Você está na página 1de 2

Preconceito linguístico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Entende-se como preconceito linguístico o julgamento depreciativo contra determinadas variedades linguísticas. Segundo a
linguista Marta Scherre, o "julgamento depreciativo, desrespeitoso, jocoso e, consequentemente, humilhante da fala do outro ou
da própria fala" geralmente atinge as variedades associadas a grupos de menor prestígio social.[1]

Índice
Variação linguística e preconceito
Ver também
Referências
Bibliografia
Ligações externas

Variação linguística e preconceito


Existem quatro modalidades que explicam as variantes linguísticas:

1. Variação histórica (palavras e expressões que caíram em desuso com o passar do tempo);
2. Variação geográfica (diferenças de vocabulário, pronúncia de sons e construções sintáticas em regiões falantes
do mesmo idioma);
3. Variação social (o desempenho linguístico do falante provém do meio em que vive, sua classe social, faixa
etária, sexo e grau de escolaridade);
4. Variação estilística (cada indivíduo possui uma forma e estilo de falar próprio, adequando-o de acordo com a
situação em que se encontra)

Ver também
Norma culta
Variação linguística
Dialeto
Sociolinguística
Linguicídio

Referências
1. «O preconceito linguístico deveria ser crime» (http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDR87198-7962,
00.html) por Marta Scherre. Galileu,.

Bibliografia
BAGNO, Marcos (2001). Preconceito lingüístico: o que é, como se faz (http://books.google.com.br/books?id=Uz3
9wKyMxXcC&printsec=frontcover&dq=Preconceito+ling%C3%BC%C3%ADstico&hl=pt-BR&sa=X&ei=rVNnT-a7
OdLngQezmdXzAg&ved=0CDUQ6AEwAA#v=onepage&q=Preconceito%20ling%C3%BC%C3%ADstico&f=false)
. São Paulo: Edições Loyola. ISBN 8515018896
CAMERON, Deborah (1995). Verbal Hygiene (http://books.google.com.br/books?id=69jW-IyasdoC&printsec=fron
tcover&hl=pt-BR&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false) (em inglês). Londres/Nova Iorque:
Routledge. ISBN 041510355X
POSSENTI, Sírio (1997). Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas: Mercado de Letras. p. 96.
ISBN 8585725249
Nildo Viana (18 de abril de 2004). «Educação e Preconceito Lingüístico» (http://www.apagina.pt/?aba=7&cat=13
3&doc=10065&mid=2). Porto. A Página da Educação,. 13 (133): 42

Ligações externas
Entrevista com o linguista José Luiz Fiorin (http://profclaudiacunha.blogspot.com.br/2011/06/entrevista-do-fiorin-
um-aulao-de.html), linguista e professor da USP, sobre variação linguística e preconceito linguístico.
Gramática e Política (http://novosestudos.uol.com.br/acervo/download.asp?idMateria=169)[ligação inativa], por
Sírio Possenti, linguista e professor na UNICAMP. Novos Estudos Cebrap, ed. n° 7, novembro de 1983.
Preconceito linguístico (https://web.archive.org/web/20120214013721/http://cienciahoje.uol.com.br/colunas/palav
reado/preconceito-linguistico), por Sírio Possenti. Revista Ciência Hoje, 23 de dezembro de 2011.
Nada na língua é por acaso (https://web.archive.org/web/20120722233638/http://marcosbagno.com.br/site/?pag
e_id=37) por Marcos Bagno. Artigo originalmente publicado na revista Presença Pedagógica em setembro de
2006.
Preconceito Lingüístico e não lingüístico (http://www.unicamp.br/iel/site/alunos/publicacoes/textos/p00003.htm),
por Fábio Della Paschoa Rodrigues.

Obtida de "https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Preconceito_linguístico&oldid=55147084"

Esta página foi editada pela última vez às 06h58min de 15 de maio de 2019.

Este texto é disponibilizado nos termos da licença Atribuição-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0) da
Creative Commons; pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de
utilização.