Você está na página 1de 22

Módulo 2

Aplicações da Integral

%¶NEWNQFG¶TGCFGWOCTGIKºQNKOKVCFCGHGEJCFC
A partir deste momento
Nesta seção vamos abordar uma das aplicações
passaremos a examinar
GDLQWHJUDOGHÀQLGD&RPHoDUHPRVFRPDDSOLFDomR
as aplicações do conteúdo
TXH PRWLYRX D GHÀQLomR GHVWH LPSRUWDQWH FRQFHLWR
estudado na Unidade anterior.
matemático – a determinação da área de uma região R do plano, que
estudamos na Unidade 7.
9DPRV FRQVLGHUDU VHPSUH D UHJLmR TXH HVWi HQWUH RV JUiÀFRV GH
GXDVIXQo}HV6XSRQKDPRVHQWmRTXH f (x) e g(x) sejam funções con-

WtQXDVQRLQWHUYDORIHFKDGR •– a, b —˜ e que f (x) * g(x) para todo x em

•– a, b —˜ . Então, a área da região limitada acima por y  f (x) , abaixo por

y  g(x) , à esquerda pela reta x  a e à direita pela reta x  b , confor-


PHLOXVWUDDÀJXUDDEDL[Rpb
A 0  f (x) < g(x) dx .
a

327
Curso de Graduação em Administração a Distância

y
f(x)

g(x)

[ ]
0 a b x

Figura 8.1

4XDQGRDUHJLmRQmRIRUWmRVLPSOHVFRPRDGDÀJXUDpQHFHV-
ViULDXPDUHÁH[mRFXLGDGRVDSDUDGHWHUPLQDURLQWHJUDQGRHRVOLPLWHV
de integração. Segue abaixo um procedimento sistemático que podemos
seguir para estabelecer a fórmula, utilizando os seguintes passos.

Passo 1.9RFrID]RJUiÀFRGDUHJLmRSDUDGHWHUPLQDUTXDOFXUYDOLPLWD
acima e qual limita abaixo.

Passo 2.9RFrGHWHUPLQDRVOLPLWHVGHLQWHJUDomR2VOLPLWHVa e b serão


as abscissas x dos dois pontos de interseção das curvas y  f (x)
e y  g(x) . Para tanto iguala-se f (x) e g(x) , ou seja, faz
f (x)  g(x) e resolve-se a equação resultante em relação a x.

Passo 3.&DOFXOHDLQWHJUDOGHÀQLGDSDUDHQFRQWUDUDiUHDHQWUHDVGXDV
curvas.

Observação &RQVLGHUHPRVDJRUDDiUHDGDÀJXUDSODQDOLPLWDGDSHOR
JUiÀFRGH f (x) , pelas retas x  a e x  b e o eixo x, onde f (x) é uma
função contínua sendo f (x) ) 0 , para todo x em •– a, b —˜ , conforme
ÀJXUDDVHJXLU

328
Módulo 2

y
a b
0 x
A

f(x)

Figura 8.2

O cálculo da área A é dado por:


b

A  0 f (x) dx ,
a

RXVHMDEDVWDYRFrFDOFXODUDLQWHJUDOGHÀQLGDHFRQVLGHUDURPyGXOR
RXYDORUDEVROXWRGDLQWHJUDOGHÀQLGDHQFRQWUDGD
Apresentaremos alguns exemplos de cálculo de área entre duas curvas:

Exemplo 8.1 Determinar a área da região limitada entre as curvas:

y  f (x)  x
6 e y  g(x)  x 2 .

Resolução: Utilizando o procedimento sistemático apresentado


acima, temos os seguintes passos:

Passo 1. Esboço da região

y
10

−2 −1 0 1 2 3 x

Figura 8.3

329
Curso de Graduação em Administração a Distância

Passo 2. Para encontrar os limites de integração ,fazemos


f (x)  g(x) , isto é, x
6  x 2 ou x 2  x
6, que fornece
x 2 < x < 6  0 3HODIyUPXODGH%KDVNDUDHQFRQWUDPRVDVUDt]HV
da equação acima, x  <2 e x  3 , que serão os limites de inte-

gração. Observe, pelo JUiÀFRDFLPDTXH x


6 * x 2 , para todo
x em •– <2, 3—˜ .

