Você está na página 1de 7

05 A 07 DE DEZEMBRO

BRASÍLIA/DF

O Evento
Em um levantamento sobre a governança nas organizações realizado em 2014, o TCU verificou falhas graves na
gestão de riscos nas aquisições. Apenas 3,5% dos órgãos e entidades federais, estaduais e municipais está em
estágio aprimorado de governança, informação que acendeu um sinal de alerta. Desde então, o TCU vem reco-
mendando maior atenção a esse aspecto e a tomada de medidas concretas, conforme se observa dos Acórdãos nº
1.520/15, nº 2.746/15, nº 2.784/15, nº 2.831/15, nº 2.902/15, todos do Plenário.

Governança é a maneira pela qual os responsáveis conduzem sua organização até o alcance de seus objetivos
finalísticos; gestão de riscos, por sua vez, é um processo inerente à governança, voltado para a adoção de medidas
e políticas que busquem o equilíbrio entre riscos e custos. Recentemente, o MP e a CGU editaram a INC nº 1/16,
dispondo sobre Controles Internos, Gestão de Riscos e Governança, a qual deixa claro que todos os agentes que,
no seu âmbito de incidência, atuarem em processos finalísticos e de apoio dos órgãos ou entidades, incluindo os
processos de aquisição, terão responsabilidade sobre a gestão de riscos.

Dentro desse contexto, o SEMINÁRIO tratará das recomendações do TCU sobre governança nas aquisições, am-
pliando os conhecimentos de gestores e agentes públicos em geral sobre o tema, e, especialmente, abordará a
gestão de risco nas aquisições de forma prática e operacional, permitindo a qualquer órgão ou entidade implemen-
tá-la por meio de procedimentos eficientes e eficazes.

Local do Evento
Público alvo
Agentes da Administração Pública direta e
indireta, federais, estatuais e municipais,
dos três Poderes e dos Tribunais de
Contas, que estejam envolvidos com
o processo de contratação pública em
razão do exercício direto de atribuições,
da gestão das aquisições, do controle da
economicidade e da legalidade, bem como
Quality Hotel & Suites Brasilia
autoridades responsáveis pela governança
Rua SMAS Setor de Multiplas Atividades Sul - e gestão das aquisições.
Trecho 3, S/N
Brasília/DF
Reservas: (61) 2196-6090 CARGA HORÁRIA:
www.atlanticahotels.com.br/nossos-hoteis/bandeiras/quality 24 horas

www.negociospublicos.com.br/gestaoderiscos
05 A 07 DE DEZEMBRO
BRASÍLIA/DF

Programação
Segunda-feira - 05/12

GOVERNANÇA NAS AQUISIÇÕES: RECOMENDAÇÕES DO TCU PARA O INCREMENTO


DA GOVERNANÇA E O FORTALECIMENTO DOS CONTROLES INTERNOS
Renato Braga

Governança Pública e Governança nas Aquisições

Principais determinações e orientações do TCU (Acórdão 2.622/15-Plenário, 2.238/15-Ple-


nário e 745/2015-Plenário)

• Transparência
• Normativos internos
• Avaliação quantitativa e qualitativa de pessoal
• Diretrizes para as aquisições
• Competências, atribuições e responsabilidades para a mitigação de riscos nas aquisi-
ções
Das 8:30 • Comitê consultivo-deliberativo
às 12:30 • Diretrizes para a gestão de riscos
• Programa de capacitação em governança e em gestão das aquisições
• Gestão de riscos em aquisições
• Plano de aquisições e processos de trabalho
• Modelo de processo de aquisições
• Alocação prioritária de recursos nas aquisições com riscos mais controlados
• Avaliação de custo-benefício e de riscos relacionados à utilização da conta vinculada
• Listas de verificação para atuação do pregoeiro ou da comissão de licitação durante a
fase de seleção do Fornecedor
• Listas de verificação para atuação das consultorias jurídicas na fase interna da licita-
ção
• Processo administrativo para apurar a prática de infrações
• Objetivos organizacionais para a gestão das aquisições alinhados às estratégias do
negócio
• Indicadores, metas e monitoramento de desempenho na gestão das aquisições
• Implantação do Código de Ética

* À Organização do Evento reserva-se o direito de modificar temas da programação divulgada, sem aviso prévio,
por questões e razões de ordem superveniente.

www.negociospublicos.com.br/gestaoderiscos
05 A 07 DE DEZEMBRO
BRASÍLIA/DF

A GESTÃO DE RISCOS NAS ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS


Franklin Brasil

Conceito e objetivos e da atividade de gestão de riscos


Conceitos relacionados à atividade de gestão de riscos

• Risco, risco inerente, risco residual, risco prioritário


• Apetite a risco
• Probabilidade e vulnerabilidade
• Accountability
• Compliance
• Controle interno
• Gerenciamento de riscos
• Plano de gestão de riscos
Das 14:00
• Matriz RACI
às 18:00
• Matriz de riscos

