Você está na página 1de 18

Universidade Federal de Alagoas

Campus - Arapiraca

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MEDICINA


METABOLISMO
CONCEPÇÃO E FORMAÇÃO DO SER HUMANO

EDUARDO FERNANDO DE OLIVEIRA

ARAPIRACA-AL,
2019
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MEDICINA
METABOLISMO
CONCEPÇÃO E FORMAÇÃO DO SER HUMANO

EDUARDO FERNANDO DE OLIVEIRA

Relatório de monitoria das disciplinas de


Introdução ao Estudo da Medicina,
Metabolismo e Concepção e Formação do Ser
Humano, referentes ao período de 03/12/2018 a
23/04/2019, sob orientação do Prof. Dr.
Franklin Gerônimo Bispo Santos.

ARAPIRACA-AL,
2019
SUMÁRIO

1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO ........................................................................................... 4

1.1 DADOS DO MONITOR .................................................................................................. 4


1.2 DADOS DA DISCIPLINA/ÁREA .................................................................................. 4

2 INTRODUÇÃO ..................................................................................................................... 4
3 CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS DA DISCIPLINA/ÁREA ................................... 5

3.1 CARACTERIZAÇÃO DA DISCIPLINA/ÁREA ............................................................ 5

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MEDICINA: ............................................................. 6


METABOLISMO: .............................................................................................................. 6
CONCEPÇÃO E FORMAÇÃO DO SER HUMANO: ...................................................... 6

3.2 OBJETIVOS DA DISCIPLINA/ÁREA ........................................................................... 7

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MEDICINA: ............................................................. 7


METABOLISMO: .............................................................................................................. 8
CONCEPÇÃO E FORMAÇÃO DO SER HUMANO:...................................................... 9

4 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES: ............................................................................... 11


Atividades ................................................................................................................................ 11
Segunda-feira .......................................................................................................................... 11
Terça-feira ............................................................................................................................... 11
Quarta-feira ............................................................................................................................ 11
Quinta-feira ............................................................................................................................. 11
Sexta-feira................................................................................................................................ 11
Revisão de literatura .............................................................................................................. 11
Atendimento presencial aos alunos com baixo rendimento ................................................ 11
Organização de atividades/eventos ligados à disciplina ...................................................... 11
5 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS................................................................................... 11
6 CONSIDERAÇÕES FINAIS .............................................................................................. 15
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................................................................................. 16
4

1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
1.1 DADOS DO MONITOR

NOME: Eduardo Fernando de Oliveira MATRÍCULA: 17210883


CURSO: Medicina PERÍODO: 4º

1.2 DADOS DA DISCIPLINA/ÁREA

NOME: Introdução ao Estudo da Medicina, Metabolismo e Concepção e Formação do Ser


Humano
Semestre: 2018.2

2 INTRODUÇÃO

A monitoria deve proporcionar ao aluno-monitor a prática no ensino da disciplina


correlata à sua competência, bem como uma iniciação à pesquisa na mesma. Desta forma, tal
atividade tem, como finalidade, a interdisciplinaridade da docência com a iniciação científica.
Dessa forma, o objetivo da monitoria está no aprimoramento acadêmico e profissional do(a)
estudante-monitor(a) de graduação, por possibilitar maior integração na vida universitária,
permitir a iniciação na prática docente e abrir espaço para uma maior compreensão da função
da educação frente ao processo contínuo de mudanças que ocorrem na sociedade.
As atividades realizadas no Eixo Tutorial durante o semestre letivo 2018.2 possibilitou
o acompanhamento do trabalho do Prof. Dr. Franklin Gerônimo Bispo Santos no primeiro
período do curso de Medicina – UFAL Campus Arapiraca/AL. Além disso, permitiu um contato
maior com a realidade docente e o desenvolvimento de atividades de educação, fatores
imprescindíveis ao monitor.
A vivência do programa de monitoria em uma disciplina de um curso que trabalha a
partir de metodologias ativas de ensino, portanto, vai muito além da transmissão passiva do
conhecimento aos discentes. Devido a esse aspecto, a relação de trabalho acontece em um nível
mais interpessoal e através de monitorias mais participativas como aulas expositivas
dialogadas, círculos de discussão e trabalhos em grupo. Esse fator proporcionou ao monitor de
graduação a oportunidade de enxergar a docência com outros olhos, sem os estigmas
5

desenvolvidos enquanto estudante, e o instigando a se preparar para as atividades futuras de


ensino na Universidade.

