Você está na página 1de 46

Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 1

FLHA DE ROSTO 1 1
COORDENAÇÃO
EDITORIAL Todos os direitos reservados ao autor
Jean Carlos da Silva Copyrigth by JEAN CARLOS DA SILVA

PREPARAÇÃO Dados Internacionais de catalogação na Publicação (CIP)


DO TEXTO
João Guimarães F.

REVISÃO
As citações bíblicas foram extraídas da
ORTOGRÁFICA versão traduzida por João Ferreira de
E GRAMATICAL Almeida (ARC), da Sociedade Bíblica
Vanessa Campelo do Brasil, salvo indicação específica,
e visam incentivar a leitura da Bíblia.

É proibida a reprodução total


PROJETO ou parcial do texto deste livro
GRÁFICO DE
CAPA, MIOLO E
por quaisquer meios (mecânicos,
DIAGRAMAÇÃO eletrônicos, xerográficos, fotográficos,
Jean Carlos da Silva etc), a não ser em citações breves,
/ Eduardo S. com indicação da fonte bibliográfica.

CAPA
(FINALIZAÇÃO)
Eduardo Sousa
Junior

CONTATOS COM
O AUTOR PUBLICAÇÕES GRAMMATA
11-99663-3202 TEL: (11)9663-3202 (ZAP) -
Loja: www.materialteologico.com.br
E-mail: daskalosjean@gmail.com
JEAN CARLOS DA SILVA

Comentário Expositivo
de Efésios 1 e 2
PRIMEIRA EDIÇÃO

Suzano / SP
JCS Publicações
2019
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação
(CIP) (eDOC BRASIL, Belo Horizonte/MG)
A347C
Alcântara, Jean Carlos da Silva, 1975
Comentário Expositivo de Efésios: Comentário Exegético /
Jean Carlos da Silva Alcântara. – Suzano (SP): Publicações Grammata,
2019. (Coleção Teológica)
262 p. : 14 x 21 cm

INCLUI BIBLIOGRAFIA.
ISBN 978-85-68485-00-2
1. Bíblia. N. T. Epístolas Paulinas - Comentários. 1. Bíblia. N.
T. Epístolas Paulinas - Crítica e interpretação. I. Título.

08-04179 CDD-224.906
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 5

SUMÁRIO
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2

I – QUESTÕES INICIAIS

Textos adotados por este comentarista, 11


6 Prefácio, 23
Agradecimentos, 23
Definição do termo exegese
Definição do termo ‘epístola’
Breve história das cartas aos Efésios

II – COMENTÁRIO EXPOSITIVO
DE EFÉSIOS - CAPÍTULO 1

1. Prefácio e saudação. (1.1,2)

2. A preeminência de Cristo no plano do Pai


(1.3-6)

3. A preeminência de Cristo a participação do


crente (1.7-12)

4. A preeminência de Cristo na concessão do


Espírito Santo (1.13,14)

5. Oração pela iluminação do crente (1.15-23)


Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 7

III – COMENTÁRIO EXPOSITIVO DE


EFÉSIOS - CAPÍTULO 2

6. Na redenção de Cristo fomos libertos do


pecado (2.1-10) 7

7. Na redenção de Cristo fomos reconciliados


com os que estão sendo salvos (2.11-15)

8. Na redenção de Cristo fomos unidos em uma


só família (2.16-22)

Conclusão, 23

Apêndice gramatical, 50

Lista de contribuintes, 23
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 9

I – QUESTÕES
INICIAIS
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
TEXTOS ADOTADOS POR ESTE
COMENTARISTA

TEXTO HEBRAICO ADOTADO


ELLIGER, K. - RUDOLPH, W. Bíblia Hebraica
10 Stuttgartensia. 5. ed. Stuttgart: Deutsche
Bibelgesellschaft, [1967/77], 1997.

TEXTO EM GREGO DA SEPTUAGINTA


ADOTADO
RAHLFS, Alfred; HANHART, Robert. (eds.).
Septuaginta: Id est Vetus Testamentum graece
iuxla LXX interpretes – Editio altera. Vols. 1 e
2 Stuttgart: Deutsche Bibelgesellschaft, 2006.

TEXTO GREGO ADOTADO PARA ESTA


OBRA
The Greek New Testament According to the
Majority Text SECOND EDITION Edited by
ZANE C. HODGES ARTHUR L. FARSTAD

TEXTO EM LATIM ADOTADO


Biblia Sacra Iuxta Vulgatam Clementinam
QUARTA EDITIO Logicis Partitionibus
aliisque Subidis ornata a ALBERTO
COLUNGA ET LAURENTIO TURRADO,
1946
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 11
ARC - A BÍBLIA SAGRADA: Traduzida por João
Ferreira de Almeida. Edição Revista e Corrigida.
São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 1995.

NAA - A BÍBLIA SAGRADA: Traduzida por João


Ferreira de Almeida. Nova Almeida Atualizada. 11
São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 2017.

NTLH - A BÍBLIA SAGRADA: Nova Tradução


na Linguagem de Hoje. São Paulo: Sociedade
Bíblica do Brasil, 2000.

