Você está na página 1de 4

(9ª AULA) NÃO JULGUE PARA NÃO SER JULGADO

Objetivo: Mostrar ao aluno que às vezes agimos muito mal quando julgamos as pessoas sem conhecê-las.
Material: vídeo e aparelho para reproduzi-lo.
Procedimento: Iniciar a aula passando o vídeo. Em seguida fazer a leitura do texto que segue e as perguntas de forma oral.
Muitos têm o costume de julgar as pessoas, coisas e situações, apontando erros e falhas, avaliando alguém pela sua aparência ou
sua atitude. O hábito de julgar os outros constitui uma das imperfeições de nosso caráter. Reparar na vida alheia; falar mal de nossos
colegas, de nossos amigos e de nossos parentes; criticar os atos dos outros; fazer intrigas; contar para todos as faltas que viu alguém
cometer; tudo isso é julgar os outros.
Não devemos julgar com mais rigor os outros, do que julgamos a nós mesmos, nem condenar no outro aquilo de que nos
desculpamos. Antes de atribuir a alguém uma falta ou apontar algum erro, vejamos se a mesma censura não nos pode ser feita.
Não julgue o próximo através de aparências, pois podemos nos equivocar e lhe causar um grande prejuízo. Cada pessoa tem a
sua dificuldade, não existem dois problemas, absolutamente iguais. Devemos ser tolerantes e compreendê-las. Diante de um velhinho, sujo
e mal vestido, que não consegue arrumar emprego, uns podem pensar: ''É um homem bêbado, vá embora daqui.'' Já outros pensam: ''É
um homem que precisa de auxílio .'' Não faça julgamento precipitado, tenha compaixão.
Julgar os outros é ser orgulhoso, porque quem julga pensa que é superior aos outros. Quando percebemos os defeitos alheios,
devemos evitar falar deles ou divulgá-los. Tenhamos compaixão e perdão no coração.
Perguntas para fixação:
1. O que é julgar os outros? 4. Com qual objetivo podemos mostrar o erro de alguém?
2. Por que não devemos julgar pelas aparências? 6. Se os erros de uma pessoa prejudicam a ela mesma devemos criticá-la?
3. Antes de apontar o erro de alguém o que devemos fazer? 7. Qual é o sentimento que devemos ter, contrário ao hábito de julgar?

(10ª AULA) AUTOESTIMA: AMAR A SI MESMO


Objetivo: Apresentar o conceito de autoestima e mostrar o que é preciso fazer para mantê-la.
Material: Frases, papel sulfite (conforme o número de participantes).
Descrição: O professor deverá distribuir uma folha de papel para cada aluno. Depois verificar se todos sabem o que é autoestima. Se não
souberem explique que a autoestima é a capacidade de valorizar a si próprio, reconhecer e aceitar os próprios dons, capacidades, e
desenvolver o amor-próprio. Sendo que ela está relacionada com o contexto social onde vivemos (família, escola, amigos, etc.). Todos os
dias, enfrentamos situações que afetam a nossa autoestima. Explique que você vai dar alguns exemplos. E cada vez que ler uma frase, eles
deverão arrancar um pedaço da folha na proporção do prejuízo que essa situação traz à sua autoestima.

Dinâmica: AUTOESTIMA (Frases que podem afetar a autoestima)


1. Uma briga com o melhor amigo. 4. Um grupo de amigos não o convidou para uma festa.
2. O professor o criticou na frente de todos os colegas. 5. Você tirou péssimas notas.
3. Seu pai ou sua mãe brigou com você. 6. Seus colegas zombaram de você por causa do seu corpo.

Depois de ler todas as frases, diga que agora vão recuperar a autoestima. Terão que juntar os pedaços de papel rasgados a cada frase
que for lida.
Frases que podem recuperar a autoestima:
1. Você recebeu um abraço do seu melhor amigo. 4. Seus amigos lhe fizeram uma festa surpresa.
2. Você recebeu um elogio do professor. 5. Você recebeu um prêmio por ser o melhor aluno da turma.
3. Seus pais lhe disseram que te amam. 6. Seus colegas da classe lhe escolheram como líder.
Comentário: Todos recuperaram sua autoestima? O que podemos fazer para defender nossa autoestima quando nos sentimos atacados?
Devemos cultivar pensamentos positivos, desenvolver o amor-próprio, confiar em nós mesmos, respeitar-se, cuidando do corpo físico,
evitando abusos e excessos, tolerar as faltas alheias, possuir paciência, aceitando a sua própria vida e tornar-se uma pessoa melhor a
cada dia.
Autoestima é a capacidade de valorizar a si próprio, reconhecer e aceitar os próprios dons, capacidades, e desenvolver o amor-próprio
(gostar de si mesmo). Isso implica na capacidade de confiar em si próprio, de se sentir capaz de enfrentar os desafios da vida.
Aquele que não possui amor-próprio costuma desenvolver em si complexos de inferioridade (inferioridade com relação aos outros),
gerando sentimentos de culpa, insegurança, baixa estima e desvalorização de sua capacidade e habilidades. Enquanto, a autoestima
promove o bem estar e alegria do ser, os sentimentos negativos e de auto piedade (sentimento de pena em relação a si mesmo) podem
ocasionar doenças para o seu organismo.

