Você está na página 1de 12

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO
EM SISTEMAS DA QUALIDADE

DIEGO PEREIRA
FERNANDA AGUIAR
JOSÉLIA SILVA
PAULA TRINDADE
TATIANE SALES

TEMA: SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL

CAMPINAS – São Paulo


2019
1. Programas de Promoção a saúde do trabalhador

1.1 Cenário Mundial:

1.1.1 Promoção à saúde dos stakeholders

Os programas de saúde e bem estar no local de trabalho é qualquer atividade de


promoção de saúde no local de trabalho ou política organizacional projetada para apoiar um
comportamento saudável no local de trabalho e para melhorar os resultados de saúde. As
intervenções podem ocorrer no âmbito interno, abrangendo os colaboradores, mas também
podem e devem abranger os principais stakeholders dessa empresa, principalmente a
população instalada.

Nesse sentido, a Organização Mundial de Saúde (OMS) (do inglês World Health
Organization -WHO) define a promoção de saúde como o processo que permite que as
pessoas aumentem o controle sobre sua saúde, promovendo qualidade de vida e reduzindo
os riscos determinantes relacionados. Essa ação é impulsionada pelo fortalecimento das
habilidades individuais e capacidades de grupos mudarem suas condições, principalmente
social e econômica, que são fatores condicionantes e determinantes que afetam a saúde. Os
trabalhos colaborativos das iniciativas globais de saúde abrange várias áreas como: doenças
infecciosas, entéricas e diarréicas, doenças como AIDS, turbeculose, malária, pneumonia,
poliomelite, saúde da família, planejamento familiar, programas de imunização, saúde
materno-infantil, uso de tabaco, doenças emergentes e promoção e fortalecimento do
sistema de saúde local. De forma geral, a OMS define as políticas de promoção à saúde e as
organizações governamentais e privadas apoiam as metas do mundo para os problemas de
saúde mundial.

Recentemente, os valores relacionados a promoção de saúde foram reafirmados por


meio de artigos que correlacionam o tratamento da saúde com questões macroeconômicas e
parcerias privado-público [1]. Em um dos artigos, a Organização Mundial da saúde enfatiza
a necessidade de doações por parte de grupos privados ou instituições públicas de países
ricos à áreas críticas, geralmente em paises subdesenvolvidos. O principal argumento que
norteia esse estudo diz respeito à baixa qualidade de saúde ser, por si só, um dos principais
contribuintes da pobreza nesses lugares e que é necessário relativamente baixos
investimentos para obter resultados substanciais na saúde e desenvolvimento dessas
regiões.
Agumas organizações multilaterais conhecidas são: Aliança GAVI, Fundo Global de
Combate à AIDS, Aliança Global para melhoria da Nutrição (GAIN). Essas organizações
criam mecanismos eficientes para juntar dinheiro de diversos doadores, mantendo baixo os
custos admnistrativos e conduzindo o monitoramento contínuo para que os fundos sejam
gastos efetivamente.

Um dos principais intervetores para promoção de políticas de saúde global são as


iniciativas privadas. A fundação de Bill Gates, por exemplo, arca sozinha cerca de 15% do
orçamento total das doações associadas a saúde global. A fundação mantém parcerias com
as iniciativas multilaterais mencionadas acima, mas também conta com grandes empresas
farmacêuticas, cientistas acadêmicos e agências de pesquisas, de forma a obter grupos
multidiciplinares para colaborarem em um problema específico. O foco dessa instiuição está
relacionado à descoberta e desenvolvimento de produto já desenvolvidos ( – como, por
exemplo, medicamentos para AIDS, abordando as principais causas da doença e morte nos
países em desenvolvimento, introduzindo novas tecnologias de prevenção e tratamento).

1.1.1 Programas de Bem-Estar no Local de Trabalho

Dentro do ambiente corporativo as políticas de promoção à saúde no contexto


mundial destacam-se por programas relacionados a saúde física (on-site fitness centres) e
hábitos saudáveis. Exemplos de programas de intervenção primária incluem : controle de
estresse, exercícios e promoção de alimentação saudável. Os principais benefícios de ter um
programa de bem-estar do empregado incluem: Funcionários mais produtivos, menor
estress no escritório, menor índice de doenças e esgotamento físico e funcionários mais
felizes.

