Você está na página 1de 59

1

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Glossário
2

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Comunismo .................................................... 12
Conceito de capital (Fisher) ........................... 12
Sumário Coeficiente de aceleração .............................. 13
Ação social ....................................................... 6 Condições de escambo da troca ..................... 13
Aculturação ...................................................... 6 Concorrência perfeita ..................................... 13
Adaptação......................................................... 6 Concorrência pura .......................................... 13
Agregados ........................................................ 6 Concorrência monopolista ............................. 13
Alienação ......................................................... 6 Consumo conspícuo ....................................... 13
Ágio .................................................................. 7 Conduta .......................................................... 13
Análise de equilíbrio parcial ............................ 7 Conflito .......................................................... 14
Análise de custo-benefício ............................... 7 Conformidade ................................................ 14
Análise real versus análise monetária .............. 7 Consciência de Classe .................................... 14
Análise marginal .............................................. 7 Consciência Coletiva ..................................... 14
Armadilha da liquidez ...................................... 7 Consenso social .............................................. 14
Animismo ......................................................... 8 Contato ........................................................... 14
Anomia ............................................................. 8 Controle social ............................................... 15
Antinomia......................................................... 8 Cooperação .................................................... 15
Antropomorfismo ............................................. 8 Crescimento de "estado firme" ...................... 15
Assimilação ...................................................... 8 Curva de Phillips ............................................ 15
Atitude.............................................................. 9 Custo de capital .............................................. 15
Autoridade ........................................................ 9 Curva IS ......................................................... 16
Balanço de pagamentos .................................... 9 Curva LM ....................................................... 16
Bens coletivos .................................................. 9 Custo de oportunidade ................................... 16
Bens interiores.................................................. 9 Determinação de preço pelo custo marginal .. 16
Burocracia ........................................................ 9 Desorganização Social ................................... 16
Capital constante .............................................. 9 Desvio ............................................................ 16
Capital variável ................................................ 9 Dialética ......................................................... 17
Capital circulante ........................................... 10 Dicotomização do processo de formação de
Capitalismo .................................................... 10 preços ............................................................. 17
Capitalismo monopolista................................ 10 Diferenciação de produto ............................... 17
Casta ............................................................... 10 Difusão Cultural ............................................. 17
Categorias....................................................... 10 Discriminação de preço de monopólio .......... 17
Ciência ........................................................... 10 Distância social .............................................. 17
Civilização ..................................................... 10 Divisão do Trabalho ....................................... 18
Clão ................................................................ 11 Economias externas ....................................... 18
Classe Social .................................................. 11 Economias internas ........................................ 18
Classicismo .................................................... 11 Economia neoclássica .................................... 18
Códigos .......................................................... 11 Educação ........................................................ 18
Combinação ótima ......................................... 11 Efeito-Cantilon ............................................... 18
Competição .................................................... 11 Efeito-Pígou ................................................... 18
Comportamento coletivo ................................ 11 Efeito-Keynes ................................................ 19
Comunicação .................................................. 12 Eficiência marginal do capital ....................... 19
Comunidade ................................................... 12 Efeito Ricardo ................................................ 19
3

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Efeito-Wicksell .............................................. 19 Ideologia ........................................................ 25


Elite ................................................................ 19 Imperialismo .................................................. 26
Endoculturação............................................... 19 Imposto único................................................. 26
Espaço social .................................................. 19 Imputação ....................................................... 26
Estado ............................................................. 19 Identidade de Say ........................................... 26
Equação da troca ............................................ 20 Índice de utilidade de Neumann-Morgenstern26
Equação de Cambridge .................................. 20 Industrlalismo ................................................ 26
Equação de troca (Fisher) .............................. 20 "Influências externas" (externalidades) ......... 27
Estado estacionário ........................................ 20 Industrialização .............................................. 27
Estamento ....................................................... 20 Inflação de custo ............................................ 27
Estereótipos .................................................... 20 Inflação de demanda ...................................... 27
Estratificação social ....................................... 20 Interação ......................................................... 27
Estrutura Da Cidade ....................................... 21 Instituições sociais ......................................... 27
Estrutura Social .............................................. 21 Interpretação econômica da história .............. 28
Etnocentrismo ................................................ 21 Investimento autônomo .................................. 28
Excedente de consumo ................................... 21 Legitimidade .................................................. 28
Exército de reservista industrial ..................... 21 Liberalismo econômico .................................. 28
Excessos de bens ............................................ 21 Lei .................................................................. 28
Expansão intensiva do capital ........................ 21 Lei de mercados (Lei de Say ou Igualdade de
Expansão extensiva do capital ....................... 22 Say) ................................................................ 28
Expectativa de Comportamento ..................... 22 Lei do movimento capitalista ......................... 29
Família ........................................................... 22 Lei de Bernoulli ............................................. 29
Fato Social...................................................... 22 Lei geral do equilíbrio de Walrás................... 29
Feudalimo....................................................... 22 Lei de Gossen ................................................. 29
Fluxo circular ................................................. 23 Lei de von Thünen ......................................... 29
Folclore .......................................................... 23 Mão invisível ................................................. 29
Forças produtivas ........................................... 23 Mais-valia ...................................................... 29
Forças sociais ................................................. 23 Magnitudes ex ante ........................................ 30
Função conumo keynesiana ........................... 23 Mecanismo indireto de alteração de preço..... 30
Função produção ............................................ 23 Mecanismo de fluxo inverso da moeda ......... 30
Fundo salarial ................................................. 23 Microssociologia ............................................ 30
Governo .......................................................... 24 Migração ........................................................ 30
Generalização da renda da terra ..................... 24 Minoria: racial, cultural, nacional .................. 30
Grupos ............................................................ 24 Mobilidade social e cultural ........................... 31
Grupos primários............................................ 24 Modelos de Cambridge .................................. 31
Grupos de Referência ..................................... 24 Modelos de ajustamento do estoque de capital
Grupo secundário ........................................... 24 ........................................................................ 31
Habitat ............................................................ 25 Modelos de crescimento neoclássicos ........... 31
Hábito ............................................................. 25 Mudança técnica neutra ................................. 31
Hedonismo ..................................................... 25 Modo de produção ......................................... 31
Hipóteses ........................................................ 25 Monopsônio ................................................... 31
Hipótese de Duesenberry ............................... 25 Mores ............................................................. 32
Hipótese da renda permanente ....................... 25 Movimentos sociais ....................................... 32
4

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Mudança cultural............................................ 32 Socialismo ...................................................... 38


Mudança social .............................................. 32 Socialização ................................................... 38
Multiplicador keynesiano ............................... 32 Sociedade ....................................................... 38
Modelo multiplicador-acelerador ................... 32 Sociologia ...................................................... 39
Nação ............................................................. 32 Solidariedade.................................................. 39
Norma............................................................. 32 Solidariedade mecânica ................................. 39
Numéraire....................................................... 33 Solidariedade orgânica ................................... 39
Oligopólio ...................................................... 33 Status .............................................................. 39
Opinião pública .............................................. 33 Superorgânico ................................................ 40
Ordem social .................................................. 33 Supra-Estrutura .............................................. 40
Organização da cidade ................................... 33 Tabu ............................................................... 40
Organização social ......................................... 34 Taxa de juro "natural" .................................... 40
Ótimo de Pare to ............................................ 34 Teorema de Buler ........................................... 41
Padrões culturais ............................................ 34 Teoria ............................................................. 41
Planejamento social........................................ 34 Teoria da produtividade marginal da repartição
Poder .............................................................. 34 ........................................................................ 41
Povo ............................................................... 34 Teoria dos jogos ............................................. 41
Preço............................................................... 34 Tecnoestrutura................................................ 41
Preconceito ..................................................... 35 Tese da proporcionalidade ............................. 41
Preferência temporal ...................................... 35 Teoria quantitativa da moeda ......................... 42
Produção indireta ........................................... 35 Teoria do valor do trabalho ............................ 42
Pressão Social ................................................ 35 Teorema da impossibilidade .......................... 42
Princípio da população ................................... 35 Teoria do segundo melhor ............................. 42
Princípio da vantagem comparativa ............... 35 Tese da estagnação secular ............................ 42
Problema da "soma" ....................................... 35 Tipo Ideal ....................................................... 42
Problema de transformação ............................ 35 Totem ............................................................. 43
Procura recíproca ........................................... 36 Totemismo ..................................................... 43
Produção "atomística" .................................... 36 Traços culturais .............................................. 43
Proletariado .................................................... 36 Tradição ......................................................... 43
Oferta conjunta ............................................... 36 Transculturação .............................................. 43
Relações de produção..................................... 36 Transformações sociais .................................. 43
Religião .......................................................... 36 Usos................................................................ 43
Renda econômica ricardiana .......................... 36 Utilitarismo .................................................... 43
Rendimentos de escala ................................... 37 Utilidade cardinal ........................................... 44
Rendimentos decrescentes ............................. 37 Utilidade marginal decrescente ...................... 44
Renegociação ................................................. 37 Utilidade ordinal ............................................ 44
Revolução....................................................... 37 Utopia............................................................. 44
Sanções........................................................... 37 Valor .............................................................. 44
Setores da economia....................................... 37 Valor de uso ................................................... 44
Símbolo .......................................................... 38 Valor de troca ................................................. 44
Sincretismo..................................................... 38 Vizinhança ..................................................... 44
Sistema Social ................................................ 38 MARX Karl ................................................... 47
Soberania do consumidor ............................... 38 A Vida de Marx ......................................... 48
5

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Os Escritos de Marx ................................... 49


As Teorias de Marx .................................... 49
Marx nos tempos atuais.............................. 50
MILL (John Stuart) ....................................... 51
RICARDO David ........................................... 51
D. Ricardo .................................................. 52
WEBER Max ................................................. 58
6

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

aplicada à vida em sociedade, que ocasiona o


surgimento de certo processo comum entre os
componentes de uma sociedade particular, certo
Ação social grau de adesão e conformidade às normas
estabelecidas, que varia com a margem de liberdade
e de autonomia que o meio social permite ao
Pode ser conceituada como um esforço organizado indivíduo.
que se orienta para alterar as instituições
estabelecidas. De forma particular é uma ação na
análise das ciências sociais; seus principais
representantes são Max Weber e Talcott Parsons.
Para Weber, a ação social é a conduta humana,
Agregados
pública ou não, a que o agente atribui significado
No contexto das ciências sociais, constitui uma
subjetivo; portanto, trata-se de conduta que envolve
reunião de pessoas (p. ex., manifestações públicas
significado para o próprio agente. Por sua vez,
e multidões) e objetos funcionais (p. ex., agregados
Parsons tem como ponto de partida a natureza da
funcionais ou zonas onde os indivíduos têm funções
própria ação; toda ação é dirigida para a consecução
específicas) aglomeradas que, apesar da
de um objetivo.
proximidade física, têm um mínimo de
Um indivíduo (ator), esforçando-se por atingir comunicação e de relacionamento social, com as
determinado objetivo, tem de possuir algumas idéias seguintes características.
e informações sobre os "objetos" que são relevantes
a) anonimato;
para a sua consecução, além de ter alguns
sentimentos a respeito deles, no que concerne a suas b) não-organização;
necessidades; e, finalmente, tem de fazer escolhas.
c) limitado contato social;
Outro aspecto é a necessidade de possuir certos
padrões de avaliação e seleção. d) pouca modificação no comportamento dos
componentes;
e) finalidades e territórios temporários.

