Você está na página 1de 27

INSCRIÇÃO ESCOLA SALA LUGAR NA

SALA

NOME ASSINATURA DO CANDIDATO

ESPECIALIDADES CIRÚRGICAS

Instruções para a realização da prova


 Esta prova é composta de 80 questões de múltipla escolha. Para cada questão, há 4 alternativas, devendo
ser marcada apenas uma.

 Assine a folha de respostas com caneta esferográfica preta e transcreva para essa folha as respostas
escolhidas.

 Ao marcar o item correto, preencha completamente o campo correspondente, utilizando caneta esferográfica
preta.

 Não deixe nenhuma das questões em branco na folha de respostas.

 A duração total da prova é de 5 horas. NÃO haverá tempo adicional para transcrição de gabarito.

 Você somente poderá deixar a sala após 2h30min do início da prova, podendo levar consigo APENAS o
CONTROLE DE RESPOSTAS DO CANDIDATO e a DECLARAÇÃO DE PRESENÇA (abaixo).

RESIDÊNCIA MÉDICA 2019 – 1ª FASE


ESPECIALIDADES CIRÚRGICAS

CONTROLE DE RESPOSTAS DO CANDIDATO


1 11 21 31 41 51 61 71
2 12 22 32 42 52 62 72
3 13 23 33 43 53 63 73
4 14 24 34 44 54 64 74
5 15 25 35 45 55 65 75
6 16 26 36 46 56 66 76
7 17 27 37 47 57 67 77
8 18 28 38 48 58 68 78
9 19 29 39 49 59 69 79
10 20 30 40 50 60 70 80

DECLARAÇÃO DE PRESENÇA

Declaramos que o candidato abaixo, inscrito no PROCESSO SELETIVO RESIDÊNCIA MÉDICA 2019, compareceu à prova da 1ª
Fase realizada no dia 04 de novembro de 2018.

Nome: Documento:

Coordenação de Logística
Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp
01. A cirurgia bariátrica tornou-se o tratamento padrão-ouro para a obesidade mórbida
refratária nas últimas décadas. Em relação aos mecanismos fisiopatológicos e os
resultados observados após sua realização, assinale a alternativa correta:
a) A melhora do Diabetes mellitus tipo 2 após o bypass gástrico em Y de Roux é
comumente tardia e relacionada à perda significativa de peso.
b) A banda gástrica ajustável leva à melhora significativa da resistência à insulina
devido à grande alteração na secreção incretínica.
c) As derivações biliopancreáticas levam aos maiores índices de reversão do
Diabetes mellitus tipo 2 e perda de peso sustentada em longo prazo.
d) A incidência global de neoplasias malignas entre os indivíduos operados é
semelhante à da população obesa não operada.

02. Mulher, 32a, assintomática, traz ultrassonografia abdominal solicitada por clínico
geral com achado incidental de lesão cística no pâncreas. Assinale a alternativa
correta:
a) A neoplasia cística serosa predomina em pacientes jovens do sexo masculino.
b) A neoplasia papilar intraductal mucinosa de ducto principal é mais comum na
cabeça do pâncreas.
c) A elevação da alfafetoproteína no conteúdo do cisto é característica da neoplasia
cística serosa.
d) A neoplasia cística mucinosa se apresenta mais comumente na cabeça do
pâncreas.

03. Mulher, 72a, com Índice de Massa Corporal (IMC) de 42,1kg/m2, diabética há 12
anos em uso de hipoglicemiante oral e insulina NPH, procura assistência médica para
tratamento de obesidade. É obesa há 20 anos e não respondeu a três tentativas de
terapia medicamentosa e/ou comportamental. A respeito deste caso, assinale a
alternativa correta:
a) O bypass gástrico em Y de Roux associa-se a índices similares de perda de peso
e manutenção do peso perdido quando comparado à banda gástrica ajustável.
b) O uso de insulina e o Diabetes mellitus tipo 2 de longa data são fatores que levam
a menor chance de reversão do diabetes após o bypass gástrico.
c) A gastrectomia vertical associa-se a incidência pós-operatória de refluxo
gastroesofágico menor que o bypass gástrico em Y de Roux.
d) Conforme a regulamentação em vigor no Brasil, existe contraindicação formal
para cirurgia bariátrica neste caso, devido à idade acima de 70 anos.
04. Homem, 71a, tabagista, apresenta icterícia, prurido, colúria e acolia fecal há 30
dias, associadas à perda de 15kg no período. É correto afirmar:
a) A hipótese diagnóstica mais provável é neoplasia maligna da transição corpo-
cauda do pâncreas.
b) A colocação de prótese endoscópica pré-operatória diminui as complicações
infecciosas após a duodenopancreatectomia.
c) O tipo histológico mais comumente observado nestes casos é o carcinoma de
células acinares.
d) Os tumores estadiamento T4 são caracterizados por envolvimento extenso de
tronco celíaco ou artéria mesentérica superior.

05. Mulher, 25a, assintomática, comparece ao ambulatório trazendo ultrassonografia


com achado incidental de dilatação de vias biliares extra-hepáticas, sem
colecistolitíase. Realizou colangiorressonância que mostrou vesícula biliar sem
cálculos, anomalia de junção biliopancreática e dilatação fusiforme do hepatocolédoco
em toda a sua extensão, sem fatores obstrutivos identificados. A conduta é:
a) Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE) e colocação de prótese
endoscópica.
b) Colecistectomia, ressecção de via biliar e derivação hepaticojejunal em Y de
Roux.
c) Colecistectomia, coledocotomia e colocação de dreno de Kehr.
d) Colecistectomia e derivação coledocoduodenal laterolateral.

06. Homem, 39a, apresenta Índice de Massa Corporal (IMC) de 46,7kg/m2. Foi
indicada cirurgia bariátrica e durante a avaliação pré-operatória observaram-se
alterações ultrassonográficas sugestivas de hepatopatia crônica. A respeito deste
caso, assinale a alternativa correta:
a) A cirurgia bariátrica não deve ser indicada nestas circunstâncias devido à provável
cirrose hepática.
b) Caso não haja evidências de hipertensão portal significativa ou insuficiência
hepatocítica, a cirurgia bariátrica pode ser indicada.
c) A cirurgia bariátrica não é capaz de levar à reversão da fibrose hepática
secundária à doença hepática gordurosa não alcoólica.
d) A gastrectomia vertical está contraindicada neste caso devido à alta frequência de
insuficiência hepática tardia.
07. Em relação à doença do refluxo gastroesofágico, assinale a alternativa
correta:
a) Queimação retroesternal e regurgitação são sintomas atípicos da doença.
b) Endoscopia digestiva alta deve ser realizada em todos os pacientes.
c) O diagnóstico de esôfago de Barrett necessita de confirmação histológica.
d) O tratamento cirúrgico está indicado na maioria dos pacientes sintomáticos.

