO, 18., 2016, São Paulo. Anais... Porto Alegre: ANTAC, 2018. Disponível em:
<http://entac2018.com.br/>. Acesso em: 02 mai. 2018

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 10520: Informação e


documentação - Citações em documentos - Apresentação. Rio de Janeiro, 2002a.

______. NBR 6023: Informação e documentação - Referências - Elaboração. Rio de Janeiro,


2002b.

______. NBR 6024: Numeração progressiva das seções de um documento - Apresentação.


Rio de Janeiro, 2012.

______. NBR 6027: Informação e documentação - Sumário - Apresentação. Rio de Janeiro,


2012.

______. NBR 6028: Informação e documentação - Resumo - Apresentação. Rio de Janeiro,


2003.

______. NBR 14724: Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação.


Rio de Janeiro, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação/ Câmara de Educação


Superior. Resolução CNE/CES 11, de 11 de março de 2002. Institui Diretrizes Curriculares
Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia. Disponível em:
<http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES112002.pdf>. Acesso em: 31 mai. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução CNS 466, 12 de dezembro de 2012: Aprova as


diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Disponível
em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html>.
Acesso em 30 mai. 2018.

BRITO. Wanderley Azevedo de. Metodologia e referencial teórico: desenvolvimento da


pesquisa. [Texto Didático] Aparecida de Goiânia: IFG, 2016.

______. Orientações para trabalhos acadêmicos: epígrafe, apêndice e anexo. [Texto


Didático] Aparecida de Goiânia: IFG, 2017.

IBGE. Normas de apresentação tabular. 3. ed. Rio de Janeiro, 1993.

IFG. Resolução nº 028 - 11 de agosto de 2014: Regulamento de Trabalho de Conclusão


de Cursos de Graduação do IFG. Goiânia: IFG, 2014. Disponível em
<http://www.ifg.edu.br/attachments/article/209/resolucao282014.pdf>. Acesso em 25 mai.
2018.

JAPIASSÚ, P. Estudo do mecanismo de aderência de azulejos e argamassas de cal em


revestimentos históricos. 2011. 287f. Dissertação (Mestrado em Construção Civil) – Escola
de Engenharia Civil da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2011.

______.Regras gerais de formatação de Trabalho de Conclusão de Curso –


Monografia. [Texto Didático] Aparecida de Goiânia: IFG, 2017.

40
LAGANA et al. Manual para a elaboração do trabalho de conclusão de curso das
escolas técnicas do Centro Paula Souza. São Paulo, 2015.

MELO JÚNIOR, C. M. Metodologia para geração de mapas de danos de fachadas a partir


de fotografias obtidas por veículo aéreo não tripulado e processamento digital de imagens.
2016. 376f. Tese (Doutorado em Estruturas e Construção Civil) – Departamento de
Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

41
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA
DEPARTAMENTO DE ÁREAS ACADÊMICAS

ANEXO A - CARTA DE SOLICITAÇÃO DE ORIENTAÇÃO

Eu,______________________________________________________________________,
matrícula____________________, aluno (a) regular do ________º período do curso de
Bacharelado em Engenharia Civil, solicito a coordenação do curso para as disciplinas de
TCC I e TCC II a orientação do (a) professor (a)
____________________________________________________, pertencente ao quadro do
curso, para desenvolvimento do TCC na linha de pesquisa/ temática
transdisciplinar:___________________________________________, com o seguinte tema
sugerido:__________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________

_______________________ , _____ de_________________ de 20____.

____________________________________________
Assinatura do aluno(a)

Área reservada à Instituição

Parecer do Orientador: Deferido Indeferido *

Justificativa: _____________________________________________________________________

______________________________________________________________________________

Assinatura do professor orientador: __________________________________________________

*O professor só poderá recusar o pedido se já tiver pelo menos um orientando de TCC no Campus.
Outras justificativas não serão aceitas.