Aculturação
Processo de modificação cultural de um indivíduo,
grupo ou povo que se adapta a outra cultura. Nessa
Alienação
fusão duas ou mais culturas diferentes, entrando em Na tradição do hegelianismo, trata-se de um
contato contínuo, originam mudanças importantes processo em que a consciência se torna estranha a si
em uma delas ou, às vezes, em ambas culturas. mesma, afastada de sua real natureza, exterior a sua
dimensão espiritual, colocando-se como uma coisa,
uma realidade material, um objeto da natureza

Adaptação Na tradição do marxismo, refere-se a um processo


em que o ser humano se afasta de sua real natureza,
torna-se estranho a si mesmo na medida em que já
É o ato ou efeito de adaptar-se. De maneira ampla, não controla sua atividade essencial como é a do
significa o ajustamento biológico do ser humano ao trabalho, pois os objetos que produz, as
ambiente físico em que vive. Pode também ser mercadorias, passam a adquirir existência
7

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

independente do seu poder, sendo antagônica aos custos, sujeita a restrições específicas.
seus interesses
Nas ciências sociais, compreende um processo que
deriva de uma ligação essencial à ação, a sua
consciência e à situação dos indivíduos, pelo qual se
oculta ou se falsifica essa ligação de modo que o
Análise real
processo e seus resultados apareçam como
indiferentes, independentes ou superiores ao ser versus análise
humano que é, na verdade, seu criador. No
momento em que a uma pessoa o mundo parece
constituído de coisas - independentes umas das
monetária
outras e não relacionadas - indiferentes a sua
Na teoria econômica a análise real é aquela em que
consciência, diz-se que esse indivíduo se encontra
a moeda não tem influência sobre os preços
em estado de alienação.
relativos de fatores e mercadorias ou sobre o nível
da atividade econômica, enquanto que a análise
monetária é aquela em que a moeda não é
considerada como passiva, mas exerce uma
Ágio influência independente (através de mecanismos
que diferem de um autor para outro) sobre as
Conceito econômico para definir o pagamento extra magnitudes econômicas.
a que os bens presentes fazem jus em relação aos
bens futuros.

Análise marginal
Análise de Conceito econômico, na tradição marshalliana, que
define a análise enfocando incrementos
equilíbrio parcial infinitamente pequenos de magnitudes econômicas
como utilidade, custo, produção e receita, entre
outras.
Trata-se, na teoria econômica, da análise que
focaliza a determinação de preço de um bem ou
fator individualmente, diferentemente da análise de
equilíbrio geral em que todos os preços são
determinados simultaneamente. Armadilha da
liquidez
Análise de custo- Conceito econômico para designar uma acumulação
de saldos ociosos a taxas de juro muito baixas.
benefício
Técnica para maximizar o valor presente de todos
os benefícios de um projeto menos todos os seus
8

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Animismo Antinomia
É uma crença de que todas as coisas, animadas ou Na tradição cética ou em doutrinas influenciadas
inanimadas, estão dotadas de almas pessoais que pelo ceticismo como o kantismo, refere-se a
nelas residem, é a crença em seres espirituais contradição entre duas proposições filosóficas de
igual credibilidade, lógicas e coerentes, mas que
Cada uma das doutrinas que afirma a existência da
chegam a resultados opostos, demonstrando os
alma humana, considerada como princípio e
limites cognitivos ou as contradições inerentes ao
sustentação de todas as atividades orgânicas, em
intelecto humano.
especial de percepções, sentimentos e pensamentos.
A antinomia pode ser vista como uma situação em
Segundo Tylor (1832-1917), o primeiro estágio da
que as normas de um grupo ou sociedade são
evolução religiosa da humanidade, no qual o
contraditórias ou opostas entre si.
homem considerado primitivo crê que todas as
formas identificáveis da natureza possuem uma
alma e agem intencionalmente.]
É um estágio primordial da atividade racional e
cognitiva em nossa espécie, no qual a motivação e a Antropomorfismo
ação intencional da subjetividade humana são
atribuídas à realidade objetiva. Segundo Piaget, É uma forma de pensamento comum a diversas
(1896-1980) é uma primeira fase do crenças religiosas que atribui a deuses ou a seres
desenvolvimento intelectual infantil naturais comportamentos e pensamentos que são
característicos do ser humano.
É um tipo de pensamento religioso, ou crença, que
estende atributos humanos, tanto físicos como
Anomia psíquicos, à divindade.

Em geral, é a ausência de normas, leis ou regras


(anarquia, desorganização).
Nas ciências sociais, aplica-se tanto a sociedade Assimilação
quanto a pessoas, para significar o estado de
desorganização social ou pessoal ocasionado pela Processo social mediante o qual indivíduos e grupos
ausência ou aparente ausência de normas; ausência diferentes aceitam e adquirem padrões de
de padrões normativos de conduta e de crença que comportamentos, tradição, sentimentos e atitudes de
facilita o indivíduo entrar em conflito íntimo. outra(s) parte(s). Essa aceitação e internalização
pode ser indício de integração sociocultural que
Na psicologia social, a anomia é a desorganização
ocorrem em comunidades diferentes, permitindo o
social que resulta numa individualidade
acercamento em lugar do conflito.
desorientada, desvinculada do padrão de um grupo
social. Segundo Piaget (1896-1980), na tradição
psicológica, refere-se ao aspecto básico de
adaptação, mediante o qual os dados fornecidos
pelo meio adquirem, pela ação ou pelo pensamento,
um significado que concorda com experiências
anteriores.
9

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Atitude Bens interiores


É o processo da consciência individual que Conceito econômico que definem bens de uma
determina a real ou possível atividade do indivíduo espécie que é menos adquirida quando as rendas
no mundo social. sobem.
Pode ser um estado de disponibilidade (p. ex.,
psicofísica, no caso da psicologia) marcado pela
experiência e que exerce influencia diretiva e
dinâmica sobre o comportamento. Para alguns
autores (p. ex. Thomas) é uma tendência de agir de
Burocracia
maneira coerente com referência a certo objeto. Organização com cargos hierarquizados,
delimitados por normas, com área específica de
competência e de autoridade, dotados tanto de poder
de coerção quando da limitação desta, onde a
Autoridade obediência é devida ao cargo e não à pessoa que o
ocupa; as relações devem ser formais e impessoais,
sem apropriação do cargo que, para ser preenchido,
É o direito de que é dotado o indivíduo de ordenar,
exige competência específica; todos os atos
decidir, atuar, fazer obedecer etc., exercido com
administrativos e decisões têm de ser formulados
autoridade (poder legítimo).
por escrito.

Balanço de Capital constante


pagamentos Conceito econômico, na tradição marxista, que
expressa a parte do capital total incapaz de criar
Valor monetário das transações de um país com o mais-valia. Especificamente consiste em
resto do mundo, incluindo as exportações e maquinaria. instrumentos, equipamento e materiais
importações "invisíveis" e de mercadorias, que são usados na produção, mas somente
movimentos de capital e de ouro. transferem um valor igual ao do bem final.

Bens coletivos Capital variável


Conceito econômico, na teoria hicksiana, para Conceito econômico, na tradição marxista, que
indicar os bens que são consumidos pelas expressa a parte do capital total usada para sustentar
populações como um todo, como, por exemplo, a mão-de-obra. Tende a ser igual à subsistência da
proteção policial, equipamentos militares etc. mão-de-obra e cria um excedente, s, porque v (o
capital variável) é transformado em poder de
trabalho.
10

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Capital circulante Casta


Á parte do estoque de capital da economia que o Um sistema de castas compõe-se de um número
processo de produção transforma em bens acabados' muito grande de grupos hereditários, geralmente
em um ano ou menos', como a matéria-prima e os locais, rigidamente endogâmicos, dispostos numa
bens-salários (salários reais) que compreendem a hierarquia de inferioridade e superioridade;
subsistência do trabalhador. O capital fixo, isto é, os correspondem geralmente a diferenciações
instrumentos, maquinaria e equipamento se profissionais, são impermeáveis a movimentos de
depreciam durante um período muito mais longo. mobilidade social, são reconhecidos por lei e
possuem quase sempre um fundo religioso.