De acordo com guias internacionais definidos internacionalmente por equipes de


Recursos Humanos [2], as empresas devem estabelecer metas que beneficiem a empresa e a
equipe. Isso pode ser feito por meio da criação de equipes que estabelecem programas de
bem estar, e trabalhem no planejamento do programa, obtenção de feedback e otimização
das práticas. Além disso, estudos sugerem que essas políticas sejam atreladas à cultura da
empresa, de forma a consolidar esses programas entre os colaboradores.Empresas bem
sucedidas em iniciativas de bem estar no ambiente de trabalho : Beehive, Facebook, Zappos
[3].
1.2 Cenário Brasil:

No ano de 2005 foi publicado no Brasil a Política Nacional da Promoção da


Saúde que descrevia como seu principal objetivo, promover a qualidade de vida e reduzindo
a vulnerabilidade e riscos à saúde relacionados aos seus determinantes e condicionantes –
modos de viver, condições de trabalho, habitação, ambiente, educação, lazer, cultura, acesso
a bens e serviços essenciais. Mesmo sendo ampla a configuração do campo de atuação dessa
politica ele citou o trabalho como um condicionante a promoção a saude. Em 2014 essa
politica foi revisada e uma nova politica sugerida pelo ministro da saude, especificando de
forma mais clara os ambientes de trabalho e requisitos de promoção a saude que podem ser
disponibilizados aos trabalhadores.

A base para descrever os objetivos específicos do bem-estar do trabalhador estar


ligado a saúde é segurança foram:

● Incentivar a promoção de ambientes de trabalho saudáveis com ênfase na redução

dos riscos de acidentes de trabalho e doenças relacionadas ao trabalho;

● Adoção de ambientes que favoreçam a alimentação saudável, o que inclui a oferta de

refeições saudáveis nos locais de trabalho;

● Parcerias para estimular atividade física no ambiente de trabalho;

● Ações contínuas por meio de canais comunitários, inclusive em ambientes de

trabalho, para manter um fluxo contínuo de informações sobre o tabagismo e seus


riscos;

● Promoção de ambientes de trabalho livres de tabaco, o que inclui atuação junto aos

profissionais da área de saúde ocupacional, para apoiar a cessação do tabagismo


entre funcionários.Incentivar a promoção de ambientes de trabalho saudáveis com
ênfase na redução dos riscos de acidentes de trabalho e doenças relacionadas ao
trabalho;

● Adoção de ambientes que favoreçam a alimentação saudável, o que inclui a oferta de

refeições saudáveis nos locais de trabalho;

● Parcerias para estimular atividade física no ambiente de trabalho;


● Ações contínuas por meio de canais comunitários, inclusive em ambientes de

trabalho, para manter um fluxo contínuo de informações sobre o tabagismo e seus


riscos;

● Promoção de ambientes de trabalho livres de tabaco, o que inclui atuação junto aos

profissionais da área de saúde ocupacional, para apoiar a cessação do tabagismo


entre funcionários.

A promoção a saúde do trabalhador está prevista na Política Nacional de Promoção


da Saúde, Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho e na Norma
Regulamentadora nº 7.

Vários estudos sobre saúde pública, demonstram a importância do trabalho no


processo de promoção da saúde e bem estar, como por exemplo, o aconselhamento em
promoção da saúde aumenta a chance dos trabalhadores adotarem hábitos mais saudáveis,
aumenta o engajamento dos trabalhadores participantes, melhora as condições de saúde e,
consequentemente, melhora a produtividade, também têm potencial de reduzir custos
diretos e indiretos, como despesas médico-hospitalares e absenteísmo.

Os principais programas que as empresas utilizam para promoção a saude do


trabalhador são:

● Divulgação e implementação da Política Nacional de Promoção da Saúde –

Campanhas de cancer de mama (outubro Rosa), cancer de prostata (Novembro azul).

● Alimentação saudável – Presença de nutricionistas nos refeitorios das empresas,

cafe da manhã, hora da fruta.

● Prática corporal/atividade física – ginastica laboral, promover corridas, convenio

com academias.

● Prevenção e controle do tabagismo – Campanhas contra tabagismo, proibição de

fumar em areas fechadas ou nas proximidades da empresa, reduzindo a aceitação


social do tabagismo.

● Redução da morbimortalidade em decorrência do uso abusivo de álcool e outras

drogas – campanhas contra as drogas e cuidados com alcoolismo.