Passo 3. Calculando a área da região limitada por:


y  f (x)  x
6 e y  g(x)  x 2 em •– <2, 3—˜ temos :
b

A 0  f (x) < g(x) dx


a

3 3


= 0 •– x
6 < x 2 —˜ dx  0 x
6 < x dx
2

<2 <2
3
£ x2 x3 ¥

6x < ´
¤ 2 3¦
<2
2
£3 33 ¥ £ (<2)2 (<2)3 ¥
= ²
6 = 3< ´ < ²
6 = (<2) <
¤ 2 3¦ ¤ 2 3 ´¦

£9 ¥ £4 <8 ¥
= ² + 18 < 32 ´ < ² < 12 < ´
¤2 ¦ ¤2 3¦
£9 ¥ £ 8 ¥
= ² + 18 < 9´ < ² 2 < 12 + ´
¤2 ¦ ¤ 3 ¦

£9 ¥ £ 8 ¥ £ 9
18 ¥ £ <30
8 ¥
 ²
9´ < ² <10
´  ² <
¤2 ¦ ¤ 3 ¦ ¤ 2 ´¦ ²¤ 3 ´¦

27 <22 27 22 81 + 44 125
= < 
=  u.a.
2 3 2 3 6 6
Portanto, a área limitada por
125
y  f (x)  x
6 e y  g(x)  x 2 em •– <2, 3—˜ é
6
unidades de área.

Exemplo 8.2 Determinar a área da região limitada por

y  f (x)  4 e y  g(x)  x 2 .

330
Módulo 2

Resolução: Utilizando o procedimento sistemático apresentado


acima, temos os seguintes passos:
Passo 1. Esboço da região:
y
5

−2 −1 0 1 2 x

Figura 8.4

Passo 2. Para encontrar os limites de integração fazendo


f (x)  g(x) ,temos,4  x 2 ou x 2 = 4.Logo,x  ( 4 = ( 2,ouseja,
x1  <2 e x2  2. Assim, a  <2 e b  2 .

Passo 3. A área da região limitada por y  f (x)  4 e y  g(x)  x 2 ,

em •– <2, 2 —˜ será:
b

A 0  f (x) < g(x) dx


a
2
2
£ x3 ¥
 2

= 0 4 < x dx  ² 4x < ´
¤ 3¦
<2 <2
3
£ 2 ¥ £ ( < 2)3 ¥
= ² 4 = 2 < ´ < ² 4 = ( < 2) <
¤ 3¦ ¤ 3 ´¦
£ 8¥ £ <8 ¥ £ 8¥ £ 8¥
= ² 8 < ´ < ² <8 < ´  ² 8 < ´ < ² <8 + ´
¤ 3¦ ¤ 3¦ ¤ 3¦ ¤ 3¦
8 8 8 16
= 8< + 8 < = 16 < 2 = = 16 <
3 3 3 3
48 < 16 32
=  u.a.
3 3
Portanto, a área limitada por y  f (x)  4 e y  g(x)  x 2 em
32
•– <2, 2 —˜ é unidades de área.
3

331
Curso de Graduação em Administração a Distância

Exemplo 8.3 Determinar a área da região limitada por

y  f (x)  8 < x 2 e g(x)  x 2 .

Resolução: Temos os seguintes passos:

Passo 1. Esboço da região:


y

8
7
6
5
4
3
2
1

−2 −1 0 1 2 x

Figura 8.5

Passo 2. Para encontrar os limites de integração, fazemos


f (x)  g(x) , isto é, 8 < x 2  x 2 , que fornece 8  2 x 2 e

x1  <2 e x2  2 . Assim, a  <2 e b  2 .