Capitalismo Categorias
Sistema em que os meios de produção são de
propriedade privada de uma pessoa (ou grupo de Pluralidade de pessoas que são consideradas como
pessoas) que investe o capital; o proprietário dos uma unidade social pelo fato de serem efetivamente
meios de produção (capitalista) contrata o trabalho semelhantes em um ou mais aspectos (Fichter).
de terceiros que, portanto, vende a sua força de
Não há, entretanto, necessidade de proximidade ou
trabalho para a produção de bens. Estes, depois de
de se ter contato mútuo para que as pessoas
vendidos, permitem ao capitalista, não apenas a
pertençam a uma categoria social.
recuperação do capital investido, mas também a
obtenção de um excedente - o lucro. Tanto a compra
dos meios e fatores de produção quanto a venda dos
produtos, resultantes da atividade empresarial,
realizam-se no mercado de oferta e procura de bens
e serviços, existente na sociedade capitalista.
Ciência
É todo um conjunto de atitudes e de atividades
racionais, dirigidas ao sistemático conhecimento
com objeto limitado, capaz de ser submetido à
Capitalismo verificação.

monopolista
Conceito econômico, na tradição marxista, que Civilização
expressa a última fase através da qual o sistema
capitalista passará. Caracteriza-se por um aumento Grau de cultura bastante avançado no qual se
da dimensão ótima da unidade de produção, pela desenvolvem bem as Artes e as Ciências, assim
concentração de capital nas mãos de algumas como a vida política (Winick).
poucas instituições financeiras de grande porte e As características essenciais da civilização são: as
pela separação entre a propriedade do capital e a hierarquias sociais internas, a especialização, as
função do empresário. cidades e grandes populações, o crescimento das
matemáticas e a escrita (Childe), entre outras.
11

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Clão Códigos
Grupo de parentes baseado numa regra de Representam modelos culturais que exercem
descendência, geralmente medida tanto pela linha determinado "constrangimento" sobre a ação de
masculina quanto pela linha feminina (parentesco indivíduos e grupos: são normas de conduta, cujo
através de um dos pais) e numa regra de residência poder de persuasão ou de dissuasão repousa, em
(mesma localidade). parte, nas sanções, positivas ou negativas, de
aprovação ou desaprovação, que as acompanham.
Os membros do clã traçam sua linha de ascendência
a partir de um antepassado original, que pode existir
somente no passado mitológico: um animal, um ser
humano, um espírito ou uma característica da
paisagem. Combinação
ótima
Classe Social Conceito econômico que identifica a combinação de
maior preferência de dois bens em consonância com
É um agrupamento legalmente aberto ou semi- suas possibilidades de produção física. Essa
fechado, que é solidário e antagônico em relação a combinação é representada pela tangência de uma
outras classes sociais. O agrupamento é, em parte, curva de transformação e a curva. de indiferença de
organizado (semi-organizado); em parte é maior preferência.
consciente da sua unidade e existência, e em parte
não; característico da sociedade ocidental a partir do
século XVIII; é multivinculado, com destaque para
dois vínculos: o ocupacional e o econômico (ambos
tomados no sentido) e por um vinculo de Competição
estratificação social no sentido da totalidade dos
seus direitos e deveres essenciais, em contraste com Forma mais elementar e universal de interação,
os direitos e deveres basicamente diferentes das consistindo em luta incessante por coisas concretas,
outras classes sociais (Sorokin). por status ou prestígio; é contínua, e geralmente
inconsciente e impessoal.

Classicismo Comportamento
A escola da Economia Política inglesa que elaborou
e aperfeiçoou a metodologia e os princípios
econômicos de Smith, Say, Malthus e Ricardo em
coletivo
relação a produção, distribuição, valor e
É um comportamento que caracteriza os
desenvolvimento econômico. Esta tradição
componentes dos agregados, especificamente das
continuou com as contribuições de Senior, J. S.
multidões, e que não se constitui na simples soma
Mill e Cairnes.
dos comportamentos individuais, mas, que se
configura como um componente determinado ou
12

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

influenciado pela presença física de muitas pessoas, componentes viverem de maneira permanente em
com certo grau de interação entre elas. determinada área, além da consciência de
pertencerem, ao mesmo tempo, ao grupo e ao lugar,
O comportamento coletivo apresenta, em geral
e que funcionam em conjunto, no que tange aos
(quando a multidão se toma ativa), as seguintes
principais assuntos de suas vidas. Têm consciência
fases:
das necessidades dos indivíduos, tanto dentro como
a) Controle exercido pela presença de outro fora de seu grupo imediato e, por essa razão,
(modificando os comportamentos individuais); apresentam tendência para cooperar estreitamente.
b) "Reação circular" ou influência de cada
indivíduo sobre o comportamento de outro(s) e
vice-versa;
c) "milling" ou movimento de indivíduos, uns em Comunismo
redor dos outros, ao acaso e, por vezes, sem
meta; Como o socialismo, o comunismo é mais uma
doutrina econômica do que política.
d) excitação coletiva ou comportamento excitado
que fixa a atenção dos integrantes e sob sua Consiste em uma filosofia social ou sistema de
influência os indivíduos tornam-se organização social baseado no princípio da
emocionalmente excitáveis; a decisão pessoal propriedade pública (coletiva) dos meios materiais
dos indivíduos é mais rapidamente quebrada; de produção e de serviço econômico. Encontra-se
unido às doutrinas que se preocupam em formular
e) contágio social ou disseminação rápida,
os procedimentos mediante os quais pode ser
impensada e irracional de um estado de espírito,
estabelecido e conservado. Sob este aspecto, difere
de um impulso ou de uma forma de conduta que
do socialismo, por preconizar a impossibilidade da
atraem e se transmitem aos que originariamente
reforma e de sua instauração em uma sociedade pela
se constituíam em meros espectadores e
aplicação de medidas fragmentárias e de caráter
assistentes.
lento; outro ponto de discordância se apresenta no
que se refere à renda: se ambos os sistemas
consideram válidas as rendas advindas do trabalho
(não aquelas, porém, que derivam da propriedade),
Comunicação o socialismo admite que a renda seja medida pela
capacidade pessoal ou pelo rendimento social
Processo pelo qual idéias e sentimentos se manifestado pela competência dentro do sistema
transmitem de indivíduo para indivíduo, tomando coletivo, ao passo que o comunismo aspira suprimir
possível a interação social. É fundamental para o até mesmo este último tipo de competência: o lema
homem, enquanto ser social, e para a cultura. Pode comunista é "dê a cada um segundo sua capacidade
se dar através de meios não vocais, sons e a cada um segundo suas necessidades".
inaniculados, palavras (linguagem falada ou escrita)
e símbolos.

Conceito de
Comunidade capital (Fisher)
É essencialmente ligada ao solo, em virtude de seus Conceito econômico na teoria de capital de Fisher
13

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

que define qualquer bem que proporcione um fluxo


de rendas no decorrer do tempo. Assim, os bens que
proporcionam renda (isto é, a terra) em oposição a
Concorrência pura
juros, são apenas formas diferentes de capital.
Conceito econômico para designar o mercado
Os teoristas contemporâneos como Gary Becker e caracterizado por um grande número de
T. W. Schultz, entre outros, estenderam o conceito fornecedores de um bem homogêneo sobre o qual
de Fisher para incluir capital "humano". um grande número de compradores despende
somente uma pequena parte de sua renda, com o
que surge somente, um preço de venda da interação
das forças da oferta e da procura.
Coeficiente de
aceleração Concorrência
Conceito econômico que expressa o capital
adicional necessário para um volume adicional de monopolista
produção, dados os requisitos técnicos.
Conceito econômico para indicar uma situação de
mercado caracterizada por diferenciação de produto.

Condições de
escambo da troca Consumo
Conceito econômico que expressa a relação, em conspícuo
termos físicos, em que dois bens são
internacionalmente trocados. Conceito econômico introduzido por Veblen, que se
tornou parte da teminologia-padrão, descrevendo a
espécie de comportamento de consumo que se
associa com a rica classe ociosa.
Concorrência
perfeita Conduta
Conceito econômico para designar o mercado
Consiste no comportamento humano
caracterizado por informação perfeita por parte dos
autoconsclente, isto é, comportamento controlado
participantes e perfeita mobilidade de recursos,
pelas expectativas de outras pessoas.
além dos requisitos associados à concorrência. pura.
14

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Conflito Consciência
Luta consciente e pessoal, entre indivíduos ou
grupos, em que cada um dos contendores almeja
Coletiva
uma solução, que exclui a desejada pelo adversário.
Soma de crenças e sentimentos comuns à média dos
membros da comunidade, formando um sistema
autônomo, isto é, uma realidade distinta que persiste
no tempo e une as gerações (Durkheim).
Conformidade
É a ação orientada para uma norma (ou normas)
especial, compreendida dentro dos limites de
comportamento por ela permitidos ou delimitados.
Consenso social
Desta maneira, dois fatores são importantes no
Conformidade de pensamentos, sentimentos e ações
conceito de conformidade: os limites de
que caracterizam os componentes de determinado
comportamento permitidos e determinadas normas
grupo ou sociedade (Willians).
que, consciente ou inconscientemente, são parte da
motivação da pessoa.

Contato
Consciência de É a fase inicial da interestimulação, sendo as

Classe modificações resultantes denominadas interação. É


um aspecto primário e fundamental do processo
social, porque do contato dependerão todos os
Consiste no fato de dar-se conta ou perceber as outros processos ou relações sociais. Divide-se em:
diferenças que existem entre a própria situação de
a) contato diretos: aqueles que ocorrem por meio
classe e a de outro indivíduo ou indivíduos. Essas
da percepção física, portanto, realizados face a
atitudes podem consistir num sentimento de
face;
inferioridade ou de superioridade, respectivamente,
se os outros pertencerem a classes sociais superiores b) contatos indiretos: realizados através de
ou inferiores. intermediários - com os quais se terá um contato
direto - ou meios técnicos de comunicação;
A consciência de classe pode dar lugar a um
sentimento de oposição ou de hostilidade, à medida c) contatos voluntários: derivados da vontade
que se percebem as diferenças de interesses, em própria dos participantes, de maneira
sociedades que possuem a luta de classes, ou espontânea, portanto, sem coação;
simplesmente um sentimento de afastamento ou d) contato involuntários: derivam-se de
reserva, devido à diferença de usos sociais, imposição de uma das partes sobre a outra;
costumes e ideologias das diferentes classes.
e) contatos primários: (pessoais, íntimos e
espontâneos, em que os indivíduos tendem a
compartilhar de suas experiências particulares:
envolvem elemento emocional, permitindo certa
15

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

fusão de individualidades que dão origem ao


"nós"; Cooperação
f) contatos secundários: são contatos formais,
impessoais, racionais e calculados, geralmente É o tipo particular de processo social em que dois
superficiais, envolvendo apenas uma faceta da ou mais indivíduos ou grupos atuam em conjunto
personalidade; para organizações e papéis qualitativamente novos:
integração (elemento unificador das estruturas
g) contatos do "nosso grupo": fundamentados
diferenciadas) (Smelser).
no fenômeno do etnocentrismo com a
supervalorização da cultura e dos costumes,
com certa tendência para a identificação com os
membros do grupo, mantendo relações baseadas
em simpatia, sentimento de lealdade, amizade e
até mesmo altruísmo;
Crescimento de
h) contatos do "grupo alheio": são contatos
mantidos com pessoas estranhas, cuja cultura e
"estado firme"
costumes podem ser menosprezados;
Conceito econômico para expressar uma situação
consideram-se estranhos os forasteiros,
em que o volume total de produção da economia e
adversários ou inimigos; os sentimentos que
seu estoque de capital estão crescendo em conjunto
eles despertam são de indiferença ou inimizade;
a uma taxa proporcional constante que reflete a taxa
i) contatos categóricos: resultam da classificação de aumento da população e a taxa de aumento de
que fazemos de uma pessoa desconhecida, produção por homem Robinson descreveu esta
baseada em sua aparência física, cor da pele, situação como "a era dourada".
feições, profissão etc., de acordo com as
características atribuídas a ela pelo "nosso
grupo";
j) contatos simpatéticos: baseados em qualidades
manifestadas pelos indivíduos e não em
Curva de Phillips
características de categorias. Conceito econômico sintetizado na curva que
relaciona a taxa de aumento nos salários ao
percentual de desemprego da força de trabalho civil,
com o propósito de mostrar a "barganha" entre
Controle social emprego e aumentos salariais.