Como implantar a gestão de riscos

• O modelo COSO: paradigma para a Administração Pública


• Ambiente Interno: comitê e política de gestão de riscos; comprometimento; engaja-
mento
• Fixação de Objetivos: onde se quer chegar
• Identificação de Eventos: o que pode dar errado
• Avaliação de Riscos: qual o tamanho do problema
• Resposta a Riscos: decidindo o que fazer com os riscos
• Atividades de Controle: como mitigar os riscos de maneira eficiente
• Informações e Comunicações: como envolver a organização no processo
• Monitoramento: como se manter no caminho certo

Terça-feira - 06/12

O NOVO PARADIGMA PARA A GESTÃO DE RISCO FIXADO PELA INSTRUÇÃO NOR-


MATIVA CONJUNTA Nº 01/16-MP/CGU
Das 8:30
Francisco Eduardo de Holanda Bessa
às 12:30
A Instrução Normativa Conjunta nº 1/16-CGU/MP

* À Organização do Evento reserva-se o direito de modificar temas da programação divulgada, sem aviso prévio,
por questões e razões de ordem superveniente.

www.negociospublicos.com.br/gestaoderiscos
05 A 07 DE DEZEMBRO
BRASÍLIA/DF

• Abrangência e coercitividade da norma


• Política de gestão de riscos
• Princípios e objetivos da gestão de riscos
• Responsabilidades: quem são os gestores de riscos
• Controles internos da gestão: conceito, objetivos, operacionalização, responsabilida-
Das 8:30
des, princípios que devem ser concretizados
às 12:30
• Estrutura dos controles internos de gestão: ambiente de controle, avaliação de riscos,
atividades de controles internos, informação e comunicação, monitoramento
• Estrutura do modelo de gestão de riscos: componentes a serem observados
• Tipologia de riscos
• O comitê de governança, riscos e controles

RISCOS E CONTROLES NAS AQUISIÇÕES – PARTE I


Franklin Brasil

O efeito dos vícios em um processo com interdependência de fases

Retificação de atos, convalidação de efeitos e anulação da licitação

Parecer jurídico e parecer técnico como medidas preditivas, mas não exaustivas

Os diversos contextos internos e externos dos riscos no processo de contratação pública:


normatização; carga de trabalho; segregação de funções; qualificação técnica; disponibili-
dade financeiro-orçamentária; ambiente regulatório; relação com fornecedores; cláusulas
Das 14:00 contratuais
às 18:00
O tratamento dos riscos do processo de contratação pública: o que pode ser evitado,
transferido, mitigado ou aceito

Matriz RACI para os principais atos dos diferentes processos de trabalho: preparo da
licitação, realização do certame, gestão e fiscalização do contrato

• Responsável, aprovador, consultado e informado


• Gestão de risco X Satisfação do interesse público
• A tomada de decisão com base em risco mínimo, médio e máximo
• Diferenças entre a responsabilidade de autoridade e demais agentes sobre a gestão
do risco
• Responsabilização de autoridades e demais agentes em decorrência da ineficiência
ou ineficácia da gestão de riscos

* À Organização do Evento reserva-se o direito de modificar temas da programação divulgada, sem aviso prévio,
por questões e razões de ordem superveniente.

www.negociospublicos.com.br/gestaoderiscos
05 A 07 DE DEZEMBRO
BRASÍLIA/DF

• As listas de verificação para o pregoeiro, conforme a ON nº 2/2016-SEGES


• Amplitude e coercitividade da norma
Das 14:00
• Verificações que envolvem avaliação discricionária
às 18:00
• Natureza da manifestação do pregoeiro
• Responsabilidade do pregoeiro

Quarta-feira - 07/12
RISCOS E CONTROLES NAS AQUISIÇÕES – PARTE II - Gabriela Pércio

RCA – Riscos e Controles das Aquisições: os principais riscos e os respectivos controles


segundo o TCU
Processo de trabalho “Planejamento e Preparo da Licitação” - riscos relacionados a:
• Oficialização da demanda
• Pesquisa de mercado e de preços
• Justificativas e estudo técnicos
• Divisão do objeto e fracionamento de despesas
• Documentos de habilitação
• Termo de referência e edital
• Contratações diretas
• SRP

Processo de trabalho “Seleção do Fornecedor” - riscos relacionados a:


• Impugnações
• Documentos de habilitação
Das 08:30
• Julgamento de propostas
às 18:00
• Diligências
• Recursos
• Homologação e adjudicação
• Pregão presencial e eletrônico

Processo de trabalho “Gestão e Fiscalização do Contrato Administrativo” - riscos relativos


a:
• Organização interna das funções de gestor e fiscal
• Distribuição de competências
• Anotação em registro próprio
• Relacionamento com o contratado
• Condenação trabalhista
• Alterações contratuais e aditivos
• Prorrogações de prazos
• Reajuste, revisão e repactuação
• Rescisão
• Aplicação de sanções