3 CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS DA DISCIPLINA/ÁREA

3.1 CARACTERIZAÇÃO DA DISCIPLINA/ÁREA

O curso de Medicina da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), campus Arapiraca,


surgiu como iniciativa do Programa Mais Médicos, em 2015, em resposta à necessidade de
profissionais nas regiões interioranas e à inserção social da Universidade na promoção da saúde
no semiárido alagoano. Ele foi inaugurado de acordo com as Diretrizes Nacionais Curriculares
para o curso de graduação em Medicina de 2014, no que tange áreas de competência e
habilidades profissionais ligadas à atenção, gestão e educação em saúde.
No ciclo básico, que compreende os dois primeiros anos, o curso é dividido em três
eixos: Tutorial, Práticas Ampliadas e Integração Ensino, Saúde e Comunidade (IESC). O eixo
tutorial é pautado na Aprendizagem Baseada no Problema (do inglês Problem Based Learning
- PBL) e funciona através da divisão da turma em 3 (três) grupos de 10 (dez) discentes, em que,
dentre os dez, um é o(a) coordenador(a) e outro(a) o(a) secretário(a) da semana, ambos
responsáveis pela organização do encontro em questão. A primeira reunião, denominada de
abertura, envolve a discussão de um caso que engloba conteúdos de diferentes áreas de
conhecimento tais como: Anatomia, Bioquímica, Fisiologia, Farmacologia, Histologia,
Patologia, Ciências Sociais e Humanidades. Ao final da sessão tutorial, os objetivos são
estabelecidos para o estudo subsequente daquela semana. No segundo encontro, denominado
de fechamento, tem-se a contemplação daqueles objetivos de estudo, os quais são apresentados
pelos próprios estudantes. No final, os discentes realizam um feedback como forma de avaliar
a atividade, refletindo sobre seu próprio rendimento e sobre a participação de seu tutor e dos
demais colegas da equipe.
Além disso, as aberturas e os fechamentos são acompanhados por um docente
capacitado responsável por orientar o grupo sobre os objetivos de aprendizagem.
6

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MEDICINA:

Estudo da história do conhecimento médico e as metodologias ativas de ensino/


aprendizagem; a relação Medicina, saúde e sociedade (atuação médica na sociedade, a relação
médico-paciente e as políticas de saúde); a introdução ao estudo do corpo humano; bioética e
ética profissional; Os aspectos introdutórios bioquímicos, fisiológicos, histológicos e de
biologia celular e molecular; e aspectos psicológicos sociais, culturais e ambientais nas
situações de saúde.

METABOLISMO:

Estudo dos processos metabólicos, integração e mecanismos de regulação,


possibilitando a compreensão das bases moleculares, bioquímicas e energéticas envolvidas em
diferentes processos fisiopatológicos, além dos princípios da anatomia, bioquímica,
embriologia, fisiologia, histologia do sistema digestório e aspectos psicossociais relacionados
ao sistema digestório.