Conjunto das sanções positivas e negativas a que


uma sociedade recorre para assegurar a
conformidade das condutas aos modelos
estabelecidos (Rocher).
Custo de capital
O controle social pode ser informal (natural, Conceito econômico que inclui os custos imputados
espontâneo, baseado nas relações pessoais e íntimas dos lucros retidos e o custo de vender ações bem
que ligam os componentes do grupo) e formal como a taxa de juros as quais os fundos podem ser
(artificial, organizado, exercido principalmente tomados por empréstimo para investimento.
pelos grupos secundários)
16

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

deve ser igual ao custo marginal dos bens


Curva IS produzidos sob condições de custo descendente a
fim de facilitar a consecução do volume de
produção competitivo.
Conceito econômico, na teoria pós-keynesiana,
sintetizado na curva composta derivada do Uma vez que o custo seria maior do que o custo
relacionamento entre um conglomerado de funções marginal sob estas condições, os produtores
poupança e uma curva convencional de procura de sofreriam prejuízos a tais preços.
investimento.
Isto levou à proposta correlata de que os produtores
sejam compensados por um subsídio financiado por
tributação daqueles cuja renda real aumenta com
esta política. Neste caso a repartição de renda
Curva LM permaneceria inalterada, o que é coerente com os
requisitos de um ótimo paretiano.
Conceito econômico, na teoria pós-keynesiana,
sintetizado na curva composta derivada do
relacionamento entre um conglomerado de funções
preferência pela liquidez e uma curva representando
a quantidade de moeda; tem-se a hipótese de que
Desorganização
esta curva interage com a curva IS para determinar
a taxa de juro. Social
É um estado relativo e, como a estabilidade, existe
em diferentes graus. Em toda sociedade, sempre
Custo de operam dois conjuntos de forças, os que criam
estabilidade e os que produzem instabilidade. Numa
sociedade estável, há, um equilíbrio entre ambos.
oportunidade Quando os últimos se tornam mais poderosos do
que os primeiros, ocorre a desorganização social;
Conceito econômico de grande importância na esta é, portanto, uma perturbação no equilíbrio das
competitividade para designar o preço a que um forças, o que produz uma desintegração das
fator de produção pode fazer jus em seu melhor uso instituições e um enfraquecimento de seu controle.
alternativo remunerado. A sociedade é, então, envolvida por todos os tipos
de problemas sociais (Koenig).

Determinação de Desvio
preço pelo custo O comportamento em desvio é conceituado não
apenas como um comportamento que infringe uma
marginal norma por acaso, mas também como
comportamento que infringe determinada norma
para a qual a pessoa está orientada naquele
Conceito econômico que indica a intervenção do
momento, o comportamento em desvio consiste,
governo para fazer seguir a regra de que o preço
pois, em infração motivada.
17

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Dialética Difusão Cultural


Conceito econômico, na tradição marxista, que Processo de transferência dos traços culturais de
expressa o processo através do qual se explica o uma região a outra ou de uma parte da cultura a
fenômeno da mudança. O conflito entre uma tese outra.
(no mundo real ou no mundo das idéias) e uma
antítese resulta em uma síntese que proporciona a
base para subseqüentes conflitos e mudança
posterior.
Discriminação de
preço de
Dicotomização do monopólio
processo de Conceito econômico, na teoria da concorrência, que

formação de define uma técnica de maximização lucros que pode


ser utilizada por um monopolista que venda a
diferentes grupos de compradores que podem ser
preços identificados em base de suas elasticidades de
procura. Os compradores cujas procuras sejam
relativamente elásticas terão a oferta de um preço
Conceito econômico que expressa o exame dos
mais baixo do que aqueles cujas procuras sejam
preços de bens individuais como se o processo não
menos elásticas, desde que seja impossível ao
estivesse relacionado com a determinação do nível
primeiro grupo revender ao segundo.
geral de preços.
O monopolista dividirá o volume de produção entre
seus vários mercados, de tal modo que iguale a
receita marginal em cada mercado ao custo
Diferenciação de marginal de conseguir seu produto.

produto
Conceito econômico para designar várias técnicas,
Distância social
entre as quais a embalagem, marcas registradas, É a medida das diferenças de posições sociais ou
nomes de marcas e propaganda para a finalidade de status entre indivíduos e grupos. Existe pouca ou
criar preferência do comprador por um determinado nenhuma distância social entre pessoas com posição
produto do vendedor. Se a diferenciação tiver êxito social semelhante ou idêntica e, ao contrário, a
ela dará ao vendedor um certo grau de liberdade distância social se revelará grande entre pessoas
quanto à determinação de preço. com posições sociais diferentes, tendendo a
aumentar à medida que essas diferenças forem
maiores e mais numerosas.
18

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Divisão do Economia
Trabalho neoclássica
Distribuição de seres humanos, pertencentes à Conceito econômico que indica a integração,
mesma comunidade, em ocupações principalmente associada a Marshall, da teoria da
interdependentes e complementares. utilidade do valor com a teoria do custo de produção
dos clássicos. Seu principal interesse é explicar os
No contexto econômico, a divisão do trabalho é a
preços de bens e de fatores e a alocação de recursos
concentração do esforço de trabalho em tarefas
com o auxílio da análise marginal.
particulares a fim de melhorar a perícia, poupar
tempo e promover melhor uso do capital.

Educação
Economias É a ação exerci da, pelas gerações adultas, sobre as

externas gerações que não se encontrem preparadas para a


vida social; tem por objeto suscitar e desenvolver,
na criança, certo número de estados físicos,
Conceito econômico, na tradição marshalliana, intelectuais e morais, reclamados pela sociedade
associado progresso geral do ambiente industrial. política, no seu conjunto, e pelo meio especial a que
Essas economias estão igualmente ao alcance de a criança, particularmente, se destine (Durkheim).
todas as empresas, elas não tendem a reduzir a
concorrência.

Efeito-Cantilon
Economias Na teoria econômica é o efeito de uma injeção de
moeda sobre a estrutura de preços (em oposição ao
internas nível de preços) em função de sua origem e impacto
sobre a economia.
Conceito econômico, na tradição neoclássica, para
designar as economias que são realizadas por
empresas individualmente quando elas expandem
sua escala de produção e de organização; pelo fato
de não serem igualmente disponíveis, seu efeito é
Efeito-Pígou
reduzir a concorrência. Conceito econômico para indicar um aumento no
valor real dos saldos monetários que poderia atuar
para aumentar o volume do dispêndio real, isto é,
aquele capaz de deslocar para cima a função
consumo.
19

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

o fator tende a receber o equivalente de seu produto


Efeito-Keynes marginal social, aplica-se diferentemente ao capital,
isto é, a taxa de juro tende a ser menor do que a
produtividade marginal social do capital.
Conceito econômico, na teoria da repartição, para O
efeito estimulante de uma redução salarial sobre o
em prego, que atua se as taxas de juro caírem em
relação à eficiência marginal do capital, resposta a
uma procura reduzida de moeda para transações a
um nível de renda mais baixo.
Elite
Compreende as pessoas e os grupos que, graças ao
poder que detêm ou à influência que exercem,
contribuem para a ação histórica de uma
Eficiência coletividade, seja pelas decisões tomadas, seja pelas
idéias, sentimentos ou emoções que exprimem ou

marginal do simbolizam (Rocher).

capital
Conceito econômico para designar uma a taxa de
Endoculturação
desconto que iguala uma série esperada de lucros de Processo de aprendizagem e educação em uma
um bem de capital a seu preço de oferta. cultura, desde a infância até a idade adulta.

Efeito Ricardo Espaço social


No conceito na teoria econômica ricardiana, este É uma espécie de universo constituído pela
efeito indica o alongamento do período médio de população humana; não havendo seres humanos, ou
produção que resulta quando uma elevação nos existindo apenas um, não há espaço social. Dessa
salários reais favorece a produção com a utilização maneira, espaço social é totalmente diverso do
intensiva de capital em oposição à utilização espaço geográfico, cuja existência independe dos
intensiva de mão-de-obra. seres humanos.

Efeito-Wicksell Estado
Conceito econômico, na teoria do capital, para É uma nação politicamente organizada. É
definir a absorção parcial do produto aumentado constituído, portanto, pelo povo, território e
que resulta da acumulação de capital líquido pela governo. Engloba todas as pessoas dentro de um
mão-de-obra e proprietários de terra, sob a forma de território delimitado - governo e governados.
salários e rendas mais altos da terra. A implicação é
que a Lei de von Thünen, de acordo com a qual todo
20

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

estado final, de acordo com os teoristas clássicos,


Equação da troca para o qual a economia está evoluindo. Caracteriza-
se por população estável (isto é, a taxa de natalidade
é igual à de mortalidade) um estoque constante de
Conceito da teoria econômica que expressa a capital (isto é,os novos investimentos simplesmente
identidade entre a procura agregada (MV) e a repõem o capital depreciado) e uma renda per
oferta agregada (PT), em termos monetários. capita constante.

Equação de Estamento
Cambridge Constitui uma forma de estratificação social com
camadas sociais mais fechadas do que as classes e
mais apenas do que as castas, reconhecidas por lei e
Conceito econômico, na tradição neoclássica, geralmente ligadas ao conceito de honra.
sintetizado pela seguinte expressão: M = PTk, onde
M é a quantidade de moeda e PT . k é o nível médio
de preços dado o volume de trocas e de transações
pagas a vista. Este último conceito é enunciado é
definido como 1/V, is é, a recíproca da velocidade
de circulação na equação de Fisher PT = MV.
Estereótipos
São construções mentais falsas, imagens e idéias de
conteúdo alógico, que estabelecem critérios
socialmente falsificados. Os estereótipos baseiam-se
Equação de troca em características não comprovadas e não
demonstradas, atribuídas a pessoas, a coisas e a

(Fisher) situações sociais, mas que, na realidade, não


existem.