Perguntas para fixação:


1. O que é a autoestima? 5. Como devemos nos sentir em relação aos outros?
2. O que é necessário para amar ao próximo? 6. Por que cada um nasce em diferentes condições?
3. O que é ter amor-próprio? 7. Todos os Espíritos possuem a capacidade de desenvolver seus talentos?
4. Por que algumas pessoas se sentem inferiores? 8. O que é preciso fazer para manter a autoestima elevada?
(11ª AULA) AJUDAR O PRÓXIMO
Objetivo: Para reflexão da importância do próximo em nossa vida
Material: Pirulito para cada participante.
Dinâmica: "Auxílio mútuo"
Procedimento: Todos em círculo, de pé. É dado um pirulito para cada participante, e os seguintes comandos: todos devem segurar o
pirulito com a mão direita, com o braço estendido. Não pode ser dobrado, apenas levado para a direita ou esquerda, mas sem dobrá-lo. A
mão esquerda fica livre. Primeiro solicita-se que desembrulhem o pirulito, já na posição correta (braço estendido, segurando o pirulito e de
pé, em círculo). Para isso, pode-se utilizar a mão esquerda. O mediador da dinâmica, recolhe os papéis e em seguida, dá a seguinte
orientação: sem sair do lugar em que estão, todos devem chupar o pirulito! Aguardar até que alguém tenha a iniciativa de imaginar como
executar esta tarefa, que só há uma: oferecer o pirulito para a pessoa ao lado!!! Assim, automaticamente, os demais irão oferecer e todos
poderão chupar o pirulito. Encerra-se a dinâmica, cada um pode sentar e continuar chupando, se quiser, o pirulito que lhe foi oferecido.
Abre-se a discussão que tem como fundamento maior dar abertura sobre a reflexão de quanto precisamos do outro para chegar a algum
objetivo e de é ajudando ao outro que seremos ajudados.
Vídeo motivacional: Ajudar ao próximo.

(12ª AULA) SER EGOÍSTA


Objetivo: Fazer reflexão sobre a importância de saber dividir
Procedimento: Fazer a leitura do texto sobre egoísmo
Ser egoísta significa colocar seus interesses, opiniões, desejos, necessidades em primeiro lugar, em detrimento (prejuízo) das
demais pessoas com que se relaciona. É um vício do qual os indivíduos só se preocupam com o seu próprio interesse.
A caridade é um sentimento oposto ao egoísmo, pois o indivíduo pensa primeiramente nos outros antes de pensar em si mesmo.
O egoísmo nasce do abuso do instinto de conservação, na medida que você faz as suas escolhas e opta por satisfazer sua vontade além
do necessário. Por exemplo, será que aquele que compra várias roupas e sapatos, sendo que boa parte não utiliza e nem ao menos doa,
precisa de tudo isto para conservação da sua vida? É o exagero que faz o homem se tornar ruim. Ele não foi criado egoísta, nem
orgulhoso, criou-se simples e humilde.
Existem aqueles que possuem um egoísmo familiar, ou seja, somente ajudam aqueles que fazem parte da sua família (por
exemplo: divide o brinquedo somente com o seu irmão ou primo), esquecendo-se de que todos somos irmãos, pois temos um mesmo pai
que é Deus.
O egoísmo é a fonte de todo mal. Se estudarmos todos os vícios (a vaidade, a ambição, a inveja, o ódio, o ciúme, a mentira etc...)
veremos que no fundo de todos está o egoísmo. É a causa geradora de muitos sofrimentos, da mágoa, das brigas, da violência, das
guerras.
Aquele que age de maneira egoísta enfraquece a sensibilidade no seu coração. Por exemplo, percebe que sua mãe está cansada
do trabalho, mesmo assim não faz nada para ajudá-la. Já aquele que possui compaixão (sentimento de piedade pelo sofrimento alheio ;
caridade) está sempre disposto a ajudar nos afazeres domésticos e deixa o seu quarto todo arrumado.
Quando a Humanidade se submeter à lei de amor e de caridade, deixará de haver egoísmo. Todos viverão em paz, em união, sem
brigas, sem ódios. Reinará a verdadeira fraternidade e a justiça. O egoísmo é a fonte de todos os vícios, como a caridade é a fonte de
todas as virtudes. Destruir um e desenvolver o outro, tal deve ser o objetivo de todos os esforços do homem, se quiser ser mais feliz neste
mundo, tanto quanto no futuro.