08. Assinale a afirmativa correta em relação às complicações pós-gastrectomias:


a) A anastomose gastroduodenal à Billroth I evita a gastrite alcalina de refluxo.
b) A diarreia crônica é uma complicação frequente após uma gastrectomia.
c) A anastomose esofagojejunal à Y de Roux está indicada para prevenir fístula.
d) A anastomose gastrojejunal à Billroth II está associada a câncer de coto gástrico.

09. Sobre os tumores estromais do estômago, pode-se afirmar que:


a) São considerados originados das células intersticiais de Cajal.
b) Apresentam positividade na imunohistoquímica para a Desmina.
c) Em ordem de frequência, ocorrem em segundo lugar, depois do esôfago.
d) Os critérios prognósticos são: tamanho, número de mitoses e ki-67 negativo.

10. Em relação ao carcinoma espinocelular do esôfago, assinale a alternativa


correta:
a) A endoscopia digestiva alta com cromoscopia é o melhor método para a detecção
de tumores superficiais.
b) O carcinoma espinocelular é mais frequente em mulheres e no terço médio do
esôfago.
c) Tumores classificados como lesões T2 podem ser tratados oncologicamente por
resecção endoscópica.
d) É o segundo tipo histológico mais comum, independente da região geográfica
considerada.

11. O conhecimento da anatomia é importante para o cirurgião. Assim, em relação ao


esôfago, assinale a afirmativa correta:
a) O esôfago cervical inicia-se ao nível da quarta vértebra cervical.
b) O esôfago abdominal termina ao nível da primeira vértebra lombar.
c) O tronco vagal esquerdo apresenta-se em posição anterior no hiato esofágico.
d) O tronco vagal direito apresenta-se em posição anterior no hiato esofágico.
12. Em relação à irrigação do estômago, pode-se afirmar que:
a) O tronco celíaco origina-se diretamente da artéria mesentérica inferior.
b) A artéria gástrica esquerda origina-se diretamente da artéria mesentérica superior.
c) A artéria gástrica direita origina-se diretamente do tronco celíaco.
d) A artéria gastro-omental direita origina-se diretamente da artéria gastroduodenal.

13. Paciente apresenta quadro de hepatopatia crônica por álcool; parou de beber há
36 meses. Tem antecedente de encefalopatia e peritonite bacteriana espontânea.
Apresenta MELD de 12 (Creatinina= 0,95mg/dL; BT= 2,7mg/dL; RNI=1,2) e mantém
ascite volumosa. Sódio urinário= 89mEq/L. Está em uso de espironolactona 100mg/dia
e de furosemida 40mg/dia. Tem procurado Pronto Socorro para paracentese de alívio
a cada três semanas. Em relação ao caso, qual é a hipótese diagnóstica e a
conduta?
a) Ascite refratária; passagem de Transjugular Intrahepatic Portosystemic Shunt
(TIPS).
b) Ascite de difícil manejo; adequação da dieta e otimização de diuréticos.
c) Ascite de difícil manejo; transplante de fígado como situação especial.
d) Ascite refratária; passagem de TIPS, e caso não haja melhora, considerar
transplante de fígado como situação especial.

14. Paciente com diagnóstico de cirrose por vírus da hepatite C há 10 anos, sem
resposta a tratamento viral. Apresenta exames de 12/09/2018: Creatinina= 0,5mg/dL;
BT= 1,1mg/dL; RNI= 0,6 (MELD= 09); Tomografia computadorizada (TC) de abdome:
lesão focal hepática em segmentos II e III, medindo 4,7cm compatível com carcinoma
hepatocelular, sem evidencia de ascite. Atualmente em acompanhamento para
estadiamento, aguardando TC de tórax e cintilografia óssea. Após dois dias, vem ao
Pronto Socorro com queixa de dor abdominal de forte intensidade, crescente, e de
início súbito. PA= 110/70mmHg; FC= 80bpm; HB= 8,1g/dL. Ultrassonografia na sala
de urgência: líquido livre na cavidade em moderada quantidade. O diagnóstico e a
conduta são:
a) Abdome agudo hemorrágico; TC de abdome e arteriografia.
b) Cirrose descompensada; punção de alívio.
c) Abdome agudo hemorrágico; laparotomia exploradora de urgência.
d) Hemorragia digestiva alta; derivados da somastotatina e endoscopia.
15. Atualmente, em nosso País, a doação de órgãos necessita de autorização familiar
após o diagnóstico inequívoco e devidamente comprovado de morte encefálica. Sobre
o processo de doação de órgãos e a cirurgia de retirada dos mesmos, pode-se
afirmar que:
a) Em casos de morte encefálica secundária a causas externas em que haja a
retirada de órgãos para doação, o corpo deverá ser encaminhado ao Instituto
Médico Legal, realizada necropsia e emitido o Atestado de Óbito, sendo o horário
do óbito correspondente ao da perfusão dos órgãos na cirurgia de retirada.
b) Na cirurgia de hepatectomia total para doação, deve ser realizado o inventário da
cavidade, avaliando-se aspectos macroscópicos do órgão e da anatomia vascular
pela palpação principalmente da região do Hiato de Winslow, no qual se busca o
tronco da artéria hepática comum proveniente da artéria mesentérica superior,
variação anatômica mais comumente encontrada.
c) A sequência de retirada de múltiplos órgãos obedece à seguinte ordem: coração,
pulmões, fígado, rins, pâncreas, intestino delgado, artérias e veias, córnea, pele e
outros tecidos.
d) Na perfusão dos órgãos abdominais deve-se cateterizar a aorta infrarrenal e a
veia mesentérica superior ou inferior. Após, é feito o pinçamento da aorta
abdominal supracelíaca ou torácica descendente e seccionada a veia cava inferior
junto ao átrio direito, para descompressão e drenagem das soluções de
preservação.

