Você está na página 1de 6

Tema: O CARÁTER DE UM ADORADOR

Texto-base: Hb 10.19-22

19 Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus,
20 pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne,
21 e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus,
22 aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de
má consciência e lavado o corpo com água pura.

INTRODUÇÃO

• Caráter: qualidade inerente a uma pessoa que a distingue de outras; o


conjunto dos traços particulares, modo de ser de um indivíduo, ou de um
grupo; firmeza e coerência de atitudes; domínio de si (Dicionário Aurélio)
• Adoração: sentimento de dedicação absoluta de um ser a um outro ser; culto
a uma divindade; amor excessivo; reverenciar (Dicionário Aurélio)
• Conceito errado: adorador é o só o levita que toca ou canta. Levita é todo
aquele que serve. Nm 3.6-8; 4.4,24, 31.
• Ser um adorador é mais que uma atitude externa, ou um compromisso
dominical, é um estilo de vida. A música não é a única expressão de adoração.
Se submeter em temor a Deus e amor aos seus líderes, ser um bom
funcionário no trabalho, ser um filho obediente aos pais, são também
expressões de adoração. 1 Co 10.31
• A essência da adoração é uma vida inteiramente ligada a Deus (obediência
irrestrita a sua vontade). 1 Sm 15.22
• Amar a Deus independente das circunstâncias. Amar mais seus pés do que
suas mãos. Estar totalmente a sua mercê.
• A adoração não está presa a rituais, nem fórmulas, nem a expressões
estereotipadas, estilo pessoal, ou o tempo. A adoração está mais relacionado a
profundidade da relação entre o espírito do adorador e o Deus eterno. Mt
22.37; Rm 12.1-2
7 QUALIDADES DO CARÁTER DE UM VERDADEIRO ADORADOR

1. Gratidão (percepção da bondade e amor de Deus; paz em meio as


tribulações)
• A gratidão é o principal combustível para a verdadeira adoração;
• A gratidão era algo tão importante na liturgia do culto no AT, que no templo
de Salomão, havia levitas específicos para esta atividade. 1 Cr 16.4.
• No AT já se entrava no Templo com ações de graças. Sl 100.4
• A ação de graças glorifica e engrandece a Deus. É uma ordem de Deus, deve
ser dada de todo coração, é um tipo de oferta, é um testemunho diante do
Reino espiritual. Sl 50.23; 69.30; 147.7; 111.1; 116.17; 138.1
• Ser grato, é ser consciente que mesmo em meio a tribulações, Deus é bom, e
sempre planeja o melhor para cada um dos seus filhos. A gratidão nos leva a
viver por fé e não pelas circunstâncias. Rm 8.28; Gl 3.11
• Entender que nada nos separa do seu amor. Rm 8.39
• Perceber o suprimento de Deus desde as mínimas coisas até as mais
necessárias. Reconhecer que todo o bem em nossas vidas é de procedência
divina. Fl 4.19; Tg 1.17
• Gratidão não combina com murmuração. Muitas vezes a gratidão a Deus vai
exigir um esforço sobrenatural par ser praticada;
• Se por algum motivo Deus não me desse mais nenhuma dádiva, só o que Ele
já me abençoou até hoje, ainda assim, seria motivo para servi-lo pela vida
inteira.
• Exercitar na Prática a ação de graças

2. Disposição para perdoar (raiz de amargura)


• A falta de perdão é um problema grave que torna a nossa adoração
inaceitável diante de Deus. Mt 5.23-26
• A raiz amargura nos distancia de Deus, e pode evoluir até o ódio, o que nós
torna réu de homicídio perante Deus, e nos faz perder a vida eterna. Hb 12.15;
1 Jo 3.1
• O perdão não é um sentimento, é uma ordenança de Deus, que deve ser
praticada a partir de uma firme decisão de se entender que fomos perdoados
de ofensa maior por Deus. Mt 18.23-35
• Devemos perdoar sempre, como não há limites para a graça perdoadora de
Deus em nossas, de igual maneira devemos sempre perdoar nossos irmãos. Lc
17.3,4.
• A falta de perdão pode nos causar além das mazelas espirituais até doenças
físicas. Mc 2.1-12.
• Perdoar nossos irmãos é a condição para sermos perdoados por Deus. Mt
6.14,15
• Quando pedirmos perdão devemos ser sensíveis ao próximo e específicos
naquilo que ofendemos nosso irmão. Ofendeu em público, peça perdão em
público; ofendeu em particular, peça perdão em particular. 2 Co 2.5-7

3. Paixão pela Palavra (devocional diário, estudo sistemático);


• A Palavra de Deus contém todas as instruções sobre como agradar a Deus e
oferecer-lhe uma adoração que suba como incenso aromático às suas
narinas;
• Conhecer a Palavra e meditar nela diariamente não só fortalece nossa alma,
como é o principal veículo pelo qual Deus fala diretamente ao nosso coração,
nos tornando cada vez mais íntimos dEle; Sl 1.2
• A intimidade é a chave para adorar a Deus em Espírito e em verdade, mas esta
não é algo banal, é construída ao longo do tempo de insistência em conhecê-
lo pela meditação na Palavra; Os 6.3
• A Palavra é o principal meio pelo qual podemos nos aprofundar em conhecer
ao “Amado de nossas almas”;
• O verdadeiro adorador é um profundo estudioso da Palavra, conhece-a em
profundidade, expressa-se em adoração, de uma maneira cheia da palavra de
Deus;

