Você está na página 1de 202

Emmet Fox

A Chave de Ouro para a


vida bem sucedida e
ReminiscÊncias

-Herman Wolhorn-
Prefácio

Por muitos anos tem havido uma demanda insistente dos seguidores de
Emmet Fox por uma biografia que daria uma visão mais íntima do homem
do que seus livros fornecem. Em certo sentido, a vida de Emmet Fox não
pode ser separada do ensinamento que ele fez pessoalmente e através de
suas publicações, e ainda assim havia um lado pessoal, íntimo e caloroso,
conhecido por poucos e não por muitos. E assim dividi este livro em duas
partes. A Parte Um é um resumo do ensino que ele deu, anotado (em tipo
itálico) com observações pessoais que experimentei durante os vinte anos
em que trabalhamos juntos.
A parte dois é uma visão íntima do Emmet Fox que minha esposa e eu
conhecíamos em nossa íntima associação com ele. Tenho certeza de que há
muitas pessoas ao redor do mundo que poderiam oferecer outras idéias de
Emmet Fox como eles o viam, mas confinei este relato, com poucas
exceções, a nós três: Emmet Fox, Blanche Wolhorn e eu. Não é um relato
cronológico. Eu agrupei idéias e eventos relacionados para transmitir um
retrato abrangente de Emmet Fox em sua busca constante pela Verdade e
no trabalho contínuo de seu Ministério de Cura.
Aproveito a oportunidade para expressar minha gratidão a Clayton
Carlson da Harper & Row, que incentivou a elaboração deste projeto, a
Eleanor Jordan e Fred Becker, também da Harper, que forneceram insights
sobre os livros de Emmet Fox e ao Dr. Fletcher Harding , um amigo
especial de Emmet Fox, cuja comovente homenagem ao Dr. Fox no
momento de sua partida fecha o livro.
H.W.
PARTE UM
A grande chave de ouro

Entre as chaves de ouro que Emmet Fox deu a seus seguidores, nenhuma é
mais famosa que seu ensaio chamado "A Chave de Ouro". Milhões de
exemplares foram vendidos em muitas e variadas traduções. Apareceu em
francês, alemão, espanhol, português, grego, russo e no dialeto hindu que
Gandhi falou; e, sem dúvida, foi traduzido para muitas outras línguas e
dialetos por indivíduos que tiveram sua eficácia comprovada em suas
próprias vidas e quiseram ajudar amigos e parentes.
Tem havido milhares de cartas ao longo dos anos endossando o valor de
"A Chave de Ouro", às vezes até desesperadas em seu apelo por uma cópia,
como o pedido de uma mulher que escreveu para outra porque "eu lavei
na máquina de lavar roupa no bolso do meu avental e agora eu não tenho
mais Chave Dourada ".
Foi parafraseado por vários líderes religiosos que chegaram à sua receita
simples para sair do problema: "Veja Deus onde o problema parece estar;
pense em Deus em vez da dificuldade". Se alguém conseguir fazer isso com
êxito, e centenas de milhares o fizerem, o problema se dissipa, a
dificuldade desaparece e somente o bem permanece em seu lugar. Às
vezes as pessoas perguntam: "Como eu penso em Deus?" Emmet Fox
respondeu isso também. Há um capítulo em Alter Your Life chamado "Os
Sete Principais Aspectos de Deus", que dá ao leitor, o estudante, o.
praticante, simples, mas instruções concretas para pensar em Deus em
qualquer tipo de problema ou situação. Ele pergunta:
Você já se fez a pergunta: como é Deus? É-nos dito que oremos, afastando-
nos do problema e pensando em Deus; mas como devemos pensar em
Deus? Qual é a sua natureza? Qual é o seu caráter? Onde ele está? Podemos
realmente contatá-lo e, em caso afirmativo, como?
A primeira e mais fundamental coisa a perceber é que Deus não é apenas
um tipo superior de homem. A maioria das pessoas diria: "Claro que não",
mas minha experiência me mostra que até hoje a maioria das pessoas, em
seus corações, pensa em Deus apenas como um homem magnificado, um
homem extraordinariamente sábio, um homem de infinito poder, mas
ainda é um homem. Ora, tal idéia é, na verdade, apenas uma projeção de
suas próprias personalidades e requer muito pouca reflexão para mostrar
que tal idéia não pode ser verdadeira. Em filosofia, tal ser é chamado de
um Deus antropomórfico (de anthropos - homem e morfe - forma - veja
Webster). E tal pessoa finita não poderia ter criado o universo ilimitado
que vemos através de nossos telescópios, ou a infinita variedade de formas
diminutas que contatamos através do microscópio; para não falar da
infinita criação da qual ainda estamos totalmente inconscientes.
Deus é infinito, que é infinito ou ilimitado. Reflita sobre isso todos os dias
da sua vida e uma vida inteira não será longa o suficiente para entender
tudo o que isso significa.
Uma grande dificuldade prática em discutir Deus é o fato de que não temos
um pronome adequado para empregar. Temos que usar as palavras "ele" e
"ele". Não temos alternativa, mas essas palavras são muito enganosas
porque inevitavelmente sugerem um homem ou um homem. Dizer "ela" e
"ela" seria igualmente absurdo, e a palavra "isso", além de parecer
desprovida de reverência, sugere um objeto inanimado e pouco
inteligente. O leitor é, portanto, convidado a ter em mente que o uso de
"Ele" e "Dele" é um improviso improvável, e para corrigir o seu
pensamento em conformidade.
Não há como encontrar a Deus senão pela oração, e a oração é pensar em
Deus. A Bíblia diz que Deus é espírito (João 4:24) e que os que O adoram
devem adorá-lo em espírito e em verdade. Adorar a Ele em espírito
significa obter uma compreensão espiritual de Sua natureza, e agora nos
esforçaremos para fazer isso. Não tentaremos definir Deus porque isso
seria limitá-lo, mas obtemos o que é para todos os propósitos práticos um
excelente conhecimento prático de Deus. Faremos isso considerando
diferentes aspectos de Sua natureza, um por um.
Destes, existem sete aspectos principais que são mais importantes do que
qualquer um dos outros. Estas são sete verdades fundamentais sobre
Deus, e todas as outras são constituídas de combinações de algumas
dessas sete. Essas verdades nunca mudam. Eles foram os mesmos um
bilhão de anos atrás e eles serão os mesmos daqui a um bilhão de anos.
Então, naturalmente, nos convém obter uma compreensão tão clara e tão
forte quanto possível desses Sete Aspectos Principais. Isso pode ser feito
pensando-se bastante, comparando um com o outro e identificando-o nas
experiências da vida cotidiana. Isto é oração e oração muito poderosa
também.
A maneira mais rápida de resolver um problema em particular é meditar
em qualquer Aspecto que seja o mais apropriado nesse caso em particular.
Pensar em qualquer Aspecto de Deus resolverá um problema, mas se você
selecionar o Aspecto certo, obterá seu resultado de maneira mais rápida e
fácil.
O primeiro aspecto principal é a vida. Deus é vida. Deus não está apenas
vivendo, nem Deus dá vida, mas Deus é Vida. Deus é a sua vida. A vida é
existência ou ser.
Perceba o Aspecto de Deus como Vida para curar a doença, para a crença
"envelhecendo" e para qualquer tipo de depressão ou desânimo. Se uma
pessoa parece carecer de ambição, trate-a pela vida, percebendo a
presença da Vida Divina nele. Claro, você pode curar animais e plantas
também. Os animais geralmente respondem rapidamente a esse
tratamento e plantam muito rapidamente; mas não se deve tentar manter
um animal velho vivo por tratamento depois de ter atingido o período
normal para sua espécie.
A alegria é uma das mais altas expressões de Deus como Vida. Na verdade,
é uma mistura de vida e amor. A Bíblia diz que "os filhos de Deus gritam de
alegria", e isso significa que a pessoa está radiantemente feliz porque está
expressando a Vida de Deus nele em um alto nível ou potencial.
O segundo aspecto principal de Deus é a verdade. Deus é a verdade. Deus
não é verdadeiro, mas Verdade em si, e não muda. Há muitas coisas que
são relativamente verdadeiras em determinados momentos e lugares
apenas; mas Deus é a Verdade absoluta em todos os momentos e em todas
as circunstâncias.
Conhecer a verdade sobre qualquer condição cura-a. Jesus disse: "Conhece
a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32). A verdade é o grande
curador.
Você também deve perceber Deus como Verdade quando quiser
informações sobre qualquer assunto, ou se suspeitar que tem que lidar
com falsidade ou falsidade. Se você tem razão para acreditar que alguém
está tentando enganá-lo, pense em Deus como Verdade e afirme que a
Verdade Divina habita na pessoa em questão e é expressa através dele. Se
você perceber isso claramente, ele então falará a verdade. Quando você
tiver que realizar qualquer transação importante, como assinar um
contrato ou um contrato, passe alguns minutos realizando a Verdade
Divina e, se houver algo que você deva saber, ela será revelada.
Realizar a Deus como Verdade vai lhe poupar horas de trabalho em
pesquisa em qualquer campo. Você será levado ao livro certo ou ao lugar
certo ou à pessoa certa sem perda de tempo; ou a informação necessária
virá até você de alguma outra forma.
O terceiro aspecto principal de Deus é o amor. Deus é amor. Deus não ama,
mas ama a si mesmo, e provavelmente seria verdade dizer que, de todos os
Sete Aspectos Principais, este é o mais importante para nós na prática. Não
há condição de que suficiente Amor não cure * e onde há boa vontade não
é difícil desenvolver um senso suficiente de Amor com o propósito de
curar.
* Veja o capítulo sobre "amor".
A melhor maneira de se livrar do medo é perceber o Amor Divino. Se você
ama a Deus (afirmando e significando isto) mais do que ama seu problema,
sua doença, sua queixa, sua falta ou seu medo, você será curado. Se você
pudesse sentir uma sensação de Amor Divino Impessoal em relação a
todos, ninguém poderia ferir você.
Há apenas um remédio para o medo, e isso é obter algum sentido do Amor
Divino, pensando sobre isso, analisando-o, reivindicando-o e expressando-
o na prática.
Não fale sobre suas orações. Não diga às pessoas que você está orando por
tal e tal coisa, ou de tal e tal maneira. Mantenha os assuntos da sua alma
em segredo. Quando você fizer uma demonstração, não corra e conte a
todos sobre isso imediatamente. Guarde para si mesmo até que tenha
tempo de cristalizar. Quando Jesus curou as pessoas, ele disse:
"Vá embora e não conte a ninguém."
O quarto aspecto principal de Deus é a inteligência. Deus não é apenas
inteligente. Deus é a Inteligência em si. Quando você percebe claramente
que este é um universo inteligente, isso fará uma grande diferença em sua
vida. É óbvio que em um universo inteligente não pode haver desarmonia,
porque todas as idéias devem trabalhar juntas para o bem comum.
É especialmente importante perceber que Deus é Inteligência porque às
vezes acontece que quando as pessoas superam a idéia infantil de que
Deus é apenas um homem magnificado, elas vão para o extremo oposto e
pensam em Deus apenas como uma força cega como a gravidade ou a
eletricidade. Isso significa que eles perderam todo o sentido do Amor e da
Paternidade de Deus, e tal idéia é muito pouco melhor do que uma forma
sutil de ateísmo. De fato, esse ponto de vista não está muito distante da
atitude do materialista, que geralmente acredita muito no que ele chama
de leis da natureza.
Embora Deus não seja uma pessoa no sentido usual da palavra, Ele tem
toda qualidade de personalidade, exceto sua limitação. Pense em Deus
como um Pai amoroso sempre pronto para curar e consolar. Lembre-se de
que Deus conhece você e te ama e cuida de você - que Ele é e tem
Inteligência infinita - que Ele é e tem todo o Poder - que Sua natureza é o
Amor Divino perfeito. Volte-se para Deus hoje da mesma maneira e do
mesmo espírito que você teria quando tivesse cinco ou seis anos de idade,
mas também o maior entendimento que você adquiriu desde então.
Quando as coisas da sua vida parecem estar dando errado, trate-se com a
Inteligência. De fato, você deve tratar-se da Inteligência duas ou três vezes
por semana, pensando nela e reivindicando por si mesmo. Esta prática fará
com que cada atividade da sua vida seja mais eficiente.
O Quinto Aspecto Principal de Deus é Alma, escrito com um S. maiúsculo.
Não confunda isso com alma escrita com um pequeno s, que é o que a
psicologia moderna chama de psique, e é outro nome para sua mente
humana que consiste em seu intelecto e seus sentimentos.*
* Veja "Os Quatro Cavaleiros" em Alter Your Life.
Alma é o aspecto de Deus em virtude do qual Ele é capaz de individualizar-
se. A palavra "indivíduo" significa indivisível (ver Webster), e Deus tem o
poder de individualizar-se sem, por assim dizer, quebrar-se em partes.
Assim, o seu eu real, o Cristo interior, o homem espiritual, o Eu Sou, ou a
centelha divina, como é chamado de várias maneiras, é uma
individualização de Deus. Você é a presença de Deus no ponto em que você
está. Isso não significa, evidentemente, que você seja um pequeno Deus
pessoal e absurdo. Você é uma individualização do único Deus (João
10:84).
O Aspecto de Deus como Alma é o único a perceber quando você é
chamado a realizar alguma tarefa ou assumir alguma responsabilidade que
parece grande demais para você. Se você ficar claro o suficiente, ficará
impressionado com o bom andamento de tudo e entrará
permanentemente em uma categoria superior de trabalho. Seja o que for
que você tenha que fazer, é uma boa prática lembrar a si mesmo que é
Deus fazendo isso através de você. Como alguém disse com propriedade:
"O homem é o meio-termo", o canal pelo qual Deus opera.
O sexto aspecto principal de Deus é o Espírito. Deus é Espírito (João 4:24).
Espírito é aquilo que não pode ser destruído ou danificado ou ferido,
degradado ou sujo de qualquer forma. O espírito não pode se deteriorar.
Não pode envelhecer nem se cansar. Não pode conhecer o pecado, a
condenação, o ressentimento ou a decepção. É o oposto da matéria. A
matéria está sempre se deteriorando e se desgastando. Isso é realmente
uma coisa esplêndida porque significa que o mundo está constantemente
sendo renovado. Muito do progresso material é devido a este fato. Por
exemplo, se os automóveis não se desgastassem, poderíamos ainda estar
usando os modelos primitivos de quarenta ou cinquenta anos atrás. Nunca
devemos tentar nos apegar mentalmente a objetos materiais, mas estar
sempre prontos para renová-los e aperfeiçoá-los.
Toda a beleza, tudo de bom, toda alegria, é a Presença de Deus apreendida
através do véu da matéria.
O tempo para perceber o Aspecto de Deus como Espírito é quando algo
parece estar danificado, sujado ou em decadência. Se você pode perceber a
presença do Espírito onde o problema parece ser a condição má começará
a melhorar, e se a sua compreensão estiver suficientemente clara, a
condição será completamente curada.
Quando Jesus viu o homem com a mão ressequida, percebeu que, na
verdade, aquela mão era espiritual - e a mão estava curada. Quando você
percebe que uma determinada coisa não é realmente uma questão, mas
uma idéia espiritual vista de maneira limitada, essa "coisa" muda para
melhor. Não importa se é uma coisa viva como uma parte do seu corpo, um
animal ou uma planta; ou se é o que chamamos de objeto inanimado, a lei é
a mesma. Os chamados objetos inanimados são idéias realmente
espirituais - uma mesa, seu relógio, seus sapatos, sua casa - vistos da
maneira limitada (nublada) que chamamos de matéria. Um animal é um
maravilhoso agrupamento das idéias de Deus em que a Inteligência é um
componente principal, mas não é uma individualização como o homem é.
Não teorize muito sobre este assunto, mas tente algumas experiências
práticas. Quando algo está causando problemas, afirme e tente perceber
que, na realidade, é uma idéia espiritual - e observe o que acontece. Se um
automóvel, ou qualquer outro tipo de mecanismo, estiver causando
problemas, tente tratá-lo. Sei que isso soará fantástico para pessoas que
não conhecem a lei espiritual, e por isso eu digo, não seja obstinado, mas
tente.
* Um exemplo maravilhoso de tratamento de um automóvel será
encontrado no capítulo "Ao longo da estrada" - The Changing Quarenta.
O Sétimo Aspecto Principal de Deus é Princípio, e este é provavelmente o
que é menos compreendido. As pessoas geralmente não pensam em Deus
como Princípio, mas ele é assim. O exemplo mais simples de um princípio
cotidiano comum é "A água busca seu próprio nível". Este é um princípio.
Não é uma gota particular de água nem o rumo tomado por uma gota
particular de água em uma determinada localidade. É um princípio geral
que é verdade de toda a água em toda a terra. Não é uma coisa particular
ou uma ação particular. É um princípio.
Este princípio, e todos os outros princípios, eram verdadeiros um bilhão
de anos atrás e isso será verdade daqui a um bilhão de anos. Princípio
nunca muda.
Deus é o Princípio da harmonia perfeita e Deus não muda, a harmonia
perfeita é a natureza da Sua criação. A oração é respondida porque Deus é
princípio, e quando oramos corretamente nos colocamos em harmonia
com a Lei do Ser. A oração científica não tenta mudar a lei. Não tenta trazer
exceções a nosso favor. Não pede a Deus que mude as leis da natureza para
nossa conveniência temporária, mas nos sintoniza, por assim dizer, com o
Princípio Divino; e então descobrimos que as coisas estão certas, porque
nessa situação particular há perfeita harmonia e ação correta que não
vimos no momento. Portanto, é sempre uma questão de sintonizar a Deus
através da oração.
Um tratamento simples, mas poderoso, é lembrar a si mesmo - Deus é
Princípio, o Princípio da harmonia perfeita e, portanto, a harmonia
perfeita é o eu-ser do Ser neste caso.
Este Aspecto de Deus, a saber, o Princípio, pode ser usado a qualquer
momento, mas é especialmente útil quando você está se sentindo
desanimado com suas orações e em casos em que parece haver uma
grande quantidade de sentimentos ou preconceitos envolvidos. Em outros
casos em que parece haver qualquer sentimento de vingança ou rancor,
tais coisas se fundirão sob a percepção de que o Princípio Divino é o único
Poder que existe, e que simplesmente não existe uma falsa personalidade
para pensar mal desse tipo.
Estes são os Sete Aspectos Principais de Deus e não se pode realmente
traçar uma linha dura e rápida entre eles. Na prática, muitas vezes é
melhor lidar com um problema específico, realizando dois ou mais deles.
Existem muitos atributos de Deus, tais como Sabedoria, Beleza, Alegria e
assim por diante, mas eles são compostos, compostos de dois ou mais dos
Sete Aspectos Principais.
Existem dois sinônimos para a palavra Deus - Mente e Causa. Cada um
significa exatamente o mesmo que a palavra Deus em si. Deus é o nome
religioso do Criador de todas as coisas. Mente é o nome metafísico, e Causa
é o nome da ciência natural para Deus. Qualquer coisa que tenha qualquer
existência real é uma ideia na Mente Única; e esta é a interpretação
metafísica do universo. Do ponto de vista da ciência natural, podemos
dizer que toda a criação é o resultado ou efeito de uma causa (Deus) e que
não há causas secundárias. Uma causa não pode ser conhecida
diretamente, ela pode ser conhecida apenas por seu efeito, e assim o
universo é a manifestação ou efeito de Causa ou Deus, e porque Deus é
bom, deve ser bom também.
Mude sua mente

Enquanto praticava sua profissão como engenheiro elétrico em Londres,


Emmet Fox começou a ler sobre o movimento metafísico americano. Ele
logo descobriu que outros estavam interessados nela também, sendo um
deles um gigante entre os pensadores avançados daquele dia, o juiz
Thomas Troward. O Dr. Fox trabalhou com o juiz Troward, que acabou
sugerindo que E. F. saísse e divulgasse o ensino.
Durante vários anos, antes de vir para a América, Emmet Fox lecionou
extensivamente em toda a Inglaterra e Escócia, nos Centros de Novos
Pensamentos, Clubes de Psicologia e Centros de Pensamento Superior. As
palestras tornaram-se tão populares que ele estabeleceu reuniões
regulares na noite de domingo em Wigmore Hall, em Londres.
Seu tema central na época era "Alter Your Life", porque ele achava que a
idéia que tiraria as pessoas de suas perspectivas estreitas e maneiras
difíceis era mudar de idéia, alterar suas reações às circunstâncias e
condições. Ele enfatizou isso tanto que entre seus seguidores ansiosos ele
era conhecido como "Alter-Your-Life Fox".
Claro, ele trouxe essa "chave de ouro" para a América e mudou inúmeras
vidas. Ele começa:
Não há necessidade de ser infeliz. Não há necessidade de ficar triste. Não
há necessidade de ficar desapontado, oprimido ou aflito. Não há
necessidade de doença ou falha ou desânimo. Não há necessidade de nada
além de sucesso, boa saúde, prosperidade e um grande interesse e alegria
na vida.
Sucesso e felicidade são a condição natural da humanidade. Isto é na
verdade, é mais fácil demonstrarmos essas coisas do que o contrário. Os
maus hábitos de pensar e agir podem obscurecer esse fato por algum
tempo, assim como um jeito errado de andar sentado ou segurando uma
caneta ou um instrumento musical pode parecer mais fácil do que o modo
apropriado, porque nos acostumamos a isso; mas o caminho apropriado é
o mais fácil, no entanto.
Você nunca deve "colocar" nada. Você nunca deve estar disposto a aceitar
menos que Saúde, Harmonia e Felicidade. Essas coisas são o seu Direito
Divino como os filhos e filhas de Deus, e é apenas um mau hábito,
inconsciente como regra, que você fica satisfeito com menos.
Você pode ter prosperidade, não importa quais sejam suas circunstâncias
atuais. Você pode ter saúde e aptidão física. Você pode ter uma vida feliz e
alegre. Você pode ter uma boa casa própria; e amigos e camaradas
simpáticos. Você pode ter uma vida plena, livre e alegre, independente e
sem entraves. Você pode se tornar seu próprio mestre ou sua própria
amante. Mas, para fazer isso, você deve definitivamente tomar o leme de
seu próprio destino e guiar ousadamente e com firmeza o porto que
pretende fazer.
Bem, o que você está fazendo sobre o seu futuro? Você se contenta em
deixar as coisas apenas se arrastarem como estão, esperando, como o Sr.
Micawber, que algo "apareça"? Se você é, tenha certeza de que não há
como escapar dessa maneira. Nada jamais surgirá, a menos que você
exerça o seu Livre Arbítrio e saia e aumente para si mesmo, tornando-se
familiarizado com as Leis da Vida e aplicando-as às suas próprias
condições individuais. Essa é a única maneira. Caso contrário, os anos
passarão com demasiada rapidez, deixando-o exatamente onde está agora,
se não pior, porque não há limite para o resultado do pensamento, seja
para o bem ou para o mal.
O homem tem domínio sobre todas as coisas quando conhece a Lei do Ser
e a obedece. A lei lhe dá independência para que você possa construir sua
própria vida a seu modo. A lei lhe dá poder para obter prosperidade e
posição sem infringir os direitos e oportunidades de qualquer outra
pessoa. A lei lhe dá poder para superar suas próprias fraquezas e falhas de
caráter. A Lei lhe dará o dom do que é chamado Originalidade - o fazer das
coisas de uma maneira nova, que é um caminho melhor e diferente do de
qualquer outra pessoa. A Lei lhe dará autoridade sobre o passado, bem
como o futuro, e o tornará mestre do Karma em vez de seu escravo.
Como eu amo a tua lei.
Não "adie" seu estudo da Lei por mais tempo. Procrastinação, nos é dito, é
o ladrão do tempo; e outro provérbio diz ainda mais enfaticamente que o
inferno em si é pavimentado, não com más intenções, mas com boas
intenções. É do adiamento que a Lei diz: Tu ouvirás o Nunca sussurrado
pelos anos fantasmas, mas o caminho do Sábio (o Justos ou o Pensador
Correto) brilha cada vez mais até o Dia Perfeito.
Por isso, é importante saber o que é a Lei do Ser. A Bíblia lida com isso de
várias maneiras. No Antigo Testamento, diz: "Como um homem pensa em
seu coração [subconsciente], ele também é". No Novo Testamento, diz:
"Tudo o que o homem semear, isso também ceifará". Na metafísica,
costumamos dizer: "Pensamentos são coisas" ou "Como dentro, portanto
sem".
Emmet Fox em seu "Os Dez Mandamentos" dá um muito conciso e
definição moderna. Ele diz:
Há uma grande lei fundamental, a Lei do Ser, o resumo de todas as leis da
vida. É isto: o que quer que venha a você, o que quer que aconteça a você, o
que quer que esteja ao seu redor, estará de acordo com sua consciência, e
nada mais; que tudo o que está em sua consciência deve acontecer, não
importa quem tente detê-lo; e tudo o que não está em sua consciência não
pode acontecer.
Assim, ao estudarmos esta Lei do Ser, ao contemplarmos a plena
importância dela, cada vez mais nos tornamos senhores de nosso próprio
destino.
Faça um balanço da sua vida neste mesmo dia. Sente-se calmamente com
um lápis e papel e anote as três coisas que mais deseja na vida. Seja
bastante franco sobre isso. Anote as coisas que você realmente deseja, não
as coisas que você acha que deveria desejar. Seja específico, não vago. Em
seguida, anote abaixo três coisas ou condições que você deseja remover da
sua vida. Mais uma vez, seja definido e específico.
Se você fizer isso com franqueza, agora você tem uma análise
extremamente valiosa de sua própria mentalidade. No decorrer do tempo,
isso lhe dirá muitas coisas sobre você que você não suspeita no momento,
coisas muito além do alcance dos próprios seis pontos reais, e à medida
que seu conhecimento da Verdade espiritual aumenta, você será capaz de
lidar com o problema, novos conhecimentos sobre si mesmo de uma
maneira surpreendente.
Agora, tendo seus seis pontos à sua frente, trabalhe em cada um deles
separadamente por alguns minutos com todo o conhecimento espiritual e
metafísico que você possui. No começo, não se preocupe se você sentir que
seu conhecimento espiritual é escasso. Seu conhecimento aumentará aos
trancos e barrancos à medida que você repetir seu tratamento todos os
dias durante um mês. Não perca um único dia, e até o final desse tempo
será muito incomum se uma mudança realmente marcante para melhor
não se manifestar em suas condições.
Para aqueles que não estão familiarizados com o tratamento espiritual, um
método simples, mas bastante efetivo de trabalho é este: Afirme
gentilmente e definitivamente que a Grande Força Criativa da Vida do
Universo está trazendo cada uma das três primeiras coisas para sua vida à
sua própria maneira, tempo e em sua própria forma. Então afirme que a
mesma Grande Potência está dissolvendo cada uma das três últimas,
também à sua própria maneira. Não tente ditar a forma exata em que as
novas condições surgem. Não seja tenso ou veemente. Não deixe ninguém
mais saber que você está fazendo isso. Não olhe impacientemente todos os
dias para obter resultados, mas faça o seu tratamento e esqueça até o dia
seguinte. E na quietude e confiança será sua força.
Tendo estabelecido as regras para uma vida mais abundante e bem-
sucedida e percebendo que muitas pessoas têm um grande medo de
mudar, Emmet Fox enfatiza que Vida é Mudança, e consola o duvidoso: "Eu
vejo o Anjo de Deus em cada mudança ".
Esta é uma afirmação que você deve escrever dentro da capa do seu bolso
e também em algum lugar de destaque em casa, onde você frequentemente
o verá. É uma das chaves de uma vida harmoniosa e progressiva.
Especialmente nestes tempos críticos, ele se destacará em sua vida como
um farol em um mar tempestuoso. Mudança é a lei do crescimento; e
crescimento é a lei da vida. Sem mudança não pode haver crescimento, e
sem crescimento contínuo, a vida desvanece de qualquer forma, deixando
o que chamamos de morte.
Não há erro maior do que ter medo de mudanças, e ainda assim muitas
pessoas inteligentes temem isso e se apegam ao que é costumeiro e
familiar. Ter medo da mudança é duvidar da providência de Deus. É um
medo não inteligente do desconhecido. Se não fosse pela bênção da
mudança, os homens ainda seriam selvagens primitivos vivendo em
cavernas, e você mesmo ainda seria uma criança mental e fisicamente, não
seria?
Bem-vindo a cada mudança que entra em qualquer fase da sua vida; insista
que está indo; para sair para melhor - e vai. Veja o Anjo de Deus nele, e
esse Anjo fará todas as coisas novas.
E Emmet Fox dá esse argumento final: mude de ideia - e continue
mudando.
Se alguma condição em sua vida não for do seu agrado, mude de ideia a
respeito - e mantenha-a mudada. Se alguém estiver desagradado a você,
mude de ideia sobre ele - e mantenha-o mudado. Se houver alguma
lembrança triste que assombra você, mude de idéia a respeito - e
mantenha-a mudada.
A maioria dos estudantes de metafísica está pronta para mudar de ideia
sobre um problema, especialmente quando acaba de assistir a uma
palestra ou conversa com um professor; mas eles não os mantêm
mudados.
Este é o cerne da questão. Se você mudar de idéia sobre qualquer coisa e
absolutamente mantê-la mudada, essa coisa deve e vai mudar também. É a
manutenção da mudança de pensamento que é difícil. Ele exige vigilância e
determinação. Mas certamente vale a pena, já que é a chave para o
Domínio.
Faça uma experiência agora. Mude sua mente em relação a alguma coisa
em particular em sua vida e mantenha-a mudada; e garanto que você
ficará surpreso e satisfeito com o resultado.
E então, em uma explosão espiritual, Emmet Fox cita Jesus como a
autoridade para uma completa mudança espiritual nesta centelha da
Verdade: "Você deve nascer de novo":
Somos informados sobre o ensinamento de Jesus que as pessoas comuns o
ouviam alegremente. Isso poderia facilmente ter sido inferido do estudo
mais superficial dos Evangelhos. O "homem da rua", sem sofisticação de
teologia ou filosofia, tem uma percepção intuitiva da Verdade fundamental
quando a encontra, que muitas vezes falta em mentes altamente treinadas.
As realizações intelectuais podem facilmente gerar orgulho espiritual, e
esse é o único pecado sobre o qual nosso Senhor foi severo. Contudo, entre
os eruditos, havia também aqueles que, mais espiritualmente, se sentiam
atraídos pelo novo Mestre. Ele não era convencional, irremediavelmente
em desuso com as autoridades eclesiásticas, um flouter de tradições
consagradas; e, no entanto, chama profundamente as profundezas, e assim
ele também tinha amigos e seguidores em lugares altos.
Um desses que se sentiu irresistivelmente atraído para buscar mais luz foi
Nicodemos. Ele tinha a sede de coisas divinas que não seriam negadas, mas
a coragem moral não era seu ponto forte, e assim ele procurou o Mestre à
noite. Que ele deveria ter ido em tudo foi a prova do poder irresistível do
desejo. Claramente, o desdobramento de sua natureza espiritual era,
apesar dos defeitos de caráter, a principal coisa em sua vida e, claramente,
ele estava insatisfeito com o progresso que estava fazendo. Jesus, ele
acreditava, tinha algo a dar que era vital, e esse presente poderia ser
apenas o segredo que até então lhe escapara, apenas a chave para
destrancar o tesouro espiritual de sua alma. Jesus poderia mostrar por
que, como diríamos na fraseologia moderna, ele não conseguiu
demonstrar. E a explicação do Mestre era simples, concisa, quase
esmagadora em sua franqueza. Ele disse: "Você deve nascer de novo."
Esta afirmação resume toda a ciência da demonstração como é praticada
na base espiritual. É, na verdade, um livro sobre metafísica compactado
em cinco palavras. Você fica onde você faz hoje, onde quer que seja,
porque você é a pessoa que você é. Há apenas um caminho sob o céu pelo
qual você pode ser levado a ficar em outro lugar, e isso é tornando-se
outra pessoa. A pessoa que você é não pode ficar em outro lugar; uma
pessoa diferente não pode ficar onde você está agora. Se você quiser subir
mais, você pode fazê-lo, e não há limite para a altura que você pode atingir
no vôo; mas você deve nascer de novo!
Por que é que fazemos tão pouco progresso, comparado, isto é, com o que
poderíamos e deveríamos fazer em vista do conhecimento que todos nós,
neste ensinamento, possuímos - pelo menos em teoria? Por que não
mudamos dia a dia e semana após semana de glória em glória, até que
nossos amigos quase não nos reconhecem pelos mesmos homens e
mulheres? Por que não devemos marchar sobre o mundo parecendo
deuses e sentindo isso? curando instantaneamente todos que vêm a nós;
reformando o pecador; colocando os prisioneiros livres; e geralmente
"fazendo as obras"? "Quem te atrapalhou?"
E a resposta é que a demonstração, como todas as outras coisas, tem seu
preço; que o preço é que nascemos de novo, e que em nossos corações
secretos, com muita frequência, esse é um preço que não estamos
dispostos a pagar. Estamos apaixonados pelo homem presente e por todas
as coisas que o constituem, e não estamos preparados para matá-lo para
que o outro possa nascer.
Nós entramos na Verdade com o nosso dedo mindinho, e as grandes coisas
não virão até nós entrarmos com todo o corpo; e há o problema.
Entrar na Verdade com todo o seu corpo é trazer todo pensamento e
crença conscientes para a pedra de toque da Inteligência Divina e do Amor
Divino. É rejeitar todas as coisas, mentais ou físicas, que não
correspondam a esse padrão. É revisar toda opinião, todo hábito de
pensamento, toda política, todo ramo de conduta prática, sem exceção
alguma.
Isso, claro, é algo absolutamente tremendo. Não é mera limpeza de
primavera da alma. Não é nada menos do que uma demolição e
reconstrução por atacado de toda a casa.
Significa, como Paulo disse, "morrer diariamente". Significa separar-se de
todos os preconceitos que você herdou e adquiriu durante toda a sua vida.
Significa levar a faca a todas as pequenas falhas de caráter, vaidades
mesquinhas, enganos menores e todas aquelas formas menores de
egoísmo e orgulho que cristalizam suas articulações espirituais e são tão
caras para você. Pode significar desistir da coisa mais importante em sua
vida atual, mas se isso acontecer - bem, esse é o preço que deve ser pago.
Se você não está preparado para pagar esse preço, bem e bem; mas você
não deve esperar receber da Lei mais do que você paga. Um pequeno dedo
na Verdade está bem, mas só pode produzir um pequeno dedo no
resultado. Para uma demonstração completa, todo o corpo deve estar
cheio de luz. Você deve nascer de novo.
Um tremendo passo nessa direção é colocar-se na Dieta Mental dos Sete
Dias. * O mais importante de todos os fatores em sua vida é a dieta mental
em que você vive. É o alimento que você fornece à sua mente que
determina todo o caráter de sua vida. São os pensamentos que você se
permite pensar, os assuntos sobre os quais você permite que sua mente se
dedique, que fazem de você e de seu ambiente o que eles são.
* Veja o poder através do pensamento construtivo
Em outras palavras, você escolhe sua vida, isto é, escolhe todas as
condições de sua vida quando escolhe os pensamentos sobre os quais
permite que sua mente habite. O pensamento é a verdadeira força
causadora da vida e não há outra. Você não pode ter um tipo de mente e
outro tipo de ambiente. Isso significa que você não pode mudar seu
ambiente enquanto deixa sua mente inalterada. Somos transformados pela
renovação de nossas mentes (Rm 12: 2). Então agora você verá que sua
dieta mental é realmente a coisa mais importante em toda a sua vida.
Você deve treinar-se para escolher o assunto do seu pensamento a
qualquer momento, e também escolher o tom emocional, ou o que
chamamos de humor que o colore. Sim, você pode escolher o seu humor.
De fato, se você não pudesse, você não teria nenhum controle real sobre
sua vida. Os humores, habitualmente entretidos, produzem a disposição
característica da pessoa em questão, e é essa disposição que finalmente faz
ou estraga a felicidade de uma pessoa. A menos que você esteja
determinado a cultivar uma boa disposição, pode desistir de toda a
esperança de obter algo que valha a pena na vida, e é mais gentil dizer-lhe
claramente que esse é o caso.
Em suma, se você quiser tornar sua vida feliz e valiosa, deve começar
imediatamente a treinar-se no hábito da seleção do pensamento e do
controle do pensamento; e o fundamento disso pode ser colocado dentro
de alguns dias. A maneira de fazer isso é isto:
Decida-se dedicar uma semana apenas à tarefa de construir um novo
hábito de pensamento e, durante essa semana, deixar que tudo na vida não
seja importante em comparação com isso. Se você fizer isso, essa semana
será a mais significativa da sua vida. Será literalmente o ponto de virada
para você.
Esta então é a sua receita: por sete dias você não deve permitir-se a
habitar por um único momento em qualquer tipo de pensamento negativo.
Você deve observar a si mesmo por uma semana inteira, como um gato
observa um rato, e você não deve, sob qualquer pretexto, permitir que sua
mente repouse sobre qualquer pensamento que não seja positivo,
construtivo, otimista, gentil. Essa disciplina será tão árdua que você não
poderá mantê-la conscientemente por muito mais que uma semana, mas
eu não lhe peço para fazê-lo. Uma semana será suficiente porque, nessa
altura, o hábito do pensamento construtivo começará a ser estabelecido.
Algumas mudanças extraordinárias para melhor terão entrado em sua
vida, encorajando-o enormemente, e então o futuro cuidará de si mesmo.
Não inicie de leve. Pense nisso por um dia ou dois antes de começar. Então
comece e a graça de Deus vai com você. Depois de começar, você deve
passar pelos sete dias. Isso é essencial. A idéia toda é ter sete dias de
disciplina mental ininterrupta, a fim de fazer com que a mente se incline
definitivamente para uma nova direção de uma vez por todas.
Se você fizer uma falsa partida, ou mesmo se continuar bem por dois ou
três dias e, por qualquer motivo, "cair" da dieta, a coisa a fazer é
abandonar completamente o plano por vários dias, e então recomeçar de
novo. Não deve haver saltos, por assim dizer.
Você deve estar bem claro que o que este esquema exige é que você não
entretenha nem se demore em coisas negativas. Observe isso com cuidado.
Não importa quais pensamentos possam vir até você, desde que você não
os entretenha nem se dedique a eles. Naturalmente, muitos pensamentos
negativos virão até você o dia todo. Alguns deles irão apenas aparecer em
sua mente por vontade própria, e estes vêm para você fora da mente da
raça. Outros pensamentos negativos serão dados a você por outras
pessoas, seja em conversas ou por sua conduta, ou você ouvirá notícias
desagradáveis, talvez por carta ou por telefone, ou verá crimes e desastres
anunciados nos títulos dos jornais. Essas coisas, no entanto, não importam,
desde que você não as entretenha. Na verdade, são essas mesmas coisas
que fornecem a disciplina que vai transformá-lo durante essa semana que
faz época e que desperta de novo.
A coisa a fazer é, diretamente, o pensamento negativo se apresentar -
desligue-o. Afaste-se do jornal; revelar o pensamento da carta indelicada,
ou comentário estúpido, ou o que não. Quando o pensamento negativo
flutua em sua mente, desligue-o imediatamente e pense em algo bonito,
alegre, construtivo. Melhor de tudo, pense em Deus como explicado em "A
Chave de Ouro".
Uma palavra final de cautela. Não diga a ninguém que você está na dieta ou
que pretende fazer isso. Mantenha este tremendo projeto estritamente
para você mesmo. Lembre-se de que sua alma deve ser o Lugar Secreto do
Altíssimo. Quando você tiver completado com êxito os sete dias e
assegurado sua demonstração, permita que passe um tempo razoável para
estabelecer a nova mentalidade e, depois, conte a história para qualquer
outra pessoa que considere provável que seja ajudada por ela.
E, finalmente, lembre-se de que nada dito ou feito por mais ninguém pode
tirar você da dieta. Somente sua reação à conduta da outra pessoa pode
fazer isso.

O poder do amor
Quando você aplica uma certa palavra a Deus, ela deve ter o mesmo
significado essencial que quando você a aplica ao homem - caso contrário,
ela não terá nenhum significado. Quando você diz que Deus é Amor ou
Inteligência, ou que Ele é justo, essas palavras devem significar
substancialmente o que elas significam quando aplicadas a seres humanos
- ou então são palavras novas e especiais que, portanto, não têm
significado algum.
O amor de Deus deve ser essencialmente a mesma coisa que conhecemos
como o amor da mãe pelo seu filho, ou o amor do artista pela sua criação,
por exemplo. Deve ser da mesma qualidade que estes - purificados e
aumentados para o infinito, é claro -, mas ainda a mesma coisa em
qualidade; ou o termo simplesmente não tem significado.
Quando dizemos que Deus é justo, devemos dizer o mesmo tipo de coisa
que queremos dizer quando dizemos que certo magistrado, ou qualquer
outra autoridade, age com justiça - ou a palavra não tem significado algum.
A justiça de Deus incluirá uma perspectiva infinita e será bastante perfeita,
mas será essencialmente a mesma coisa em sua natureza.
Muitas pessoas dizem que Deus é Amor e, ao mesmo tempo, afirmam que
Ele visita o pecado finito com o castigo eterno.
Eles afirmam que Deus é justo, e ainda afirmam que as pessoas que vivem
hoje estão sofrendo de incapacidades por um pecado que teria sido
cometido por Adão milhares de anos antes de nascerem. Ainda há um
pequeno número de pessoas que acreditam que todo ser humano foi
predestinado para o céu ou para o inferno antes de ser criado, e que sua
conduta, boa ou má enquanto estava nesta terra, não faria diferença para
seu destino. E as mesmas pessoas dizem que Deus é justo. Obviamente, em
tais casos, esses termos podem não ter significado.
Se os atributos de Deus supostamente significam algo diferente daquele
que é transmitido pelo significado comum das palavras, não podemos
saber o que é esse significado. Você pode muito bem dizer: "Deus é x y,
mas eu não sei o que esses símbolos significam".
A verdade é que Deus é Amor e Inteligência; e que Ele trabalha com
perfeita sabedoria e perfeita justiça para todos, em todos os momentos, no
sentido ordinário e correto dessas palavras.
"Deus é luz e nele não há trevas" (1 João 1: 5).
Os antigos gregos não tinham uma palavra para amar. Eles tinham três.
Suponho que os gregos modernos também, mas Platão e Sócrates e outros
da Idade de Ouro da Grécia eram homens muito à frente de seu tempo,
milhares de anos à frente em suas idéias e expressões. Bem, eles tinham
três palavras para o amor: eros, amor erótico ou sexual; Filio, amor
fraternal, do qual obtemos o nome Filadélfia na Bíblia e em outros lugares;
e ágape, amor espiritual.
A Bíblia reconhece todos os três, mas enfatiza particularmente o amor
fraternal e insta o homem a compreender e expressar o amor espiritual.
Emmet Fox também, em outra de suas chaves douradas, começa "The
Golden Gate" com "Deus é amor, e aquele que habita em amor habita em
Deus e Deus nele" (I João 4:16). Ele continua:
O amor é de longe a coisa mais importante de todas. É o Portão Dourado
do Paraíso. Ore pela compreensão do amor e medite nele diariamente. Isso
expulsa o medo. É o cumprimento da lei. Cobre uma multidão de pecados.
O amor é absolutamente invencível.
Não há dificuldade que amor suficiente não conquiste; nenhuma doença
que amor suficiente não cure; nenhuma porta que amor suficiente não
abra; nenhum abismo que o amor suficiente não irá colmatar; nenhuma
parede que amor suficiente não derrube; nenhum pecado que amor
suficiente não resgatar.
Não faz diferença quão profundamente assentado possa ser o problema,
quão desesperada é a perspectiva, quão confuso o emaranhado, quão
grande é o erro; uma realização suficiente do amor dissolverá tudo. Se
você pudesse amar o suficiente, seria o ser mais feliz e poderoso do
mundo.
Emmet Fox sentiu muito fortemente sobre esta mensagem que ele tinha
impresso em um grande cartão adequado para pendurar na parede onde
se podia vê-lo todos os dias. Ele continua seu tema sobre o amor:
Declarações como o Amor Divino Nunca Falha ou o Amor Divino Resolve
Todos os Problemas são freqüentemente feitos por professores e
aparecem em livros e revistas metafísicas - e eles são perfeitamente
verdadeiros. Muitas vezes, no entanto, mesmo as pessoas que dizem
acreditar nelas não as provam em demonstração.
Eu acho que a explicação é que, consciente ou inconscientemente, eles
pensam no Amor Divino como algum tipo de Poder fora de si;
provavelmente no céu como o céu ortodoxo; e eles esperam que agora, se
eles implorarem com força suficiente, este Poder venha e os resgate. Como
regra geral, eles não admitiriam nutrir tal idéia, mas acredito que alguma
dessas idéias é o que elas realmente entretêm.
Não há, de fato, tal poder externo e, portanto, você não pode receber ajuda
dessa maneira.
O único lugar onde o Amor Divino pode existir, tanto quanto você é
preocupado, está em seu próprio coração. Qualquer amor que não esteja
em seu coração não existe para você e, portanto, não pode, naturalmente,
ajudá-lo de qualquer maneira.
A coisa para você fazer, então, é preencher seu próprio coração com Amor
Divino, pensando, sentindo e expressando; e quando este sentido do Amor
Divino for vívido o suficiente, ele irá curar você e resolver seus problemas,
e isso lhe permitirá curar os outros também. Essa é a Lei do Ser e nenhum
de nós pode mudar isso. Agora vemos porque a crítica, resmungar, a
amamentação das queixas, o desejo de superar os outros, etc., são fatais
para a demonstração, porque impedem que o Amor Divino nos cure.
E então Emmet Fox dá um tratamento para o Amor Divino, um que ele
usou em muitas de suas palestras públicas, e que tem sido usado por
milhares de pessoas em todo o mundo.
Minha alma está cheia de amor divino. Eu estou cercado pelo Amor Divino.
Eu irradio Amor e Paz para o mundo todo. Eu tenho o Amor Divino
consciente. Deus é amor e não há nada na existência além de Deus e sua
auto-expressão. Todos os homens são expressões do Amor Divino;
portanto, eu não posso encontrar nada além das expressões do Amor
Divino. Nada nunca ocorre, mas a auto-expressão do amor divino.
Tudo isso é verdade agora. Este é o caso real, o estado atual das coisas. Eu
não tenho que tentar trazer isso, mas eu já o vejo sendo agora. O Amor
Divino é a natureza real do Ser. Existe apenas o Amor Divino e eu sei disso.
Eu entendo perfeitamente o que é o Amor Divino. Eu tenho percepção
consciente do Amor Divino. O Amor de Deus queima em mim por toda a
humanidade, eu sou uma lâmpada de Deus, irradiando Amor Divino para
todos que eu conheço, para todos aqueles em quem penso.
Eu perdoo tudo o que pode precisar de perdão - positivamente tudo. O
Amor Divino enche meu coração e tudo está bem. Eu agora irradio Amor
para todo o universo, sem excluir ninguém. Eu experimento o Amor
Divino. Eu demonstro Amor Divino.
Eu agradeço a Deus por isso.
Usar esse tratamento como um exercício espiritual diário ajudou milhares
de pessoas a encontrar a paz e a felicidade para as quais estavam
procurando. A ideia não é tentar fazer algo com ela, mas deixar o
tratamento funcionar em sua consciência. Você pode então ser tentado a
experimentar o "Yoga do Amor". Emmet Fox diz;
Todas as velhas tradições nos dizem que há mais de um caminho para o
Grande Gol. Assim como há mais de um caminho para cima de cada grande
montanha, e ainda assim todas as estradas se encontram no topo, então na
Missão Espiritual existem várias estradas, todas as quais levam na devida
estação ao Único Grande Fim.
Existe o caminho do conhecimento. O verdadeiro conhecimento das coisas
divinas é um dos caminhos indicados para a realização; mas esse caminho
não é de modo algum para todos. E há o caminho da Ação - da atividade
organizada, talvez seja melhor dizer - e o mundo também precisa disso;
mas isso geralmente exige um presente especial e circunstâncias especiais
para aplicá-lo. E há outros.
O caminho mais curto e mais fácil de todos é o Caminho do Amor. Esta é
realmente a Estrada Real para a realização do Grande Objetivo. É o mais
simples de todos os caminhos, e é o mais direto e o mais fácil também. E é
o único caminho que está aberto a todos, em todos os lugares,
independentemente de quais sejam as suas condições pessoais ou
circunstâncias envolventes. Para todo homem, em toda parte, a verdadeira
Iniciação, através do Yoga do Amor, aguarda todos os dias.
Na metafísica, entendemos que o Amor Divino é a expressão completa de
tudo o que se entende pela palavra Religião; que tendo tudo o que temos, e
faltando isso, não temos nada. Portanto, cabe a nós dar um pouco de
atenção à consideração do que realmente queremos dizer quando falamos
de amor.
Claro, é evidente que não queremos dizer amor pessoal. Isso está bem em
seu próprio tempo e lugar, mas não é o que estamos considerando aqui. No
ensinamento cristão, o Amor significa algo muito maior, mais fino e mais
poderoso do que qualquer sentimento meramente pessoal. Infelizmente,
como acontece com muitas outras idéias espirituais, não há palavra na
linguagem que seja perfeitamente apropriada para expressá-la. A
linguagem material é feita para atender às necessidades materiais, e
simplesmente não expressará satisfatoriamente as verdadeiras idéias
espirituais. Para estes precisamos da nova língua da qual Jesus falou. Nós
raramente percebemos, eu penso, o quanto realmente estamos nas mãos
do dicionário. Nós pensamos certos pensamentos; nós temos certas
experiências; e então a linguagem, com seus limites rígidos e rápidos, diz:
"Você não dirá aquela coisa maravilhosa - dirá apenas isto" - e
encontraremos no papel a pálida sombra sem vida da coisa que veio à vida
em nossa alma. .
Portanto, não há realmente nenhuma palavra no inglês moderno para
expressar a verdadeira idéia cristã do Amor. Talvez possamos abordar
melhor a idéia dizendo que o cristianismo compreende por Amor a idéia
da boa vontade universal, mas mais algo muito mais do que a boa vontade
comum - algo que nada mais é do que Deus, o próprio Deus Divino.
O amor é o poder motivador da Mente, e é a qualidade do Amor na Mente
que o leva a buscar uma expressão mais completa e plena, pois o Amor
sempre deve ser expresso. O que chamamos de Serviço, para usar o termo
que alegremente tem vindo a ser muito usado em geral, é realmente Amor
em Ação.
Os principais aspectos de Deus são: Vida, Verdade e Amor. Estas são a
grande Trindade na qual a Mente se expressa, e veremos agora em que
sentido elas são uma e a mesma coisa. A vida é existência e esta é a
verdade do ser. Naturalmente, a vida deve ter livre expressão, e o amor é
exatamente isso, essa expressão perfeita da vida. Em outras palavras, o
que chamamos de Amor é realmente a expressão completa e irrestrita da
própria Vida Divina. É por isso que sempre significa paz perfeita, santidade
perfeita, beleza perfeita, alegria perfeita - e por que Jesus disse: "Eu vim
para que tenham Vida e a tenham em abundância".
Agora vemos porque o inverso do amor é medo; e porque o medo é o
supremo inimigo da humanidade. Todo mundo reconhece esse fato hoje.
Toda psicologia acadêmica está voltando sua atenção para a superação do
medo, e a maioria das escolas de filosofia também agora ensinam que o
medo é a coisa que precisa ser erradicada. E o medo acaba sendo
simplesmente a ausência do amor. "O medo tem tormento, mas o amor
perfeito lança fora o medo" (I João 4:18).
A única razão pela qual temos qualquer medo é porque não amamos a
Deus o suficiente. Um grande místico disse: "Ame a Deus - e faça o que
quiser", sabendo que, com o amor de Deus em nossos corações, nossa
expressão só poderia ser perfeita; e um vidente moderno nos disse: "Você
pode se livrar de qualquer dificuldade da sua vida assim que puder amar a
Deus mais do que ama o erro".
Raiva, rancor, ressentimento e ódio - todas essas coisas - são tantas
expressões alternativas de medo. Ciúmes, malícia e "toda falta de
caridade" denotam a crença de que não há o bem suficiente para se dar a
volta e, portanto, se o outro tiver tudo que ele deseja do bem, teremos que
ser breve; e o que é isto senão restringir a expressão da Vida na própria
alma?
Agora, a ausência do amor tem exatamente esse efeito sobre a alma.
Condenação, ressentimento, má vontade, são apenas tantas restrições
sobre o livre fluxo da Vida, e uma vez que elas podem existir, mais ou
menos, em tantas almas humanas, é de se admirar que o mundo esteja
cheio de pecado, doença? e a morte? Que homens e mulheres envelhecem,
cansam, enrugam e desgastam e, finalmente, perdem completamente o
corpo? Que a terra está desolada por guerras, fome e pestilência?
Assim, começamos a ver a razão pela qual o ensinamento de Jesus Cristo,
sob qualquer nome que tenha sido dado, sempre colocou tanta ênfase na
importância extraordinária do Amor. A menos que construamos dentro de
nossas próprias almas uma consciência real e prática do Amor, nossas
outras atividades serão mais ou menos fúteis. Se tivermos a consciência de
amor impessoal suficientemente bem desenvolvida para todos, tudo o
mais se seguirá.
O Caminho do Amor, que está aberto a todos em todas as circunstâncias, e
sobre o qual você pode pisar a qualquer momento - neste momento, se
quiser - não requer introdução formal, não tem exame de admissão. Não
exige nenhum laboratório caro para se trabalhar, porque seu próprio dia-
a-dia e seu ambiente cotidiano comum são seu laboratório.
Tudo o que é preciso é que você deva começar firmemente a expulsar de
sua mentalidade todo pensamento de condenação pessoal (você deve
condenar uma ação errada, mas não o ator), de ressentimento por velhos
ferimentos, e de tudo o que é contrário à lei de Ame. Você não deve
permitir-se odiar - seja pessoa, grupo, nação ou qualquer outra coisa.
Você deve construir através do exercício diário fiel da verdadeira
Loveconsciência, e então todo o resto do desenvolvimento espiritual
seguirá isso. O amor vai te curar. O amor vai confortar você. O amor te
guiará. O amor vai te iluminar. O amor redimirá você do pecado, da doença
e da morte, e o levará para a terra prometida, o lugar que é de todo
adorável.
Este é o Yoga do Amor, e embora não exija nenhum equipamento além da
prontidão para praticá-lo, contudo, essa prontidão provavelmente custará
tanto em termos de auto-sacrifício efetivo que aqueles que realmente o
procuram são comparativamente poucos.
Praticar eficazmente o Yoga do Amor é a maneira mais rápida de
demonstrar todas as suas próprias dificuldades, e como a sua mente é
parte da mente de corrida, é na verdade a maneira mais rápida e de maior
alcance na qual você pode elevar a corrida também.
É o único caminho que está em prática aberto para todos entrarem, a
qualquer momento. O homem simples que ganha uma vida modesta na
fábrica ou na loja pode praticar o Yoga do Amor ali mesmo entre o próprio
ambiente em que se encontra. A empregada doméstica em casa, o
marinheiro em alto mar, o agricultor em seu campo, a enfermeira ou o
médico da enfermaria, têm em torno de seus deveres o material perfeito
para o Yoga do Amor. A única questão é se alguém está realmente disposto
a pagar o preço - está realmente preparado para colocar Deus em primeiro
lugar.
Como pós-escrito para isso, Emmet Fox enfatizou que o Amor Divino não é
algo apenas para ser lido ou orado, mas deve estar em seu coração e
expresso na vida diária. Um belo exemplo disso, creio eu, é a história de
uma mulher que se aposentou dos negócios, deixou a cidade e tomou um
apartamento em uma pequena cidade. Mas em sua recém-descoberta paz e
sossego, ela logo descobriu quão pouco havia para ela fazer. Ela orou sobre
a situação por algum tempo, e finalmente a ideia veio para ela fazer um
bolo e dar a outra pessoa sentindo-se tão sozinha quanto ela. Mas para
quem? Indagando sobre um vizinho, ela ficou sabendo de uma mulher
idosa que morava sozinha em uma casa grande na rua. Ela assou o bolo e
timidamente tocou a campainha. A senhora idosa ficou encantada com sua
missão e imediatamente a convidou para entrar.
Este foi o começo de uma amizade que durou até a senhora idosa passar. A
outra mulher ficou triste com a partida, mas não demorou muito para que
uma carta chegasse de um advogado, continha um cheque de dez mil
dólares com a estipulação de que fosse gasto para uma viagem ao redor do
mundo. Então a mulher lembrou-se de que, uma vez, mencionara
casualmente à senhora idosa que sempre desejara viajar.
O amor estava no trabalho o tempo todo, pois o que ela tinha feito pela
senhora idosa era exatamente isso - um trabalho de amor que se
transformou em uma amizade amorosa.
O amor age da parte.