Parecer do NDE / Coordenação do Curso: _____________________________________________

Data e Assinatura: _______________________________________________________________

42
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA
DEPARTAMENTO DE ÁREAS ACADÊMICAS

ANEXO B - PRÉ-PROJETO DO TCC

Aluno (a):

Matrícula:

Professor (a) orientador (a):

Professor (a) co orientador (a):

Tema:

Justificativa:

Objetivos:

43
Metodologia:

Bibliografia:

CRONOGRAMA

Mês
Atividades

44
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA
DEPARTAMENTO DE ÁREAS ACADÊMICAS

ANEXO C - LINHAS DE PESQUISA E TEMÁTICAS PARA TCC

LINHAS DE PESQUISA

1. Águas e Meio ambiente

A linha de pesquisa em Águas e Meio Ambiente é de grande abrangência na Engenharia Civil,


contemplando subáreas como Hidráulica, Hidrologia, Saneamento, Meio Ambiente e
Instalações Prediais Hidrossanitárias. Podem-se desenvolver metodologias de pesquisas
relacionadas tanto às áreas técnicas especificamente como também às áreas de meio
ambiente, podendo destacar-se o uso racional de água em edificações (aproveitamento da
água de chuva e reuso de águas cinzas); projetos e estudos de execução de obras de
saneamento básico (redes de distribuição de água, sistemas de drenagem, estações de
tratamento de água e esgotos) e sua relação com a saúde e a qualidade de vida da
população, bem como estudos relacionados à descentralização de estações de tratamento
de esgoto, analisando parâmetros técnicos e financeiros relacionados à sua viabilidade de
implantação.

Docentes: Dr. Tiago Godoi Ribeiro; Me. Wilson Marques Silva; Me. Thiago Augusto Mendes.

2. Construção Civil: Materiais e Tecnologias

A linha de pesquisa em Construção Civil: Materiais e Tecnologias pode ser considerada


desafiadora e de grande contribuição ao meio técnico e científico, sendo dividida em duas
subáreas: a) Materiais e Componentes de Construção; b) Processos Construtivos. A subárea
de Materiais e Componentes de Construção visa a analisar os materiais atualmente
empregados, bem como a investigar e a avaliar os novos materiais a serem utilizados na
construção civil. Portanto, cabe a essa subárea divulgar e/ou ampliar os conhecimentos das
propriedades e do comportamento de materiais empregados nas diferentes etapas
construtivas de infraestrutura. A subárea de Processos Construtivos propõe pesquisar, de
forma sistêmica, as novas tecnologias, por meio do desenvolvimento teórico/experimental.
Outro foco dessa subárea é aprimorar e/ou enriquecer o conhecimento referente aos

45
processos construtivos comumente empregados em distintas obras no Brasil, assim como,
planejamento, orçamento e controle de obras. Em ambas as subáreas são facultadas as
possibilidades de estudar os impactos socioambientais, como também os aspectos de
sustentabilidade.

Docentes: Dra. Maria de Jesus Gomides; Esp. Lorrayne Correia Sousa; Me. Renato Costa
Araújo.

3. Estruturas

Na área de Estruturas, a pesquisa visa ao aprimoramento do uso dos diversos tipos de


materiais (concreto, madeira, aço ou mistos) por meio do desenvolvimento de novas
técnicas construtivas. É por meio do estudo de vários modelos físicos e numéricos, assim
como da simulação em computadores, sob as mais variadas solicitações e condições de
uso, que se buscam essas novas técnicas. A pesquisa abrange temas como conservação e
durabilidade de estruturas, patologia das estruturas e análise experimental de peças
estruturais isoladas, dentre outros. Os estudos de sistemas estruturais abrangem projetos de
construção de estruturas e fundações para edificações, tais como edifícios, pontes e
barragens. Podem ser utilizados diferentes materiais e tecnologias para a viabilização de
obras simples ou complexas.

Docentes: Me. Lucas Furtado da Silva; Me. Murilo Meiron de Padua Soares; Me. Ricardo
Fernandes de Andrade; Me. Luciano Calaça Alves; Ma. Paula Miranda.