CONCEPÇÃO E FORMAÇÃO DO SER HUMANO:

Estudo da divisão, estrutura e funcionamento normal dos órgãos sexuais (masculino e


feminino) do ser humano e as principais etapas envolvidas no processo de formação dos
gametas; Os processos de fertilização, desenvolvimento embrionário e desenvolvimento fetal
em condições de desenvolvimento normais; Cuidados no prénatal; Caracterização das
principais causas de teratogênese, além da identificação das principais alterações genéticas
relacionadas ao desenvolvimento embriológico e fetal; Os determinantes psicossociais dos
comportamentos maternos que podem favorecer e/ou desfavorecer o período gestacional.
7

3.2 OBJETIVOS DA DISCIPLINA/ÁREA

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA MEDICINA:

 Compreender a organização geral e estrutura celular em procariotos e eucariotos.


 Compreender a estrutura geral, classificação e função dos principais constituintes celulares:
água e macromoléculas (proteínas, lipídeos e carboidratos).
 Conceituar droga, fármaco, medicamento, remédio, princípio ativo, medicamento de
referência, genéricos e similares.
 Compreender o Currículo Baseado em Competências.
 Entender a estrutura do DNA e o processo de replicação.
 Entender a estrutura e função do RNA e o processo de transcrição.
 Conhecer a história da medicina e a evolução das práticas médicas.
 Compreender a importância do histórico familiar de cada paciente e a integração entre estudo
genético, história social e ações de promoção de saúde.
 Entender como ocorre o mecanismo de controle da expressão gênica em eucariotos.
 Compreender a estrutura, classificação, função e níveis de organização estrutural das
proteínas; e os fatores que interferem na estabilidade estrutural.
 Entender as dificuldades de relacionamento de uma pessoa com Alzheimer com sua família.
 Descobrir as redes de apoio no município que cuidam de idosos.
 Compreender a estrutura e função da membrana plasmática.
 Compreender como ocorre o mecanismo de Tradução da Expressão Gênica em eucariotos.
 Entender os mecanismos de transporte através das membranas.
 Farmacocinética (ADME, biodisponibilidade, volume de distribuição, tempo de meia-vida,
depuração, janela terapêutica, dosagem terapêutica, dosagem de ataque, dosagem tóxica,
dosagem subterapêutica).
 Entender a importância ética e moral da pesquisa experimental para a prática médica.
 Compreender a estrutura, classificação, função e níveis de organização dos lipídeos.
8

METABOLISMO:

 Identificar os órgãos que compõem o sistema digestório e suas funções morfofuncionais.


 Compreender a secreção de HCl e pepsina.
 Entender o funcionamento das enzimas nas reações catalíticas, pH e temperatura ótimos.
 Entender digestão da proteína e absorção dos aminoácidos.
 Compreender a farmacologia gástrica e detalhar os inibidores de bomba de prótons.
 Discutir os principais aspectos socioculturais da automedicação e risco à saúde.
 Entender a digestão e absorção de carboidratos.
 Compreender o metabolismo de carboidratos: glicólise, gliconeogênese, glicogênese e
glicogenólise.
 Compreender a função da saliva e o mecanismo de deglutição.
 Compreender a secreção pancreática (exócrina).
 Entender a diferença entre alergia alimentar e intolerância.
 Discutir sobre a epidemiologia de pessoas com intolerância e alergia a lactose.
 Identificar as vitaminas e suas funções no metabolismo e as implicações clínicas de suas
alterações.
 Entender digestão e absorção de lipídeos e vitaminas.
 Compreender o metabolismo de lipídeos: ácidos graxos e triacilgliceróis; b-oxidação e
formação de corpos cetônicos.
 Descrever os fatores psicossociais relacionados às dietas e aos distúrbios alimentares.
 Entender o metabolismo de proteínas – ciclo da ureia, metabolismo da amônia e as vias
anapleiróticas.
 Entender a motilidade do sistema digestório.
 Compreender a função e os processos de absorção que ocorrem no intestino delgado e grosso.
 Compreender o mecanismo de defecação.
 Compreender os fármacos laxantes (mecanismo de ação, representante de cada classe,
indicações e efeito adverso).
 Entender a bile e a função do fígado.
 Identificar os parâmetros bioquímicos séricos que avaliam a função hepática.
 Compreender o mecanismo do vômito.
9

 Compreender os fármacos antieméticos (mecanismo de ação, representante de cada classe,


indicações e efeito adverso).