Conceito econômico, na teoria do capital de Fisher,


sintetizado pela seguinte expressão: PT = MV +
M'V', onde P é o nível geral de preços, T o volume
físico das transações, M a quantidade da moeda, V
Estratificação
sua velocidade de circulação, M' o volume de
crédito bancário e V' sua velocidade. social
Diferenciação de indivíduos e grupos em
posições (status), estratos ou camadas, mais ou
Estado menos duradouros e hierarquicamente sobrepostos.
Características: tem caráter social, é antiga, é

estacionário onipresente, é diversa em suas formas, tem


influência, isto é, as coisas mais importantes, mais
desejadas e, freqüentemente, mais escassas na vida
No conceito na teoria econômica ricardiana indica o humana constituem os materiais básicos, que são
desigualmente distribuídos entre os componentes
21

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

das diversas camadas.


Excedente de
Estrutura Da consumo
Conceito econômico que expressa a disposição de
Cidade um consumidor a pagar mais por um particular bem
do que o preço que realmente pagou; neste caso,
Consiste num produto da interação competidora pode-se dizer que ele está desfrutando de um
entre as pessoas, as facilidades de mercado, as excedente de consumo.
agências de transporte e de comunicação, os tipos
de funções exercidas e a sua localização
(Hollingshead).
Exército de
Estrutura Social reservista
Partindo da constatação de que os membros e os
industrial
grupos de uma sociedade são unidos por um sistema
de relações de obrigação, isto é, por urna série de Conceito econômico, na tradição marxista, que se
deveres e direitos (privilégios) recíprocos, aceitos e refere à mão-de-obra que fica desempregada à
praticados por eles, a estrutura social refere-se à medida que o capital variável é transformado em
colocação e à posição de indivíduos e de grupos capital constante.
dentro desse sistema de relações de obrigação. Em
outras palavras, o agrupamento de indivíduos, de
acordo com posições, que resulta dos padrões
essenciais de relações de obrigação, constitui a
estrutura social de uma sociedade (Brown e
Excessos de bens
Barnett).
O conceito na teoria econômica indica uma
insuficiência de procura agregada efetiva que
resulta em bens que não são vendidos.

Etnocentrismo
Atitude emocional que sustenta o grupo, a raça ou a
sociedade a que urna pessoa pertence, superiores a
Expansão
outras entidades raciais, sociais ou culturais. Tal
atitude se encontra associada ao desprezo
pelocestrangeiro ou forasteiro, assim como por seus
intensiva do
costumes.
capital
Conceito econômico que define o processo em que
22

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

a estrutura de capital é alterada de tal modo que é exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior, que
aumentado o investimento em capital com é geral na extensão de uma sociedade dada,
vencimento mais longo. apresentando uma existência própria, independente
das manifestações individuais que possa ter
(Durkheim).

Expansão
extensiva do Feudalimo
capital Sistema social que esteve vigente na Europa
Ocidental (e outras regiões, tais como: Egito antigo,
Índia, Império Bizantino, mundo árabe, Império
Conceito econômico, na teoria do capital, para Turco, Japão etc., com instituições de estilo feudal),
definir o processo em que a estrutura de capital é entre os séculos X e XVII, com características
alterada de tal modo que é usada uma quantidade políticas econômicas, jurídicas e militares
maior de capital na produção corrente, isto é, no particulares, destacando-se as seguintes
processo de menor duração. características:
a) um grande desenvolvimento de laços de
dependência de homem para homem e com uma
classe de guerreiros especializados que ocupava
Expectativa de os escalões superiores
juridicamente fundamentada;
da hierarquia

Comportamento b) um grande fracionamento do direito de


propriedade;
Consiste no que as pessoas ao redor do indivíduo c) uma hierarquia proveniente dos direitos sobre a
esperam dele, no que se refere a sua conduta em terra, em geral associados ao fracionamento de
determinadas situações sociais. direito e que correspondia à hierarquia dos laços
de dependência pessoal;
d) um parcelamento do poder público, gerando
em cada região uma hierarquia de instâncias
Família autônomas que exerciam, no seu próprio
interesse, poderes normalmente atribuídos ao
Estado e, em épocas anteriores, quase sempre
Grupo social caracterizado pela residência
da efetiva competência deste.
comum, pela cooperação econômica e pela
reprodução. A família é constituída pelos pais e seus A concepção política estava baseada, portanto, nas
filhos. relações individuais e se estruturava na hierarquia e
na fidelidade entre vassalos e suseranos, com pouca
autoridade central, sendo o rei, na maioria dos
casos, o mais alto suserano.
Fato Social Economicamente, a terra no feudalismo era o
elemento fundamental da riqueza: sua
É toda maneira de agir, fixa ou não, suscetível de fragmentação, acompanhada do estabelecimento de
23

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

laços pessoais, criava o sistema de soberania e a finalidade de acarretar uma ação ou mudança
vassalagem: quem doa a terra é o senhor feudal ou social de certa índole.
suserano; quem a recebe, podendo transmiti-Ia a
No plural (forças sociais) é utilizada para designar
seus descendentes, é o vassalo.
os impulsos básicos típicos, ou motivos, que
conduzem aos tipos fundamentais de associação e
de formação de grupos.

Fluxo circular
A circulação de bens e rendas monetárias através do
sistema econômico como sendo um resultado da
Função conumo
interdependência econômica.
keynesiana
Conceito econômico que relaciona os dispêndios de
Folclore consumo à renda real. Isto implica que as pessoas
não estão sujeitas à ilusão monetária.

Conjunto orgânico de modos de sentir, pensar e agir


peculiares às camadas populares das sociedades
"civilizadas" ou históricas, caracterizado pela
espontaneidade. Função produção
Conceito econômico na forma de uma expressão
matemática que diz respeito ao relacionamento
Forças produtivas entre o produto Q, do bem "a", e os fatores
necessários (p. ex., x, y, z) para produzi-lo, indicado
pela expressão geral: Qa = f(x,y,z).
As relações de produção são constituídas, numa
sociedade de classes, por uma dupla relação que
engloba as relações dos homens com a natureza de
produção material. São elas: relação dos agentes de
produção com o objeto e relação com os meios de Fundo salarial
trabalho, sendo que a última origina as forças
produtivas. O conceito, de acordo com Smith, indicar alimentos
e outros itens compreendendo os requisitos para
subsistência da mão-de-obra, ou seu equivalente
monetário. Na teoria clássica o fundo salarial
Forças sociais constitui o volume da oferta de capital da economia.
A dimensão deste fundo, relativamente à dimensão
da população ativa, determina a taxa salarial média.
De modo geral, pode ser entendida como todo
estímulo ou impulso efetivo que conduz a uma ação
social. De forma concreta, uma força social
representa o consenso por parte de um número
suficiente de membros de uma sociedade, que tenha
24

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

individual se identifica, pelo menos para vários fins,


Governo com a vida e os propósitos comuns ao grupo.
Possivelmente a maneira mais simples de descrever
essa totalidade consiste em apresenta-la como
Como entidade objetiva, refere-se aos indivíduos e
"nós", porque envolve a espécie de simpatia e de
órgãos que têm a responsabilidade de conduzir a
identificação mútuas para os quais o "nós" é a
ação do Estado. Um Governo exerce um controle
expressão natural (Cooler).
imperativo no âmbito de um território definido onde
reivindica, com êxito, o monopólio da força.

Grupos de
Generalização da Referência
renda da terra Exercem ascendência sobre os indivíduos pela
natureza e modo de identificação que neles
Conceito econômico, na teoria de Ricardo
despertam. Geralmente, a pessoa não pertence (mas
(ampliada), que define o princípio de que os
pode pertencer) ao grupo de referência, que tem o
rendimentos de qualquer fator que exista em oferta
condão de influenciá-lo, originando uma
fixa, não apenas terra, podem ser considerados
"assimilação" psicológica, funcionando como
como "renda".
quadro de referência para as aspirações, tomada de
consciência, opiniões, atitudes e padrões de
comportamento do indivíduo.

Grupos
Formam uma coletividade identificável, estruturada,
contínua, de pessoas sociais que desempenham
Grupo secundário
papéis recíprocos, segundo determinadas normas,
Possui certas características que se apresentam
interesses e valores sociais, para a consecução de
como opostas às do grupo primário. As relações
objetivos comuns (Fichter).
geralmente são estabelecidas por contato indireto e,
no caso de serem por contato direto, são passageiras
e desprovidas de intimidade; as relações são ainda
formais e impessoais. No grupo secundário, a
Grupos primários consciência de "nós" é fraca, o tipo de contato é
predominantemente secundário e categórico, a
São caracterizados por uma íntima cooperação e posição dos membros define-se em relação aos
associação face a face. São primários sob vários papéis que lhes cabem, sendo sua participação
aspectos, principalmente porque são fundamentais limitada à contribuição que prestam.
na formação da natureza social e nos ideais do
individuo.
O resultado dessa associação íntima é,
psicologicamente, certa fusão das individualidades
num todo comum, de modo que o próprio ego
25

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Habitat Hipótese de
Área apropriada para ocupação por uma espécie,
grupo ou pessoa. Pode ter alguma significação
Duesenberry
associativa, porquanto se refere a uma área em que
Conceito econômico, na forma de uma hipótese de
se realizam todas as atividades essenciais à vida
que o comportamento de consumo depende não
(Anderson).
apenas do nível absoluto da renda corrente, porém
mais particularmente do relacionamento desse nível
para o pico de renda anteriormente conseguido.

Hábito
Forma de conduta individual, mecanizada ou
automatizada pelo indivíduo.
Hipótese da renda
permanente
Hedonismo Conceito econômico sintetizado na hipótese de
Friedman de que o comportamento de consumo
individual depende da "renda permanente", isto é,
O conceito na teoria econômica é de uma dos recursos que um indivíduo espera ter à sua
explicação do comportamento humano em termos disposição no transcurso de sua vida.
do objetivo de maximizar o prazer e minimizar o
sofrimento; em economia, os equivalentes de prazer
e sofrimento são os lucros e prejuízos monetários,
respectivamente.
Ideologia
Sistema de idéias peculiar a determinado grupo
Hipóteses social, condicionado quase sempre pela experiência
e interesses desse grupo. A função da ideologia
consiste na conquista ou conservação de
São formulações provisórias do que se procura determinado status social ou grupo e de seus
conhecer, de cuja ajuda necessitamos para explicar membros. Atitudes ou doutrinas políticas,
fatos, descobrindo seu ordenamento; são supostas econômicas ou filosóficas desempenham,
respostas para o problema ou o assunto de pesquisa. geralmente, funções de ideologia. Mais
A hipótese, uma vez verificada (com a certeza de precisamente, é o conjunto de idéias, crenças,
ser válida ou plausível e sustentável) pela pesquisa doutrinas próprias a uma sociedade ou a uma classe.
empírica, pode-se transformar em teoria.
No contexto de uma sociedade, a ideologia pode
estar em harmonia com os valores que prevalecem
na própria sociedade, ou opor-se a eles. Não deixa,
entretanto, de ficar afetada pela experiência dentro
dessa sociedade. Dessa forma, há uma ideologia do
socialismo, uma ideologia da livre empresa, uma
26

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

ideologia da sociedade industrial, marcadas pelas


variáveis dos momentos históricos que percorrem
(Delorenzo).
Índice de utilidade
de Neumann-
Imperialismo Morgenstern
Domínio ou ecológico, ou econômico, ou político, Conceito econômico definido numa técnica
ou cultural de um grupo sobre outro. destinada a dar expressão numérica à preferência de
um indivíduo por resultados incertos, baseada em
informação sobre as probabilidades de que eles
ocorrerão, e sua avaliação de um determinado

Imposto único resultado seguro.