● Redução da morbimortalidade por acidentes de trânsito – campanhas de

conscientização dos cuidados no transito, cursos de direção defensiva.

1.3 Cenário Shopping Dom Pedro:

Durante a visita realizada no shopping parque dom pedro, foi possível ver a
preocupação do grupo com relação a saúde e segurança dos trabalhadores, fornecedores e
visitantes.

Como promoção a saúde, apesar de não ser obrigatoriedade por lei, existe o
programa de promoção a saúde do trabalhador, nas áreas administrativas, existe a
preocupação com a ergonomia, anualmente são realizados laudos de ergonomia, através de
empresa terceirizada, onde são relatados postura e possíveis posições incorretas no trabalho
que podem levar a uma lesão ou doença crônica.

Também fica aberta ao funcionário dar sugestões de melhorias no ambiente através


do quadro de anotações disponíveis nas diversas áreas do shopping.

2. ASO – Atestado de Saúde Ocupacional

O ASO é um documento muito importante na área da medicina do trabalho. Ele


apresenta informações sobre a saúde do trabalhador, que garante se o mesmo está apto para
realizar as atribuições profissionais, para ser demitido ou promovido para outra função
dentro de uma organização.

O documento faz parte da Norma Regulamentadora NR-7, que dispõe sobre o


Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO). O atestado ASO deve ser
emitido junto aos seguintes exames:

● Admissional;
● Periódicos;
● Mudança de função;
● Retorno ao trabalho;
● Demissional.

Após o médico fazer uma consulta, ele avaliará as condições do trabalhador, se for
encontradas doenças, debilidades ou indisposições, o empregado deverá ser afastado da
função ou do trabalho. O diagnóstico de aptidão para o trabalho libera o colaborador para
função. O atestado deve ser emitido em duas vias, a primeira via fica local de trabalho, a
segunda via é entregue ao colaborador examinado. Esse processo garante mais
tranquilidade e segurança à empresa e ao colaborador, pois ambos estão cientes sobre a
saúde e as condições de trabalho do empregado.

O Atestado de Saúde Ocupacional deve contém as seguintes informações:

● Nome completo do trabalhador;


● Número de registro de identidade;
● Função na empresa em que trabalha;
● Histórico de saúde;
● Riscos ocupacionais que existem ou não;
● Indicativo dos procedimentos médicos que o trabalhador já realizou;
● Nome do médico com CRM Conselho Regional de Medicina.

Quais os tipos de Atestado de Saúde Ocupacional?

• EXAME ADMISSIONAL: Realizado antes de o colaborador iniciar as suas atividades na


empresa, porque o médico necessita analisar se está apto para realizar as suas funções,
normalmente o médico realiza uma entrevista com a pessoa, com a finalidade de avaliar
o histórico de doenças e conhecer um pouco da rotina dele.

•EXAME PERIÓDICO: Normalmente com realizados a cada 12 ou 24 meses, dependendo


das necessidades. É realizado os exames patológicos e clínicos completos. Os aspectos
gerais sobre a saúde do funcionário são investigados com o objetivo de verificar se ele
apresenta algum problema mental ou físico, o qual esteja diretamente relacionado com
as suas atividades laborais. É comum o médico solicitar exames complementares como:
audiometria, espirometria, laborais, acuidade visual, psicotécnico, raios X e dentre
outros, especialmente se o profissional realiza funções de risco na empresa. Confira os
principais exames adicionais:
•EXAME DE RETORNO AO TRABALHO: Deve ser realizado pelos funcionários que
ficaram ausentes por trinta dias ou mais dias do trabalho por motivos de doenças (de
natureza ocupacional ou não) e em caso de gestação.

•EXAME DE MUDANÇA DE FUNÇÃO: Deve ser realizado antes da mudança de cargo,


pois o médico deve avaliar as condições atuais do funcionário e a realidade da função
que ele vai exercer.

•EXAME DEMISSIONAL: Deverá ser realizado quando o funcionário for desligado da


empresa é importante, pois o colaborador só deverá ser demitido se o resultado do
exame demissional estiver normal. Isso ocorre, porque é preciso atestar que, durante o
período trabalhado na empresa, a saúde do profissional não foi comprometida por
algum motivo.

3. CAT - Comunicação de Acidente de Trabalho

A CAT é um documento emitido para reconhecer tanto um acidente de trabalho ou


de trajeto bem como uma doença ocupacional.