CONCEPÇÃO E FORMAÇÃO DO SER HUMANO:

 Entender a gametogênese: ovogênese e espermatogênese, revisando os processos de meiose


e mitose.
 Explicar os eventos da mitose e meiose.
 Compreender a herança autossômica monogênica – 1ª lei de Mendel e as exceções; distúrbios
dos autossomos e dos cromossomos sexuais.
 Apontar as principais causas da infertilidade masculina e feminina.
 Discutir as alterações emocionais em casais que apresentam dificuldades para engravidar.
 Entender o metabolismo dos hormônios esteroidais masculinos e femininos.
 Compreender o ciclo menstrual reprodutivo na mulher e suas relações com eixo hipotálamo-
hipófise-gônadas.
 Entender os fármacos anticoncepcionais.
 Analisar o processo de fertilização e os eventos que ocorrem da primeira a terceira semana
do desenvolvimento embrionário.
 Exames confirmatórios de gravidez e os principais sinais e sintomas da gestação.
 Analisar o impacto psicossocial da gravidez na adolescência.
 Conceituar a diferentes vertentes de Concepção do Ser Humano.
 Explicar o desenvolvimento embrionário da 4ª a 8ª semana.
 Caracterizar os anexos embrionários e suas alterações (córion, placenta, âmnio, alantoide,
vesícula umbilical e cordão umbilical).
 Compreender a importância do ácido fólico no desenvolvimento embrionário.
 Descrever o desenvolvimento do coração, bem como os principais defeitos congênitos do
sistema cardiovascular (Coarctação de Aorta e Tetralogia de Fallot).
 Compreender o Desenvolvimento fetal da 9 semana até o nascimento.
Entender a herança multifatorial – distúrbios comuns de herança complexa.
 Diferenciar a divisão funcional e estrutural do sistema nervoso.
 Descrever o desenvolvimento do sistema nervoso central (encéfalo e medula espinhal).
 Caracterizar os principais defeitos congênitos do sistema nervoso central.
10

 Descrever o desenvolvimento do sistema respiratório, bem como a prevalência das principais


anomalias associadas.
11

4 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

Atividades Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira

Revisão de
17:00-19:00 17:00-
literatura
19:00

Atendimento
presencial aos
17:00-19:00 17:30-19:30
alunos com baixo
rendimento

Organização de
17:00-19:00 13:00-
atividades/eventos
17:00
ligados à
disciplina

5 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

No decorrer do semestre letivo de 2018.2, foram realizadas as seguintes atividades com


os discentes do primeiro período do curso de Medicina:

 Acompanhamento dos estudantes e direcionamento/auxílio em eventuais dúvidas


sobre os assuntos durante os momentos de estudo;
 Acompanhamento dos estudantes e direcionamento/auxílio em eventuais dúvidas
sobre o conteúdo disciplinar durante as sessões de tutoria;
 Compartilhamento de experiências sobre a metodologia de ensino ativa,
conteúdos e métodos de estudo;
 Suporte aos estudantes com baixo rendimento ou dificuldade de adaptação com
as metodologias ativas de ensino;
 Atividades dinâmicas por meio de gincana educativa e questionários, utilizando
a plataforma online kahoot (https://kahoot.com.welcomeback/), abordando os
temas pertinentes aos conteúdos vistos nos diferentes módulos do semestre;
12

