Você está na página 1de 42

Sistema Respiratório-Parte II

Profª. MSc Natália Signorelli Maciel de Figueiredo


Trato respiratório Inferior - Laringe
 Articulações e ligamentos da laringe
 Articulações sinoviais – exceção da epiglote
 Abdução e adução – resulta na expansão e estreitamento da glote

 Epiglote com tireóidea – fibras elásticas

 Epiglote com aritenóideas – membranas elásticas


Trato respiratório Inferior - Laringe
OBS: Hemiplegia do nervo laríngeo recorrente esquerdo – abdução
incompleta da cartilagem aritenóidea esquerda e, portanto, não há abdução
suficiente da prega vocal esquerda, o que produz um som de “ronco”
durante a inspiração
Trato respiratório Inferior - Laringe
 Articulações e ligamentos da laringe
 O ligamento vocal - entre o processo vocal das cartilagens
aritenóideas e o corpo da cartilagem tireóidea de cada lado - forma a
base da prega vocal (plica vocalis)
Trato respiratório Inferior - Laringe
 Músculos da laringe
 M. cricotireóideo - tenciona as pregas vocais

 M. cricoaritenóideo dorsal - abdutor principal das pregas vocais - alarga a


rima da glote

 M. cricoaritenóideo lateral - estreita a rima do glote

 M. aritenóideo transverso - adução de duas cartilagens aritenóideas,


estreitando a rima da glote

 M. tireoaritenóideo - aumentam a tensão das pregas vocais e estreitam a


rima da glote
Trato respiratório Inferior – Traqueia
 Tubo flexível cartilaginoso que liga a laringe aos pulmões

 Está unida a laringe por meio da membrana crico-traqueal –


cartilagem cricóide

 É formada por numerosas lâminas cartilaginosas (hialina) chamados


de anéis traqueais que são incompletos dorsalmente, unindo-se
entre si através de membranas e pelo músculo traqueal (contrai e
relaxa a traquéia)

 Músculo traqueal - maioria dos animais - fixação interna


(dorsalmente) - Exceção CA - fixação externa
Quantidade de anéis traqueais
Trato respiratório Inferior – Traqueia
 Revestida por mucosa respiratória (epitélio ciliado
pseudoestratificado)

 Glândulas secretoras de muco

 A camada externa:
 Adventícia no pescoço - tecido conectivo frouxo – conecta aos
órgãos vizinhos

 Serosa no tórax
Relação topográfica da traqueia
Pescoço:

 Ventral com o esôfago e músculos longos do pescoço

 Ventral e lateralmente - músculos que se originam no esterno e destinam-


se a cabeça (ex: esterno-cefálico)

 Dorso-lateramente - veia jugular, artéria carótida comum, tronco


vagossimpático, tireóide e paratireóide

 Esôfago - no início situa-se no plano médio dorsalmente a laringe


permanecendo nesta posição até a 4ª vértebra cervical onde desloca-se
para a esquerda da traquéia permanecendo na face lateral até a entrada no
tórax.
Relação topográfica da traqueia
Cavidade torácica:

 A traqueia chega ao mediastino cranial localizando-se dorsalmente a veia


cava cranial, cruza pelo arco aórtico e na altura do 4° a 6° espaço
intercostal ela bifurca-se nos brônquios principais.

 RU e SU - brônquio traqueal separado proximal à bifurcação da traqueia


que ventila o lobo cranial do pulmão direito presente nessas espécies
 Colapso de traqueia
Trato respiratório Inferior – Brônquios
 Resultam da divisão da traqueia

 Penetram rapidamente nos pulmões e se ramificam

 A árvore brônquica pode ser dividida em duas partes,


conforme seu funcionamento
 Vias respiratórias

 Locais de troca gasosas


Trato respiratório Inferior – Brônquios
 Nos brônquios menores, os anéis cartilaginosos são
gradualmente substituídos por placas irregulares, e é a perda
dessas placas que define a transição broncobronquiolar

 Variações no diâmetro dos brônquios e bronquíolos são


relativamente maiores e mais significativas do que as da
traqueia
Trato respiratório Inferior – Brônquios
 RU e SU - aparece um terceiro brônquio principal que se
desloca ao lobo apical do pulmão direito (origina-se um pouco
antes da bifurcação)
Pleura
 Membrana fina, transparente, úmida e brilhante

 Reveste a cavidade torácica e os órgãos nela contida

 Divisão da Pleura:
 Parietal - reveste as paredes da cavidade torácica
 Costal - reveste as costelas e músculos inter-costais

 Diafragmática - reveste o músculo diafrágma.