TB - A BÍBLIA SAGRADA: Traduzida por João


Ferreira de Almeida. Tradução Brasileira. São
Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 1998

NVI - A BÍBLIA SAGRADA: Nova Versão


Internacional. São Paulo: Editora vida Nova,
2000.

NVT - A BÍBLIA SAGRADA: Nova Versão


Transformadora. São Paulo: Editora Mundo
Cristão, 2000.

KJA - A BÍBLIA SAGRADA: Traduzida pelo


Comitê Internacional e Permanente de Tradução
da Bíblia King James. São Paulo: Abba Press, 2007.

KJF - A BÍBLIA SAGRADA: Bíblia King James


Fiel. São Paulo: BV Book’s, 2007.
Prefácio

O primeiro volume do trabalho literário


do Professor Jean Carlos da Silva Alcântara,
sobre a Carta Paulo aos Efésios, engloba
os dois primeiros capítulos da epístola. E
oferece ao leitor subsídios importantes sobre
o sentido e o objetivo da texto, bem como
conceitos e definições teológicas de igual modo
significativas para quem deseja entender e
aplicar as ferramentas da hermenêutica bíblica,
bem como a exegese, a fim de melhor entender
o valor e a profundidade dos textos bíblicos.
O autor resolveu analisar cada capítulo
da epístola aos Efésios, versículo por versículo,
o que torna seu trabalho bastante detalhado,
em termos de análise linguística, hermenêutica
e exegética. Certamente é um trabalho voltado
para estudantes ou pesquisadores de Teologia.
Em seu estudo, ele aprofunda-se nos termos
gregos originais, o que pode causar alguma
dificuldade para o leitor iniciante, e alheio aos
textos do grego do Novo Testamento. Mas, com
paciência, qualquer leitor poderá verificar que
seu trabalho é de um nível mais aprofundado no
trato com o texto bíblico.
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 13
O livro é focado na centralidade de Cristo,
na carta aos Efésios. Aliás como em todas as cartas
paulinas. O autor demonstra a preeminência de
Cristo, no plano da Salvação, na ação do Espírito
Santo e em toda a abrangência do plano de Deus
para a Redenção da Humanidade. 13
Sua análise sobre o tema da eleição e da
predestinação bíblica não deve ser confundida
com a visão calvinista desses assuntos. Como
Deus não faz acepção de pessoas (Dt 10.17;
Ef 6.9), e condena que a faz (Ml 2.9; Tg 2.9), a
predestinação é corporativa, ou seja, para Israel,
como nação, e para a Igreja, como seu povo. Mas
jamais Deus fez, nem fará, acepção de pessoas,
condenado a maioria ao inferno, e levando uma
minoria privilegiada aos céus. Deus é Soberano,
mas não é Tirano.
O trabalho não se resume à tradução
de textos de uma única versão da Bíblia, mas
resume e compara os textos traduzidos por
várias versões da Bíblia, o que enriquece a
visão e o entendimento bíblico e teológico da
Carta aos Efésio. Ele chama a atenção, de modo
incomum , para a “Teologia do Agradecimento”,
algo que é muito falho para muitos que se dizem
cristãos, mas não são gratos a Deus pelas bênçãos
derramadas para todos os que o amam.
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
O mesmo estilo e o mesmo método de
avaliação do texto bíblico é seguido pelo autor,
no comentário dos seis capítulos do livro em
análise.
Que Deus abençoe esse trabalho , que
14 seja útil e acessível aos que amam obras de
comentários bíblicos.

Elinaldo Renovato de Lima


Pastor, teólogo e economista. Membro
fundador da Casa de Letras Emílio Conde,
Rio de Janeiro, desde 10 de Outubro de 2003
Escritor, articulista e comentarista das Lições
Bíblicas da CPAD. Presidente da ADPAR –
Assembleia de Deus em Parnamirim / RN.

Outros dados
http://www.adparnamirim.com.br/
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 15
Agradecimentos

