Você está na página 1de 11

Curso Técnico Segurança do Trabalho

Identificação e Análise de Riscos


Módulo 4 - Radiações Não-Ionizantes
Radiações Não-Ionizantes
Segundo a NR15 Anexo 7: Segundo suas
propriedades e natureza:
• Radiações não-ionizantes são as
microondas, ultravioletas e laser; • Ultravioleta;
• Radiação visível;
• As operações ou atividades que exponham • Infravermelho;
os trabalhadores às radiações não- • Microondas;
ionizantes, sem a proteção adequada, • Radiofreqüência;
serão consideradas insalubres,em • Baixas freqüências.
decorrência de laudo de inspeção realizada
no local de trabalho;

• As atividades ou operações que exponham


os trabalhadores às radiações da luz negra
(ultravioleta na faixa - 400-320 nm) não
serão consideradas insalubres.
Radiações Não-Ionizantes
Radiação Ultravioleta
Esse tipo de radiação compreende as radiações de maior poder energético que
as demais. São capazes de produzir trocas de configuração eletrônica da
matéria viva que ocasionarão a produção de reações fotoquímicas.

Nos sistemas biológicos expostos se transforma a energia incidente em energia


rotacional e vibracional, com conseqüente aumento da energia cinética
molecular e produção de calor.
Esta compreendida entre os Raios-X e Luz Visível, ficando com uma faixa de
extensão em 100nm a 400nm.

• UVA – radiação com comprimento de onda entre 400nm e 320nm,


denominada luz negra;
• UVB – radiação com comprimento de onda entre 320nm e 280nm,
denominada eritemática;
• UVC – radiação com comprimento de onda entre 280nm e 100nm,
denominada germicida.
Radiações Não-Ionizantes
Fontes de radiação UVA:

• Lâmpadas de UV utilizadas para excitar líquidos fluorescentes em controles


de qualidade;
• Lâmpadas de luz negra utilizadas em teatros, exposições, diversões
públicas, etc. Com a finalidade de produzir efeitos visuais;
• Lâmpadas “solares” utilizadas em institutos de beleza para bronzeamento
artificial;
• Lâmpadas de UV utilizadas em cura de resinas.

Formas de Proteção para Radiação UVA

O posicionamento das fontes deverá ser efetuado preferencialmente de forma


a evitar a incidência direta da radiação sobre os olhos da pessoas.
Radiações Não-Ionizantes
Fontes de radiação UVB e UVC:

• Arco elétrico de qualquer natureza empregado em soldagem, corte, etc;


• Arco de plasma ou tocha de plasma utilizada em atividades industriais,
analíticas ou de pesquisas; metas em fusão quando a temperatura
superficial do banho exceder 2000º C;
• Lâmpadas germicidas utilizadas em hospitais, laboratórios
microbiológicos, indústrias farmacêuticas, industrias alimentícias,
laboratórios de pesquisa;
• Lâmpadas a vapor de mercúrio de alta pressão e bulbo “clara” utilizadas
em prensas de quadro basculante de indústria gráfica;
• Lâmpadas utilizadas em fototerapia e bronzeamento artificial.
Radiações Não-Ionizantes
Formas de Proteção para Radiação UVB e UVC

As fontes emissoras de radiação UVB e UVC deverão ser enclausuradas sempre


que tecnicamente possível, para não haver vazamentos de radiação no meio
ambiente.

Não sendo possível o enclausuramento, deverão ser instaladas barreiras


opacas à radiação que evitem sua incidência sobre os olhos da pessoas que
estão nas adjacências, assim como sobre as superfícies de alta refletância.

Para os eletricistas e soldadores, será obrigatório uso de Equipamento de


Proteção Individual, como óculos, elmos ou protetores faciais nas tonalidades
adequadas.
Radiações Não-Ionizantes
Microondas
É a região do espectro A radiação de microondas e
eletromagnético com poder radiofreqüência pode ser produzida
energético mais baixo. Quando esse de forma natural principalmente
tipo de radiação incide sobre um pela eletricidade atmosférica, que é
sistema biológico, produzem perdas estática, não obstante a sua
energéticas que podem ser: intensidade muito baixa.