* À Organização do Evento reserva-se o direito de modificar temas da programação divulgada, sem aviso prévio,
por questões e razões de ordem superveniente.

www.negociospublicos.com.br/gestaoderiscos
05 A 07 DE DEZEMBRO
BRASÍLIA/DF

Ministrantes
RENATO BRAGA

Diretor da Secretaria de Logística do TCU. Auditor Federal de Controle Externo do Tribunal de Contas da União
(TCU). Especialista em capacitação de Adultos pela INTOSAI Development Initiative. Possui as certificações CISA®
(Certified Information Systems Auditor), CIA® (Certified Internal Auditor) e CGAP® (Certified Goverment Auditor Profes-
sional). É instrutor do Instituto Serzedello Correa (ISC) do TCU desde 2006. Larga experiência em treinamentos na
área de controle e auditoria de TI. Conferencista nos principais Congressos Nacionais e Latino-Americanos na área
de controle e auditoria de TI. Autor de diversos artigos publicados na revista do TCU.

FRANCISCO EDUARDO DE HOLANDA BESSA

Bacharel em Ciências Econômicas e Mestre em Controladoria pela Universidade Federal do Ceará. Auditor Fe-
deral de Finanças e Controle da CGU, é certificado (Certified Government Auditing Professional – CGAP) pelo IIA (Tje
Institute of Internal Auditors). Exerceu a função de Secretário Federal de Controle Interno de fev/2015 a out/2016 e
foi Assessor Especial de Controle Interno no Ministério da Educação. Na CGU também atuou como Coordenador-
-Geral da gestão da carteira de auditorias de projetos financiados por instituições multilaterais (BID e World Bank)
e executadas por organismos internacionais de cooperação (PNUD, UNODC, IICA); na definição de metodologias,

FRANKLIN BRASIL

Auditor da CGU desde 1998; Bacharel em Computação pela UFMT; Mestre em Controladoria e Contabilidade pela
FEA/USP; Atua na capacitação de servidores públicos, com ênfase em terceirização, gestão de riscos, detecção de
fraudes em licitações e pesquisa de preços; fundador e principal colaborador do NELCA, grupo que congrega mais
de 2.000 compradores públicos do país; vencedor do Prêmio “Professor Lino Martins” de artigos sobre Controlado-
ria na Administração Pública em 2014, e duplamente vencedor do Prêmio “Chico Ribeiro” de Informação de Custos
e Qualidade do Gasto Público, em 2015 e 2016. Co-autor dos livros “Controladoria no Setor Público” e “Como com-
bater a corrupção em licitações: detecção e prevenção”, ambos pela Editora Fórum.

www.negociospublicos.com.br/gestaoderiscos
05 A 07 DE DEZEMBRO
BRASÍLIA/DF

GABRIELA PÉRCIO:

Advogada graduada pela PUC-PR. Especialista em Direito Administrativo. Mestre em Gestão de Políticas Públicas.
Consultora em Licitações e Contratos desde 1998. Instrutora de cursos, treinamentos e seminários sobre o tema
desde 2004. Lecionou na Pós- Graduação em Licitações e Contratos da Faculdade Unibrasil. Autora de diversos
artigos, entre eles “A lei 12.349/2010 e a preferência a produtos manufaturados e serviços nacionais em licitações.
Uma análise crítica a luz do desenvolvimento nacional sustentável”, Revista de Informação Legislativa - RIL, v. 196,
p. 233, 2012; “Contratações Sustentáveis: Considerações sobre Políticas Públicas, Governança Ambiental e a nova
Lei 12.349/2010”, Revista Zênite de Licitações e Contratos-ILC, v. 219, p. 503-510, 2012; “A capacidade técnico-ope-
racional e a demonstração da experiência em licitações para obras e serviços de engenharia: Repensando o art. 30,
inc. II e §1º da Lei 8.666/93. Revista Zênite de Direito Administrativo e LRF-IDAF, v. 115, p. 749-765, 2003 e da obra
“Contratos Administrativos - Manual para gestores e fiscais”, Juruá Editora, 2015. Ex-Diretora da Consultoria Jurídica
e atual Diretora de Expansão do Grupo Negócios.

Investimento Estão incluídos neste valor:


03 (três) almoços e 06 (seis) coffee breaks.

R$ 3.295,00 Pasta, caneta, bloco de anotações.


Certificado de participação
(por participante)

Agência: 1622-5 Agência: 0372


Agência: 3451-7
Conta Corrente: 105678-6 Conta Corrente: 1177-9
Conta Corrente: 39019-4

Contato
Instituto Negócios Públicos - Divisão comercial de eventos
Telefone: (41) 3778-1717 Rua Lourenço Pinto, 196 - 3º andar
Fax: (41) 3778-1799 Centro - Curitiba/PR
falecom@institutonp.com.br CEP: 80.010-160

www.negociospublicos.com.br/gestaoderiscos