Ao GRANDE E ETERNO DEUS, por


ter-me agraciado com esse tão maravilhoso
dom da escrita, principalmente nesta área,
exegética. 15
À minha querida esposa, Joseane Lima,
que tem compreendido integralmente o meu
ministério: ensinar por meio da escrita. Sempre
comigo nos momentos de mais turbulências
e tribulações. As vezes se faz necessário de
privar para poder se concentrar em textos
gregos, hebraicos e latinos.
Ao meu cunhado Joel Lima, bênção em
minha família.
Ao Pastor Presidente da CONFRADESP
e Ministério do Belém, José Wellington
Bezerra da Costa pelos ensinamentos que
nos transfere nas reuniões em nossa sede e o
Pastor José Wellington Junior, presidente da
CGADB.
Ao nosso pastor Setorial da Assembleia
de Deus Ministério do Belém em Suzano Davi
Reinaldo Fonseca, pelos projetos com minha
família.
Ao preclaro pastor José Fernandes
Filho, que de forma tão singela, honrosa e
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
contundente fez menção aos meus modestos
livros nas redes sociais.
Ao conferencista, escritor e pastor Enilson
Heiderick, servo do Deus altíssimo, que tem
nos indicado pelo Brasil, muito obrigado!
16
A todos dirigentes de congregação em
nosso setor 13 - Suzano - SP que de forma
honrada e singela me reconhecem como homem
de Deus. Aos meus amigos Reginaldo de Jesus
da congregação do Casa Branca 1 em Suzano,
no qual me receberam de braços abertos e
Claudionor, conhecido como ‘pastor Nor’.
Minha profunda gratidão aos mestres
e doutores das Escrituras, dos quais cresci
lendo os livros desde os meus 16 anos
de idade: Pr. Antônio Gilberto, Pr. Abraão
de Almeida, Pr. Geziel Gomes, Pr. Elienai
Cabral, Pr. Elinaldo Renovato, Pr. Claudionor
de Andrade, Pr. Russell Shedd, Pr. Esequias
Soares, Pr. Geremias do Couto, Pr. Jeferson
Magno, Pr. Eurico Bergstén (in memoriam),
Pr. Emílio Conde (in memoriam), Pr.
Lawrence Olson (in memoriam), Pr. Severino
Pedro (in memoriam), Pr. Enéas Tognini
(in memoriam) e tantos outros mestres e
doutores da Palavra espalhados por este
Brasil afora. Um discípulo apenas reproduz
aquilo que aprendeu do seu mestre! Quando
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 17
aprendemos em boa escola, reproduzimos
somente coisas boas! (Lc 6.45)
Ao pastor doutor, filósofo, professor e
comentarista da CPAD, Douglas Baptista,
pela honrosa e gratificante participação em
meu ministério. 17

Ao presidente da AD ministério
do Ipiranga, Pr. Alcides Fávaro e toda a
presidência, e em especial ao nobre pastor
setorial de Carapicuiba (que me consagrou
ao presbitério), José Leanti Pinto, pra esse eu
‘tiro o chapéu’.
Também agradeço a todos os pastores de
regionais, setores do Ministério de Perus onde
destaco alguns: Dr. Elias Cardoso, presidente
desta obra, Daniel, Davi Bispo, Antonio Lopes,
Mailtom Santos, Custódio Valério, Antonio
Baleeiro, Davi Gregório, Joel, Jucelino
Macedo, Valter Oliveira, Jesiel Pontes,
Edney Gonsalves entre outros.
Aos doutores em Bíblia e exegese pastores
José Elias Croce, Caramuru Afonso e Adayltom
de Almeida (im memorian). Reconheço,
vocês estão na minha frente, obrigado pelos
conselhos e aprendizados pelo portal da Escola
Dominical, Caped’s e outros eventos ligados à
EBD.
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
Ao mestre em Hermenêutica Sagrada
Pastor Roberto Carlos Cruvinel, que a quase
8 anos atrás, com suas críticas, conselhos
e sugestões fizeram-me crescer e chegar ao
patamar que estou hoje. O pastor citado aqui
18 tem exemplo de vida cristã e acadêmica.
Aos pastores do Ministério de Madureira
em São Paulo e no Brasil que apoiam e nos
convidam para aulas, pregações e palestras,
são eles: Jasom Secundo, presidente em
Carapicuíba, o seu primo, Davi Secundo
presidente da AD em Curitiba – PR.
Aos pastores da AD no Rio Grande Do
Norte, minha igreja, Martim Alves, presidente
desta igreja, Francisco Oliveira que pastoreia
a cidade de Macau, ao Patriarca Cícero, na
cidade Baraúnas, (local onde ouvi a primeira
promessa de meu ministério do ensino) e em
especial os pastores de Mossoró, minha cidade
orgulhosa.
Aos pastores da AD em Fortaleza em
especial pastor Paulo Pinho, aos pastores do
Piauí e Maranhão em especial o pastor João
Batista.
Aos pastores da AD ministério
Paulistano em especial ao Dr. Eliel e pastor
Eli, entre outros obreiros deste abençoado
ministério. Aos pastores de várias igrejas,
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 19
comunidades em São Paulo e no Brasil que
apoiam e nos convidam para aulas, pregações
e palestras, se fosse citá-los precisaria um
livro somente para isto.
Aos meus alunos, em todos os pontos,
seminários e faculdades de São Paulo, que 19
têm aprendido com as minhas simples
interpretações e exegeses das Escrituras!
Aos companheiros da santa vocação na
oração permanente de todas as manhãs em
nossa sede em Suzano.

Professor Jean Carlos


Suzano, SP, 16 de Maio 2019
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
Definição de exegese

O termo ‘exegese’ é proveniente de dois


termos grego, veja:

20 a) “ek ou ec, ek ou eks”


No termo técnico em foco primeiro temos
a preposição acima alistada, que aparece
com certa frequência em [o] NT, mais de 650
vezes. Basicamente, ela carrega os seguintes
sentidos:

• De dentro de;
• A partir de. Além destas, termos outras
possibilidades variando conforme a tradução
linguística.

b) “a)/gw, agô”
A outra parte do termo ‘exegese’ é formada
pelo radical do verbo acima, que carrega os
seguintes significados básicos, veja:

• Conduzir; • Trazer.