1. De condução (pelo movimento Entre os emissores artificiais estão


dos íons livres) ; as estações da rádio e televisão,
2. Dielétricas (pela rotação das instalações de radar e sistemas de
moléculas que ocasionam); radiocomunicação. As fontes de
3. Transferência de energia com radiação não intencional são, por
produção de calor. exemplo, os fornos de microondas e
os equipamentos de MO e RF
usados em processos como
soldagem, fusão, esterilização, etc.
Radiações Não-Ionizantes
Radiação Solar
A radiação solar é composta por:

1. Raios cósmicos;
2. Rádio freqüência;
3. Radiação Visível;
4. Radiação Infravermelha;
5. Radiação Ultravioleta.

A radiação solar ao atingir a atmosfera perde aproximadamente um terço de


sua energia. Assim chega à superfície da Terra com apenas dois terços da
radiação inicial.

Composição da radiação solar na Terra:

• 5% UV (sendo 95% UVA e 5% UVB);


• 40% Radiação Visível;
• 55% Radiação Infravermelha.
Radiações Não-Ionizantes
Radiação Infravermelha
Não tem poder energético suficiente por fóton para modificar a configuração eletrônica
dos átomos da matéria incidente. Portanto seus efeitos serão unicamente térmico.

Dentre as fontes de radiação infravermelha, encontramos o espectro solar como sua


principal fonte. A radiação infravermelha é emitida principamente:

• Lâmpadas específicas de IV que não sejam as de iluminação geral;


• Em operações de soldagem ou corte a “gás”;
• Por banhos de fusão e outras fontes cuja temperaturas superficiais sejam superiores a
985º C;
• Por fontes com grandes áreas de emissão ou temperaturas superficiais próximas a
985º C.
As fontes emissoras de radiação infravermelha devem ser enclausuradas, sempre que
tecnicamente possível, de modo a evitar a incidência dessa radiação no pessoal direta ou
indiretamente envolvido na operação.
Todas as pessoas diretamente ligadas às operações suscetíveis de exposição à radiação IV
deverão ter sua pele protegida por vestimentas ou cremes-barreira opacas a essa
radiação.
Radiações Não-Ionizantes
Laser
• Classe I: Não emitem níveis de • Classe IIIb: Incluí lasers capazes de
radiação perigosos. Não necessitam provocar lesões quando se lhes olha
de nenhum rótulo de advertência ou directamente. Deve-se colocar um
medida de controlo. rótulo de advertência.

• Classe II: Dispositivos de potência • Classe IV: São os de maior risco. Incluí
baixa com escasso risco. Podem os lasers que podem produzir lesões
provocar lesão na retina quando se tanto pelo raio directo como pelo
olham durante um período reflexo e também constituem risco de
prolongado. É necessário colocar um incêndio. Deve levar o sinal de
sinal de advertência. advertência adequada.

• Classe IIIa: São equipamentos com


uma potência moderada que não
lesionam o olho nu da pessoa com
uma resposta de aversão normal a
luz brilhante, mas pode causar dano
quando a energia é recolhida e
transmitida ao olho. E necessário
colocar um sinal de advertência.
Radiações Não-Ionizantes
Laser
A radiação laser, direta ou refletida, pode afetar os olhos e a pele, especialmente os
primeiros, ainda que a potência seja baixa. Como uma exposição de uma fração de
segundo aos raios laser pode provocar uma lesão permanente, as medidas de controle
para a exposição direta ou a feixe especularmente refletido, devem ser:

• Nenhuma pessoa deve olhar o feixe • O feixe laser deve terminar num
principal nem as reflexões especulares material-alvo que seja não refletor
do feixe, quando as densidades de e resistente ao fogo; as áreas
potência ou energia ultrapassarem os laterais do feixe devem ficar
L.T. isoladas do pessoal.
• Deve-se evitar enfocar o laser com os
olhos, evitando assim olhar em direção • Devem ser tomadas precauções
ao feixe, o que aumenta o risco especiais, se forem usados tubos
derivado da reflexões. retificadores da alta
• O trabalho com laser deve ser feito em voltagem(acima de 15 KV), porque
áreas de boa iluminação geral, para há possibilidade de que sejam
manter as pupilas contraídas, e assim gerados raios x.
limitar a energia que poderia,
inadequadamente, penetrar nos olhos.