Você está na página 1de 51

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

Logística: Aula 1

Logística e Gestão da Cadeia


Internacional de Suprimentos

Luiz Felipe Assis

2013
Logística e Gestão da Cadeia Internacional
de Suprimentos
• Comércio Internacional
• Objetivos da Logística
• Definições: Logística e Gestão da Cadeia de
Suprimentos
• Componentes e Atividades da Logística
• Canais Físicos
• Gerenciamento do Fluxo de Informações:
Tecnologias
• Importância da Logística no Comércio
Internacional
• Questões para Discussão
Comércio Internacional
• Comércio internacional caracterizado pela redução de
barreira: “free trade”. Fim do colonialismo (Europa) na
segunda metade do século XX; queda do modelo de
economia planificada da Europa Oriental no início da
década de 1990; e abertura econômica da China em
meados de 1990.
• Rápido desenvolvimento dos sistemas de comunicação:
telex, telefonia, fax, e-mail, telefonia móvel etc.
• Redução dos custos de transporte. A redução de custos no
transporte aéreo e marítimo permitiu o aumento na
movimentação de carga no comércio internacional, e
acesso à regiões produtoras/consumidoras.
Comércio Internacional
• Busca por maior competitividade das empresas:
– Fragmentação e especialização industrial
– Deslocamento dos pólos produtores para novas regiões
– Produção de componentes em vários locais de produção
para posterior montagem buscando maior
competitividade (reduzidos custos de transporte).
– Busca de menores distâncias de distribuição, incentivos
fiscais, redução de custos de produção (mão-de-obra,
terrenos/áreas mais baratos, etc.).
Evolução das Exportações Mundiais e
Participação no PIB

Fonte: UNCTAD
Comércio Internacional
Fatores Envolvidos

• Diversas Moedas e Sistemas Cambiais


• Política Econômico-Tributária
• Barreiras Alfandegárias
• Restrições e/ou Incentivos
• Infra-estrutura (transporte e comunicação)
• Mão-de-obra
• Diversidade Cultural
Localização dos Sistemas Produtivos no
Mundo
• Vantagens oferecidas pelos diferentes governos;
• Tecnologia disponível a ser utilizada;
• Disponibilidade, custo e especialização da mão-
de-obra;
• Características de planta (restrições técnicas e
meio-ambiente),
• Localização e distância das fontes de matérias-
primas, fornecedores, distribuidores e
consumidores finais.
Comércio Internacional
Processos Envolvidos – Manufaturado – Modal Marítimo
Comércio Internacional
Processos Envolvidos – Manufaturado – Modal Marítimo
• Aquisição e recebimento de matéria prima
• Processo industrial de transformação
• Embalagem do produto
• Consolidação do lote para exportação
• Documentação para transporte e seguros
• Transporte (rodoviário/ferroviário/aquaviário) até o terminal portuário
de exportação
• Armazenagem da carga no pátio do terminal portuário
• Transferência do pátio do porto até o costado do navio (cais)
• Estivagem da carga no navio – Transporte Marítimo –
Descarregamento da carga
• Movimentação da carga do costado até o pátio do porto (produtos
importados)
• Desembaraço aduaneiro
• Transporte interior até o centro de distribuição
• Desconsolidação do lote de carga
• Distribuição física dos produtos
Localização dos Sistemas Produtivos no
Mundo

• Custos Associados
– Custo de aquisição de bens e respectivos
impostos
– Custo da armazenagem por unidade
– Custo de transporte
– Custo administrativo
– Custo da não-qualidade
– Custo de imobilização
Logística
• Porque a logística é importante?
– Aumentar a eficiência
– Redução de custos
– Focar o Cliente
• Agregar valor ao produto
• Elevar nível de atendimento ao cliente
Valores Agregados ao Produto
Agrega-se valor quando há disposição do consumidor em pagar, por um produto ou
serviço, mais que o custo de colocá-lo ao seu alcance.