Um anjo em seu ombro

Emmet Fox não apenas pregou a verdade, mas disse a seus alunos como
usá-la - "como fazer", como muitos já disseram. Foi essa abordagem
prática que foi fundamental para provocar mudanças em tantas vidas em
todo o mundo. Emmet Fox percebeu que, no fundo do poço, o que todo
mundo quer é colocar sua vida em ordem, colher a rica colheita que é o seu
direito de primogenitura divino. Isso é bem diferente do que as pessoas às
vezes acham que têm direito. Muitas pessoas pensam que o mundo lhes
deve a vida; mas a verdade é que só se pode reivindicar o que é dele ou
dela por direito de consciência.
Então aqui está uma coleção de chaves douradas de Emmet Fox ligadas em
um chaveiro de ouro:
Existe apenas um método de progresso espiritual, e isto é pela Prática da
Presença de Deus, quer chamemos isto de Oração Científica ou Tratamento
Espiritual. Não há outro caminho. A humanidade está continuamente
buscando descobrir um atalho de um tipo ou outro, porque a mente carnal
é constitucionalmente preguiçosa; mas, como de costume, o homem
preguiçoso leva a maior parte das dificuldades a longo prazo e, tendo
desperdiçado seu tempo vagando pelos caminhos, ele é, em última
instância, levado pelo fracasso e sofrimento à compreensão da grande
verdade de que não há substituto para a oração.
O primeiro passo que o estudante sério deve dar é estabelecer um método
definido de trabalho, selecionando o que mais lhe convier, praticando
conscientemente todos os dias e aderindo a um método por tempo
suficiente para ter uma chance justa.
Tendo o seu método definido, trabalhe definitivamente em algum
problema concreto em sua vida, escolhendo de preferência o que lhe
estiver causando mais problemas no momento, ou, melhor ainda, o que
você tem mais medo. Trabalhe nisso com firmeza e, se nada tiver
acontecido, se nenhuma melhora aparecer dentro de, digamos, algumas
semanas, experimente em outro problema. Se você ainda não obtiver
nenhum resultado, descarte esse método e adote um novo. Lembre-se,
existe uma saída; isso é tão certo quanto o nascer do sol. O problema, na
verdade, não é se livrar de suas dificuldades, mas encontrar o melhor
método para fazê-lo.
Se problemas de saúde forem a sua dificuldade, não descanse até que
tenha causado pelo menos uma cura corporal. Não há enfermidade que
não tenha sido curada por alguém em algum momento, e o que outros
fizeram você pode fazer, pois Deus é o Princípio, e o Princípio não muda.
Se a pobreza é o problema, trabalhe nisso e resolva de uma vez por todas.
Pode ser feito. Se você está infeliz, insatisfeito com a sua sorte ou com o
que a rodeia, acima de tudo, com você mesmo, comece a trabalhar nisso;
recuse-se a aceitar "não" como resposta; e insista na felicidade e satisfação
que são suas pelo Direito Divino.
Se a sua necessidade é auto-expressão - artística, literária ou outra -, se o
desejo do seu coração é alcançar a eminência em uma profissão, ou algum
tipo de carreira pública, isso, também, abordado com o espírito correto, é
legítimo e digno objeto, e o método correto da Oração Científica lhe trará o
prêmio.
Mantenha um registro de seus resultados e, de forma alguma, fique
satisfeito com qualquer coisa que não seja o sucesso. Acima de tudo, evite
o erro mortal de dar desculpas. Não há desculpas para não demonstrar.
Quando você não demonstra, nunca, por acaso, significa nada, exceto que
você não trabalhou o suficiente ou no caminho certo. Desculpas são o
verdadeiro demônio que vem para tentá-lo a permanecer fora do Reino
dos Céus, enquanto o Portão permanece aberto. Desculpas, na verdade, são
o único inimigo que você realmente precisa temer.
Encontre o método que mais lhe convier; cultive a simplicidade - a
simplicidade e a espontaneidade são o segredo da oração eficaz - trabalhe
de forma constante; mantenha seu próprio conselho; e tudo quanto
pedirdes em meu nome, isso farei.
O objetivo do tratamento é produzir um certo estado mental. Esse estado
de espírito constitui um entendimento verdadeiro sobre o problema em
questão e a liberdade do medo em relação a ele. Quando esse estado
mental é alcançado, a demonstração deve e segue.
Tudo o que produz o estado de espírito requerido é um bom tratamento.
Repetir certas afirmações, ler certos versículos da Bíblia, usando o "Cartão
de Presença" ou "A Chave de Ouro" ou "O Bom Pastor" ou qualquer outro
"método" de produzir esse estado mental é um bom tratamento.
Note, no entanto, que usar as afirmações ou ler literatura espiritual não é
um fim em si mesmo. É o estado de ânimo elevado que é o fim. Muitos
cristãos sinceros chegaram a confundir os meios para o fim e pensar que
orar mecanicamente ou passar por certas formas constitui a vida
espiritual; mas isso não é assim. A vida espiritual é a busca de estados
superiores de consciência e nada mais. Jesus adverte sobre repetições vãs.
Quer esteja orando para curar um problema (físico ou não) ou para o
desenvolvimento geral de sua alma, o nível mais elevado de compreensão
é o objetivo.
Aqui está uma maneira de resolver um problema pela Oração Científica,
ou, como dizemos na metafísica, de obter uma demonstração.
Fique sozinho e fique quieto por alguns momentos. Isto é muito
importante. Não se esforce para pensar corretamente ou para encontrar o
pensamento certo, etc., mas fique quieto. Lembre-se de que a Bíblia diz
Seja ainda e saiba que eu sou Deus.
Então comece a pensar em Deus. Lembre-se de algumas das coisas que
você sabe sobre Ele - que Ele está presente em todos os lugares, que Ele
tem todo o poder, que Ele conhece você, te ama e cuida de você, e assim
por diante. Leia alguns versículos da Bíblia ou um parágrafo de qualquer
livro espiritual que ajude você.
Durante esta fase, é importante não pensar no seu problema, mas dar sua
atenção a Deus. Em outras palavras, não tente resolver seu problema
diretamente (o que estaria usando força de vontade), mas sim se
interessar em pensar na Natureza de Deus.
Então reivindique o que você precisa - uma cura ou algum bem particular
que lhe falta. Reivindique-o com calma e confiança; como você pediria algo
ao qual você tem direito.
Então dê graças pelo fato consumado; como você faria se alguém lhe desse
um presente. Jesus disse: "Quando você orar, creia que recebe e receberá"
(Mt 21:22). De fato, Jesus entendeu a Verdade tão bem que, naquilo que
poderia ser chamado de alguns de seus casos mais difíceis, ele fez a
demonstração simplesmente dando graças pelo fato consumado. Por
exemplo, na alimentação dos cinco mil ele continuou dando graças pelo
suprimento, e os pães e os peixes continuaram se multiplicando. Na
ressurreição de Lázaro, ele disse: "Obrigado Pai por ter me ouvido", e
Lázaro saiu da tumba.
Não discuta seu tratamento com ninguém.
Tente não ficar tenso ou apressado. A tensão e a pressa atrasa a
demonstração. Você sabe que, se você tentar abrir uma porta
apressadamente, a chave pode ficar grudada, ao passo que, se você fizer
isso devagar, isso raramente acontece. Se a chave grudar, o importante é
parar de pressionar, respirar e soltá-la suavemente. Empurrar com força
de vontade só pode obstruir completamente a fechadura. Então é com todo
trabalho mental. Na quietude e confiança será sua força.
Eu ouvi as pessoas dizerem: "Eu não tratei quando surgiu tal problema; eu
apenas conhecia a Verdade sobre isso, e o problema desapareceu". Mas
isso, é claro, é exatamente o que a Oração Científica ou o tratamento é, e
em sua forma mais bela e eficaz. Tal pessoa realmente significa que ele não
usou alguma forma rígida ou cristalizada de expressão, que, é
desnecessário dizer, não é nem um pouco essencial. Tratamentos formais
ou conjuntos são coisas úteis para se ter em um, para recorrer quando a
espontaneidade falha. Em seguida, eles ajudam a concentrar o pensamento
e, geralmente, definem a naturalidade do equilíbrio. Mas - o pensamento é
a coisa - e quanto mais simples e espontâneo for, e quanto mais depressa
vier, melhor.
Conhecer a verdade é realmente saber que o problema em questão não
pertence a você como filho de Deus; que você realmente tem um anjo
sentado em seu ombro cuidando da coisa toda.
Não se deve esquecer, no entanto, que muitas pessoas realmente fazem
todo o seu trabalho com declarações formais da Verdade, e obtêm
consistentemente bons resultados trabalhando dessa maneira. Não
repetindo afirmações como um papagaio, nem é preciso dizer. Aqueles que
trabalham como um papagaio inevitavelmente fazem a demonstração do
papagaio - eles permanecem na gaiola. De um bom trabalhador que usou
as mesmas frases muitas vezes foi dito por um amigo: "Ele constantemente
usa as velhas afirmações, mas ele as enche de novas sensações todas as
vezes." Cada oração deve ser tão fresca quanto o orvalho da manhã.
Para quem não tem muito poder intuitivo sob seu comando, nem a
capacidade de expressar facilmente seus pensamentos em palavras, usar
afirmações é um procedimento modelo. Enquanto isso, em tal caso o
estudante deve ser particularmente cuidadoso em não aceitar sua falta de
poder intuitivo como algo fixo, mas reconhecê-lo meramente como uma
incapacidade temporária a ser gradualmente superada, de fato, tal pessoa
deveria fazer um ponto especial de tratar-se de poder intuitivo
regularmente todos os dias - alegando isso, é claro - eu tenho a Inteligência
Divina consciente. Eu individualizo Onisciência. Eu tenho conhecimento
direto da verdade. Eu tenho intuição perfeita. Eu tenho percepção
espiritual. Eu sei.

Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidares, não fareis


somente o que é feito à figueira, mas também se disseres a este monte: Sai
daqui e lança-te no mar; isso será feito. - Mateus 21:21
Uma fé compreensiva é a vida de oração. É um grande erro, no entanto,
lutar para produzir uma fé viva dentro de você. Isso só pode acabar em
fracasso. A coisa a fazer é agir como se você tivesse fé. O que fazemos
voluntariamente será sempre a expressão da nossa verdadeira crença. Aja
a parte que você deseja demonstrar e estará expressando a verdadeira fé.
"Aja como se eu fosse e serei", diz a Bíblia em efeito. Este é o uso correto
da vontade, cientificamente entendido.
A declaração de Jesus citada acima é talvez o mais tremendo
pronunciamento espiritual já feito. Provavelmente nenhum outro
professor que já tenha vivido teria ousado dizer isso, mas Jesus conhecia a
lei da fé e provava isso por si mesmo muitas vezes. Nós moveremos
montanhas (montanhas de dificuldade, depressão e desapontamento)
quando estivermos dispostos a acreditar que podemos, e então não apenas
as montanhas serão movidas, mas todo o planeta será redimido e
reformado de acordo com o Padrão no Monte.
Conheça a verdade sobre seus problemas. Reivindique o domínio
espiritual. Evite tensão, tensão e ansiedade excessiva. Espere que sua
oração seja respondida e aja como se esperasse.

TOMANDO MEDIDAS MATERIAIS

Quando você se propõe a resolver um problema por meio de oração, você


deve tomar todas as medidas normais comuns além disso. Ação sábia deve
ser adicionada à oração. Ore por sua dificuldade, mas também reivindique
a Orientação Divina e, em seguida, siga os passos indicados pelo senso
comum. Não podemos nos lembrar com muita frequência que o que
chamamos senso comum é em si uma expressão da Sabedoria Divina. É
tolice pedir ajuda, negligenciando alguns passos óbvios e úteis.
Muitas pessoas parecem ter a idéia de que dar um passo "material"
demonstra falta de fé em Deus e diminui o poder da oração. Eles
perguntam se isso não está tentando servir dois mestres.
O contrário exato é o caso. Todos nós sabemos que uma ação é apenas a
expressão externa de um pensamento, e que uma ação sábia é a expressão
de um pensamento sábio ou verdadeiro, e assim dar passos sábios é
apenas a prova de que alguém está pensando corretamente, e é, de fato ,
uma parte da oração em si.
Não basta orar e depois sentar e esperar que algo dramático aconteça. Por
exemplo, se você está orando por uma posição, você deve orar por ela,
assim como você sabe como cada dia e, em seguida, sair e visitar agências
ou possíveis empregadores, escrever pedidos ou inserir anúncios em
periódicos adequados, se isso for habitual em seu escritório. linha de
trabalho.
Se você quer uma cura, trate-a da maneira que normalmente acha melhor
e, além disso, tome as medidas que parecerem apropriadas. Pergunte a si
mesmo se você está vivendo de acordo com as leis da saúde, e se não, você
deve consertar seus caminhos de uma só vez.
Devo salientar que quando uma pessoa vinha ao consultório para consulta
e tratamento espiritual, e se ele achava que estava sofrendo com uma
doença grave, Emmet Fox perguntava: "Você já procurou um médico?"
Invariavelmente, a resposta seria: "Não, estou com muito medo de ir.
Estou com medo do que, ele vai me dizer." Emmet Fox insistiria que fosse
feito um exame por um médico. Ele fez isso não porque tinha dúvidas
sobre uma cura espiritual. Eu testemunhei a cura de muitas doenças, às
vezes ocorrendo de maneira dramática e depois confirmada por um
médico. O objetivo do exame médico era que o paciente soubesse que a
doença muitas vezes não era tão séria quanto ele pensava. Uma vez que a
pressão do medo intenso foi levantada, a cura espiritual foi facilitada. O
medo está presente em todo problema ou dificuldade.
Neste ponto eu também devo mencionar que muitos médicos enviaram
seus pacientes para Emmet Fox, entre eles algumas das pessoas mais
conhecidas.
Para continuar com a questão de tomar medidas concretas:
Se a sua empresa não estiver prosperando, trate-a e faça um check-up para
descobrir se você a está administrando com eficiência ou se seus
funcionários estão. Se você encontrar pontos fracos, como quase
certamente, você deve corrigi-los imediatamente.
Certamente não podemos esperar continuar infringindo as leis do plano
em que vivemos e esperar que a oração compense essa tolice.
Quando você trata de orientação ou inspiração, muitas vezes vem na forma
de sua própria resposta de bom senso à pergunta. O que chamamos de
"senso comum" é apenas a Sabedoria Divina tomando uma forma
particular.
Quando não temos idéia do que fazer, então será a hora de tratar a
harmonia ou a orientação, e aguardar pacientemente a nossa resposta,
mas todas as medidas óbvias e naturais devem ser sempre tomadas.

REALIZAÇÃO

Há uma grande diferença entre o que você realmente acredita e o que você
acha que deveria acreditar, ou no que você quer acreditar. Você realmente
demonstra o que realmente acredita, seja bom ou ruim.
Não é muito útil dizer que você sabe que uma coisa não vai te machucar se
você a conhecer intelectualmente. Se você perceber mesmo que isso não
possa prejudicá-lo, o caso é diferente.
Não é suficiente dizer que você ficará bem, a menos que acredite. Não é
suficiente dizer que Deus cuidará de você, a menos que você perceba e
acredite no que está dizendo, pelo menos em um pequeno grau.
O único objetivo do tratamento espiritual é aumentar sua compreensão da
verdade que você já aceita; ou seja, que Deus pode e irá protegê-lo de todo
o mal, e que o medo e o erro não têm poder quando você mesmo não o dá a
eles.
Realização significa tornar Deus absolutamente real para si mesmo como
uma convicção subconsciente. Se você pode perceber a Presença de Deus
onde anteriormente você estava pensando em um órgão danificado, por
exemplo, o órgão em questão começará a se curar. Não faz diferença se
você está trabalhando para si mesmo ou para outra pessoa, ou a que
distância a outra pessoa pode estar; a lei é a mesma. Na prática, a maioria
das pessoas acha mais fácil curar alguém dessa maneira do que elas
mesmas, mas não há razão real para que isso aconteça, e deve-se praticar
para superar essa deficiência.
A realização de Deus é, naturalmente, uma questão de grau. Com um grau
suficiente de realização, a cura será instantânea. Com um grau menor
seguirá um pouco depois. Não é frequente, contudo, que se obtenha um
grau suficiente de realização em um tratamento. O que acontece é que o
processo passa por um certo número de vezes, dia após dia, conforme seja
necessário, melhorando o paciente, até que finalmente a cura ocorra.
À medida que progredimos em Verdade, devemos descobrir que o número
de tratamentos necessários se torna cada vez menor.
Tal tratamento pode levar apenas alguns segundos, ou pode levar um bom
tempo, de acordo com o temperamento do trabalhador e as condições
particulares do caso; mas não é o tempo que conta, é o grau de realização
alcançado.

COMO MEDITAR FACILMENTE

Alunos da verdade são constantemente instados a praticar a meditação


sobre as coisas divinas e, de fato, não há forma mais poderosa de oração, é
a prática da Presença de Deus em sua forma mais eficaz, e é a maneira
mais rápida de sair do pecado, doença, e desarmonia. Mas, infelizmente,
muitas pessoas têm uma ideia fixa que não podem meditar. Agora, o fato é
que todos podem e meditam. Mesmo as pessoas aparentemente mais
materiais constantemente meditam - apenas elas não meditam nas coisas
Divinas.
Milhares de homens meditam profundamente sobre o assunto de beisebol
durante a temporada, sem no mínimo perceber que eles estão fazendo
isso. O que geralmente acontece é algo assim: John Smith se levanta de
manhã, pega todos os problemas de sua vida onde os deixou antes de ir
dormir; desce para o café da manhã e conversa sobre assuntos familiares.
Na plataforma ferroviária ele compra um papel, lê alguns dos títulos na
primeira página. E então o trem entra. Ele encontra um assento, vira-se
para a página de beisebol. Aqui ele lê constantemente por dez ou quinze
minutos, e agora ocorre uma mudança. Ele fica absorto no que ele está
lendo; todos os outros assuntos desaparecem de sua mente. Problemas
domésticos e comerciais, política, crime, tudo é esquecido. Atualmente ele
coloca o papel e se perde na contemplação de seu assunto. Em sua mente,
ele critica a gestão de seu time favorito. Possivelmente ele pensa em certas
mudanças que gostaria de ver feitas nas regras do jogo - e muito mais na
mesma linha. A próxima coisa que ele sabe, trinta ou quarenta minutos se
passaram, e ele chegou ao seu destino.
Aqui está um excelente exemplo de uma meditação de primeira classe -
exceto que tem sido sobre beisebol em vez de sobre as coisas Divinas. Este
homem leu seu assunto por dez ou quinze minutos e assim se afastou do
fluxo geral de pensamento. Tendo feito isso, ele começou a pensar e a
respeito de seu assunto até se tornar absorvido - sua técnica era perfeita.
Agora, se você vai imitá-lo, exceto que você lerá um livro espiritual por dez
ou quinze minutos, e pensará em Deus - tomando talvez os Sete Aspectos
Principais por sua vez - pense em seu eu espiritual, pense na Verdade do
Ser em qualquer forma ou forma, você terá feito uma meditação
maravilhosa também. E se você fizer isso, você não pode falhar em
resultados notáveis.

EM TEMPO DE PERIGO

Em tempo de perigo, a melhor oração ou tratamento é estar ciente do


poder protetor do Amor de Deus. Onde o perigo é imediato, um tratamento
curto, como Deus está aqui ou Deus está comigo, será suficiente porque a
urgência do problema dá mais peso espiritual ao tratamento. Houve
muitos casos em que alguém escorregou ou tropeçou, e esse tratamento
simples os tirou ilesos.
Um caso em mente é o de uma mulher muito grande que na época usava
um vestido longo. Enquanto descia os degraus do metrô, seu calcanhar
ficou preso na barra do vestido e ela foi embora. Ela só teve tempo de
dizer: "Deus está me ajudando; Deus está me ajudando!" quando ela
chegou ao fundo dos degraus. As pessoas correram para ajudá-la. Nenhum
dano à sua pessoa; apenas talvez para a sua dignidade. Até o vestido dela
não estava danificado; ligeiramente suja.
No tempo do que parece perigo iminente, onde há tempo para tratar, o 91º
Salmo * deve ser usado, sempre que necessário. Este salmo abrange todos
os tipos de situações, às vezes simbolicamente, e é resumido no
pensamento: "Ele dará aos seus anjos a responsabilidade por ti".
* Veja "O Lugar Secreto" em Power Through Constructive Thinking.
Um caso desse tipo envolvendo Emmet Fox e o autor será encontrado na
seção biográfica deste livro.
Em todo o seu trabalho espiritual, seja oração, tratamento ou meditação,
tenha uma confiança silenciosa de que, como você está contatando a Deus,
Deus está respondendo e depois se lembra de que realmente tem um anjo
no seu ombro.

A Palavra do Poder

A Palavra do Poder é em si uma chave de ouro, pois, como aponta Emmet


Fox, ela abre as portas para uma vida abundante e bem-sucedida. É a ideia
básica em todo o esquema da criação. Como Jesus entendeu e como Emmet
Fox ensinou, a Palavra se refere a qualquer pensamento formulado com a
essência de Deus.
João, que provavelmente entendeu melhor o ensinamento interior de Jesus
do que qualquer um dos outros discípulos, começa seu tratado: "No
princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus"
(João 1: 1). Este é o Logos, a Palavra criativa - em grego.
A declaração de João se relaciona com o início da Bíblia - os Sete Dias da
Criação. *
* Veja Alter Your Life.
Você notará que Deus diz: "Haja" e havia. Haja Luz e luz apareceu. Que haja
um Firmamento e o firmamento vem a existir. É a ideia básica por trás da
criação. Conta como tudo é criado, seja pela Mente de Deus ou pela mente
do homem.
Tudo começa com o pensamento. Deus não tinha uma pilha de planetas e
estrelas para escolher e então os colocou no firmamento. Se fosse esse o
caso, haveria uma criação prévia. Não, foi puramente uma ação mental -
que haja. Em outras palavras, foi a expressão de uma ideia - a Palavra - na
Mente de Deus. Dizemos a Mente de Deus, mas na verdade Deus é Mente -
e não há mais nada.
Jesus entendeu essa idéia, esse processo, tão completamente que ele pôde
falar a Palavra uma vez, e a cura, a demonstração de prosperidade, etc.,
ocorreu imediatamente.
Jesus ficou surpreso quando o centurião romano - um pagão aos olhos dos
hebreus - foi até ele para curar seu servo que estava à beira da morte.
Quando Jesus disse a ele: "Eu irei curá-lo", esse comandante romano teve
entendimento suficiente de como Jesus curou, e respondeu: "Fale somente
a Palavra, e meu servo será curado". E Jesus, reconhecendo a grande fé e
entendimento deste centurião, disse: "Vai, e como creste, assim seja feito a
ti." E nos é dito que o servo foi curado na mesma hora.
Este é um caso muito claro do processo de cura espiritual. Mas a mesma
ideia estava em ação em todas as curas de Jesus. Esta é a Palavra do Poder
como Jesus ensinou e demonstrou. É a Palavra que Isaías, um dos maiores
profetas, falou:
"Assim será a minha palavra que saiu da minha boca; não voltará para
mim vazia, mas fará o que me agrada, e prosperará naquilo que a enviei"
(Isaías 55:11) .
Emmet Fox estava profundamente consciente de falar a Palavra e a usava
com freqüência, às vezes com resultados dramáticos. Ele foi capaz de
"limpar a mente", como ele disse, "da dificuldade", e então a cura foi
realizada. Eu fui testemunha de várias dessas curas, ocasionalmente à
beira do leito de um paciente do hospital.
A capacidade de falar a Palavra de Poder não é apenas uma questão de
fazer algumas afirmações, mas tem que ser construída ao longo de um
período de tempo através da oração e meditação. Jesus era um homem que
orava e muitas vezes subia as montanhas para recarregar as energias
espirituais, como Paulo fazia quando saía para o deserto por alguns anos
para clarear o pensamento. Moisés nunca poderia ter cumprido sua missão
sem comunhão constante com Deus. Emmet Fox também passou horas em
oração e meditação, não apenas para uma cura ou outra demonstração,
mas para fazer sua conexão com Deus.
Para aqueles que queriam aumentar seu poder de oração, ele recomendou
esta chave de ouro como um exercício espiritual diário, o que ele chamou
de "A Palavra do Poder": *
* Veja o poder através do pensamento construtivo.
Eu sou o Espírito Divino Em Deus eu vivo, me movo e tenho o meu ser. Eu
faço parte da auto-expressão de Deus e, portanto, expresso perfeita
harmonia. Eu individualizo Onisciência. Eu tenho conhecimento direto da
verdade. Eu tenho intuição perfeita. Eu tenho percepção espiritual. Eu sei.
Deus é minha sabedoria; então eu não posso errar. Deus é minha
inteligência; então estou sempre pensando corretamente. Não há perda de
tempo, pois Deus é o único fazedor. Deus trabalha através de mim; por isso
estou sempre trabalhando corretamente, e não há perigo de minha oração
errada.
Acho que a coisa certa, no caminho certo, na hora certa. Meu trabalho é
sempre bem feito, pois meu trabalho é obra de Deus. O Espírito Santo está
continuamente me inspirando. Meus pensamentos são novos e novos,
claros e poderosos com o poder da onipotência. Minhas orações são obra
das mãos do Espírito Santo - poderosa como a águia e gentil como a
pomba. Eles saem em nome do próprio Deus e não podem voltar para mim
vazios. Cumprirão o que me agrada, e prosperarão naquilo para que eu os
envie. Eu agradeço a Deus por isso.
A idéia por trás desse exercício diário é estabelecer no subconsciente a
crença de que alguém realmente tem o poder da Palavra falada, e o uso
continuado dessa oração diária ajudará a fazer exatamente isso.
Enquanto Emmet Fox, em sua própria vida e em seus ensinamentos,
seguiu o ditado: "Não use fórmulas - deixe Deus guiar", ele também
entendeu que ocasionalmente, especialmente em tempos de grande
estresse, a mente do indivíduo em particular pode estar cheia demais.
medo de formular qualquer coisa, mas mais negatividade.
Consequentemente, ele percebeu o valor de ter certas afirmações e definir
tratamentos para uso imediato.
Um dos tratamentos frequentemente usados por ele em serviços e
reuniões é chamado "Agora eu falo a palavra". * Eu simplesmente mudei
da segunda pessoa para a primeira:
* Veja Estaca sua reivindicação.
Deus é Vida Infinita. Deus é amor sem limites. Deus é Inteligência Infinita.
Deus é uma sabedoria insondável. Deus é beleza indescritível. Deus é o
princípio imutável do bem perfeito. Deus é a alma do homem.
Eu sou a imagem e semelhança de Deus e tenho o poder da Palavra.
Quando falo essa Palavra, ela sai e não pode retornar vazia. Realiza a coisa
aonde eu envio. Essa Palavra sai carregada do poder de Deus.
Agora eu falo a Palavra em meu nome ————. Eu invoco o poder do
Cristo da Cura, e eu digo que o poder total de Deus agora está despertado
em mim, enchendo minha alma com paz, vida e alegria. Deus é Luz e essa
Luz enche minha alma. Minha alma é como a sarça ardente que arde com o
poder de Deus e não foi consumida. Não há mais cantos escuros; sem
complexos ou neuroses, sem medos ou dúvidas; sem velhas coisas
sombrias. Deus é Luz e Nele não há escuridão alguma.
Deus é Vida e essa Vida constrói cada célula do meu corpo. A maré da Vida
Divina varre meu corpo, carregando diante de Ti quaisquer toxinas,
quaisquer coisas estranhas que não deveriam estar lá. Reforma, recria,
regenera todos os órgãos e tecidos e carrega-os com sua própria vida
divina.
Eu reivindico que a paz de Deus me cerca e me enche. Essa paz vai comigo
como um pilar de nuvem durante o dia e um pilar de fogo à noite. Nessa
paz, e essa saúde, e essa harmonia eu habito.
Eu reivindico que o poder de Deus vai antes de mim e faz o meu caminho
direto. Abre meu caminho para a verdadeira prosperidade, para a
liberdade, para o crescimento espiritual ilimitado.
Eu afirmo que Deus está trazendo para a minha vida as pessoas certas às
quais posso servir e que podem me ajudar; e aqueles que me desejam mal
desaparecerão de minha vida e prosperarão em outro lugar.
Eu reivindico que tudo o que Deus é, agora está trabalhando para me
mover para o meu verdadeiro lugar. O exterior é apenas uma imagem, e o
poder de Deus está mudando essa imagem agora e me movendo para o
meu verdadeiro lugar.
Uma presença. . . Um poder. . . Uma mente. Um Deus . . . Uma lei. . . Um
elemento. Eu faço parte dessa Presença Divina e nessa Presença eu habito
para sempre.
E creio que, de acordo com a minha fé, isso será feito para mim.
Essa oração pode ser usada como uma meditação diária até que o
subconsciente fique completamente saturado com as idéias espirituais
envolvidas. Chegará um momento em que você saberá que elas são
verdadeiras para você e para você, e você falará a Palavra com autoridade.
Enquanto isso, qualquer uma das cláusulas ou parágrafos pode ser usada
como uma afirmação em um caso particular.

Sua história de sucesso

Talvez, com o tempo, as muitas curas e a prática e altamente espiritual de


Emmet Fox serão esquecidas quando novas gerações entrarem em cena,
mas o que será um tributo duradouro, para seu trabalho, uma chave de
ouro para aqueles ainda não nascidos é o seu desvelamento da Bíblia.
Já em sua primeira palestra em Nova York, ele despertou seus ouvintes
para o valor imenso e prático da Bíblia em suas vidas. Ele instruiu todos a
escrever na primeira página da Bíblia, em letras grandes: "ISTO SIGNIFICA
MIM". Depois, prossiga para as primeiras quatro palavras da Bíblia, "No
princípio, Deus", e compreenda que Deus deveria ser o começo de todo
empreendimento na vida.
Inúmeras pessoas me disseram que antes de ouvirem Emmet Fox falar,
elas consideravam a Bíblia como um livro sagrado, mas achavam que a
leitura era fraca e às vezes inacreditável. Muitas vezes a Bíblia era pouco
mais que um coletor de pó em uma prateleira ou escrivaninha. Uma
recorda a história da senhora doente e visitada pelo ministro local. Depois
de conversar com ela por um tempo, ele perguntou: "Você tem uma Bíblia
na casa?" A senhora respondeu: "Eu não ficaria sem um", e chamou seu
filho, "Johnny, traga para mamãe aquele livro que ela tanto ama!" E Johnny
apareceu carregando o catálogo da Sears Roebuck.
Emmet Fox mudou tudo isso para milhões de pessoas. Lembro-me de uma
bela judia, membro do Templo Emanu-El na Quinta Avenida, dizendo que
nunca entendia sua própria religião até ouvir a explicação de Emmet Fox
das Escrituras. Ela nunca percebeu que Abraão defendia a fé racional e,
portanto, nunca havia compreendido as incríveis realizações que a fé havia
realizado. Ela disse que para ela Moisés se tornou uma pessoa real com um
vasto conhecimento do verdadeiro Deus; e que ela até ganhou uma melhor
compreensão de Jesus Cristo.
Os católicos romanos compareceram primeiro à missa e depois
compareceram às reuniões. Não só participaram membros de todas as
convicções religiosas, mas também muitos ministros das várias religiões.
Em 1934, Harder & Brothers (agora Harder & Row) publicou a
interpretação de Emmet Fox de O Sermão da Montanha, que
imediatamente se tornou um best-seller entre livros religiosos e
permaneceu um desde então. Tornou-se um clássico religioso, um livro
básico não apenas no movimento metafísico, mas também foi usado em
muitas das igrejas ortodoxas.
Sob a inspiração e profunda compreensão de Emmet Fox, o famoso
Sermão da Montanha de Jesus se torna uma chave de ouro para o sucesso
da vida moderna. Os ensinamentos aparentemente obscuros e
contraditórios, por exemplo, o preceito de Jesus de resistir não ao mal -
tornam-se instruções vitais e úteis para lidar com os difíceis problemas da
vida.
Há alguns anos, um jovem contador veio me ver para compartilhar sua
experiência com O Sermão da Montanha. Ele estava passando por um
momento difícil em seu escritório, não recebendo a remuneração nem a
promoção a que ele se sentia autorizado. Como consequência, ele sentiu
que sua esposa e filho estavam sofrendo e havia muita fricção em casa.
Tente como ele faria, a situação não mostrou melhora. Mas Deus trabalha
de maneiras misteriosas. Saindo do metrô uma manhã a caminho do
escritório, ele viu um livro em uma vitrine de livraria cujo subtítulo dizia:
"A chave para o sucesso na vida." Ele murmurou: "É certamente o que eu
preciso". Mas enquanto lia o título, "O Sermão da Montanha", seu espírito
caiu, pois, infelizmente, ele era de persuasão judaica e achava que um livro
sobre Jesus era um pouco demais. Mas a sua rota para o escritório levou-o
passado essa livraria todas as manhãs, e diariamente ele leu o subtítulo, "A
chave para o sucesso na vida". Por fim, ele não pôde mais resistir. Ele
comprou o livro, mas agora ele tinha outro problema. Ele não se atreveu a
levar o livro para casa por medo de ofender sua esposa, que estava ainda
mais comprometida com a religião judaica do que ele. Então ele decidiu ler
o livro durante as horas de almoço e guardá-lo em sua mesa. Ele leu e
releu, e admitiu que a maior dificuldade para ele era aceitar o nome de
Jesus Cristo. Mas no final o livro literalmente transformou sua vida. Não
demorou muito para que ele tivesse um novo emprego com aumento
substancial de renda e, eventualmente, todas as dificuldades em casa
desapareceram.
Outro caso do poder do ensinamento de Emmet Fox era o do marido e da
esposa que finalmente foram persuadidos a comparecer às reuniões. Uma
quarta-feira à noite eles compraram uma cópia do Sermão da Montanha.
Ler e reler mudou completamente suas vidas, e eles conseguiram o que
sempre estiveram em seus corações, um rancho no oeste. Agindo em seu
palpite, eles se estabeleceram em Idaho e se tornaram fazendeiros de
sucesso.
Tal é o poder do Sermão da Montanha, agora publicado em francês,
espanhol, grego, alemão e português. Inúmeras cartas chegaram de
pessoas em todas as esferas da vida e de todas as inclinações religiosas,
testemunhando vidas completamente transformadas.
Emmet Fox continua seu desdobramento da Bíblia como uma fonte de
poder prático com seu Poder Através do Pensamento Construtivo, que,
entre outros tópicos, dá o significado interno de vários Salmos.
Nos Dez Mandamentos de Emmet Fox, as regras de conduta de Moisés -
"Tu, não ..." - assumem um novo significado construtivo, à medida que o
indivíduo é levado a perceber que ele não precisa tirar nada de ninguém,
de fato não pode , mas que todas as coisas são apenas "por direito de
consciência".
Em 1968, o livro Diagramas para viver de Emmet Fox foi publicado e nele
revela que "a Bíblia é realmente um grande diagrama do destino do
homem".
Depois de ter passado pelas provações e tribulações, os sucessos e os
triunfos da vida, você surge como a mulher vestida de sol. A lua está sob
seus pés e sobre sua cabeça está uma coroa de doze estrelas. Você percebe
que nasceu para ser livre, captou a visão espiritual. Você está pronto para
triunfar sobre cada desafio, pois finalmente você sabe que é uma jóia no
diadema de Deus. Você não precisa mais ser levado pelos ventos do
"destino". Tu és o sete vezes sete, o doze vezes o doze, a medida de um
homem.
E Emmet Fox fecha com uma explicação de alguns dos simbolismos mais
complicados que podem ser encontrados em qualquer lugar na literatura
ocultista - o Livro do Apocalipse de Jesus Cristo, ele mesmo dado a João.
Vamos ver algumas das coisas que Emmet Fox diz sobre a Bíblia e sua
história de sucesso.
A Bíblia é o bem mais precioso da raça humana. Ele contém a chave para a
vida. Mostra-nos como viver para que possamos ter saúde, liberdade e
prosperidade. Ele encontra todos em seu próprio nível e o leva a Deus.
Tem uma solução para todos os problemas. Aliás, é o maior trabalho
literário já compilado e, de longe, o mais interessante de todos os livros.
Nossa versão comum (King James) contém o maior e melhor inglês já
escrito.
No entanto, o valor real da Bíblia está na interpretação espiritual.
Maravilhosa como a Bíblia "externa" é, ela é muito menos que um por
cento da Bíblia "interna" - a Bíblia que está escondida atrás dos símbolos.
Se você tem lido a Bíblia sem a interpretação espiritual, não encontrou a
verdadeira mensagem da Bíblia, pois ela está abaixo da superfície. A Bíblia
exterior é maravilhosa, mas a Bíblia interior é o dom supremo de Deus.
"Você erra, não conhece as escrituras" (Mt 22:19).
A Bíblia não se destina principalmente a ensinar história, ou biografia, ou
ciências naturais. Pretende-se ensinar psicologia e metafísica. Trata
basicamente dos estados mentais e das leis da atividade mental; e
qualquer outra coisa é apenas incidental. Cada um dos principais
personagens da Bíblia representa um estado de espírito que qualquer um
de nós pode experimentar; e os eventos que acontecem com os vários
personagens ilustram as conseqüências para nós de termos tais estados
mentais, bons ou ruins.
Alguns dos personagens da Bíblia, como Moisés, Elias e Paulo, são figuras
históricas. Eles eram homens reais que viviam na terra e faziam as ações
atribuídas a eles; no entanto, eles também representam estados mentais e,
por sua vez, retratam estados mentais diferentes em momentos diferentes,
à medida que suas vidas se desenrolam. Outros personagens da Bíblia,
como Adão e Eva, o Filho Pródigo, o Bom Samaritano (Lucas 10:33), ou a
Mulher Escarlate (Apocalipse 17: 3-4), são, naturalmente, fictícios e nunca
tiveram uma existência real. ; mas expressam estados mentais também, e
sempre de maneira notavelmente simples e gráfica.
Os principais eventos da Bíblia descrevem as consequências seguintes em
certos estados de espírito. Sua fé e entendimento tiram Moisés do Egito
(Êxodo 14:21) e tiram Pedro da prisão (Atos 12: 7), e essas qualidades
libertam qualquer outra pessoa da mesma maneira, seja uma prisão de
pecado, medo, dúvida ou alguma outra limitação humana.
Agora, um estado de espírito não pode ser visualizado ou retratado
diretamente como pode um objeto material. Ela só pode ser descrita
indiretamente, por uma figura de linguagem, uma alegoria ou uma
parábola, mas, infelizmente, pessoas sem pensamentos sempre tenderam
a tomar a figura da fala ou a alegoria literalmente, ao seu valor aparente,
perdendo assim o significado real. porque está escondido por baixo. O véu
de Ísis vem para ser adorado, enquanto a própria Isis é esquecida. Outro
mal que decorre deste curso é que, como muitas parábolas obviamente
não podem ser literalmente verdadeiras, essas pessoas, incapazes de
aceitar a autenticidade da história, rejeitam a Bíblia como uma coleção de
falsidades ou mitos. Essa foi a atitude de Ingersoll na América, Bradlaugh
na Inglaterra e muitos outros. O fundamentalista, por outro lado, violenta
seu senso comum ao tentar fazer-se acreditar que essas parábolas são
literalmente verdadeiras, enquanto no fundo do coração - que é o lugar
que importa - ele não pode realmente acreditar nelas, e assim Um conflito
perigoso é criado dentro do seu subconsciente.
Qualquer texto da Bíblia pode ser tomado no presente, no passado ou no
futuro - porque Deus está fora do tempo.
Os heróis da Bíblia são representados como tendo muitas falhas no
começo (Moisés matou um homem antes que ele obtivesse sua iluminação
e Paulo apedrejasse os primeiros cristãos enquanto seu nome ainda era
Saul), mas cada um deles gradualmente superou essas falhas com muita
oração e jejum. E isso é muito encorajador para nós.
A Bíblia ensina que as condições externas e eventos não são importantes
em si mesmos, mas apenas na medida em que eles necessariamente
expressam o caráter (consciência) do sujeito.
A Bíblia é infinitamente otimista, mas nunca Pollyanna. Não diz que "tudo
ficará bem". As coisas não ficarão bem, a menos que você as faça pensando
corretamente. Ensina que os pensamentos e crenças negativas,
especialmente o pecado de limitar Deus (Sl 78:41), podem trazer todos os
tipos de problemas e sofrimento em sua jornada. O pensamento errado só
pode trazer resultados errados.
Não é um esquema rápido rico. Ensina que, se você tiver fé em Deus,
suprirá abundantemente as suas necessidades; mas a metafísica não trará
dinheiro por si mesma.
Não ensina que você tem apenas que ordenar o que quer - pensando nisso
- e que Deus deve obedecer às suas ordens. Essa ideia absurda geralmente
acaba em desastre. A verdade é que você pode demonstrar apenas o que
você realmente tem consciência; e o que você tem consciência para você
deve demonstrar.
Não é mente sobre a matéria. Ensina que o que vemos ao nosso redor é
apenas nossos próprios pensamentos e crenças objetivados. Assim, não
tentamos dominar algo fora de nossas mentes, mas mudar nossas mentes.
Não finge que o seu problema é imaginário. Admite que está lá como uma
experiência; mas diz que essa experiência pode ser dissolvida pela
realização da Presença de Deus.
Não é a cura da fé no sentido comum de combater um mal supostamente
real com fé cega e força de vontade. Ensina uma fé inteligente e
compreensiva baseada na bondade e na presença de Deus.
Não é panteísmo. O panteísmo, como geralmente entendido, dá ao mundo
exterior uma existência separada e substancial e diz que é parte de Deus -
incluindo todo o mal e crueldade que se encontram nele. A verdade é que
Deus é a única Presença e o único Poder, que Ele é inteiramente bom, que
o mal é uma crença falsa sobre a Verdade, e que o mundo exterior é o
retrato de nossas próprias mentes.
A Bíblia alcança que a oração de hoje pode corrigir tudo - se você não olhar
para o passado. Lembre-se da esposa de Lot. Ela se transformou em uma
coluna de sal. O sal é um conservante e na Bíblia simboliza a tenaz
exploração do passado, que mantém a pessoa acorrentada às velhas
condições, enquanto a Bíblia nos ensina a avançar com novas idéias e
novas aspirações, para novas aventuras.
Não adie a leitura da Bíblia até que você "tenha bastante lima e possa fazê-
la completamente", mas comece hoje e leia um pouco - até mesmo alguns
versículos - diariamente.
E para fazer isso com maior compreensão. Emmet Fox nos dá algumas
palavras-chave na Bíblia - palavras que não apenas abrem a Bíblia, mas
também abrem nossas vidas.
MEDO

A Bíblia diz que o temor do Senhor é o começo da sabedoria (Sl 111: 10) e
o começo do conhecimento (Pv 1: 7). Isso enganou muitas pessoas, porque
a verdade é que o medo é inteiramente mal e é de fato o único inimigo que
temos. Você pode curar qualquer condição, se você puder se livrar do
medo que se prende a ela. Problemas ou doenças não são nada além do
medo subconsciente que aparece em nosso ambiente. É verdade em todos
os momentos que "não temos nada a temer senão o medo".
Como então explicamos os textos citados? A resposta é que, na Bíblia, o
temor de Deus significa reverência a Deus, não temor no sentido usual da
palavra.
Reverência por Deus é o começo da sabedoria. Como mostramos
reverência por Deus? Não por belas profissões ou orações hipócritas, mas
por ver Deus em toda parte, recusando-se a reconhecer qualquer coisa
diferente dele, e vivendo a vida de Cristo.
Confiança é adoração. Você adora tudo o que você confia. Você está
confiando mais no mal ou no bem? com medo ou em Deus? O que você está
adorando? Esse é o teste.
"Familiarize-se com Ele e esteja em paz" (Jó 22:21).