Portanto, temos “ek ou ec, ek ou eks” +


“a)/gw, agô”, indicando o profundo sentido
de: arrancar para fora do texto o sentido
de dentro, é tirar de dentro do texto o
sentido real e aplicá-lo fora e/ou conduzir
de dentro do texto o sentido dele para fora.
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 21
É evidente, que neste caso vale-se, pois, do
conhecimento das línguas originais (hebraico,
aramaico e grego), da confrontação dos diversos
textos bíblicos e das técnicas aplicadas nos
ramos da linguística e da filosofia, ligadas
diretamente. 21

Definição de eisegese
O termo ‘eisegese’ é proveniente de dois
termos grego, veja

a) “eiv, eis”
No termo técnico em foco primeiro temos
a preposição acima alistada, que aparece com
imensa frequência em [o] NT, mais de 1500
vezes. Basicamente, ela carrega os seguintes
sentidos contrário com a alistada acima, veja:

• Para (à);
• Para dentro de. Além destas, termos outras
possibilidades variando conforme a tradução
lingüística.

b) “a)/gw, agô”
A outra parte do termo ‘exegese’ é formada
pelo radical do verbo acima, que carrega os
seguintes significados básicos, veja:
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
• Conduzir; • Trazer.

Portanto, temos “eiv, eis”+ “a)/gw, agô”,


indicando o profundo sentido de: colocar para
dentro do texto o sentido de fora, é tirar de
22 fora do texto o sentido imaginário e aplicá-
lo dentro do texto e/ou conduzir para dentro
do texto o sentido de fora do texto. Portanto,
esta tal ‘eisegese’ pode perfeitamente gerar os
seguintes princípios:

• É mera especulação linguística, teológica e


histórica;

• Todas as heresias nascem da axiologia


exacerbada tendo como núcleo a eisegese;

• O misticismo continuo, vem da eisegese;

• A eisegese, é a mãe da interpretação


particular.

Hermenêutica x exegese
Enquanto que a hermenêutica é a
ciência e arte da interpretação bíblica, a
exegese indica o modo de arrancar para
fora do texto o sentido de dentro, é tirar
de dentro do texto o sentido real e aplicá-
lo fora. É a disciplina que aplica métodos e
técnicas que ajudam na compreensão do texto.
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 23
Levando em consideração das diferenças
técnicas, apresentadas pelos teóricos no começo
desta lição, levamos em consideração que do
ponto de vista etimológico, hermenêutica e
exegese são sinônimo ou no mínimo bem paralelo.
23
Mas hoje alguns teóricos e especialistas
costumam fazer a seguinte diferença:
Hermenêutica é a ciência e arte da
interpretação bíblica, que permitem descobrir
e explicar o verdadeiro sentido do texto,
enquanto a exegese é a arte de aplicar
essas normas, ou em outras palavras, a
exegese seria a prática da hermenêutica,
sempre lembrando da complexibilidade
acentuada nos termos técnicos.

Tipos básicos de exegese


Evidentemente, que cada qual aplica,
ou pelo menos em teoria, suas regras próprias
de exegese. Neste método classificamos os
seguintes tipos de exegese, vejam:

a)Exegese Rabínica
Está claro que os judeus interpretavam a
Escritura letra por letra, por causa da noção
de inspiração que tinham a da importância
desta inspiração.
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
Se uma palavra não tinha sentido
perceptível imediatamente, eles usavam
artifícios intelectuais, para lhe dar um sentido,
porque todas as palavras da Bíblia tinham que
ter uma explicação, pelo menos em teoria.
24
DEFINIÇÃO DO TERMO EPÍSTOLA

Definições gerais

A palavra ‘epístola’ é de origem da


língua grega. É formada da preposição ‘Epí’,
que no Novo Testamento é utilizada em
diversos sentidos. Os principais são: ‘com’,
‘sobre’, etc... e a segunda parte do termo
grego ‘Stolê’ que basicamente se traduz
como ‘túnica’. Numa tradução hiper literal
‘epí’ + ‘stolê’ ficaria com ‘sobre túnica’ ou
‘com a túnica’? parece sem sentido? Bom,
de acordo com o linguista Johannes Louw o
substantivo ‘Stolê’ pode ser traduzido como
‘capa cumprida e solta ao redor do corpo’.

O mestre José Apolônio da Silva conta


que naquela época existia uma ‘bolsa’ feita e
trabalhada com um acabamento ‘especial’ onde
as cartas eram colocadas dentro dessa ‘bolsa’.
Assim, essa ‘manta’ era colocada no lombo d[o]
jumento que a levava ao destinatário. Então,
nesse caso, epístola (ou pano derivado do stolê)
era o recipiente que levava as cartas
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 25
Associação do termo com ‘carta’

O termo ‘epístola’ em nossa língua é uma


transcrição do latim ‘epístola’, por sua vez, vem
transliterado do substantivo grego epistolê
(que é a junção de ‘epí’ + ‘stolê’), neste caso, 25
os dicionários traduzem como ‘carta’, palavra
conhecida em nossa língua.