Perguntas para fixação:


1. Qual é o nome do vício que dá origem a todos os outros vícios?
2. Qual é a fonte de todas as virtudes que é contrária ao egoísmo?
3. Qual o significado da palavra egoísmo?
4. O que é a caridade?
5. Cite algumas consequências ruins geradas pelo egoísmo.
6. Como é possível combater o egoísmo?
7. E quem nos deu o exemplo de egoísmo?
8. Para ser feliz é preciso fazer o quê?
(13ª AULA) O ORGULHO E A HUMILDADE
Objetivo: Saber diferenciar o orgulho e a humildade.
Material: Bilhetes com frases e uma caixa.
Dinâmica - O orgulho e a humildade
Descrição: São 12 frases que demonstram atitudes orgulhosas, seguidas de 12 atitudes humildes. O professor deve colocar as 24 frases
misturadas numa caixa, e os alunos deverão retirá-las até esgotá-las. Em seguida, deve-se pedir que um aluno leia uma frase. Depois,
em grupo, deve ser discutido qual seria o oposto àquela atitude.
Então, quem estiver com a atitude humilde equivalente àquela atitude orgulhosa deverá ler o seu bilhetinho, para que se faça uma
comparação.
E assim deve ser até que se esgote os bilhetinhos.

Frases:
1.Acha que sabe muito e não aceita ser criticado ou corrigido, pois se sente humilhado.
2.Reconhece que ainda precisa aprender muito e está sempre aberto a novos conhecimentos.
3.Não admite que errou e procura uma desculpa dizendo assim: "Não foi minha culpa".
4. Reconhece quando erra e diz assim: "Desculpe, eu me equivoquei" e procura fazer de novo, e melhor.
5. Se acha sempre certo e acredita que não precisa mudar, pois tudo que faz é muito bom.
6. Reconhece que pode fazer melhor e se aperfeiçoa para sempre superar a si mesmo
7. Resiste àqueles que são mais velhos e experientes (professores, pais, avós, etc.) e põe defeitos neles
8. Respeita aqueles que são mais velhos e experientes e trata de aprender algo com eles
9. Faz apenas sua tarefa e ainda diz: “Eu só faço meu trabalho; que outra pessoa faça a outra parte”.
10. Estão sempre dispostos a fazer sua tarefa e algo a mais além da sua obrigação.
11. Não aceita as ideias dos outros, pois julga as suas sempre melhores.
12. Está sempre disposto a ouvir as ideias dos outros, pois acredita que todos são capazes de colaborar.
13. Se julga sábio e poderoso e não reconhece Deus como força superior a todos os homens.
14. É agradecido a Deus pela perfeição de suas leis e de sua criação.
15. Está sempre insatisfeito, pois se sente injustiçado e merecedor de melhor sorte.
16. Acredita plenamente na justiça divina e sabe que tem exatamente aquilo que merece.
17. Acha que perdão é para os fracos; quem é forte mesmo arruma um jeito de se vingar (ele chama isso de "fazer justiça").
18. Sabe que engolir o orgulho e perdoar é a verdadeira virtude; a vingança só o iguala ao ofensor.
19. Se arrepende do bem que faz quando não é reconhecido.
20. Sabe que a verdadeira recompensa não está aqui, por isso faz o bem sem interesse de obter reconhecimento.
21. Dá muita importância a cargos, posições sociais, nobreza familiar.
22. Acredita que a verdadeira grandeza é moral e independe de qualquer título terreno.
23. Não aceita demonstrar falhas em público nem pedir ajuda e prefere receber do que dar um pouco de si em benefício do grupo.
24. Reconhece a timidez como sinal de orgulho e luta contra ela, mesmo que tenha de se expor à opinião do grupo.