IRA

Existem muitas referências na Bíblia à ira de Deus. Isso confunde muitos


estudantes de metafísica porque sabemos que Deus é Amor e que a ação
de Deus sempre acontece para curar, consolar e inspirar. A explicação é
que a palavra "ira" na Bíblia realmente significa grande atividade - a
atividade que acompanha ou precede a cura de qualquer condição
negativa. Sabemos que, enquanto a limpeza da primavera de uma casa está
em andamento, tudo parece estar virado de cabeça para baixo por alguns
dias. Além disso, quando você cura uma pessoa doente pela oração, ela
freqüentemente piora antes que a cura venha. Esse tipo de crise é o que é
significado por "ira".
Em II Crônicas 34:25, por exemplo, nos é dito que a ira do Senhor será
derramada sobre o povo porque eles adoraram falsos deuses. Isso significa
que, quando acreditamos na limitação e entretemos pensamentos
negativos, o problema deve surgir, mas, se tratarmos, nosso tratamento
desfará os danos causados e trará paz e harmonia às nossas vidas. Essa
atividade é a ira de Deus.
A oração de Habacuque (Hah. 3: 2) ilustra a angústia mental que
freqüentemente acompanha a atividade (ira) de Deus em nossas almas,
quando as dificuldades vêm à tona para serem esclarecidas, e um período
de tensão vem antes da demonstração.
No Salmo 76:10 diz: "A ira dos homens te louvará." Isso significa mais uma
vez que a agitação em nós causada por nossos problemas nos leva a nos
voltarmos para Deus e assim os superarmos.
A Bíblia sempre apresenta problemas e desgraças como terminando em
harmonia e alegria se nos voltarmos para Deus.
"Ele enviou a sua palavra, e os curou, libertando-os das suas destruições"
(Sl 107: 20).

SOU O QUE SOU

EU SOU O QUE EU SOU (Êxodo 3:14) é um dos principais termos bíblicos


para Deus. Significa ser incondicionado. Significa o grande poder criativo
que é absolutamente ilimitado. É uma tentativa - e muito bem sucedida -
de expressar, até onde a linguagem pode, o infinito de Deus.
"EU SOU" significa você - o indivíduo. É uma afirmação ou afirmação da
existência e precisa ser qualificada de alguma forma. Dizemos, por
exemplo: "Eu sou um homem" ou "Eu sou uma mulher", ou "Eu sou
americano" ou "Eu sou espanhol", "Eu sou advogado" ou "Eu sou um
padeiro". Em cada caso, afirmamos um fato importante sobre nós mesmos
e, nessa medida, nos limitamos - não em um sentido negativo, mas em um
sentido positivo e construtivo. Se eu sou americano, não sou espanhol; se
eu sou homem, não sou mulher, etc.
Agora Deus é absolutamente ilimitado, e a única frase que pode expressar
isso é EU SOU O QUE EU SOU. Eu sou o que? EU SOU puro ser
incondicionado, ilimitado e não especificado de qualquer forma. Afirmar
que Deus é alguma coisa particular implicaria limitação, ou pelo menos
uma circunscrição, e Deus é ilimitado.
É assunto do homem ser algo em particular, e não tentar ser tudo, porque
ele é uma individualização. Se você tocasse todas as notas da escala juntas,
teria apenas um ruído confuso. A música consiste na seleção e
agrupamentos especiais de certas notas.
No universo de Deus, cada um de nós tem o seu lugar e é nosso dever
encontrar o verdadeiro lugar e expressá-lo - desempenhar o nosso papel
corretamente na grande orquestra. Deus, no entanto, é o Grande Maestro e
toda a orquestra também, ilimitada e sem fim. *
* Veja livreto, "Life Is Consciousness", publicado pela Unity School of
Christianity. Unity Village, Mo. 64065
SALVAÇÃO

A palavra "salvação" aparece mais de 120 vezes na Bíblia. Ele estava em


uso constante entre pessoas religiosas de gerações passadas e, embora não
seja tão frequentemente ouvido hoje, permanece o fato de que é uma das
palavras mais importantes da Bíblia e, como tantas vezes acontece, está
entre as menos importantes, bem entendido.
A palavra "salvação", na Bíblia, significa saúde perfeita, harmonia e
liberdade. Quando você tem um corpo forte e saudável para que apenas
estar vivo seja uma alegria em si mesmo; quando você está vivendo em
condições completamente harmoniosas; quando seu tempo estiver cheio
de atividades alegres e úteis; quando você está aumentando diariamente
na compreensão de Deus e não está consciente de qualquer medo - você
tem salvação no sentido bíblico.
Essas coisas são a vontade de Deus para o homem - para você
pessoalmente; e a Bíblia foi escrita para nos dizer como alcançá-los.
Nós obtemos a salvação buscando Deus em pensamento e deixando que
Ele trabalhe através de nós; recusando-se a dar poder às condições
externas; treinando-nos para desprezar o medo.
"O Senhor é minha luz e minha salvação" (Sl. 27: 1). Ele é somente a minha
rocha e a minha salvação "(Sl 62: 2). Ele nos deu um chifre de salvação"
(Lucas 1:69). Toda a carne verá a salvação de Deus "(Lucas 3: 6). Textos
como esses são típicos das promessas bíblicas relativas à salvação.
A salvação chega a algumas pessoas com delicadeza e facilidade, mas a
maioria tem que trabalhar sua salvação com uma certa quantidade de
"medo e tremor" por enquanto. A maneira como realmente acontece não é
realmente importante, pois assim será - quando a procurarmos com todo o
nosso coração.
É um excelente tratamento procurar a palavra "salvação" em
concordância, e depois ler vários versículos que a contêm, interpretando-
os espiritualmente, é claro.

Ímpio

A palavra "ímpio" ocorre mais de trezentas vezes na Bíblia e é um dos


termos mais importantes que se encontram nela. Na Bíblia, a palavra
"ímpio" realmente significa "enfeitiçada" ou "sob um feitiço". A Lei do Ser é
perfeita harmonia e essa verdade nunca muda; mas o homem usa seu livre
arbítrio para pensar erroneamente, e assim ele constrói falsas condições
ao seu redor, e então acredita que elas são reais. Eles parecem reais, e por
isso ele esquece que foi ele mesmo quem os fez, e assim ele enfeitiça a si
mesmo, ou se lança sob uma espécie de feitiço; e, claro, enquanto ele
permanecer enfeitiçado dessa maneira, ele terá que sofrer as
conseqüências. No entanto, é apenas ilusão, ou um feitiço, e pode ser
quebrado voltando-se para Deus.
É por isso que Jesus chamou o caminho estreito e estreito. "Ó gálatas tolos
que te enfeitiçaram?" (Gál. 3: 1) disse Paulo quando ouviu que alguns de
seus alunos começaram a acreditar no mal dessa maneira.
"O ímpio foge quando ninguém persegue" (Provérbios 28: 1). "Os ímpios
serão transformados em inferno" (Sl 9:17). "Deixe o ímpio o seu caminho,
e o homem maligno os seus pensamentos; e volte-se ao Senhor, que se
compadecerá dele" (Isaías 55: 7). Estas são todas as declarações do que
acontece quando nos permitimos ser enfeitiçados por nossos próprios
pensamentos para acreditar em qualquer poder que não seja Deus. Nós
fugimos quando ninguém o persegue - temos medo das coisas sem razão.
Nós podemos sofrer as dores do inferno porque "o medo tem tormento" -
mas quando nos voltamos para Deus, o encanto é quebrado e a harmonia é
restaurada.
Vamos despertar do feitiço sob o qual toda a raça vive e, em vez disso,
saber que Deus é todo o Poder, Inteligência infinita e Amor ilimitado.

JULGAMENTO

Julgamento, na Bíblia, significa decidir sobre a verdade ou falsidade de


qualquer pensamento. Este processo passa necessariamente em nossas
mentes o tempo todo em que estamos despertos, e a medida em que
"julgamos juízos justos" determina o caráter de nossas vidas. Aceitar o mal
em seu valor aparente é julgar erroneamente e trazer sua punição natural.
Recusar-se a acreditar no mal e a afirmar o bem é um julgamento justo e
traz a recompensa da felicidade e da harmonia.
Assim, o Julgamento não é uma grande prova a ser realizada no final dos
tempos; é um processo que acontece todos os dias. Quando Jesus disse:
"Não julgueis, para que não sejais julgados" (Mateus 7: 1), ele quis dizer
que condenar nosso irmão imediatamente, em vez de ver o Cristo dentro
dele, é nos colocar em perigo, porque somos fazendo uma realidade
daquelas aparências nele, e o que quer que façamos de verdade, devemos
demonstrar em nossas próprias vidas.

HEATHENS, INIMIGOS, ESTRANHOS

Estes significam seus próprios pensamentos negativos, que são as coisas


que estão causando suas dificuldades. Eles não significam outros seres
humanos. Pensamentos errados são pagãos porque eles não conhecem a
Deus. Eles são estranhos ao seu eu real e, claro, eles são os únicos inimigos
que você pode ter. Todos esses inimigos devem ser destruídos, não
lutando com eles, o que apenas lhes dá poder, mas por julgamento justo -
recusando-se a acreditar neles.
Deus é a única Presença e o único Poder.

CRISTO

A palavra "Cristo" não é um nome próprio. É um título. É uma palavra


grega que significa ungido ou consagrado. Corresponde um pouco ao
termo hebraico Messias e à palavra oriental Buda.
Jesus era o nome pessoal dado a nosso Senhor por seus pais. A palavra,
como nós a temos, é grega e é uma tradução do hebraico Josué, que
significa, literalmente, "Deus é salvação" - isto é, a realização de Deus é
nossa salvação, ou o que eu chamo de Chave de Ouro. .
Assim falamos do Cristo. O Cristo pode ser definido como a verdade
espiritual sobre qualquer pessoa, situação ou coisa. Quando você percebe
a Verdade espiritual sobre qualquer problema, você está elevando o Cristo
na consciência, e a cura segue. Assim, o Cristo é sempre o Cristo que cura.
Jesus demonstrou o Cristo em sua própria pessoa e vida em maior medida
do que qualquer outro indivíduo que já viveu nesta terra; e porque o
trabalho que ele fez em sua crucificação e ressurreição tornou possível
para nós alcançarmos alturas espirituais que de outra forma estariam
completamente fora de nosso alcance, ele é justamente chamado de
Messias ou Salvador do mundo. Pela mesma razão ele é denominado a Luz
do mundo. A realização do Cristo cura, independentemente de quaisquer
condições ou limitações que possam parecer estar no caminho.
"E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim" (João 12:32).
ARREPENDIMENTO

Se arrepender significa realmente mudar a mente em relação a algo.


Quando uma pessoa percebe que uma determinada ação, ou uma
determinada linha de conduta, ou talvez toda a direção de sua vida, esteja
errada, e honestamente resolve mudar sua conduta, ele se arrependeu.
A Bíblia faz do verdadeiro arrependimento uma condição essencial para
qualquer progresso espiritual e para o perdão dos pecados. Jesus disse: "Se
não vos arrependerdes, todos de igual modo perecerás" (Lucas 13: 3).
O arrependimento não significa lamentar os erros do passado, porque isso
está no passado, e nosso dever é habitar no presente e acertar esse
momento. Preocupar-se com os erros do passado é remorso, e o remorso é
um pecado, pois é uma recusa em aceitar o perdão de Deus. A Bíblia diz
que agora é o dia da salvação.
João Batista disse: "Arrependam-se, pois o reino dos céus está próximo"
(Mateus 3: 2). Isso significa que você deve mudar seu pensamento e saber
que a Presença de Deus é onde você está.
João praticava o batismo como símbolo de arrependimento. Em seus dias,
já era um costume muito antigo entre os diferentes povos, porque lavar ou
banhar o corpo é um símbolo dramático da purificação da alma pelo
arrependimento. No Antigo Testamento, o povo lavava as roupas antes de
receber os Dez Mandamentos de Moisés e, em muitos outros casos, uma
lavagem ou purificação cerimonial precediam vários exercícios espirituais.
Este é o verdadeiro significado do batismo e, claro, a cerimônia em si não
tem importância, exceto como uma expressão no exterior dessa mudança
de mente, ou arrependimento, ou determinação para fazer melhor, que é a
coisa interior e espiritual.
A lei da vida é conhecer a verdade e vivê-la.
VINGANÇA

"A minha é vingança, eu retribuirei, diz o Senhor" (Rom. 12:19). O


significado espiritual da palavra vingança, na Bíblia, é a vindicação.
Representa a vindicação da Verdade contra o desafio ou a acusação de
medo e incompreensão.
Sabemos que a verdadeira natureza do Ser é uma harmonia perfeita e
imutável. Isso é verdade absoluta e nada pode mudá-la. É claro que é
possível aceitarmos idéias erradas sobre a Verdade e, desde que aceitemos
tais erros, temos que viver em sua escravidão. Também alimentamos o
medo e o medo nada mais é do que a falta de confiança em Deus.
Então, finalmente, decidimos orar voltando-nos para Deus e percebendo a
Verdade da melhor maneira possível. Assim que fazemos isso, a ação de
Deus começa a acontecer, nosso medo começa a evaporar e a falsa
condição é vista melhorando continuamente.
Assim, a Verdade do Ser e a bondade de Deus são vindicadas mais uma vez
em nossas vidas.
Quando parecemos ter sofrido uma lesão de outros, devemos, em vez de
insistir nele com ressentimento, afastar todo o pensamento do assunto de
nossas mentes, percebendo a bondade e a harmonia de Deus em nós
mesmos e no delinqüente. Isto é vindicação ou "vingança" espiritual como
a Bíblia ensina; e não apenas cura toda a condição, mas traz grande
progresso espiritual para nós mesmos.
VIDA

Jesus disse que ele havia vindo para que pudéssemos ter vida, e para que
pudéssemos ter mais abundantemente (João 10:10). A Bíblia
freqüentemente usa a palavra vida, e sempre com a implicação de que é a
maior de todas as bênçãos. "Com vida longa o satisfarei" (Sl. 91:16). Tu me
mostras o caminho da vida "(Sl. 16:11)." Guarda o teu coração com toda a
diligência, porque dela procedem as questões da vida "(Provérbios 4:23).
Jesus diz que aqueles que o seguem terá a luz da vida e a grande meta do
homem é dita por toda a Bíblia para ser a vida eterna.
Agora, o que é esta vida da qual a Bíblia fala? Bem, nós não tentaremos
definir a palavra neste pequeno ensaio. Será suficiente salientar que você
só experimenta a vida quando está feliz e sente-se livre, útil, alegre e
inconsciente do medo ou da dúvida.
Todo mundo já conheceu esses períodos em sua vida, embora sejam muito
mais raros do que deveriam ser, e essas são as horas em que você esteve
vivo - que você aproveitou a vida. Outras vezes você não teve vida, no
sentido das Escrituras.
Então, quando a Bíblia nos promete longa vida, sob certas condições, nos
promete um longo período de alegria e liberdade. Quando promete a vida
eterna, promete o prazer dessas coisas para sempre.
Uma longa vida física cheia de luta, sofrimento e desapontamento, vivendo
até uma idade avançada sem alegria ou esperança, não é longa vida no
sentido bíblico. Essa história é realmente uma forma de morte.
A vida no sentido bíblico é algo que vale a pena ter, e nos é prometido com
a condição de que mantenhamos a Grande Lei - buscando mais
conhecimento de Deus e colocando-O em primeiro lugar em nossas vidas.
Psicologia

Como Emmet Fox apontou, a Bíblia ensina psicologia e metafísica; e


psicologia significa a ciência da mente - como a mente funciona. Agora,
existe apenas uma Mente no universo, a Mente de Deus, e a mente humana
é parte disso. Como Jesus repetiu tantas vezes: "É o Pai que faz a obra". Ele
estava muito consciente do tremendo potencial inerente a cada um de nós.
Então, uma compreensão da mente humana e como ela funciona é de
imenso valor em todo empreendimento.
Era natural que Emmet Fox desse atenção a essa expressão fundamental
de Deus, e aqui está outra das preciosas chaves de ouro. Para atualizar
nossas mentes, ele chama nossa atenção para novos nomes de coisas
antigas.
A psicologia moderna fez um bom trabalho ao lançar uma nova luz sobre
muitos aspectos da mente humana e, assim, nos ajudou a nos entender
melhor. Naturalmente, não pode tomar o lugar da oração, mas ainda assim
tem seus usos.
Precisamos saber algo de como a mente humana funciona para que
possamos redimi-la. É bom, no entanto, lembrar que sempre soubemos
muito sobre isso em geral; e devemos evitar ser confundidos ou
intimidados pela terminologia psicológica moderna. Na maior parte, isso é
apenas dar novos nomes às coisas antigas. Os novos nomes são
frequentemente mais precisos e instrutivos, mas as coisas a que se
referem são coisas de que sempre soubemos.
Sempre soubemos, por exemplo, que em determinado momento estamos
conscientes apenas de um certo número de idéias, das coisas que estamos
fazendo e pensando no momento - e elas representam o que a psicologia
chama de "mente consciente".
Sempre tivemos consciência de que conhecemos muitas coisas sobre as
quais não estamos pensando em determinado momento, algumas das
quais esquecemos completamente, mas que podem ser trazidas de volta
por algum incidente inesperado; e é isso que a psicologia chama de "mente
subconsciente ou inconsciente".
Nós sempre soubemos que temos uma tendência a nos enganar pensando
que agimos a partir de um único motivo, quando o fato é que estamos
agindo de forma bastante diferente; e isso é "racionalização".
Sempre soubemos que a natureza humana é muito engenhosa ao inventar
algum esquema ilícito para fugir a um dever desagradável ou evitar
enfrentar um fato indesejável - e esse é "o mecanismo de fuga".
E assim por diante com a maioria dos termos técnicos da psicologia atual.
O importante é ter certeza de que quando os usamos, eles são nossos
servos e não nossos mestres.
Naturalmente, a única coisa que importa é ter um melhor conhecimento de
Deus e de nós mesmos, e qualquer estudo e qualquer experiência que
ajude nesse sentido é boa. "Familiarize-se com Ele e esteja em paz" (Jó
22:21).
Como a oração é a atividade mais importante que a mente pode dedicar, é
interessante saber como a oração funciona. Isto é o que realmente
acontece: Sua oração funciona mudando a parte subconsciente da sua
mente. Ele apaga o medo e destrói as idéias falsas que causaram o
problema.
Toda condição em sua vida é a impressão de uma crença no subconsciente.
Toda doença, toda dificuldade que você tem, é apenas a personificação de
uma idéia negativa em algum lugar do seu subconsciente, que é acionado
por uma carga de medo. Oração elimina esses pensamentos negativos e,
em seguida, sua incorporação deve desaparecer também. A cura deve vir.
Isso explica também porque, em muitos casos, várias orações ou
tratamentos precisam ser dados para que o subconsciente aceite as ideias
novas e construtivas.
A oração, então, não age diretamente em seu corpo ou em suas
circunstâncias; muda sua mentalidade - depois da qual, é claro, a imagem
externa também deve mudar.
Paulo diz: "Não sejais conformados com este mundo [a imagem negativa]:
mas transformai-vos pela renovação de vossa mente" (Romanos 12: 2).
Pessoas irrefletidas às vezes dizem que nossas afirmações e as meditações
são tolas porque afirmamos o que não é assim. "Afirmar que meu corpo
está bem ou ser curado quando não está, é apenas mentir", disse um
homem distinto alguns anos atrás. Mas a própria Bíblia não concorda com
ele. Ele diz: "Deixe o fraco dizer que eu sou forte" (Joel 3:10). Está
sugerindo usar uma falsidade? Não, a Bíblia entende a psicologia da
oração.
Afirmamos a harmonia que buscamos para fornecer ao subconsciente um
projeto do trabalho a ser feito. Quando você decide construir uma casa,
você compra um terreno vago e depois o arquiteto prepara os desenhos de
uma casa completa. Na verdade, é claro, não existe tal casa hoje, mas você
não pensaria em dizer que o arquiteto estava desenhando uma mentira.
Ele está desenhando o que é ser. Assim, construímos em pensamento as
condições que mais tarde se manifestarão no plano físico.
Esperar como o Sr. Micawber para que as coisas "apareçam" é uma tolice,
porque você provavelmente morrerá antes de fazê-lo. Qual é a sua
inteligência, se não para ser usado na construção do tipo de vida que você
quer?
Chegou a hora em que homens e mulheres inteligentes devem entender as
leis da Mente e plantar conscientemente as colheitas que desejam; e com a
mesma cautela, puxe as ervas daninhas que elas não querem.
Existem algumas grandes leis que governam todo pensamento, assim
como existem algumas leis fundamentais na química, na física e na
mecânica, por exemplo.
Sabemos que o controle é a Chave do Destino e, para aprender o controle
do pensamento, precisamos conhecer e entender essas leis, assim como o
químico precisa entender as leis da química, e o eletricista precisa
conhecer as leis da eletricidade.

A LEI DA SUBSTITUIÇÃO

Uma das grandes leis mentais é a Lei da Substituição. Isso significa que a
única maneira de se livrar de um determinado pensamento é substituí-lo
por outro. Você não pode descartar um pensamento diretamente. Você
pode fazer isso apenas substituindo outro por ele. No plano físico, esse não
é o caso. Você pode soltar um livro ou uma pedra simplesmente abrindo a
mão e soltando-a; mas com o pensamento isso não funcionará. Se você
quiser descartar um pensamento negativo, a única maneira de fazê-lo é
pensar em algo positivo e construtivo. É como se, digamos, derrubar um
lápis, fosse necessário colocar uma caneta, um livro ou uma pedra em sua
mão quando o lápis caísse.
Se eu disser a você: "Não pense na Estátua da Liberdade", é claro que você
imediatamente pensa nisso. Se você disser a si mesmo: "Não vou pensar na
Estátua da Liberdade", isso é pensar nela.
A propósito desta particular chave de ouro de Emmet Fox's há uma
história interessante sobre Tolstoi quando ele era um menino. Ele e seus
irmãos jogaram muitos jogos juntos, a maioria dos quais foram inventados
por seu irmão mais velho Nicholas. Uma delas girava em torno da ideia de
encontrar o segredo da felicidade. Nicholas disse-lhes que o segredo da
felicidade estava escrito em uma vara verde que estava escondida na
ravina, e se um deles encontrasse a vara verde, ele deveria compartilhar
seu segredo com os outros. No entanto, alguns passos precisaram ser
tomados. Primeiro eles devem se unir debaixo da mesa na cozinha e jurar
irmandade eterna, e no próximo cada um deve ficar em um canto e não
pensar em um grande urso branco. É claro que nenhum deles encontrou o
bastão verde e seu segredo de felicidade porque nenhum deles conseguia
parar de pensar em um grande urso branco em pé no canto.
A grande lei da substituição estava inversamente em ação.
Emmet Fox continua seu discurso dizendo:
Você só pode mudar seu pensamento se interessando por outra coisa,
digamos, ligando o rádio, e depois se esquece da Estátua da Liberdade - ou
do grande urso branco - e isso é um caso de substituição.
Quando pensamentos negativos chegarem até você, não os lute, mas pense
em algo construtivo. De preferência, pense em Deus, mas se isso é difícil no
momento, pense em qualquer ideia positiva ou construtiva, e então o
pensamento negativo irá desaparecer.
Às vezes acontece que pensamentos negativos parecem cercá-lo com tanta
força que você não pode superá-los. Isso é o que é chamado de ataque de
depressão, ou um ataque de preocupação, ou talvez até um ataque de
raiva. Nesse caso, a melhor coisa é ir e encontrar alguém para conversar
sobre qualquer assunto, ou ir a um bom filme ou jogar, ou ler um livro
interessante, dizer um bom romance ou biografia ou livro de viagens. Se
você se sentar para combater a maré negativa, provavelmente conseguirá
amplificá-lo.
Volte sua atenção para algo completamente diferente, recusando-se
firmemente a pensar ou ensaiar a dificuldade, e mais tarde, depois de ter
se afastado completamente, você pode voltar com confiança e lidar com
isso através de tratamento espiritual. "Eu digo a você que você não resiste
ao mal" (Mt 5:39).
A LEI DE RELAXAMENTO

Outra das grandes leis mentais é a Lei do Relaxamento. Em todo esforço de


trabalho mental se derrota. Quanto mais esforço você fizer, menor será o
resultado. Isto, obviamente, é exatamente o oposto do que encontramos no
plano físico, mas não nos surpreenderá porque sabemos que em muitos
casos as leis da mente são o reverso das leis da matéria.
No plano físico, geralmente quanto mais esforço fazemos, maior o
resultado. Quanto mais você pressionar uma broca mais rápido, ela
passará por uma prancha. Quanto mais você trabalha cavando o chão, mais
cedo você tem uma vala. O oposto exato, no entanto, é o caso do
pensamento.
Qualquer tentativa de pressão mental está fadada ao fracasso, porque no
momento em que a tensão começa, a mente pára de trabalhar
criativamente, e apenas segue adiante, seja qual for o padrão de hábito
antigo. Quando você tenta forçar as coisas mentalmente, quando tenta se
apressar mentalmente, simplesmente pára seu poder criativo. Para
permitir que sua mente se torne criativa novamente, você deve desatá-la
ao relaxar conscientemente.
Muitas pessoas criativas descobriram a verdade disso. Alfred Tennyson
era alguém que pensava que sua vida criativa tinha chegado a um fim
abrupto, até que um dia ele saiu para o silêncio da floresta e encontrou "há
sermões em riachos e pedras e tudo". Emmet Fox também achou isso
assim. Houve momentos em que a impressora estava respirando no nosso
pescoço para o ensaio que deveria aparecer no verso do programa do
próximo domingo, e eu mencionaria isso a ele. Ele trataria um momento e
depois diria: "Não, o poço secou". Mas talvez vinte minutos depois, depois
de um período de descanso e tratamento espiritual, o "poço" voltasse a
funcionar esplendidamente.
Em todo trabalho mental, relaxe, seja gentil e sem pressa, pois o esforço se
derrota.
"Na quietude e na confiança será sua força" (Is 30:15).

A LEI DA ACTIVIDADE SUBCONSCIENTE

Assim que a mente subconsciente aceita qualquer idéia, imediatamente


começa a tentar colocá-la em prática. Ele usa todos os seus recursos (e
estes são muito maiores do que se supõe comumente) para esse fim. Ele
usa todo o conhecimento que você já coletou, e a maioria dos quais você
esqueceu totalmente, para trazer o seu propósito. Ele mobiliza os muitos
poderes mentais que você possui e a maioria dos quais você nunca usa
conscientemente. Ele se baseia na energia ilimitada da mente da raça.
Alinha todas as leis da natureza como elas operam dentro e fora de você,
para conseguir o que quer.
Às vezes, consegue seu propósito imediatamente. Às vezes demora um
pouco; às vezes leva muito tempo, dependendo das dificuldades a serem
superadas ou da aspiração envolvida; mas se a coisa não for totalmente
impossível, o subconsciente fará isso - uma vez aceita a idéia.
Esta lei é verdadeira tanto para boas quanto para más idéias. Esta lei,
quando usada negativamente, traz doenças, problemas e falhas; e quando
usado construtivamente, traz cura, liberdade e sucesso. O ensino bíblico
não diz que a harmonia é inevitável, não importa o que façamos - isso é
Pollyanna; ensina que a harmonia é inevitável quando nossos
pensamentos são positivos, construtivos e bondosos.
A partir disso, conclui-se que a única coisa que temos que fazer é fazer com
que o subconsciente aceite a idéia que queremos reproduzir, e as leis da
natureza farão o resto; trará o corpo saudável, as circunstâncias
harmoniosas, a carreira de sucesso. Nós damos as ordens - o
subconsciente faz o trabalho.
Como indicado anteriormente, isso é essencialmente o que o tratamento
espiritual faz. Ele dá um plano para o subconsciente para que ele trabalhe.
Ao fazermos nossas orações e tratamentos diários, o subconsciente aceita
a ideia, ou idéias, e as coloca em manifestação.

A LEI DA PRÁTICA

A prática leva à perfeição. Este provérbio familiar incorpora uma das


grandes leis da natureza humana. Para se tornar proficiente em qualquer
campo, você deve praticar. Simplesmente não há conquistas sem prática, e
quanto mais prática, desde que seja feita de maneira inteligente, maior
será a proficiência e mais cedo ela será alcançada. Isto é verdade no estudo
da música, no estudo de uma língua estrangeira, em aprender a nadar ou
andar de skate ou esquiar ou voar. É verdade em todos os ramos
concebíveis do esforço humano. A prática é o preço da proficiência.
Na vida empresarial e em qualquer tipo de administração ou
administração, a experiência é a forma que a prática assume, e aqui
novamente, é a prática que faz a perfeição. É por isso que, sendo as outras
coisas iguais, uma pessoa mais velha geralmente é selecionada para cargos
responsáveis, e não mais jovens. Na metafísica, os efeitos dessa lei são
particularmente notáveis. O controle do pensamento é inteiramente uma
questão de prática inteligente. E a verdadeira religião pode bem ser
resumida como a Prática da Presença de Deus. Mas note que eu disse
prática inteligente. O forçamento violento não é uma prática inteligente,
nem é uma tarefa monótona.
A prática é o segredo da realização. Podemos parafrasear Danton e dizer
prática! . . . e mais prática !! . . . e ainda mais prática !!!
"Sede praticantes da palavra, e não somente ouvintes" (Tg 1:22).

OS DOIS FATORES

Todo pensamento é composto de dois fatores: conhecimento e sentimento.


Um pensamento consiste em uma parte do conhecimento com uma carga
de sentimento, e é apenas o sentimento que dá poder ao pensamento. Não
importa quão importante ou magnífico seja o conteúdo do conhecimento,
se não houver nenhum sentimento ligado a ele, nada acontecerá. Por outro
lado, não importa quão insignificante ou insignificante seja o conteúdo do
conhecimento, se houver uma grande carga de sentimento, algo
acontecerá.
Esta lei universal é simbolizada na natureza pela ave. Um pássaro tem
duas asas, nem mais nem menos, e ambos devem estar funcionando antes
de poder voar.
Não faz diferença se o conteúdo do conhecimento está correto ou não,
contanto que você acredite estar correto. Lembre-se que é o que realmente
acreditamos que importa. Um relatório sobre algo pode ser bastante falso,
mas, se você acredita, tem o mesmo efeito sobre você, como se fosse
verdade; e esse efeito novamente dependerá da quantidade de sentimento
ligado a ele.
Quando entendemos esta lei, vemos a importância de aceitar apenas a
verdade sobre a vida em todas as fases da nossa experiência.
De fato, é por isso que Jesus disse: "Conhece a verdade e a verdade vos
libertará" (João 8:32). Agora percebemos porque sentimentos negativos
(medo, crítica, etc.) são tão destrutivos, e uma sensação de paz e boa
vontade é um poder de cura.
O QUE VOCÊ PENSA SOBRE CRESCE

O que você pensa em cima cresce. Esta é uma máxima oriental e resume
perfeitamente a maior e mais fundamental de todas as Leis da Mente. O
que você pensa em cima cresce.
O que você pensa em cima cresce. O que quer que você permita ocupar sua
mente, você amplia em sua própria vida. Quer o assunto do seu
pensamento seja bom ou ruim, a lei funciona e a condição cresce. Qualquer
assunto que você mantenha fora de sua mente tende a diminuir em sua
vida, porque o que você não usa atrofia.
Quanto mais você pensar em sua indigestão ou em seu reumatismo, pior
será. Quanto mais você se considera saudável e bem, melhor será o seu
corpo.
Quanto mais você pensar em falta, maus momentos, etc., pior será o seu
negócio; e quanto mais você pensar em prosperidade, abundância e
sucesso, mais dessas coisas você trará para sua vida.
Quanto mais você pensar sobre suas queixas ou as injustiças que você
sofreu, mais essas provações continuarão a receber; e quanto mais você
pensar na boa fortuna que teve, mais a boa sorte virá até você.
Essa é a Lei da Mente básica, fundamental e abrangente, e na verdade todo
ensinamento psicológico e metafísico é pouco mais que um comentário
sobre isso.
O que você pensa em cima cresce.
* Veja Philip. 4: 8.
A LEI DO PERDÃO

É uma lei mental inquebrantável que você tem que perdoar os outros se
você quiser demonstrar sobre suas dificuldades e fazer qualquer
progresso espiritual real.
A importância vital do perdão pode não ser óbvia à primeira vista, mas
você pode ter certeza de que não é por mero acaso que todo grande mestre
espiritual de Jesus Cristo para baixo insistiu tão fortemente sobre ele.
Você deve perdoar ferimentos, não apenas em palavras, ou como uma
questão de forma; mas sinceramente, em seu coração - e esse é o longo e o
curto dele. Você faz isso, não pelo bem da outra pessoa, mas pelo seu
próprio bem. Não fará diferença para ele (a menos que ele atribua valor ao
seu perdão), mas isso fará uma tremenda diferença para você.
Ressentimento, condenação, raiva, desejo de ver alguém castigado são
coisas que apodrecem sua alma, não importa o quão inteligentemente você
possa estar os disfarçando. Tais coisas, porque eles têm um conteúdo
emocional muito mais forte do que qualquer um suspeita, prendem seus
problemas a você com rebites. Eles o prendem a muitos outros problemas
que, na verdade, não têm nada a ver com as próprias queixas originais.
O perdão não significa que você tenha que gostar do delinqüente ou
querer conhecê-lo; mas que você deve desejar-lhe bem. Claro que você não
deve fazer um "tapete de porta" de si mesmo. Você não deve permitir-se
ser imposto ou mal tratado. Você deve lutar suas próprias batalhas e
combatê-las com oração, justiça e boa vontade. Não importa se você pode
esquecer a lesão ou não, embora, se você parar de ensaiar, provavelmente
o fará - mas você deve perdoar.
Agora considere a Oração do Senhor.
* Isto será encontrado como um capítulo no Sermão da Montanha e no
Poder Através do Pensamento Construtivo.

Riqueza

Emmet Fox estava ciente de que, no dar e receber da vida moderna, o


dinheiro é um ingrediente vitalmente necessário. No entanto, ele sempre
disse que uma pessoa que apenas acumula dinheiro tem apenas marcas de
tinta em uma caderneta bancária ou lindas gravuras em um certificado de
ações. Tudo isso faz parte do sistema econômico moderno, mas a
verdadeira riqueza está no que se ganhou na consciência. Um homem ou
mulher pode ter grande riqueza monetária e ser pobre em tudo o mais. É o
amor do dinheiro que é a raiz do mal e, em proporção, o uso do dinheiro é
sua virtude.
Emmet Fox ressalta que enquanto a Bíblia ensina a verdadeira
prosperidade e como obtê-la, em nenhum lugar ela garante que alguém
seja rico. Ele lida com o assunto por meio de uma explicação da
freqüentemente citada declaração de Jesus: "Pois a todo aquele que tem
será dado e terá em abundância; mas ao que não tem será tirado até o que
tem". (Mat. 25:29) Este é o texto que foi distorcido ao ridicularizar os
incrédulos: "Os ricos ficam mais ricos e os pobres ficam mais pobres".
Este ótimo texto tem sido um obstáculo para muitos. Parece injustiça.
Parece crueldade. No entanto, Jesus disse isso e sabemos que ele sempre
estava certo; e que ele ensinou que colhemos como semeamos.
A explicação é perfeitamente simples e lógica quando você tem a chave
metafísica da vida. Sua experiência é o retrato ou expressão (pressão) do
seu estado de espírito ou consciência, a qualquer momento. Quando sua
consciência é alta ou relativamente boa, tudo corre bem. Quando sua
consciência é relativamente baixa ou limitada, tudo dá errado.
O problema vem porque a consciência caiu um pouco. A coisa usual, então,
é enfrentar o problema com medo, raiva, decepção, auto-piedade ou força
de vontade brutal. Isso diminui naturalmente a consciência muito mais, e
as coisas ficam ainda piores - e assim por diante. Daquele que não tem
(muita) harmonia, será tirado até o que ele tem.
Harmonia e alegria entram em sua vida porque seu estado mental é
comparativamente alto. Essa felicidade naturalmente eleva sua
consciência e sua fé em Deus ainda mais, e assim as coisas melhoram ainda
mais. A todos os que tiverem será dado, e terá em abundância.
Aplica-se a todos os departamentos da vida. A verdade é que você pode
fazer qualquer coisa, ter qualquer coisa, ser qualquer coisa, para a qual
você tem a consciência - mas não o contrário.
Para ser saudável, você deve ter uma consciência de saúde. Para ser
próspero, você precisa ter uma consciência de prosperidade. Para ter
sucesso em qualquer campo de atuação, você deve ter a consciência
correspondente. Há uma expressão de gíria que diz que para realizar
qualquer coisa difícil "você precisa ter o que é preciso". Bem, o que "leva" é
a consciência para corresponder a ela.
O falecido Mike Todd tipifica isso. Ele fez e perdeu várias fortunas em sua
vida. Em um desses pontos baixos, um repórter perguntou: "Mike, como
você se sente sendo pobre?"
Mike respondeu: "Eu nunca fui pobre. Estou falido, mas isso é apenas
temporário. A pobreza é um estado de espírito".
Assim, na declaração de Jesus, "àquele que tem [em consciência] deve ser
dado", o que a princípio parecia ser injusto e cruel acaba sendo uma
trombeta de coragem e esperança.
Tendo estabelecido as regras básicas para adquirir abundância. Emmet
Fox chega a alguns casos práticos.
A verdadeira habilidade de vendas consiste em ajudar o "prospecto" a
obter a mercadoria que ele realmente precisa. Este ponto deve ser
enfatizado. Isso significa ajudar a perspectiva. Isso significa serviço. Isso
não significa tirar proveito dele de qualquer forma. Certamente não
significa forçar sobre ele coisas que ele não precisa e não pode pagar. Nem
significa fingir dar-lhe um artigo quando na verdade ele está recebendo
outro e inferior. Tal política não é de todo vendedor. É, em linguagem
simples, roubo.
A verdadeira capacidade de vendas significa descobrir o que seu cliente
realmente precisa e supri-lo; ou se você não puder fornecê-lo,
aconselhando-o a ir para outro lugar. Tal política não significará, como
muitos supõem, a perda de negócios. Pelo contrário, este método - apenas
a aplicação da Regra de Ouro - irá construir o seu negócio mais
rapidamente do que qualquer outra coisa. As pessoas sentem a
honestidade e a sinceridade intuitivamente, e essas coisas geram
confiança. Trabalhando dessa forma, você pode perder uma ordem por
meio de sua honestidade, mas terá meia dúzia em seu lugar - e terá paz de
espírito. Todo vendedor inteligente deve saber que qualquer venda em
particular, ou mesmo qualquer cliente em particular, não importa, que é o
faturamento anual que conta.
Certos cursos de vendedor costumavam dizer: "Coloque seu nome na linha
pontilhada antes de deixá-lo ir". Você deve fazer exatamente o contrário
disso. Se houver alguma dúvida em sua mente ou na sua, diga-lhe para
pensar e voltar mais tarde. Se ele assinar na linha pontilhada, e depois
você tem alguma razão para supor que ele não está totalmente satisfeito,
você deve se oferecer para libertá-lo imediatamente e acabar com o
contrato.
Esta política, a Regra de Ouro, foi ensinada: por Jesus, o professor mais
sábio e prático que já viveu; e é o segredo do sucesso nos negócios. É a
verdadeira chave para a promoção de vendas.
Vendedor! Trate seu cliente exatamente como você gostaria que ele o
tratasse se as posições fossem invertidas. Diga-lhe exatamente o que você
gostaria de saber sobre a mercadoria, se você fosse o comprador; e se você
fizer isso, todo o universo irá cooperar para tornar sua carreira
profissional um sucesso extraordinário.
Outro caso vem à mente. Um homem veio me ver em Londres em grande
aflição. Ele assistiu a algumas palestras que dei e queria conselhos.
Ele era o dono de uma mercearia geral em um vilarejo no sul da Inglaterra,
e até então não havia competição. Agora, uma das grandes cadeias de lojas
estava abrindo uma filial quase oposta a ele na rua principal, e ele estava
em pânico.
Seu pai e seu avô tinham tido o negócio antes dele, e ele passou a vida
naquela única loja, vivendo lá em cima, e não sabia mais nada. Ele disse:
"Como posso competir com eles? Estou arruinado."
Eu disse: "Você estuda a Verdade há vários anos e conhece a Grande Índia.
Sabe de onde vem o seu suprimento. Por que tem medo?"
Ele disse: "Eu preciso fazer alguma coisa".
Eu disse: "Esteja em sua loja todas as manhãs e abençoe-a, alegando que o
Poder Divino opera através dela para obter grande prosperidade e paz
para todos os envolvidos". Ele acenou com a cabeça em concordância.
Eu acrescentei: "Então, saia na calçada, olhe para a rua onde eles estão
arrumando a nova loja, e abençoe isso da mesma maneira."
"O quê? Corta minha própria garganta?" ele quase gritou. "Eu devo ajudá-
los contra mim mesmo?"
Expliquei que o que abençoa alguém abençoa a todos; esse tratamento é
criativo e gera mais negócios - mais prosperidade - e a única coisa que
poderia empobrecê-lo era seu próprio medo. Eu disse a ele que ele estava
realmente odiando seu concorrente (por medo) e que seu ódio poderia
destruí-lo, e que abençoar o "inimigo" era o caminho para se livrar do ódio.
Eu terminei dizendo: "Você não pode cortar sua garganta com a oração;
você só pode melhorar tudo".
Demorou algum tempo para persuadi-lo, mas finalmente ele teve a ideia e
a executou; e quando o conheci vários anos depois, ele me disse que seu
negócio estava melhor do que nunca desde que a cadeia de lojas apareceu;
e que eles pareciam estar se dando bem também. Ele era próspero e tinha
paz.
Isto é o que Jesus quis dizer quando disse: "Ame seus inimigos".
Uma grande parte dos chamados problemas de negócios consiste em
negociar com outras pessoas. Todo o gerenciamento de vendas, como
vimos, é uma negociação entre o vendedor e o comprador. E sucesso de
vendas significa trazer essa negociação a uma conclusão satisfatória para
ambas as partes
Se você está procurando uma posição para si mesmo ou se envolver
alguém para trabalhar para você, o resultado final dependerá da
negociação. Você quer encontrar a pessoa certa para preencher sua vaga
ou deseja ser contratado para uma determinada posição que você acha que
atenderia muito bem às suas necessidades e, em ambos os casos, o
resultado é uma questão de negociação. Disputas e mal-entendidos
surgem frequentemente entre duas empresas ou entre uma empresa e um
cliente, e aqui novamente relações harmoniosas no futuro - o que significa
mais negócios - dependerão de como as atuais negociações serão
conduzidas.
De fato, toda relação na vida dependerá da capacidade de fazer ajustes
pessoais harmoniosos, o que é negociação. Em assuntos como disputas
familiares e pessoais, bem como naquelas coisas mais geralmente
consideradas sob o comando do negócio, o mesmo princípio será
encontrado para aplicar com força ainda maior, se possível.
Agora, o segredo da negociação bem-sucedida pode ser colocado em
poucas palavras. É isto: veja Deus em ambos os lados da mesa. Afirme que
Deus está trabalhando através de você, através de si mesmo e através da
pessoa com quem você está lidando. Não busque pela força de vontade
para seguir seu próprio caminho, mas afirme que a vontade de Deus nessa
questão específica está sendo feita. Lembre-se de que o seu próprio
caminho pode não ser de todo bom para você. A única coisa que você quer
hoje pode acontecer na próxima semana ser um incômodo ou mesmo um
infortúnio. Não tente exagerar no outro homem, persuadi-lo contra sua
vontade ou tirar o menor proveito dele de qualquer maneira. Mas declare
seu caso honestamente com o melhor de sua capacidade; faça apenas o
que você acha que é certo; e saiba que Deus está vivendo e trabalhando em
sua vida. Então, se você não conseguir esse emprego, ou contratar essa
pessoa, você terá uma melhor. Se você não fizer o arranjo que você
procurou hoje, um melhor se apresentará amanhã.
Nunca se permita ficar tenso, tenso ou ansioso. Deus nunca se apressa; Ele
trabalha sem esforço. Ao lidar com outros homens, coloque Deus em
ambos os lados da mesa, e o resultado será um verdadeiro sucesso para
ambas as partes.
E então, como Emmet Fox faz com tantas de suas chaves de ouro, ele leva
você um passo adiante e diz: "Capitalize sua deficiência" - se você acha que
tem uma.
O sucesso consiste em superar as dificuldades. Todos os homens e
mulheres que fizeram sucesso de qualquer tipo conseguiram superar as
dificuldades. Onde não há dificuldades a serem superadas, qualquer um
pode fazer a coisa, e isso não pode ser chamado de sucesso - é rotina.
Houve uma época em que colocar uma linha telegráfica de Nova York a
Boston apresentava muitas dificuldades. Depois houve um tempo em que
era fácil fazer isso, mas colocar o cabo do Atlântico foi uma grande
conquista, devido às dificuldades que precisaram ser superadas. Então
veio rádio, televisão e todas as outras maravilhas eletrônicas. Cada etapa
apresentou novos desafios que foram superados.
Não há problemas pessoais que não possam ser superados por um
tratamento espiritual silencioso e persistente, e pela atividade sábia
apropriada.
Se você tem uma deficiência pessoal que parece impedir você do sucesso,
não a aceite como tal, mas capitalize-a e use-a como instrumento para o
seu sucesso.
H. G. Wells teve que desistir de um trabalho mal pago por causa de
problemas de saúde, então ele ficou em casa e escreveu livros de sucesso e
se tornou um autor conhecido mundialmente. Edison ficou surdo e decidiu
que isso lhe permitiria se concentrar melhor em suas invenções.
Beethoven fez seu trabalho apesar de sua surdez. Theodore Roosevelt era
uma criança doentia e foi-lhe dito que teria de levar uma vida
cuidadosamente reformada. Ele era um menino muito míope e nervoso.
Em vez de aceitar essas sugestões, no entanto, ele trabalhou arduamente
para desenvolver seu corpo e se tornou, como sabemos, um homem forte e
rouco ao ar livre e um grande caçador de animais de caça. Gilbert escreveu
Pinafore em uma cama doente, atormentado por uma dor severa.
A dona de um negócio de roupas da moda em Londres era a esposa de um
funcionário em dificuldades. Ele foi acometido de tuberculose. Ela nunca
tinha estado em negócios e não tinha nenhum tipo de treinamento, e se viu
tendo que sustentar um marido e dois filhos. Ela começou com nada além
de bom gosto em roupas e uma crença na oração, e se tornou uma mulher
rica e bem sucedida. Ela disse: "Eu pensei que gostaria de vender o tipo de
roupa que eu nunca fui capaz de comprar".
O que quer que você pense que sua deficiência é - capitalize. Seu problema
particular sempre parecerá especialmente difícil, mas o tratamento
espiritual e a determinação corajosa podem superar qualquer coisa. Os
problemas são o sinal da estrada para Deus.
O Moron Club
À primeira vista, dificilmente se pensaria que ser um membro do Moron
Club seria uma chave de ouro para uma vida de sucesso, mas com o
inimitável senso de humor de Emmet Fox, isso se torna exatamente isso.
Ele segura o espelho da sátira para que possamos dar uma boa olhada.