Passo 3. A área da região limitada por y  f (x)  8 < x 2 e g(x)  x 2

será:
b 2

0 0 8 < x
2
A f (x) < g(x) dx  < x 2 dx
a <2
2
2
£ x3 ¥
0
2
= 8 < 2 x dx  ² 8 x < 2 ´
<2 ¤ 3¦
<2

£ 23 ¥ £ ( < 2)3 ¥
= ² 8 = 2 < 2 = ´ < ² 8 = ( < 2) < 2 =
¤ 3¦ ¤ 3 ´¦

£ 8¥ £ <8 ¥
= ² 16 < 2 = ´ < ² <16 < 2 = ´
¤ 3¦ ¤ 3¦

332
Módulo 2

16 16 16
= 16 < + 16 < = 32 < 2 =
3 3 3
32 96 < 32 64
= 32 < =  u.a.
3 3 3
Portanto, a área limitada por y  f (x)  8 < x 2 e g(x)  x 2 em
64
•– <2, 2 —˜ é unidades de área.
3

Exemplo 8.4 Determinar a área limitada pela curva y  f (x)  x 2 < 5x ,


o eixo x e as retas x  1 e x  3.

Resolução: Temos os seguintes passos:

Passo 1. Esboço da região.

y 1 1,5 2 2,5 3
0 x
−1

−2

−3

−4

−5

−6

Figura 8.6

Passo 2. Os limites de integração são a  1 e b  3.

Passo 3. A área limitada pela curva y  f (x)  x 2 < 5x o eixo x


e as retas x  1 e x  3, será:

333
Curso de Graduação em Administração a Distância

3
3
£ x3 x2 ¥
0
2
A x < 5x dx  ² < 5 = ´
1 ¤ 3 2¦
1

£ 33 32 ¥ £ 13 12 ¥
= ² <5= ´ < ² <5= ´
¤3 2¦ ¤ 3 2¦

£ 27 9¥ £ 1 1¥
= ² <5= ´ < ² <5= ´
¤ 3 2¦ ¤ 3 2¦

£ 45 ¥ £ 1 5 ¥ £ 18 < 45 ¥ £ 2 < 15 ¥
= ²9 < ´ < ² < ´  ² <
¤ 2 ¦ ¤ 3 2 ¦ ¤ 2 ´¦ ²¤ 6 ´¦

£ <27 ¥ £ <13 ¥ <27 13


= ² ´ <² ´ 

¤ 2 ¦ ¤ 6 ¦ 2 6

<81 + 13 <68 < 34 34


=    u.a.
6 6 3 3

Portanto, a área limitada pela curva y  f (x)  x 2 < 5x , o eixo x


34
e as retas x  1 e x  3 é unidades de área.
3
Exemplo 8.5 Encontrar a área da região limitada pela curva
y  f (x)  sen x e pelo eixo x de 0 a 2/ .

Resolução: 9RFrWHPRVVHJXLQWHVSDVVRV
Passo 1. Esboço da região:

0     x
2 2

1

Figura 8.7

334
Módulo 2

Passo 2. Para determinar os limites de integração, temos, pelo


JUiÀFRDFLPDQRLQWHUYDOR •–0 , / —˜ , f (x)  sen x * 0 e no interva-

lo •–/ , 2/ —˜ , f (x)  sen x ) 0 .

Passo 3. A área da região limitada pela curva f (x)  sen x , e pelo

eixo x de 0 até 2/ será:


/ 2/
/ 2/
A  0 sen x dx
0 sen x dx  < c os x 0

< cos x /
0 /

 
= <cos / < ( < cos 0) + <cos 2/ < ( < cos /

= <( < 1) < ( < 1) + <1 < <( < 1)
= 1 + 1 + <1 < 1 = 2 + <2 = 2 + 2 = 4 u.a.

Portanto, a área da região limitada pela curva f (x)  sen x e pelo eixo

x de 0 até 2/ é 4 unidades de área.