Conclusão: Ser orgulhoso significa considerar-se acima dos outros, julgando-se com direitos superiores (privilegiado), ou seja, ser
soberbo; ter amor-próprio em exagero. A humildade é um sentimento oposto ao orgulho, pois o indivíduo é modesto e reconhece que
precisa melhorar-se; e que todos somos iguais perante Deus. Ter simplicidade é compreender o que é essencial para satisfazer as
verdadeiras necessidades da vida, adequadas à realidade pessoal e profissional de cada um. Aquele que é simples não cria
necessidades artificiais, pois não possui ganância descabida.
Ter humildade é saber servir ao próximo. Podemos ser humildes em todas as classes sociais, na pobreza ou na riqueza. A
humildade não tem relação com a condição financeira, portanto ser humilde não significa ser pobre materialmente. O orgulho é o maior
obstáculo ao nosso aperfeiçoamento. O orgulho desvia-nos não apenas do amor dos nossos semelhantes, mas torna qualquer
aperfeiçoamento impossível, enganando-nos sobre nosso valor, cegando-nos sobre nossos defeitos. Apenas um exame rigoroso dos
nossos atos e dos nossos pensamentos nos permitirá nos melhorarmos. Mas como o orgulhoso submeter-se-ia a esse exame? De todos
os homens, o orgulhoso, é aquele que menos se conhece.
O homem simples, humilde de coração (pobre de espírito), rico em qualidades morais, chegará mais depressa à verdade, apesar
da possível inferioridade intelectual em relação ao orgulhoso, pois ele está disposto a aprender. Todos os homens que sofrem injustiças,
devem perdoar as faltas dos seus irmãos, pois não estamos isentos de erros; isso é fazer caridade, mas é também humildade. Por
exemplo, se alguém lhe colocar um apelido maldoso, não queira se vingar. Suporte com coragem as humilhações dos homens, seja
humilde.

Perguntas para fixação:


1. O que é o orgulho?
2. O que é a humildade?
3. Em quais gestos Jesus exemplificou a humildade?
4. Ser pobre materialmente significa ser humilde? Por quê?
5. O orgulhoso terá a mesma recompensa que o humilde?
6. Qual é a situação dos orgulhosos no mundo espiritual?
7. Quem alcançará mais rápido as verdades espirituais?
8. Quem é o maior no reino dos céus?
1. Acha que sabe muito e não aceita ser criticado ou corrigido, pois se sente humilhado.
2. Reconhece que ainda precisa aprender muito e está sempre aberto a novos conhecimentos.
3. Não admite que errou e procura uma desculpa dizendo assim: "Não foi minha culpa".
4. Reconhece quando erra e diz assim: "Desculpe, eu me equivoquei" e procura fazer de novo, e
melhor.
5. Se acha sempre certo e acredita que não precisa mudar, pois tudo que faz é muito bom.
6. Reconhece que pode fazer melhor e se aperfeiçoa para sempre superar a si mesmo
7. Resiste àqueles que são mais velhos e experientes (professores, pais, avós, etc.) e põe defeitos neles
8. Respeita aqueles que são mais velhos e experientes e trata de aprender algo com eles
9. Faz apenas sua tarefa e ainda diz: “Eu só faço meu trabalho; que outra pessoa faça a outra parte”.
10. Estão sempre dispostos a fazer sua tarefa e algo a mais além da sua obrigação.
11. Não aceita as ideias dos outros, pois julga as suas sempre melhores.
12. Está sempre disposto a ouvir as ideias dos outros, pois acredita que todos são capazes de
colaborar.
13. Se julga sábio e poderoso e não reconhece Deus como força superior a todos os homens.
14. É agradecido a Deus pela perfeição de suas leis e de sua criação.
15. Está sempre insatisfeito, pois se sente injustiçado e merecedor de melhor sorte.
16. Acredita plenamente na justiça divina e sabe que tem exatamente aquilo que merece.
17. Acha que perdão é para os fracos; quem é forte mesmo arruma um jeito de se vingar (ele chama
isso de "fazer justiça").
18. Sabe que engolir o orgulho e perdoar é a verdadeira virtude; a vingança só o iguala ao ofensor.
19. Se arrepende do bem que faz quando não é reconhecido.
20. Sabe que a verdadeira recompensa não está aqui, por isso faz o bem sem interesse de obter
reconhecimento.
21. Dá muita importância a cargos, posições sociais, nobreza familiar.
22. Acredita que a verdadeira grandeza é moral e independe de qualquer título terreno.
23. Não aceita demonstrar falhas em público nem pedir ajuda e prefere receber do que dar um
pouco de si em benefício do grupo.
24. Reconhece a timidez como sinal de orgulho e luta contra ela, mesmo que tenha de se expor à
opinião do grupo.