4. Geotecnia

A linha de pesquisa em Geotecnia tem seu foco nos aspectos teóricos, experimentais e
práticos relacionados à aplicação do material solo na Engenharia Civil e à avaliação de seu
desempenho. São temas específicos da linha de pesquisa: 1) Estabilidade de taludes; 2)
Abordagem probabilística aplicada à avaliação de obras geotécnicas; 3) Interação solo-
atmosfera e 4) Solo tropical não-saturado. As principais ferramentas utilizadas nesta linha de
pesquisa são ensaios de laboratório e de campo, modelagem numérica, métodos
probabilísticos, programas computacionais, programação e abordagem rítmica.

Docentes: Dr. Arlam Carneiro Silva Junior; Me. Ricardo Fernandes de Andrade.

5. Planejamento Urbano, Transportes e Mobilidade

A linha de pesquisa em Planejamento Urbano, Transportes e Mobilidade tem como enfoque


principal, no contexto da Engenharia Urbana, os estudos que visam a identificar,
sistematizar, avaliar, analisar, monitorar ou modelar diferentes processos e fenômenos que
ocorrem no meio urbano. Divide-se em três subáreas: a) Infraestruturas Urbanas e

46
Regionais; b) Tráfego Urbano e Regional; c) Mobilidade Urbana. A subárea Infraestruturas
Urbanas e Regional objetiva analisar a infraestrutura, relacionando-a com os demais
aspectos urbanos, em especial com a questão ambiental, a fim de subsidiar a formulação de
propostas de intervenção. A subárea de Tráfego Urbano e Regional visa a buscar, por meio
do estudo de políticas, programas e projetos contemplados pela Engenharia Urbana, o
desenvolvimento e a avaliação de modelos e instrumentos de gestão e planejamento do
meio urbano e regional. A subárea de Mobilidade Urbana tem três enfoques principais: a
escala metropolitana da mobilidade; a integração entre diferentes modais; e os impactos
ambientais e econômicos da crescente motorização das cidades, por meio da realização de
estudos críticos em planejamento e gestão urbana.

Docentes: Me. Ana Maria Barboza Lemos; Me. Rosinete Fernandes Bandeira; Me. Pammila
Rodrigues Japiassu Correa

6. Infraestrutura de Transporte na Construção Civil

A infraestrutura na Construção Civil procura estudar tudo que dá acesso as cidades, ou seja,
todo conjunto de obras que constituem os suportes do funcionamento das cidades que
possibilitam o uso urbano do solo. Podemos incluir o acesso a moradia, pavimentação,
projeto geométrico de estradas, sistemas de esgoto sanitário, distribuição de energia elétrica
e outros equipamentos públicos. Essa linha de pesquisa visa buscar a transdisciplinaridade
entre as disciplinas de Topografia, Estradas, Pavimentação, Transporte e Orçamento
(custos referentes a esses sistemas). Dessa forma as pesquisas abrangem temas voltados
para avaliação de vias de transporte, análise de volumes de terra, estudo do traçado e dos
desenhos de planta e perfil, logística, estudo de solos tropicais e suas interferências no
desempenho de pavimentos. Na topografia é dado ênfase no controle de verticalidade e do
nível das lajes de edifícios de múltiplos pavimentos e análise de volumes de terra para
diversos tipos de obras. No caso dos pavimentos estuda-se a aplicação de metodologias
alternativas e o aproveitamento dos solos lateríticos para a construção de infraestrutura de
pavimentos, patologias relacionadas aos pavimentos, misturas asfálticas. Os custos
estudados são referentes às disciplinas abrangidas nessa temática e levam em conta a
transdiscplinaridade entre as áreas.