&KHJRXDKRUDGHSRUHPSUiWLFD
RTXHYRFrDSUHQGHXQHVWDVHomR
5HVSRQGDRVH[HUFLFLRVHFDVRWHQKD
dúvidas, busque orientação junto ao
6LVWHPDGH$FRPSDQKDPHQWR

Exercícios propostos – 1

  &DOFXODUDiUHDGDUHJLmRHVSHFLÀFDGDHPFDGDH[HUFtFLR

y
a)
5

0 1 2 3 4 x

Figura 8.8
335
Curso de Graduação em Administração a Distância

Onde y  f (x)  x
1 .
b) y

0 1 2 3 4 x

Figura 8.9

Onde y  f (x)  x .

2) Determinar a área da região limitada por:


y  f (x)  x e y  g(x)  x 2 < x .

3) Determinar a área da região limitada por y  f (x)  < x


1, o eixo
x e as retas x  <2 e x  0 .

4) Determinar a área da região limitada por


2 2
y  f (x)  x e y  g(x)  < x
4x .
1
5) Calcular a área da região limitada por y  f (x)  , o eixo x e
x
as retas x  1 e x  4 .

Volume de sólido de revolução

2YROXPHGHXPVyOLGRGHVHPSHQKDXPSDSHOLPSRUWDQWHHPPXL-
WRVSUREOHPDVQDVFLrQFLDVItVLFDVWDLVFRPRGHWHUPLQDomRGHcentro de
massa e de momento de inércia. Como é difícil determinar o volume de
um sólido de forma irregular, começaremos com objetos que apresentam
formas simples. Incluídos nesta categoria estão os sólidos de revolução.
336
Módulo 2

Um sólido de revolução é gerado pela rotação de uma região do pla-


QRHPWRUQRGHXPDUHWDFKDPDGDeixo de revolução, contida no plano.
Seja S o sólido gerado pela rotação da região do plano limitada
por y  f (x) , o eixo x , x  a e x  b em torno do eixo x . Então o

volume V deste sólido é dado por:


b 2
V /0
a
 f (x) dx.
3RGHPRVSURYDUDIyUPXODDFLPDXWLOL]DQGRDUJXPHQWRVVHPHOKDQ-
tes aos usados para calcular a área de uma região plana e limitada, mas
QmRIDUHPRVHVWHHVWXGR1HVWHWUDEDOKRGDUHPRVDSHQDVDIyUPXOD
*UDÀFDPHQWH
y

y = f(x)

a 0 b x

Figura 8.10

337
Curso de Graduação em Administração a Distância

Figura 8.11

Analogamente, quando o eixo de revolução é o eixo y e a frontei-

ra da região plana é dada pela curva x  g(y) e o eixo y entre y  c e

y  d , então o volume V do sólido de revolução é dado por


2
 g  y dy.
d
V /0
c

y
d

x = g(y)

0 x

Figura 8.12

338
Módulo 2

 
Sejam f x e g x funções contínuas no intervalo •– a,b —˜ e suSRQKD-
mos que f  x * g  x * 0 para todo x D •– a,b —˜ . Então o volume do sólido
de revolução gerado pela rotação em torno do eixo x , da região limitada
 
pelas curvas y  f x e y  g x e as retas x  a e x  b é dado por:
2 2
V  / 0 •³ f x
  <  g  x —µ˜ dx.
b

a –

*UDÀFDPHQWH
y

y = f(x)

y = g(x)

a 0 b x

Figura 8.13

Figura 8.14

339
Curso de Graduação em Administração a Distância

Exemplo 8.6 A região limitada pela curva y  x 2 , o eixo x e as retas


x  1 e x  2 , sofrem uma rotação em torno do eixo x . Encontre o
volume do sólido de revolução gerado.

Resolução: ,QLFLDOPHQWH FRQVWUXtPRV R JUiÀFR GD FXUYD GDGD


SHODÀJXUD

y
y = f(x)
4

0 1 2 x

Figura 8.15

Temos:
2 2 2
  dx  / 0  x dx
b
2
V /0 f x
a 1
2
x5 /
/  32 < 1
5 1 5

31
 / , unidades de volume (u.v.).
5

Exemplo 8.7 Calcule o volume do sólido que se obtém por rotação da


região limitada por y  x 3 , y  0 e x  1 em torno do eixo y .