16. Mulher, 15a, moradora do sul de Minas Gerais, próxima à zona da mata.
Alimentava, com frequência, animais silvestres (pássaros, pacas, macacos). No início
do ano de 2018 procurou o Pronto Socorro com quadro de febre e icterícia; não
apresentava comorbidades. Exames laboratoriais: AST= 4000U/L; ALT= 3500U/L.
Frente à epidemiologia e quadro clínico, qual é a hipótese diagnóstica e como
confirmá-la?
a) Hepatite fulminante por doença autoimune; presença de encefalopatia e RNI≥ 3,5.
b) Hepatite fulminante por febre amarela; presença de bilirrubinas≥ 17,5mg/dL e
RNI≥ de 3,5.
c) Hepatite fulminante por febre amarela; presença de fator V inferior a 20% e
encefalopatia.
d) Hepatite fulminante por febre amarela; presença de fator V inferior a 30% e
encefalopatia.
17. Paciente apresenta quadro de dor em hipocôndrio direito, febre e icterícia. Foi
diagnosticada coledocolitíase, sendo submetida a Colangiopancreatografia Retrógrada
Endoscópica (CPRE) e com retirada de cálculos, clareamento das vias biliares e
posterior colecistectomia. Evoluiu bem, com alta no segundo dia. Após 15 dias da
intervenção, apresentou febre e queda do estado geral. Realizou tomografia de
abdome com achado de coleção hepática de 9,7cm, halo hipercaptante e ar em seu
interior, no segmento VIII, associado a ascite em moderada quantidade. Punção de
líquido ascítico demonstrou transudato. Qual é a hipótese diagnóstica e a conduta?
a) Abscesso hepático por germe Gram negativo; antibioticoterapia de largo espectro.
b) Abscesso hepático por germe Gram positivo; punção da coleção hepática.
c) Abscesso hepático por germe Gram negativo; punção da coleção hepática.
d) Bilioma intra-hepático; re-exploração cirúrgica com derivação biliodigestiva.

18. Mulher, 46a, foi submetida à retossigmoidectomia com anastomose colorretal


devido a adenocarcinoma de reto. Paciente perde acompanhamento e após 24 meses
realiza Ressonância Magnética Nuclear de abdome total que revela lesão focal
hepática metastática medindo 14cm, ocupando segmentos V, VI, VII, VIII, e parte do
segmento IV, sem invasão vascular. Volumetria do fígado remanescente foi de 20%.
Qual é a conduta adequada para o caso exposto?
a) Hepatectomia direita com ligadura prévia de veia porta direita, artéria hepática
direita e ducto hepático direito.
b) Quimioterapia e Radioterapia pré-operatória para citorredução, e após,
hepatectomia direita ampliada.
c) Hepatectomia em dois tempos com ligadura de porta para posterior hepatectomia
direita ampliada.
d) Radiofrequência da lesão para aumento de remanescente hepático e posterior
hepatectomia direita ampliada.
19. Em relação às neoplasias do ânus e canal anal, é correto afirmar:
a) A Doença de Bowen perianal é um carcinoma in situ de células escamosas,
geralmente ocorrendo em homens da quinta década de vida.
b) O carcinoma verrucoso do ânus ou Tumor de Buschke Lowenstein, também
conhecido como condiloma gigante perianal, deve ser tratado com
radioquimioterapia exclusiva.
c) O melanoma do ânus ou perianal é um tumor agressivo, com ocorrência de
metástases para pulmões, fígado e linfonodos inguinais, porém bem responsivo a
radioquimioterapia.
d) O tratamento de escolha para carcinoma de células escamosas do canal anal é a
radioquimioterapia combinada com alta taxa de resposta clínica completa.

20. Constituem técnicas de hemorroidectomia aberta e hemorroidectomia


fechada, respectivamente:
a) Milligan-Morgan e Ferguson.
b) Ruiz-Moreno e Obando.
c) Milligan-Morgan e Ruiz-Moreno.
d) Ferguson e Obando.

21. Na Polipose Adenomatosa Familiar (PAF), além dos pólipos colorretais, adenomas
podem ocorrer no estômago, duodeno, jejuno e íleo. Em relação aos adenomas
gastroduodenais na PAF é correto afirmar:
a) Adenomas gástricos ocorrem em apenas 10% dos doentes, porém apresentam
alto risco de malignização.
b) A gravidade da polipose duodenal pode ser avaliada pelos critérios de Spigelman,
que é baseado no número, tamanho e histopatologia dos pólipos.
c) No duodeno ocorrem em até 90% dos doentes, sendo mais frequentes na primeira
e segunda porção, apresentando baixo risco de malignização.
d) Adenomas de papila são raros e com baixos índices de malignidade, sendo
indicada cirurgia quando causam obstrução ou pancreatite.
22. Mulher, 45a, sem comorbidades, comparece ao ambulatório trazendo colonoscopia
que evidenciou pólipo séssil em sigmoide, medindo 25mm, removido por
mucosectomia por ocasião do exame. Anatomopatológico: foco de adenocarcinoma
com invasão de submucosa (Sm3) em adenoma viloso, com margens livres. A
conduta, a seguir, é:
a) Colonoscopia em 3 meses.
b) Antígeno carcinoembrionário (CEA) e Tomografia de abdome a cada 6 meses.
c) Quimioterapia.
d) Retossigmoidectomia.

23. São fatores de risco para o desenvolvimento de câncer na Retocolite


Ulcerativa, EXCETO:
a) Presença de pancolite e doença ativa.
b) Doença de longa evolução.
c) Uso de anti-TNF alfa.
d) Presença de colangite esclerosante primária.

24. Assinale a afirmativa INCORRETA quanto às doenças anais benignas:


a) A fissura anal é uma úlcera linear geralmente localizada na comissura posterior,
na linha média do canal anal.
b) O condiloma acuminado é uma doença verrucosa perianal causada pelo Papiloma
Vírus Humano (HPV).
c) A doença pilonidal geralmente ocorre na linha média da pele da região
sacrococcígea de homens jovens.
d) A hidradenite supurativa é uma infecção crônica das glândulas écrinas da região
anal, pubiana e axilas.

25. As cicatrizes podem evoluir com alterações caracterizadas por processos de


hipercicatrização, originando cicatrizes hipertróficas e queloides. É correto afirmar:
a) Ambas as alterações são caracterizadas por feixes de colágeno espessados e
alinhados paralelamente à superfície da epiderme.
b) A ocorrência de queloides tem importante componente de predisposição genética,
sendo mais frequentes nos membros inferiores.
c) Cicatrizes orientadas paralelamente ao eixo de contração muscular tem menor
predisposição à hipertrofia.
d) Os queloides são caracterizados pelo crescimento além dos limites da lesão
original, podendo evoluir com regressão espontânea.
26. Um dos principais elementos que influenciam a tomada de decisão terapêutica e o
prognóstico do paciente queimado é a superfície corporal queimada. Quanto à sua
avaliação e quantificação, pode-se afirmar que:
a) As diferenças entre as estimativas de superfície corporal entre crianças e adultos
pela “regra dos nove” devem-se principalmente à alteração da proporção de
superfície do tórax e abdome.
b) A superfície queimada estimada, juntamente com a idade e o peso são utilizados
no cálculo da reposição volêmica inicial pela fórmula de Parkland.
c) A utilização da área da região palmar do paciente é útil para a quantificação de
lesões menos extensas em adultos.
d) No cálculo da superfície corporal queimada as áreas acometidas por queimaduras
de primeiro grau são contabilizadas apenas se estas localizarem-se em áreas
nobres como a face e genitália.

