Você está na página 1de 4

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

PROTOCOLOS SONET E SDH

Autor: André Leite

Curso Técnico de Eletrônica

Turma: 3ª série C – Turma T1

Professor: Anthony Charatti

Belo Horizonte
Novembro/2016
INTRODUÇÃO

Synchronous Optical Networking (SONET) e Synchronous Digital


Hierarchy (SDH) são protocolos padronizados que enviam sequências de bits de
forma síncrona via Fibra óptica, utilizando raios laser, ou LED’s com emissão de
luz altamente coerente. Utilizando baixa taxa de transmissão, dados podem ser
enviados via condutores elétricos.
SONET e SDH, que essencialmente são o mesmo, foram criados
originalmente para fazer a comunicação entre circuitos (como sinais de telefonia
multiplexados) vindo de diversas fontes, mas principalmente para suportar sinais
de voz codificados em PCM, em tempo real e descompactados. A principal
dificuldade em fazer isso antes do surgimento desses protocolos era a
dessincronização entre canais. Isso significa que cada circuito estava trabalhando
em taxas e fases distintas minimamente das outras. SONET/SDH possibilitou o
transporte de diversos sinais de comunicação de diferentes origens em um único
procolo.
As tecnologias SDH (Synchronous Digital Hierarchy) são utilizadas para
multiplexação TDM com altas taxas de bits, tendo a fibra óptica como meio físico
preferencial de transmissão. Entretanto, possui ainda interfaces elétricas que
permitem o uso de outros meios físicos de transmissão, tais como enlaces de
rádios digitais e sistemas ópticos de visada direta, que utilizam feixes de luz
infravermelha.
Este procolo não é de comunicação, mas é um procolo de transporte.

FIBRA ÓPTICA

Fibra ótica é um filamento flexível e transparente fabricado a partir de vidro


ou plástico e que é utilizado como condutor de elevado rendimento de luz,
imagens ou impulsos codificados. Têm diâmetro de alguns micrómetros,
ligeiramente superior ao de um cabelo humano. Por ser um material que não sofre
interferências eletromagnéticas, a fibra ótica possui uma grande importância em
sistemas de comunicação de dados.
As fibras óticas consistem, geralmente, de um núcleo central cilíndrico e
transparente de vidro puro, o qual é envolvido por uma camada de material com
menor índice de refração (fator que viabiliza a reflexão total). Ou seja, a fibra
óptica é composta por um material com maior índice de refração (núcleo) envolto
por um material com menor índice de refração (casca). Ao redor da casca ainda
há uma capa feita de material plástico necessária para proteger o interior contra
danos mecânicos.
Nas telecomunicações a fibra óptica é utilizada para transmitir sinais por
meio de pulsos eletromagnéticos, ou seja, luz, radiação infravermelha ou qualquer
outro tipo de radiação eletromagnética. Por ser mais eficiente e econômica que os
cabos de cobre, ela tem sido largamente utilizada no ramo das telecomunicações.
A fibra óptica apresenta outra vantagem em relação ao uso de cabos de cobre,
nos fios de cobre os amplificadores e os repetidores de sinais devem ser
instalados de 4 em 4 km. Já na fibra óptica esses mesmos receptores e
amplificadores são instalados em distâncias maiores que 10 km. Apesar de todas
essas vantagens, a fibra óptica apresenta duas desvantagens em relação ao uso
do cobre. Na fibra a velocidade da emissão de sinais é de aproximadamente 200
000 km/s, ao contrário dos sinais da corrente elétrica, que se propagam com uma
velocidade de 300 000 km/s. Outra desvantagem é que a fibra óptica é menos
resistente em relação ao fio de cobre.

VELOCIDADE DE COMUNICAÇÃO

Uma grande vantágem do protocolo de transmissão SDH é sua elevada


flexibilidade para transportar diferentes tipos de hierarquias digitais, que permite
oferecer interfaces compatíveis com o padrão PDH europeu (nas taxas de 2
Mbit/s, 8 Mbit/s, 34 Mbit/s e 140 Mbit/s) e americano (nas taxas de 1,5 Mbit/s, 6
Mbit/s e 45 Mbit/s), além do próprio SDH (nas taxas de 155 Mbit/s, 622 Mbit/s, 2,5
Gbit/s e 10 Gbit/s).

FORMA DE ONDA

Devido à transmissão SDH ser feito através de pacotes de bits, não há uma
maneira de demonstrar muito bem a sua forma de onda, pois é apenas uma onda
quadrada, que varia de acordo com a informação. Já para recepção de sinais
analógicos, a sua codificação é via PCM, no qual sua forma de onda pode ser
observado na figura abaixo. Este exemplo é para um pacote de dados de 4 bits,
variando de 0 – 15 de acordo com a forma de onda. Pela alta transmissão de bits
(bitrate), é possível fazer um PCM mais preciso em amplitude, porém é necessário
seguir o teorema de Nyquist, que diz que a frequência de amostrágem é no
mínimo igual à 2x a frequência do sinal. Quanto maior a precisão de amplitude,
menor a frequência de amostragem, para um mesmo bitrate.
DIFERENÇA DE PROTOCOLOS CONCORRENTES

SDH difere do Plesiochronous Digital Hierarchy (PDH) no fato que as


taxas que são utilizadas para transimitr a informação no SONET/SDH são
extremamente sincronizados através do mundo inteiro, utilizando relógios
atômicos. Esse sistema de sincronização permite a sincronização inter-
continental, reduzindo drasticamente a quantidade de buffering¹ requerida entre
dispositivos na rede mundial. SONET e SDH podem ser utilizados para encapsular
protocolos de transmissão antigos, como o PDH.
¹ buffering é um esquema de compensação para uma diferença de velocidade de transmissão ou tempo de
ocorrência de eventos, quando há comunicação de um dispositivo para outro

REFERÊNCIAS

https://en.wikipedia.org/wiki/Synchronous_optical_networking
http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialrsdh/pagina_1.asp
http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/a-utilizacao-fibra-optica.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/Fibra_%C3%B3ptica
https://en.wikipedia.org/wiki/Data_buffer#Telecommunication_buffer