 Atividades de revisão utilizando os conhecimentos adquiridos pelos monitores e


o conhecimento dos estudantes, além do suporte aos professores responsáveis
pela construção do material e do desenvolvimento das atividades;
 Reuniões com os professores para o compartilhamento das experiências e
principais dificuldades que os discentes vivenciaram, buscando soluções
conjuntas para elas;
 Elaboração de um banco de questões que foram trabalhadas ao longo do período;
 Elaboração de questões semanais a fim de orientar os discentes acerca dos tópicos
mais relevantes de cada caso tutorial;
 Pesquisa de material bibliográfico de suporte para estudo relacionado à
disciplina;
 Atualização sobre temas relacionados aos casos tutoriais e compartilhamento de
artigos e periódicos para o auxílio durante os estudos;
 Elaboração de relatório sobre as atividades desenvolvidas e feedback do trabalho
realizado;
 Realização de um TBL (Team Based Learning), dividido em três momentos: o
primeiro com cada discente individualmente resolvendo as questões propostas.
O segundo, com divisão dos discentes em grupos para debate e solução em grupo.
E, por fim, o terceiro momento aconteceu através do debate entre os grupos e os
monitores sobre as questões que geraram mais dúvidas.

Seguem, abaixo, os registros de algumas atividades realizadas.


13

Figura 1. Atividade de revisão para a primeira Avaliação Bimestral de Metabolismo realizada no dia 08/02/2019.

Figura 2. Atividade de revisão para a segunda Avaliação Bimestral de Metabolismo realizada no dia 08/03/2019.
14

Figura 3. Atividade de revisão para a primeira Avaliação Bimestral de Concepção e Formação do Ser Humano realizada no
dia 15/03/2019.

Figura 4. Atividade de revisão para a segunda Avaliação Bimestral de Concepção e Formação7 do Ser Humano realizada
no dia 24/03/2019.
15

6 CONSIDERAÇÕES FINAIS

A proposta da prática de monitoria permitiu a análise e a intervenção nos desafios e nas


dificuldades acadêmicas dos discentes do segundo primeiro da turma III de Medicina da
Universidade Federal de Alagoas, campus Arapiraca.
Houve, portanto, uma troca de conhecimento entre monitores, tutores e estudantes no
que tange ao conteúdo disciplinar do período e, até mesmo, da expertise de convívio
sociocultural entre as partes. A experiência de monitoria, então, apresentou-se como
gratificante e enriquecedora.
Em resumo, considera-se a monitoria um programa que não só incentiva o ensino, a
extensão e a iniciação científica, porém uma vivência que vai além de expectativas do monitor,
contribuindo não só para sua formação enquanto graduando, mas também como um importante
requisito para a vida fora da Universidade.
16

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FRISON, L. M. B. Monitoria: uma modalidade de ensino que potencializa a aprendizagem


colaborativa e autorregulada. Pro-Posições, v. 27, n. 1, p. 133-153, 2016.

FRISON, L. M. B.; MORAES, M. A. C. As práticas de monitoria como possibilitadoras dos


processos de autorregulação das aprendizagens discentes. Poíesis Pedagógica, .v. 8, n. 2, p.
144-158, 2010.

SILVERTHORN, D. U. Fisiologia Humana: Uma abordagem integrada. 5a ed. Porto


Alegre: Artmed, 2010.

GUYTON & HALL. Tratado de Fisiologia Médica. 10ªed. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2002.

CHAMPE, P. C.; HARVEY, R. A.; FERRIER, D. R. Bioquímica Ilustrada. 3ª ed. Porto


Alegre, Editora Artmed, 2006.

MOORE, K. & PERSAUD, TVN. Embriologia Clínica. 9ªed. Guanabara Koogan, Rio de
Janeiro, 2013.

ALBERTS, Bruce [et al.]. Biologia molecular da célula. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

KATSUNG, B. Farmacologia Básica e Clínica. 10. ed. Rio de Janeiro: Mcgraw-hill


interamericana, 2010.

HOWLAND, R. D.; MYCEK, M. J. Farmacologia Ilustrada. 3. ed. Porto Alegre: Artmed,


2008.

GOODMAN, A. As Bases Farmacológicas da Terapêutica. 11. ed. Rio de Janeiro: McGraw-


Hill, 2006.
17
18

Você também pode gostar