27. A pele é o órgão mais frequentemente acometido por neoplasias malignas no ser
humano. De todos os cânceres de pele, os classificados como não-melanoma
respondem pela maior parte, sendo os carcinomas basocelulares e carcinomas
espinocelulares os mais frequentes. Assinale a afirmativa INCORRETA:
a) Os carcinomas basocelulares podem apresentar variantes pigmentadas, cujo
principal diagnóstico diferencial é com o melanoma.
b) As ceratoses actínicas são lesões cutâneas displásicas que devem ser ativamente
tratadas, pois podem evoluir para carcinomas espinocelulares e basocelulares.
c) A cirurgia com controle circunferencial e profundo de margens por biópsia de
congelação é o melhor tratamento para lesões com recidiva local.
d) O carcinoma espinocelular é o tipo de neoplasia não-melanoma mais
frequentemente observado na pele de pacientes imunossuprimidos.

28. Homem, 55a, com queixa de lesão avermelhada na face vem para avaliação da
Cirurgia Plástica. Refere presença da lesão desde a infância, sendo que a mesma
ficou mais escura com o tempo. Nega alteração de volume da região, dor ou história
de hemorragia local. Exame físico: presença de lesão vermelho-vinhosa em região
mandibular esquerda, superfície da pele levemente irregular, sem nodulações
palpáveis, indolor, sem frêmito. A hipótese diagnóstica é:
a) Hemangioma.
b) Malformação capilar.
c) Malformação linfática.
d) Malformação venosa.
29. Na avaliação inicial do trauma facial, o exame físico cuidadoso e sistemático é
capaz de diagnosticar grande parte das lesões que irão requerer tratamento cirúrgico.
Assinale a alternativa que apresenta a associação INCORRETA entre achado do
exame físico e provável etiologia ligada ao trauma:
a) Enoftalmo – aumento do volume do cone orbitário.
b) Restrição de abertura oral – Fratura de arco zigomático.
c) Ptose palpebral – Lesão do VII par craniano.
d) Aumento da distância intercantal medial – fratura nasoetmoido-orbitária.

30. A técnica de zetaplastia consiste na realização de dois ou mais retalhos


triangulares de pele, com diversas aplicações em Cirurgia Plástica. Dentre as
situações abaixo, em qual a zetaplastia NÃO estaria corretamente indicada?
a) Fechamento de área de ressecção de neoplasia cutânea.
b) Tratamento de brida cervical cicatricial linear.
c) Reorientação de cicatrizes.
d) Alongamento da região interdigital.

31. Os fármacos vasoativos são indicados e utilizados no manuseio de doentes


sépticos. Após reposição volêmica adequada e recebendo noradrenalina na dose de
1mcg/kg/min, paciente permanece hipotenso e oligúrico. Os dados clínicos e
hemodinâmicos indicam alto débito cardíaco e baixa resistência periférica. Qual é a
droga vasoativa de escolha para o controle da hipotensão neste caso?
a) Dobutamina – 5 a 10mcg/kg/min.
b) Isoprenalina – 0,05 a 5mcg/kg/min.
c) Dopamina – 1 a 3mcg/kg/min.
d) Adrenalina – 0,01 a 2mcg/kg/min.

32. Em relação às infecções hospitalares, assinale a alternativa INCORRETA:


a) O uso de antibioticoterapia profilática prolongada (até 5 dias) é eficaz para
diminuir a incidência de infecções hospitalares em pacientes cirúrgicos eletivos.
b) A lavagem das mãos antes e após a manipulação dos pacientes é a melhor
maneira de se prevenir infecções cruzadas nas enfermarias cirúrgicas.
c) Os bacilos Gram negativo aeróbicos e o Staphylococcus aureus são os principais
agentes responsáveis pelas infecções hospitalares em pacientes graves.
d) Posição elevada de pacientes de 30-45 graus diminui a incidência de pneumonia
associada à ventilação mecânica.
33. Paciente respirando em ar ambiente apresenta a seguinte gasometria arterial: pH=
7,35; PaO2= 85mmHg; PaCO2= 65mmHg; HCO3-= 39mEq/L e BE= +8mEq/L.
Qual é o distúrbio ácido básico primário e sua possível causa?
a) Acidose respiratória crônica, compensada com alcalose metabólica; DPOC.
b) Acidose metabólica aguda; descompensação diabética.
c) Alcalose respiratória aguda; intoxicação por aspirina.
d) Acidose metabólica crônica; insuficiência renal crônica.

34. Em qual das condições clínicas abaixo ocorre, simultaneamente, o aumento


da Pressão Venosa central (PVC), da Pressão Diastólica Final (PDF) do
Ventrículo Direito (VD), da Pressão Diastólica Final (PDF) do Ventrículo
Esquerdo (VE) e da Pressão da Artéria Pulmonar Ocluída (PAPO), com
equalização destas pressões?
a) Infarto agudo do miocárdio com rotura do septo interventricular.
b) Infarto agudo miocárdico com rotura cardíaca.
c) Infarto do Ventrículo Direito.
d) Tromboembolismo pulmonar maciço.

35. Paciente em choque apresenta os seguintes parâmetros clínicos, hemodinâmicos


e respiratórios: pulso fino, taquicardia, cianose periférica, sudorese fria e oligúria. PA=
75/50mmHg; FC= 135bpm; SatO2= 95%. Ht= 45%; Índice Cardíaco (IC)= 1,8L/min/m2;
Pressão de Artéria Pulmonar Ocluída (PAPO)= 22mmHg; PaO2= 90mmHg. Qual é o
tipo de choque e o padrão de hipóxia tissular predominante?
a) Hipovolêmico; hipóxia anêmica.
b) Obstrutivo; hipóxia hipoxêmica.
c) Cardiogênico; hipóxia estagnante.
d) Séptico; hipóxia histotóxica.
36. Em relação aos estados de choque em geral, qual afirmativa abaixo é
correta?
a) Periferia quente, pressão de pulso aumentada e alta pressão diastólica são
características clínicas do choque distributivo.
b) Hipertensão, distensão venosa jugular e abafamento das bulhas cardíacas são
achados no tamponamento cardíaco.
c) Diminuição na saturação venosa mista de O2, aumento na diferença do conteúdo
arteriovenoso de O2 e acidose láctica são achados no choque hipovolêmico.
d) A presença de Pressão de Artéria Pulmonar Ocluída (PAPO) elevada é sempre
indicativa de disfunção miocárdica.