ACIDENTE DE TRABALHO OU DE TRAJETO: é o acidente ocorrido no exercício da


atividade profissional a serviço da empresa ou no deslocamento residência / trabalho /
residência, e que provoque lesão corporal ou perturbação funcional que cause a perda
ou redução – permanente ou temporária – da capacidade para o trabalho ou, em último
caso, a morte;

DOENÇA OCUPACIONAL: é aquela produzida ou desencadeada pelo exercício do


trabalho peculiar a determinada atividade e constante da respectiva relação elaborada
pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social.

A empresa tem como obrigação informar à Previdência Social todos os acidentes de


trabalhos com seus colaboradores, mesmo que não ocorra o afastamento das atividades.
A CAT deve ser emitida no primeiro dia útil após o diagnóstico médico, ou seja, após a
conclusão de que o trabalhador sofreu um acidente de trabalho ou doença ocupacional,
em caso de morte, a comunicação deve ser imediata.
A empresa deve ter o comprometimento de emitir a CAT em caso de ocorrência de
acidente de trabalho ou suspeita médica de doença do trabalho. Se a empresa não fizer o
registro da CAT, o próprio trabalhador, seus dependentes, a entidade sindical
competente, o médico que o assistiu, ou ainda, quaisquer autoridades públicas podem
comunicar o acidente à Previdência Social.

4. PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional

4.1 Cenário Mundial

● OSHA EUA
Com a Lei de Saúde e Segurança Ocupacional de 1970 , o Congresso criou a
Administração de Segurança e Saúde Ocupacional (OSHA) para assegurar condições de
trabalho seguras e saudáveis para trabalhadores homens e mulheres estabelecendo e
aplicando padrões e fornecendo treinamento, extensão, educação e assistência.

A Lei de SST abrange a maioria dos empregadores do setor privado e seus


trabalhadores , além de alguns empregadores e trabalhadores do setor público nos 50
estados e em certos territórios e jurisdições sob autoridade federal. Essas jurisdições
incluem o Distrito de Colúmbia, Porto Rico, Ilhas Virgens, Samoa Americana, Guam, Ilhas
Marianas do Norte, Ilha Wake, Ilha Johnston e Terras de Plataforma Continental Exterior,
conforme definido na Lei de Terras de Plataforma Continental Exterior.
● EU-OSHA
A EU-OSHA é a agência de informação da União Europeia em matéria de segurança
e saúde no trabalho. O nosso trabalho contribui para o Quadro estratégico da UE para a
saúde e segurança no trabalho 2014-2020 e outros programas e estratégias relevantes, como
a Europa 2020 .
A segurança e a saúde no trabalho (SST) estão no centro do projeto europeu desde o
início, com a criação da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço. O principal marco da
SST na UE em desenvolvimento foi a publicação da Diretiva-Quadro (89/391/CEE) em 1989,
que estabeleceu os princípios comuns e colocou a avaliação de riscos no centro da legislação
SST. No início dos anos 90, ocorriam mais de quatro milhões de acidentes de trabalho todos
os anos na Europa, dos quais oito mil eram mortais. Em resposta a estes números chocantes,
a Comissão Europeia declarou 1992 o Ano Europeu da Segurança e Saúde no Trabalho. Esta
iniciativa preparou o cenário para a fundação da EU-OSHA em 1994, e o resto é história.

5. PPRA - Programa de Prevenção e Riscos Ambientais


Estabelecida na década de 90 o PPRA é uma lei que faz parte da legislação
trabalhista, onde determina ao empregador disponibilizar um ambiente de trabalho seguro
aos funcionários independente do trabalho a ser realizado. Todas as empresas, por lei,
devem ter um programa de prevenção e riscos ambientais definido e aprovado por
profissionais da área de segurança do trabalho ou da medicina ocupacional, assegurando
que durante o período de trabalho, existam regras estabelecidas para evitar qualquer tipo de
acidente a saúde e integridade do colaborador.

5.1 Cenário Brasil:


A Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade de elaboração e
implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam
trabalhadores como empregados, do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional -
PCMSO, com o objetivo de promoção e preservação da saúde do conjunto dos seus
trabalhadores.