Na história do pensamento econômico, na fase


fisiocrática, era um único tributo que incide sobre o
superávit econômico proporcionado pela terra. Tal
Industrlalismo
imposto foi originalmente recomendado pelos
fisiocratas. Mais tarde sua recomendação foi Fase de aperfeiçoamento técnico avançado,
revivida pelo reformador social americano Henry alcançado por intermédio da ciência aplicada, rujas
George, sob a premissa de que sua coleta não reduz características típicas são a produção em larga
a produção e que o montante coletado seria escala e o emprego da energia mecânica, um
adequado às necessidades da receita. mercado amplo, uma mão-de-obra especializada
com uma complexa divisão de trabalho e uma
urbanização acelerada.
O processo de industrialização seria o início do
Imputação industrialismo; este também ocasiona profundas
modificações sociais e no âmbito do trabalho
propriamente dito, criando novas linhas de
Conceito econômico para expressar o processo de estratificação entre os trabalhadores,
valorar fatores de produção (bens de uma "ordem institucionalizando a mobilidade social e originando
mais alta" na terminologia austríaca) em base de nova estrutura diferenciada de classes, fazendo
suas contribuições para o valor de produção. surgir novas formas de vida especificamente
industriais; mediante a institucionalização da
oposição de classes, transforma os trabalhadores, de
assalariados necessitados, em portadores industriais
Identidade de Say de uma função.
O industrialismo estende a mecanização não
Igualdade entre a procura agregada e a oferta em somente à maior parte da indústria, senão também,
termos monetários. Baseia-se no pressuposto de que em certa medida, à agricultura; origina, em grau
a procura por saldos de caixa é zero. A igualdade de cada vez mais amplo, a produção em grande escala,
Say supõe que a moeda serve apenas como um meio a extrema especialização e a extensa e complexa
de troca e não como uma reserva de valor. divisão de trabalho; acelera o desenvolvimento dos
27

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

meios de comunicação e transporte; produz mesma maneira, a oposição entre empresários e


profundas alterações nos grupos primários e trabalhadores toma mais aguda a luta de classes.
secundários.

"Influências Inflação de custo


Conceito econômico que indica uma elevação no
externas" nível geral de preços que se origina do lado do
custo, por exemplo pressões para elevação de

(externalidades) salários.

Conceito econômico para indicas os custos sociais


(ou benefícios sociais) que não-intencionalmente
acompanham as atividades privadas de produção
Inflação de
(ou consumo). Uma vez que esses custos não são
incorporados aos preços de mercado, propõe-se que
sejam "corrigidos" por meio de um sistema de
demanda
tributos e subsídios. O termo focaliza Conceito econômico que indica a elevação no nível
particularmente as influências externas que poluem geral de preços que se origina de fatores monetários,
o ambiente. isto é, em aumentos na moeda e crédito que apóiam
um aumento de demanda de bens.

Industrialização
Consiste na aplicação da mecanização em larga
Interação
escala à produção industrial, propiciando a É a ação social, mutuamente orientada, de dois ou
emergência dos fenômenos de urbanização (e sendo mais indivíduos em contato. Distingue-se da mera
por ela influenciada), o aumento rápido da interestimulação em virtude de envolver
população (explosão populacional) e da mobilidade significados e expectativas em relação às ações de
(geográfica e social) dessa população, a ruptura das outras pessoas. Podemos dizer que a interação é a
hierarquias tradicionais de posição, a transformação reciprocidade de ações sociais.
das sociedades de castas, estamentos e classes
sociais fechadas em sociedades abertas de classe, a
alteração dos sistemas de valores e de padrões de
comportamento e, até, a criação de uma situação de
inadaptação aguda e de alienação para o
trabalhador, inicialmente estranho à indústria;
Instituições
também se observam alterações do status
profissional, das capacidades (qualificações dos
sociais
trabalhadores operários e empregados), da vida
familiar, da situação jurídico-social das mulheres, Consistem numa estrutura relativamente
da tradição e do hábito de consumo de bens; da permanente de padrões, papéis e relações que os
28

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

indivíduos realizam segundo determinadas formas Nesse contexto, o investimento é diferente do


sancionadas e unificadas, com o objetivo de investimento induzido que é estimulado por novo
satisfazer às necessidades sociais básicas (Fichter). consumo derivado da operação do multiplicador.
As características das instituições são:
a) têm finalidade e conteúdo relativamente
permanentes, são estruturadas, possuem
estrutura unificada e valores; Legitimidade
b) devem ter uma função: a meta ou o propósito
Implica a aceitação do poder por uma pessoa ou
do grupo, cujo objetivo seria regular suas grupo, pois este(s) age(m) em conformidade com os
necessidades;
valores acatados pelos subordinados.
c) devem ter uma estrutura composta de pessoal
(capital humano), equipamentos (aparelhamento
material ou imaterial), organização (disposição
de pessoal e do equipamento, observando-se
uma hierarquia - autoridade e subordinação), Liberalismo
comportamento (normas que regulam a conduta
e as atitudes dos indivíduos). econômico
Conceito que expressa a política econômica de
permitir que o processo de mercado concilie
Interpretação interesses individuais divergentes sob o pressuposto
de que todas as pessoas têm os mesmos desejos

econômica da básicos e são igualmente capazes de impor-se no


processo de decisão econômica.

história
Conceito econômico que expressa a hipótese,
associada principalmente a Marx, de que a história
Lei
da humanidade é basicamente o produto de forças Regra de comportamento formulada
econômicas que determinam o caráter dos demais deliberadamente e imposta por uma autoridade
aspectos da experiência humana. especial.

Investimento Lei de mercados


autônomo (Lei de Say ou
Conceito econômico para indicar um novo
investimento que resulta de influências exógenas, Igualdade de Say)
tais como alterações tecnológicas, aumentos ou
variações na população ou investimento público. A procura agregada é necessariamente suficiente
29

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

para esgotar a oferta agregada de todos os bens, desconhecidos que devem ser estabelecidos.
porque o processo de produção cria
simultaneamente bens e gera poder aquisitivo. A
igualdade entre a procura e a oferta agregada exige
que não haja interrupção para o fluxo circular.
Lei de Gossen
Conceito econômico que expressa que a partir do

Lei do movimento princípio da utilidade decrescente, um indivíduo


distribui sua renda entre vários bens, consumindo-os
de tal modo que a última unidade de cada bem irá
capitalista satisfazê-lo igualmente, e ele terá de vez
maximizado sua satisfação, isto é, uma nova
alocação de dispêndios não poderá aumentar a sua
Expressão marxista que se refere às tendências
satisfação.
dinâmicas do sistema capitalista que o forçam
inevitavelmente a uma taxa de retorno nula e a
crises econômicas que ameaçam a existência
continuada de toda a sociedade burguesa.
Lei de von
Lei de Bernoulli Thünen
Conceito econômico que define o princípio de que
O conceito econômico, nesta Lei, expressa, no caso cada fator tenderá a receber um rendimento
de incerteza sobre recebimentos futuros, a equivalente ao valor agregado pela última unidade
orientação do comportamento não apenas pela em pregada.
probabilidade matemática de ganho ou perda, mas,
também pela sua significância em relação à
capacidade financeira do indivíduo.
Mão invisível
Lei geral do O conceito surgiu com Smith para indicar a
harmonização das ações que são maximizadoras de
lucro do indivíduo com o bem social, através da
equilíbrio de operação das forças competitivas do mercado.

Walrás
Conceito econômico para a demonstração de
Mais-valia
equilibro individual simultâneo em todos os
mercados de bens e fatores. Para esse equilíbrio Conceito econômico, no contexto marxista, que se
pode ser encontrada uma solução matemática se for refere à diferença entre o valor dos bens que os
possível enunciar tantas equações em base dos trabalhadores produzem em um dado período e o
dados conhecidos quantos sejam os preços valor do poder da mão-de-obra vendido aos
30

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

capitalistas que a contratam. A mais-valia realizada


pelo capitalista indica o grau de exploração da mão-
de-obra. A taxa de mais-valia (t) é a relação entre
Mecanismo de
excedente (s) e o capital variável (v) que representa
pagamentos à mão-de-obra (t=s/v). fluxo inverso da
moeda
Magnitudes ex Na teoria econômica é o fluxo de retomo da moeda,
em espécie, que resulta quando um país
ante experimenta uma redução em exportações em
conseqüência de um nível de preço que é alto em
relação ao de outros países.
Conceito econômico para definir as magnitudes
planejadas ou esperadas (p. ex., a renda ex ante ou a
poupança ex antes) em oposição a magnitudes ex
post que são as efetivamente realizadas (p. ex., a
verdadeira renda ou poupança registrada). Microssociologia
Estudo das relações interpessoais, dos processos
sociais, do status e do papel de todas as interações
Mecanismo padronizadas (ou não) ocorridas no seio de grupos
organizados ou em situações não estruturadas.

indireto de
alteração de Migração
preço Movimento espacial de indivíduos ou grupos (ou até
de populações) de um habitat para outro.
Conceito econômico, na teoria do capital, para
definir a hipótese de Wicksell de que o nível geral
de preços não muda diretamente como está
implícito nas teorias quantitativas da moeda, mas
indiretamente, como resultado de mudanças
Minoria: racial,
ocasionadas por divergências entre as taxas de juro
natural e a taxa de juro monetária. cultural, nacional
Grupo racial, cultural ou de nacionalidade, auto-
consciente, em procura de melhor status
compartilhado do mesmo habitat, economia, ordem
política e social com outro grupo (racial, cultural ou
de nacionalidade), que é dominante (ecológica,
econômica, política ou socialmente) e que não
aceita os membros do primeiro em igualdade de
31

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

condições (Pierson).
Modelos de
Mobilidade social crescimento
e cultural neoclássicos
Conceito econômico, na forma de modelos de
Por mobilidade social entende-se toda passagem de crescimento sendo determinado por decisões do
um indivíduo ou de um grupo de uma posição social lado da oferta, tomadas em resposta a ajustamentos
para outra, dentro de uma constelação de grupos e de preço.
de estratos sociais. Por mobilidade cultural
entende-se um deslocamento similar de
significados, normas, valores e veículos (Sorokin).