• Valor de lugar: Local de produção é diferente do local de


consumo.Transporte, armazenagem, processamento do pedido,
controle do estoque, programação da entrega etc.
• Valor de tempo: O produto precisa chegar ao consumidor no tempo
desejado ou necessário
• Valor de forma: O valor de qualidade na produção pode diferir do
valor de qualidade no consumo. A logística evita diferentes valores
de qualidade do produto nas duas pontas.
• Valor de posse: Criado ao induzir o consumidor a adquirir o
produto através de mecanismos como: publicidade (informação);
suporte técnico; condições de venda (preço e disponibilidade de
crédito). Responsabilidade do marketing, finanças etc.
• Valor de informação: Especialmente no e-commerce, o
consumidor deseja estar informado sobre o processo de envio de seu
produto – a logística provê o rastreamento eletrônico.
Evolução do Conceito de Logística
• Início do século: Escoar produção agrícola
• Até o fim da Segunda Guerra Mundial a Logística esteve associada apenas às
atividades militares. Após este período, com o avanço tecnológico e a necessidade
de suprir os locais destruídos pela guerra, a logística passou também a ser adotada
pelas organizações e empresas civis. Logística era confundida como transporte e
armazenagem
• De 1950 a 1965 surge o conceito de logística em função de:
– Uma nova atitude do consumidor;
– Pelo desenvolvimento da análise de custo total;
– Pelo início da preocupação com os serviços ao cliente e de maior atenção com
os canais de distribuição
• De 1965 a 1980
– Consolidação de conceitos
– Colaboração decisiva da logística no esforço para aumentar a produtividade
da energia, visando compensar o aumento dos fretes (crise do petróleo)
• Após 1980
– Desenvolvimento revolucionário da logística decorrente das demandas
ocasionadas
• Pela globalização,
• Pelas alterações estruturais na economia mundial
• Pelo desenvolvimento tecnológico.
Evolução do Conceito de Logística

Fonte: Fleury, P F, Figueiredo, K F; Wanke, P; Logística Empresarial, 2000. Coleção COPPEAD de Administração
Evolução da Logística

Fonte: Pierre, D e Stewart, R, Logística Internacional, 2010


Principal Objetivo do SCM
• O SCM propõe uma rede de facilidades e
opções de distribuição para garantir a
obtenção de materiais e a transformação
destes em produto intermediário ou final; e,
depois, a distribuição destes para os
consumidores.
SCM - Supply Chain Management

Fluxo de Materiais

Suprimento
Distribuição Suporte à
( Logística de
Física Manufatura
Clientes Recebimento, Fornecedores
(Logística de (Logística de Planta
Cadeia
Expedição, ou Operativa,
de Suprimentos,
Outbound) Adm. de Materiais)
Inbound )

Fluxo de Informações

CADEIA DE SUPRIMENTOS
Definição de Logística
(Council of Logistics Management)

“Logística é o processo de planejamento


implementação e controle do fluxo e o
armazenamento eficiente e eficaz de
mercadorias, serviços e informações
relacionadas desde o ponto de origem até o
ponto de consumo com o propósito de
atender as necessidades (requerimentos) dos
consumidores.”
Definição de SCM
(Council of Logistics Management)

“Supply Chain Management é a integração


dos processos de negócios desde o usuário
final até os fornecedores que oferecem
produtos, serviços e informações que
adicionam valor aos clientes”
Logística Internacional
“Logística internacional é o processo de
planejar, implementar e controlar o fluxo e
armazenagem de mercadorias, serviços e
informações a elas relacionadas, da origem
até o ponto de consumo, localizado em
outro país”

Fonte: Pierre, D e Stewart, R, Logística Internacional, 2010


SCM
“A gestão da cadeia de suprimentos abrange o
planejamento e a gestão de todas as atividades
relativas à compra, aprovisionamento, conversão e
gerenciamento logístico. Também inclui a
coordenação e colaboração com parceiros de
distribuição, que podem ser fornecedores,
intermediários, prestadores de serviço
terceirizados e clientes que estejam no país ou no
exterior. Essencialmente, a gestão da cadeia de
suprimentos integra o gerenciamento da oferta e
da demanda nas empresas e entre elas.”
Fonte: Pierre, D e Stewart, R, Logística Internacional, 2010
Relação entre
Logística, Logística Internacional e Cadeia de Suprimentos

Fornecedores Consumidores
Domésticos Domésticoss

Logística

Empresa

Logística Internacional

Fornecedores Consumidores
Estrangeiros Estrangeiros

Gestão da Cadeia de Suprimentos

Fonte: Pierre, D e Stewart, R, Logística Internacional, 2010


Logística x SCM
• Logística
– Foco intra-companhia
– Integração entre os elos
– Indicadores logísticos
– Foco na operação
– TI é meio/apoio
• SCM
– Foco inter-companhia
– Perspectiva sistêmica
– Indicadores da cadeia
– Foco no planejamento
– Relevância da TI
Logística x SCM
• Empresas: Gerência da Logística e Gerência da Cadeia de
Suprimentos  mudança do foco interno adotado na
avaliação dos processos da empresa, para um foco externo,
que inclui todos os parceiros da empresa.
• O escopo da gestão da cadeia de suprimentos é muito mais
amplo que o da logística; inclui todas as decisões
TÁTICAS e ESTRATÉGICAS nas quais os gestores de
logística e operações tendem a se concentrar, além de
englobar assuntos estratégicos que são, mais
tradicionalmente, da alçada da alta gerência.
SCM
Questões a Serem Respondidas

• Qual ser á a demanda a ser atendida?