O termo ‘carta’, por sua vez, não vem


grego, e, sim do latim.

INTRODUÇÃO DA CARTA AOS EFÉSIOS


A carta que iniciamos é uma das ou (talvez
com exagero) a mais profunda escrita pelo apóstolo.
Sendo assim, tenho nas mãos a maior prova para
minha carreira como escritor. Agora, se alguém
dissesse “as cartas de Paulo não são fáceis!” É
verdade (ver 2 Pe. 3. 15s). Para mim esta observação
não é novidade nenhuma, como sempre gostei de
desafios, as dificuldades encontradas no estudo,
dificuldade gramatical, torna-o imensamente
compensador seu estudo.

A Carta aos Efésios e os seus profundos


componentes linguísticos sempre foram para mim
um desafio desvendá-los, posso até dizer que sempre
foi um sonho meu comentá-la com propriedade. Até
que neste mês (Abril - 2009), iniciei o seu comentário.
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
Ao longo do estudo, o (a) leitor (a) irá observar
que nela existem particularidades exclusivas dando
com propriedade apoio para a sistematização da
Igreja. Paulo, na Carta, aprofundou os componentes
gramaticais, dando uma profundidade considerável
e diferenciando-a das demais cartas escritas por ele.
26
Na Carta aos Efésios, vamos descobrir
claramente a importância que Paulo dava para "...
estar com Cristo...".

O apóstolo já começa no início falando de dois


problemas que "cortam” os séculos: "predestinação"
e “eleição”. Na Carta também encontramos com
propriedade a certeza da salvação sem depender
de "toque direto humano", ou seja, não basta ser
caridoso, além disto, é preciso a fé em Cristo.

Outros assuntos estão expostos na Carta tais


como: A defesa apostólica de Paulo, a profunda
unidade da fé, a armadura do cristão e muitos outros
que comentarão com propriedade a luz do original.
Enfim, a minha oração é para que, o leitor mergulhe
na imersão do texto, contexto, exegese, exposição da
Carta. E que este simples servo, contribua um pouco
para isto, um bom estudo em nome de Jesus.

A CIDADE DE ÉFESO

A cidade de Éfeso era uma das mais


importantes na época. Aparece no Novo Testamento
em Atos 18.19,24; 19.17,26; 1 Coríntios 15. 32;
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 27
1Timóteo 1.3; 2 Timóteo 1.18; 4.12; Apocalipse 2. 1.
A cidade estava localizada na Lídia, que, de acordo
com os historiadores, era um Reino, além de antigo,
muito poderoso, na Ásia Menor. Éfeso localizava-
se na costa ocidental da Ásia Menor. De acordo
com alguns historiadores, a cidade na época de
Paulo tinha uma população estimada entre 200.000 27
a 225.000 habitantes, se encontrando entre Mileto
e Esmirna. Cidade importantíssima do Império
Romano.

SÍNTESE HISTÓRICA

A história da cidade tem os seus princípios no


período interbíblico. No século 11 antes de Cristo, a
cidade foi tomada por grupos de Iônios, descendentes
gregos. De acordo com os historiadores, a cidade
de Éfeso ficou como pertencente a um grupo de
12 cidades, formando assim uma confederação e
tendo como capital ela própria. Quando faltavam
55 dias para terminar o período interbíblico , na
Lídia existia um rei por nome Creso, sendo a
cidade de Éfeso submeteu-a, ficando a cidade de
Sardes como capital. Mas com a ascensão Persa,
logo Éfeso foi submetida . Com as conquistas
alexandrinas, Éfeso passou a pertencer ao domínio
Greco-Romano. Até o período do Novo Testamento,
a cidade passou por diversas alterações, até suas
citações, com as viagens missionárias de Paulo.
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
HISTÓRIA DA CARTA

Todas as epístolas paulinas possuem suas


histórias particulares. O que fica claro que a carta
em foco foi escrita da prisão (de Paulo) em Roma
(Atos 28. 14-31) com a data bem aceita pelos eruditos
28
para 62 d.C. A Bíblia nos conta que o apóstolo Paulo,
na sua Segunda Viagem Missionária, fez uma curta
passagem em Éfeso (Atos 18.10). Nesta ocasião,
deixou por lá Áquila e Priscila para continuar "sua
obra" (At. 18.21). Na Terceira Viagem Missionária,
permaneceram na cidade uns dois anos, isto de
acordo com (At 19.10). Agora, alguns chegam a
acrescentar dizendo que o apóstolo permaneceu
por lá quase três anos acrescentando os meses do
versículo oito. Como quer que seja, foi um "bom"
período.