Docentes: Me. Ricardo Fernandes de Andrade, Ma. Paula Miranda da Silva

47
TEMÁTICAS TRANSDISCIPLINARES

As temáticas transdisciplinares são abrangentes e visam a proporcionar aos discentes, com


apoio dos docentes orientadores, possibilidades ampliadas e atuais na elaboração e na
condução de projetos de pesquisa. Tal perspectiva de construção de conhecimentos pode
possibilitar aos estudantes de engenharia civil um olhar de pesquisador que transcenda os
estudos meramente instrumentais, quantitativos e tecnicistas no campo da engenharia civil
e, por conseguinte, proporcione o desenvolvimento social em seu sentido mais amplo.
Nessa perspectiva, estudos transdisciplinares no campo da engenharia civil podem
possibilitar o desenvolvimento econômico e social, bem como a melhoria da qualidade de
vida das pessoas, uma vez que, em seu trabalho, o engenheiro civil deve considerar o meio
ambiente, a produção da vida material humana, a dimensão cultural, a perspectiva de
construções sustentáveis, a responsabilidade e o interesse social. As temáticas
transdisciplinares de pesquisas podem ser orientadas e coorientadas por docentes dos
núcleos básico, profissional e específico do Curso de Engenharia Civil.

Temática 1: Gestão de Negócios na Engenharia Civil

A engenharia civil está associada, entre outras áreas do sistema produtivo, a um ambiente
de negócios. Para o engenheiro, é fundamental que, além da competência técnica, conheça
o negócio ao qual o seu trabalho está ligado. Esses conhecimentos favorecem o processo
de tomada de decisão, ajudando-o a fazer a conexão entre as necessidades organizacionais
e as decisões técnicas. A linha de pesquisa em Gestão de Negócios na Engenharia Civil
engloba os seguintes temas: a) análise de viabilidade econômica e financeira de projetos; b)
elaboração de plano de negócios; c) processos gerenciais de gestão de pessoas, gestão
das operações produtivas, gestão das operações logísticas e gestão financeira em
empresas do setor da engenharia civil; d) gestão de resíduos sólidos (logística reversa) da
construção civil. Em todos os temas, é possível trabalhar de forma inter/transdisciplinar com
as diversas áreas técnicas, assim como com a área de meio ambiente.

Docentes: Me. Glaucia Rosalina Machado Vieira; Esp. Lorrayne Correia Sousa.

Temática 2: Eficiência Energética na Engenharia Civil

A linha de pesquisa Eficiência Energética na Engenharia Civil busca a redução dos custos
energéticos, a racionalização dos processos, a otimização de recursos na Engenharia Civil,
a conservação e o uso racional de energia elétrica na Engenharia Civil e a análise de
impactos ambientais. Agrupa também pesquisas na área de sistemas prediais, suas
instalações elétricas e a utilização que se faz delas, além de estudos luminotécnicos e de

48
automação predial. Relaciona-se com outras áreas do conhecimento, como Arquitetura,
Ciências Ambientais, Ciência da Computação, Administração, Economia, Física,
Matemática, entre outras.

Docentes: Dr. Moises Gregório da Silva

Temática 3: Métodos Numéricos Aplicados à Engenharia Civil

Esta linha de pesquisa, de natureza multidisciplinar, tem suas origens dentro das áreas
tradicionais da engenharia civil, tais como estruturas, geotecnia, recursos hídricos e
construção. Os métodos numéricos estudados são voltados para a análise, simulação e
modelagem de problemas físicos em engenharia, com o uso da computação. A linha de
pesquisa em Métodos numéricos aplicados à engenharia civil engloba os seguintes temas:
modelagem numérico-computacional, mecânica computacional (método dos elementos
finitos, elementos de contorno e diferenças finitas) e análise numérica.

Docentes: Dr. Diogo Gonçalves Dias; Me. Eduardo de Carvalho Rezende; Me. Alfredo de
Oliveira Assis; Me. Silvana da Silva Rodrigues; Me. Tatiana Pires Fleury Bezerra; Me.
Wesley da Silva Ruys.