SR. ATLAS

É proverbial que os problemas que mais nos preocupam sejam os que


nunca precisamos enfrentar. Inúmeras pessoas foram mortas por
infortúnios que nunca lhes aconteceram. Isso parece absurdo no papel,
mas é tragicamente verdadeiro na vida. De todos os tipos de pessoas tolas,
o Sr. Atlas provavelmente pega a palma da mão. Não satisfeito com seus
próprios muitos problemas (e o Sr. Atlas certamente terá muitos deles),
ele também deve preocupar-se com o problema de todos os outros. Os
gregos imaginaram-no carregando o mundo inteiro sobre seus próprios
ombros, curvando-se sob o peso intolerável, e este é um símbolo
esplêndido do que muitas pessoas estão fazendo hoje.
Cuide do seu próprio negócio, Sr. Atlas. Enxugue sua própria linha,
esfregue sua própria porta e isso lhe dará o bastante para fazer - se você
fizer isso corretamente. Não tente carregar os fardos do mundo inteiro. Tal
política destruirá você e não ajudará o mundo.
Deixe algo para Deus. Afinal, é Ele quem é responsável pelo mundo e não
por você. Já lhe ocorreu que se você nunca tivesse nascido, o mundo teria
que se dar bem de alguma forma, e que Deus provavelmente cuidaria de
tudo muito bem?
Preocupar-se com as condições que você não pode mudar é insensatez
gratuita.
Conseguir e manter a sua própria paz de espírito, cumprir bem os seus
próprios deveres e ver a Presença de Deus em todos os homens e coisas é
o caminho mais seguro tanto para ajudar o mundo como para tornar a sua
própria vida divinamente bem sucedida também. .
Largue esse globo, o Sr. Atlas, endireite-se e olhe para o céu.

SRA. CONSERTÁ-LO

Ela é provavelmente o membro mais energético do clube e está bem na


disputa pela presidência. Todos a conhecem e poucos conseguiram
escapar das atenções dela. Ela é incansável, inescapável, insubstituível.
Nada a desencoraja; para meras dicas, ela é impermeável - ela quer dizer
muito bem. Ela não interfere no sangue frio, é simplesmente um instinto
com ela - ela deve tentar consertar isso. Ela tem interferido desde o
momento de seu nascimento, tentando acertar tudo e, desnecessário dizer,
geralmente piorando as coisas, fazendo mais mal do que bem a longo
prazo.
Ela tem uma paixão por colocar a casa do outro companheiro em ordem.
Em um sentido muito literal, eu a conheci quando ela era uma convidada
em uma casa, na verdade, para reorganizar a mobília e as fotos, dizendo a
anfitriã onde ela estava errada.
Claro, ela gerencia toda a sua família. Seus irmãos e irmãs, primos e tias
devem seguir a linha - sua linha. Ela prescreve sua dieta, diz a eles quando
podem comprar um carro e qual modelo comprar; ou põe o pé no chão e
diz que, no momento, devem andar. A educação de seus filhos é uma
preocupação constante com ela, e ela muitas vezes tenta censurar suas
amizades também. Deus ajude seus pais, pois, como regra, nenhum poder
humano pode salvá-los. Seus colegas, se ela está no negócio, e seus
associados em outros lugares, temem sua abordagem, e fogem se ainda
houver tempo.
Sra. Fix-it tem seus pontos positivos, é claro. Ela é capaz de ser tão
generosa com seu dinheiro quanto com seu conselho. Ela é quase sempre
desinteressada, não querendo nada para si mesma, sinceramente desejosa
apenas de ajudar os outros. Seu erro básico é o amor errado, como o amor
é tão apto quando não é equilibrado pela inteligência. Dê a Mrs. Fix-it o
pensamento correto, mas, pelo amor de Deus, fique a uma distância segura
dela.

ALICE DOCE (BEN BOLT)

Ela não é mais um membro real, mas há uma bela placa em sua memória
no saguão do clube. Acredita-se que sua morte prematura roubou o clube
de um de seus recrutas mais promissores. Você se lembra de sua
peculiaridade, é claro. Ela estava com medo de todos:

Ela chorou de alegria quando você lhe deu um sorriso E tremeu de medo
em sua carranca.
Nada importava para ela, exceto a opinião de outras pessoas. Não o que ela
era, mas o que outras pessoas pensavam sobre ela, era o importante.
A ciência médica moderna teria chamado isso de neurastenia aguda, e
prescrito dieta especial, exercício ao ar livre, etc .; mas nossos avós eram
meramente sentimentais sobre isso. Depois disso, não ficamos surpresos
ao ouvir que
Ela está debaixo de uma pedra.
Nada mais poderia ser esperado. Nem ajuda um pouco que a pedra esteja
em um antigo pátio da igreja no vale. embora isso fosse evidentemente
considerado importante.
O fato de que um belo ar está ligado apenas a esses versos tolos mostra
como um falso sentimento tentará se esconder atrás algo bom.
Não seja escravo da opinião de outras pessoas. Faça o que você sabe que é
certo e cuide da censura de ninguém. Sirva a Deus e não tenha medo de
ninguém. Não importa, no mínimo, se você agrada outras pessoas; importa
que você seja fiel a Deus e à sua própria alma. De fato, aqueles que estão
sempre tentando agradar a todos, raramente conseguem agradar a
ninguém. Eles rasgam suas naturezas emocionais em pedaços em vez de
construir serenidade e equilíbrio.
Com Deus do seu lado você pode olhar sem medo o mundo na cara.

SEE-VIW SIMPSON

Em um romance popular da última geração, havia um menino que seus


camaradas apelidaram de See-Saw Simpson, porque ele estava
constantemente mudando de ideia. Ele é agora um homem de meia-idade e
tem sido um membro proeminente do clube por muitos anos, na verdade,
ele é o segundo vice-presidente.
O irmão Simpson nunca conhece sua mente por vinte e quatro horas de
cada vez. Ele geralmente é da opinião da última pessoa que falou com ele,
mas não raramente ele muda de novo assim que está sozinho mais uma
vez. Sua mentalidade derivante simplesmente não pode cristalizar em
qualquer direção. Nas palavras da Bíblia, ele é amaldiçoado com a
maldição de Rúben - instável de água, você não se sobressairá. Ele é
sincero, bem-humorado e bem-intencionado, mas seu caráter é tão fraco
que ele não consegue adotar uma atitude definida em nenhum ponto e se
apegar a ele. Ele não tem princípios definidos. Ele não sabe onde ele está
sobre qualquer assunto, nem ninguém mais.
A conseqüência natural de tudo isso, é claro, é que nos negócios ele tem
sido um fracasso derivado e que, em todas as relações sociais, é certo que
ele será negligenciado. Ninguém confia no irmão Simpson porque ninguém
sabe o que fará em seguida. É impossível fazer acordos satisfatórios com
ele sobre qualquer coisa, porque da próxima vez que você o vir, ele terá
mudado de ideia e te decepcionado. E muito provavelmente ele logo
mudará de volta.
Se decidir. Faça uma coisa ou outra, mas em nome do Céu, não veja por
tempo indefinido. Se você der um passo decisivo, você pode estar errado;
mas você vê-viu, você está certo de estar errado.
Se a indecisão for sua falha, pratique tomar decisões precipitadas da
seguinte maneira: Quando a ocasião surgir, diga que o Cristo está me
guiando; e então faça uma coisa ou outra rapidamente. Então, escolha a
sua escolha, apesar de qualquer dúvida que você possa ter ao contrário. Se
você realmente acredita no que disse, que o Cristo está guiando você, sua
decisão deve ser a correta. Mantenha essa prática por algumas semanas e,
enquanto cometer erros no começo, você rapidamente se verá tomando
decisões rápidas e quase sem esforço, que se tornam corretas, e isso se
tornará um hábito.

WILKFISH DE WILBUR

Ele é facilmente o membro mais popular do clube. Todo mundo gosta dele.
Ele é tão gentil. De fato, sua gentileza é um sinônimo entre seus amigos, e a
maioria deles diz que ele é o homem mais legal que eles já conheceram, um
esporte muito bom com um coração tão grande quanto seu corpo.
Ele é, de fato, muito gentil com quase todos - e nesse "quase" está a
tragédia, pois dá o outro lado da história.
Wilbur Weakfish é sempre popular entre os estranhos porque ele não
pode dizer não a eles. São apenas aqueles que estão mais próximos dele
que já ouviram essa palavra. Ele é tão cheio de filantropia que não há
espaço para a palavra dever. Ele dá dinheiro a estranhos porque não pode
dizer não, embora sua esposa precise de um casaco de inverno. Ele
apresenta o clube com um novo conjunto de estantes para a biblioteca,
para o qual recebe um discurso iluminado de agradecimento do
presidente, entregue a ele em uma reunião completa - mas o proprietário
não recebe seu aluguel por alguns meses e a família é humilhada e
ameaçada de espoliação.
Ele gosta de ver seu nome no alto de todas as listas de assinaturas, mas
uma grande quantia de dinheiro que ele emprestou de seu irmão há quase
dez anos nunca foi paga; e quando seu filho mais velho estava pronto para
entrar na faculdade não havia dinheiro para ele, e ele precisava encontrar
um emprego.
Porquê ele fez isso? As pessoas dizem que é porque ele é bondoso. Nada do
tipo. É porque ele é egoísta e fraco. Ele gosta de ser agradecido
efusivamente, para jogar o Senhor Abundante; e não se consegue isso para
cumprir o dever. Ele não pode dizer não porque não quer. Ele prefere se
divertir às custas de alguém.

CALAMITY JANE

Ela é a atendente mais regular nas reuniões do Clube, mas mesmo lá ela
não pode ser considerada popular, e em qualquer outro lugar ela não
gosta. Ela é quase um membro hereditário porque seu tio, Daniel
Desumano, foi um dos fundadores do Clube, embora ele tenha dito na
época que não achava que poderia ter sucesso. Ele subestimou a possível
adesão.
Calamidade Jane é uma pessimista crônica. Ela vê o lado escuro de tudo
imediatamente e nada mais. Ela sempre antecipa o pior. Quando algo novo
é iniciado, ela diz que não pode ter sucesso, ou que agora é tarde demais. E
quando as coisas estão indo bem, ela balança a cabeça pesarosamente e diz
que elas são boas demais para durar. Seu papel na vida parece ser
desencorajar, até onde ela pode, todos que ela encontra; e ela geralmente é
bem sucedida nisso. Ela é uma manta molhada nascida; a alegria não pode
viver em sua presença. Não importa o quanto as pessoas sejam
entusiastas, a chegada de Jane reduz a temperatura para zero.
Segundo Jane, o país é atingido em pedaços e não pode se recuperar. O
estado em que vive não tem futuro porque o clima é ruim e o solo está
exausto; e sua cidade, ela diz, está condenada, porque está mal situada de
qualquer maneira, e aqueles que a governam são um bando de vigaristas.
É claro que a própria vida está cheia de dificuldades constantes. Sua saúde
é fraca. Ela resmunga incessantemente sobre todo seu trato digestivo, que
é naturalmente ruim, e causa seu tormento diário; e ela diz que não há
esperança para isso, porque corre na família e que seu tio Daniel teve o
mesmo problema. Seus negócios financeiros e de negócios estão tão
envolvidos que fazem de sua vida uma miséria constante. Ela nunca sabe
de onde vem o aluguel do próximo mês, e às vezes isso se aplica também
ao aluguel do mês passado. É claro que ela não pode mais ter prosperidade
do que ter saúde, com o modelo mental que construiu para si mesma. Mas
ela parece incapaz de perceber isso e continua destruindo sua própria
saúde, felicidade e prosperidade dia após dia. Ela é o único inimigo que ela
tem no mundo.
Quando Emmet Fox escreveu pela primeira vez sobre esses membros do
Moron Club, ele repreendeu o leitor a dar um segundo pensamento a cada
um deles, acrescentando um pós-escrito a cada membro: "Calamity Jane
(etc.) lembra você de alguém cujo nome você costuma assinar? "
Devo salientar que quando Emmet Fox disse coisas como essas da
plataforma, ele costumava acrescentar: "Agora, eu não estou falando com
você; estou falando com a pessoa ao seu lado!" E todo mundo riria! Então
ele dizia: "Agora, é melhor. Acho que todo mundo estava ficando um pouco
tenso". Ele então continuaria, com o público em um estado aberto e
receptivo.
A razão pela qual ele às vezes escolheu essa abordagem "negativa" para
ensinar a Verdade foi que ele percebeu que o negativo geralmente tem um
impacto muito maior do que o positivo. Por exemplo, a reportagem de
jornal, como ele sempre mencionou, é amplamente baseada na abordagem
negativa.
É notícia quando há rumores de que uma princesa ou uma estrela de
cinema está se divorciando. Os leitores estão ansiosos para saber mais.
Mas relata que alguém está casado há vinte e três anos e a resposta é "e
daí".
Jesus usou a abordagem "negativa" pelo menos uma vez para transmitir a
mensagem do poder do pensamento. Ele e seus discípulos estavam
andando pela estrada poeirenta em direção à cidade, e a Bíblia observa
que eles estavam com fome (Mt 21:18). Vindo sobre uma figueira sem
figos, Jesus falou para a árvore: "Que nenhum fruto cresça sobre ti daqui
em diante para sempre." E logo a figueira secou. Foi uma demonstração
dramática do poder do pensamento usado negativamente.
Jesus poderia facilmente ter produzido figos na árvore, o que teria sido seu
procedimento normal. Nesse caso, os discípulos teriam comido o suficiente
e dito: "Oh, deixe isso para o Mestre; ele sempre demonstra" - e seguiram
em frente. Mas, para irem com fome e ter o prêmio arrebatado de suas
bocas, encerre uma lição que eles não esquecerão tão cedo. Eles
provavelmente ponderaram por muito tempo essa demonstração
"negativa" e finalmente perceberam, pelo menos até certo ponto, o
tremendo potencial residente em cada um deles, tanto para o bem quanto
para o mal.
Por que não dar outra olhada no Moron Club? Talvez um dos membros
tenha algo para sugerir a você que seria sua chave de ouro.
Reencarnação e vida após a morte

Nestas chaves douradas do conhecimento, Emmet Fox acrescentou


consideravelmente à compreensão da vida. E muitas vezes me
perguntaram como ele adquiriu tanto conhecimento. Bem, eu acho que o
discurso dele sobre Reencarnação dá pelo menos parte da resposta, e eu
adicionaria a isso - pura inspiração. Inspiração dá a quem procura em
qualquer campo particular ao qual ele dá sua atenção, conhecimento e
informação que ninguém mais tem. Por exemplo, veja o trabalho de um
grande compositor. De onde vêm seus temas e melodias originais? Existe
apenas uma fonte: Mente Divina. Assim foi com Emmet Fox. A maior parte
de sua vida foi dedicada à busca de facetas da Verdade, e isso só poderia
culminar em desvendar para a humanidade alguns desses mistérios.
A reencarnação não é ensinada na Bíblia, mas é referida obliquamente. Por
exemplo, quando Jesus perguntou a seus discípulos: "Quem dizem os
homens que eu sou o Filho do homem?" Eles responderam: "Alguns dizem
que tu és João Batista: alguns, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos
profetas". E então Jesus disse-lhes: "Mas quem dizeis que eu sou?" E Pedro
num lampejo de pura inspiração, compreendendo a natureza mística da
Reencarnação, respondeu: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo". E Jesus,
respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to
não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus, isto é,
revelação ou inspiração divina. Isso é verdade para cada um de nós. Em
essência, cada um reencarna como o filho do Deus vivo. (Veja Mateus 16:
13-17)
Agora, Jesus poderia ter sido muito explícito sobre a Reencarnação porque
sabia que respondia perguntas sobre a vida que, de outra maneira, seriam
irrespondíveis, mas ele estava, sem dúvida, muito familiarizado com os
ensinamentos orientais sobre a Reencarnação com seu adiamento da
solução de problemas; com sua atitude fácil: "Por que me preocupar com
isso agora? Eu posso resolver isso na próxima encarnação".
Jesus teve uma visão totalmente diferente. Sua idéia era "Agora é o dia da
salvação; agora é o tempo aceito". E de fato esta é a única maneira que o
progresso pode ser feito no mundo.
Emmet Fox tem muito a dizer sobre Reencarnação. Ele começa fazendo
algumas perguntas:
Alguma vez você já se perguntou por que deveria haver tal diferença entre
um lote humano e outro? Você já se perguntou por que algumas pessoas
parecem ser tão felizes e afortunadas em suas vidas, enquanto outras
parecem sofrer tanto sofrimento imerecido? Por que isso deveria ser, se de
fato Deus é Amor, e se Deus é justo, e se Deus é todo poderoso?
Bem, a resposta é que esta vida que você está vivendo hoje não é a única
vida; e que não pode ser entendido quando julgado por si mesmo. A
resposta é que você já viveu antes, não uma vez, mas muitas, muitas vezes,
e que no curso dessas muitas vidas você pensou e disse e fez todo tipo de
coisas, boas e más, e que as circunstâncias em que você Nasceram são
apenas o resultado natural do modo como você viveu e se comportou em
suas vidas anteriores. Vocês estão colhendo hoje, para o bem ou para o
mal, os resultados das sementes que você semeou durante essas muitas
vidas anteriores. E nas eras futuras, daqui a séculos muito provavelmente,
você retornará a este planeta terrestre e nascerá de novo como um bebê
em alguma família; e crescer, e provavelmente casar e viver outra vida. E
as condições sob as quais você começa essa vida serão o resultado das
vidas que você já viveu; mas mais particularmente eles serão o resultado
da vida que você está vivendo no tempo presente. Essa é, resumidamente,
a história da vida do homem. O que é habitualmente chamado de vida é, na
verdade, apenas um dia comparativamente breve em uma vida longa e
longa.
Você não apenas voltará, mas provavelmente encontrará alguns dos seus
associados atuais, especialmente se houver um vínculo emocional de amor
ou ódio entre vocês. O amor cuidará de si mesmo; mas você deve tirar todo
o ódio do seu coração, se você não quiser renovar contatos desagradáveis.
*
* Ver "O Pai Nosso" em Power Through Constructive Thinking, ou em o
Sermão da Montanha.
Da mesma forma, alguns de seus associados atuais são, com certeza,
pessoas com as quais você lidou em vidas ou vidas anteriores. Seu filho
hoje pode ter sido seu pai, ou apenas um conhecido em tempos passados, e
um amigo próximo hoje em dia pode ter sido em outras ocasiões um
parente ou marido ou esposa. A tendência geral é que as pessoas que
vivem e se movem nos mesmos grupos reencarnem na mesma época,
embora, é claro, sempre haja exceções.
A propósito do que Emmet Fox diz aqui, dois casos vêm à mente. Uma é de
uma senhora adorável cuidando muito bem de um marido semi-inválido, e
muito apaixonada por ele, que me disse que tinha certeza de que o havia
matado em uma vida anterior, e a situação atual era um Karma natural.
Outro caso é o de uma jovem recém-casada, que disse ter sentido que ela
havia sido a mãe do marido em uma vida anterior. E quando lhe perguntei
por que, ela disse que não sabia, mas que simplesmente sentia
profundamente que era esse o caso.
Independentemente de qualquer questão de reencarnação, deve ser
lembrado que esta vida terrena pode ser um processo muito interessante e
alegre em si mesmo, pois este é um mundo maravilhoso (dos quais até
agora o homem só sabe cerca de cinco por cento) e sua estada aqui pode
ser uma série de aventuras maravilhosas e alegres, se você aprender as
leis da vida e aplicá-las. O progresso é feito superando as dificuldades
práticas de nossas vidas diárias, não fugindo delas. Jesus, sabendo disso,
disse que não oraria para que seus seguidores fossem retirados do mundo,
mas que eles permanecessem no mundo e se desenvolvessem
naturalmente ali. E, na verdade, é exatamente isso que o mundo é.
Por que a reencarnação é necessária? Por que a vida tem que se
desenvolver dessa maneira particular? A razão é esta: estamos aqui para
nos desenvolver espiritualmente. Estamos aqui para adquirir plena
compreensão e controle sobre nossa mentalidade; e isso não pode ser feito
em uma vida. A explicação está na preguiça mental e na inércia do homem;
em sua relutância em mudar radicalmente: adotar novas idéias e adaptar-
se às mudanças de condições. Existem outras razões pelas quais a
reencarnação do ego muitas vezes é necessária.
A natureza quer que você tenha todos os tipos de experiência para
desenvolver todos os aspectos do seu caráter. * É por isso que a
Reencarnação é necessária. Você vai ver agora o que é um processo
simples e natural. A ideia parece estranha e surpreendente a princípio, só
porque nós, no Ocidente, não temos consciência disso. Mas no Oriente é
um fato tão familiar quanto o nascer e o pôr do sol, e é provável que a
maioria da humanidade sempre tenha acreditado na reencarnação.
* Veja o capítulo "As estrelas em seus cursos".
Por que você não se lembra de suas vidas anteriores? Bem, você não se
lembra dos primeiros dias desta vida. Por várias razões, a Natureza atraiu
um véu de esquecimento sobre nossos inícios neste plano e, por excelentes
razões, esconde a memória de vidas passadas até que sejamos
suficientemente desenvolvidos para estarmos preparados para nos
lembrar deles. Não seria bom que a maioria das pessoas pudesse lembrar-
se de suas vidas anteriores, porque no momento eles simplesmente não
agüentavam.
Enquanto isso, algumas pessoas têm um vislumbre ocasional de suas
encarnações passadas de uma maneira ou de outra, e, se tratadas de
maneira sábia, tais vislumbres podem ser extremamente úteis. E há
aqueles que conseguem mais do que um vislumbre. De fato, toda a história
de todas as suas vidas passadas é armazenada nos níveis mais profundos
de seu subconsciente, e assim é que sua mentalidade hoje – e
consequentemente seu destino - é o resultado lógico de todas as vidas que
você tem vivido até o presente.
Nossas ações ainda viajam conosco de longe, E o que nós fomos, nos faz o
que somos.
Devemos considerar a questão de como o bebê nasce na família particular
em que nasceu; como você, por exemplo, nasceu na família particular em
que nasceu. Deixe-me começar dizendo que a Stork nunca comete um erro.
Cada um de nós nasce nas condições que se ajustam exatamente à sua
alma no momento da encarnação. Ele naturalmente gravita para o local
exato que lhe pertence.
Agora estamos prontos para entender a afirmação surpreendente de que
não existe hereditariedade. Esta afirmação surpreenderá muitos, mas é
verdade. Ninguém nunca "herda" nada de seus pais ou de seus ancestrais.
Ele já tinha certas tendências mentais para guiá-lo a uma família onde
tendências semelhantes existiam - isso é tudo. Não se "herda" a artrite ou
os rins fracos do pai ou da avó; ele se junta a uma família desse tipo
porque ele já tem essas condições potencialmente. O gosto atrai como em
todo o universo, ou, como dizemos mais pitorescamente, pássaros de uma
pena voam juntos.
A reencarnação explica imediatamente as diferenças de talentos que
encontramos entre um homem e outro, assim como explica todas as outras
diferenças. Por que um homem tem uma aptidão especial para a música,
outro para a engenharia, e ainda um terceiro para a agricultura, enquanto
muitos parecem não ter nenhuma aptidão particular? Diferenças em
talentos, como diferenças de oportunidades, são o resultado de nossas
atividades em outras vidas. O músico nascido é um homem que estudou
música em uma vida prévia, talvez em várias vidas, e, portanto, construiu
essa faculdade em sua alma. Ele é um músico talentoso hoje porque está
colhendo o que plantou ontem. De maneira semelhante, os prodígios
infantis são sempre almas que adquiriram sua proficiência em uma vida
anterior.
Uma compreensão da Reencarnação resolve a maioria dos enigmas da vida
e muda completamente a perspectiva da coisa toda. É o remédio soberano
para a depressão, o desânimo e o arrependimento. É o evangelho da
liberdade e da esperança. Faz-nos perceber que não há erro que não pode
ser reparado, que nunca é tarde demais, e que nada de bom está fora do
alcance da inteligência, do trabalho e da oração. Mostra-nos a todos um
futuro em que não há limite para as coisas gloriosas que podemos ser e
fazer.
Ao pensar sobre a verdade da Reencarnação e gradualmente assimilá-la -
pois uma compreensão adequada do que essa grande verdade realmente
significa não deve ser obtida em um dia ou dois - você ficará espantado
com o número de problemas insolúveis que elimina. . Os principais
problemas da vida são lógica e satisfatoriamente explicados pela
Reencarnação, e todos os tipos de pequenas dificuldades que o intrigaram
de tempos em tempos também se encaixam facilmente quando o grande
esquema das coisas é compreendido.
Eu acho que o leitor verá que incluído na Reencarnação é a Lei de Causa e
Efeito. Jesus estava muito ciente disso, pois ele diz que você não colhe uvas
de espinhos ou figos de cardos; e ele também disse: "pelos seus frutos os
conhecereis". Assim é com nossos pensamentos, palavras e ações. Quando
semeamos, colhemos. Quando semeamos bem, colhemos bem e, quando
semeamos o mal, colhemos problemas e sofrimentos. Esta é a grande Lei
de Causa e Efeito, mas é incrível que as pessoas pareçam entendê-la tão
pouco quanto elas.
* Leia Matt. 7: 15-20; Lucas 6: 43-45.
No Oriente esta Lei de Causa e Efeito é conhecida como Karma e o termo é
conveniente, mas seja como for que a chamemos, a lei da natureza ainda
permanece, que quando semearmos colheremos se a semeadura foi feita
em uma vida anterior ou esta. No entanto, não importa quais erros você
tenha cometido no passado ou que oportunidades você tenha
desperdiçado, você pode ultrapassá-los todos agora; pois o seu futuro se
estende ao infinito e nunca é tarde demais para Deus. Cesse a conduta
errada, faça qualquer reparação, se houver alguma, seja possível, faça a
sua paz com Deus, e depois vire as costas para o passado e nunca mais
pense sobre isso. Lembre-se que abrigar arrependimentos inúteis é
remorso em vez de arrependimento, e remorso é pecado.
Note com muito cuidado que o karma não é castigo. Você sofre porque tem
uma lição a aprender, mas quando a lição é aprendida, as conseqüências
ruins cessam, pois a natureza nunca é vingativa. É lamentável que algumas
pessoas falem muito sobre "Karma ruim". Vocês viram agora que nenhum
Karma é mau de todo e, além disso, essas pessoas estão residindo
exclusivamente no sofrimento que segue a conduta errada. É exatamente a
Lei do Karma que toda coisa boa, gentil e sábia que você tenha dito ou feito
lhe trouxe frutos de sua própria espécie e continuará a fazê-lo.
Especialmente cada momento em sua vida que você passou em oração ou
meditação continuará a abençoar e enriquecer até o fim dos tempos. Aqui
eu quero deixar claro que eu posso, possivelmente, que não há nada de
fatalista na Lei do Karma.
Você tem livre arbítrio - não onipotência -, mas sempre uma escolha
dentro de limites razoáveis - e sempre pode escolher o maior ou o menor.
A Lei do Karma ensina que, fazendo o melhor uso de quaisquer talentos ou
vantagens que tenhamos, mesmo sendo pequenos, ganharemos talentos e
oportunidades ainda maiores. Jesus ensina isso em Mateus 25: 15-30. Por
outro lado, se negligenciarmos fazer o melhor uso de nossos talentos e
oportunidades, perderemos até o que temos. Como a Bíblia diz, Deus deu a
ele aquele talento, essa oportunidade, e ele "enterra num guardanapo".
A maioria dos problemas em nossas vidas não é causada pelo Karma, mas
pela falta de sabedoria no presente. As condições em que você começou
sua vida foram cármicas, mas sua experiência cotidiana é feita por você
mesmo enquanto você prossegue. É uma falha comum que as pessoas se
comportem de forma imprudente e, em seguida, se queixem de suas
dificuldades e joguem a culpa no Karma.
Eu conhecia um aluno desse assunto que falava constantemente dessa
maneira. Ele era o proprietário de um pequeno negócio que estava
constantemente falhando, e ele estava cercado de dívidas e outros
embaraços. Ele estava cheio de auto-piedade e aumentava suas
preocupações, e dizia que terrível pecador ele deve ter sido em sua vida
passada para ser "punido" dessa maneira. Agora, o fato era que, como
alguns de seus amigos bem sabiam, ele não tinha ideia de administrar um
negócio adequadamente. Sua loja parecia negligenciada, e a qualidade de
seus produtos era inferior àquela obtida em outro lugar pelo mesmo
preço. Ele estava constantemente fora de estoque das coisas mais comuns
que os clientes pediam, e ele estava continuamente pedindo dinheiro a
juros altos para ultrapassar outras dívidas. Obviamente, tudo isso não
tinha nada a ver com o Karma. Seu Karma, até onde foi, foi bom, porque lhe
dera um negócio próprio em que muitos homens teriam feito um grande
sucesso. Seu problema era um mau julgamento e, até certo ponto,
preguiça. Dois ou três de seus amigos que perceberam esses fatos e se
cansaram de suas queixas uma vez fizeram um esforço para trazer a
verdade para casa para ele para seu próprio bem, mas seus esforços não
foram bem recebidos, e ele não podia ou não queria encare a verdade.
Finalmente, e talvez este seja o ponto mais importante de todos, você não
tem que aceitar qualquer conjunto de condições ou qualquer tipo de
Karma, você se elevará acima disso na consciência. Qualquer dificuldade,
qualquer dilema, pode ser superada pela oração sincera. Uma dada
dificuldade só pode confrontar você em seu próprio nível. Suba acima
desse nível através da oração e da meditação e a dificuldade se dissolverá.
Você não tem, como muitas pessoas pensam, ter que sentar e comer sua
Karrna com a maior graça possível, se você puder superar essa situação na
consciência. Em seu próprio nível, você tem que aceitá-lo - você não pode
transmutá-lo lá. Mas suba acima de qualquer provação na consciência e
você estará livre dela - pois o Cristo é o Senhor do Karma. *
* Veja O Sermão da Montanha, cap. 6
Nosso nascimento é apenas um sono e um esquecimento
A Alma que surge com a gente, ou a Estrela da Vida,
Havia em outro lugar o seu cenário,
E vem de longe;
Não em esquecimento total
E não em total nudez,
Mas atrás de nuvens de glória nós viemos
De Deus, quem é nosso lar.
-Wordsworth-

Agora, tendo nos estabelecido nesta vida, e a próxima vida. Emmet Fox
respondeu a muitas perguntas sobre isso também. Ele diz:
Não há absolutamente nenhuma razão para temer a morte. O mesmo Deus
está do outro lado da sepultura, deste lado, e a Bíblia nos diz que Deus é
Amor, e sabemos que Ele também é Inteligência sem limites e Poder
Infinito. É verdade que a maioria das pessoas tem medo da morte mais ou
menos, mas esse medo é em parte o medo normal do desconhecido que
pode afetar a todos nós - o medo, por assim dizer, de dar um salto no
escuro - e em parte é o resultado do falso ensino sobre o assunto que a
maioria das pessoas adquire na juventude.
A verdade real é que não há morte. Quando uma pessoa parece morrer,
tudo o que acontece é que ele deixa seu corpo aqui e vai para o próximo
plano, caso contrário, inalterado. Ele adormece aqui para acordar do outro
lado, menos seu corpo físico (que provavelmente estava mais ou menos
danificado), mas enriquecido com o conhecimento de que ele não morreu
realmente.
Essa é a história do que chamamos de "morte" e, na maioria dos casos, é
mais fácil do que nascer.
Para entender claramente como esse processo acontece, você tem que
perceber que você realmente não possui um corpo, mas dois. Pode ser
surpreendente para você saber que aqui, no momento presente, você tem
não apenas o corpo físico que você conhece - a coisa que você vê quando
olha para o vidro - mas um segundo corpo - o corpo etérico. É a mesma
forma que o seu corpo físico, mas é um pouco maior e interpenetra o corpo
físico quando o ar enche uma esponja. Existem algumas pessoas que
podem ver o corpo etérico quando se concentram para esse propósito,
porque elas têm o poder de entrar em contato com vibrações muito mais
sutis do que podem ser percebidas pelos sentidos físicos comuns.
Todo o tempo que você está acordado, seus dois corpos permanecem
juntos interpenetrando um ao outro, mas quando você adormece, a maior
parte do seu etérico escapa do físico; e, na realidade, a fuga do etérico é o
que constitui o sono. O mesmo tipo de coisa acontece quando você fica
inconsciente, seja por tomar um anestésico ou por um golpe na cabeça, ou
por cair no que é chamado de transe, ou em alguma forma de coma. Todas
essas condições diferem um pouco umas das outras, mas todas elas têm
isso em comum, que mais ou menos do etérico desliza para fora do corpo
físico levando consigo consciência.
É esse corpo etérico que é o repositório de todos os seus pensamentos e
sentimentos. Inclui o que muitas vezes são chamados de mentes
conscientes e subconscientes. É a "psique" do psicólogo, e é de fato sua
personalidade humana. É por isso que a personalidade sobrevive à morte,
porque reside no etérico que passa intacto, e não no físico, que se
decompõe em decomposição quando é deixado em paz.
Eu disse que seu etérico é a sede de todos os sentimentos, e isso é verdade.
Pode surpreendê-lo ao ouvir que não há sensação no corpo físico, mas esse
é o caso. Quando você pensa que tem uma dor em seu corpo físico, essa
dor está realmente na contrapartida etérica, e é por isso que a anestesia é
possível. Quando você faz uma anestesia geral, o etérico é expulso e,
portanto, você não experimenta sensações corporais. As pessoas que se
submetem a uma grande operação sob anestesia algumas vezes
permaneceram perfeitamente conscientes, mas fora do corpo, e
observaram o cirurgião no trabalho com interesse e atenção. Quando você
toma um anestésico local como Novocain, a parte local do etérico é expulsa
e você não sente nada; mas à medida que o efeito da Novocain desaparece,
essa parte do etérico retorna e, como sabem os que estiveram nas mãos do
dentista, a dor retorna gradualmente.
Em todos esses casos, quando o corpo etérico deixa o corpo físico, ele
permanece ligado a ele por um ligamento etérico muito parecido com o de
um menino flutuando no final da corda que ele segura na mão. Essa
conexão etérica é chamada na Bíblia de Cordão de Prata. É de cor cinza-
azulada e é tão elástica que o corpo etérico pode percorrer distâncias
muito longas e ainda permanecer ligado ao corpo físico. No sono, de longe,
a maior parte do etérico se esvai. A diferença entre o sono normal, a
anestesia e os diferentes tipos de transe é uma questão de quanto do
etérico sai naquele momento específico. Assim, seu etérico escapa toda vez
que você vai dormir e retorna quando você acorda de novo - isto é, desde
que o Cordão de Prata permaneça intacto.
* Num. 24: 1; Atos 10: 10.11: 5. 22:17
A morte é a quebra do cordão de prata. Enquanto isso permanecer intacto,
você estará vivo, esteja você consciente ou não; mas uma vez quebrado,
você está morto. Você está definitivamente isolado do seu corpo físico e
sua vida neste plano acabou.
O que exatamente acontece com uma pessoa quando ele morre - quando o
cordão de prata é cortado? O que ele pensa? O que ele sente? Bem, via de
regra, ele cai imediatamente em um estado de inconsciência total que pode
durar dias ou mesmo semanas. Durante esse tempo, o etérico (que é ele
mesmo) passa para o próximo plano, e ele está no outro mundo. Aqui no
devido tempo ele acorda muito quando acordamos do sono neste avião, e
sua nova vida já começou.
É um fato interessante que, no instante que antecede a morte, toda a vida
passada se desdobra diante da mente exatamente como um rolo de
imagens em movimento passando. A velocidade real é tão grande que tudo
acontece em uma fração de segundo. No entanto, a mente vê todos os
detalhes com clareza. É possível chegar tão perto da morte que, sem
realmente morrer, ainda é possível voltar e continuar a viver depois disso,
mas geralmente apenas em casos de quase morte por asfixia. Apenas em
quase afogamento, sufocamento ou gaseamento, em geral, o processo é
lento o suficiente para admitir isso. Essa experiência é realmente o
desdobramento da mente subconsciente, os "Livros de Julgamento" das
Escrituras, e uma experiência extraordinariamente estimulante e às vezes
terrível, como se pode imaginar facilmente. É com essa história autêntica
de sua vida, fresca em sua memória, que o viajante começa sua vida do
outro lado.
Eu estou muito familiarizado com um exemplo do que Emmet Fox registra
aqui. Quando meu pai era jovem, ele estava navegando no rio
Shrewesbury, em Nova Jersey, quando uma súbita rajada de vento surgiu e
derrubou o barco. No acidente, ele foi deixado inconsciente pelo estrondo
oscilante e jogado na água. Ele foi resgatado por outros velejadores, mas
em seu estado inconsciente ele quase se afogou, e mais tarde ele se
lembrou muito claramente que toda a sua vida havia passado por sua
mente e toda a experiência foi aterrorizante.
Às vezes acontece quando uma pessoa "morre" que, em vez de entrar em
coma imediatamente após a ruptura do Cordão de Prata, pode haver um
intervalo de horas ou mais em que ele retém a posse plena de suas
faculdades; e, às vezes, ele nem percebe que está "morto", embora, via de
regra, veja seu corpo físico propenso e saiba o que aconteceu. Nesses
casos, ele fará um grande esforço para se comunicar com seus amigos mais
próximos. Suponha, por exemplo, que um homem morreu na rua e reteve
suas faculdades dessa maneira. Ele iria imediatamente tentar chegar em
casa para sua esposa para lhe contar o que havia acontecido. Vamos supor
que sua casa estivesse a dez quilômetros de distância nos subúrbios.
Tendo agora apenas um corpo etérico, ele realmente precisaria, mas
pensar fortemente em sua casa, e ele se encontraria lá em poucos
segundos ou menos, porque seu corpo etérico poderia passar por casas,
colinas ou qualquer outra obstrução física que pudesse estar no caminho.
No entanto, o hábito pode levá-lo a percorrer os movimentos de caminhar
até a estação ferroviária mais próxima e entrar em um trem, ou pode
entrar em um ônibus. Ao entrar em sua casa, ele instintivamente gritava
para sua esposa, mas não tendo órgãos físicos, nenhum som seria
produzido e ela não ouviria nada. Ou ele poderia tentar agarrar seu braço,
mas sua substância etérica simplesmente passaria por ele sem causar
qualquer impressão. Pode acontecer, no entanto, em tal caso, que o forte
esforço mental alcançasse a consciência da esposa e, depois, ela diria:
"Meu marido me apareceu por um momento no momento em que foi
morto". Seu pensamento seria tão carregado de emoção que seria forte o
suficiente, ao alcançá-la, fazer com que ela projetasse uma forma de
pensamento momentânea dele. Ou ela poderia dizer: "Eu sabia que algo
havia acontecido com meu marido muito antes de eu receber a notícia".
Esta é a explicação da maioria das histórias que são constantemente
encontradas.
Da mesma forma, as pessoas às vezes assistiram aos seus próprios
funerais.
Nesse ponto, é natural perguntar: onde está o próximo mundo? O próximo
mundo está realmente ao nosso redor aqui. Os chamados mortos estão
levando suas vidas aqui mesmo onde estamos agora, mas em seu próprio
mundo e em seu próprio caminho. A razão pela qual não os vemos ao
nosso redor ou colidem com eles é a mesma razão pela qual um programa
de televisão não interfere em outro - eles estão em diferentes
comprimentos de onda.
O que determina o tipo de lugar para o qual você irá após a morte?
Ninguém "envia" você em qualquer lugar. Você naturalmente gravita para
o lugar onde você pertence. Você construiu uma certa mentalidade com
seus anos de pensamento, fala e ação nesse plano. Esse é o tipo de pessoa
que você é no momento e se encontra em condições correspondentes à sua
personalidade. Nesta terra, pessoas com os mesmos interesses tendem a
se atrair. A lei que "pássaros de uma pena se reúnem para pegá-la" se
mantém em todo o universo.
Você não "encontra Deus" no próximo plano mais do que neste plano. Deus
está em todo lugar. Ele está totalmente presente no próximo plano assim
como está neste plano. Lá como aqui, Ele deve ser contatado apenas na
própria consciência por alguma forma de oração ou tratamento espiritual.
Por outro lado. O céu é aquele estado perfeito de consciência em que se
está em plena realização da Presença Divina. Nessa consciência não há
limitação, ou mal, ou decadência de qualquer tipo. Quando se atinge essa
condição, ele terminou com planos etéricos com a mesma certeza com que
terminou com o plano da matéria física. Se você puder alcançar esse nível
de consciência enquanto ainda estiver neste mundo (e alguns conseguiram
fazê-lo), você não "morre" nem vai até os planos etéricos; você vai direto
para o céu desta terra. Moisés fez isso, e Enoque, e Elias, e alguns outros.
Isso é o que é chamado de tradução ou desmaterialização. É realizado pela
superação do sentimento de separação de Deus que é realmente a "queda
do homem". Significa superar o egoísmo, a sensualidade, a crítica, o medo
e outras coisas semelhantes. Significa viver perto e mais perto de Deus
todos os dias. De Enoque, * a Bíblia diz "ele andou com Deus" antes de ser
traduzido - e de fato não há outro caminho para a liberdade.
* Gen. 5:24.
Você vai conhecer seus parentes e amigos quando você passar por cima?
As pessoas naturalmente se perguntam se verão novamente aqueles que
amavam e que desapareceram de vista; e alguns estão bastante
apreensivos em ter de renovar o contato com pessoas de quem não
gostavam - membros da família que prefeririam nunca mais se encontrar.
O fato é que onde há uma forte ligação emocional, seja de amor ou ódio, é
provável que haja uma reunião. Onde há um forte elo de amor genuíno,
com certeza haverá uma reunião. Onde não há sentimento particular entre
duas pessoas, não haverá uma reunião.
É claro que o amor cuidará de si mesmo, mas há um perigo real de que, se
você se permitir entrar no ódio de alguém, você se encontrará quando
ambos tiverem passado. Para evitar que isso aconteça, destrua o link
deixando de odiá-lo. Perdoe a outra pessoa e liberte-a em seu pensamento,
e você terá se libertado também. Você não tem que gostar dele, mas você
deve desejar-lhe bem.
* Veja "O Pai Nosso" no Poder através do Pensamento Construtivo.
Não imagine que sua família jamais será remontada do outro lado. As
relações familiares são apenas para este plano e não existem ali.
Naturalmente, parece muito difícil dizer às pessoas para não se
lamentarem quando alguém a quem amam amavelmente passa
despercebido; mas o fato é que o sofrimento excessivo é ruim para ambas
as partes. Lembre-se de que, se houver um elo de amor, você certamente
se encontrará novamente, e que nada que seja bom, bonito ou verdadeiro
pode ser perdido.
Podemos orar por aqueles que já passaram e, de fato, é um dever sagrado
fazê-lo. As orações pelos chamados mortos foram usadas na maior parte
do mundo na maioria das eras. A prática foi geralmente interrompida
depois da Reforma porque ela havia sido muito abusada e comercializada,
mas, no entanto, é uma excelente prática em si mesma. Você deve orar por
seu amigo que passou exatamente como você oraria por ele se ele
estivesse vivendo em algum lugar distante neste globo. Perceba a paz de
espírito, liberdade e compreensão para ele, e que Deus é Vida e
Inteligência e Amor. A Presença * é excelente para esse propósito. Leia
para ele em silêncio, dizendo "você", onde o texto diz "eu".
* No poder através do pensamento construtivo.
Você deve perceber este fato muito claramente: não há nada de sagrado
sobre um corpo morto. É uma coleção de matéria física para a qual o ex-
proprietário não tem mais uso. Seu dono tardio usou vários corpos físicos
durante sua vida (como você provavelmente sabe, obtemos um número de
novos corpos por substituição gradual à medida que passamos pela vida) e
este é apenas o último deles. Lembre-se que a beleza de um corpo bonito
vem da alma que brilha através dele e não está no próprio corpo. Aquela
alma com sua beleza e alegria agora se foi, e o corpo deixado é apenas uma
vestimenta antiga que foi descartada. Esta vestimenta deve ser descartada
(para o bem dos vivos) com respeito, mas não com reverência; e o método
apropriado de fazer isso é por cremação. Se o corpo foi cremado, é melhor
não preservar as cinzas. Eles devem ser eliminados com uma oração.
Onde as considerações familiares tornaram o enterro inevitável, você deve
evitar visitar o túmulo de seu ente querido. Você sabe que ele não está no
cemitério; então fique longe disso. Ore por ele no santuário de sua casa,
pois nenhum outro lugar é mais sagrado ou apropriado. Em seu
aniversário, ou em qualquer outro aniversário significativo, tenha um
ramo de flores, ou uma única rosa ou outra flor que tenha um significado
especial para você, em lembrança dele - na frente de seu retrato, se você
tiver um. Que isso seja feito em casa e não no cemitério, mas apenas
ocasionalmente e não mantido como uma prática cotidiana.
Você deve evitar o luto ou assumir uma atitude de luto que inclua manter
seu quarto ou seus livros, etc., "como ele os deixou", como algumas
pessoas fazem. Não há objeção em guardar algumas lembranças, se você
tiver certeza de que não está fazendo isso no espírito de luto.
Agora chego à questão de saber se é possível ou não se comunicar com
aqueles que passaram para o outro mundo. Há extremistas de um lado que
dizem dogmaticamente que é absolutamente impossível fazê-lo.
Entusiastas do outro lado alegam que estão em comunicação clara e íntima
com seus amigos falecidos com frequência.
O que é a verdade? A verdade é que a comunicação ocasionalmente
acontece, mas é muito mais rara do que a maioria dos crentes nela supõe, e
é sempre realizada com considerável dificuldade e incerteza. A principal
objeção à corrida atrás dos médiuns que tantas pessoas praticam é que é
realmente uma fuga das responsabilidades desta vida. Os médiuns
profissionais dizem que raramente conseguem um cliente que seja feliz,
cuja vida seja cheia de prosperidade e auto-expressão. Pelo contrário, são
aqueles cujas vidas aqui são frustradas e infelizes, independentemente de
um luto em particular, que estão sempre tentando se comunicar com o
próximo plano. Assim, o que é chamado na psicologia é um mecanismo de
escape. Seu negócio é viver aqui neste mundo enquanto estiver aqui;
enfrentar seus problemas aqui e tentar resolvê-los; e viver no outro
mundo quando você chegar lá.
Existe um modo de comunicação verdadeiramente espiritual do qual só o
bem pode vir. É isto: Sente-se em silêncio e lembre-se que o único Deus é
realmente onipresente. Então reflita que o seu Eu Real - a Centelha Divina
de você - está na Presença de Deus agora, e que o Eu Real - a Centelha
Divina do seu amado - também está na Presença de Deus. Faça isso por
alguns minutos todos os dias e, mais cedo ou mais tarde, você terá uma
sensação de comunicação. No entanto, nenhuma mensagem detalhada
virá, em regra - apenas um sentido definido e inconfundível que ele sabe
que você pensou nele e que ele está pensando em você.
Agora que você compreende essas coisas em algum grau, deveria ser
possível que você passasse pela vida e encontrasse a morte com aquela
"mente equilibrada" à qual um vidente moderno se referiu. Você nunca
deve ser tão completamente casado com qualquer conjunto particular de
condições - para uma casa, ou distrito, ou um emprego, ou uma vocação,
ou para qualquer arranjo terrestre - que você não possa se separar dele
sem um arrependimento indevido. Você não deve ser dependente de sua
felicidade ou auto-respeito em elogios humanos ou aprovação, embora tais
coisas possam ser apreciadas em seu lugar. Sua atitude deve ser:
Eu faço o meu dever e me divirto onde estou; Eu faço o meu trabalho e
passo para outro. Eu vou viver para sempre; daqui a mil anos, ainda
estarei vivo e ativo em algum lugar; em cem mil anos ainda vivos e ainda
ativos em outro lugar; e assim os eventos de hoje têm apenas a
importância que é hoje. Sempre o melhor ainda está para ser. Sempre o
futuro será melhor que o presente ou o passado porque eu estou sempre
crescendo e progredindo, e sou uma alma imortal. Eu sou o mestre do meu
destino. Saúdo o desconhecido com alegria e prossigo alegremente,
exultando na Grande Aventura.
Armado com essa filosofia e realmente compreendendo seu poder, você
não tem nada a temer na vida ou na morte - porque Deus é tudo e Deus é
bom.
Para tudo o que aconteceu antes, Emmet Fox acrescenta uma nota na qual
ele diz:
Gostaria de impressionar o leitor que nenhuma descrição escrita pode
realmente fazer justiça ao assunto. Pode, mas sugerir e sugerir a verdade.
Por mais correto que seja o itinerário de uma viagem, é provável que
pareça um tanto seco e pouco atraente quando lido, já que a beleza e a
alegria da nova aventura devem escapar da palavra escrita.