O apóstolo sai da cidade após o tumulto


causado por um cidadão por nome de Demétrio. Este
fabricava as peças da deusa Diana. Com a chegada
do Evangelho que Paulo pregava, o "lucro" se foi de
Demétrio, e isto o causou muitos problemas. Após
os episódios, o apóstolo Paulo deixou Timóteo em
seu lugar para guardar a Igreja, contra os problemas
de heresiologia. Isto é, de acordo com (1Tm 1.3),
posteriormente retornando, não houve como chegar
a Éfeso. O texto sagrado diz que ele convocou os
presbíteros da Igreja de Mileto (At 20.16).Algum tempo
depois, o apóstolo Paulo mandou certo Tíquico, que
levou a Epístola à Igreja de Éfeso (Ef 1.1, 2Tm 4.12).
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 29

TRÊS MENSAGENS AOS EFÉSIOS



DE PAULO AOS PRESBÍTEROS
A EPÍSTOLA AOS EFÉSIOS
29
A CARTA DE CRISTO AP 2.1

AUTOR: PAULO

DATA: 62 D.C.

DESTINO: AOS CRISTÃOS DA ÁSIA


MENOR EM ÉFESO

CHAVE: EM 4.13

TEMA: A UNIDADE DA IGREJA


Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 31

31

II – COMENTÁRIO
EXPOSITIVO DE EFÉSIOS
CAPÍTULO 1
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2

32

1. Prefácio e saudação
(2.1-12)
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 33

EXPOSIÇÃO TEOLÓGICA E EXEGÉTICA


DO VERSÍCULO1

TEXTO GREGO, TRANSLITERADO E


TRADUÇÃO LITERAL: 33

Pau=lov a)po/stolov Xristou= )Ihsou= dia_ qelh/matov


Paulos apóstolos Khristu Iêssu dia Thelêmatos
Paulo apóstolo[de] Cristo Jesus pela vontade

qeou= toi=v a(gi/oiv toi=v ou]sin kai_


Theu toís hágios toís ussin kaí
Deus aos santos os estão e

) fe/sw|
E kai pistoi=v e)n Xristou= I) hsou=
[em Eféssô] kai Pistois en Khristú Iêssu
[em Eféso] e Fiéis em Cristo Jesus

I. “Paulo, apóstolo...”.
Gr. “Pau=lov a)po/stolov,
Paulos apóstolos”.

Para esta posição ver introdução do livro


no capítulo 01: “Comentário expositivo da carta
aos Gálatas”.

Geralmente, as saudações e introduções de


Paulo são costumeiras numa carta do primeiro
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
século: primeiro o nome do (s) escritor (es),
depois o(s) do(s) destinatário, e uma oração.

II. “... vontade de Deus...”.


Gr. “qelh/matov qeou=,
34 thelêmatos Theu”.

Em todos os princípios de suas cartas, ele


salienta a origem divina do seu apostolado (ver o
texto de Gálatas 1.1-3), isto é dado pela insistência,
pela vontade de Deus. O substantivo “qelh/ma,
Thelêma”, é de uma grande profundidade, tem
o sentido de "vontade" (Mt 6.10; Lc 12. 42; Jo 6.
38-40). Dependendo do contexto, o substantivo
poderá ser traduzido como “desejo”. (1Co 7.37)
Exegeticamente, o apóstolo de Jesus Cristo, isto
se deu pelo desejo de Deus.

III. "... em Cristo Jesus..."


Gr. “e)n Xristou= )Ihsou= ,
em Khristu Iêssu”.

Em toda a extensão do Novo Testamento,


fica claro: a bênção é para os que estão em Cristo.
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 35

EXPOSIÇÃO DA PREPOSIÇÃO e0n, en

De acordo com os gramáticos e0n en, é


a preposição mais comum do NT. Pela sua
grandeza tem variações em seu emprego. Sua
grande importância se dá pelo fato de ser usado, 35
no caso dativo1 (parte da gramática grega, que
diz do interesse pessoal), para ir mais além. Nos
escritos de Paulo os termos "em Cristo", "em
Cristo Jesus", "no Senhor" ocorrem com muita
frequência, aliás, a preposição só na Carta aos
Efésios aparece mais de 30 vezes. Exegeticamente
falando, "em Cristo..." significa: além d[o] salvo
viver e agir, na espera de Cristo. Além do mais,
pode indicar perfeitamente, viver em plena
comunhão com Cristo (Rm 6.11, 1Co 1.30).

A Bíblia deixa claro sobre a comunhão,


o benefício que temos quando estamos em
comunhão com Cristo Jesus.

IV. "... que estão em Éfeso..."


Gr. “toi=v ou]sin e)n )Efe/sw|,
tois ussin em Efessô”.

1
A PARTIR DE AGORA, O LEITOR AO ENCONTRAR ALGUMA
CITAÇÃO DE GRAMÁTICA, DEVERÁ CONSULTAR O APÊNDICE.
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2

“ e)n )Efesw=|, em Efessô” nos manuscritos gregos


antigos
Uma boa parte dos eruditos acredita
que a carta em foco não foi endereçada
exclusivamente para Éfeso e sim para toda
36 a região. A razão disto é que a expressão "...
em Éfeso..." não aparece nos manuscritos
mais antigos. Isto levando em consideração a
referência ao Códice Sinaiticus e Códice Vaticano.