37. Das alternativas abaixo citadas, qual é o tratamento de escolha para a


taquicardia supraventricular com QRS estreito, sem comprometimento
hemodinâmico?
a) Cardioversão elétrica com corrente direta.
b) Amiodarona via intravenosa.
c) Lidocaína 70mg via intravenosa em “bolus”.
d) Adenosina via intravenosa.

38. Mulher, 82a, hipertensa e diabética mal controlada, realizou ultrassonografia


cervical de rotina que evidenciou nódulo TI-RADS 5, medindo 5mm, no lobo esquerdo
da tireoide. Realizada punção diagnóstica, cujo resultado citológico foi compatível com
Bethesda VI. A conduta é:
a) Observação clínica.
b) Nodulectomia.
c) Tireoidectomia parcial.
d) Tireoidectomia total.

39. Paciente com hiperparatireoidismo secundário à insuficiência renal crônica, é


dialítico há 9 anos. Apresenta dosagem de paratormônio (PTH) de 1.082pg/dL e
calcemia sérica de 11,2mg/dL. Optado por paratireoidectomia total, com ressecção de
quatro glândulas. O PTH intraoperatório mostrou queda de 68%. A decisão
intraoperatória é:
a) Encerrar a cirurgia e repetir exames de imagem em 3 a 6 meses.
b) Não fazer o autoimplante do tecido autólogo.
c) Realizar ligadura das artérias tireoidianas inferiores e superiores.
d) Exploração cirúrgica do mediastino.
40. Homem, 56a, apresentou melanoma cutâneo Breslow 3,8mm no dorso, operado
há 3 anos, com pesquisa de linfonodo sentinela negativa à época. Evoluiu com
linfonodomegalia axilar direita e, ao radiograma de tórax, apresentou nódulo suspeito
de doença metastática (M1) no lobo inferior ipsilateral. A conduta é:
a) Tratamento paliativo com quimioterapia sistêmica.
b) Linfadenectomia axilar e terapia com anticorpo monoclonal.
c) Linfadenectomia axilar e quimioterapia sistêmica.
d) Linfadenectomia axilar e segmentectomia pulmonar.

41. Homem, tabagista ativo e ex-etilista, apresenta lesão verrucosa na borda lateral
esquerda da língua, com 1cm de diâmetro. Pescoço não apresenta linfonodomegalia
palpável. Biópsia incisional confirma carcinoma epidermoide (CEC). O laudo
anatomopatológico demonstrou CEC Grau II, com 5mm de invasão profunda, margens
livres, sem invasão perineural. A conduta é:
a) Esvaziamento cervical níveis I a III.
b) Esvaziamento cervical níveis I a III e radioterapia se pN+.
c) Esvaziamento cervical níveis I a IV e radioterapia se pN+.
d) Observação clínica, pois se trata de doença T1N0.

42. Paciente se encontra no pós-operatório tardio de laringectomia total e


esvaziamento cervical bilateral com adjuvância por Carcinoma espinocelular de
laringe. Evoluiu com lesão ulcerada junto ao estoma, próxima da fúrcula esternal, à
direita. A estrutura que deve estar livre de invasão e o tratamento indicado são,
respectivamente:
a) Esôfago cervical; ressecção local com retalho.
b) Traqueia; quimioterapia.
c) Veia inominada; manubrectomia.
d) Artéria carótida comum; terapia com anticorpo monoclonal.
43. Homem, 52a, caucasoide, apresenta lesão enegrecida, suspeita, no dorso.
Indicada biopsia excisional, que mostrou melanoma Breslow 0,92mm, ulcerado, sem
áreas de regressão, com 2 mitoses por mm2. Optado por ampliação de margens e
pesquisa do linfonodo sentinela. O laudo da biopsia mostrou ausência de neoplasia na
ampliação, mas o linfonodo sentinela axilar esquerdo apresentava foco subcapsular de
melanoma, com extensão menor que 0,1mm. A conduta é.
a) Observação clínica.
b) Esvaziamento axilar níveis I a III.
c) Esvaziamento axilar níveis I a III e Ipilimumabe.
d) Esvaziamento axilar níveis I a III e Pembrolizumabe.

44. Em relação a paciente com dissecção aguda de aorta Stanford A, o que


define o diagnóstico e a necessidade de cirurgia de emergência é:
a) A origem da lesão inicial na íntima da aorta, necessitando de operação quando
esta se iniciar após a artéria subclávia esquerda.
b) O tamanho da aorta ascendente e a presença de regurgitação aórtica,
independente da presença de dor no momento.
c) A impossibilidade de tratamento endovascular após o adequado controle da dor.
d) O local de origem da lesão inicial na íntima da aorta e tempo de início de
sintomas.

45. Em relação ao uso de enxertos arteriais em cirurgia de revascularização do


miocárdio, é correto afirmar:
a) Artéria torácica interna esquerda, ramo direto do tronco braquiocefálico, possui
patência superior aos enxertos venosos.
b) A artéria torácica interna direita não deve ser utilizada em cirurgias de
revascularização do miocárdio por ser ramo direto da artéria subclávia direita.
c) Aterosclerose importante na emergência da artéria subclávia esquerda pode
comprometer o fluxo da artéria torácica interna esquerda.
d) Enxertos de artéria radial devem ser usados preferencialmente em coronárias com
lesões ateroscleróticas moderadas ou menos críticas.
46. Sobre anatomia cirúrgica do coração, é correto afirmar:
a) O seio coronário responsável pela drenagem venosa do coração drena seu fluxo
para óstio localizado no átrio esquerdo.
b) O tecido correspondente ao nó sinusal se localiza na junção da veia cava superior
com o átrio direito.
c) As paredes do ventrículo direito são geralmente menos espessas que do
ventrículo esquerdo, por isso necessitam apenas da irrigação de um ramo
coronário, geralmente da artéria interventricular anterior.
d) A valva átrio ventricular esquerda possui três cúspides assim chamadas: septal,
anterolateral e posteromedial.

47. Mulher, 59a, internada há 5 dias, devido a Infarto Agudo do Miocárdio em parede
inferior tendo sido submetida a trombólise química após 10 horas do início da dor.
Apresenta atualmente queixa de desconforto respiratório. Exame clínico: PA=
90X60mmHg; FC= 100bpm. Presença de sopro cardíaco holossistólico mais audível
em linha hemiclavicular esquerda, no décimo espaço intercostal, com migração para
axila. Estertores pulmonares bilaterais até campo médio. Qual é o provável
diagnóstico?
a) Tromboembolismo pulmonar.
b) Comunicação interventricular.
c) Aneurisma de ventrículo esquerdo.
d) Insuficiência mitral aguda.