As estrelas em seus cursos *

* Leia o Julg. 5, a história de uma batalha, e de engano e traição, e


contemplar o verso 20 em particular.
Há outra chave de ouro para a qual Emmet Fox chamou atenção e que é
um tema constante em toda a Bíblia, embora a maioria dos leitores da
Bíblia raramente tenha consciência disso. O ponto é que as pessoas da
antiguidade eram de mente muito astrológica. O zodíaco e suas
implicações correm por toda a Bíblia; alguns em referência direta como as
doze tribos de Israel e seus estandartes representando os doze signos do
Zodíaco, e outros menos diretos, como, por exemplo, na história da Criação
em Gênesis (1:14) onde diz: "Deixem lá sejam luzes no firmamento do céu
... e sejam elas para sinais [signos zodiacais] e para estações. "
É especialmente oportuno que Emmet Fox discuta isso com certa extensão
em seu "Zodíaco e a Bíblia - O Fim do Mundo" * com suas previsões,
algumas das quais já se tornaram realidade. Eu digo que é especialmente
relevante para a cena contemporânea, pois entramos em uma nova era, a
Era de Aquário. Encontramos escritores, compositores e o público em
geral profundamente conscientes da Nova Era, embora raramente
percebam que o próprio Jesus aludiu a ela há dois mil anos.
* Veja este capítulo no livro Alter Your Life.
Emmet Fox aponta:
A história da humanidade procede de maneira casual ou casual, mas
através do desdobramento de vários períodos ou épocas distintas. Cada
um desses períodos tem suas próprias características, suas próprias lições
a serem aprendidas, seu próprio trabalho a ser feito; e cada um deles é
fundamentalmente diferente em todos os aspectos do seu predecessor e
não uma mera melhoria ou expansão dele. Cada uma dessas Idades tem
cerca de dois mil cento e cinquenta anos de duração; a passagem de uma
dessas idades para outra é sempre acompanhada por tempestades
externas e internas e por tensões como as que o mundo passou
recentemente. A última mudança ocorreu há alguns milhares de anos, e o
novo mundo que se formou a partir do caldeirão foi a civilização cristã
ocidental que conhecemos. Este grande empreendimento, tendo se
desenvolvido e cumprido sua missão, agora está próximo e a Nova Era já
está sobre nós.
Em conexão com o ir e vir destas diferentes Idades, é necessário estar
familiarizado com o fenômeno natural conhecido como a Precessão dos
Equinócios. Não é necessário que um estudante possua algum
conhecimento geral de astronomia; é suficiente saber que, ao olharmos do
nosso globo para as hostes estreladas ilimitadas que nos rodeiam, o eixo
da Terra parece traçar um enorme círculo no céu a cada 26.000 anos ou
mais. Este enorme círculo, que é conhecido como o zodíaco, cai em doze
partes ou setores, e cada parte, ou "Sign", como os antigos chamavam,
marca a passagem do tempo que ocupamos em trabalhar através de uma
das nossas idades.
Este Zodíaco é um dos mais interessantes de todos os símbolos que
revelam o destino da humanidade. De fato, o zodíaco simboliza a coisa
mais fundamental na natureza do homem. Não é nada menos que a chave
para a história da raça humana, da psicologia do homem individual e de
sua regeneração ou salvação espiritual. A Bíblia, que é, naturalmente, a
grande fonte da Verdade, tem o zodíaco percorrendo-a do começo ao fim.
Os doze filhos de Jacó, que se tornam as doze tribos do Antigo Testamento,
e os doze apóstolos do Novo Testamento, são, além de sua identidade
histórica, expressões especiais dos doze signos do zodíaco. O
empacotamento das Doze Tribos de Israel em estrita ordem astronômica
no grande acampamento no deserto é um dos principais exemplos desse
simbolismo zodiacal que o leitor pode verificar por si mesmo.
Temos agora que nos perguntar: Qual é o verdadeiro significado do
zodíaco? E para responder a essa pergunta, devemos colocar os outros:
Qual é a verdadeira razão da humanidade estar na terra? Por que estamos
aqui? Sobre o que é tudo isso? Por que nascemos e por que morremos?
Existe uma razão ou um padrão por trás de tudo? E se sim, o que é isso? E
a resposta a estas questões, sem dúvida a mais fundamental de todas as
questões, é esta: que estamos aqui para aprender a verdade do ser. Que
estamos aqui para nos tornarmos entidades autoconscientes e
autogovernadas, pontos focais da Mente Divina, cada um expressando
Deus de uma nova maneira. Esse é o objetivo da nossa existência, e a única
coisa que temos que fazer para perceber isso é obter um melhor
conhecimento de Deus, porque esse conhecimento é a resposta para todo
problema.
A fim de adquirir essa plena compreensão de tudo o que Deus é, que será a
salvação completa do homem, o homem tem que aprender, por assim
dizer, conhecer Deus de doze maneiras diferentes. Leva dois mil anos para
aprender cada uma dessas lições. E assim podemos, se quisermos, pensar
em nosso progresso em torno do Zodíaco como uma série de doze lições
que temos que aprender sobre Deus.
Cada uma dessas lições tem um nome que lhe foi atribuído por
conveniência. Tudo deve ter um nome, mas como muitos de nós sabemos,
os nomes quando corretamente entendidos são freqüentemente
encontrados como simbólicos das coisas para as quais eles estão, e os
nomes de nossas lições ou "Sinais" não são exceção à regra. O nome do
último sinal, o que acabamos de deixar, era Peixes, ou os Peixes. O anterior,
que deixamos dois mil anos atrás, era Áries ou o Carneiro. O anterior era
Touro, o Touro e assim por diante. Esses nomes, note-se, não se referem,
pelo menos, à forma física das constelações vistas no céu. Eles se referem
ao caráter inato da lição que temos que aprender no momento específico
que é indicado pelo Sinal.
A Nova Era sobre a qual entramos agora é chamada Aquarius - o Homem
com o Pote de Água - e a Era de Aquário será um capítulo completamente
novo na história da humanidade - não apenas um polimento das antigas
idéias piscianas que a maioria as pessoas cometem o erro de considerar
como as únicas ideias possíveis, em vez de serem meramente uma de um
número infinito de expressões possíveis.
Cada uma dessas idades ou formas de conhecer Deus tem uma qualidade
dominante ou um caráter próprio que a distingue das outras onze. A
qualidade que distingue a nova era de Aquário é chamada por
conveniência "Urano" e, de um modo geral, todas as atividades e
expressões da Era de Aquário serão uranianas, e nos dá uma idéia ampla
do tipo de coisa que podemos esperar. Urano é geralmente falado como
um disruptor ou destruidor, mas deve ser lembrado que isso não implica
necessariamente, como muitas vezes se supõe, destruição real. É bom que
menos bem seja destruído se isso significar que o melhor tenha a
oportunidade de tomar o seu lugar.
Urano também é falado como um símbolo de democracia e liberdade, e em
outros momentos é chamado de autocracia; mas a verdade real é que
Urano não está nem para a democracia nem para a autocracia como tal,
mas para a individualidade. A livre expressão da individualidade deve
significar verdadeira democracia, no sentido de que toda alma humana
terá uma oportunidade igual de auto-expressão como a que Deus
pretendia que fosse, e, por outro lado, como mestre de seu próprio destino
e o capitão de sua própria alma, torna-se o autocrata de sua própria vida,
respondendo somente a Deus e irrestrito em seu desenvolvimento por
qualquer interferência externa tirânica. Aquele é Urano.
Como de costume com Emmet Fox, o que ele diz aqui é tão verdadeiro.
Como este capítulo está sendo escrito em um terraço com vista para uma
bela praia ao longo do Mediterrâneo, há muitas mulheres jovens que estão
tomando banho de sol de topless. As autoridades tentaram desestimular
essa tendência, mas sem muito sucesso. O número aumenta em vez de
diminuir. Além dos valores morais envolvidos, isso não é uma afirmação
da autocracia individual? De fato, esse caminho particular de liberdade de
expressão vem se desenvolvendo desde a virada do século. Tenho certeza
de que a maioria de nós já viu fotografias de banhistas masculinos e
femininos daquele período vestidos da cabeça aos pés em trajes de banho
volumosos que mais pareciam âncoras do que maiôs. Mas à medida que
nos aprofundamos na Era de Aquário, os indivíduos se rebelaram contra as
idéias antiquadas da era anterior. A nudez atual não é meramente uma
oscilação do pêndulo, mas um contínuo surgimento da expressão
autocrática da alma individual neste campo particular.
Como Emmet Fox aponta:
O que está acontecendo e continuará a acontecer no amplo panorama da
vida é de natureza uraniana. Isso significa, por exemplo, que, apesar dos
contratempos temporários, das ditaduras, da coletivização etc., o indivíduo
finalmente se libertará. Há muitos fatores sob a influência uraniana que
estão ajudando a libertar o indivíduo. Eletricidade, que se individualiza em
muitas formas de luz, rádio, televisão, motores, refrigeradores,
aquecedores e toda a galáxia de eletrônicos maravilhas fez mais do que
qualquer outra coisa material para libertar a alma humana dos grilhões do
trabalho penoso e limitações físicas.
O rádio é uma expressão particularmente uraniana. Salta barreiras e
limites e procura o indivíduo. Internacionalmente, ri das fronteiras e,
graças a seus esforços, não será mais possível, por mais autoridades
reacionárias que se desejem, isolar qualquer corpo humano do estoque
comum de conhecimento humano e progresso humano.
A televisão é outra maravilha da Era de Aquário e parece apresentar
entretenimento e instrução às massas, mas sendo de natureza uraniana, é
estritamente uma questão individual, e promotores e patrocinadores a
conhecem.
A Era de Aquário, na verdade, é a era da liberdade pessoal. Não é mera
coincidência que sua chegada marque a emancipação das mulheres como
um sexo, e que na era atual as crianças também tenham finalmente
recebido direitos como indivíduos, e não sejam mais consideradas
simplesmente como propriedade pessoal de seus pais.
Assim como cada época é uma lição especial que a humanidade tem que
aprender sobre Deus, em cada época há um mestre extraordinário que
ensina a lição dessa Era e a demonstra de maneira completa e inequívoca.
O grande professor de raça da época de Áries foi Abraão. Abraão elevou o
padrão do Deus Único, perfeito, não feito por mãos, eterno nos céus.
Abraão quando recebeu sua iluminação saiu diretamente da idolatria e,
antecipando Moisés, disse: Sabes, ó Israel, o Senhor teu Deus é um só Deus
- Não terás outros deuses diante dEle - Tu não farás para ti imagens
esculpidas .
Abraão, tendo lançado a nova Era, o de Áries, ou o Carneiro, passou para a
história, e seu trabalho continuou com o fluxo e refluxo habituais
característicos da atividade humana. Deve-se notar que essa Era é
simbolicamente chamada de Era do Carneiro, e que todas as ovelhas da
Bíblia são usadas para simbolizar pensamentos, e que a grande lição da
Bíblia é que temos que observar nossos pensamentos, porque tudo o que
pensamos com convicção chegará a nós mais cedo ou mais tarde. É
importante notar, neste contexto, quantos dos grandes santos e heróis da
Bíblia foram pastores de uma só vez. Jacó, Moisés, Davi, Ciro o Medo ("Seu
Ungido"), e muitos de menor importância, todos serviram de aprendizado
para manter as ovelhas - o controle correto do pensamento. E dos muitos
títulos que foram dados ao nosso próprio Senhor, ele provavelmente teria
preferido o do Bom Pastor. Ele não disse: "O Bom Pastor dá a vida por suas
ovelhas?"
Em tudo isso, vemos a influência da lição ariana trabalhando no
pensamento racial. O Egito, na Bíblia, significa materialismo, pecado,
doença e morte ("Fora do Egito chamei meu filho"), e muito
significativamente nos é dito que os egípcios tinham uma inimizade eterna
e ódio por um pastor. Tudo isso, é claro, não deve ser tomado literalmente
como uma reflexão sobre as pessoas que viviam no vale do Nilo, e não
eram piores, se não melhores, do que os outros homens, mas como uma
descrição simbólica do funcionamento das leis naturais. . É um fato
interessante que até os dias atuais nas sinagogas judaicas, onde a Era Ária
ainda perdura, o chifre do Carneiro permanece como um símbolo vivo.
A Era que seguiu a Era Ária, e da qual emergimos recentemente, e que
poderia muito bem ser chamada de época do cristianismo ortodoxo, é
conhecida como a Era de Peixes ou os Peixes. O grande líder e profeta
daquela época era, é claro, Jesus Cristo, e sabemos que nos primeiros dias
do cristianismo ele foi simbolizado entre seus seguidores como um peixe.
A cruz, o grande emblema do cristianismo em épocas posteriores, não foi
usada nos primeiros dias. As pessoas ficaram com um pouco de vergonha
de pensar no Mestre em conexão com uma forca romana. Nas catacumbas
de Roma e em outros lugares encontramos inscrições dos primeiros
cristãos em que Jesus é referido como o peixe.
A Era de Peixes era constantemente anunciada em símbolos por todos os
tipos de pessoas, muitos dos quais não percebiam o que estavam fazendo.
A grande igreja medieval, por exemplo, centrou sua autoridade, para fins
práticos, no bispo, e o símbolo distintivo de um bispo é, naturalmente, a
mitra. E qual é a mitra, mas a cabeça de um peixe é usada como touca.
Jesus disse: "Eu vou fazer de você pescadores de homens", e na verdade
seus primeiros discípulos eram pescadores, assim como os líderes do
Antigo Testamento eram pastores.
Por toda a Bíblia, e em toda a velha tradição oculta em geral, o peixe
permanece como um símbolo de sabedoria, e a sabedoria é então
entendida como o termo técnico para o conhecimento da Allness of God e
do poder da oração.
Como Emmet Fox já apontou, as pessoas costumam usar símbolos sem
realmente saber o que significam. No presente exemplo, há muitas pessoas
que dizem "peixe é comida de cérebro" em talvez feliz ignorância que
peixes simbolizam sabedoria e não têm nada a ver com comida ou outra
materialidade.
Como mencionado anteriormente, a era atual, a Era de Aquário, é a Era do
Homem com o Pote de Água ("Busque um homem levando um pote de
água" - Lucas 22:10), e quem é o homem com o pote de água? ? O
jardineiro, é claro, e assim o símbolo interpretativo da Nova Era é ser o
Jardineiro. O homem que se formou como pastor, e como pescador, agora
se torna jardineiro, e esse título expressa bem o tipo de trabalho que ele
tem que fazer em seu novo papel. Chegamos ao estágio em que a lição da
necessidade do controle do pensamento foi aprendida, e a Santa Sofia, ou
Santa Sabedoria, tendo sido contatada e apreciada, as duas coisas devem
estar unidas mentalmente em nossa prática diária.
A ciência moderna está fazendo alguns de seus maiores avanços no campo
da psicologia, de modo que a psicologia pode hoje ser chamada de serva da
metafísica, e a psicologia está insistindo cada vez mais que as mentes
consciente e subconsciente estão quase exatamente na relação do
jardineiro. e jardim. O jardineiro semeia a sua semente no solo que
preparou; ele rega o solo e, na medida do possível, seleciona um local
sobre o qual o sol brilhará; ele não tenta, no entanto, fazer a semente
crescer. Ele deixa isso para a natureza. Portanto, no tratamento espiritual
ou na Oração Científica, falamos a Palavra, mas deixamos para o Poder
Divino fazer a demonstração. "Eu plantei; Apolo regou; mas Deus deu o
crescimento" (Paulo).
Nesse estágio, a questão naturalmente se apresenta: quem é ou quem será
o grande mestre e profeta de nossa nova Era de Aquário? Parece que não
há falta de candidatos para o cargo. Em todo o mundo, várias pessoas
reivindicam esse alto cargo, ou seus seguidores reivindicam isso para eles.
Nenhum tempo precisa ser desperdiçado com esse tipo de coisa. O Mestre
não nos advertiu que surgiriam falsos cristos que enganariam, se fosse
possível, os próprios eleitos?
O fato maravilhoso é que agora, depois de todos esses milhares e milhares
de anos de esforço ascendente, nós finalmente alcançamos o estágio em
que a humanidade está pronta para fazer sem profetas pessoais de
qualquer tipo, e entrar em contato com o Deus Vivo em primeira mão por
si mesmo. .
E assim, o Grande Instrutor Mundial da Nova Era não é para ser homem ou
mulher, ou livro didático, ou qualquer organização, mas o Cristo Interno
que cada indivíduo deve encontrar e contatar para si mesmo - novamente
a autocracia uraniana do indivíduo.
A humanidade leva cerca de 26.000 anos para passar por esta aula de doze
lições sobre Deus, que chamamos de Zodíaco. Mas já passamos por essa
aula muitas vezes - lembre-se que a corrida é muito mais antiga do que a
maioria das pessoas pensa - e teremos que passar por isso muitas vezes
mais, mas cada vez que passarmos pelas mesmas lições em um nível muito
mais alto, acumulando uma qualidade diferente de conhecimento, pois não
é um círculo sem fim, mas uma espiral ascendente.
Então agora vemos que o Zodíaco é realmente um dos grandes símbolos
cósmicos, talvez o maior de todos eles, um diagrama do desdobramento da
alma humana, e não o mero fato físico da Precessão dos Equinócios. Não é
apenas uma espécie de via férrea circular para adivinhação, mas um dos
mais profundos mistérios da alma - e é por isso que ela percorre a Bíblia
de Gênesis a Apocalipse.
Como tem sido dito tantas vezes, Jesus diz: "Conhece a verdade e a
verdade vos libertará". Se conhecermos a Verdade nesta nova Era
Aquariana - e a praticarmos -, nós seguiremos adiante na grande marcha
da humanidade, aprendendo as novas lições, nos regozijando no novo
trabalho e triunfando em seus triunfos. À medida que os antigos marcos
desaparecem um por um sob a crescente onda da nova vida,
prosseguiremos corajosamente, sabendo que o melhor ainda está por vir, e
como a Bíblia diz: "O olho não viu, nem ouviu o ouvido, nem Entrou no
coração do homem as coisas que Deus preparou para os que O amam "(1
Co 2: 9).
PARTE DOIS
Chegada
De todas as chaves de ouro que Emmet Fox deu ao mundo, o maior deles
foi o próprio Emmet Fox. Ele abriu um novo modo de vida para milhões de
pessoas e foi o meio de canalizar a cura para milhares de outras pessoas.
Sua fé no poder do pensamento construtivo e sua capacidade de mudar
vidas continua a afetar milhões através de seus escritos publicados.
O tempo foi no início de 1931, e o lugar de Londres. Emmet Fox sabia que
uma mudança estava chegando em sua vida e decidiu então que era hora
de tirar umas férias prolongadas. Ele estivera brincando com a idéia de ir
para a Rússia ao pensar que o país estava no meio de um interessante
experimento político, e a própria Rússia estava começando a abrir suas
portas para o mundo exterior. Como era seu modo, sempre que alguma
decisão importante tinha que ser tomada, ele orava bastante por
orientação. Sua resposta, ele lembrou, era uma voz dizendo para ele: "Vá
para o oeste; veja a América primeiro". Ele nunca chegou à Rússia, mas
anos depois, "Reincarnation", um de seus folhetos mais populares, foi
impresso em russo nos Estados Unidos pela Unity School of Christianity, e
finalmente chegou à Rússia, onde foi reimpresso em revistas.
Ao tomar sua decisão de vir para os Estados Unidos, Emmet Fox trouxe
para a América um enriquecimento que não conhecia antes e que com o
tempo se espalhou para o resto do mundo também. Mal sabia alguém no
verão de 1931, quando Emmet Fox saiu do navio em Nova York e chegou
um dos maiores místicos e professores religiosos deste século. De fato,
provavelmente não mais do que uma dúzia de pessoas na América já
ouviram falar dele naquela época.
Ele veio para os Estados Unidos com um visto de seis meses e como "o
homem que veio jantar", permaneceu por vinte anos. Pouco depois de sua
chegada, Florence Scovel Shinn, que o conhecera em Londres, convidou-o
para suas reuniões no Unity Center, em Nova York, enquanto ela saía de
férias. Emmet Fox apareceu na plataforma sem nenhum anúncio prévio.
Era óbvio que algumas pessoas na platéia ficaram desapontadas e várias
saíram - sem dúvida, para sua própria perda. No entanto, o mesmo
processo aconteceu ao contrário vários anos depois, quando outros
compromissos o levaram para fora da cidade e ele pediu a outro
palestrante para substituí-lo. Naquela época enormes multidões estavam
presentes. Setecentas pessoas saíram quando o outro orador apareceu!
Mas nessa primeira reunião, aqueles que ficaram tiveram um tratamento
raro. Como uma mulher escreveu, "Ele era tão maravilhoso que na semana
seguinte fomos à reunião muito cedo, pois sentíamos que haveria uma
multidão. Havia! A Unity abriu todos os quartos da suíte e até colocou
cadeiras nos corredores para acomodar o maior número possível ".
Neste momento em particular, a Igreja do Cristo da Cura, em Nova York,
precisava de um novo ministro. Emmet Fox foi convidado para realizar o
pastorado desta Igreja bem estabelecida, e desde o primeiro domingo ele
foi um grande sucesso. A Igreja estava então realizando cultos no Hotel
Biltmore e, sob sua liderança, tinha que se mudar constantemente para
bairros maiores dentro do hotel.
Nesse ponto, seu visto expirou e ele obteve outra renovação de seis meses,
e manteve esse processo de renovação por dois anos. No final desse
período, os números que compareceram aos cultos de domingo haviam
subido para uns dois mil, mas, por causa de restrições legais, não havia
mais extensões em seu passaporte. Ele já era reconhecido como um
destacado líder religioso na América, e através da intervenção dos então
dois senadores americanos de Nova York, Robert W. Wagner e Dr. Royal S.
Copeland, Emmet Fox conseguiu reentrar no país depois do verão. Férias
em 1933 como residente permanente dos Estados Unidos.
O trabalho continuou a crescer aos trancos e barrancos; o grande salão de
baile do Hotel Biltmore ficou pequeno demais. De passagem, é interessante
notar como a Igreja realizou seus serviços no Biltmore em primeiro lugar,
pois demonstra que o comercialismo grosseiro nem sempre vence. Quando
o conselho de administração da Igreja estava procurando por novos
aposentos porque seu antigo local de encontro, o Waldorf Astoria Hotel
original, estava sendo demolido para dar lugar ao imponente Empire State
Building, eles abordaram a administração do Biltmore. Várias reuniões
com os principais executivos aconteceram, e algumas foram contra o
alojamento da Igreja, argumentando que seria um empreendimento
comercial não lucrativo. Na reunião final, o famoso John M. Bowman,
presidente dos hotéis Bowman Biltmore, esteve presente. Ele ouviu os
argumentos e então disse para sua equipe: "Senhores, parece-me que
temos tudo neste hotel, menos Deus". A Igreja estava em.
O trabalho
Desde o início, a Igreja experimentou dores crescentes. Em junho de 1933,
Emmet Fox enviou essa saudação aos membros e amigos da Igreja:
"Este serviço completa nossas atividades para a temporada 1932-33. Foi
um ano de crescimento e progresso vigorosos. A afiliação à Igreja
aumentou em grande parte e a freqüência geral cresceu de semana para
semana. Será notado que mais de uma vez tivemos que mudar nossos
alojamentos de uma parte do hotel para outra, mas isso foi causado pela
necessidade de mais espaço e é uma homenagem ao sucesso do trabalho.
"Muitas demonstrações marcantes foram relatadas para mim, e a maioria
de nós sente que fizemos um avanço muito definido sobre nossos antigos
eus de junho de 1932. Várias curas notáveis ocorreram durante nossas
reuniões, mas o que eu considero ser ainda mais importante é que muitas
pessoas têm demonstrado tanto na saúde corporal quanto nos assuntos
por seu próprio trabalho pessoal. O poder de auto-cura é a única garantia
de que realmente se entende o ensino. A circulação de nossos vários
folhetos e publicações aumentou muito e isso é muito importante. uma
questão de felicitação, porque a palavra escrita é quase a melhor maneira
de espalhar a mensagem no momento atual.
"Que o intervalo de verão seja uma oportunidade para o balanço mental e
uma reorganização geral de sua vida espiritual. É bom que haja períodos
em que a mente possa digerir e assimilar o alimento que está recebendo."
Recesso para os três meses de verão foi um procedimento anual
estabelecido. E.F. frequentemente dizia: "Você precisa de um descanso; e
eu também." Mas ele nunca descansou. O hiato simplesmente significava
que ele levava suas atividades para outras partes, para descobrir novas
facetas da Verdade, onde poderia encontrá-las, e para dar instruções de
sustentação da vida a pessoas em todo o país e ao redor do mundo. No
entanto, ele sempre voltava revigorado e renovado no outono.
E.F. foi um trabalhador incansável. "Não perca tempo", disse ele. "O que
chamamos de 'tempo' representa a própria substância da sua existência.
As horas e os dias, os meses e os anos são substância da alma, seja
eficientemente empregada na construção de uma vida gloriosa e bem-
sucedida para você ou desperdiçada e perdida. "
Em uma das convenções da International New Thought Alliance, o Dr.
Ernest Holmes * perguntou, Dr. Fox, como é que no final de todo mês de
junho você pode fechar a Igreja, ir embora por três meses, voltar em
outubro, e você tem a multidão de volta com você? "
E.F. respondeu com uma risada: "Eu os carrego no bolso".
Ao que o Dr. Joseph Murphy **, que também estava presente, acrescentou:
"Ele os mantém no bolso de sua mente".
* Fundador da Igreja da Ciência Religiosa, Los Angeles.
** Ministro da Igreja da Ciência Divina, Los Angeles.
Emmet Fox sempre foi consciente da multidão. No entanto, ele nunca
tentou segurar as pessoas. Ele dizia à congregação: "Há uma série de bons
centros e igrejas na cidade. Enquanto eu estiver fora, se você encontrar
outra pessoa onde possa obter mais ajuda, você deve ficar lá." Talvez
alguns o fizessem, mas sempre parecia haver mais pessoas nas reuniões
quando ele voltava após o recesso de verão.
A localização não fazia diferença, pois não importava onde ele falasse, uma
multidão se reunia. Em 1940, na I.N.T.A. convenção em San Francisco, o
grande salão de baile no Palace Hotel foi embalado além de sua
capacidade. Em nossas próprias reuniões em Nova York, as multidões
costumavam ser tão grandes que as pessoas que chegavam atrasadas
precisavam sentar-se na plataforma ou no chão. Senhoras em casacos de
pele caros as enrolavam em uma bola e sentavam-se nelas onde quer que
encontrassem espaço.
Na política de Londres anos antes, E.F. estava consciente da multidão. Seu
pai era um M.D. e um membro do parlamento. Quando os oradores
regulares do Partido Liberal não conseguiam reunir uma multidão, E.F.
seria enviado porque, mesmo assim, ele tinha um carisma que atraía as
pessoas.
Blanche e eu tivemos a chance de ver esse fenômeno no trabalho durante
uma das viagens que fizemos a Yosemite National Park, na Califórnia.
Estávamos tomando café da manhã na grande sala de jantar do lodge no
Glacier Point, com vista para o majestoso El Capitan. Naquele ano, a peça
Green Pastures - um show bem à frente de seu tempo - foi a rave da
Broadway. Blanche e eu não tínhamos visto, e neste cenário requintado no
alto das Sierras, E.F. estava nos contando com entusiasmo, descrevendo
"de Lawd com seu charuto grande e gordo fumando enquanto brincava de
Deus". Com o desenrolar da história, notamos que pessoas de outras
mesas estavam se reunindo discretamente ao nosso redor. Garçonetes
pararam de servir e ouviram. Eu apontei para E.F. que havia uma grande
audiência atrás dele - o suficiente para começar uma reunião metafísica - e
quando ele se virou eles explodiram em aplausos.
Em Nova York, à medida que o comparecimento às reuniões crescia e
crescia, sempre precisávamos mudar de local para acomodar os números.
Do Biltmore nos mudamos para o Hotel Astor com seu salão de festas
maior; depois, finalmente, para o Hipódromo, que era o maior auditório da
cidade de Nova York, com exceção do Madison Square Garden. Não era
incomum ter de cinco a seis mil pessoas em serviços nas noites de quarta-
feira e nas manhãs de domingo. Em ocasiões especiais, como a Páscoa, o
número chegava a oito mil e a polícia era necessária para direcionar o
fluxo de tráfego.
As reuniões logo atraíram a atenção da imprensa. Nenhuma equipe de
relações públicas era necessária, pois o boca-a-boca e a assistência fiel
eram bastante eloquentes. A Newsweek publicou um artigo com a
manchete "O pregador usa o salão de festas do hotel para popularizar a
oração" e comentou: "Todo domingo o pregador Emmet Fox dá a mesma
mensagem vital: 'A oração muda as coisas!' "Quando repórteres
perguntaram a E.F. por que ele realizava suas reuniões em salões de baile
e teatros, ele respondeu:" Eu não consegui colocar alguns homens na igreja
com uma espingarda, mas eles virão para um hotel. "
Walter Winchell, o famoso colunista de Nova York, escreveu em sua moda
inimitável: "Dois novos movimentos religiosos estão atraindo bastante.
Emmet Fox, que há um ano realizou seus encontros em um hotel, agora os
afasta do Hipódromo e de Manhattan. Ópera House! "
A qualidade única sobre o Hipódromo era que por causa de seu vasto
tamanho poderia abrigar o Circo dos Irmãos Ringling, que aparecia lá toda
primavera. O cheiro do circo nunca saiu do prédio de uma visita para
outra. No entanto, isso acabou sendo a nosso favor, pois serviu para
lembrar as pessoas de que o que Emmet Fox estava dando não era um
pouco de ensino, mas, como circos antigos ou modernos, uma parte do
tecido da vida.
Tivemos como membro do conselho de administração Earl Chapin May,
autor do best-seller From Rome to Ringling. May e E.F. tornaram-se bons
amigos, pois ambos valorizavam o que o circo tinha a oferecer. Quando
chegou à cidade, EF pediu às pessoas que fossem ao circo, enfatizando seus
efeitos de juventude, e disse que a melhor maneira de se divertir era ver
através dos olhos de uma criança: "Se você não tem um filho de você
mesmo, implore, peça emprestado ou roube um e vá para o circo ".
Emmet Fox conheceu os artistas e os bastidores da vida circense. Ele
freqüentemente usava histórias sobre o que ele viu lá em seus sermões.
Um teve um efeito impressionante: uma mulher que em seu camarim
parecia simples e velha, tornou-se uma jovem artista glamorosa quando
entrou na arena em seu cavalo como uma rainha! Como a banda tocou um
tema emocionante e o público explodiu em aplausos, todos os anos caíram.
Um exemplo dramático do poder da mente.
Pelo menos uma vez durante a temporada, E.F. deu um jantar de coquetel
para os artistas de circo. Foi maravilhoso nos sentarmos ao lado de
pessoas que apenas uma hora antes "voavam pelo ar com a maior
facilidade". No entanto, eles também tiveram problemas como todos os
outros, uma vez que deixaram a fantasia e voltaram à realidade, e foi a
ajuda que a E.F. poderia dar a eles que mais o interessava.
As pessoas vinham às reuniões para recarregar as baterias espirituais.
Dorothy Giles, escrevendo no Cosmopolitan, disse: "As clínicas de alma dos
Estados Unidos me levaram a uma das reuniões de domingo de Emmet
Fox. Lá vi quatro mil nova-iorquinos de todas as etapas da vida -
advogados, professores, bancários e presidentes de bancos, estenógrafos ,
debutantes e dowagers da Park Avenue. "
Os nomes das pessoas que participaram leram como uma listagem de
quem é quem. A famosa dona de restaurante, Patricia Murphy, veio com
sua assistente e decorou a plataforma no Hipódromo com flores em muitas
manhãs de domingo. Charles Schwab, o executivo da indústria siderúrgica,
frequentemente compareceu às noites de quarta-feira. Em uma ocasião,
ele observou: "Que coisa maravilhosa seria para o país e para a indústria
se pudéssemos conseguir um homem como este no negócio do aço!" Mais
tarde, quando nos mudamos para Carnegie Hall, o maestro musical,
Mitropoulos. às vezes assistia às reuniões do meio-dia de quarta ou sexta-
feira, após as quais ele iria para o ensaio com sua orquestra. Quando o
tempo permitia, E.F. e eu ficávamos para ouvir o espetáculo.
Depois de algum tempo, descobrimos que, além de pessoas dos mundos do
teatro, dos negócios, dos profissionais e da política, vários sacerdotes de
outras religiões também participavam de reuniões. Então percebemos que
os anúncios de seus tópicos de sermões dominicais nas colunas de
propaganda religiosa dos jornais assumiam um aspecto mais construtivo e
metafísico.
Através do interesse ativo da conhecida atriz Paula Stone, Emmet Fox foi
ouvido na rádio por um tempo, e uma edição especial de seu livreto, "Alter
Your Life", foi publicada para os milhares de ouvintes que a pediram. O
programa foi moderadamente bem sucedido por causa dos rígidos
regulamentos de censura em vigor naqueles dias. Foi necessário enviar
uma cópia da palestra completa antes da hora do ar para aprovação pela
estação de rádio. Essa forma de apresentação não era o estilo da E.F. e
apagou parte do brilho natural e do humor delicioso que ele tinha em uma
plataforma pública, onde todas as suas anotações (se alguma) consistiam
em quatro ou cinco palavras em um cartão de índice. Ele estava em seu
melhor inspirador como orador extemporâneo.
No entanto, a EF percebeu o tremendo poder da rádio e disse-me:
"Aguardo com expectativa o dia em que as rígidas regras de censura serão
levantadas e nós, assim como outros, continuaremos o trabalho quase
inteiramente por rádio. Isso será a melhor maneira de levar a mensagem
ao maior número de pessoas ". Outra previsão dele era que a abordagem
metafísica para o ensino da religião seria integrada cada vez mais nas
igrejas ortodoxas, à medida que a nova geração de líderes religiosos se
conscientizava do grande potencial da oração científica - afirmativa - e da
necessidade de curar como Jesus demonstrou isto.
Ambas as previsões se tornaram realidade. Vemos programas religiosos
proliferando a um grande ritmo no rádio e na televisão. Muitas igrejas
ortodoxas incluem o trabalho de cura como parte integrante de seus
serviços. Alguns estabeleceram clínicas de cura espiritual. Os ministros
integram o máximo de ensino metafísico possível dentro dos princípios da
religião que adotam. Eles estão retornando ao que E.F. chamou de "o
cristianismo prático de Jesus Cristo sem dogma ou credo".

CURA

Seu trabalho foi dividido em quatro partes: palestras, aulas, consultas e


curas. EF considerou a cura o mais importante: "A cura é uma parte
essencial do ensinamento de Jesus Cristo. Se você está vindo para as
reuniões e lendo os livros, e não está recebendo curas, pelo menos em
alguns departamentos da sua vida, então você definitivamente não fizeste
contato com Deus. "
Emmet Fox, que era o canal para curar tantas pessoas em todo o mundo,
disse que ele fez algumas das suas melhores orações nas ruas
movimentadas de Nova York, Londres ou Paris, e enquanto andava em
táxis e trens do metrô. No entanto, ele acrescentou que reservar um
horário tranqüilo a cada dia é o melhor plano para a maioria das pessoas,
que então pode, em um ambiente tão relaxado, voltar-se para Deus em
pensamento. Ele acreditava que algumas pessoas nasceram com um dom
natural de cura e que outras pessoas cultivaram o poder de cura em si
mesmas através de longas horas de oração, meditação e prática.
Houve ocasiões em que aqueles que o procuravam para curar seus
próprios problemas trabalhavam com ele e se transformavam em
curadores de outros. Estes ele selecionou intuitivamente. Seus dons lhe
davam a habilidade de levar os corações de outras pessoas e perceber em
alguns um poder de cura do qual eles mesmos não estavam cientes. Tudo o
que precisavam para perceber isso era a confiança em si mesmos que ele
era capaz de inflamar. Às vezes, ele teria essa pessoa assumir um caso que
ele estava trabalhando. Desta forma, não só permitiu a prática na cura,
mas serviu como um campo de testes para a habilidade. Um dos requisitos
para que ele fosse firme era que, ao tratar, o curador sempre mencionasse
o primeiro nome do paciente. Ele considerou este tom ou nota dominante
de uma pessoa, e que era o seu "Eu Sou" nesta encarnação.
Ele também acreditava que as pessoas que se sentiam profundamente
perturbadas ou preocupadas deveriam convocar aqueles que estiveram
próximos a eles nesta vida e que desde então haviam morrido. Ele se
referiu a isso como a verdadeira "comunhão dos santos" - pessoas no
mesmo nível espiritual trabalhando juntas de ambos os lados da cortina
"de seda".
Ele acreditava no valor de cura corporal da imposição das mãos,
especialmente quando colocado na nuca. Mas ele advertiu que o ato
deveria ser feito com um reconhecimento de que a Divina Presença de
Cura estava saindo por suas mãos. Em sua própria prática dessa técnica,
ele às vezes tocava as pessoas para obter uma percepção de sua resposta
espiritual - como se ele pudesse tocar fisicamente sua aura, que ele
considerava um programa espiritual de saúde ou doença, harmonia ou
ansiedade.
Ele acreditava que toda a cura vinha de Deus e que a forma mais elevada
era através de oração e contemplação afirmativa, ou seja, apenas pensando
em Deus. No entanto, ele também respeitava a profissão médica. Às vezes
ele não realizava uma cura física até que um paciente primeiro consultou
um médico. Nestes casos, ele sentiu que o paciente ficaria aliviado de
muita ansiedade, aprendendo com o médico que a doença não era tão
grave quanto se previa. Ele aconselharia o paciente a orar pelo médico,
bem como por si mesmo, e a abençoar todos os que estivessem ligados ao
caso.
A habilidade da E.F. em curar pessoas e melhorar sua condição física
tornou-se conhecida por muitos médicos, e houve vários casos em que
médicos aconselharam pacientes a irem a Emmet Fox. Daqueles que
vieram de todas as esferas da vida, alguns foram curados em uma ou duas
visitas; outras vieram nove ou dez vezes. Tudo dependia de quão
tenazmente uma pessoa segurava o problema.
Em seu trabalho de cura, ele não seguiu nenhuma técnica particular e seus
métodos variaram com o problema em questão. Às vezes, ele passeava
lentamente de um lado para o outro enquanto o paciente falava, tratando
enquanto caminhava. Outras vezes ele deixa a história toda ser contada
antes de fazer qualquer tratamento. Na ocasião, ele teve que erradicar a
dificuldade real, especialmente em situações em que a família
desarmoniosa e os relacionamentos conjugais prevaleceram. Em alguns
casos, dois ou três membros da mesma família vinham a ele para
tratamento ao mesmo tempo sem que um soubesse o outro. Ele me dizia:
"Temos que mantê-los em compartimentos herméticos". Quando a cura foi
realizada, ele advertiu o paciente: "Não diga a ninguém por um tempo até
que a cura tenha tido tempo de 'jell'."
Em seu dom de cura E.F. tinha uma qualidade especial e excelente. Ele
tinha uma maneira estranha de isolar o essencial e ver a dificuldade em
sua verdadeira luz e proporções. Isso permitiu uma grande sensação de
paz e calma para entrar no paciente. Não pretendo sugerir que a
dificuldade sempre foi esclarecida imediatamente, mas que não parecia
mais ser desproporcional. Seu conselho muitas vezes não era ortodoxo,
como no caso de uma mulher com quem ele trabalhava há algum tempo.
Ela ligou para ele uma noite pedindo ajuda urgente. Seu conselho foi:
"Deixe aquele homem hoje à noite. Leve seus filhos e vá para um hotel".
Este conselho foi dado apesar do fato de que ele acreditava que a
separação e o divórcio eram a última solução para as dificuldades
conjugais. Na verdade, ele achava que o divórcio não resolveu nenhum
problema a menos que alguém mudasse a atitude mental que resultara em
uma resolução tão drástica. Caso contrário, o próximo casamento poderia
facilmente cair no mesmo padrão. Ele confiava em sua intuição, e seu
conselho e orientação fluíam dela. Essa abordagem nem sempre coincide
com um ponto de vista racional. No entanto, o seu conselho acabou por ser
sólido e trouxe felicidade e libertação a muitos a quem ele aconselhou,
como a esta mulher e aos seus filhos.
Outro caso único de cura foi o de um conhecido cantor que foi selecionado
para cantar na inauguração de Franklin D. Roosevelt. Ela adorou a honra
até o dia se aproximar da viagem a Washington, quando de repente ela
sentiu uma dor de garganta. Ela veio para a reunião do meio-dia de sexta-
feira e marcou uma consulta para ver E.F. Havia uma lista tão longa que ela
não entrou para vê-lo até as 17h30. Ela pediu E.F. para tratar de sua
garganta.
Mas ele disse: "Por que você não perdoa seus pais?"
Atônita, ela admitiu que sentiu uma animosidade em relação a eles pelo
que achava ser uma boa razão. Mas ela respondeu: "Sim, eu posso e eu
faço."
Ele respondeu: "Sua voz vai ficar bem. Quando você cantar, acredite que a
cura sai pela sua voz."
Tudo correu lindamente na inauguração e ela ainda tem uma foto
autografada do Presidente e da Sra. Roosevelt em seu piano em sua casa
em Key West como um lembrete feliz da ocasião.
Claro, estes são apenas dois exemplos das centenas, sim milhares, de
pessoas que vieram para a E.F. para tratamento e consulta ao longo dos
anos, mas pelo menos eles podem dar alguma indicação da maneira como
ele lidou com as pessoas.
Seu poder de cura também estava em ação durante palestras e sermões.
Ele aconselhou todas as pessoas nas artes criativas a perceber que a cura
saiu do trabalho da mesma maneira que ele explicou para o cantor.
Ele acreditava tão completamente nisso que dificilmente havia um tempo
em que pelo menos duas ou três pessoas saíssem de uma reunião sentindo
que seus problemas haviam sido resolvidos. Ele frequentemente comentou
que uma cura efetiva demonstraria mais para um indivíduo do que ler uma
dúzia de livros ou participar de vinte palestras. As pessoas aceitavam sua
palavra, e assim, após cada reunião (exceto aos domingos), dezenas de
pessoas se alinhavam para consultá-lo em busca de conselhos espirituais.
Muitas vezes, depois de uma reunião na quarta-feira à noite, havia tantas
pessoas esperando que não chegávamos em casa antes das três ou quatro
horas da manhã, e em uma noite de neve no meio do inverno eram oito
horas da manhã.
E.F. não foi influenciado pelo status. Ele mencionou várias vezes o quão
divertido estava com as pessoas que se gabavam de sua ascendência e
observou como "raramente alguém estava relacionado com o carrasco".
Ele disse que essas pessoas eram como uma batata - a melhor parte delas
era subterrânea. Depois de uma reunião do meio-dia, uma socialite
expressou o desejo de vê-lo, e eu disse a ela que haveria uma boa espera.
Ela me deu seu cartão - seu nome era vagamente familiar - e disse que
tinha certeza que a Dra. Fox a veria imediatamente se eu pegasse o cartão.
Eu fiz isso e EF saiu e disse para ela: "Eu reconheço sua necessidade e
Ficarei feliz em vê-lo se você puder esperar até que eu veja os outros que
já têm seus nomes na lista e também tenham suas necessidades. " Ela
imediatamente se acalmou e esperou. Depois de um par de horas durante
as quais ela ficou um pouco inquieta, ela finalmente entrou para vê-lo.
Quando ela saiu, ela era uma mulher mudada. Toda a tensão e beligerância
haviam desaparecido e ela me agradeceu profusamente por ter marcado a
consulta - embora eu tivesse feito muito pouco.
Enquanto ele foi instrumental em trazer curas para os outros, ele sempre
se encontrou a pessoa mais difícil de tratar. Na verdade, ele disse que tinha
mais dificuldade com a E.F. do que com qualquer outra pessoa que
conhecesse. Ele chegou um dia no Manhattan Opera House sem voz. Ele
disse em um sussurro rouco sobre o microfone para uma multidão de mais
de cinco mil pessoas, "Se você quiser ouvir uma palestra esta noite você
terá que praticar o que aprendeu. Trate por mim agora". Ele sentou-se e
em completo silêncio orou com eles. Poucos minutos depois, ele voltou ao
microfone com a voz completamente curada e fez uma de suas melhores
palestras.
Depois das palestras do meio-dia de quarta e sexta-feira, ele geralmente
respondia perguntas escritas que eram entregues. Elas sempre valeram a
pena porque alcançaram o cerne dos problemas e aspirações das pessoas.
Durante a Segunda Guerra Mundial, havia muitas perguntas sobre os
homens no serviço, como "Como posso ajudar um homem que está na
guerra". Sua resposta: "Tire o medo do seu próprio coração. Trate-se. Tire
esse medo do seu coração e ele estará seguro. Não me pergunte como; isso
é muito complicado; mas ele irá. Orar até que você se sinta satisfeito. Deus
está com você. Esse é o melhor tratamento de todos. "
Outro exemplo típico: "Os pensamentos de outra pessoa podem me afetar?
Sua resposta:" Somente seus próprios pensamentos podem afetá-lo. Claro,
se você não gosta da outra pessoa e acha que ela quer te machucar, isso vai
te machucar, mas é sua própria crença. Veja o Cristo nele e isso libertará a
ele e a você mesmo ".
Ainda outro exemplo: "O que posso fazer para ajudar meu marido, que está
muito nervoso com um próximo exame?" Sua resposta: "Você pode ajudar
o seu marido, tirando do seu próprio pensamento a idéia de que ele está
nervoso e evidentemente muito tenso. Compreenda a paz e a harmonia, e
então reivindique isso para ele. E quando ele tiver que sentar para o
exame, reivindique que a Inteligência Divina opera através dele - e
acredite!

PESSOAL

Em 21 de maio de 1941, Blanche e eu testemunhamos a cerimônia em que


Emmet Fox se tornou cidadão americano. Foi uma surpresa completa para
nós. Sabíamos que ele amava a América e seu povo, mas não sabíamos que
ele havia empreendido os passos necessários para a cidadania. Ao
entregar seus documentos, ele pegou uma pequena bandeira americana do
bolso e acenou com alegria. Ele nos disse então que queria, por alguns
anos, fazer dos Estados Unidos sua casa, que "era natural" que ele se
tornasse parte dessa grande nação. Ele disse que sempre soube que tinha
uma alma americana e que um dia explicaria o que isso significava. Mas no
momento nós três saímos e comemoramos.
Algumas semanas depois, fizemos uma jornada "misteriosa" com ele ao
longo do rio Hudson. Logo nos encontramos diante de uma casa em
Cohoes, Nova York. E.F. revelou que este era o lugar onde sua mãe e seu
pai originalmente se estabeleceram quando vieram para o Novo Mundo.
Foi onde sua irmã Nora nasceu, e onde, como ele disse, ele foi concebido e
por que ele alegou ter uma alma americana. Mas antes de seu nascimento
ocorrer, sua mãe ficou profundamente com saudades de sua Irlanda natal
e seu pai decidiu voltar para lá. Como resultado, Emmet nasceu em Cork,
na Irlanda, em 30 de julho de 1886. Mais tarde, a família mudou-se para
Londres, onde seu pai restabeleceu sua prática médica e acabou se
tornando membro do Parlamento sob a bandeira do Partido Liberal.
Em uma de nossas conversas, surgiu a questão do casamento. Ele disse,
pensativo: "Pensei nisso mais de uma vez, e percebo que poderia ter vivido
uma vida mais normal e talvez mais feliz, mas sempre senti que o trabalho
era tão importante que tive que renunciar a essas coisas e dedicar todas as
minhas energias e tempo para sair a mensagem ". No entanto, ele sempre
gostava de companhia feminina, tinha muitas amigas e muitas
admiradoras.
Um dos deveres dos curadores da Igreja era acompanhá-lo em casa depois
das palestras, pois sempre havia mulheres esperando por ele quando ele
saía do auditório. No começo, ele estava bastante aberto sobre seu
endereço e planos de viagem, mas essa abertura se transformou em um
constrangimento. Encontrar duas ou três mulheres esperando por ele no
saguão de seu hotel quando ele retornava à noite tornou-se uma
ocorrência comum. Certa vez, quando ele mencionou que estava
navegando em um determinado navio para a Europa, encontrou sua
cabana ricamente decorada com flores. Mandou o administrador removê-
los, dizendo que parecia mais uma funerária do que um camarote. Tendo
aprendido a lição da maneira mais difícil, a E.F. tornou-se mais reservada
sobre seu paradeiro.
No entanto, ele sempre colocou mulheres em um pedestal, dizendo que
quanto mais mulheres eram emancipadas, mais civilização e democracia
avançavam. Ele citou exemplos de como Jesus e seus apóstolos colocaram
as mulheres numa base de igualdade com os homens: a amizade de Jesus
com Marta e Maria; perdoou Maria Madalena em sua batalha pela
sobrevivência com a turba da cidade depois de ser pega em adultério; e
seu sermão para a mulher no poço em Samaria em que ele estabeleceu o
princípio básico do relacionamento do homem com Deus: "Deus é um
Espírito: e aqueles que o adoram devem adorá-lo em espírito e em
verdade" (João 4:24). ).
Em uma das reuniões, uma jovem disse a Blanche: "Como eu invejo sua
sessão ao lado do Dr. Fox nessas longas viagens pelo país". Nós não a
desiludimos explicando que E.F. sempre sentava ao meu lado no banco da
frente.
Como W. John Murray * antes dele, Emmet Fox adotou uma abordagem
muito prática da vida. Quando alguém procurava ajuda espiritual, e ele
também sentia uma necessidade financeira aguda, ele deu assistência. E
como ele se dedicava à expansão do ensino metafísico, ele também ajudou
vários professores e líderes daquele campo em qualquer lugar que os
encontrasse, como fez com Georgiana Tree West. Ela era a líder do Unity
Center, em Nova York, e na época estava no hospital. Era junho e
estávamos saindo para a Europa em poucos dias. Visitamos a sra. West, e a
E.F. assegurou-lhe suas orações e que estas continuariam até que ele
tivesse certeza de que ela estava completamente recuperada (o que ela
fez). Em seguida, acrescentou: "Em momentos como esse, percebo que a
ansiedade sobre como as contas podem ser cumpridas atrapalha a
demonstração. Quero deixar isso com você." Ele colocou um envelope na
mesa ao lado de sua cama e saímos. A sra. West me contou meses depois
como estava maravilhada e grata pela generosidade dele. Dentro do
envelope havia dez notas de cem dólares.
* Fundador da Igreja do Cristo Cura em 1906.
Mandar uma nota de cem dólares para alguém necessitado era sua
maneira favorita de enviar presentes, e incluiu no envelope sua bênção de
que a conta aumentaria e se multiplicaria. Ele nunca tentou acumular
dinheiro ou posses. Ele disse: "Eu preciso apenas de um apartamento;
posso comer apenas uma refeição de cada vez". Ele uma vez recusou um
aumento de salário e nunca pediu dinheiro para si ou para a Igreja. Ambas
as necessidades foram atendidas por uma consciência de prosperidade de
sua parte e da congregação. De fato, uma consciência de prosperidade foi
uma tônica no ensino, pois as reuniões foram construídas durante os anos
da depressão.