Temática 4: Cidade e Interesse Social

Um dos objetivos do Curso de Bacharelado em Engenharia Civil do IFG é contribuir para


formar profissionais que desenvolvam habilidades e competências inter, multi e
transdisciplinar. A partir desta perspectiva, a linha de pesquisa Cidade e Interesse Social está
no campo de formação ética do profissional de engenharia civil. Uma ética para pensar o
desenvolvimento sustentável das cidades exige profundas transformações na mentalidade e
no comportamento de profissões técnicas, como a Engenharia Civil. Pensar de forma
sistêmica e não de modo compartimentado, como geralmente acontece, pode levar o futuro
profissional a perceber que o conhecimento e a pesquisa exigem que se vá além dos dados
técnicos, a fim de considerar as interações em curso no jogo complexo das
interdependências. Diante de um modelo de urbanização que amplia a diferença e a
desigualdade nas cidades, tornando-as fragmentadas, percebe- se que essas divisões
sociais, manifestando-se na geografia urbana, “levam à desintegração do sistema Cidade,
que será substituído por uma violenta anarquia guiada pelas lógicas identitárias e
egoísmos individualistas” (FARAH, 2011, p. 13).

Docentes: Dra. Marisa Alves Vento; Dr. Wanderley Azevedo de Brito e Ma. Manuela
Alvarenga.

49
Temática 5: Ensino de Engenharia Civil

A temática Ensino de Engenharia Civil apresenta possibilidades de investigar as inúmeras


concepções e práticas pedagógicas do curso de Engenharia Civil, tais como: os processos
de ensino/aprendizagem no curso de Engenharia Civil; as diferentes concepções de ensino;
a formação e o perfil do professor engenheiro da instituição; a formação e o perfil do
engenheiro civil egresso da instituição; o Currículo escolar das Instituições que ofertam
Engenharia Civil, à luz das diretrizes curriculares nacionais e outros documentos oficiais e
institucionais; as avaliações (internas e externas) e os estudos da evasão nos cursos de
Engenharia Civil; as políticas públicas educacionais para a Engenharia Civil e outras
temáticas correlacionadas.

Docentes: Dr. Moises Gregório da Silva; Dr. Wanderley Azevedo de Brito.

Temática 6: Segurança do Trabalho na Construção Civil

A construção civil apresenta uma dinamicidade própria que a distingue de outras atividades
produtivas e industriais tornando o ambiente de trabalho único para cada edificação e para
cada etapa da construção pois não apresenta fluxo contínuo predefinido. Com a crescente
modernização dos meios produtivos, dos canteiros de obras e das novas técnicas
construtivas torna-se indispensável ao Engenheiro Civil o conhecimento das condições de
trabalho e as ações requeridas para preservação da integridade dos que trabalham ou
transitam nos canteiros de obras pois frequentemente ele exerce o papel de gestão e
liderança de equipes multidisciplinares se responsabilizando por todo um processo produtivo
incluindo a segurança da sua equipe e de terceiros. Entre os principais temas abordados
pela segurança do trabalho na construção civil de forma multidisciplinar destaca-se: higiene
do trabalho, psicologia do trabalho, proteção contra incêndio e explosões, doenças
ocupacionais, meio ambiente da construção civil, ergonomia, primeiros socorros, legislação
trabalhista, análise de riscos e layout de canteiro de obras.

Docentes: Dr. Moisés Gregório da Silva, Me. Ana Maria Lemos.

50
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA
DEPARTAMENTO DE ÁREAS ACADÊMICAS

ANEXO D – REQUERIMENTO PARA REALIZAÇÃO DO TCC COM


2 OU 3 INTEGRANTES

Eu, ______________________________________________________________________,
matrícula nº ________________________, solicito ao Núcleo Docente Estruturante do
Curso de Engenharia Civil do Instituto Federal de Goiás – Campus Aparecida de Goiânia, a
autorização para realização do Trabalho de Conclusão de Curso com os seguintes
integrantes:

Matrícula Nome dos integrantes

Tema proposto:

Justificativa para realização do TCC com 2 ou 3 integrantes:

Assinatura do Requerente:

Assinatura do Orientador:

Parecer do Núcleo Docente Estruturante (NDE):

Data:

51
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA
DEPARTAMENTO DE ÁREAS ACADÊMICAS

ANEXO E - ATIVIDADE COMPLEMENTAR

DADOS DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR

Atividade Defesa de TCC I ou TCC II – Engenharia Civil

Título do TCC

Estudantes

Orientador (a) do TCC

Coorientador (a) do TCC

Professor responsável pela


disciplina de TCC

Data

Local

Início:
Horário
Término:

Total de horas

LISTA DE PRESENÇA

Nº Nº matrícula Nome Assinatura

52
LISTA DE PRESENÇA

Nº Nº matrícula Nome Assinatura

53
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA
DEPARTAMENTO DE ÁREAS ACADÊMICAS

ANEXO F - ATA DE DEFESA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE


CURSO (TCC)

DADOS GERAIS DO TCC

Curso

Título

Linha de Pesquisa

Estudantes

Orientador (a)

Coorientador (a)

Data da defesa

Local da defesa
Início -
Horário da defesa
Término -

COMPOSIÇÃO DA MÉDIA FINAL DO TCC (escala: 0,0 – 10,0)


M= Orientador + Examinador externo + Examinador IFG
Avaliação da Banca Examinadora
3
AVALIAÇÃO DO TCC
MF - MÉDIA FINAL
Tendo por base a avaliação e média final obtida do TCC, a banca examinadora julga
o TCC como:

( ) APROVADO SEM RESTRIÇÕES (MF ≥ 6,0).


( ) APROVADO COM RESTRIÇÕES (MF ≥ 6,0) e apresenta indicações de correções a seguir.
( ) REPROVADO (MF < 6,0) e apresenta justificativa a seguir.

54
Justificativa e/ou descrição das indicações de correções:

Cientes da presente avaliação, assinam a seguir:

Orientador(a)

Examinador(a) 1

Examinador(a) 2
Nome completo Assinaturas

De acordo com o artigo 23 da Resolução n° 28 de 11 de agosto de 2014, que dispõe sobre o


Regulamento dos TCC dos cursos de graduação do IFG, deve-se ainda durante o ato de defesa:

“§ 2° Em caso de aprovação sem restrições, no ato da defesa, o termo de aprovação será


assinado pelo orientador e pelos demais membros da banca de avaliação do TCC.

§ 3° Em caso de aprovação com indicação de correções, o termo de aprovação será


assinado apenas pelos dois membros convidados para compor a banca, ficando a
assinatura do orientador condicionada à conclusão adequada das correções sugeridas, que
deverá ocorrer no prazo máximo de 30 dias.” (grifo nosso)

Dessa forma, caso o TCC seja APROVADO COM RESTRIÇÕES, o(s) estudante(s) se
compromete(m) a realizar as correções indicadas pelos membros da banca examinadora, bem como
o(a) orientador(a) se compromete a verificar se alterações foram devidamente realizadas. Cientes,
assinam a seguir:

Assinatura do estudante 1

Assinatura do estudante 2

Assinatura do orientador (a)

Av. Universitária Vereador Vagner da Silva Ferreira, Qd-1, Lt 1-A - Parque Itatiaia.
Campus Aparecida de Goiânia

55
ANEXO G - TERMO DE APROVAÇÃO

NOME ESTUDANTE 1
NOME ESTUDANTE 2

TÍTULO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO:


SUBTÍTULO DO TRABALHO DO TCC

Trabalho de conclusão de curso de graduação


apresentado ao Instituto Federal de
Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás –
Câmpus Aparecida de Goiânia como requisito
parcial para a obtenção do título de Bacharel
em Engenharia Civil e desenvolvido na linha
de pesquisa <inserir nome da linha de
pesquisa> sob orientação do < Título + Nome
completo do orientador> e co-orientação do
<Título + Nome completo do co-orientador>.

Aprovado em ____ de _______________ de _____.

BANCA EXAMINADORA

____________________________________________________________
Título + Nome completo (Presidente - orientador)
____________________________________________________________
Título + Nome completo (Membro Interno)
____________________________________________________________
Título + Nome completo (Membro Externo)

56
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA
DEPARTAMENTO DE ÁREAS ACADÊMICAS

ANEXO H - TERMO DE CIÊNCIA

ENTREGA DE VERSÃO FINAL CORRIGIDA DO TCC

Eu, ___________,
matrícula nº ___________________________ aluno (a) do Curso Superior de Bacharelado
em Engenharia Civil, declaro estar ciente de que o regulamento prevê o prazo máximo de 30
dias para a entrega da versão final corrigida de TCC, caso o mesmo seja aprovado com
restrições durante a etapa de defesa oral. No entanto, estou de acordo com a data prevista
para a defesa oral (_____/_____/______), em atendimento ao Calendário Acadêmico e me
comprometo a entregar a versão final corrigida até o dia ____/_____/_____. De modo que
os demais trâmites possam ocorrer no prazo necessário para a realização da colação de grau
ocorra antes da data de ____/____/______.