4. Santidade (integridade e consciência pura)


• Se queremos oferecer a Deus uma oferta de adoração aceitável devemos ser
santos Hb 12.14 ;
• Santo, na etmologia da palavra significa ser separado, usado exclusivamente
para um fim. Ser santo é ter condição de vida totalmente agradável a Deus:
corpo, alma e espírito;
• Deus espera que seus adoradores sejam homens e mulheres integras,
completamente comprometidos com a verdade e a justiça, sendo as práticas
dessas também atos de adoração;
• Devemos como adoradores sempre cultivar uma consciência limpa, e livre de
culpas pela prática do bem, arrependimento e confissão de pecados;
• No AT a exigência para que uma oferta fosse aceita, era que o animal fosse
perfeito, sem mancha, nem mácula. Assim também devemos nos apresentar a
Deus dessa forma;

5. Submissão as autoridades (lealdade, honra e mansidão)


• Os verdadeiros adoradores devem ser submissos aos seus líderes e pastores,
porque foram ordenados por Deus, e não podemos oferecer uma adoração
aceitável a Deus estando em rebelião Rm 13.1 .
• O pecado de rebelião é como o pecado de feitiçaria, e adoração de um
feiticeiro jamais seria aceitável diante de Deus 1 Sm 15.23 .
• Precisamos aprender o valor da honra, que se manifestam através da
fidelidade e lealdade. Somos fiéis quando obedecemos nossos líderes quando
concordamos com o que nos é pedido, e somos leais quando mesmo que não
concordemos mesmos assim estejamos em aliança com nossos líderes;
• Uma marca forte do caráter do adorador é a mansidão. Mt 11.29
• Quanto mais se vive na presença de Deus, no Santo dos Santos, mais o Espírito
Santo molda os nossos temperamentos em mansidão. Pessoas que se dizem
adoradoras é tem um problema de “mal comportamento”, na realidade não
estão permanecendo tempo o bastante na presença de Deus em adoração;

6. Ter experiências íntimas com Deus (oração, jejum);


• O quanto Deus se revela aos seus filhos é diretamente proporcional a
intensidade de quanto o buscamos;
• Grandes homens e mulheres de Deus, obtiveram revelações gloriosas de Deus
e operaram maravilhas, por investirem muito tempo em oração;
• “Muita oração, muito poder; pouca oração, pouco poder; nenhuma oração,
nenhum poder.”
• A oração é o segredo para ser transformado de glória em glória, num
adorador por excelência. A oração não muda a opinião de Deus, a oração nos
muda;
• A oração em línguas é uma arma de defesa tremenda, pois quem fala em
línguas edifica-se a si mesmo. Deus ministra diretamente em nosso espírito o
seu poder e autoridade para resistir firmes aos contra-ataques de satanás;
• Durante os momentos de adoração, Deus nos conduzirá a profetizar, e esta
unção de Deus sobre as nossas vidas, se transforma em uma arma de guerra
poderosa para destruir as fortalezas do inferno;
• A consagração através do jejum é outra potente arma de guerra, que torna a
nossa adoração poderosa, de tal maneira, que nenhum espírito maligno
resiste a presença de Deus atraída por esta adoração;

7. Humilde e Serviço
• O verdadeiro adorador trilha o caminho da humildade, porque entende que
importa que Ele cresça e que o adorador diminua. Importa que Jesus esteja em
evidência em nossas vidas.
• O verdadeiro adorador não está a procura dos aplausos e aprovação humana,
mas se esconde na nuvem de glória de Deus, para se proteger de alguma
forma de aceitação de glória para si. Deus não reparte sua Glória com
ninguém;
• O verdadeiro adorador não procura os primeiros lugares, nem se ressente de
não ter seu nome citado, mas tributa toda honra, glória e louvor a quem é
merecedor dela, Yeshua Hamashia, Jesus Cristo, o nazareno;
• Entende que o maior ato de adoração, é servir, e muito mais, entende que
servir a Deus e ao seu próximo não é uma obrigação, mas um privilégio;
CONCLUSÃO

• O grande segredo da verdadeira adoração é entender que Deus não habita em


templos feitos por mãos humanas (At 7.48 ), mas em um feito por Ele mesmo,
nossas vidas. Entender que o Lugar de Adorar é onde estiver o santuário do
Espírito Santo. 1 Co 6.19
• A verdadeira adoração não está ligado a formas ou tradicionalismos
humanos, como ritmos musicais, tipos de instrumentos, se hinos ou outro tipo
de canção.
• O Diabo não é Pai de nada, só da mentira. Deus é o supremos criador da
música;
• A verdadeira adoração não está ligado a fatores externos e visíveis, mas tem
tudo a ver com o caráter e as reais intenções do adorador. Jo 4.24
• Deus não está a procura de adoração, pois o céu está cheio dela, e
infinitamente melhor que a nossa (Is 6.1-3; Ap 4.8-11 ), mas está a procura de
verdadeiros adoradores que o adorem por quem ele é.
• A adoração é um meio de sermos encontrados por Ele.

Você também pode gostar