Com tudo isto, “... em Éfeso...”, por sua vez,


aparece no Códice Alexandrino e em mais de 20
manuscritos, entre eles destaco o minúsculo 33
(manuscrito grego de boa qualidade, presente em
Paris). A frase aparece no texto grego adotado por
este comentário. De acordo com Dr. Pickering,
a frase aparece em 99,2% dos manuscritos e,
portanto, ela pertece ao original.

O apóstolo dirige aos santos “toi=v a9gi/oiv,


tois hagiois”, como está no caso dativo, e traz a
seguinte indicação: Os santos são aqueles que
lavaram as vestes no sangue do Cordeiro e foram
renovados pelo Espírito Santo, sendo separados
para Deus.

Como as versões traduziram?


ARC, KJF e ACF: “Paulo, apóstolo de Jesus
Cristo, pela vontade de Deus, aos santos que
estão em Éfeso...”.
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 37
TB: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus por vontade
de Deus, aos santos que estão em Éfeso ...”.

KJA e NVI: “Paulo, apóstolo de Jesus Cristo,


pela vontade de Deus, aos santos...que estão em
Éfeso”. 37

NAA: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela


vontade de Deus, aos santos que vivem em
Éfeso...”.

NVT: “Eu, Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela


vontade de Deus...ao povo santo em Éfeso...”.

NTLH: “Eu, Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela


vontade de Deus, escrevo esta carta ao povo de
Deus da cidade de Éfeso...”

EXPOSIÇÃO TEOLÓGICA E EXEGÉTICA


DO VERSÍCULO 2

TEXTO GREGO, TRANSLITERADO


E TRADUÇÃO LITERAL

xa/riv u9mi=n kai_


Kharis humin kaí
Graça a vós e
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2

ei0rh/nh a)po_ qeou=


Eirênê apo Theú
Paz da parte de Deus

patro/v h9mw=n kai_


38 Patrós hêmôn kaí
Pai de nós e

kuri/ou )Ihsou= Xristou=.


Kyriu Iêssú Khristú
Senhor Jesus Cristo

I. “... A vós graça...”.


Gr. “xa/riv u9mi=n,
kharis humin”.

O substantivo “xa/riv kharis” pertence ao


grupo da terceira declinação e no contexto em foco
está no caso nominativo (o sujeito desempenha
papel principal na oração). Dependendo do
contexto terá variações de emprego, tendo ideia
de graciosidade, atratividade (Col 4.6), ajuda
graciosa, favor (Lc 1.30; 2.40). Geralmente,
dizemos que graça é favor imerecido, claro que
existem outras definições. O apóstolo deseja “a
vós” esta graça.

II. “... da parte de Deus...”.


Gr. “a)po_ qeou, apó Theu”
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 39
Com o emprego da preposição “apó” traz
o sentido de ponto de partida, sendo assim, "da
parte de Deus", exegeticamente falando, indica
que a "paz e graça" têm o mesmo ponto de
partida, em Deus (Theu).
39
III. "... e da do Nosso Senhor..."
Gr. “h9mw=n kai_ kuri/ou )Ihsou=,
hêmôn kai Kyriu Iêssu”.

É impressionante o emprego Paulino da


conjunção “kaí”, esta por sua vez, está no grupo
das conjunções ilativas ou conclusivas.

É considerada pelos gramáticos como a


mais completa e a que aparece mais de nove mil
vezes, não somente nos escritos Paulinos, mas
em todo o NT. Sendo assim, a "graça e paz", que,
de acordo com a preposição "apó", tem seu ponto
de partida em Deus, exegeticamente falando,
esta mesma "graça e paz" têm também seu ponto
de partida em Cristo.

Exatamente pela conjunção ilativa “kaí”,


é como se Paulo estivesse dizendo que tanto do
ponto de partida de Deus, e também Jesus Cristo
vem à paz , isto é, aos cristãos da igreja em Éfeso
Cristo deu-nos a "graça e paz".
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
Como as versões traduziram?
ARC e ACF: “a vós graça e paz, da parte de Deus,
nosso Pai, e da do Senhor Jesus Cristo”.

KJF: “Graça seja a vós, e paz, de Deus nosso Pai,


40 e do Senhor Jesus Cristo”

TB: “Graça a vós e paz da parte de Deus, nosso


Pai, e da do Senhor Jesus Cristo”.

KJA: “Graça a vós e paz da parte de Deus nosso


Pai e do Senhor Jesus Cristo. Deus nos abençoou
em Cristo”.

NAA: “Que a graça e a paz de Deus, nosso Pai, e


do Senhor Jesus Cristo estejam com vocês”.

NVI: “A vocês, graça e paz da parte de Deus


nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo”.

NVT: “Que Deus, nosso Pai, e o Senhor Jesus


Cristo lhes deem graça e paz”.