Mudança técnica
Modelos de neutra
Cambridge Conceito econômico para indicar a situação em que
os novos métodos de produção não alteram as
relações capital-produto e capital-trabalho para a
Conceito econômico, na forma de um modelos de economia como um todo. O progresso técnico que
crescimento em que a convergência entre a taxa de deixa o balanço entre o capital e o trabalho
crescimento justificada e a de crescimento natural é inalterado no processo de produção é conhecido
ocasionada por uma relação poupança-renda como "desincorporado".
variável e independente das decisões de
investimento.

Modo de
Modelos de produção
ajustamento do Conceito econômico, na tradição marxista, que se
refere aos relacionamentos sociais inerentes à
estoque de capital propriedade e uso dos meios materiais de produção.

Conceito econômico, na forma de modelos de


ajustamentos, em que o processo de crescimento é
visualizado como consistindo em adições ao
estoque de capital que, por seu turno, aumentam a
Monopsônio
renda.
Conceito econômico para designar o monopólio de
comprador
32

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Mores Multiplicador
Padrões obrigatórios de comportamento social
exterior que constituem os modos coletivos de
keynesiano
conduta, tidos como desejáveis pelo grupo, apesar
Conceito econômico para designar a expansão na
de restringirem e limitarem o comportamento. São
renda nacional que se pode esperar do dispêndio
moralmente impostos e considerados essenciais ao
criador de renda em conseqüência de seu efeito
bem-estar do grupo. Quando se infringe um more,
sobre o consumo.
há desaprovação moral e até sanção vigorosa.

Movimentos Modelo
sociais multiplicador-
Ação ou agitação concentrada, com algum grau de acelerador
continuidade, de um grupo que, plena ou vagamente
organizado, está unido por aspirações mais ou Conceito econômico, na teoria pós-keynesiana,
menos concretas, segue um plano traçado e se sintetizado em uma seqüência-modelo do
orienta para uma mudança das formas ou comportamentos da renda no decorrer do tempo
instituições da sociedade existente (ou um contra- construída com base nos valores do multiplicador,
ataque em defesa dessas instituições) (Neumann). do coeficiente de aceleração e de uma suposta
injeção (dinheiro) autônoma na economia.

Mudança cultural Nação


Qualquer alteração na cultura, sejam traços,
complexos, padrões ou toda uma cultura. É um povo fixado em determinada área geográfica.
Para alguns autores, seria um povo com certa
organização. Para que haja uma nação, é necessário
haver um ou mais povos, um território e uma
Mudança social consciência comum. Quando outros elementos
aparecem identidade de língua, religião, etnia -,
reforçam a unidade nacional.
É toda transformação, observável no tempo, que
afeta, de maneira que não seja provisória ou
efêmera, a estrutura ou o funcionamento da
organização social de dada coletividade e modifica
o curso de sua história. É a mudança de estrutura Norma
resultante da ação histórica de certos fatores ou de
certos grupos no seio de dada coletividade (Rocher). Qualquer modo ou condicionante de conduta
33

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

socialmente aprovada.
Ordem social
Refere-se a certa qualidade, isto é, ao
Numéraire funcionamento sem choques, no seio da sociedade,
da ação recíproca de indivíduos, grupos ou
Conceito econômico para designar um bem instituições, e por este motivo compreende valores
escolhido arbitrariamente como referência (Pa), isto de eficiência, coerência lógica, moralidade etc.
é, para servir como denominador comum de um
valor imutável, como se fosse uma "moeda de valor
constante", em termos do que todos os demais
preços são expressos. Dessa forma, todos os preços
variam relativamente a Pa, onde Pa = 1.
Organização da
cidade
Oligopólio É constituída pelos seguintes processos:
a) concentração: significa a reunião em massa de
Conceito econômico que define a situação de seres humanos e de utilidades em determinadas
mercado caracterizada por relativamente poucos áreas que apresentam condições favoráveis às
vendedores, cada qual produzindo uma participação necessidades de sustento;
suficientemente grande do volume total de b) centralização: é a organização das funções
produção, a fim de estar em posição de influenciar o humanas em torno de um ponto central onde
mercado. Chamberlin chamou essa situação como ocorre, com maior freqüência, a interação
pequeno grupo em oposição ao grande grupo em social, econômica e cultural;
que as empresas individualmente podem influenciar
o preço. c) segregação: quando, através da competição,
determinados tipos de população e de atividades
Uma situação de oligopólio pode também ser específicas são separados;
caracterizada. por diferenciação de produto.
d) invasão: significa a penetração, em
determinada área, de tipos de população ou
tipos de funções diferentes daqueles que a
ocupam;
Opinião pública e) sucessão: é o deslocamento completo dos
antigos moradores que são substituídos por um
Consiste nas opiniões sobre assuntos de interesse da novo grupo de população, ou a substituição de
nação, livres e publicamente expressas por homens um tipo de utilização do terreno por outro;
que não participam do governo e reivindicam para
suas opiniões o direito de influenciarem ou f) descentralização: tendência para o
determinarem as ações, o pessoal ou a estrutura de deslocamento de populações e de funções de
governo (Spier). menor poder competitivo (à medida que as
áreas centralizadas atingem o máximo de sua
capacidade funcional) para áreas periféricas:
g) rotinização ou fluidez: é o movimento diário
de ida e volta da população entre o seu local de
34

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

residência e os locais de trabalho, de comércio,


de diversão etc. Planejamento
social
Organização Intervenção do Estado ou do poder público na
organização da sociedade. Exige uma ordem de
social prioridades, de acordo com as necessidades.
Geralmente especifica várias limitações de tempo à
Partindo da constatação de que os membros e os sua realização, da mesma forma que indica métodos
grupos de uma sociedade são unidos por um sistema de execução, inclusive a distribuição de recursos
de relações de obrigação, isto é, por uma série de apropriados. É setorial, diferindo, portanto, da
deveres e direitos (privilégios) recíprocos, aceitos e planificação, que é global.
praticados por eles, a organização social refere-se
aos sistemas de relações de obrigação que existem
entre os grupos que constituem determinada
sociedade. Distingue-se da estrutura social que se
refere à colocação e posição de indivíduos e de
Poder
grupos dentro desse sistema de relações de
Capacidade que um indivíduo ou grupo de
obrigação (Brown e Barnett).
indivíduos tem de provocar a aceitação e o
cumprimento de uma ordem.

Ótimo de Pare to
Conceito econômico que define uma situação em
Povo
que o bem-estar é maximizado no sentido especial
Refere-se a um agrupamento humano com cultura
de que não pode ser melhorar a posição de qualquer
semelhante (língua, religião, tradições) e
indivíduo, exceto a expensas de alguma outra
antepassados comuns; supõe certa homogeneidade e
posição, dada a repartição de renda em qualquer
desenvolvimento de laços espirituais entre si.
rea1ocação de bens ou recursos.

Padrões culturais Preço


O conceito, de acordo com Smith, indicar o valor de
Conjunto e complexos culturais. O conceito de
troca expresso em termos de um denominador
padrão implica maior integração e inter-relação dos
comum: a moeda.
elementos como unidade semi-indpendente, num
todo.
35

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

hipótese de que, na ausência de restrições, a


Preconceito população tende a aumentar a uma taxa geométrica
enquanto houver disponibilidade de alimentos.
Atitude social que surge em condições de conflito
com a finalidade de auxiliar a manutenção do status
ameaçado.
Princípio da
Preferência vantagem
temporal comparativa
O conceito na teoria econômica indica que sob
Conceito econômico, na teoria do capital, que condições de livre comércio, uma região tenderá a
define a preferência por bens presentes sobre os especializar-se na produção dos bens em que tenha
futuros. a maior vantagem comparativa, em termos de custo,
ou a menor desvantagem comparativa

Produção indireta Problema da


Conceito econômico, na teoria do capital, que
define o processo de produzir bens por métodos que
consomem mais tempo, isto é, com o auxílio de
"soma"
bens de capital. O rendimento é maior do que a
produção direta. Conceito econômico, na teoria da repartição, para
expressar a questão de o produto total ser ou não
igual à soma dos produtos marginais.

Pressão Social
Definida como um conjunto das influências que se
Problema de
exerce sobre os indivíduos ou sobre um grupo(s)
com o propósito de se obter certos objetivos . transformação
Conceito econômico que expressa a crítica da teoria
marxista do valor; nesse problema se argumenta que
Princípio da a proposição encontrada no Volume II de O Capital
de que as taxas de lucros (s/(c+v)) são
uniformizadas em oposição à uniformização das
população taxas de mais-valia (s/v) conforme é argumentado
no Volume I; isto abalaria a teoria do valor-
O conceito na teoria econômica (Malthus) indica a trabalho. A solução do próprio Marx para o
36

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

problema de transformação foi que os preços dos


bens individuais podem muito bem se desviar de
seus custos de mão-de-obra para produção, e que os
Oferta conjunta
capitalistas não participariam igualmente da mais-
Conceito econômico, na tradição neoclássica, que
valia. Mas estes desvios se cancelam mutuamente
define uma situação de produção em que dois ou
de modo que em média os preços dos bens devem
mais bens são produzidos simultaneamente (p. ex.,
refletir seu conteúdo de mão-de-obra.
semente e fibra de algodão) de modo que os custos
individuais não são separáveis. Os custos
individuais podem ser identificados apenas se as
proporções forem variáveis.
Procura recíproca
Conceito econômico que expressa a relativa
urgência da procura que os parceiros de comércio
têm pelos bens um do outro. Este conceito foi
Relações de
introduzido por J. S. Mill para explicar de que
modo os benefícios da troca internacional seriam produção
divididos. Diferentemente de Ricardo, Mill não
supôs que fossem igualmente divididos. As atuações do homem sobre a natureza não são
isoladas: na produção e distribuição necessárias ao
consumo, o homem relaciona-se com outros seres
humanos, sob uma forma social historicamente
Produção determinada, originando as relações de produção
concretas dessa época.