Esta NR estabelece os parâmetros mínimos e diretrizes gerais a serem observados na


execução do PCMSO, podendo os mesmos ser ampliados mediante negociação coletiva de
trabalho.
Caberá à empresa contratante de mão de obra prestadora de serviços informar a
empresa contratada dos riscos existentes e auxiliar na elaboração e implementação do
PCMSO e PPRA nos locais de trabalho onde os serviços estão sendo prestados.
No Brasil a NR 7 Estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por
parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como
empregados, do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCMSO, com o
objetivo de promoção e preservação da saúde do conjunto dos seus trabalhadores. E a NR 9
estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte de todos os
empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de
Prevenção de Riscos Ambientais PPRA, visando à preservação da saúde e da integridade
física dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e conseqüente
controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente
de trabalho

5.2 Cenário Shopping Dom Pedro:


A empresa Medicar Emergências Médicas LTDA, que atende no Shopping Parque
Dom Pedro disponibiliza toda documentação que mostra os programas com seus
responsáveis pelo PPRA, Menaldo Silva Alves e o médico Coordenador do PCMSO, Dr. Luís
Fernando Gagliardi, mostrando toda preocupação com o cumprimento das Normas
Regulamentadoras.
O PCMSO é submetido a revisões periódicas e de atualização em relação às novas
tecnologias do trabalho. Com sua última revisão em, 15/03/2019 com validade até
14/03/2020.
O ASO a cada exame o médico ocupacional emite o Atestado de Saúde
Ocupacional, conforme item 7.4.4 da RN-7, onde o médico examinador determina a aptidão
do funcionário à função. O atestado é feito basicamente em duas vias: a primeira ficará
arquivada no local de trabalho do funcionário, à disposição da fiscalização e a segunda será
entregue ao funcionário mediante recibo na primeira via.
Conforme determina o item 7.4.5.1 da RN-7, os prontuários médicos (Fichas Clínicas
e Exames Complementares), referente a este programa, deverão ser mantidos por período
mínimo de 20 anos após o desligamento do trabalhador.
O Programa de Prevenção e Riscos Ambientais é submetido a revisões periódicas
conforme a necessidade e mudança da área.
Durante a visita foi possível evidenciar os procedimentos PO 7.16 - CIPA, PO 7.17 -
PCMSO, PO 7.18 - PPRA e PO 7.21 - Ergonomia, para tratar e assegurar a saúde e
integridade dos funcionários.

Referências

[1] World Health Organization. Macroeconomics and health: investing in health for
economic development. Report of the commission on macroeconomics and health. Geneva:
WHO; 2001 Disponível em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1123619/

[2] How to Create an Employee Wellness Program to Promote Workplace Health


Disponível em : https://recruiterbox.com/business-guides/employee-and-office-
management/create-an-employee-wellness-program-to-promote-workplace-health

[3] Facebook, Zappos And Beehive Leaders Share How To Build A Wellness Program That
Lasts https://www.forbes.com/sites/vickyvalet/2015/09/21/facebook-zappos-and-beehive-
leaders-share-how-to-build-a-wellness-program-that-lasts/#685d42451ed2
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Projeto Promoção da Saúde.
As Cartas da Promoção da Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde,
Projeto Promoção da Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde, 2002. Disponível em
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cartas_promocao.pdf%20vii%20Brasil.%20Minist
%C3%A9rio%20da%20Sa%C3%BAde.%20Secretaria%20de%20Vigil%C3%A2ncia%20em%20Sa
%C3%BAde.%20S
Brasil. Ministério da Saúde. Politica Nacional de Promoção a Saude .Ministério da Saúde,
Secretaria de Políticas de Saúde, Projeto Promoção da Saúde. – Brasília: Ministério da
Saúde. Disponível em
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude_3ed.pdf

European Agency for Safety and Health at Work


https://osha.europa.eu/

U.S. DEPARTMENT OF LABOR - Occupational Safety and Health Administration


https://www.osha.gov
Tribunal Regional do Trabalho 2ª Região
http://www.trtsp.jus.br/geral/tribunal2/LEGIS/CLT/NRs/NR_7.html
Secretária de Trabalho Ministério da Economia
http://trabalho.gov.br/participacao-social-mtps/participacao-social-do-trabalho/legislacao-
seguranca-e-saude-no-trabalho/item/3912-nt-n-09-2018-cgfip-dsst-sit

Instituto Nacional do Seguro Social

https://www.inss.gov.br/servicos-do-inss/comunicacao-de-acidente-de-trabalho-cat/

Você também pode gostar