Previsão da Demanda.
• Quanto e onde produzir?
• Insumos - O que e quanto comprar?
• Insumos - O que, quanto comprar, onde e
por quanto tempo estocar?
Logística: Tomada de Decisão
Estratégico – Tático - Operacional
• Estratégico.
– Neste nível, a alta administração da empresa decide a
estrutura e configuração do sistema de distribuição,
envolve:
• Alianças e bases de relação com fornecedores, configuração da
rede (capacidade, localização e número de plantas, centros,
entrepostos etc), produtos e listas de materiais (BOM)
genéricas, sistema de operação dos fluxos e canais de
distribuição, sistema de coordenação, estrutura de
desenvolvimento e marketing, etc
Decisões de Localização
Decisões de Produção
Decisões de Inventário
Decisões de Transporte
Logística: Tomada de Decisão
Estratégico – Tático - Operacional

• Tático
– É o nível em que a média gerência da empresa
busca utilizar seus recursos da melhor e maior
forma possível. Suas preocupações são:
– Quotas de compras e produção, alocação de inventários,
políticas de fluxo e produção, alocação de frota,
campanhas promocionais, etc
Logística: Tomada de Decisão
Estratégico – Tático - Operacional

• Operacional
– É o nível em que a supervisão garante a execução
das tarefas diárias para assegurar que os produtos
se movimentem pelo canal de distribuição até o
último cliente. Envolve as seguintes atividades:
– Roteiros, programas de produção, suprimento e
distribuição, carregamento de frota, etc
Logística: Exemplo de Tomada de
Decisão
Área de Decisão Estratégica Tática Operacional

Transporte Modo Equipamentos Despachos

Inventários Política de controle Níveis de Planilhas


estoque
Pedidos Sistema de entrada Processamento
dos pedidos
Armazéns Seleção de Utilização do Seleção de
equipamentos espaço pedidos
Localização Tamanho e
localização dos
armazéns
Fonte; Ludovico, N – Logística de Transportes Internacionais – Saraiva, 2010
Cadeia de Valor Genérica
(Porter)
• A cadeia de valor designa uma série de
atividades relacionadas e desenvolvidas
pela empresa a fim de satisfazer as
necessidades dos clientes, desde as relações
com os fornecedores e ciclos de produção e
venda até a fase da distribuição para o
consumidor final. Cada elo dessa cadeia de
atividades está interligado.
Cadeia de Valor Genérica (Porter)
Atividades Primárias:
Atividades envolvidas na criação física do produto e na sua venda e
transferência para o comprador, bem como na assistência após a venda

• Logística interna ou de entrada: Atividades relacionadas


com recepção, armazenamento e distribuição dos inputs
aos produtos.
• Operações: Atividades relacionadas com a transformação
das matérias-primas em componentes ou produtos finais;
• Logística Externa ou de saída: Atividades relacionadas
com a recolha, armazenamento e distribuição física do
produto aos compradores;
• Marketing e Vendas: Atividades relacionadas com a
comercialização e a promoção do produto;
• Serviço: Atividades relacionadas com o serviço pós-venda
que acrescentam valor ao produto oferecido.
Atividades Suporte:
Atividades de apoio sustentam as atividades primárias e a si mesma,
fornecendo insumos adquiridos, tecnologia, recursos humanos e várias
funções ao âmbito da empresa.