340
Módulo 2

Resolução: ,QLFLDOPHQWHFRQVWUXtPRVRJUiÀFRGDVFXUYDVGDGDV
y

2 y = x3

1,5

0,5

−1 −0,5 0 0,5 1 1,5 2 x

−0,5

−1

Figura 8.16

De y  x 3 temos x  y1/ 3 . Logo, o volume do sólido obtido pela

revolução em torno do eixo y é dado por


2 1
  dy  / 0 y
d
2/ 3
V /0 g y dy
c 0

3/ 5/ 3 1 3/
 y  u.v.
5 0 5
Exemplo 8.8 Calcule o volume do sólido que se obtém por rotação da
região limitada por x 2  y < 2 , 2y < x < 2  0 , x  0 e x  1em torno
do eixo x .

341
Curso de Graduação em Administração a Distância

Resolução:9HMDDÀJXUDDEDL[RUHSUHVHQWDQGRDUHJLmR
y
5
x² = y−2
4

2 2y−x−2 = 0

x
−2 0 2 4
−1

Figura 8.17

(a) Volume do sólido em torno do eixo x . Neste caso, temos


2 2
V  / 0 •³ f x  <  g  x —µ˜dx
b

a –

2
1 • 2 £1 ¥ —
0
³–
2

¤2

 / 0 ³ x
2 < ² x
1´ µdx
¦ µ
˜
1£ 15 ¥
 / 0 ² x 4
x 2 < x
3´ dx
0¤ 4 ¦
1
£ x 5 5x 3 x 2 ¥
/²
<
3x ´
¤ 5 4 2 ¦0
£ 1 5 1 ¥ 79/
 / ²
<
3´  u.v.
¤5 4 2 ¦ 20

342
Módulo 2

Exercícios propostos – 2

1) Determine o volume do sólido de revolução gerado pela rotação em


torno do eixo x , de região limitada por:

a) y  2x
1, x  0, x  3 e y  0.

b) y  x 2
1, x  1, x  3 e y  0.

2) Determine o volume do sólido de revolução gerado pela rotação


em torno do eixo y , de região limitada por: y  ln x, y  <1, y  3
e x  0.

3) Calcule o volume do sólido obtido girando cada região limitada


pelas curvas e retas dadas em torno do eixo indicado:

a) y  2x 2 , y  0, x  0, x  5 ; em torno do eixo dos x .

b) y  x 2 < 5x
6, y  0 ; em torno do eixo dos x .

c) y 2  2x , x  0 , y  0 e y  3; em torno do eixo dos y .

d) y  2x < 1, x  0 , x  3 e y  0 ; em torno do eixo dos x .

343
Curso de Graduação em Administração a Distância

Comprimento de arco

A seguir, apresentaremos o comprimento de arco de uma curva


plana em coordenadas cartesianas. Seja f uma função contínua no in-

WHUYDORIHFKDGR[a,b] &RQVLGHUHPRVRJUiÀFRGDIXQomR y  f (x) .


y

B = (b,ƒ(b))

y = ƒ(x)

A = (a,ƒ(a))

a b x

Figura 8.18


Sejam A a, f (a) e B(b, f (b)) dois pontos na curva y  f (x) .
ª GRJUiÀFRGDGDIXQomR y  f (x) .
Seja s o comprimento da curva AB
Então, s é dado por
b 2
s 0a

1
f '(x) dx.

A seguir, apresentaremos alguns exemplos.

x
Exemplo 8.9 Determinar o comprimento de arco da curva y 
1,
2
0 ) x ) 3.