NTLH: “Que a graça e a paz de Deus, o nosso


Pai, e do Senhor Jesus Cristo estejam com vocês!”
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 41

41

2. A preminência de Cristo
no plano do Pai (1.3-6)
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2

EXPOSIÇÃO TEOLÓGICA E EXEGÉTICA


DO VERSÍCULO 3

TEXTO GREGO, TRANSLITERADO


42 E TRADUÇÃO LITERAL:

Euvloghto.j o` qeo.j
Eulogêtós hó Theós
Bendito o Deus

kai. path.r tou/


Kaí patêr tu
E pai do

kuri,ou h`mw/n VIhsou/


Kyriu hêmôn Iêssu
Do Senhor de nós Jesus

Cristou/( o` euvlogh,saj
Khristú hó eulogêtós
Cristo o O Que abençou -

h`ma/j evn pa,sh|


Hêmás en passê
Nos em toda
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 43
euvlogi,a| pneumatikh/| evn
Eulogía pneumatikê en
Bênção espiritual em [dentro]

toi/j evpourani,oij
Toís epuraníois 43
As [regiões] sobre o céu

evn Cristw/|(
En Khristô
Em [o] Cristo.

I. “Bendito o Deus e Pai...".
Gr. “Eu0loghto_v o9 Qeo_v kai_ path_r,
Bendito o Deus e Pai...”.

Dizer que Deus é bendito não é muito fácil?


Mas o que significa ser bendito? O adjetivo tem
o profundo sentido de dignificar alguém que
é bendito, louvado (Rom 9.5). Exegeticamente
falando, "... Bendito o Deus..." traz uma indicação
que Deus é “digno de bênção”, mas alguém pode
abençoar Deus? É claro que não, é apenas uma
tradução literal. Já o substantivo “path_r patêr”
indica Pai com o sentido ancestral imediato,
isto de acordo com (Mc 5.40; At 7.14). Agora, o
substantivo indica
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
Deus como Pai de Cristo (Mt 7.21; Lc 2.49),
em muitas vezes no NT o substantivo aparece
com o artigo, isto é, “o9 path_r patêr”.

II. “... o qual nos abençoou...”.


44 Gr. “...o9 eu0logh/sav h(ma=v,
Hó eulogêssas hêmas...”.

A bênção de Deus em nossas vidas está


clara. “Abençoou-nos...”, aqui é um verbo,
que por sua vez está conjugado no Aor. Part.
At. O tempo do verbo aoristo indica uma ação
acabada, completa. Exegeticamente falando,
fomos “abençoados”. Esta conjugação é
do verbo “eu0loge/w eulogeô”, que traz o
sentido de falar bem de, exaltar. Realmente
fomos abençoados pelo poderoso Deus.

III. “...com todas as bênçãos espirituais...”.


Gr. “...e0n pa/sh| eu0logi/a| pneumatikh=| ,
em passê eulogia pneumatikê...”.

Além de dizer com "todas...", podemos


dizer “em todas...”, isto se dá pela preposição
“e0n, en”, Agora em referência ao sentido
real de “todas...”, isto se explica pelo fato no
original está “pa/sh| passê”, que sua vez é um
adjetivo da terceira declinação. O termo tem
Jean Carlos da Silva Alcantara ¨ 45
o sentido exegético de toda(s), agora, o termo
tem variações de emprego, mas de forma
geral significa mesmo toda, como está no caso
locativo, que traz a ideia de lugar, ou "em todas".

IV. “...lugares celestiais em Cristo..." 45


Gr. “...e0n toi=v e0pourani/oiv e0n Xristw=|,
Em tois epuraniois em Christô”.

Na Carta aos Efésios o termo aparece com


certa frequência: cinco vezes (1.20, 2.6, 3. 10; 6.
12). O termo “epuraniois” está no caso locativo
e no plural. O caso locativo traz a ideia de
“lugar”, “local”. O termo indica uma esfera de
ação relacionada mesmo com o Espírito. Como o
termo “ou0ra/nouv uranus” significa “céu”, então
isto significa que através de Cristo recebemos
todos os benefícios de conhecer a Deus. A
expressão "lugares" não pode ser entendida
como substantivo e sim como adjetivo, é evidente
que devemos entender que o adjetivo tem o
sentido de "celestial". Evidentemente, que o
termo "lugar", não está no original, é apenas
uma complemento do português. Este "lugar
celestial" indica o local, se refere ao local onde
Cristo está assentado, acima de qualquer lugar
(v. 20), é um Reino Espiritual glorioso.
Comentário Expositivo - Efésios 1 e 2
Como as versões traduziram?

ARC, KJF e ACF: “Bendito o Deus e Pai...o qual


nos abençoou com todas as bênçãos espirituais
nos lugares celestiais em Cristo”.
46
TB: “Bendito o Deus e Pai...que nos abençoou
com toda a bênção espiritual nas regiões celestes
em Cristo”.

KJA, NVI e NAA: “Bendito seja o Deus e Pai...que


nos abençoou com todas as bênçãos espirituais
nas regiões celestiais em Cristo”.

NVT: “Todo louvor seja a Deus, o Pai...que


nos abençoou em Cristo com todas as bênçãos
espirituais nos domínios celestiais”.

NTLH: “Agradeçamos ao Deus e Pai...pois ele


nos tem abençoado por estarmos unidos com
Cristo, dando-nos todos os dons espirituais do
mundo celestial”