• Infra-estrutura da empresa: Atividades relacionadas


com a gestão global e a gestão da rede de relacionamentos
da organização (planejamento, gestão da qualidade,
administração, contabilidade, finanças);
• Gestão de Recursos Humanos: Atividades relacionadas
com a gestão de recursos humanos (contratação, formação,
remuneração, determinação das qualificações e da
motivação do pessoal);
• Desenvolvimento Tecnológico: Investimento aplicado em
tecnologia que contribui para a melhoria dos produtos ou
processos;
• Aquisição: Atividades relacionadas com a compra de
matérias-primas e outros inputs.
Margem
• O valor consiste no montante que os
compradores estão dispostos a pagar pelo
produto que uma organização oferece. Uma
organização é rentável se o valor que o
produto representa para o comprador é
superior ao valor envolvido na sua criação.
A margem é a diferença entre o valor total e
o custo coletivo da execução das atividades
de valor
Importância da Logística na Competitividade
das Empresas
• Como a logística mostra-se uma escolha efetiva e oportuna
frente às novas exigências de mercado? Como a logística
pode ser vista como estratégia? Algumas das respostas
podemos encontrar ao analisar os seguintes aspectos (1/2):
– a evolução de seu conceito: ao incorporar e utilizar preceitos de
marketing, qualidade, finanças e planejamento, a logística tornou-se
uma disciplina multifuncional e, assim, aumentou sua contribuição
para a eficiência e a eficácia da gestão. Ainda mais, é capaz de manter
a atenção às necessidades internas da empresa e, ao mesmo tempo,
voltar os seus olhos aos desejos dos clientes;
– o aumento de seu escopo: com o tempo, a logística passou a se
preocupar com um número cada vez maior de atividades e deixou de
ser vista como operacional para tornar-se estratégica. Assim, deve ser
considerada em decisões importantes e receber a atenção dos mais
altos escalões da empresa;
– a ampliação de sua abrangência: inicialmente tratada de forma
funcional, passou a integrar as diversas funções internas da empresa e,
hoje, funciona como elo entre clientes e fornecedores;
Importância da Logística na Competitividade
das Empresas
• Como a logística mostra-se uma escolha efetiva e oportuna
frente às novas exigências de mercado? Como a logística
pode ser vista como estratégia? Algumas das respostas
podemos encontrar ao analisar os seguintes aspectos (2/2):
– enfoque sistêmico e orientação para processos: permitem uma visão
global da empresa e da cadeia produtiva como um todo. Desse modo,
de forma integradora, propicia que todos os interesses e pontos
relevantes sejam analisados na tomada de decisão;
– preocupação com a gestão de fluxos. O primeiro fluxo é o dos
materiais, o qual se inicia no fornecedor e termina na entrega ao
consumidor final. O segundo é o das informações, o qual tem um
sentido inverso ao do anterior. Então, pela sincronização e
racionalização destes fluxos, procurasse, simultaneamente, a redução
de estoques, que são consumidores de recursos, e o aumento da
disponibilidade dos produtos. Essa sinergia favorece, também, o fluxo
financeiro da empresa.
Objetivos do Processo Logístico
• Tornar disponíveis produtos e serviços no tempo certo, no lugar
certo, na forma e nas condições desejadas, do modo mais
lucrativo ou menos dispendioso (mais eficaz) para as cadeias de
suprimento;
• Cumprir prazos previamente acertados ao longo de toda a cadeia
de suprimento;
• Integração efetiva e sistêmica entre todos os setores da empresa;
• Integração efetiva e estreita (parcerias) com fornecedores e
clientes;
• Desenvolver um sistema flexível que responda rapidamente às
mudanças do mercado;
• Busca da otimização global, envolvendo a racionalização dos
processos e a redução de custos em toda a cadeia de suprimento;
• Satisfação plena do cliente, mantendo nível de serviço
preestabelecido e adequado; e
• Aumentar a lucratividade através da aplicação da logística
reversa.
Componentes do Sistema Logístico
Atividades gerenciais:
-Planejamento
-Implementação e Consumidores
Ouput
-Controle
- Direcionamento para o
Produto marketing da empresa
acabado - Utilidade de tempo,
lugar e quantidade*
Estoque em - Ativos
Input processo
- Recursos Naturais
(terra, equipamentos)
Matéria
- Recursos humanos Prima
(*) A logística
associa as utilidades (tempo, lugar
- Recursos financeiros
e quantidade) ao produto, ao entregá-
entregá-lo ao
- Informação cliente no lugar acertado, no momento certo,
Fornecedores na quantidade acertada, sem danos, e ao
melhor preço.
Componentes do Sistema Logístico
Atividades Gerenciais
Planejamento – Implementação - Controle
• Serviço ao cliente;
• Previsão de demanda;
• Gerência de informação;
• Aquisição, controle e manuseio de bens;
• Suporte ao serviço e reposição de partes;
• Escolha de locais de fábricas e armazéns;
• Gerência do transporte e armazenagem;
• Gerência de sobras, resíduos ou retorno.
Canais de Distribuição

Membro Primário Membro Secundário


• Participam diretamente do • Participam indiretamente do
processo: processo, prestando serviços
– Fabricantes; aos membros primários:
– Atacadistas; – Empresas de Transporte;
– Armazenagem;
– Distribuidores;
– Processamento de Dados;
– Varejistas.
– Prestadores de Serviços
Logísticos (PSL) Integrados.
Canais Físicos

41
Canais Físicos
Corresponde ao conjunto de meios utilizados para
Canal de Suprimento
fazer com que as fontes materiais imediatas
tenham acesso a uma empresa e seus pontos de
processamento.