Resolução: Temos,
x 1
y
1‰ y'  .
2 2

344
Módulo 2

Logo,
b 2
s 0 a

1
f '(x) dx
3 1
 0 1
dx
0 4
3 55 3 3
 0 dx 
x  5.
0 44 0 2
x
Portanto, o comprimento de f (x) 
1, para 0 ) x ) 3 é dada
2
3
por s  5 u.c.
2
Exemplo 8.10 Calcule o comprimento do arco da curva 24xy  x 4
48
de x  2 a x  4

Resolução: Temos,
24xy  x 4
48
1 3 2
‰y x

24 x
2
3x 2 x 4 < 16
‰ y'  <  .
24 x 2 8x 2

Agora, 2
b 2 4 £ x 4 < 16 ¥
s 0 a
1
y' dx  0
2
1
²
¤ 8x ¦
2 ´ dx
4 1
 0
2
1

64x 4 
x 8
256 < 32x 4 dx
4 x 8
32x 4
256
 0
2 64x 4
dx

(x 4
16)2
4 4 (x 4
16)2
0 dx  0 dx
2 (32x 2 )2 2
(32x 2 )2
4
4 £ x
16 ¥
0 ² 2 ´ dx
2
¤ 8x ¦
4
1 4 2 1 • x 3 16 —
8 2

 0 x
16x dx  ³ < µ
<2

8– 3 x ˜

2
1 • 64 8 — 1 • 56 — 17
 ³ < 4 <
8µ  ³
4 µ  u.v.
8– 3 3 ˜ 8– 3 ˜ 6

345
Curso de Graduação em Administração a Distância

9DPRVYHULÀFDUVHYRFr
compreendeu estas importantes
DSOLFDo}HVGDLQWHJUDOGHÀQLGD
e para isto tente resolver os
exercícios propostos a seguir. Se
WLYHUG~YLGDVSURFXUHHVFODUHFr
las antes de seguir adiante.
Exercícios propostos – 3

% Determine o comprimento das curvas dadas por:

x2 1
1) y < ln x, 2 ) x ) 4 .
2 4
1 3
2) 
y  ln 1 < x 2 de x  a x  .
4 4
1 4 1
3) y  x
2 de x  1 a x  2 .
4 8x
/ /
4) 
y  1 < ln sen x de x  a x  .
6 4
1 x
5)
2
 <x

y  e
e de x  0 a x  1.

Saiba Mais...

Para aprofundar os conteúdos abordados neste capítulo consulte:


— FLEMMING, D. M.; GONÇALVES, M. B. Cálculo A: Fun-
ções, Limite, Derivação, Integração, 5ª ed. São Paulo: Makron
Books, 1992.
— LEITHOLD, Louis. O cálculo com geometria analítica. 2. ed.
São Paulo: Harbra, 1994. Vol. 1.

— KWWSSHVVRDOVHUFRPWHOFRPEUPDWHPDWLFDVXSHULRUVXSHULRUKWP
— KWWSZZZFHSDLIXVSEUHFDOFXOR

346
Módulo 2

RESUMO

1HVWD 8QLGDGH YRFr HVWXGRX DSOLFDo}HV GD LQWHJUDO


GHÀQLGDHPFiOFXORGDiUHDGHXPDUHJLmRSODQDHOLPLWDGD
HVWXGRXDSOLFDo}HVGDLQWHJUDOGHÀQLGDHPFiOFXORGHYROXPH
do sólido de revolução, e no comprimento de arco de uma curva
utilizando o sistema de coordenadas cartesianas.

347
Curso de Graduação em Administração a Distância

RESPOSTAS

• Exercícios propostos – 1

16
1) a) 12 unidades de área. b) unidades de área.
3
4
2) unidades de área.
3
3) 4 unidades de área.
8
4) unidades de área.
3
5) 2 unidades de área.

• Exercícios propostos – 2

1016
1) a) 57/ u.v.; b) / u.v.
15
/£ 6 1¥
2) e < 2 ´ u.v.;
2 ²¤ e ¦
/
3) a) 2500/ u.v. b) u.v.
30
243
c) / u.v. d) 21/ u.v.
20

• Exercícios propostos – 3

1
1) 6+ ln 2  6,173u.c.
4
£ 21¥ 1 123
2) ln ² ´ < u.c. 3) u.c.
¤ 5¦ 2 32
1
4) ln 2 < ln 2
2
ln 2
3 u.c.
2
1 2
5)
2e

e < 1 u.c.

348

Você também pode gostar