48. Homem, 82a, se encontra no segundo dia de pós-operatório de troca de valva


aórtica por prótese biológica; apresenta bloqueio atrioventricular total (BAVT) desde o
término da cirurgia. O ideal a ser feito em breve para este paciente é:
a) Realizar cineangiocoronariografia para descartar causa isquêmica como origem
do BAVT.
b) Programar implante de marcapasso definitivo para o próximo dia após ECGs
seriados mostrarem a manutenção do bloqueio.
c) Corrigir distúrbios hidroeletrolíticos e programar o implante de marcapasso
definitivo para o próximo dia, caso o BAVT se mantenha.
d) Manter suporte com marcapasso provisório e programar implante do definitivo
após uma semana, caso o BAVT permaneça.
49. A complicação mais frequente no pós-operatório imediato de Transplante
cardíaco é:
a) Disfunção ventricular direita.
b) Rejeição hiperaguda.
c) Doença vascular do enxerto.
d) Desproporção anatômica entre vasos e câmaras do enxerto e do receptor.

50. Homem, 67a, dá entrada no Pronto Socorro relatando dor de início súbito em
membro inferior direito, com evolução para dor intolerável que o obrigou a procurar o
hospital. Antecedentes Pessoais: infarto agudo do miocárdio há 3 anos, arritmia
cardíaca em controle com uso de amiodarona. Exame Físico: FC= 138bpm; PA=
140X85mmHg. Corado, hidratado, facies de dor. Ausculta cardíaca: arritmia arrítmica.
Presença de pulso femoral esquerdo e distais; ausência do pulso femoral direito e
distais. Membro inferior direito pálido e frio com diminuição da sensibilidade; ausência
de motricidade dos artelhos. A conduta é:
a) Enfaixamento com algodão ortopédico e iniciar Alteplase endovenosa
imediatamente.
b) Ultrassonografia Doppler de abdome e membro inferior direito para diagnóstico
etiológico.
c) Introduzir heparina e amiodarona endovenosas e promover cardioversão elétrica
imediata.
d) Colher exames pré-operatórios e encaminhar o paciente para embolectomia
cirúrgica.

51. De maneira geral dá-se preferência ao tratamento minimamente invasivo por


angioplastia nos casos de obstrução arterial crônica, com exceção da doença na
bifurcação carotídea, onde a cirurgia aberta é a primeira escolha. Qual é o motivo
desta opção?
a) Maior custo dos procedimentos endovasculares quando comparados à cirurgia
aberta.
b) Maior risco de isquemia cerebral por ateroembolismo durante os procedimentos
endovasculares.
c) Necessidade de controle rigoroso da pressão arterial e frequência cardíaca após
os procedimentos endovasculares.
d) Necessidade de anestesia geral e monitorização da função cerebral com Doppler
transcraniano durante procedimentos endovasculares.
52. Qual é a complicação tardia mais comum da correção por cirurgia aberta dos
aneurismas de aorta abdominal?
a) Hérnia incisional.
b) Pseudoaneurisma anastomótico.
c) Trombose de ramo da prótese.
d) Fístula prótese-duodenal.

53. Qual critério anatômico do colo proximal é imprescindível para que seja
possível a correção do aneurisma de aorta abdominal com endopróteses
convencionais pela técnica endovascular?
a) Calibre maior que 30mm.
b) Presença de trombos em menos de 50% do perímetro.
c) Angulação maior que 80 graus.
d) Comprimento maior que 15mm.

54. Homem, 65a, procura atendimento médico devido a apresentar lesão necrótica em
quinto pododáctilo do pé esquerdo, associada a dor em repouso. Relata ainda que
apresentava anteriormente claudicação intermitente na panturrilha esquerda para
deambular 200 metros. Exame físico: presença do pulso femoral esquerdo e ausência
dos pulsos poplíteo e distais. Membro inferior direito apresenta pulsos pedioso e tibial
posterior. Qual artéria está obstruída e qual exame deve ser solicitado para a
programação cirúrgica?
a) Artéria ilíaca externa; angiotomografia de aorta e membros inferiores.
b) Artérias tibial anterior e posterior; índice tornozelo-braço com o Doppler.
c) Artéria femoral superficial; arteriografia do membro inferior esquerdo.
d) Bifurcação da aorta; angioressonância magnética de aorta e membros inferiores.
55. Homem, 76a, é internado para tratamento de uma lesão necrótica extensa em
dorso do pé esquerdo. Antecedentes Pessoais: Tabagismo 50 maços/ano,
insuficiência cardíaca congestiva em uso de captopril, carvedilol e furosemida. Exame
Físico: Emagrecido (IMC= 18kg/m2), ictus cardíaco desviado para esquerda, fígado
palpável a 3cm do rebordo costal, edema dos membros inferiores, ausência de pulso
palpável em aorta abdominal ao nível da cicatriz umbilical e distalmente. Exames
laboratoriais: Hb= 10g/dL; Leucograma= 12.300/mm3; K= 4,6mEq/L; RNI= 1,8;
Creatinina= 2,5mg/dL. Levando-se em consideração o padrão de obstrução
arterial e as comorbidades, qual é o procedimento cirúrgico indicado?
a) Enxerto axilo-bifemoral com prótese de Dacron®.
b) Enxerto aorto-bifemoral com prótese de Dacron®.
c) Enxerto aorto-bifemoral com duplicação de veia safena interna.
d) Correção endovascular com criação de neobifurcação com stents.

56. Homem, 23a, é vítima de ferimento por projétil de arma de fogo. Apresenta orifício
de entrada na parede abdominal anterior, em hipocôndrio direito, e orifício de saída em
região lombar direita. Durante o procedimento cirúrgico foi realizada mobilização e
rotação medial do cólon direito, duodeno e cabeça do pâncreas para exploração do
retroperitôneo. Esta manobra é conhecida como:
a) Mattox.
b) Pringle.
c) Cattell Braasch.
d) Whipple.