TEORIAS E IDÉIAS

E.F. e eu frequentemente falamos sobre teorias abstratas. Uma vez,


enquanto atravessávamos as pradarias a cem quilômetros por hora, eu
disse a ele que parecia estranho sentir os arbustos ao lado da estrada
passando por nós - ou nós - a grande velocidade, e ainda assim as casas e
as árvores à distância pareciam estar se movendo da mesma maneira que
nós.
Ele respondeu: "Nada se move e nada fica parado". Esperei por uma
explicação desse aparente paradoxo. Ele continuou, "Einstein e os
matemáticos poderiam explicar melhor, matematicamente. * Estamos indo
para Nebraska. Levará muitas horas, minutos e segundos para chegar lá.
Se pudéssemos dizer que o carro estava em qualquer Em particular, nessa
jornada, o carro não estaria se movendo, ficaria parado, mas sabemos que
não está. Não importa quão pequeno seja o intervalo de tempo que
utilizamos, a mesma coisa seria verdadeira.
Mais tarde, quando tivemos um encontro com Einstein em Princeton, isso
pareceu estar confirmado.
"Acredito que toda a existência é um estado de consciência na Mente de
Deus, sendo recriada talvez um bilhão de vezes por segundo. Podemos
compará-la ao sinal elétrico com luzes em movimento. Parece que a luz
estava viajando o signo, mas sabemos que é uma ilusão causada pela
iluminação de cada bulbo, por sua vez, por uma fração de segundo - o que
poderíamos chamar de "flashes de consciência" da metafísica. O mesmo
acontece com as imagens em movimento: os atores parecem se mexer, mas
Na verdade, os filmes são uma série de imagens paradas.
"É porque a vida é um estado de consciência que a cura espiritual é
possível. A diferença entre Jesus com suas demonstrações instantâneas e
outros que podem ter que passar algum tempo em oração antes da cura, é
que Jesus tinha uma consciência completa da perfeição. Quando ele
poderia motivar essa crença nos outros, a cura se seguiu. A pessoa foi
"recriada na totalidade".
E.F. também tinha uma teoria sobre aqueles que faleceram recentemente.
Ele achava que às vezes tornavam conhecida a presença de um amigo ou
parente, produzindo um odor de rosas em uma sala. Ele explicou que esse
modo de comunicação era mais fácil para o falecido do que alguns outros
meios que poderiam ser mais eficazes posteriormente. Tal comunicação
tinha acontecido com ele várias vezes em sua vida e ele geralmente
conseguia ter uma noção de quem era a pessoa. Ele compartilhou esse
conhecimento com suas aulas particulares, mas sempre advertiu os alunos
a não fazerem um fetiche: "Desenvolva-se espiritualmente e todas essas
coisas virão até você".
Outra teoria que ele sustentou e discutiu durante suas palestras foi que no
futuro seria possível pensar em um lugar desejado e então ser capaz de se
encontrar lá. No entanto, ele acrescentaria em seu humor inimitável:
"Enquanto isso, até alcançarmos esse estado de consciência, é mais fácil
pegar um táxi ou trem e pagar a passagem".
Ele achava que a humanidade apenas começara a sentir os verdadeiros
poderes residentes na Mente de Deus e, portanto, na mente do indivíduo:
"Existe apenas uma Mente no universo, a Mente Divina, e todos nós somos
individualizações disso - partes indivisas Esta é a verdadeira "imagem e
semelhança". "
Ele também achava que experimentos em ESP, psicocinética, cibernética
etc. eram pegadas nas areias do tempo, levando o homem a novas
descobertas mentais e espirituais. Ele disse da quarta dimensão que ela
poderia ser apreendida matematicamente e que nela o tempo e o espaço se
tornam inextricavelmente ligados: "Esse é apenas o primeiro passo na
consciência expandida, pois na Verdade o universo, tanto físico quanto
mental, é multidimensional. "
Ele acreditava: "Há muitas outras raças de seres além da raça humana.
Conhecemos apenas um pequeno canto do universo. Existem seres que já
foram humanos e que agora avançaram muito além de nossa
compreensão. Existem entidades chamadas anjos que podem ser enviado
por Deus em certos momentos, mas suas aparições neste mundo são
muito, muito raras, e eles não vêm a menos que sejam enviados. Contudo,
os anjos nunca foram humanos. "

Seus editores

Embora Emmet Fox desse palestras para o público de cinco a seis mil
pessoas duas vezes por semana - nas noites de quarta-feira no Manhattan
Opera House e nas manhãs de domingo no Hipódromo - que se pensava
ser a maior congregação contínua nos Estados Unidos, um fato agora que
seu maior público é o leitor de seus livros. Para esse fim, seus editores
realizaram um serviço valioso. A Harper & Row estima que ao longo dos
anos foram doze milhões de leitores de suas edições. Seus escritos foram o
principal método de ajudar as pessoas em todo o mundo.
Quando Emmet Fox veio pela primeira vez para a América, seus escritos,
como "A Chave de Ouro", "Alter Your Life", e outros, foram publicados em
particular como folhetos e distribuídos. Sua famosa interpretação do
Sermão da Montanha foi originalmente feita dessa maneira. No entanto, o
trabalho de publicação cresceu em tais proporções depois de alguns anos,
que se tornou evidente que uma editora estabelecida teria que assumir o
controle. E foi assim que a Harper Brothers (agora Harper & Row) entrou
em cena. Sob o comando de especialistas, uma nova edição do Sermão do
Monte alcançou a classificação de best-sellers em listas de não-ficção e,
desde então, continua sendo um best-seller em listas religiosas. Em 1940,
apenas alguns anos após o lançamento do livro, Harper publicara
dezenove edições.
Edward Larocque Tinker, ilustre historiador e crítico de livros, escreveu
no New York Times Book Review, de 31 de março de 1940: "Este livro é
uma essência condensada de anos de estudo bíblico e metafísico - um
manual prático de desenvolvimento espiritual. (...) Ao explicar os múltiplos
benefícios da perfeita compreensão dos ensinamentos de Jesus, o Dr. Fox,
de forma concisa e sem um traço de sensacionalismo, oferece aos leitores
uma visão profunda da vida e uma escala absolutamente nova de valores
que o Sermão da Montanha apresenta. humanidade.
"Nestes dias de preconceitos desenfreados e apreensões frenéticas,
precisamos ser lembrados, nas palavras calmas e bem escolhidas do Dr.
Fox, do Segredo Esquecido do Poder Pessoal; esse Poder que é ao mesmo
tempo a fonte de todas as coisas - transformando-se em prosperidade,
inspiração e saúde Qualquer um de nós pode usá-lo.
"À luz do cristianismo científico, os pensamentos são as armas para
combater a pobreza, a infelicidade ou a falta de qualquer tipo ... Como
moldamos nossos próprios destinos todos os dias, nossas reações corretas
às experiências são o segredo do sucesso; pois atraímos para nós mesmos
doenças, saúde, riquezas ou pobreza, amigos ou inimigos, inteiramente de
acordo com nossos próprios pensamentos.
"Isto é, em essência, o que Jesus ensinou e inverte toda a religião
convencional ou ortodoxa, pois transforma nosso olhar de fora para
dentro, em busca de ajuda - do homem e de suas obras para Deus.
"A substância do propósito do Dr. Fox é mostrar que todos têm problemas,
problemas de saúde e tudo o mais, mas que com o passar do tempo certas
pessoas atingiram o domínio dessas desgraças e, através de seus próprios
esforços, conseguiram levar vidas felicidade ininterrupta ".
Para citar outra fonte, Albert Linn Lawson relatou no Christian Herald:
"Não há muito tempo me deparei com algo que me surpreendeu e
encantou tanto quanto O Sermão da Montanha de Emmet Fox. ... Parece
que os muitos, muitos volumes escritos sobre o Sermão da Montanha
teriam quase dito tudo o que a língua humana poderia dizer sobre isso ...
Longe disso! Dr. Fox abriu meus olhos e, tenho certeza, também abriu os
olhos. de todos que lêem o seu livro.
"Sua conclusão inescapável é declarada com efeito esmagador ... que agora,
se quisermos 'amadurecer', 'espiritualmente, nós não temos meramente
que nos conformar externamente às regras externas, mas que a mudança
no homem interior também é indispensável Uma lição que o mundo
parece estar em perigo de esquecer. Harper escreveu para o comércio de
livros: "O extraordinário recorde de vendas do Sermão da Montanha foi
alcançado com muito pouco esforço por parte da editora ou do comércio
de livros". O livro falou por si. Em outras palavras, os leitores do livro
promoveram seu sucesso fenomenal porque descobriram que ele
realmente era a chave para uma vida de sucesso.
Os artigos de Emmet Fox começaram a aparecer em publicações como as
revistas Cosmopolitan, Harper's Bazaar, Divine Science Monthly (agora
Aspire) e Unity.
Com os Estados Unidos entrando na Segunda Guerra Mundial em
dezembro de 1941, uma séria escassez de papel se desenvolveu com o
passar do tempo, e os editores foram forçados a distribuir o suprimento de
papel que tinham em uma base de colocação entre todos os seus títulos. No
entanto, a crescente demanda pelo Sermão foi tão constante que esse
plano de racionamento não funcionaria, e uma solução interessante foi
desenvolvida. Outra editora, a Grosset & Dunlap, tinha mais papel à mão
do que o necessário e a empresa concordou em realizar a publicação de O
Sermão do Monte pela duração da escassez de papel. Fred Becker, diretor
de vendas da Harper por muitos anos, escreveu-me: "Três anos depois,
quando exercemos nosso direito de levar o livro de volta, eles ficaram
muito infelizes [de desistir] depois de vender meio milhão de cópias
durante o boom do livro de guerra "
À medida que o livro se tornou cada vez mais popular, Harper sugeriu que
Emmet Fox aparecesse em festas de autógrafos em lojas de departamento
em todo o país. A princípio, E.F. relutou em comercializar seu trabalho
dessa maneira, mas quando Fred Becker e Eugene Exman, editor-gerente
do Departamento de Livros Religiosos da Harper, convenceram-no de que
isso iria difundir o ensino e ajudar um número ainda maior de pessoas, ele
cedeu.
Em uma das conferências de vendas em que a promoção do livro estava
sendo planejada com o executivo e o pessoal de vendas, cada um declarava
o que ele contribuiria para o livro, um deles, outro assim, e assim por
diante. E.F. escutou divertida e depois comentou: "Não posso deixar de
sentir que o autor também faz uma contribuição!"
Ele apareceu em várias festas de autógrafos nas principais cidades do país.
Fred Becker, que o acompanhou, disse: "Uma das coisas mais interessantes
para mim foi estar com Emmet Fox e ver o amor e devoção de seus
seguidores; e alguns dos compradores mais importantes do país ficaram
realmente impressionados".
Em uma festa de autógrafos, E.F. apareceu com Margaret Mitchell, autora
de Gone with the Wind. Embora seus livros fossem diferentes, eles
realmente se divertiram juntos. Com seu senso de humor inesgotável, ele
comentou com a platéia que era apropriado e apropriado ter um ministro
no programa para equilibrar o processo.
Ao autografar livros, Emmet Fox frequentemente prefaciava sua
assinatura com a citação: "Não há nada de bom ou ruim, mas o
pensamento faz com que seja assim." - Shakespeare. Ele sentiu que essa
afirmação do grande Iniciado resumia a essência de seu próprio ensino de
que o pensamento é a chave do destino.
Emmet Fox teve um profundo sentimento de espalhar o ensino metafísico
para outros países e subscreveu a tradução e publicação de uma edição
francesa e espanhola do Sermão. Depois da guerra, Unity procurou erguer
o espírito do povo alemão, publicando e distribuindo naquela língua uma
edição do Sermão. Atualmente, há edições de seus escritos na França,
México, Brasil e Grécia.
A Unity também publicou dois livretos, "The Mental Equivalent" e "Life Is
Consciousness", que são a substância de várias palestras que Emmet Fox
fez na Unity em Kansas City. Estes também alcançaram um grande número
e também foram os meios para curar e mudar vidas. O Dr. Jack Holland, o
conhecido professor do San Jose State College, na Califórnia, testemunhou
publicamente em várias ocasiões que recebeu uma cura de uma doença
séria lendo e concentrando-se em "O Equivalente Mental", embora nunca
tenha conhecido pessoalmente o Emmet. Raposa.
Nos primeiros anos, muitos leitores de outras cidades chegaram ao
escritório de Harper em Nova York, esperando, ingenuamente, talvez,
encontrar Emmet Fox ali e "fazer uma pergunta a ele". Era Eleanor Jordan,
uma das funcionárias da Harper's, que estava completamente
familiarizada com os livros, que atuava como substituta da E.F. e dirigiu o
visitante para o escritório da E.F. E tenho certeza de que a senhorita
Jordan ajudou muitos deles ao longo do caminho espiritual.
Outros trabalhos apareceram no tempo e estes, também, tornaram-se best
sellers por sua vez: Encontre e use seu poder interior, poder através do
pensamento construtivo, faça a sua vida valer a pena, e assim por diante.
Desde a saída de E.F., Stake Your Claim, Os Dez Mandamentos e Diagramas
para Viver (baseados nos manuscritos que ele deixou comigo) apareceram
sob a bandeira Harper, e todos foram publicações de grande sucesso. Fred
Becker afirmou que, até onde ele sabia, havia apenas dois autores cujos
manuscritos se tornaram best sellers após a sua morte: Zane Grey, escritor
de histórias ocidentais, e Emmet Fox.
Também desde a saída de E.F. todos os seus trabalhos foram publicados
em língua francesa, * e tal é o poder de sua palavra que na tradução eles se
tornaram best sellers em todo o mundo francófono. Em uma de suas
palestras em Nova York E.F. disse: "O que importa se o nome de um
homem é Charles, Carlos ou Carl? Ele é um filho de Deus e Deus o conhece
como tal". Assim, também, a verdade como Emmet Fox apresentou é a
verdade em qualquer idioma.
* Librarie Astra, Paris.

Ao longo da estrada

Na nossa primeira viagem para o oeste, no início dos anos 30, o plano era
que Emmet Fox, Blanche e eu viajássemos até Chicago, onde esperávamos
ansiosamente a Feira Mundial que foi aberta lá. Deixamos Nova York de
bom humor, pois nenhum de nós estava mais a oeste do que o Poconos da
Pensilvânia. Enquanto percorríamos as cidades e os Alleghenys e
chegamos a Ohio, a E.F. ficou tão encantada com os Estados Unidos que
decidiu mudar toda a sua programação para que pudéssemos continuar
até a costa oeste. Esta viagem se tornou o precursor de uma jornada anual
para nós três que nos levou por todos os Estados Unidos, Canadá, México e
a maior parte da Europa pré-Hitler, todos feitos de automóvel, de modo
que sempre tínhamos tempo para uma visão completa de tudo.
Nessa viagem, quando chegamos a Chicago, foram enviados telegramas
cancelando alguns compromissos de palestras e mudando outros. Nós
estávamos no Palmer House e em nossa segunda noite lá, um amigo de
Nova York nos olhou espantado quando entramos no saguão. Ele nos
convidou para jantar. Emmet Fox conhecia sua esposa das reuniões, mas
nunca o conheceu. Quando nos sentamos para jantar, ele perguntou: "Dr.
Fox, você se importa se eu tomar uma cerveja com o meu jantar?"
E.F. riu. "Claro que não! Os atletas da Inglaterra treinam cerveja e eu acho
que é muito mais forte que o americano."
Esta foi a primeira Feira Mundial de Blanche e eu já vi, e acabou sendo
mais do que o esperado. Nos anos seguintes, visitaríamos outras feiras do
mundo em São Francisco, Seattle, San Diego e Fort Worth, em Nova York.
Paris e Bruxelas. Emmet Fox sentiu que era importante ver esses eventos
marcantes, pois eles mantinham um par das realizações tecnológicas, e às
vezes espirituais, que eram volving.
Passamos alguns dias passeando e comprando muitos livros. O único lugar
que atraiu a E.F. como um ímã foi uma livraria, especialmente uma de
segunda mão, com livros muito antigos. Essa propensão originalmente o
levou ao movimento metafísico. Enquanto folheava livrarias de segunda
mão em Londres no início de 1900, ele encontrou alguns panfletos
americanos sobre o assunto. E daí em diante ele foi fisgado! Por isso, nós e
milhões de outros agradecemos.
Nós fomos então para o oeste. As estradas ficaram cada vez pior com
trechos de cascalho que se prolongaram por muitos quilômetros. Naqueles
dias não havia estradas completamente pavimentadas em todo o país, não
importa qual rota fosse tomada. Através do Kansas e de Nebraska, havia
muitos quilômetros de estradas que as rodas dos carros haviam
convertido em uma tábua de lavar contínua que criava vibrações que
faziam os dentes dos ouvidos baterem. É incrível como os automóveis
daquela época resistiram à pressão, sem mencionar a resistência do
motorista e dos passageiros. Ao longo das pradarias, parecia que se
percorria o mesmo caminho durante todo o dia, pois o cenário era
imutável, mas a paz profunda da paisagem compensava isso.
Com bom tempo, não importa onde estivéssemos, era uma prática diária
para nós pararmos e entrarmos em um campo para uma meditação de
quinze ou vinte minutos, enquanto Blanche rezava no carro. Oração e
tratamento sempre foram o foco principal do dia. As estações da Western
Union tornaram-se nosso escritório longe de casa e, por meio dele,
mantivemos contato com aqueles que precisavam de ajuda espiritual. A
E.F. sempre foi de poupar tempo e manter-se atualizado. Mas isso não o
impediu de ser uma pessoa divertida. Ele tinha uma boa voz de tenor e
gostava de cantar no carro. O que impressionou Blanche e eu foi que ele
conhecia as palavras de tantas músicas, populares ou clássicas. Ele tinha
uma memória prodigiosa.
Nós também descobrimos logo que ele sabia fatos interessantes sobre a
maioria das cidades maiores pelas quais nós estávamos passando. Uma
vez eu perguntei a ele de qual fonte sua informação veio. Ele respondeu:
"De ler o Brooklyn Eagle em Londres." Eu pensei que no começo ele estava
brincando comigo porque eu vim do Brooklyn. Ele disse que considerava o
Brooklyn Eagle um dos notáveis jornais do mundo e o lera junto com
muitos outros por anos. Conversamos sobre sua mente fotográfica e ele
concordou que tinha uma, mas continuou: "O mesmo acontece com todos
os demais, porque o subconsciente sempre se lembra de tudo que um
indivíduo experimentou. O que as pessoas têm a fazer é treinar suas
mentes para lembrar informações quando necessário. " Ele havia feito
exatamente isso em um grau notável.
Apesar da grande pressão de seu trabalho, ele encontrou prazer em coisas
simples. Certa vez, ao atravessar a ponte sobre o majestoso rio Mississippi,
ele pediu que eu parasse o carro no marcador da linha de estado. Eu fiz
isso e então ele disse: "Vá em frente dois pés." Ele olhou para Blanche no
banco de trás e riu. "Blanche", disse ele, "você ainda está em Wisconsin e
estamos em Iowa, mas teremos você fora de Wisconsin em um instante!"
Um dos lugares em que paramos foi a Unity School, que na época tinha sua
sede em Kansas City, Missouri. Emmet Fox admirava os ensinamentos de
Charles Fillmore, fundador da Unity, e sempre dizia que ele era o filho
espiritual de Fillmore.
Emmet Fox escreveu: "Eu vejo Charles Fillmore como estando entre os
profetas. Ele nos deu algo que os grandes profetas nos deram. Um profeta
é aquele que tem certo contato com Deus em um grau muito raro e dá isso
ao seu Ele é uma estação de transmissão para Deus, todos nós conhecemos
os grandes profetas da Bíblia, e tem havido alguns fora deles: Charles
Fillmore é um dos grandes homens desta geração, embora desconhecido
para o mundo As coisas que realmente são dele não são as coisas que são
tão aparentes na superfície. Eu sou um dos seus filhos espirituais. "
Por isso, foi um grande prazer e um evento inspirador finalmente
conhecer Charles Fillmore, seus filhos Lowell e Rick, Ernest Wilson, que
era e ainda é um escritor e palestrante popular da Unity, e toda a equipe da
Unity School. E.F. foi convidada para falar em uma reunião especial dos
trabalhadores e funcionários da 917 Tracy, a sede da Unity em Kansas City,
e depois para os estudantes da Unity Farm. E tivemos o prazer de ouvir
Ernest Wilson.
Nós ficamos no Muehlebach Hotel em Kansas City, mas depois mudamos
para o pequeno hotel em Unity Farm. Em uma ocasião, tivemos uma
refeição antecipada no refeitório, pois a E.F. falaria naquela noite em uma
grande reunião ao ar livre. A palestra foi bem recebida e depois muitas
pessoas fizeram fila para falar com ele. Já era tarde quando estávamos
voltando para o hotel e E.F. disse-nos: "Tivemos uma refeição tão cedo,
sinto fome". Nós prontamente concordamos que nós também estávamos.
"O que você acha que nós dirigimos para o Muehlebach para dar uma
mordida!" Lá fomos nós.
Quando voltamos para o hotel no Unity Farm, tudo foi muito tranquilo, não
com uma alma ao redor. Nossos quartos ficavam no segundo andar, e
enquanto subíamos a escada levemente iluminada, E.F. sussurrava: "É
melhor tirarmos nossos sapatos para não acordar ninguém". Quando
chegamos ao topo, E.F. largou um dos seus sapatos e desceu as escadas. Ele
sussurrou para nós com uma risada, "Seus pecados sempre vão te
encontrar." Nós nunca aprendemos se nossos pecados foram ou não
descobertos, pois nunca ouvimos nada sobre o assunto.
Em outra noite, estávamos sentados na varanda em frente à lanchonete,
bebendo vacas negras (uma deliciosa mistura de cerveja preta e sorvete de
baunilha) com Charles Fillmore e vários outros. Estava muito quente, e
alguém mencionou como as moscas eram irritantes, às quais Charles
Fillmore, com seu senso de humor, respondeu: "Pode haver algumas
moscas por aqui, mas não há moscas em Jesus". Com sua beleza e
espiritualidade ambiente, Unity era um lugar divertido para se estar.
Isso também aconteceu com o parentesco da Igreja da Ciência Divina, co-
fundada por Nona Brooks e localizada em Denver, Colorado. Se Charles
Fillmore era o pai espiritual de E.F., Nona Brooks era certamente sua mãe
espiritual. Ele adorava ela e nós também. Quando Blanche e eu nos
encontramos pela primeira vez Nona Brooks numa manhã em um hotel em
Omaha, Nebraska, Blanche escreveu em seu diário: "Ela é uma das pessoas
mais charmosas que eu já conheci. Eu poderia ouvi-la falar o dia todo, ela é
tão interessante." Nos encontramos no saguão. Nona estava usando um
pequeno chapéu e, com sua reserva inglesa, E.F. inclinou-se para trás e
beijou sua testa. Ela corou até as têmporas! Passamos o dia com Nona; ela
estava a caminho do leste e nós estávamos indo para o oeste.
Houve uma seca prolongada e devastadora no Oriente Médio e vimos a
evidência disso em toda parte: terra seca, gado morto nos campos e
pessoas deixando suas fazendas de poeiras de pó em carros frágeis com
todos os seus parcos bens na esperança de encontrar um "melhor pasto"
na Califórnia. Em uma ocasião, a poeira que soprava pela estrada era tão
severa que tivemos que parar o carro. E.F. disse: "Este é um bom momento
para rezar pela chuva". Ficamos lá talvez vinte minutos; a tempestade de
poeira diminuiu e continuamos. Mas em meia hora tivemos que parar de
novo. Havia tanta chuva descendo que não podíamos ver a estrada.
Ficamos ali agradecendo, como provavelmente outras pessoas estavam
fazendo, porque a tempestade havia quebrado a longa seca.
Na tarde seguinte, ao passarmos por uma pequena colina, recebemos
nossa primeira visão da espinha dorsal geológica do país, a grandeza azul e
dourada das Rochosas, esticada no horizonte. Saímos do carro e
agradecemos a Deus por nos trazer àquele lugar memorável.
Chegamos a Denver um ou dois dias depois e tivemos nossa primeira
apresentação cara-a-cara a todas as pessoas da Primeira Igreja Divina da
Ciência e à Faculdade de Ciências Divinas do Colorado, a sede do
movimento. Foi lá em 1932 que Emmet Fox deu uma palestra sobre "O
Destino Histórico dos Estados Unidos - O Mistério do Dinheiro
Americano", que foi posteriormente publicado pela Harper & Brothers. Já
em 1938, algumas das previsões que ele fez naquela palestra já se
tornaram realidade.
Com o passar dos anos, fizemos muitas visitas a Denver, durante as quais
E.F. lecionou e todos nós tivemos um grande momento. Fomos
verdadeiramente apresentados à hospitalidade do Ocidente. Uma vez
fomos levados para um jantar no Heidi's Chalet. Todos estavam lá, pessoas
que conheceríamos e amaríamos nos anos seguintes. A Heidi parecia ter
sido carregada pelo tapete mágico da Suíça e colocada em um cenário
similar nas Montanhas Rochosas. Outros lugares que visitamos foram Red
Rock Park e o Jardim dos Deuses. Nós conhecemos nomes famosos e
lugares do oeste como Central City e sua pequena, mas famosa Opera
House dos dias da corrida do ouro, onde Jenny Lind e outros cantores
famosos haviam cantado. Lá também, George Rasely, que era solista em
nossos cultos de domingo em Nova York, havia cantado "The Bartered
Bride".
Em uma viagem a Colorado Springs, a E.F. começou a dizer logo no início,
"Pike's Peak or bust!" assim como os primeiros pioneiros costumavam
fazer. Ele estava se tornando mais americano a cada quilômetro do
caminho. Eventualmente nós começamos a trilha longa e áspera até o topo
do pico. E.F. ficou muito feliz e continuou repetindo "Pico ou pico de Pike" -
a uma altura de 14.000 pés. Quanto mais subimos, mais difícil era para o
carro respirar. De humor jovial, E.F. disse: "Devemos apelidar esse Ford
Chamois, porque isso nos leva a todos os lugares que queremos ir". A
partir de então, teríamos uma nova "Chamois" a cada ano, registrando
cerca de 30.000 milhas por ano. Naquela época, não sabíamos que Henry
Ford acabaria se interessando pelos livros de Emmet Fox e os solicitaria de
nosso escritório em Nova York.
Mas nesta viagem nossa "Chamois" não estava exatamente saltando de
pico a pico, mas sim de rocha em rocha. Era uma estrada difícil e o
oxigênio estava ficando rarefeito para "Chamois" e para nós. A certa altura,
saí e ajustei o carburador, o que era fácil de fazer com os mecanismos
simples dos primeiros carros. "Chamois" fez melhor depois disso, e
finalmente chegamos ao estacionamento não muito longe do topo, já que a
E.F. continuou com seus gritos de "Pike's Peak or bust!"
Quando parei o carro, ele saiu pela porta para ser o primeiro a chegar ao
topo - mas não contava com a altitude. Ele tinha ido a uma curta distância
quando estava completamente sem fôlego e teve que deitar na estrada.
Quando recuperou o fôlego e o humor, ele disse: "Os primeiros pioneiros
certamente devem ter sido muito resistentes".
Uma de nossas viagens nos levou a Nevada, onde vimos antigas cidades de
mineração, algumas das quais eram cidades-fantasmas com apenas as
conchas de edifícios ainda de pé. Paramos para almoçar em Tonopah.
Havia apenas um hotel e, quando estacionamos o carro, vimos uma mulher
saindo do que aparentemente era o bar, carregando uma grande lata de
cerveja. E.F. riu e disse: "Assim como os pubs da Inglaterra. Lá eles saem
por uma porta lateral com uma caneca embaixo do xale". Mas o "pint" em
Tonopah parecia mais dois litros.
Atrás do hotel havia uma colina que parecia se elevar abruptamente e
parecia que poderia deslizar e engolir todo o edifício a qualquer momento.
Entramos no restaurante que ostentava "Home Cooking" em suas janelas,
e E.F. comentou: "Sempre desconfio da comida caseira ao longo da
estrada". E por experiência nós concordamos com ele.
O proprietário, como a maioria dos ocidentais, era amigável e falador. Ele
nos entregou um cardápio maltratado e perguntou: "Onde vocês estão?"
"Nova York", respondemos.
"Poderia ter dito que você estava no chão quando você entrou no
porta."
Eventualmente a refeição foi servida. Ele veio de novo. "Que negócio
estás dentro?"
"Eu sou um clérigo", respondeu E.F.
"Oh, você é um daqueles companheiros pregadores. Bem, reverendo, você
ver aquela montanha atrás do hotel? "
Piscando para nós, a E.F. respondeu: "Não dá para errar!"
"Bem, reverendo, todo dia eu olho para aquela montanha, e como a Bíblia
diz, eu digo a ela: 'Seja removido e lançado no mar'. Eu faço isso há muitos
anos, e ainda não mudou. " Ele falou como um desafio, como se dissesse:
"Você é um pregador: faça algo sobre isso".
Saímos do hotel com a colina ainda parada ali e, um pouco depois,
desejamos ter deixado a refeição lá também.
Passamos aquela noite na pequena cidade mineira de Ely, cujo bar local
tinha um pequeno cassino. Depois do jantar no hotel E.F., que sempre quis
ver tudo, disse com ar de brincadeira: "Vamos ser ousados de verdade,
entrar e dar uma olhada".
Havia uma multidão grosseira dentro, mas não hesitamos e andamos
corajosamente, pensamos, até o bar. Parecia que todo rosto se voltava para
nós, mas nos sentíamos encorajados quando víamos uma moça cuidando
de um bar. Nós nos atrapalhamos com o que pedir, E.F. e Blanche
finalmente tomando café, e eu, esperando salvar a cara, pedi uma cerveja.
A cerveja veio rapidamente, mas o café tinha que ser feito. Quando Blanche
pediu leite para ela, a garçonete disse: "Querida, aposto que você está
sendo muito contente com isso. Eu sei o que fiz quando fui a um bar em
Mexicali pela primeira vez". E então ela acrescentou: "Não temos leite. Só
usamos café para deixar sóbrios alguns de nossos clientes".
Em um ou dois dias chegamos à fronteira da Califórnia. Dirigir para a
Califórnia era como atravessar a fronteira para um país estrangeiro.
Guardas fronteiriços examinaram a bagagem e o carro, procurando por
frutas e vegetais carregando besouros ou alguma outra praga agrícola. Eles
também observaram outras coisas. Por vários anos, os chamados Okies,
agricultores das tigelas de poeira de Oklahoma e outros estados, se
dirigiram para a Califórnia para vender qualquer coisa que eles tivessem
para se tornarem solventes novamente.
Com sua propensão para colecionar livros, E.F. tinha cerca de cinquenta ou
sessenta deles no carro. O inspetor olhou para os livros e perguntou:
"Senhor, o que você vai fazer com todos esses livros?"
E.F. respondeu: "Vou lê-los". "Você tem certeza de que não vai vendê-los
na Califórnia? Em que negócio você está?"
"Eu sou um clérigo."
"Oh", disse o inspetor, "você é um reverendo. Bem, acho que está tudo
bem." E ele passou por nós. Isso aconteceu com variações quase toda vez
que cruzamos para a Califórnia.
No final da tarde, decidimos parar na primeira cidade em que viemos.
Fazia calor quando a cidade ficava perto do deserto e poucas pessoas
estavam por perto. Nós perguntamos a um sujeito onde o melhor hotel na
cidade era. Ele pensou um minuto e depois disse: "Bem, há dois hotéis na
cidade, pequenos, e não importa qual você escolher, você desejaria ter
escolhido o outro". Não havia ar condicionado naqueles dias e então um
ventilador soprando ar quente ao redor da sala era o único meio de obter
algum alívio. Mas na tarde seguinte, perto do fundo do Vale da Morte,
encontrámos um dispositivo de arrefecimento muito engenhoso.
O Vale da Morte era mais maravilhoso do que havíamos previsto. O cenário
era absolutamente estupendo com formações fantásticas e cores. À medida
que avançávamos cada vez mais, miragens apareciam de tempos em
tempos. Os lagos e corpos de água que realmente não existiam eram o
fenômeno da natureza que causou a morte de tantos pioneiros que foram
atraídos para eles enquanto procuravam água para eles mesmos e seus
rebanhos. No entanto, apesar desta história trágica, a cena era muito
bonita.
Sinais de alerta alertaram os viajantes para não se desviarem das estradas
principais que foram patrulhadas e para não deixar o carro em caso de
avaria. O calor seco era muito enganador. Ninguém sentiu qualquer
transpiração porque secou tão rapidamente.
Mais ou menos na metade do caminho, paramos no famoso Zabry-skie
Point, onde pudemos ver os lugares mais profundos e mais altos dos
Estados Unidos simultaneamente. E.F. disse: "Eu li sobre isso e vi fotos
dele e da Equipe de Bórax de 20 Mulas na Inglaterra, mas isso supera em
muito minha imaginação". Bem abaixo de nós, as salinas tremeluziam sob
o sol quente - o segundo lugar mais profundo da Terra - e, ao longe, erguia-
se o monte coberto de neve. Whitney, o ponto mais alto.
Mais tarde naquela tarde, enquanto descíamos em direção ao fundo do
Vale da Morte, nossa grande surpresa era um oásis - um rancho de
tamareiras com o nome muito convincente na temperatura de 120 graus
do Furnace Creek Ranch. Anos mais tarde, no Oriente Médio, teríamos uma
experiência semelhante, mas esse foi nosso primeiro contato com novas
plantações de palmeiras. Aqui no Furnace Creek Ranch eles tinham
acomodações para pernoite para o pé do leste. E.F. estava tão fascinado
que disse: "Vamos passar a noite aqui", embora fossem apenas três da
tarde. Com a temperatura tão alta do lado de fora, ficamos surpresos ao
descobrir que dentro das cabines a temperatura era de apenas 80 °. O ar
condicionado foi conseguido permitindo que a água gotejasse através de
uma caixa de palha colocada na janela e o poder de evaporação do calor
seco do lado de fora esfriava o ar que entrava na cabine. Nós passaríamos
uma noite muito confortável.
A longa tarde e a noite não foram desperdiçadas. Muitas vezes, em épocas
como essa, E.F. escrevia um pouco de sua melhor escrita e trabalhávamos
juntos em um novo livreto programado para ser lançado no outono.
Alguns anos mais tarde, quando revisitamos o Vale da Morte, a E.F. teve
um pressentimento de que deveríamos percorrer algumas milhas pelo
Vale e conhecer o Vale da Morte Scotty. Enquanto na Inglaterra E.F. tinha
ouvido falar de Scotty e suas façanhas e queria ver o próprio homem se
possível. Então lá fomos nós, e depois de dirigir por algum tempo no calor
e na poeira ficamos com muita sede. Uma placa na estrada, "Stove Pipe
Wells", só servia para confirmar nossa sede, e não paramos para
investigar. Quando, depois de mais algumas horas, ainda não havia sinal de
habitação, E.F. disse: "Acho que essa situação exige tratamento espiritual".
Não muito tempo depois do tratamento, chegamos a uma pequena cabana
à beira da estrada com uma placa grosseira: "Restaurante - Cozinha
caseira". Outro sinal "Home Cooking"! E.F. riu e disse: "Eu acho que é parte
do nosso carma, mas certamente é melhor que nada". Nós estávamos com
mais sede do que com fome. Descobrimos que tínhamos uma escolha de
refrigerante quente, cerveja quente, leite morno ou água fria. O dono era
um velho garimpeiro que finalmente se acomodara e tinha uma vaca
pastando em que grama poderia ser encontrada entre os cactos. Nós
pedimos sanduíches de ovo frito e água fresca que veio de uma fonte
próxima.
Este velho fermento nos disse que ele tinha prospecção de ouro por
muitos anos, na esperança de torná-lo rico como Scotty, mas suas
amostras tinham sido escassas e ele finalmente desistiu. Ele também
reconheceu que seu restaurante não estava indo muito bem também,
principalmente porque não havia muitos viajantes por aí.
Vale da Morte Scotty foi acreditado para ter uma mina de ouro secreta, e
de vez em quando ele iria subir as colinas para sustentar essa impressão.
Ele tinha uma reputação de fazer gestos incomuns e caros. Ele contratou
um trem especial de Atchison, Topeka e Santa Fe Railroad para definir a
corrida mais rápida de Los Angeles a Chicago. Ele também construiu o
"Scotty's Castle", um castelo mouro de dois milhões de dólares em
Grapevine Canyon, projetado pelo famoso arquiteto Frank Lloyd Wright.
Ao nos aproximarmos, o castelo parecia uma miragem dos contos das Mil e
Uma Noites, muito bonitos e grandiosos para serem acreditados, ladeados
por altas palmeiras e uma piscina. Tudo isso no meio do deserto! O prédio
era de mármore italiano, a cozinha e os banheiros eram de azulejos
espanhóis, a sala de música tinha um piano de cauda e a sala de jantar
tinha candelabros de cristal.
Chegamos à entrada e tocamos a campainha da porta. E.F. identificou-se ao
criado e disse que gostaria de ver o Sr. Scott. (A reserva inglesa de E.F.
ainda não tinha sido completamente dissipada.) O homem pediu-nos para
por favor esperar. Em minutos, o próprio Scotty saiu para nos
cumprimentar. Descobriu-se que Scotty lera O Sermão da Montanha e
ficou muito feliz em conhecer pessoalmente o autor. Fomos convidados
para jantar e passar a noite lá.
Tínhamos uma boa refeição servida num ambiente suntuoso e, como
sempre acontece em boas festas, nós quatro nos retiramos para a cozinha,
os azulejos espanhóis nas paredes dando-lhe grande beleza. Scotty, usando
seus dez litros e botas, sentou-se em um canto com os pés em uma cadeira,
mastigando tabaco. Havia um spitoon por perto, e Scotty raramente sentia
falta disso. Então ele nos contou histórias de seus primeiros tempos
difíceis na prospecção de ouro, e foi bom ouvir as histórias do próprio
homem.
E.F. perguntou: "Scotty" - tornou-se Scotty agora - "o que você faz quando
tem um problema real?"
"Bem, reverendo, eu fico sozinha com um litro de gim pirata, e eu penso
nisso." E então ele riu e disse: "Eu não sou um homem religioso, mas eu
rezo também".
Muitas pessoas sabem agora um segredo que ficou bem guardado por
muito tempo: Scotty ficou muito rico. Albert M. Johnson, de Chicago,
presidente da National Life Insurance Company, e um homem de
considerável riqueza, estava muito doente com tuberculose. Scotty
persuadiu-o para o clima seco do deserto, onde ele morava no barraco de
Scotty. Johnson foi curado e, como resultado, ele financiou Scotty em todas
as suas façanhas incomuns.