Canal de Distribuição Corresponde ao conjunto de meios utilizados para


fazer com que os pontos de processamento da
empresa tenham acesso aos clientes.

Corresponde ao conjunto de meios utilizados que


Canal Logístico Reverso
permite a devolução de produtos obsoletos,
danificados ou inoperantes, ou, ainda de seus
dejetos, aos seus pontos de origem no início da
cadeia para conserto, troca, descarte ou
reciclagem, seja por razões econômicas,
ambientais ou legais.
Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos
Direta e Reversa

Fonte: ROGERS, D S. e TIBBEN-LEMBKE, R S. 1999, Going Backwards: Reverse Logistics


Trends and Practices. University of Nevada, Reno - Center for Logistics Management
Gerenciamento do Fluxo de
Tecnologias
Informações
• Tecnologias
– B2B e B2C– Comércio Eletrônico (leilões,
lojas online e serviços online.)
– Informações do Ponto de Vendas – PDV
Código de Barras
Gerenciamento do Fluxo de
Informações Gestão e
Controle
• Administração e Controle do Fluxo de Materiais
– JIT – Just in Time - sistema de administração da produção que determina
que nada deve ser produzido, transportado ou comprado antes da hora
exata. Pode ser aplicado em qualquer organização, para reduzir estoques
e os custos decorrentes. O just in time é o principal pilar do Sistema
Toyota de Produção (Kanban). Com este sistema, o produto ou matéria
prima chega ao local de utilização somente no momento exato em que for
necessário. Os produtos somente são fabricados ou entregues a tempo de
serem vendidos ou montados.
– O MRP (Material Requirements Planning – Planejamento das
Necessidades de Materiais) corresponde a sistema de administração da
produção, que utiliza a lista de materiais (Bill of Material – BOM),
informações sobre os processos (nível de estoque, lead time, lotes de
reposição e fabricação de produtos) e a programação da produção
(Master Production Schedule – MPS) para calcular as necessidades de
material.
– O MRPII é composto de uma série de procedimentos de planejamento
agrupados em funções, que estão normalmente associadas a módulos de
pacotes de software comerciais, desenvolvidos, que utiliza o MRP como
núcleo, mas inclui outras funções da empresa, como finanças, suprimentos
e compras.
O MRP diferencia-se do MRP II pelo tipo de decisão de planejamento que o sistema orienta. Enquanto o MRP orienta as decisões
de o que, quanto e quando produzir e comprar, o MRP II engloba também as decisões referentes a como produzir, isto é, com que
recursos produtivos.
Sistemas MRP/MRPII e ERP Gestão e
Controle

Fonte: Administração de produção e


de operações. GIANESI, Irineu G. N.;
CORRÊA, Henrique Luiz.
Administração estratégica de
serviçosAtlas, 1993

O ERP é um sistema integrado de gestão. Ele utiliza um banco de dados único, operando em
uma plataforma comum, interagindo com diversas aplicações e integrando todas as
operações do negócio em um só ambiente computacional.
Gerenciamento do Fluxo de
Gestão e
Informações Controle
• Administração e Controle do Fluxo de Materiais
– DRP (Distribution Resources Planning – Planejamento de
Recursos da Distribuição) Ferramenta de gerenciamento que
permite a uma empresa determinar um pedido a ser colocado a
seus fornecedores em função das vendas.
– Cross Docking - sistema de distribuição no qual a mercadoria
recebida, em um armazém ou Centro de Distribuição, não é
estocada mas sim imediatamente preparada para o carregamento de
entrega.
Importância Econômica da Logística
• Impacto da Logística no PIB
– Desregulamentação x burocracia
– Avanços tecnológicos nos sistemas de TI e Transportes
(ex: contêineres)
– Aumentos dos custos
• Sobrecarga dos sistemas de transportes
• Falta de mão de obra
• Custo de combustíveis
• Custos adicionais com segurança (portos e aeroportos)
Importância Econômica da Logística

Fonte: COPPEAD/UFRJ
Questão para Discussão

• Descreva o processo de importação de


carvão considerando etapas desde a mina
até o destino final.
• Pesquise sobre processo de exportação de
petróleo offshore realizado pela Petrobras
Prof. Luiz Felipe Assis
felipe@peno.coppe.ufrj.br

UFRJ