Por ser verdade, dato e assino o presente termo de ciência.

Aparecida de Goiânia, ___de de 20 .

___________________________________________

Assinatura do(a) estudante

57
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA
DEPARTAMENTO DE ÁREAS ACADÊMICAS

ANEXO I - TERMO DE AUTORIZAÇÃO PARA PUBLICAÇÃO


ELETRÔNICA NA BIBLIOTECA DIGITAL DO IFG

Na qualidade de titular dos direitos de autor da publicação abaixo citada, de acordo com a
Lei nº 9.610/98, autorizo, a partir da presente data, o Instituto Federal de Goiás, a
disponibilizar gratuitamente - sem ressarcimento de direitos autorais, conforme permissões
assinadas abaixo - o documento discriminado a seguir, em meio eletrônico, na Rede Mundial
de Computadores, no formato especificado*, para fins de leitura e/ou impressão pela
internet, a título de divulgação da produção científica gerada pelo Instituto.

1- Identificação do material

[ ] Monografia (Graduação)

[ ] Monografia (especialização)

[ ] Dissertação

[ ] Tese

[ ] Relatório

[ ] Outros (especificar documento)

2- Identificação do trabalho/autor

Programa/Curso:

Título do Trabalho:___________________________________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________

Número de páginas: Data da defesa: / /

58
Autor(es): ________________________________________________________________
________________________________________________________________

Telefone Fixo: Celular:

E-mail:

RG do autor: CPF do autor:

Orientador(a):

CPF do(a) orientador(a)

3- Informações de acesso ao trabalho

Este trabalho é confidencial?

[ ] Sim [ ] Não

Pode ser liberado para publicação?

[ ] Sim [ ] Não

[ ] Total [ ] Parcial

Justifique:

__________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________

Em caso de publicação parcial, assinale as permissões.

59
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS
CAMPUS APARECIDA DE GOIÂNIA
DEPARTAMENTO DE ÁREAS ACADÊMICAS

ANEXO J – DOSSIÊ DE ACOMPANHAMENTO DE TRABALHO DE


CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

Curso:
Aluno(a) 1:
Matrícula 1:
Aluno(a) 2:
Matrícula 2:
Linha de Pesquisa:
Orientador (a):
Título do Trabalho:

CRONOGRAMA DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

Mês
Atividades

60
1ª Reunião: ___/_____________/ ______
Orientações e Observações do(a) Orientador(a):

CIENTES
Aluno(a) 1:
Aluno(a) 2:
Orientador(a):

2ª Reunião: ____/_____________/ ______


Orientações e Observações do(a) Orientador(a):

CIENTES
Aluno(a) 1:
Aluno(a) 2:
Orientador(a):

3ª Reunião: ___/_____________/ ______


Orientações e Observações do(a) Orientador(a):

CIENTES
Aluno(a) 1:
Aluno(a) 2:
Orientador(a):

61
___ª Reunião: ___/_____________/ ______
Orientações e Observações do(a) Orientador(a):

CIENTES
Aluno(a) 1:
Aluno(a) 2:
Orientador(a):

Tendo por base a avaliação do presente Trabalho de Conclusão de Curso, o/a Orientador (a)
considera:

( ) APTO para ser submetido à Banca Examinadora

( ) NÃO APTO para ser submetido à Banca Examinadora e Justifica:

Aparecida de Goiânia, _______ de ___________________________ de _________.

Cientes,

Aluno (a): ________________________________________________________________

Aluno (a): ________________________________________________________________

Orientador (a):_____________________________________________________________

62