57. Motociclista, 27a, colide em alta velocidade em anteparo fixo. É atendida pelo
SAMU com queixa de dor intensa no quadril e trazida ao Centro de Referência. Exame
Físico: PA= 70x45mmHg; FC= 132bpm; FR= 24 irpm; Escala de Coma de Glasgow=
14; Oximetria de Pulso= 99% em máscara com 13L/min. Pulmão/Precórdio: sem
alterações. Abdome: plano, normotenso, dor a palpação profunda. Pelve: imobilizado
com lençol. FAST (Focused Assessment Sonography for Trauma): presença de
imagem anecóica, laminar, em espaço esplenorrenal. A próxima conduta é:
a) Hidratação vigorosa com solução cristaloide e laparatomia exploradora.
b) Protocolo de transfusão maciça e reanimação hipotensiva.
c) Iniciar droga vasoativa em acesso venoso central e internação na UTI.
d) Tomografia computadorizada com contraste e tratamento não operatório.
58. Homem, 22a, apresentou ferimento por projétil de arma de fogo transfixante em
região toracoabdominal, à direita. Devido a instabilidade hemodinâmica e exame físico
abdominal com irritação peritoneal, foi indicada laparatomia exploradora. Achados:
uma lesão transfixante do fígado nos segmentos III e IV, que apresentava com
hemorragia ativa pelos dois orifícios (entrada e saída). A conduta é:
a) Locar o segmento esofágico do Balão de Sengstaken-Blakemore no interior da
lesão e manter insuflado.
b) Introduzir hemostáticos tópicos nos orifícios e realizar drenagem da lesão com
sistema fechado.
c) Introduzir hemostáticos tópicos no trajeto e realizar drenagem da lesão com dreno
laminar.
d) Posicionar dreno à vácuo no trajeto após suturar os orifícios de entrada e saída da
lesão.

59. Um paciente com traumatismo abdominal fechado foi submetido à laparotomia


exploradora devido à instabilidade hemodinâmica, com resposta insatisfatória
mediante reanimação volêmica. Focused Assessment Sonography for Trauma (FAST):
presença de imagem anecoica nos espaços hepatorrenal, esplenorrenal e perivesical.
Na abertura da cavidade peritoneal há evidência de volumoso hemoperitôneo. A
introdução de compressas inicia-se em:
a) Hipocôndrio esquerdo.
b) Hipocôndrio direito.
c) Fundo do saco peritoneal.
d) Mesogástrio.

60. Em relação ao Protocolo de Morte Encefálica é correto afirmar:


a) A Declaração de óbito é preenchida após o término do primeiro exame clínico.
b) Inicia-se 6 horas após suspensão da sedação e analgesia, independente das
medicações utilizadas.
c) O exame complementar deve afirmar de forma inequívoca a ausência de atividade
metabólica cerebral.
d) No Teste de apneia utiliza-se por no mínimo 10 minutos FiO2 de 100%, para atingir
PaO2 igual a 100mmHg.
61. Mulher 29a, vítima de acidente doméstico com água fervente, dá entrada no
Pronto Socorro. Exame Físico: PA= 105x78mmHg; FC= 98bpm; FR= 18irpm;
Oximetria de pulso= 100% em ar ambiente. Membros superiores: queimadura de 2o
grau em faces extensores das mãos e antebraços, e faces anteriores dos braços.
Tórax: queimadura de 2o grau em toda a face anterior. Assinale a afirmativa correta:
a) O cálculo da reanimação volêmica é 2ml de solução fisiológica x peso (kg) x área
queimada.
b) A paciente apresenta critérios para ser transferida para um Centro Especializado
em Queimaduras.
c) Devem ser administrados antibióticos de amplo espectro e realizadas
escarotomias preventivas.
d) Não há necessidade de avaliar a imunização antitetânica, devido ao agente ser
calor.

62. Em relação aos ferimentos por projétil de arma de fogo, é correto afirmar:
a) O tombamento ou guinada do projétil aumenta a área da lesão.
b) As lesões são maiores quanto mais pontiagudos o projétil.
c) A abrangência da lesão independe da velocidade do projétil.
d) O orifício de entrada é maior que o orifício de saída.

63. Quanto às infecções do trato urinário em mulheres após a menopausa, é correto


afirmar:
a) A bacteriúria assintomática, em virtude da depressão natural do sistema imune
decorrente da hipoestrogenia, deve ser tratada com antibióticos pelo risco de
progressão para infecção clinicamente relevante.
b) O tratamento da cistite aguda sintomática deve ser mais prolongado do que nas
mulheres no menacme pelo maior risco de complicações.
c) Em mulheres idosas institucionalizadas, o cateterismo vesical e o
comprometimento cognitivo são fatores de risco associados com o surgimento de
infecções do trato urinário.
d) O emprego de estrógenos, especialmente por via vaginal, associa-se com
aumento da recorrência das infecções urinárias em decorrência da alteração que
induzem na flora bacteriana vaginal.
64. Mulher, 50a, apresenta infecções urinárias recorrentes e dor lombar esquerda. É
diabética e hipertensa, bem controlada com medicaçāo. Foi solicitada ultrassonografia
de abdome total, que demonstrou um cálculo de 2,5cm de diâmetro no polo inferior do
rim esquerdo, sem hidronefrose. Tomografia computadorizada de abdome, sem
contraste: cálculo no cálice inferior posterior, com 1100 Unidades Hounsfield, com
distância da pele ao cálculo de 8cm, sem hidronefrose e com bom parênquima renal.
Qual é a conduta definitiva?
a) Litotripsia extracorpórea, com prévia colocaçāo de cateter duplo “J”.
b) Nefrolitotripsia percutânea.
c) Ureteroscopia flexível e fragmentaçāo do cálculo com laser.
d) Nefrolitotomia radial por videolaparoscopia.

65. Em relação à avaliação da hematúria em adultos, assinale a afirmativa


correta:
a) A avaliação mínima essencial é composta por anamnese, exame físico, exame de
rotina de urina, cultura de urina e exame de imagem do trato urinário superior.
b) A cistoscopia é recomendada para a avaliação de hematúria microscópica
assintomática em todos pacientes.
c) A ressonância magnética nuclear é a modalidade de exame de imagem padrão-
ouro para avaliação de tumorações na pelve renal.
d) O exame citológico da urina não é indicado na avaliação inicial da hematúria
microscópica assintomática.

66. Sobre o emprego da Tomografia Computadorizada (TC) em Urologia, é


correto afirmar:
a) É pouco sensível e específica para o diagnóstico do carcinoma urotelial do trato
superior, seja localizado na pelve renal ou no ureter.
b) É um excelente exame de imagem para avaliar o rim, o sistema coletor do trato
superior, mas não avalia adequadamente o ureter devido peristaltismo ureteral.
c) Uma massa renal que, após a administração de contraste intravenoso, aumenta
mais de 15 a 20 unidades Hounsfield é, provavelmente, uma neoplasia.
d) Quaisquer cálculos urinários podem ser visíveis na TC de abdome e pelve sem
contraste, incluindo os cálculos de ácido úrico e de indinavir.
67. No trauma raquimedular, após a fase de choque medular, em relação às
consequências urológicas, pode se afirmar que:
a) Pacientes com lesões completas entre os níveis T6 e S2 geralmente exibem
ausência de sensação e contrações involuntárias da bexiga.
b) Pacientes com lesões acima do nível T6 apresentam, mais frequentemente,
incontinência por transbordamento.
c) Pacientes com trauma da raiz nervosa ou lesão abaixo do nível S2 tipicamente
manifestam contrações detrusoras da bexiga na fase de enchimento.
d) Nos pacientes com lesões cervicais, o achado mais característico é o detrusor
arreflexo.