 Mediastinal - mediastino

 Visceral - Reveste o pulmão


Pleura
Pontos de reflexão da pleura:
 Vertebral - no teto da cavidade
 Esternal - no assoalho da cavidade
 Diafragmático - na porção caudal.

 Em síntese - a pleura se divide em dois sacos pleurais


independentes, preenchidas pelo liquido pleural - função
lubrificante (movimento suave do pulmão contra a parede
torácica e de um lobo pulmonar contra o outro).
Trato respiratório Inferior – Pulmões
 São órgãos pares

 Assimétricos

 Órgãos elásticos, preenchidos por ar e com textura


mole/suave e esponjosa
 quando colabados, provoca crepitação quando apertados e flutuação quando
colocados na água - exceto em pulmões de fetos não expandidos - afundam
(auxílio diagnóstico – indicam que o animal não respirou)
Trato respiratório Inferior – Pulmões
 Coloração depende do teor sanguíneo
 Rosa claro - vermelho vivo a vermelho intenso

 Ocupam grande parte da cavidade torácica

 Os pulmões são mantidos no lugar devido à sua fixação à


traqueia, aos vasos sanguíneos, ao mediastino e à pleura, a qual
emite o ligamento pulmonar dorsomedialmente para conectar
os pulmões com o mediastino e o diafragma.
Trato respiratório Inferior – Pulmões
Estrutura dos pulmões:

 Compõem-se de parênquima e interstício (estroma)

 Parênquima pulmonar – local de troca gasosa


 Compreende os bronquíolos e seus ramos, e os alvéolos pulmonares
terminais

 Interstício - tecido mole elástico e colágeno - glândulas mistas,


fibras musculares lisas, fibras nervosas, vasos sanguíneos e
linfáticos
Trato respiratório Inferior – Pulmões
 A elasticidade do tecido intersticial é responsável pela
capacidade do pulmão de se expandir e comprimir durante a
respiração
 Perda da elasticidade - ocorre naturalmente com o
envelhecimento
 Condições patológicas - reduz a eficácia respiratória
 No equino, por exemplo, a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)
causa enfisema pulmonar, que provoca o rompimento das fibras do
interstício
Trato respiratório Inferior – Pulmões
 O pulmão é dividido em grandes porções denominadas de
lobos
 Cada lobo é um constituído de vários lóbulos secundários

 Os bronquíolos penetrando se dividem em diversos bronquíolos


respiratórios (0,5 - 1,0 mm diâmetro), que por sua vez se dividem
para formar diversos ductos alveolares, que se abrem em sacos
alveolares - alvéolos (0,25 mm diâmetro)
Trato respiratório Inferior – Pulmões
Lobos pulmonares
 Os lobos do pulmão são definidos pela ramificação da árvore
brônquica
 Cada brônquio lobar abastece seu próprio lobo
 brônquio cranial – lobo cranial
 brônquio acessório – lobo acessório

 Pulmão esquerdo - dividido em um lobo cranial e lobo caudal


 Pulmão direito – cranial, caudal + lobo acessório e lobo médio
 Algumas espécies – lobos craniais parte cranial e caudal
Trato respiratório Inferior – Pulmões
 A identificação dos pulmões de espécies individuais é baseada,
no grau de divisão em lobos e lobulações

 RU e SU são ostensivamente lobados e lobulados

 EQ - apresentam quase nenhuma lobação e fraca lobulação

 CA – pouca evidência externa de lobulação