MÉXICO

Em 1935 fizemos nossa primeira viagem ao México e mencionamos o ano


porque a vida lá era muito mais primitiva naqueles dias. Tínhamos que ser
vacinados e, embora fosse um incômodo, vimos a sabedoria disso quando
estávamos no México e passamos por algumas casas com avisos dizendo
"Viruela" (varíola).
Emmet Fox sempre foi divertido nessas viagens. Em Gettysburg, na
Pensilvânia, ele comprou Pluto, o filhote, como um mascote, e uma caixa de
doces de Barbara Fritchie como um gesto patriótico.
Seguindo a Sky Line Drive, uma das estradas mais bonitas do leste dos
Estados Unidos, passamos a noite no Stonewall Jackson Hotel, em
Staunton, Virgínia. Na manhã seguinte, E.F. desceu para o café da manhã
rindo cordialmente. Como em nós mesmos, um garçom chegara ao seu
quarto com pequenas xícaras de café preto e a saudação: "Bom dia, você se
importaria com a abertura dos olhos". "E.F. maliciosamente comentou
conosco," eu me pergunto se eles servem a todos os ministros! "
No dia seguinte, paramos para almoçar no Nu-Wray Hotel em Burnsville,
Carolina do Norte, onde nos reunimos com trinta ou quarenta pessoas em
uma mesa comprida que estava coberta com travessas de comida
deliciosa. Nós nunca vimos tanto em uma mesa em qualquer outro lugar, e
E.F. disse: "Não adianta eu contar para as pessoas na Inglaterra sobre isso.
Eles nunca acreditariam nisso."
Nós ficamos na sala de jantar tanto tempo que perdemos o tempo para a
estrada de sentido único até o Monte. Mitchell, o pico mais alto da cadeia
dos Apalaches; mas com o tratamento, o guarda simpático nos deixou
passar e fizemos a subida. Magníficas vistas ao redor. . . Mais tarde,
passando pelas Smoky Mountains, ficamos emocionados ao ver os índios
Cherokee acampados ao longo da estrada. A EF disse brincando: "Eu não
esperava encontrar índios tão perto de 'casa'", e então acrescentou: "Na
Inglaterra há algumas pessoas, especialmente os jovens, que têm uma
ideia de que os indianos estão galopando pela Broadway [Nova York] ] "
No dia seguinte, paramos em Little Rock, no Arkansas, que anos depois
chegou às manchetes sobre conflitos com programas de integração
escolar. Nós achamos uma cidade capital pacífica e interessante. Três dias
depois, estávamos em San Antonio, onde cada um de nós pegava um cartão
de turista, mas como E.F. ainda tinha status de "estrangeiro", ele precisava
tirar uma foto.
Finalmente, estávamos na fronteira em Laredo, no Texas, e descemos o
que é provavelmente um dos mais longos trechos de estrada reta para
Monterrey.
Ficamos no Colonial Hotel, que estava situado em um parque, e à noite,
vimos uma visão interessante. Meninas com seus acompanhantes
andavam em um grande círculo sob as árvores, e os meninos caminhavam
na outra direção. Havia muito sussurro, que os mexicanos chamam de
"bisbiseo", e carregava um efeito musical silencioso. Eventualmente,
algumas das meninas e meninos saíram aos pares sob os olhos
discretamente vigilantes dos acompanhantes. E.F. comentou: "Isso não é
de forma alguma como Londres ou Nova York, mas nos países latinos há
uma tendência de proteger mais as meninas. É o estilo mexicano" menino-
encontro-menina ".
Tínhamos a intenção de partir na manhã seguinte, mas chegou a notícia de
que, devido às chuvas torrenciais, a estrada para a Cidade do México
estava intransitável. Fizemos bom uso do tempo e visitamos um
maravilhoso mercado de frutas. Mas nós tínhamos sido avisados para não
comer nenhuma fruta crua. Nós fomos para o Palácio do Bispo em uma
colina fora da cidade. Tinha sido ocupado por apenas um bispo em 1800,
mas o prédio e o cenário ao redor ainda eram impressionantes.
Pela tarde nós fomos para a Montanha de Chipinque belamente cênica. Nós
três fizemos um passeio de burro pelo Huastic Canyon. Achamos um pouco
ridículo para os adultos andarem em animais tão pequenos, mas depois,
quando chegamos mais ao México, descobrimos que esse era o meio usual
de viagem, como aconteceu no tempo de Jesus, então ficamos muito felizes,
afinal de contas. assemelhar-se a uma imagem da Bíblia. Tiramos fotos um
do outro e tudo correu bem até que o guia, cansado de caminhar sobre o
terreno acidentado, pulou sobre o burro que a E.F. estava pilotando. E.F.
pensou que era muito para o animal, assim nós voltamos a nosso carro
contente, mas sentindo que burros não podem emparelhar as almofadas
macias de um automóvel. Naquela noite, fomos ao cassino para ver o estilo
mexicano do jogo, que acabou sendo muito parecido com cassinos de
todos os estilos, com a maioria das pessoas perdendo e alguns ganhando
dinheiro.
No dia seguinte, as chuvas cessaram e pudemos continuar. Durante dois
dias dirigimos para o sul, passando por exuberantes campos de vegetação,
plantações de cana-de-açúcar e cabanas indianas de colmo. Nós fomos em
direção a uma cidade chamada Tomazunchale que nós apelidamos Thomas
de 'Charlie. Ficamos surpresos ao descobrir que tínhamos que atravessar,
através de barcaças, três rios que transbordavam para chegar lá. Cada
barcaça segurava dois carros e estava presa a um cabo amarrado do outro
lado do rio. Os barqueiros manobraram a barcaça para que a pressão da
água fluíssima a impulsionasse pelo rio. Onze anos depois, quando fizemos
outra viagem à Cidade do México, pontes finas atravessaram os rios.
Ficamos um pouco desapontados, no entanto, que o turismo trouxe tantas
outras mudanças. Pequenas cidades haviam se tornado grandes, hotéis
eram maiores, a Coca Cola ficava e os outros sinais de comercialismo
estavam por toda parte.
Chegamos a Tomazunchale depois de escurecer. Em todas essas cidades,
os meninos queriam agir como guias, quer houvesse algo para ver ou não.
E como os carros naqueles dias tinham estribos, não havia escapatória. A
única maneira de resolver o problema era selecionar um deles. Assim nós
escolhemos nosso guia e fomos para o Hotel Vega, mas por causa da
recente hora havia "nenhum quarto na hospedaria" para Emmet Fox. Ele
estava sempre preocupado que devíamos ter o melhor, então tínhamos
nosso quarto lá e ele ficou por perto com uma família mexicana.
Naquela época, a Rodovia Pan-Americana não foi concluída, e
Tomazunchale foi o ponto de partida para a escalada ao longo de uma
estrada íngreme, que atingiu uma altitude de 8.300 pés a partir do qual,
em seguida, caiu em Cidade do México, cuja altitude é de 7.400 pés, uma
das mais elevadas no mundo. O hoteleiro aconselhou-nos a estar no nosso
caminho por 6:00 como a estrada seria fechada ao meio-dia.
Então começamos a brilhar e cedo. Estávamos a dezesseis quilômetros de
distância de Tomazunchale, subindo constantemente na estrada
lamacenta, quando fomos parados por uma fila de dez vagões. Por fim,
havia mais quarenta pessoas atrás de nós, carros com membros do Lions
Clube Internacional que realizavam uma convenção na Cidade do México.
Mas essa era a graça salvadora - sempre havia anjos em nossos ombros.
Por causa da convenção, o governo mexicano ordenou aos engenheiros
que tornassem a estrada aceitável. Mas uma semana antes, as chuvas
torrenciais causaram um deslizamento de terra neste ponto específico,
cortando completamente o acesso. Os engenheiros, que estavam usando
uma pá a vapor para cavar a estrada novamente, tiveram a tarefa quase
concluída na noite anterior à nossa chegada. Eles haviam deixado a pá a
vapor parada no meio da estrada estreita, já que não havia outro lugar
para ela. No entanto, a natureza jogou um truque e um aguaceiro naquela
noite causou outro deslizamento de terra, enterrando a pá a vapor.
Gangues de operários tentavam cavar um caminho por cima da pá a vapor,
pois não havia maneira de contornar isso.
Ficamos sentados no carro tratando e orando por eles, assim como por
todos nós envolvidos. Meninos jovens vieram das aldeias e E.F deu-lhes
alguns pesos. Muito em breve, por alguma forma de "telepatia", havia
dezenas de garotos vindo ao carro com folhetos, enquanto o capataz do
trabalho tentava espantá-los. Os nativos dos vales chegaram com
refrigerante quente e cerveja quente, e E.F. comprou bebidas para os
operários. Levou sete horas em calor intenso, mas os operários nunca
pararam. E. F. observou: "Não há ninguém na Inglaterra ou na América que
trabalhe assim". Nós tivemos uma grande admiração pelos mexicanos.
Finalmente, a primeira tentativa de colocar os carros sobre a pá a vapor
começou. Continuamos tratando como o primeiro carro foi puxado com
cordas por vinte e cinco ou trinta homens, enquanto o motorista fez o seu
melhor para ajudar com o motor. Às vezes, os carros ficavam presos e os
operários engatinhavam para libertá-los, ou um grupo deles levantava a
carroceria do carro. Quando chegou a nossa vez, insisti que Blanche e E.F.
saíssem e andassem. No final nós fizemos isso e fomos para uma cidade
com o nome estranho de xmiquilpan.
Uma surpresa estava nos esperando lá. Já era tarde e bastante escuro e
fomos cercados pelos guias habituais. Selecionamos um menino e ele nos
conduziu por uma rua escura. Continuamos dizendo: "Hotel, hotel", e ele
continuou respondendo: "Não, mizzizzoney, mizzizzoney". Quando
finalmente chegamos ao que parecia um hotel, ficamos sabendo que, mais
uma vez, não havia quartos. O hoteleiro também disse: "Mizzizzoney.
Muchacho leva você."
Não havia mais nada a fazer senão seguir as instruções do nosso guia por
uma rua até um grande portão de ferro. Ele pulou do estribo, correu até a
parede de adobe e puxou uma corda. Ouvimos um sino batendo à
distância. Demorou muito para que alguém respondesse que Blanche e eu
tínhamos certeza de que estávamos desperdiçando nosso tempo, mas E.F.
insistiu: "Vamos apenas saber que Deus está trabalhando nessa situação e
cuidando de nós".
Logo um velho se curvou como o corcunda de Notre Dame chegou ao
portão com uma lanterna. Nosso guia falou muito espanhol e o homem
desapareceu na escuridão. Outra espera e, em seguida, uma visão de
amabilidade em um vestido branco esvoaçante apareceu, carregando uma
lanterna. Ela falou conosco em inglês e perguntou quantos em nosso
grupo. Eu disse: "Três". Ela perguntou se havia uma mulher conosco e,
quando respondi: "Sim, minha esposa", ela disse: "Deixe que ela venha
comigo. A senhora Honey gostaria de conversar com ela". Blanche e a
dama foram para a escuridão. Eles logo voltaram com um convite da Sra.
Honey para nós passarmos a noite em sua vila. Fora da escuridão; dentro
da magnificência.
Quando a Srta Gravelly, que nos encontrou no portão, percebeu que era
Emmet Fox (ela havia lido alguns de seus folhetos), ela estava ansiosa para
falar com ele. Fomos apresentados à Sra. Honey, que estava tendo uma
crise de malária. Depois do jantar, Emmet Fox passou várias horas com
eles.
E de manhã a Sra. Honey estava bem o suficiente para tomar café da
manhã conosco. Antes de nos separarmos, ela disse que estava ansiosa
para nos encontrar com seus filhos, que estavam no negócio bancário na
Cidade do México. Acontece que a consulta não pode ser marcada.
Ao nos aproximarmos da Cidade do México mais tarde naquele dia,
tivemos nossa primeira visão do Popocatepetl e seu vulcão irmão com o
nome impronunciável de Ixtacihuatl - A Mulher Adormecida. Mais uma vez
os hotéis foram preenchidos, mas a E.F. não foi perturbada. Ele disse:
"Vamos tratar enquanto andamos pelas ruas". Seguindo o fluxo do tráfego,
viramos uma esquina, e lá na nossa frente havia uma placa: o Hotel Regis.
E.F. disse imediatamente: "Encontraremos quartos lá". Nós fizemos - um
lindo apartamento de cobertura com vista para toda a cidade.
Encontramos a Cidade do México uma cidade bonita, não diferente de
Paris. Havia tanta coisa para ver e fazer que mal sabíamos por onde
começar. Mas E.F., sempre interessado no simbolismo bíblico e oculto, logo
estava no museu pesquisando o presságio que primeiro levou os astecas a
fundar essa cidade no início do século XIV.
Os sacerdotes astecas haviam dito que iriam estabelecer sua cidade,
Tenochtitlan, em um lugar onde encontraram uma águia empoleirada em
um cacto, segurando uma cobra em seu bico. Estes tornaram-se parte do
simbolismo mexicano. No simbolismo egípcio, uma cobra também é usada.
O ankh na testa da esfinge é um somador (representando o Espírito). * A
águia é um símbolo de vitória espiritual e material. O Espírito sempre
subjuga a natureza inferior, representada por uma cobra que, quando
finalmente espiritualizada, não desliza mais pela grama para morder o
calcanhar do homem (seu ponto vulnerável), mas toma sua cauda em sua
boca, evoluindo para o símbolo da eternidade.
* Veja Diagramas para a Vida, pp. 73 e 74.
Encontramos muitos mexicanos de origem asteca e maia e suas obras
pareciam-se com a dos egípcios que E.F. sentiam que ambos deviam ter
sido parte da civilização Atlante. Visitamos as grandes pirâmides do Sol e
da Lua, a Pirâmide do Sol é maior que a Pirâmide de Gizé, no Cairo. Suas
pedras são menores, mas suas passagens e abóbadas de sepultamento são
semelhantes. Há uma diferença, no entanto, entre os dois. Acredita-se que
essas pirâmides no México foram usadas para sacrifícios humanos. Da
Pirâmide do Sol à Pirâmide da Lua fica a Avenida dos Mortos. Os lados
inferiores das estruturas são frequentemente decorados com figuras
grotescas. Os construtores das pirâmides do México aparentemente
tinham conhecimento de astronomia e tempo calculado em um calendário
bastante preciso.
Também visitamos vários edifícios públicos, todos belamente dispostos,
mas afundando lentamente (pelo menos naquela época), porque a Cidade
do México é construída em grande parte no Pantanal e a drenagem natural
afetou as fundações dos edifícios. No entanto, isso também foi uma bênção.
Os terremotos ocasionais na área não são tão severos quanto seriam.
Enquanto estávamos na Cidade do México, houve alguns tremores, mas
não estávamos alarmados. E.F. comentou: "Debaixo estão os Braços
Eternos".
Igrejas e catedrais estão por toda parte no México. Na cidade de Puebla,
entramos em uma igreja ricamente decorada com ouro, e E.F. avistou um
soldado com uma arma escondida atrás de um dos pilares. Ele sussurrou
para nós: "Eles não estão se arriscando conosco." Em Cholula se diz que
existem 365 igrejas e capelas, uma para cada dia do ano. Nós não paramos
para contá-los! Alguns foram construídos em cima das ruínas de lugares
de adoração mais antigos. Não pudemos deixar de observar a pobreza
contrastante de muitos dos habitantes.
Em nosso caminho para o Nevada de Toluca, um vulcão com dois lagos no
topo, tivemos que passar por uma passagem a 10.000 pés. A estrada era o
mesmo tipo de lama pegajosa que encontramos na Rodovia Panamericana,
e ficamos presos em uma enorme poça que atravessava a estrada.
Mais trabalho de oração tinha que ser feito. Nós vimos muito poucos
carros, mas novamente E.F. disse: "Bem, nós tratamos antes de vir nesta
viagem, e Deus está providenciando um caminho". Na verdade, a oração
sempre foi um pré-requisito. Não demorou muito para que um ônibus
viesse da direção oposta, carregado de homens pendurados em todos os
lados dele. Quando eles viram a nossa situação, cerca de vinte deles vieram
andando pela lama e empurraram nosso carro para o chão seco. Pesos
distribuídos livremente, e outros do ônibus se juntaram à boa sorte de
seus companheiros de viagem. Para nós foi realmente uma dádiva de Deus.
Este era o tipo de doação que sempre viam os mexicanos oferecendo.
Antes de sairmos do México, fizemos um passeio de barco entre os jardins
flutuantes de Xochimilco. Eu digo passeio de barco, mas era mais como
uma pequena barcaça completamente enfeitada com um pálio e flores.
Outros pequenos barcos vieram junto com fotógrafos e nativos que
vendem bugigangas, bolos doces e bebidas. O refrigerante colorido estava
em toda parte. E.F. juntou-se à diversão e tiramos fotos.
Queríamos atravessar o México até Acapulco, que então era apenas uma
pequena vila de pescadores no Oceano Pacífico, mas nosso tempo estava
se esgotando e tivemos que seguir para o norte. Conseguimos ver uma
tourada antes de sair. A fanfarra e resposta da multidão foi interessante,
mas depois de ver um par de touros mortos, tivemos o suficiente e saiu.
Seu bem singular, pensamos, era a distribuição de carne para os pobres.
Descobrimos que, no caminho de volta à fronteira, a estrada melhorou um
pouco. (Mesmo assim, tivemos que comprar quatro pneus novos no
Texas.) Nossa parada para a noite foi na pequena cidade de Jacala, onde
encontramos um engenheiro de minas britânico chamado Tom Simpson
que nos levou para um pequeno hotel. Tendo tido um toque de disenteria
na Cidade do México, não nos arriscamos com a nossa dieta e pedimos
ovos cozidos e chá para o jantar. E.F. era um bebedor de chá confirmado,
então Blanche e eu geralmente pedíamos chá também. Ele disse que ele
bebeu apenas café para fazer a próxima xícara de chá saborear melhor.
Nos EUA e Canadá, a E.F. tentaria ensinar garçons e garçonetes a fazer chá.
Ele abominou um pequeno bule de água quente com o saquinho de chá
enrolado no gargalo da panela ou deitado no pires. Ele mandava de volta,
explicando pacientemente que o saquinho de chá devia ser colocado na
panela primeiro e que a água fervente era derramada sobre ele. Uma tarde,
ao cruzar o Lago Michigan - uma viagem de seis horas de barco - pedimos
nosso chá habitual. Quando o mordomo, um sujeito bastante corpulento,
trouxe em uma panela muito pequena, E.F. pediu um pouco mais de água
muito quente. Nós esperamos tanto tempo, o chá ficou morno, e quando o
mordomo finalmente reapareceu com um jarro de água quente grande o
bastante para tomar banho, ele explicou que foi fervido "especial". Depois
de alguns anos, E.F. cedeu e disse: "É melhor eu me ater à metafísica".
Mas desta vez no México tivemos um problema diferente. O chá estava
quente, como E.F. gostava, mas sua cor era de limonada pálida e
certamente não cheirava nem tinha gosto de chá. Usando meu melhor
espanhol (enquanto E.F. ria da minha luta com a língua), eu disse para a
garçonete: "Mas te!" (Mais chá). Ela pegou o bule de chá e, quando voltou,
ficou um pouco mais amarelada. Isso continuou várias vezes até que ela
encolheu os ombros e se afastou. Descobrimos depois qual era o problema.
Eles não tinham chá de verdade, mas ferviam as folhas da laranjeira no
jardim.
Naquela noite dormimos nas camas mais duras que já tivemos.
Na manhã seguinte, Tom Simpson nos convidou para sua casa para o café
da manhã e mais do que compensou a falta da noite anterior. Ele tinha a
mesa disposta com prata e cristal e linda porcelana inglesa, e um delicioso
café da manhã inglês.
Finalmente chegamos a Laredo, no Texas, vários dias depois.
No entanto, esse não foi o fim do México para nós. No ano seguinte,
voltando da costa oeste, pegamos uma rota sul pelos EUA, cruzando a
fronteira várias vezes. Uma das cidades era Mexicali. A garçonete que
havíamos conhecido um ano antes no cassino de jogos de azar em Ely,
Nevada, disse que ganhou sua experiência naquela cidade "aberta". Agora
entendemos exatamente o que ela quis dizer.
Nós ficamos em El Paso durante a noite e naquela noite visitamos a cidade
de Juarez através da fronteira. Sua maior atração era sua prisão. Era um
evento ao ar livre com muros altos, sem teto e imensos portões de ferro
que pareciam mais abertos do que fechados. Embora nos sentimos um
pouco desconfortáveis quando os portões se fecharam atrás de nós, o guia
sussurrou em inglês quebrado: "Não tenha medo. Nada vai acontecer".
Alguns prisioneiros sofreram pequenas infrações, outros mais graves,
como uma mulher que estava a condenar a prisão perpétua por assassinar
o marido. O guia disse: "Ela fala inglês". E.F. estava ansioso para falar com
ela. O guia foi até onde ela estava deitada em um catre e deu-lhe uma
cutucada, mas sem resposta. Ele fez isso algumas vezes, e a única resposta
foi um espanhol resmungando e ela se virou. E.F., com seu humor, disse:
"Afinal, se ela vai estar aqui o resto de sua vida, ela não vai ter seu sono
perturbado por turistas". Alguns prisioneiros esculpiam abridores de
cartas de chifres de touro, que, dadas as circunstâncias, pareciam armas
letais. Compramos vários deles e a E.F. virou-se para nós e disse: "Talvez
estivéssemos mais seguros se os comprássemos todos!"

EUROPA

Embora Emmet Fox viajasse frequentemente para a Europa, não foi até
1937 que o acompanhamos. Depois de uma travessia muito agradável,
desembarcamos do S.S. Berengaria em Cherbourg, na França, em um dia
muito quente. Paramos em um café para uma garrafa de Cidre Bouche. E.F.
comentou que era melhor do que qualquer coisa feita na Inglaterra e nós
adicionamos "ou nos EUA". A Normandia é conhecida por sua excelente
sidra, doce e dura. Era a nossa bebida preferida a caminho de Paris, e em
Paris, no Fouquet's, era servida como champanhe num balde.
Passamos nossa primeira noite no Hotel Angleterre, em Caen, e Blanche e
eu ficamos surpresos ao ouvir o chocalho de E.F. em francês à proprietária
que o cumprimentou: "Monsieur, você fala um francês tão bom". Então,
pensando que também o fizemos, ela se virou para Blanche e disse: "Vous
etes tres jolie!" Ela repetiu várias vezes enquanto Blanche sorria
indulgentemente, e então se virou para E.F. para tradução. Ele estava
corando um pouco quando disse: "Ela diz que você é muito bonita". E
então Blanche corou também. Esta foi a nossa introdução à hospitalidade
da França.
* Veja o capítulo, O lado psíquico-espiritual.
E.F. deliciou-se em visitar as catedrais, museus e galerias da Europa. Então,
na manhã seguinte, fomos à famosa catedral de Lisieux, o santuário da
Pequena Flor. Com a orientação especializada da E.F., a Europa tornou-se
não apenas o Grand Tour, mas também foi um curso de pós-graduação em
belas artes, arquitetura e história temperada com intrigas políticas e
religiosas. Seu conhecimento era absolutamente surpreendente e ele
poderia facilmente ter reescrito o Baedeker's Guide, a Bíblia dos viajantes
naqueles dias.
No caminho para Paris, tivemos uma breve olhada na catedral de Rouen e
também no mercado. O almoço em um dos restaurantes finos deu-nos o
nosso primeiro sabor de algumas das deliciosas especialidades francesas
da região. Depois fomos para o Grand Hotel em Paris, do qual E.F. gostava
especialmente de sua mãe e seu pai de lua de mel. Não havia "nenhum
quarto na pousada", mas o hotel graciosamente providenciou reservas
para nós no Chateau Frontenac, que seria nossa casa em Paris não apenas
naquela época, mas também em 1938, 1950 e 1951, e da qual EF acabaria
por tomar a sua partida final.
Nosso passeio incluiu o Louvre, especialmente a Mona Lisa, as Tuilleries e
a Catedral de Notre Dame. Blanche e eu queríamos ver as gárgulas e a E.F.
disse: "Eu as vi antes, mas você não deve sentir falta delas." Então subimos
enquanto ele estava sentado na catedral e fizemos um tratamento
espiritual.
Em nossos passeios, uma das coisas que Blanche e eu não esperávamos era
uma visita a um cemitério. Foi Père Lachaise, um dos cemitérios famosos
da Europa, onde a lista de pessoas enterradas lá é como um quem é quem
do teatro, música, história e artes. Visitamos várias sepulturas: Sarah
Bernhardt, Victor Hugo, Bizet e Verdi, de quem a música E.F. gostava
especialmente. Cada site recebeu uma bênção quando passamos. Este
seria, quatorze anos depois, o lugar onde as cinzas de Emmet Fox
repousaram durante um mês antes de serem trazidas de volta à América
em seu navio favorito, a Ile de France. Na época de nossa visita a Père
Lachaise, E.F. disse: "Todos os bons ingleses e americanos vêm a Paris para
morrer". Quão profético ele era!
Paris tem tantos excelentes restaurantes com comida "fora do mundo" que
só se pode mencionar os favoritos. Emmet Fox também tinha o seu
próprio. Ocasionalmente, jantávamos no Maxim's, famoso por Toulouse
Lautrec, onde a E.F. sempre insistia em colocar um pequeno banquinho
para Blanche. Particularmente ela me disse que não precisava de uma, mas
gostou da idéia "fofa".
Como favorito, E.F. gostava de almoçar em Fouquet's, nos Champs-Elysées,
onde na maior parte do tempo tínhamos filé de linguado e uma garrafa de
Sylvaner. As noites nos encontraram em La Coupole, em Montparnasse. Le
Dome ficava ao lado e era o famoso ponto de encontro de Ernest
Hemingway, o F. Scott Fitzgerald, e outros da multidão artística e literária.
(Anos mais tarde fomos conhecer Ernest Hemingway quando ele era
"mestre de cerimônias" na festa de gala do S.S. Flandre, onde Blanche era o
principal cantor.)
No Fouquet's, a E.F. estava especialmente interessada em um jovem
ajudante de garçom, muitas vezes lhe dando presentes em dinheiro. O
rapaz devia ter catorze ou quinze anos, mas era muito empreendedor e
ansioso por fazer um bom trabalho. Ele usava um casaco de cauda que era
mal ajustado e sapatos muito grandes. Depois que E.F. ficou amigo dele, o
garoto disse que as roupas pertenciam ao pai que tinha sido garçom. A EF
virou para nós: "É assim que acontece na Europa. Os meninos seguem os
passos do pai. Se ele continuar trabalhando como ele, provavelmente será
garçom algum dia. Mas quanto melhor é na América, onde menino tem a
oportunidade de ser o que ele se encaixa para ". (A Europa era assim
naqueles anos, uma situação que mudaria depois da Segunda Guerra
Mundial. Por mais devastadora que tenha sido, a guerra também teve
efeitos construtivos. Ela alterou as atitudes das pessoas e hoje o sistema na
Europa está muito mais próximo dos americanos. idéia de oportunidades
iguais para todos.)
E.F. queria que Blanche e eu víssemos tudo o que pudéssemos em Paris.
Ele conhecia Paris tão bem quanto Londres. Assim, experimentamos todas
as facetas da vida parisiense, do exaltado ao comum, de ouvir uma missa
na Madeleine, até assistir os dançarinos em uma boate apache, onde os
homens usavam suas boinas e trajes coloridos enquanto dançavam com as
mulheres. Uma noite fomos a um restaurante na seção de Montmartre. No
topo do Butte, há a famosa catedral de Sacre Coeur, com suas cúpulas
brancas reluzentes, com vista para toda Paris - uma vista ou noite
verdadeiramente magnífica. Nesta ocasião em particular, o restaurante em
que paramos era um lugar gay com música e dança. Um jovem de
aparência inteligente aproximou-se, curvou-se e pediu à E.F. em francês
permissão para dançar com a filha. Todos nós rimos e o jovem ficou
envergonhado. E.F. explicou as circunstâncias; o sujeito olhou para mim e
retirou-se graciosamente. E.F. nos disse que seu francês era temperado
com um sotaque alemão.
No devido tempo, começamos a nossa viagem. Tanto Hitler quanto
Mussolini estavam no poder, mas, como americanos, não tivemos
problemas em atravessar nenhuma das fronteiras. Em um caso,
atravessamos uma pequena parte da Alemanha sem passaporte. Os
guardas de fronteira alemães não falavam inglês, mas chamavam
gentilmente uma moça de uma casa próxima, que falava alemão e francês.
Então tivemos uma tradução dupla de inglês para francês para alemão, E.F.
atuando como tradutor de inglês para francês. Os guardas da fronteira
sabiam da situação e nos deram um visto temporário.
Inadvertidamente, Mussolini nos ajudou. Seu governo colocou certas
restrições sobre salários e preços, e como resultado tivemos que comprar
cupons de hotel antes do tempo. Isso funcionou a nosso favor. A E.F. tinha
apenas uma regra na seleção de hotéis - o melhor. Então, tudo o que
tínhamos que fazer era agendar nossa agenda de viagens com
antecedência, comprar nossos cupons de hotel e as reservas eram feitas
automaticamente. Quer fosse Roma, Florença, Siena ou Veneza, tivemos o
melhor.
O primeiro lugar que E.F. queria visitar em Roma era o de São Pedro. Na
sua entrada, os guardas suíços pararam Blanche porque ela usava um
vestido com mangas curtas. Ela já havia coberto a cabeça com um véu.
Tiramos um casaco do carro e ela teve que andar por aí usando no calor.
Havia pequenos grupos de visitantes dentro, com guias explicando todas
as maravilhas, mas com nosso próprio guia especial, o próprio E.F., logo
tivemos uma multidão de ingleses e americanos ao nosso redor. Seu
magnetismo havia assumido. Quando saímos de São Pedro, de repente
ouvimos algumas vozes gritando: "Dr. Fox! Dr. Fox!" Eram pessoas de Nova
York que frequentemente participavam de reuniões. Eles insistiram que
nos juntássemos a eles para o jantar no famoso Alfredo's, onde o
espaguete é um ritual, assim como um deleite culinário. O reconhecimento
de Emmet Fox era tão comum na Europa sofisticada quanto nos
"selvagens" da América.
No dia seguinte, visitamos as catacumbas de Roma, onde os primeiros
cristãos se esconderam para fugir das autoridades romanas. E.F. apontou
os símbolos de peixe inscritos nas paredes que eram as primeiras insígnias
dos cristãos antes da cruz. Seguimos cuidadosamente o nosso guia romano
através do labirinto mal iluminado, como ele advertiu, talvez com a língua
na bochecha, que no passado havia pessoas que nunca tinham sido
encontradas e nós poderíamos acreditar nele.
Certa noite, fomos a uma ópera ao ar livre nas belas ruínas perto do
Coliseu. Era uma noite de luar, e com as colunas imponentes ao nosso
redor, um cenário encantador. A E.F. conseguiu assentos no corredor. A
orquestra começou as notas familiares de La Traviata, quando de repente
a música parou e ouvimos aplausos e aplausos à distância. Mussolini
passou ao nosso lado enquanto as pessoas assobiavam e aplaudiam com
absoluta liberdade, muito parecida com a de um público americano. E.F.
disse-nos: "Não é isso que temos lido nos jornais.
Em Florença, visitamos os famosos museus e a catedral. E.F. nunca se
cansou. Ele estava tão ansioso quanto um estudante universitário. O sol
começava a se pôr quando chegamos à famosa Ponte Vecchio, e um brilho
dourado se refletiu no rio Arno. Havia um espaço entre as lojas no meio da
ponte onde podíamos olhar e foi lá que E.F. pediu a Blanche para cantar a
famosa ária italiana, "O Mio Bambino". Blanche hesitou, mas E.F. insistiu.
Finalmente, ela começou a cantar em voz baixa, e finalmente uma multidão
se reuniu, e E.F. gostou de seu novo papel de impressario. As pessoas
aplaudiram no final e jogaram moedas. E.F. disse brincando: "Talvez
devêssemos continuar com isso e poderíamos pagar nossa passagem pela
Europa".
Em Siena, com sua catedral listrada de zebra, foi a vez de E.F. ser impedida
de entrar. O tempo estava muito quente e ele havia deixado o casaco no
carro, que estava estacionado a certa distância. Em vez de recuperá-lo, ele
riu e usou a desculpa das uvas azedas de "não querer vê-lo de qualquer
maneira".
Chegamos de gôndola no cais de desembarque do Grand Hotel em Veneza
para descobrir trinta ou quarenta malas carregadas. Estes pertenciam ao
duque e à duquesa de Windsor que presentemente apareceram e
embarcaram na sua lancha particular. A delícia foi que temos a sua suite
com os nossos cupons de hotel! Aprendemos um fato importante sobre
Veneza: era preciso usar sapatos confortáveis. Por mais pitorescos que
sejam os canais, há muitas pequenas pontes abobadadas com degraus
subindo e descendo. E.F. disse que ele podia entender, embora ele não
concordasse com o que U.S. Grant declarou sobre Veneza, que seria
realmente uma grande cidade se eles preenchessem os canais e fizessem
as ruas decentes deles. E.F. acrescentou: "Praticidade típica americana -
mas não muito romance".
Nós fizemos um monte de viajar por Veneza de gôndola, especialmente à
noite depois do jantar. Naquela época, não havia tanto tráfego de barcos a
motor quanto hoje. As gôndolas se reuniam em torno de uma plataforma
iluminada flutuando no Grande Canal, em frente ao Palácio dos Doges, na
Praça de São Marcos. Cantores e músicos sentavam-se na plataforma, e um
tenor nunca deixava de cantar "O Sole Mio" pelo menos uma vez durante a
noite. E.F. adorava cantar e se juntou aos outros. Ele tinha uma voz de
tenor agradável e uma vez ele persuadiu Blanche a fazer um dueto que
terminou em aplausos e gritos de "Bravo! Bravo!"
E.F. tinha dois lugares favoritos em Veneza: a coluna alta com o leão alado
em cima na beira da água na Praça de São Marcos, e a balaustrada com os
quatro cavalos de bronze do Apocalipse em frente à magnífica Basílica de
São Marcos. Ele ficou fascinado com isso e explicou que seu simbolismo
ilustrava como os sábios das eras, desde os tempos pré-históricos, haviam
transmitido ensinamentos "interiores".
Ao sair de Veneza, foi o desejo da E.F., por motivos próprios, visitar o Dr.
Carl Jung na Suíça em 30 de julho, aniversário da E.F. No entanto,
calculamos mal o tempo necessário para passar pelos passes alpinos, pois
não conseguimos resistir a ver toda a beleza ao nosso redor. Chegamos a
Zurique em 31 de julho e a E.F. passou a tarde com o Dr. Jung. Quando se
separaram, cada um tinha uma admiração crescente pelo trabalho que o
outro estava fazendo.
A caminho de Montreux, subimos de carro até a cidade de Leysin,
escondida nas montanhas onde ficava a Societe des Etablisements
Terapias de Helio. E.F. queria uma visão em primeira mão do grande
trabalho que o Dr. A. Rollier, o fundador, estava fazendo através da
helioterapia na cura da tuberculose óssea em crianças e dos pulmões em
adultos. Foi uma experiência emocionante. E.F. perguntou ao Dr. Rollier
como ele havia começado seu trabalho. Dr. Rollier respondeu que começou
quase por acidente, mas ele sentiu que era providencial. Alguns anos antes,
seu cachorro sofreu um corte profundo na perna e o médico enfaixou-o.
Não demorou muito, no entanto, antes que o cão tivesse desligado. O
médico colocou outra atadura, amarrada com mais segurança, mas dentro
de meia hora o cachorro a soltou. O Dr. Rollier, curioso para saber como o
cão conseguiu isso, enfaixou a perna novamente e colocou o cachorro em
uma sala onde ele podia observá-lo. O que o médico descobriu foi mais
importante do que como a bandagem saiu. Assim que o cachorro o
removeu, deitou-se em um raio de sol, expondo a ferida aos raios de cura.
O cachorro foi logo curado. Dessa observação nasceu a ideia do Dr. Rollier
de usar a luz do sol para curar pessoas.
Muitos dos pequenos pacientes que vimos vieram das Ilhas Britânicas,
onde a luz solar é limitada. Olhamos para as primeiras fotografias de seus
ossos em frangalhos e, após alguns anos de tratamento pela luz do sol, eles
estavam dançando para nós, ansiosos como qualquer jovem. Eles usavam
chapéus brancos e shorts brancos. O Dr. Rollier explicou que ele só usava a
luz do sol antes das 9 da manhã quando havia uma preponderância de
raios ultravioleta. Ele insistiu que os pacientes mantivessem suas cabeças
e costas do pescoço cobertos o tempo todo. Ele deplorou a noção de
pessoas assando por horas ao sol e disse que estavam apenas cortejando
problemas futuros. "A luz solar", disse ele, "deve ser usada como a maioria
dos medicamentos em pequenas doses". Aos poucos, ao longo de um
período de dias, seus pacientes foram finalmente expostos ao sol por meia
hora na frente e nas costas.
Os adultos tuberculosos estavam deitados de bruços em camas externas
especialmente construídas para que pudessem usar as mãos para montar,
entre outras coisas, máscaras de gás. Assim, enquanto se curavam,
estavam fornecendo os meios para os outros se ajudarem na guerra que
todos sentiam que viria.
E.F. perguntou ao Dr. Rollier se os pacientes estavam em uma dieta
especial. O Dr. Rollier respondeu: "Nós lhes servimos qualquer alimento
que o sol brilhe!"
Oito ou nove dias depois, cruzamos o canal para a Inglaterra e, a partir do
momento em que desembarcamos, a E.F. estava cheia de entusiasmo para
mostrar tudo o que podia. Talvez ver sua terra natal através dos olhos de
dois "estrangeiros" deu-lhe novo ímpeto e prazer. Sua energia nunca
cedeu. Ele nos deu uma história de corridas enquanto viajávamos por
Canterbury, Oxford e Stratford-on-Avon, de modo que nossas cabeças
zumbiam com a informação e nossos pés doíam com o excesso de esforço.
Acho que vimos todas as catedrais e abadias da Inglaterra.
Nós dirigimos ao longo da costa da Cornualha, mergulhando no País de
Gales e na cidade de Bath, onde os romanos haviam se estabelecido; e
assim por diante, através de cidades com nomes galeses impronunciáveis
que, como E.F. explicou, geralmente descreviam o lugar; e às vezes
intrigante como Mouse Hole. Nós ficamos no penhasco em Land's End, que
os romanos chamavam de Bellerium, olhando para o oeste em direção à
América. E.F. perguntou a Blanche (ele estava sempre reagindo às coisas),
"O que você sente aqui?"
Ela respondeu: "É lindo, mas melancólico, como se houvesse chorado
muito aqui".
Ele concordou e depois mudou um pouco o assunto, dizendo que a
Inglaterra provavelmente seria um deserto gelado, não fosse pela
beneficência da corrente do Golfo vinda daquela costa distante. Mais tarde,
quando passamos por Penzance, E.F. cantou uma música da opereta de
Gilbert e Sullivan.
Em Londres, ficamos no Savoy, cujas acomodações incluíam uma banheira
quase do tamanho de uma piscina. Depois do jantar, E.F. decidiu ler em seu
quarto. Blanche decidiu tomar um banho quente. Eu fui dar uma volta.
Quando voltei, ela tinha uma típica história britânica para contar. Quando
ela se acomodou na longa banheira com um mistério de Agatha Christie,
ela subitamente se viu deslizando sob a água. Agarrando-se a qualquer
apoio, ela segurou uma alça de prata pendurada na parede. Ela se
recompôs e recostou-se novamente em seu romance encharcado, quando
ouviu uma voz masculina na porta perguntando discretamente: "Você
ligou, senhor?" Aquela alça de prata era um sino para chamar o criado,
nesse caso ele respondeu.
E.F. nos mostrou o máximo de Londres possível no tempo que nos restava.
Entre as nossas primeiras paradas estavam a Torre de Londres, a Catedral
de St. Paul e a Abadia de Westminster, e as Casas do Parlamento onde o pai
de E.F. tinha sido um membro. Ele nos disse que sua mãe estava entre as
primeiras mulheres a poderem sentar na galeria. (A este respeito, é
curioso que em 2 de julho de 1962, Blanche e Sra. Dunn, a esposa do
advogado que lidou com a propriedade Emmet Fox, estavam entre as
primeiras mulheres permitidas no Clube de Advogados em Gray's Inn para
almoçar , a rainha, é claro, ter sido absolutamente a primeira vez. Sempre
sentimos que a EF havia providenciado.)
Vendo o Palácio de Buckingham e a troca da guarda era uma obrigação.
E.F. insistiu que eu fizesse um filme de Blanche passando pelo guarda em
sua guarita. Ele disse: "Uma visita a Londres não estaria completa sem ela".
Às vezes eu senti que E.F. deveria ter sido um diretor de cinema. Muitas
vezes, quando eu estava tirando fotos, ele organizava os detalhes, se
Blanche estava sentada em uma cerca nas Montanhas Rochosas ou em um
café em Paris.
Ele nos levou a várias salas de aula onde ele havia falado ou realizado
reuniões em anos passados. Entre eles estavam o Wigmore Hall, onde dava
palestras aos domingos e o famoso Albert Hall. Uma tarde saímos do
centro de Londres para parar em frente a um prédio onde havia um Centro
de Pensamento Superior. E.F. disse que a mulher que conduziu as reuniões
tinha sido professora da escola, e ela conduziu as reuniões enquanto tinha
a sua sala de aula. Na metade da palestra, ela parava, abria as janelas,
pedia ao grupo que se levantasse e dissesse: "Inspire, cheire os pinheiros,
respire saúde; agora exale suas idéias negativas". Ela fez o exercício várias
vezes, sempre enfatizando: "Cheire os pinheiros". E.F. disse que ela era
uma boa professora de New Thought, mas ele nunca conseguia sentir o
cheiro dos pinheiros. O único odor que ele podia discernir era o aroma de
lúpulo sendo preparado na rua em uma cervejaria. Em pé na rua, notamos
o mesmo odor. A cervejaria ainda estava lá; o Higher Thought Center
mudou-se para outro lugar.
Enquanto estávamos lá, tivemos nosso primeiro encontro com limpadores
de chaminés. Dois deles desciam a rua com seus chapéus altos, carregando
vassouras e outras parafernálias, e cobertos de fuligem da cabeça aos pés.
E.F. disse: "Herman, pegue sua câmera. Precisamos tirar uma foto de
Blanche com esses dois". As varreduras foram muito gentis - e muito
pensativas. Um ficava de cada lado dela, colocando as mãos dentro de uma
polegada de seus ombros. E.F. comentou: "Não seria Londres sem
varreduras de chaminés". Mais tarde, em uma loja de souvenirs, a E.F. nos
comprou uma pequena chaminé para levar para casa e "ele" ainda mora
conosco.
A vida em Londres mudou-se a um ritmo rápido. Um sanduíche e cidra
inglesa no Cheshire Cheese, chá no telhado do Selfridge's com uma
esplêndida vista de Londres, e no rosbife à noite no Simpson's on the
Strand, onde um enorme assado foi trazido à mesa e esculpido de acordo
com a escolha - absolutamente delicioso. À noite fomos a uma
apresentação ao ar livre do Sonho de uma Noite de Verão de Shakespeare.
E.F. estava muito orgulhoso de sua Londres. Domingo de manhã nos
encontrou em Petticoat Lane, onde vimos cockney vestindo suas roupas
com vários botões. A Petticoat Lane era uma série de barracas onde
qualquer coisa de segunda mão era vendida. A maioria dos traficantes
eram honestos, mas por causa das multidões havia outros tipos que
frequentavam o lugar. E.F. disse em voz baixa: "Este é um lugar onde você
pode ter seu relógio levantado em uma extremidade da rua, e vendido de
volta para você na outra." Depois acrescentou: "Somos bons alunos da
verdade; portanto, isso não acontecerá conosco".
Antes de sairmos de Londres, ele nos levou para um passeio no subsolo e
nos contou de uma demonstração que ele havia feito quando ele era um
engenheiro elétrico que trabalhava na tecnologia do metrô. Uma seção
específica foi concluída e os engenheiros estavam prontos para ligar a
energia. A notícia foi passada para que os operários se retirassem da área.
Embora o sinal de retorno total foi dado para a linha. E.F. teve um
sentimento muito forte de que algo estava errado. Ele tratou sobre isso e
sentiu que ainda havia um homem que não tinha sido notificado sobre o
poder de ligar. Ele insistiu que uma verificação completa fosse feita, o que
levaria algumas horas. Outros membros da tripulação chamavam isso de
absurdo e uma perda de tempo. Mas, na verdade, havia um homem que
trabalhava em uma área isolada e ele teria sido eletrocutado!
No dia seguinte, Blanche e eu partimos para Liverpool, onde
embarcávamos no S.S. Samaria e, três semanas depois, E.F. retornou ao
Queen Mary.
OS FORTES DE MUDANÇA