68. Quanto aos sintomas e tratamentos de LUTS (Lower Urinary Tract


Symptoms) decorrentes da hiperplasia prostática benigna (HPB), assinale a
alternativa correta:
a) A testosterona não é necessária para o desenvolvimento da hiperplasia prostática.
b) A combinação de um antagonista alfa-adrenérgico e um inibidor da 5-redutase
não previne a progressão dos sintomas de HPB
c) Alfa-bloqueadores são drogas com bom efeito em próstatas pequenas e
obstruídas pelo lobo mediano.
d) No estudo urodinâmico, não é possível determinar com exatidão a coexistência de
obstrução prostática em pacientes com detrusor hipoativo.

69. Quais destes achados perinatais se correlacionam com melhor prognóstico


em crianças com Válvula de Uretra Posterior?
a) Nadir de creatinina sérica maior ou igual a 1mg/dL no primeiro ano de vida.
b) Refluxo vesicoureteral unilateral associado a displasia renal ipsilateral.
c) Hiperecogenicidade do parênquima renal na ultrassonografia.
d) Ultrassonografia fetal com oligohidrâmnio.

70. Criança do sexo masculino, 25 dias de vida, chega ao Pronto Socorro com vômitos
leitosos, irritabilidade, baixo ganho ponderal, desidratado. Gasometria: acidose
metabólica hiponatrêmica e hipercalêmica. Qual é a principal hipótese diagnóstica?
a) Refluxo gastroesofágico.
b) Estenose hipertrófica do piloro.
c) Sepse.
d) Hiperplasia adrenal congênita.
71. Criança, 6a, portador de mielomeningocele, paraplégica, apresenta incontinência
urinária, fecal e infecção urinária de repetição, mesmo em uso de antibiótico profilático
e cateterismo intermitente limpo. Cintilografia renal: função tubular do rim direito de
26%. Uretrocistografia miccional: bexiga pequena, de esforço e refluxo de alto grau a
direita. Qual é a conduta?
a) Reimplante ureteral.
b) Ureterostomia.
c) Vesicostomia.
d) Mitrofanoff.

72. Em relação à hérnia diafragmática de Bochdaleck, é correto afirmar:


a) O acesso videocirúrgico está contraindicado.
b) O índice Pulmão/Cabeça maior que 1 tem melhor prognóstico.
c) O fígado herniado apresenta melhor prognóstico.
d) Maioria dos neonatos é assintomática nas primeiras 48 horas.

73. Qual é o benefício comprovado da correção intrauterina da


mielomeningocele?
a) Menor necessidade de derivação ventriculoperitoneal.
b) Melhora da continência urinária e da bexiga neurogênica.
c) Menor incidência de medula presa.
d) Melhora da continência fecal.

74. Lactente, masculino, assintomático, apresenta-se com abaulamento em


hemiabdome esquerdo. Palpa-se uma “massa” fixa e indolor em flanco esquerdo. É
correto afirmar:
a) Ressonância magnética nuclear é o exame de escolha.
b) Tumor de Wilms é o diagnóstico mais comum.
c) Ultrassonografia não é um exame adequado.
d) Hidronefrose é a principal hipótese diagnóstica.
75. Homem, 64a, fumante (40 anos/maço), é portador de adenocarcinoma (T1N0M0)
no segmento apicoposterior do Lobo Superior Esquerdo (LSE). Apresenta dispneia
aos grandes esforços e FEV1= 1,0litro. Radiograma de tórax com acentuada
hiperinsuflação pulmonar. Assinale a afirmativa INCORRETA:
a) Perda funcional de uma lobectomia superior é geralmente menos expressiva nos
pacientes com enfisema.
b) Está indicada a radioterapia estereotáxica.
c) Ressecções sublobares devem ser consideradas.
d) No enfisema avançado a lobectomia superior pode aumentar a função ventilatória
pela redução do volume pulmonar.

76. A melhor maneira de prevenir a ocorrência de empiema pós-ressecção pulmonar é


a imediata ocupação do espaço pleural. Em um paciente no pós-operatório de
bilobectomia média e inferior direita, qual é a melhor maneira de adequar a
relação entre o tamanho da cavidade pleural e a dimensão do lobo
remanescente?
a) Anestesia frênica com anestésico de longa duração.
b) Toracoplastia.
c) Pneumoperitonêo.
d) Plicatura diafragmática.

77. Mulher, 50a, apresenta dispneia aos esforços e que se acentua com o decúbito
horizontal. Sem outras queixas. Tomografia computadorizada: massa heterogênea no
mediastino anterior, aumentando a distância entre a traqueia e o esôfago. Qual é a
principal hipótese diagnóstica?
a) Linfoma.
b) Adenoma de paratireoide.
c) Timoma.
d) Bócio mergulhante.
78. Em relação à técnica cirúrgica nas ressecções traqueais, assinale a
afirmativa INCORRETA:
a) O doente deve permanecer rotineiramente intubado por 48 horas ao término da
cirurgia.
b) A maioria das estenoses pós-intubação é tratada por cervicotomia.
c) A desvitalização traqueal por dissecção ou eletrocoagulação excessiva é
problema técnico mais comum e grave.
d) O abaixamento da laringe é o último recurso para reduzir a tensão da
anastomose.

79. Quanto à estenose laringotraqueal, assinale a afirmativa correta:


a) As estenoses traqueais são de correção mais complexa.
b) Quanto mais precoce a indicação cirúrgica, pior o resultado.
c) É frequente a presença de infecção traqueobrônquica.
d) A minoria das estenoses pós-intubação são dilatáveis.

80. Em relação às metástases pulmonares, assinale a alternativa correta:


a) A concomitância ou antecedente de metástase hepática não exclui a indicação
cirúrgica em metástase pulmonar de carcinoma de cólon.
b) O intervalo livre entre o tumor primário e o surgimento de metástase não tem valor
prognóstico em osteossarcoma.
c) A expectativa de sobrevida em 5 anos é próximo de zero em pacientes com mais
de quatro metástases pulmonares de carcinoma de cólon.
d) O câncer de mama é a origem mais frequente das metástases por via
hematogênica.