Você está na página 1de 8

Universidade Estadual de Goiás

Unidade de Ciências Exatas e


Tecnologia
Arquitetura e Urbanismo

Cidades de
conquista
a ocupação do interior e a
mineração

Prof. Sandra Catharinne


Pantaleão

THAU IV
As vilas do ouro

Início
Os Bandeirantes – procuravam índios e minérios – deixavam
pessoas em determinados pontos para a produção de
alimentos;
•A partir de 1690 – encontravam pedras preciosas como

esmeraldas e ouro – grande leva de exploradores às minas –


daí o nome de Minas Gerais;
•Por volta de 1700 – ação do governo para controle de entrada

nas minas;

Urbanização
População eminentemente urbana diferente da sociedade
agrária do litoral;
Números:
1500 – 1822; criação de 210 vilas – 159 nas minas;
1800 – São Paulo aproximadamente 100.000 habitantes. /
Minas aproximadamente 500.000 habitantes;
1750 – Vila rica possuía aproximadamente 100.000
habitantes – metade da população de Lisboa.

Slide 02
caracterização

Ocupação Brasileira a partir da mineração


Cidades de ocupação – pontos estratégicos;
Núcleos de polarização – vila agrícolas ou domésticas;

Cidades do Ouro
Registro de maior número de núcleos urbanos no país
voltados para manutenção das Minas;

Outros núcleos de suporte


Bahia – carne
Rio de Janeiro/São Paulo – cereais
Santa Catarina/Paraná – gado para transporte
Pernambuco – cachaça

Slide 03
As vilas do ouro

Ø Rede Urbana formada “... ao longo dos


caminhos e estradas, nas encruzilhadas dos
cursos d’água, à margem dos locais onde o
ouro e os diamante eram encontrados...”
Sylvio de Vasconcelos
Ø Possuíam função explorativa;
Ø Caráter urbano;
Ø Concessão de terras mediante pagamento
de imposto anual;
Ø Proibida a circulação de ouro em pó – casas
de fundição – quinto;

Slide 04
As cidades mineiras

Ø Primeiros arraiais surgem como amparo


direto às minas e se definem como
extensões dos caminhos – contrário do
urbanismo das vilas de tradição portuguesa.
Ø “Rua Direita” – árabe;
Ø Os arraiais estão a meia altura das
cumeadas;
Ø Conurbação – as vilas do ouro são formadas
a partir da junção de vários aglomerados
urbanos;
Ø Topografia acidentada – adaptações para
construção das casas;
Ø Segregação social – negros moravam
próximos às minas. Slide 05
As cidades mineiras

Arquitetura Mineira

1. Arquitetura Oficial
Ø Casas de Câmara e Cadeia
Ø Palácio do Governo
2. Arquitetura Religiosa
Ø Igrejas
Ø Aleijadinho
3. Arquitetura residencial
Ø Casario

Slide 06
As cidades mineiras

Arquitetura Oficial Mineira


Ø A arquitetura oficial na Colônia não primou por
requintes, nem aqui e nem em Portugal.
Ø Portugal passou por lutas constantes, contra os
mouros e contra os espanhóis por questões de
fronteira. À preocupação defensiva juntava-se a
sobriedade dos portugueses, sabendo de suas
riquezas limitadas empenhavam-se em grandes
navegações e na exploração comercial de novas
terras.
Ø Nas primeiras décadas da colonização portuguesa no
Brasil foram construídas fortificações por todo o litoral,
como marco de ocupação e defesa. À medida que os
núcleos urbanos foram se consolidando foram sendo
construídas as residências oficiais e as Casas de
Slide 06
As cidades mineiras

Arquitetura Oficial Mineira


As Casas de Câmara e Cadeia se constituem em versões
adaptadas do Paços e dos Conselhos de Portugal.
Programa:
Ø Sala de reuniões para juízes
Ø Cadeia
Ø Corpo de guarda
Ø Outras salas
Ø Capela
Ø Mais tarde a inclusão de torres sineiras
Ø Amplas escadarias (muitos casos)
Ø Enfermarias (em alguns casos)

Slide 06