Mil novecentos e quarenta foram mais um ano. A Igreja mudou seus


escritórios para o Hotel Astor em março; e nossas reuniões recuaram para
o verão em 9 de junho. A Itália declarou guerra à França em 10 de junho, e
começamos em um rápido tour investigativo e de palestras com a E.F. em
18 de junho.
Nessa viagem, nossa primeira parada foi no famoso Sanatório Battle Creek,
do Dr. Kellogg, onde encontramos um de seus assistentes, o Dr. Olson, que
conduziu Emmet Fox e eu pelos prédios. E.F. estava especialmente
interessado nas técnicas de cura usadas, e o Dr. Olson as explicou, usando
uma terminologia médica que E.F. facilmente entendeu, tendo crescido
com um pai médico.
O dia seguinte nos encontrou em Zion, Illinois, conversando com o Sr. e a
Sra. Voliva da Igreja Católica Cristã. Eles não acreditavam em drogas,
médicos, fumo, café ou álcool, mas acreditavam na cura pela oração.
Em Davenport, Iowa, fomos recebidos por B.J. Palmer, fundador da
Chiropractic School of Healing. Ele sabia de E.F. e seu trabalho de cura, e
até hoje muitos quiropráticos ainda recomendam os folhetos de Emmet
Fox, como "The Golden Key" e "The Seven Day Mental Diet", para seus
pacientes. B.J., ansioso para explicar sua teoria da cura, nos mostrou
gráficos e um esqueleto do corpo humano, apontando as tensões e tensões
que ocorrem especialmente na coluna vertebral. Ele deu a E.F. um
tratamento quiroprático para demonstrar as técnicas usadas, em
particular sub-luxating a espinha, e liberando o pescoço e os ombros.
No dia seguinte, estávamos em Kirkville, Missouri, a fonte da Escola de
Cura Osteopática. Passamos a manhã indo ao hospital e estudando suas
técnicas, semelhantes em relação às quiropraxistas, e a E.F. experimentou
um tratamento osteopático lá. Perguntei-lhe como se sentia depois desses
tratamentos e ele disse: "Ótimo! Muito flexível", ao que respondi: "Acho
que vamos ter dificuldade em acompanhar você nesta viagem!"
Emmet Fox sentiu que a verdadeira cura naturalmente veio de Deus, mas
que o homem havia encontrado maneiras diferentes de trazer aquela
condição excelente, então ele não deixou pedra sobre pedra em sua busca
para entender o máximo possível. Acima de tudo, ele queria ganhar sua
consciência através da experiência real. Como resultado, em suas
palestras, ele sempre falava da força nascida do conhecimento em
primeira mão.
Em alguns dias, estávamos na sede da Unity, no 917 Tracy, em Kansas City,
onde já havíamos estado tantas vezes antes. E.F. deu uma palestra aos
trabalhadores e aos estudantes, que foi seguida pelo almoço com Charles,
Cora, Lowell e Rick Fillmore. De tarde fomos para a Unity Farm, onde uma
convenção estava em andamento. Margaret Truman estava lá e levou
alguns minutos para relaxar na piscina. Um grande número de nossa
própria congregação em Nova York também estava na fazenda. E.F. havia
anunciado casualmente no último culto que ele estaria falando na Unity.
Nossa próxima parada foi em Denver, onde a Escola de Verão da Divine
Science estava em andamento, e a E.F. estava ocupada dando palestras
para os estudantes e realizando o culto na igreja no domingo. Nossos
amigos de Denver estavam ansiosos para nos mostrar. A área de Denver
está cheia de história do oeste e assim era nosso carro. E.F. tinha
acumulado uma verdadeira biblioteca sobre os primeiros dias do oeste.
Visitamos o túmulo de Buffalo Bill e deixamos nossa bênção sobre aquele
herói. E também deixamos nossa bênção na Mina de Ouro Tabor, onde
Baby Doe (Sra. Tabor) morreu em uma cabana.
Então, em nossas investigações de cura, fomos para os banhos quentes em
Thermopolis, Wyoming, onde os visitantes procuravam alívio para o
reumatismo e outras doenças. Os banhos estão a uma altitude de mais de
4.000 pés, e era interessante que não muito longe o petróleo estivesse
sendo bombeado para fora do solo.
Nossos amigos de Denver nos disseram que o nascer do sol do topo do
Monte. Washburn no Parque Nacional de Yellowstone foi uma visão
inesquecível. Então, E.F. nos levou a caminho às 3h30 da manhã, na
penumbra e no ar frio que serpenteavam por uma trilha que não tinha
largura suficiente para o carro. Começou a chover e, apesar de todo o
nosso tratamento espiritual, nunca vimos o nascer do sol, mas como a
Bíblia diz, "Deus providenciou alguma coisa melhor". Nós vimos a
tempestade mais espetacular. Nós estávamos tão alto que o raio podia ser
visto entre os picos das montanhas mais baixas e nos vales abaixo.
Chegamos ao hotel a tempo para um café da manhã muito necessário, e
então o sol saiu em todo o seu esplendor. Tudo em todos bastante um
show!
Ao sul de Yellowstone encontram-se algumas das montanhas mais
acidentadas do mundo, os Grand Tetons. Enquanto ficar lá no Jenny Lake
Ranch, a E.F. pensou que seria divertido andar a cavalo. Ele se saiu melhor
do que eu e Blanche como ele havia montado no Central Park em Nova
York. Partimos na trilha em direção ao Lago Solitude, com meu cavalo na
liderança. Tudo correu muito bem por um tempo, exceto que meu cavalo
gostava de correr na frente e me vi segurando as rédeas com uma mão e
meus óculos com a outra. Assim que chegamos a uma curva na trilha, meu
cavalo subitamente girou e galopou na outra direção. Eu o peguei para
encarar, mas ele ergueu suas pernas traseiras. E.F. se apressou, pegou as
rédeas e o guiou de volta. Quando voltamos à curva novamente, avistamos
a causa do pânico, um enorme urso se esgueirando pela vegetação rasteira.
Em Salt Lake City, depois de visitar o Tabernáculo Mórmon, fomos dar um
mergulho no Grande Lago Salgado. E.F. e eu mergulhamos e achamos
quase impossível afundar. Mas a água estava muito salgada, e ficamos
contentes em tomar um banho fresco. Continuando a oeste, ficamos em
Reno durante a noite e ficamos intrigados não apenas com as luzes
brilhantes dos cassinos, mas também com as muitas placas das lojas, que
anunciavam casamentos rápidos e divórcios rápidos (depois de uma
estadia adequada em Reno) e advogados, estavam dispostos a lidar com os
dois - por uma taxa adequada, naturalmente.
Em poucos dias depois de passar pelo Parque Yosemite com suas
magníficas sequóias, chegamos a São Francisco e ao Congresso
Internacional do Novo Pensamento em andamento no Palace Hotel. A
maioria dos professores e ministros metafísicos estava lá, incluindo Angela
Morgan, poeta laureada do Movimento do Novo Pensamento. E um
número de pessoas de Nova York, claro!
O grande salão de baile estava lotado todos os dias, excelentes palestras
eram feitas e muita cura acontecia. E.F. estava em seu elemento natural.
Enquanto estávamos em San Francisco, a Feira Mundial deles estava
acontecendo. Não era tão grande quanto a de Nova York, mas os efeitos de
iluminação eram extremamente bonitos e surpreendentes. E.F. foi
convidado para falar na Feira do Templo da Religião. Fizemos muitos
passeios e participamos de todas as palestras também.
Uma noite, uma jornalista nos convidou para jantar em um restaurante
japonês. De acordo com o costume, tínhamos que tirar nossos sapatos na
porta e a E.F. começou a se sentir desconfortável. Nós nos sentamos no
chão ao redor do braseiro e uma menina "gueixa" serviu a comida, que
comemos com pauzinhos. Embora fosse único, acrescentava-se ao
desconforto de E.F. e em alguns momentos ele pediu uma cadeira. O
garçom trouxe um banquinho. E não demorou muito para que ele pedisse
uma faca e um garfo. A comida estava deliciosa quando alguém conseguia
pegá-la de alguma forma com os pauzinhos. Mais tarde, a E.F. disse: "Se
chegarmos ao Japão, só iremos a restaurantes onde eles têm equipamento
padrão!" (Ninguém sabia então que, daqui a um ano, o Japão estaria em
guerra conosco.)
Deixando São Francisco, paramos nos rosacruzes onde encontramos
outros de Nova York fazendo a mesma coisa. Nós ficamos em Asilomar
perto de Monterey e Pacific Grove. A beleza da costa do Pacífico é
indescritível. No dia seguinte estávamos em Los Angeles e a E.F. foi
constantemente reconhecida onde quer que estivéssemos. Ele tinha tantos
compromissos em Los Angeles e havia tanta coisa para ver e fazer que às
vezes não voltávamos ao hotel até depois da meia-noite.
Além de todas as atrações turísticas habituais, visitamos o Templo Angelus
presidido por Aimee Semple McPherson, a líder dinâmica e curandeira que
estava em seu auge. E.F. dissera: "Antes de nos encontrarmos com Aimee
pessoalmente, vamos assistir a sua reunião de cura". Blanche estava
usando um grande chapéu de "halo" e quando Aimee saiu, seu primeiro
pedido foi: "Será que aquela jovem com o grande chapéu, por favor, tire
isso para que os outros nas costas possam me ver." Lamentamos que não
pensássemos em nós mesmos.
Em seus longos mantos brancos e cabelos ruivos, Aimee era uma beleza
escultural. Ela começou o serviço. Havia muito hino cantando "para
preparar a atmosfera" e então os indivíduos eram trazidos à plataforma
para serem curados de doenças, como Aimee orava e a congregação
cantava. Foi uma experiência incomum. O serviço durou três horas e, no
final, uma coleta foi realizada. Aimee levou as mãos às orelhas e disse:
"Uma coleção silenciosa, por favor!" E. F. sussurrou: "Esse é o melhor
tipo!" No dia seguinte, conhecemos Aimee. Ela estava entusiasmada com a
reunião da E.F. e sabia sobre ele e seus livros. Ela foi muito gentil e nos
mostrou ao redor do Templo.
Antes de sair de Los Angeles, fomos ao grande acampamento adventista do
sétimo dia para ouvir uma palestra sob uma enorme tenda e, mais uma
vez, encher a traseira do carro com mais livros. No dia seguinte seguimos
para o leste através do Deserto de Mojave com sua própria beleza
incomum, e passamos a noite em Las Vegas. Havia os casinos de jogo (não
tão fofos como hoje), cowboys, indianos e prostitutas em trajes escassos
nas portas das ruas laterais. E.F. comentou: "Este é o oeste que eu li na
Inglaterra. Isso só poderia acontecer na América".
Em alguns dias estávamos na Margem Norte do Grand Canyon, em Bright
Angel Point, um dos pontos mais belos do mundo. Até onde os olhos
podiam ver, havia escarpas esculpidas pelo rio Colorado, uma fita de prata
à distância. As cores eram fantásticas - malva, magenta, azul, dourado,
laranja queimado - e todas mudavam de tom quando o sol se movia. E.F.
teve o prazer de sugerir ângulos para as fotos que eu estava tirando, mas
eu nunca vi nenhuma reprodução que pudesse fazer justiça ao Grand
Canyon. Sua imensidão e grandeza desconcertam a mente e precisam ser
vistas para serem acreditadas.
No Lodge, tivemos algumas surpresas esperando por nós. Quando
entramos no saguão, Dale Carnegie nos cumprimentou calorosamente e
comentou: "Certamente este lugar eleva o espírito!" Ao que E.F. rindo
respondeu: "Este é um bom lugar para parar de se preocupar e começar a
viver!" Quando Dale Carnegie autografou seu livro para Emmet Fox, ele
escreveu: "Poucos - se algum - fizeram mais do que você tem para ajudar
as pessoas a parar de se preocupar e começar a viver. Eu apreciei seus
livros imensamente. Que Deus continue sempre amando você."
As garçonetes do Lodge eram garotas da faculdade mórmon de Salt Lake
City. No jantar, a jovem que nos servia perguntou: "Você não é Emmet
Fox?"
"Sim, como você soube?"
"Oh," ela disse, "você é o homem Sermão da Montanha. Eu reconheci você
da foto em seu livro!"
Depois de alguns dias de comunhão com Deus naquele ambiente
maravilhosamente tranquilo, E.F. sugeriu que nós dirigíssemos para a
Margem Sul do Canyon para um aspecto diferente. O Canyon tem 18
quilômetros de largura nesse ponto, mas para alcançar a Margem Sul é
preciso percorrer 200 quilômetros. Havia apenas um ponto em que
poderíamos atravessar o poderoso Colorado e que ficava perto de Lees
Ferry, na ponte Navajo, situada no alto do platô. Nós começamos em um
dia claro e nítido. A habitação mais próxima era um posto de gasolina a
quarenta e quatro quilômetros de distância com o nome bastante bíblico
do lago Jacob.
Nós tínhamos ido a trinta milhas quando o carro simplesmente ficou
morto na estrada. Nada que eu fiz poderia começar. E.F. disse: "Bem, esta é
a hora do tratamento". Nós nos sentamos, oramos por alguns momentos,
abençoando o carro e seus ocupantes, e então E.F. disse: "Tente o motor
novamente". Começou em um flash. Com a praticidade do verdadeiro
metafísico, ele acrescentou: "Vamos parar em Jacob Lake e ver se o
mecânico lá pode descobrir qual era o problema". Fizemos exatamente
isso, e depois de esperar por uma hora enquanto ele afastava o
carburador, nos disseram: "Esse tipo de coisa geralmente acontece nas
estradas empoeiradas".
De lá, pegamos a que talvez fosse a pior trilha de vagões dos Estados
Unidos, mas a paisagem era magnífica com pedregulhos do tamanho de
uma casa. Passamos por alguns pequenos acampamentos indianos e
falésias de vermelhão brilhante. Em um lugar, tivemos que atravessar um
pequeno riacho sem ponte - e senti o carro estremecer uma ou duas vezes.
Tiramos fotos quando finalmente chegamos à Ponte Navajo e seguimos
para o sul, a cerca de setenta milhas de distância de um posto comercial
indiano em Cameron.
De vez em quando o motor pulava uma batida, mas meus passageiros não
notavam, tão fascinados com as cores requintadas do Deserto Pintado. O
pôr do sol chegou e Cameron ainda estava à cinquenta quilômetros de
distância quando o motor voltou a funcionar. Nós tratamos, mas o motor
não ligava. Saí e abri o capô, esperando poder fazer alguma coisa. Em vez
disso, começou a chover. Era como se o erro estivesse jogando tudo o que
tinha em nós.
Destemido, E.F. disse: "A extremidade do homem é a oportunidade de
Deus. Vamos colocar nosso peso em Deus". Nós silenciosamente oramos
juntos por talvez dez minutos. E.F. disse: "Vamos tentar de novo", e mais
uma vez o motor deu partida: e como se, por orientação divina, eu
colocasse meus dedos em um fio sob o painel. Estava quente porque estava
solto. Uma simples virada da porca segurando-a solucionou a dificuldade e
não tivemos mais problemas com o carro. Agora estava escuro e eu
continuei indo em alta velocidade até que vimos uma luz elétrica solitária
à distância. Nós a chamamos de "a estrela do Oriente" - a estrela da
revelação -, embora estivéssemos indo para o sul, e agradecemos pela
revelação que tivemos.
O lugar era Cameron e naquela noite colocamos nossos nomes no mesmo
registro onde os príncipes e presidentes haviam colocado os seus. Foi
realmente um posto comercial indiano com acomodações para os
hóspedes neste maravilhoso deserto. Índios navajos de pele escura usando
jóias turquesa brilhantes estavam por toda parte. E.F. comentou: "Eu não
teria perdido isso por nada".
No café da manhã, na manhã seguinte, olhamos pela janela e vimos uma
longa fileira de navajos em pôneis cansados cavalgando ao longo de uma
cordilheira. E.F. perguntou ao proprietário para onde estavam indo. Ele
disse que eles estavam voltando para seus hogans depois de terem
passado os últimos dias com seu curandeiro tentando curar uma de suas
tribos. Infelizmente, o homem morreu. E.F. disse-nos: "Vamos abençoar
nosso irmão indiano. Ele saberá mais em sua nova encarnação". No posto
de comércio, vimos belas jóias turquesa à venda que haviam sido
penhoradas pelos Navajos por dinheiro para pagar suas contas. E.F. pediu
a Blanche para escolher algo. Ela pensou que era um presente para outra
pessoa e escolheu uma atraente pulseira prateada com grandes pedras
turquesa. Então ele disse: "Eu quero que você guarde isso como uma
lembrança deste notável posto avançado de civilização". Ao longo dos
anos, Blanche e eu aprendemos que Emmet Fox era um homem
profundamente sensível e sentimental.
Ouvimos o som inconfundível de "bandidos de um braço armado" no Post,
sendo jogado por navajos que estavam bombando moeda após moeda e
não ganhando. Depois de algum tempo, nosso pequeno diabinho, Blanche,
tirou um níquel da bolsa, colocou-o em uma das máquinas e uma
enxurrada de níqueis caiu no chão. Os navajos olharam com espanto,
depois ajudaram-na a pegá-los. Blanche contou sete índios ajudando,
voltou-se para a E.F. e perguntou: "Não é sete a realização divina?" E.F. riu
e disse: "Nenhuma desonestidade metafísica, por favor!" Ela dividiu as
moedas entre os sete indianos, e a E.F. disse: "Não há mais apostas para
você".
Prosseguimos em direção à Margem Sul e, na manhã seguinte, quando E.F.
descobriu que podíamos descer até o fundo com o muleback, partimos ao
longo de uma trilha estreita que abraçava as paredes íngremes. As mulas
são muito seguras e não se assustam facilmente, mas caminharam ao longo
da borda da trilha, chutando pedras sobre aquela sacudida para as
profundezas. O guia nos disse que, enquanto mantivéssemos a mula, não
tínhamos nada com que nos preocupar. Mas muito em breve, E.F.
perguntou: "Por que essas mulas insistem em andar do lado de fora? Eu
me sentiria mais confortável se andassem por dentro".
O caubói respondeu: "É aí que você não é tão inteligente quanto a mula. Há
duas boas razões para ele ficar do lado de fora. Ele sabe que você está de
costas e que por dentro você pode ser jogado de pedras ao longo do Mas
ainda mais importante, os cascavéis por aqui gostam de se bronzear em
pequenas saliências e qualquer coisa que passasse perto deles.
Quando chegamos à metade do Indian Gardens, paramos para almoçar. O
guia atirou em uma cascavel que estava sob a calha molhando para as
mulas. Aprendemos que a natureza deu às cascavéis do Grand Canyon um
gesso levemente rosado para se misturar com a coloração das rochas e
protegê-las das águias e gaviões, cujas presas são.
Era final da tarde quando chegamos ao Phantom Ranch, um paraíso
tropical ao lado do rio Colorado. Nós estávamos tão tristes na trilha que
precisávamos ser ajudados pelas mulas. Ficamos felizes em ter a gerência
do hotel nos emprestando roupas de banho, e nós três pulamos na piscina.
Estava bem. Quando tivemos tempo de olhar em volta, vimos a imensa
grandeza que nos rodeava. O Rio Colorado, que parecia uma pequena fita
prateada da orla, era agora uma torrente rugindo, e nós olhamos para as
formas fantásticas a milhares de metros acima de nós. Subir ao aro no dia
seguinte foi mais difícil para as mulas do que para nós.
Antes de deixar o South Rim, E.F. sugeriu uma viagem de avião sobre o
Canyon "para ver onde estávamos". Foi uma das experiências mais
emocionantes que já tivemos. Da minúscula pista de pouso, a quilômetros
da beira do Canyon, voamos cerca de trezentos metros acima de um
planalto e, de repente, passamos por cima do Canyon, a mais de mil e
seiscentos metros entre nós e a terra firme. As vistas eram magníficas
enquanto circulávamos sobre esse país das maravilhas da natureza, mas
quando nos dirigimos de volta para a pista de pouso, fomos confrontados
por enormes nuvens negras e chuvas torrenciais que obscureceram nossa
visão. E.F. veio em nosso socorro: "Vamos saber que Deus está abrindo o
nosso caminho. Não há obstrução em Deus. Deus é o piloto deste plano, e
embaixo estão os Braços Eternos". O piloto fez outro grande círculo sobre
o Canyon, e tão subitamente quanto eles juntaram as nuvens se separaram
e fizemos um rápido "mergulho" em direção à pista de pouso a cerca de
trinta quilômetros de distância. Agradecemos a Deus por sua proteção
amorosa. Era um avião muito pequeno e um canyon muito grande.
Em 1941, grandes mudanças vieram para a América e para o resto do
mundo também. Para Emmet Fox e seu trabalho, a mudança teve um
impacto surpreendente no domingo, 7 de dezembro. Em nosso costumeiro
culto de domingo de manhã no Manhattan Opera House, em Nova York,
Emmet Fox falou sobre o assunto profético "Light in Darkness". Seu tema
planejado para o próximo domingo foi "As novas e estranhas coisas que
vêm para a América".
No mesmo domingo, 7 de dezembro, E.F. falaria em dois momentos
diferentes em Washington, D.C., na Igreja Presbiteriana Metropolitana às 5
da tarde. em "Cristo e Anticristo", e às 8 da noite em "A busca de Deus".
Saímos de Nova York por volta das 13h. e foi até New Jersey.
Não demorou muito para que os carros da polícia com sirenes estridentes
corressem em todas as direções. Ligamos o rádio e ficamos chocados ao
saber, entre reclamações e reconvenções, que os japoneses haviam
bombardeado Pearl Harbor em um ataque surpresa. E.F. disse: "Vamos
parar no primeiro lugar em que viemos, tomar um pouco de chá e ver se
conseguimos descobrir alguma coisa". Policiais e tropas estaduais estavam
por toda parte, e várias vezes nosso carro foi verificado em bloqueios de
estradas. No restaurante em que paramos, a polícia entrou correndo,
encontrou uma máquina de lavar louça oriental e puxou-o para fora sem
mais delongas. Outros estavam sendo recolhidos das fazendas. Parecia que
o caos estava ao nosso redor.
Quando voltamos para o carro, a E.F. disse: "Estou tratando disso e tenho
certeza que você também. Mas vamos ficar aqui por alguns minutos
enquanto rezamos juntos". Quando ele falou de novo, ele parecia
perturbado e sério. "As coisas parecem muito ruins para a Europa e para a
América. Há dias muito sombrios pela frente. Vai durar mais tempo do que
a maioria das pessoas pensa. Será preciso muita oração em ambos os lados
da cortina".
Nós pensamos que ele estava se referindo aos países em lados opostos na
guerra. Ele disse: "Não. É claro que há pessoas boas na Alemanha, na Itália
e no Japão que estão orando tão sinceramente quanto nós. Eu estava me
referindo àquelas que já passaram. Suas orações podem ser muito úteis, e
não devemos hesitar em pedir a sua ajuda em oração quando pensamos
neles ". Ele continuou: "A América vencerá. Não há dúvida sobre isso, mas
quando a guerra acabar, não será o mundo que conhecemos.
Eventualmente, será um mundo melhor para milhões de pessoas".
Enquanto seguíamos, as sirenes e a excitação continuaram. e ficamos
imaginando que tumulto nos aguardaria em Washington. Quando
chegamos lá, no entanto, houve absoluta calma e paz. Era como se toda a
cidade tivesse uma sesta à tarde.
Como se poderia esperar, mais pessoas compareceram às palestras do que
o auditório da igreja poderia realizar.
No domingo seguinte, 14 de dezembro, E.F. chegou ao Manhattan Opera
House, em Nova York, para encontrar o salão lotado de pessoas. A polícia
estava do lado de fora dirigindo o fluxo das grandes multidões que
tentavam entrar. EF começou sua palestra com um texto do capítulo 40 do
livro de Isaías: "Conforta-vos, consolai meu povo, diz o vosso Deus. Eles
que esperam sobre o Senhor renovará as suas forças, subirão com asas
como águias, correrão e não se cansarão, e andarão, e não desfalecerão. Ele
continuou: "É realmente notável que em nosso domingo de visitantes, o
primeiro há bastante tempo, tenhamos provavelmente a maior multidão
em nossa experiência, incluindo o andar de cima e, sem dúvida, a maior
multidão que já se uniu na metafísica." movimento.
* mais de 8.000 pessoas
"Esta tem sido uma semana de destino, a semana mais importante da
história americana desde a assinatura da Declaração de Independência. O
povo americano hoje está unido como nunca antes em sua história, mesmo
nos grandes dias do fervor revolucionário. Nunca, mesmo no tempo de
Washington, as pessoas eram tão completamente unidas,
desinteressadamente resolvidas, como são hoje ”.
Enquanto suas palavras ecoavam pelo grande salão e pelo microfone
ligado ao salão de baile no andar de cima, todo o público se levantou e
aplaudiu. Aprendemos que, em tempos de tensão, como naqueles dias, as
pessoas que normalmente não freqüentavam a igreja se reuniam nas
reuniões.
Enquanto a guerra continuava, a escassez de gasolina e pneus se
desenvolveu e o racionamento começou. A escassez de gasolina nos afetou
mais. Embora E.F. pudesse ter usado sua influência para obter um
suprimento adequado, ele se recusou a fazê-lo, embora tivesse muitos
compromissos de fala por todo o país. Ele sentiu que todos deveriam fazer
a sua parte. Então viajamos muito de avião. Às vezes, fomos "esbarrados"
em vôos por prioridades militares, como aconteceu em nossa viagem de
1944 à Convenção Internacional do Novo Pensamento, em Louisville,
Kentucky. Nós fomos batidos em Cleveland e tivemos que fazer rearranjos
apressados e fazer o resto da viagem de trem. E.F. nunca se importou com
esses pequenos inconvenientes, silenciosamente "tratando" cada situação
como ocorrera.
Um efeito que a guerra produziu foi um aumento no número de
casamentos que Emmet Fox realizou. Houve também grandes mudanças
de população para as forças armadas e para as fábricas de defesa em todo
o país. Isso significou muitos novos rostos em nosso público. O estresse
que a nação estava sob parecia inspirar Emmet Fox a alturas ainda
maiores, e ele trouxe conforto e consolo para milhares de pessoas.
Com a guerra terminada, em 1946 a E.F. queria voar para a Inglaterra, mas
as viagens civis ainda estavam sendo desencorajadas, então fizemos a
segunda viagem ao México, durante a qual E.F. pesquisou o simbolismo
mexicano. A partir de então, retomamos nossas caminhadas anuais.
Emmet Fox continuou sua busca pela verdade básica. Como ele costumava
dizer, ele pagaria qualquer preço e iria a qualquer lugar para conseguir um
impulso na consciência, e ele passava boa parte de sua vida e sua riqueza
fazendo exatamente isso. Foi uma alegria para Blanche e eu fazer parte
disso.

O lado psíquico-espiritual

Eu quero abrir este capítulo sobre o lado psíquico-espiritual, dando uma


citação do próprio Emmet Fox. Ele adverte: "Não se envolva em coisas
psíquicas. Se você deseja investigar completa e cientificamente, bem e
bem, mas este será o trabalho de anos, e exigirá condições científicas. A
principal objeção aos que correm atrás dos médiuns muitas pessoas
praticam que é realmente uma fuga das responsabilidades desta vida ".
Emmet Fox iniciou sua pesquisa psíquica em Londres na Sociedade
Britânica de Pesquisas Psíquicas, onde participou de vários experimentos
psíquicos. Era sua opinião que resultados verificáveis só poderiam ser
obtidos onde as mesmas pessoas sentassem juntas para um número de
sessões. Eu acredito que esta condição também foi mencionada durante os
experimentos realizados na Duke University. Como resultado de sua
pesquisa, E.F. apareceu na mesma plataforma com Sir Oliver Lodge e Sir
Arthur Conan Doyle em Albert Hall, em Londres, perante uma enorme
audiência. Emmet Fox surgiu como "a estrela da noite", e a publicidade do
jornal sobre o assunto levou a um confronto familiar que sua irmã Nora
contou a nós.
Segundo Nora, "um intrometido da vizinhança" não podia esperar para
fofocar sobre as notícias com a sra. Fox, a mãe de E.F. Disse este
talebearer: “Este é o seu Emmet que está em todos os jornais falando sobre
uma nova religião?” (Tanto ela como a família Fox eram católicos
romanos). E então ela continuou falando sobre os detalhes. A sra. Fox, uma
mulher de estatura e dignidade, se recompôs e foi embora sem dizer uma
palavra.
Mais tarde naquele dia, quando E.F. chegou em casa, a Sra. Fox perguntou:
"Emmet, é verdade o que eles estão dizendo sobre você falar sobre outra
religião?"
Emmet respondeu: "Sim, mãe, é."
Sua mãe perguntou: "Como você pôde?"
Sua resposta simples era: "Você quer que eu vá contra minhas
convicções?"
"Tudo bem", ela respondeu, "nunca mais falaremos sobre o assunto". E
eles nunca fizeram.
E.F. continuou sua pesquisa psíquica na América e sentou-se com vários
médiuns conhecidos. Arthur Ford menciona Emmet Fox em seu livro,
Nothing So Strange. * Ele escreve: "Emmet Fox foi um ministro que tomou
o registro do Novo Testamento pelo seu valor aparente. Foi enquanto eu
estava em minha segunda visita a Londres, vivendo em Horace Leaf's.
Antes que eu nunca tivesse ouvido falar dele e ele não me disse nada sobre
seus interesses metafísicos até depois da sessão. Mas através de Fletcher,
alguns de seus próprios e o incitou a aceitar um convite que acabara de
receber para assumir um grupo na cidade de Nova York, Fox ficou muito
impressionado com o fato de seus amigos invisíveis saberem de sua oferta
e decidiram aceitar o convite, durante os anos em que ele estava falando
com ele. enormes públicos em Nova York nos encontramos muitas vezes,
na verdade vivemos no mesmo hotel por dois anos e tivemos muitas
discussões tanto de seu trabalho quanto do meu, ele esperava que alguém
que aceitasse o sistema metafísico que ele ensinava - que ele sempre senti
foi simplesmente a metafísica de Jesu s - dar por garantida a sobrevivência
da personalidade e o fluxo de comunicação entre os vivos e os mortos ".
Nova Iorque: Harper & Row, 1958, p. 231
** Fletcher era uma personalidade desencarnada que funcionava como
parceira permanente de Arthur Ford no plano invisível.
Ele também trabalhou com dois ou três astrólogos altamente respeitados
que desenharam seus gráficos em detalhes, e ficou impressionado com a
semelhança de cada um com o outro. À medida que sua popularidade
aumentava e seu interesse pela astrologia se tornava conhecido, muitos
astrólogos amadores compareciam às reuniões e perguntavam: "Qual é a
sua data de nascimento?" Ele lidou com essas perguntas levemente no
início. Mas à medida que a questão se tornou mais frequente, seu humor
assumiu e ele respondeu com qualquer data que lhe ocorresse. Como
resultado, ele fez leituras astrológicas para um aniversário todos os meses
do ano.
Acredito que essas investigações psíquicas e astrológicas confirmaram um
sentimento que ele teve na Inglaterra muito antes de chegar à América:
que 1939 seria um ano crucial para ele. Agora, se uma ideia é de origem
kármica ou é o resultado de "sugestão", o que quer que tenhamos na
consciência, demonstramos. Mil novecentos e trinta e nove tornaram-se
um ano crucial para ele. Alguns podem dizer: "Por que ele não eliminou
isso com o tratamento". Em outras palavras, "Médico, cure-se!" Como
Charles Fillmore costuma dizer: "Todos podem ver mais longe do que ele
pode pular". Seja como for, a sensação de que 1939 seria o ano, sem
dúvida, era um fator primordial em seu desejo de levar a mensagem ao
maior número de pessoas que pudesse no tempo previsto. "Deus às vezes
trabalha de maneira misteriosa em suas maravilhas para realizar."
Angela Morgan, com grande interesse pelo Novo Pensamento, capta o que
estou tentando dizer em seu belo poema, "Quando a natureza quer um
homem": *
A natureza quer perfurar um homem
E emocione um homem
E habilidade um homem
A natureza quer perfurar um homem
Para tocar a parte mais nobre
Ela anseia com todo seu coração
Para criar um homem tão grande e corajoso
Que todo o mundo louvará
Assista seus métodos, assista seus caminhos!

* De frente, março! por Angela Morgan.


Antes de partirmos para 1939, voltemos ao lado psíquico-espiritual.
Realmente começou quando nós três, Emmet Fox, Blanche e eu, nos
reunimos em seu escritório para orar e tratar juntos para casos especiais.
No começo nós nos revezamos no tratamento em voz alta, mas depois de
um tempo descobrimos que conseguimos resultados melhores e mais
rápidos fazendo um trabalho silencioso.
Foi durante esse período que a E.F. descobriu que Blanche tinha
capacidade psíquica latente. Ele não mencionou isso na época, mas o
primeiro "experimento" ocorreu uma noite, quando Blanche e eu
estávamos no cinema. De repente, no meio do filme, Blanche sussurrou
para mim: "Acho que E.F. quer que você ligue para ele." Fiquei surpreso: "A
esta hora da noite?" "Bem", ela disse, "tenho um forte sentimento de que
ele precisa de ajuda espiritual". Então nos sentamos em silêncio e o
tratamos por alguns instantes. Quando chegamos em casa, já era quase
meia-noite e só liguei para ele na manhã seguinte, quando expliquei o que
havia acontecido. Ele perguntou os detalhes do tempo real e de outras
circunstâncias - ele sempre mantinha registros precisos - e depois disse
que o tratamento que fizemos foi bom. Ele tinha uma dor em sua cabeça
que logo desapareceu. Foi então que ele disse: "De agora em diante,
quando Blanche ou você receber esses sentimentos, nós os chamaremos
de 'sinais'", e ele pediu a Blanche para manter um registro definitivo de
tempo, data, condições e todos os detalhes.
Esse foi o começo de muitos "experimentos" em telepatia, psicometria,
cura ausente e outras formas de cura psíquica e espiritual. Como E.F. e
Blanche desenvolveram seu relacionamento psíquico, ela foi capaz de
apontar uma dificuldade, uma necessidade ou um pedido mental. Não era
uma via de mão única, pois havia muitas ocasiões em que E.F. fazia o
mesmo por nós, embora estivéssemos separados por distâncias
consideráveis.
Certa vez isso aconteceu durante um recesso de inverno da Igreja. Nós três
frequentemente íamos para a Flórida. E.F. adorava o clima quente e
ensolarado lá, mas não gostava particularmente da longa viagem de carro,
pois achava que poderia aproveitar melhor o tempo em Nova York.
Consequentemente, Blanche e eu começávamos mais cedo no carro, e ele
voaria para Jacksonville ou Miami; seguimos o mesmo procedimento na
viagem de volta. Em uma dessas jornadas, enquanto nos dirigíamos para o
norte, Blanche e eu nos deparamos com uma tempestade de neve. Quando
a noite se aproximou, decidimos parar no primeiro hotel ou motel que
encontramos. (Naquela época, os motéis eram poucos e distantes entre si.)
Mas a neve era tão pesada e o gelo no pára-brisa tão espesso que a
visibilidade foi encurtada até o ponto zero. Nós só tivemos tempo para
dizer: "Deus! Deus!" quando um vazio negro se abriu na nossa frente. Eu
pisei no freio; o carro derrapou, mas segurou. Na tempestade de neve, não
vimos o Y-fork na estrada. Deveríamos ter virado para a esquerda ou para
a direita. Nós demos um fervoroso agradecimento por nossa libertação e
nos encaminhamos para o caminho certo. Logo chegamos a uma cidade
oferecendo um hotel acolhedor e simpático. Nada parecia tão bom para
nós.
Algumas semanas mais tarde, eu estava trabalhando com a E.F. no
escritório quando de repente ele pegou um pequeno caderno e perguntou:
"Você e Blanche estavam em apuros às 19h45 da semana passada, quarta-
feira?" Pensei por um momento e lembrei do quase acidente na estrada e
contei a história. Ele respondeu: "Vamos chamar Blanche e ver o que o
diário dela diz". A hora em que ela gravou foi às 19h45. Ele me disse então:
"Naquele momento, um lampejo veio a mim de que vocês dois estavam em
grande perigo e eu imediatamente reivindiquei proteção divina para você."
E eu novamente agradeci a Deus.
Essa relação psíquico-espiritual continuou durante todos os nossos anos
de associação. Sempre que ele precisava de ajuda ou queria entrar em
contato conosco, se não estivéssemos perto de um telefone onde
poderíamos ser chamados, ele enviaria um "sinal" e Blanche o atenderia.
Na maior parte do tempo em Nova York, E.F. morava no Park Central Hotel
(hoje o Park Sheraton). Ele tinha milhares de livros em um quarto de seu
apartamento reservado como sua biblioteca. Os títulos foram catalogados
por um amigo que na época era o principal bibliotecário da biblioteca
privada (agora pública) do J.P. Morgan na East 36th Street e Madison
Avenue.
Um dia, E.F. nos pediu para almoçar com ele no Park Central, durante o
qual ele disse que tinha algo para nos mostrar. Era o seu novo e amplo
apartamento de cobertura com uma vista magnífica do horizonte de Nova
York e do rio Hudson. O apartamento estava vazio, exceto por algumas
prateleiras perto da porta com cerca de uma dúzia de livros sobre eles.
Antes de entrar, ele pediu que eu esperasse do lado de fora por um
momento e ele seguiu em frente com Blanche.
Ele disse: "Eu gostaria de saber o que você sente sobre este apartamento."
Eu podia ouvi-la dizer: "Ah, é um lindo apartamento, mas senti um arrepio
quando entrei pela porta". Ele pediu que ela voltasse para o lado de fora,
de costas para a porta. Ele se foi por um momento e depois ligou para ela
novamente. "Como você se sente agora?" ele perguntou. Ela respondeu:
Tudo parece bem agora. Tenho um bom pressentimento sobre o
apartamento. "Ele entrou em outro quarto e voltou com um livro. Blanche
estremeceu de novo. Ele então explicou que o livro tratava de assassinatos
rituais realizados pelos aborígines de lona Island, na costa de Ele havia
planejado o experimento para ver qual seria a reação de Blanche: era uma
forma de psicometria, isto é, a medida psíquica de uma pessoa, lugar ou
coisa.
Em uma de nossas viagens, visitamos o Acampamento Espírita em Lily
Dale, em Nova York. Os terrenos eram espaçosos, com adoráveis árvores
antigas, um hotel, uma grande sala de reuniões central, vários bangalôs e,
além do resto, a cabana original das duas irmãs Fox (sem parentesco com
Emmet Fox) que fundaram o espiritismo americano. Essa casa de campo
havia sido transferida de sua localidade em outra parte do estado para Lily
Dale. Quando entramos no portão para Lily Dale e compramos os
ingressos necessários, eu pedi quatro, embora houvesse apenas três de
nós no carro. No momento, parecia apenas um lapso de língua, mas logo
descobriríamos o contrário.
Nossa primeira parada foi no chalé das irmãs Fox, onde a mulher
responsável tinha a mesma fase de mediunidade das irmãs Fox, a saber, a
capacidade de responder perguntas através da intervenção de um "guia"
espiritual com batidas ou pancadas. Quando entramos no quarto, ela disse.
"Eu vejo outra pessoa com você, um homem que passou recentemente!"
Ela fez uma breve descrição e disse: "Seu nome é George". E.F. deu um
começo, mas não disse nada. Ela passou a dizer que poderíamos fazer
algumas perguntas, se quiséssemos. Estes foram respondidos por uma
batida por sim, e dois por não. As pancadas pareciam vir de uma escada
que levava ao quarto onde as irmãs Fox tinham dormido. Era uma
escadaria do tipo escada aberta; então era impossível alguém se esconder
lá. Satisfeitos com a capacidade psíquica do médium, partimos.
Não foi até o dia seguinte, quando paramos no escritório da Western
Union mais próxima para coletar telegramas encaminhados que E.F.
aprendeu que seu amigo íntimo em Londres havia passado alguns dias
antes. Havia muitas dessas experiências psíquico-espirituais em Nova York
e durante nossas viagens nos Estados Unidos e no exterior.
Uma vez em uma viagem para a Nova Inglaterra, fomos de Plymouth Rock
para a Igreja Matriz da Ciência Cristã em Boston. Enquanto lá E.F. teve um
profundo desejo de visitar o local de nascimento de Mary Baker Eddy e nós
dirigimos para Bow, New Hampshire. Quando entramos na casa da Sra.
Eddy, Blanche e eu ficamos felizes em estar na presença de dois grandes
líderes espirituais, um de cada lado da cortina invisível. No quarto do
andar de cima havia um roqueiro, um tipo de cadeira para o qual Blanche
gostava, e pela qual EF demonstrava grande interesse. Ficamos ali um
momento em silêncio, abençoando essa humilde morada, quando a EF
disse: "Blanche, eu gostaria você se senta naquele roqueiro ". Ela fez. "O
que você sente?" ele perguntou. E ela respondeu: "Eu tenho uma sensação
muito boa. Muitas orações foram ditas aqui, e muitas perguntas foram
feitas."
Em nossa viagem à Europa em 1937, nossa primeira parada noturna foi
em Caen, França, no Hotel Angleterre. Depois do jantar, fizemos um
passeio pela cidade mal iluminada. De repente, Blanche parou e E.F.
perguntou: "O que você vê, Blanche?" Ela respondeu: "Eu vejo soldados
lutando nas ruas com baionetas. Eles estão bem na nossa frente." Embora
eu estivesse acostumada a esse tipo de conversa entre E.F. e Blanche, as
palavras eram tão dramáticas que eu olhei assustada, mas não vi nada. E.F.
respondeu: "Eu também vejo. Haverá uma terrível batalha aqui e precisa
de muita oração". Paramos por alguns momentos e reivindicamos a
bênção de Deus para aquele lugar.
Voltamos para o hotel e fomos para a cama. Durante a noite, Blanche me
acordou. "Há tiroteios acontecendo no hotel e soldados passando pelos
quartos", disse ela. Tentei acalmá-la, mas me senti um pouco
desconfortável. Mas, "ela continuou," eu sei que vai acontecer. "De manhã,
no café da manhã, descobrimos que EF tinha passado a maior parte da
noite em oração e tratamento, pois ele tinha os mesmos sentimentos e
dizia que a batalha seria mais terrível do que ele pensara a princípio.
(O que Blanche e E.F. sentiram naquela noite realmente aconteceu sete
anos depois, no Dia D, durante a invação da França pelos Aliados. Houve
muita morte e destruição em torno dessa área nas batalhas que se
seguiram.)
No dia seguinte partimos para Paris e o início da nossa viagem pela
Europa. Quando nos encontramos no saguão naquela manhã, E.F. disse que
tinha uma sensação de perigo iminente em relação a si mesmo. Blanche e
eu sentimos "sinais" semelhantes. Não havia nada a fazer além de orar e
tomar o cuidado que podíamos. Não foi um sentimento terrível, como tal,
mas sim que algo iria acontecer. Dia após dia tratamos disso, usando o
Salmo 91 em particular, já que a E.F. sempre o recomendou para proteção.
(Durante a guerra, ele constantemente sugeriu aos pais e esposas de
homens no serviço uma oração diária e meditação. Houve muitos relatos
maravilhosos de resultados "miraculosos".) Além disso, eu fui
especialmente cuidadoso ao dirigir, e tomei precauções extras em todos os
nossos movimentos. Ainda assim, o sentimento negativo nunca nos deixou
inteiramente, embora o peso dele parecesse aliviar. Fizemos um grande
tour até Roma e voltamos a Zurique, na Suíça, para visitar o Dr. Jung.
Saímos de sua casa à tarde, e a E.F. queria ficar naquela noite em
Montreux, no Lago de Genebra, um lugar favorito para nós três. Mas
chegou às 9 da noite e decidimos parar na cidade de Martignyville. Foi lá
que a premonição de perigo que tivemos, se revelou.
E.F. foi o primeiro a caminhar em direção ao Hotel Kluser. Sobre a entrada
havia um imenso lustre, e quando E.F. estava prestes a entrar no hotel,
houve a súbita e espantosa batida do candelabro a seus pés. Uma polegada
mais perto e isso o teria atingido diretamente. Embora estivéssemos todos
abalados pelo que aconteceu, todos os outros "sinais" desapareceram. E.F.
achava que nossas orações combinadas haviam salvado sua vida e que, se
pudéssemos ter ficado um pouco mais elevados em consciência, a coisa
não teria acontecido. Nós apreciamos o resto da viagem sem incidentes.
Finalmente, o ano de 1939 chegou. Como E.F. havia profetizado, este seria
o ano de crise em sua vida. Ao longo dos anos, ele sentiu que tinha um
trabalho muito especial para fazer (não de maneira egoísta) e apenas um
tempo limitado para fazê-lo. Foi por isso que ele deu tanto tempo à sua
busca pela Verdade.
Em março de 1939, o período crítico começou. Blanche estava recebendo
mais e mais "sinais" espirituais da E.F. Ele dependia muito de nossos
tratamentos espirituais. Em 9 de abril, o Domingo de Páscoa, E.F. anunciou
à grande congregação que ele precisava de um descanso e que a Igreja
fecharia para a estação. Um suspiro audível de preocupação percorreu a
congregação e, quando os membros passaram por ele na porta, cada um
deles prometeu orar por ele.
Na manhã seguinte, E.F. nos chamou para dizer que queria sair da cidade
imediatamente e ser dispensado de todas as pressões do trabalho: a crise
havia chegado. Contei-lhe de um lugar tranquilo no alto estado de Nova
York, a cidade de Oneonta que tinha um bom hotel. Foi lá que a
"superação" aconteceu. Chegamos cerca das quatro da tarde e, depois de
um breve descanso, descemos para a sala de jantar. E.F. não comeu
praticamente nada, mas continuou falando conosco, desdobrando, por
assim dizer, um registro kármico de sua vida. * Finalmente ele disse: "Se
eu passar esta noite, terei vários anos para continuar". Subimos ao nosso
quarto para orar e tratar. Ele ficou conosco por cerca de uma hora, sem
dizer nada. Quando ele saiu para ir ao seu próprio quarto, suas únicas
palavras foram: "Continue orando até que você tenha uma noção real da
Presença de Deus".
Nós começamos a ler a Bíblia de Gideão que estava na cômoda. (Nós
abençoamos os Gideões muitas vezes por sua consideração em fornecer
estas Bíblias.) Nós selecionamos certas passagens e as usamos como
tratamentos. Entre os textos, escolhemos novamente o 91º Salmo: "Mil
cairão ao teu lado e dez mil à tua direita; mas não chegará a ti". Outra foi a
declaração de Jesus: "Eu vim para que tenham vida e a tenham em
abundância" (João 10:10). E o texto do Salmo 46: "Deus é o nosso refúgio e
força, uma ajuda muito presente em apuros ... Fique quieto e saiba que eu
sou Deus". Havia outros também. Nós oramos por horas. Finalmente, uma
sensação de paz veio quando o peso aumentou e fomos dormir.
Algum tempo depois, Blanche acordou e gritou para mim: "Há uma grande
luz branca na sala e Emmet Fox está de pé nela." Eu também vi a visão
enquanto ela se desvanecia lentamente. Levantei-me e fui para o quarto da
E.F. Quando bati à sua porta, ele gritou: "Sim, eu sei. A crise passou e tudo
está bem".
Nós dormimos tarde na manhã que vem e éramos um grupo feliz a café da
manhã. Blanche e eu contamos nossa experiência da noite anterior, e E.F.
disse que sabia o que havia acontecido. A Bíblia chama isso de "pousar a
pomba", uma experiência muito rara na vida, o que significa que a
demonstração foi feita. Ele explicou que ele deveria ter morrido quando
ele era jovem, mas que a oração o salvou. Agora ele expressou gratidão a
Blanche e a mim por tê-lo ajudado nessa crise. Houve uma nota triste. Ele
acrescentou que haveria uma terceira vez e que seria mais difícil de
superar.
* O leitor é convidado a reler o relato do próprio Emmet Fox sobre o
"desdobramento dos Livros de Julgamento" no capítulo "Reencarnação e
Vida Após a Morte".
Saída

O ano de 1951 provou ser a terceira vez na vida de Emmet Fox, quando
seria mais difícil mantê-lo neste avião. A primeira parte do ano foi um
período de descanso para a E.F., um período sabático e, com a
aproximação de junho, nós três aguardávamos ansiosamente por outra
estada na Europa. Nós embarcamos nosso carro à frente em um cargueiro,
e duas semanas depois estávamos a bordo de um voo para a Europa via
Gander e Shannon e depois para Londres. Depois de um bom café da
manhã "irlandês" em Shannon, o capitão nos disse para esperar
tempestades a caminho de Londres. Imediatamente E.F. disse-nos: "Não
vamos acreditar nisso. Deus está no comando deste avião." E ele foi; nós
tivemos um vôo suave todo o caminho. Depois de dez dias de turismo em
Londres, voamos para Paris e depois pegamos nosso carro em Dunkerque.
A E.F. parecia gostar mais de Paris do que nunca. Ele estava ansioso para
dar outra olhada na famosa catedral de Chartres, com seus belos vitrais;
em seguida, para baixo para Orleans, ficou famosa por Joana d'Arc.
Voltando a Paris, fomos mais uma vez ver a estátua de ouro de Joan
montada em seu cavalo. Outro dia saímos para Reims, passando pelos
campos de batalha da Primeira Guerra Mundial. Muitas vezes parávamos
nos lugares onde homens de ambos os lados do conflito tinham lutado e
morrido. Também abençoamos o Cemitério Père Lachaise em Paris, e
pareceu-me estranho para Blanche e para mim que a E.F. queria ir lá várias
vezes.
No lado mais leve, um dos amigos da E.F. nos convidou para ver uma
"coleção" das últimas modas com modelos chiques em vestidos
deslumbrantes. Naquela noite, E.F. disse-nos com um brilho nos olhos: "Há
coleções e coleções, dependendo se você está sentado em Dior ou na
igreja!"
Em várias ocasiões, passamos devagar pelas ruas estreitas de La Cité, a
pequena ilha no Sena, onde muitas celebridades francesas tinham vivido.
Alguns dos prédios têm placas, listando os nomes dos inquilinos
anteriores. Depois de quatro ou cinco dias, E.F. explicou que havia "dois
negócios inacabados" dos quais ele queria escrever. Um era um artigo
sobre La Cité; o outro era uma brochura sobre George Washington
enquanto o via.
"Nos relatos de Washington eu li quando criança", disse EF, "ele não era
como nada na terra. As crianças recebiam histórias ridículas sobre ele. Ele
era apresentado ao mundo de maneira tola, como um homem que era frio,
perfeito, Insensível, nenhuma fraqueza humana, então, cerca de trinta ou
quarenta anos atrás, a maré virou. Houve uma reação. Os desmascarados
vieram e quando eles terminaram, descobriu-se que ele não era um grande
homem.
"Mas agora há uma terceira fase na vida de Washington. Acredito que
Washington foi um dos maiores generais de todos os tempos. Acredito que
ele foi um dos maiores homens que já viveu. Washington nunca usou a
linguagem da religião ou coisas espirituais. ele era um soldado, mas ele
tinha, e muito mais do que muitas pessoas que usavam o idioma ".
No sábado, 11 de agosto, Paris estava de bom humor. As pessoas estavam
começando as festividades que culminariam em 15 de agosto na
celebração dos católicos romanos da Festa da Assunção da Virgem Maria.
Quanto a nós três, a E.F. considerou uma boa ideia mudar um pouco a
nossa rotina e almoçar na elegância do Grand Hotel. Quando E.F.
perguntou ao jovem garçom que parecia ser novo no trabalho que tipo de
peixe estava disponível, ele respondeu: "Peixe aquático". E.F. riu
cordialmente e comentou conosco: "Que outro tipo está lá?" Eu respondi
em tom de brincadeira: "Peixe voador!"
Depois do almoço nos retiramos para o sossego do Grand Salon. E.F. disse:
"Vamos ter uma meditação silenciosa juntos". Depois de algum tempo, ele
comentou: "Sinto que foi uma meditação muito boa", e então ele começou
a rever sua vida. Uma ou duas vezes tentamos interromper, mas ele foi em
frente. Em um ponto ele nos entristeceu dizendo: "Eu dei tudo o que tenho
ao povo. Agora cabe a eles continuarem." Enquanto continuava falando,
soava cada vez mais como se fosse parar de trabalhar, embora apenas
algumas semanas antes de enviar um telegrama ao conselho de diretores,
dizendo que voltaria ao púlpito no outono.
Ele continuou: "Nós três já vivemos muitas vezes antes e não é por acaso
que estamos juntos nesta vida. Muitas vezes tenho pensado em vidas
passadas e, por vezes, o antigo Egito entra em foco, e em outros tempos a
Grécia e especialmente a Acrópole. parece muito vívido "- embora ele
nunca tivesse estado em nenhum dos dois lugares. Blanche então
acrescentou que sempre sentiu que havia perdido a vida uma vez em uma
encarnação anterior por afogamento. "Eu me lembro de estar em um barco
pequeno, mas diferente dos que vemos agora. Foi em um rio e uma noite
de luar e montanhas ao redor. Quando tento lembrar mais uma cortina
desce, mas eu sempre sinto que era o Egito e eu gostaria de ir para lá ". E.F.
respondeu: "Você e Herman vão conseguir, mas eu não vou".
(Sua previsão se tornaria realidade dezessete anos depois, quando me
pediram para conduzir uma excursão à Terra Santa com viagens ao Cairo,
às Pirâmides e a Luxor. Quando chegamos ao Cairo e ao belo rio Nilo,
esperei que Blanche reagisse "O que quer que pareça familiar para ela. Ela
fez algo muito estranho para ela. Quando saímos do ônibus para pegar os
camelos que nos levariam para a Esfinge e as Pirâmides, Blanche correu
para um camelo em particular e disse." meu! "como se ela soubesse disso
toda a sua vida. Ela não poderia explicar sua ação depois exceto dizer," Eu
estive aqui muitas vezes antes. "Em um par de dias nós pegamos um avião
para Luxor para ver o túmulo de Tutancâmon Enquanto caminhávamos ao
longo do Nilo no início da noite com a lua brilhando no céu sem nuvens,
Blanche de repente exclamou: "Este é o lugar que eu falei para a EF há
tanto tempo".
Naquele momento em Paris, sentado com a E.F. no Salon do Grand Hotel,
nossos pensamentos eram apenas sobre o seu bem-estar. Ele se animou ao
sair do devaneio e retornamos ao Chateau Frontenac. Às sete horas fomos
jantar no La Coupole em Montparnasse. Depois do jantar dirigimos os
Champs Élyées lentamente a seu pedido. Naquela época do ano, Paris é
leve até as 21h30. Ele estava de bom humor e a cidade estava de bom
humor. Ele pediu a Blanche para cantar "Roses of Picardy", e logo ele
estava cantando junto. Foi uma noite perfeita. Nós circulamos ao redor do
Étoile enquanto as luzes elétricas brilhavam como diamantes em um colar.
Então, E.F. observou com humor que estava passando da hora de dormir.
Ele sugeriu que o deixássemos no hotel e ficássemos fora mais tempo e nos
divertíssemos. O plano era se reunir no saguão do hotel às 13h. próximo
dia.
Às 13:00 ele não apareceu, mas não estávamos preocupados, pois achamos
que ele poderia ter ido dar uma volta. No entanto, sua chave do quarto não
estava com o concierge. Esperamos meia hora e quando não houve
resposta ao nosso telefonema, decidimos pedir ao porteiro para nos deixar
entrar em seu quarto. Encontramos E.F. deitada na cama com a Bíblia
apoiada no peito e as luzes acesas. Nós tentamos despertá-lo, mas não
conseguimos. (Mais tarde, quando tivemos tempo para pensar, achamos
estranho que nenhum de nós tivesse recebido "sinais" dele, como era o
procedimento usual sempre que tivesse alguma dificuldade.) Era urgente
procurar um médico imediatamente. Por causa do fim de semana de férias,
no entanto, era quase impossível localizar um, e só depois de muitos
telefonemas da portaria um médico finalmente chegou. Ele nos disse que o
pulso, a pressão arterial e o coração de E.F. estavam funcionando bem, mas
que ele estava em coma e deveria ser levado imediatamente ao hospital.
Blanche e eu fomos com ele na ambulância para o Hospital Americano, em
Paris, onde, para nosso alívio, encontramos um médico de língua inglesa
no comando. Ele foi muito simpático e nos disse para manter contato com
ele.
Às duas da tarde, 13 de agosto, Emmet Fox partiu deste lado da cortina.
Mas não antes, o médico nos disse, ele se sentou na cama e começou a dar
uma palestra! Blanche e eu ficamos ao lado da cama e olhamos para o
nosso amigo. Havia um lindo sorriso no rosto dele. Ele estava radiante e
parecia vinte anos mais jovem. Nós o beijamos e dissemos: "Estaremos
vendo você". (E nós ainda o fazemos. Nós o vemos com os olhos do
espírito, e sua presença é uma fonte contínua de inspiração e uma ajuda
constante para nós e para muitos outros que o experimentam como nós,
professores metafísicos entre eles.)
Então a embaixada americana assumiu o comando. Eles nos informaram
que uma autópsia das autoridades francesas tinha que ser realizada
porque a E.F. não estava sob os cuidados de um médico. Todos foram
muito solícitos e ofereceram qualquer ajuda que fosse necessária. No
devido tempo, as autoridades descobriram que a causa da morte era uma
hemorragia cerebral.
Emmet Fox foi cremado em seu amado Cemitério Père Lachaise, mas não
até sua irmã, Nora Fox, chegar a Paris com um amigo para lhe dar
permissão. Apesar das circunstâncias sombrias, ela encontrou um leve
momento de humor, como muitas vezes seu ilustre irmão. Quando ela
percebeu que grande trabalho Emmet Fox tinha conseguido, pois ele
sempre subestimou sua fama para não machucar suas sensibilidades
católicas, ela disse para nós e um funcionário da embaixada de prontidão,
"Imagine ele começando uma nova religião quando tivermos uma
perfeitamente bom! " Nós não poderíamos deixar de rir.
Não foi até que recebemos as cinzas e as tivemos a bordo da Ile de France,
o navio que ele amava tanto, que começamos a receber "sinais" dele
novamente. Nós três tivemos uma travessia maravilhosa.
Em 13 de agosto, Blanche escreveu em seu diário: "Querida Dr. Fox, pelo
belo sorriso em seu rosto hoje, sei que você sabe que todas as coisas que
ensinou são verdadeiras. Que maravilha para você! Você sempre disse que
13 era sua "sortudo". Continue a nos abençoar. Eu sempre cantarei "Roses
of Picardy" para você como fiz da última vez que estivemos juntos. "
Quando embarcamos na Ile de France, a orquestra tocava aquela melodia.
Jornais na Europa e na América e revistas e periódicos metafísicos traziam
a notícia. Eu acho que a mais bela homenagem veio do Dr. Fletcher
Harding, escrevendo na revista Science of Mind:
Na segunda-feira, 13 de agosto de 1951, a estada terrena do Dr. Emmet
Fox chegou a um final calmo, em sua amada Paris, onde começou a
experiência que ele havia escrito para confortar milhares de pessoas em
seu livreto Life After Death. '
"Buscadores da Verdade por todo o mundo reverenciarão reverentemente
para prestar tributo a esta nobre alma cuja vida foi marcada com
richachievement. Aqueles que têm fome e sede de justiça valorizarão seus
livros para as gerações vindouras. Seu Sermão da Montanha foi carregado
por orando as mãos em cada igreja, Sua Busca e Uso de Seu Poder Interno
tornou as vidas de milhões mais brilhantes Quando ele escreveu Faça a sua
vida valer a pena e o poder através do pensamento construtivo, ele nos
deixou claras e simples guias para a vida cristã.
"Nos últimos anos, parece apropriado que o Dr. Fox deveria levar seu
trabalho para o Carnegie Hall, que conhecia as melhores músicas. Ele
trouxe para seus corredores consagrados o melhor do pensamento e do
ensinamento Cristão. Seu humor rico e humilde dignidade britânica ele
para milhares, suas pegadas estão claramente estabelecidas nas areias do
tempo.
"O movimento metafísico afirma Emmet Fox como um dos seus maiores
líderes. Embora ele tenha sido ordenado ao Ministério de Cristo pela
Reverenda Nona L. Brooks, co-fundador da Divine Science College em
Denver, Colorado, e afiliou seu trabalho em Nova York com Essa
organização, seu ministério refletia sua própria individualidade
marcante.Com a autoridade que surge de uma profunda compreensão
espiritual e convicção, ele falou a Palavra de Deus com certeza clara e fé
inabalável.Os maiores monumentos que foram deixados para honrá-lo são
as vidas consertadas de Deus. homens e mulheres em todos os lugares que
encontraram paz de espírito, saúde do corpo e vida útil através de seu
ensino.
"Nossos corações estão profundamente comovidos sobre a taça de ouro
que está quebrada, mas nossos pensamentos amorosos abraçam o Espírito
emergente que se move através do espaço eterno no Coração Eterno de
Deus. Nossa gratidão e bênçãos alcançam nosso honrado amigo a quem a
mão do Infinito O pastor ungiu. Com reverente fé, sabemos que além do
obscuro horizonte de nossa visão, seus lábios invisíveis ainda falam as
palavras de Deus para uma congregação mais vasta. "