"atomística"
O conceito na teoria econômica indica a produção
que não está coordenada com a procura e que tende
Religião
a resultar em excessos de bens.
Constitui um sistema unificado de crenças e
práticas relativas a coisas sagradas, isto é, a coisas
colocadas à parte e proibidas - crenças e práticas
que unem, numa comunidade moral única, todos os
que as adotam (Durkheim).
Proletariado
Conceito econômico, na tradição marxista, que
expressa uma classe "sem propriedade" no sentido Renda econômica
de que possui apenas seu poder de trabalho.
ricardiana
No conceito na teoria econômica (D. Ricardo), essa
renda indica um excedente diferencial que aparece
em terras privilegiadas, por causa de sua maior
37

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

fertilidade ou melhor localização do que "terra sem


renda", que somente produz o suficiente para pagar
a mão-de-obra e o capital nela empregados. Neste
Renegociação
sentido a renda não é um custo de produção, e, por
Conceito (idéia) econômico Walrás que expressa
isso, não é determinante de preço.
revendas hipotéticas de bens como processo para
estabelecer um verdadeiro equilíbrio.

Rendimentos de
escala Revolução
Mudança brusca e profunda na estrutura social ou
Conceito econômico que descreve o comportamento em aspectos importantes dela. Distingue-se da
da função produção em longo prazo quando todos simples mudança sócia pelo seu alcance e
os insumos são variáveis. Se um aumento nos velocidade. Pode ser ou não acompanhada de
insumos, p. ex., x, y, z. aumenta proporcionalmente violência e desorganização temporária. O essencial
a produção de Qa, os rendimentos de escala são na revolução é a mudança brusca e não a violência
chamados de constantes. Isto quer dizer que a que muitas vezes a acompanha.
função produção tem a propriedade da
homogeneidade linear. Se os rendimentos
aumentam mais do que proporcionalmente em
relação aos insumos, os rendimentos de escala são
crescentes. Inversamente, se a produção cresce Sanções
proporcionalmente menos, os rendimentos são
decrescentes. A palavra sanção poderá ter vários sentidos,
conforme seja o contexto em que se utiliza. A seguir
são destacados dois sentidos. Em primeiro lugar, e
de uso mais comum, o conceito aplicar sanções

Rendimentos significa aplicar penalidades por determinadas


condutas que violem disposições legais,
regulamentos, usos ou costumes, ou criar restrições
decrescentes e proibições que cerceiam a liberdade de conduta.
Num segundo sentido, entende-se por sanção
qualquer forma de aprovação de um ato ou forma de
O conceito na teoria econômica indica que para um conduta determinada, ou a aprovação com que se
dado estado das artes (em geral esse estado é ratifica a validez de algum ato, uso ou costume.
definido pela função de produção), além de certo
ponto, a capacidade produtiva da terra aumenta a
uma taxa decrescente. Malthus inferiu, com base
neste princípio, que a oferta de alimentos só pode
ser aumentada a uma taxa aritmética. Setores da
economia
Setor primário: abrange as atividades rurais como
38

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

agricultura, pecuária e indústrias extrativas; setor


secundário: corresponde às atividades industriais,
indústria de transformação; setor terciário: inclui
Socialismo
todos os serviços, comércio, bancos, transportes,
Em sua essência, o socialismo é muito mais um
seguros, educação etc.
conceito econômico que político; baseia-se no
princípio da propriedade pública (coletiva) dos
instrumentos materiais de produção. Diferentemente
do que ocorre em uma economia de mercado, o
Símbolo capital das empresas não é propriedade privada, mas
pertence à coletividade, representada pelo Estado.
Por sua forma e natureza, os símbolos evocam, O socialismo não pressupõe a abolição total da
perpetuam ou substituem, em um determinado propriedade privada, mas somente a dos meios de
contexto, algo abstrato ou ausente. produção (bens de capital), que passam do domínio
público, mantendo-se a propriedade individual dos
bens de consumo e de uso. Por outro lado, no
sistema socialista, inexiste o capital particular,
Sincretismo auferidor de lucros, em função do que é acionada e
impulsionada toda a economia de mercado: o
estímulo que dinamiza a economia deverá ser o
Processo de fusão de elementos ou traços culturais, ideal de progresso, assim como o desejo coletivo de
dando como resultado um traço ou elementos alcançar níveis elevados de bem-estar econômico e
novos. social. As decisões sobre o objeto, o volume e os
preços da produção não são da competência do
administrador de empresa, mas constituem metas
estabelecidas no planejamento governamental.
Sistema Social
Uma pluralidade de indivíduos que desenvolve
interações, segundo normas e significados culturais
compartilhados.
Socialização
Processo pelo qual ao longo da vida a pessoa
humana aprende e interioriza os elementos
socioculturais do seu meio, integrando-os na
Soberania do estrutura de sua personalidade sob a influência de
experiências de agentes sociais significativos,

consumidor adaptando-se assim ao ambiente social em que deve


viver (Rocher).

Conceito econômico para descrever a capacidade e


liberdade de o indivíduo fazer escolhas racionais
entre todos os bens alternativos, de modo que o
ganho marginal tenderá a ser igual ao dispêndio
Sociedade
marginal para cada um dos bens.
Estrutura formada pelos grupos principais, ligados
entre si, considerados como uma unidade e
39

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

participando todos de uma cultura comum (Fichter).


Solidariedade
Sociologia orgânica
A divisão do trabalho, característica das sociedades
Estudo científico das relações sociais, das formas de mais desenvolvidas, gera um novo tipo de
associação, destacando-se os caracteres gerais solidariedade, não mais baseado na semelhança
comuns a todas as classes de fenômenos sociais, entre os componentes (solidariedade mecânica),
fenômenos que se produzem nas relações de grupos mas na complementação de partes diversificadas.
entre seres humanos.
O encontro de interesses complementares cria um
laço social novo, ou seja, um outro tipo de princípio
de solidariedade, com moral própria, e que dá
origem a uma nova organização social -
Solidariedade solidariedade orgânica. Sendo seu fundamento a
diversidade, a solidariedade orgânica implica maior
Condição do grupo que resulta da comunhão de autonomia, com uma consciência individual mais
atitudes e de sentimentos, de modo a constituir o livre.
grupo em apreço uma unidade sólida, capaz de
resistir às forças exteriores e mesmo de tornar-se
ainda mais firme em face de oposição vinda de fora
(Pierson). Status
É o lugar ou posição que a pessoa ocupa na
estrutura social, de acordo com o julgamento
Solidariedade coletivo ou consenso de opinião do grupo. Portanto,
o status é a posição em função de valores sociais
mecânica correntes na sociedade.
Os status podem se apresentar de várias formas,
Característica da fase primitiva da organização algumas delas são sintetizadas na parte que segue:
social que se origina das semelhanças psíquicas e a) Status legal é uma posição caracterizada por
sociais (e, até mesmo, físicas) entre os membros direitos (reivindicações pessoais apoiadas por
individuais. Para a manutenção dessa igualdade, normas) e obrigações (deveres prescritos por
necessária à sobrevivência do grupo, deve a coerção normas), capacidades e incapacidades,
social, baseada na consciência coletiva, ser severa e reconhecidas pública e juridicamente,
repressiva. importantes para a posição e as funções na
O progresso da divisão do trabalho faz com que a sociedade.
sociedade de solidariedade mecânica se transforme. b) Status social: abrange características da
posição que não são determinadas por meios
legais. Portanto, difere do status legal por ser
mais amplo e abarcar outras características de
comportamento social além das estipuladas por
lei. Além de legal e social, os status podem ser
40

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

atribuídos ou adquiridos. terminam.


c) Status atribuído: independe da capacidade do O superorgânico é observado no mundo dos seres
indivíduo; é-lhe atribuído mesmo contra sua humanos em interação e nos produtos dessa
vontade, em virtude de seu nascimento. interação: linguagem, religião, filosofia, ciência,
tecnologia, ética, usos e costumes e outros aspectos
d) Status adquirido: depende do esforço e do
culturais e da organização social.
aperfeiçoamento pessoal. Por mais rígida que
seja a estratificação de uma sociedade e
numerosos os status atribuídos, há sempre
possibilidade de o indivíduo alterar seu status
através de habilidade, conhecimento e
capacidade pessoal. Esta conquista do status
Supra-Estrutura
deriva, portanto, da competição entre pessoas e Divide-se em dois níveis: o primeiro corresponde a
grupos, e constitui vitória sobre os demais. estrutura jurídico-política e é formado pelas normas
e) Status principal, básico ou chave; é o status e leis relativas à sistematização das relações de
mais significativo para a sociedade uma vez que produção já existentes; no segundo nível, a estrutura
as pessoas possuem tantos status quantos forem ideológica (filosofia, arte, religião etc.), justificativa
os grupos de que participam. do real, é formado por um conjunto de idéias de
determinada classe social que, através de sua
f) Status posicional: aparece quando
ideologia, defende seus interesses.
determinados aspectos, tais como família,
educação, ocupação e renda, bem como alguns
índices exteriores, tais como modos de falar,
maneiras de se portar, estilos de vestir,
caracterizam o indivíduo como representante de
determinado grupo ou classe social, sendo
Tabu
portador de certo prestígio. Portanto, o status Designa imposições (principalmente proibições) de
posicional é a posição social atribuída pelos mérito, apresentadas como inquestionáveis, isto é,
valores convencionais correntes na sociedade ao de cuja origem e validade não é lícito indagar.
grupo ou categoria do qual o indivíduo é um Encontra-se na base das religiões ágrafas, nas quais
representante; inexistem esforços de justificação racional. Por
g) status pessoal: é a posição social real vezes, essas imposições coincidem com preceitos,
determinada pelas atitudes e comportamentos conduzindo à ordem social ou a práticas higiênicas,
daqueles entre os quais o indivíduo vive e se mas não se cogita, mesmo nesses casos, de qualquer
movimenta, fazendo com que pessoas, com fundamento de ordem lógica.
idêntico status posicional, tenham, mercê de
suas qualidades particulares, diferentes status
pessoais.
Taxa de juro
Superorgânico "natural"
Conceito econômico, na teoria do capital, que
Abrangido pelas Ciências Sociais, tem seu início define a taxa de juro que corresponde ao rendimento
justamente quando os estudos físicos (inorgânico) e do capital real. As divergências entre esta e a taxa
biológicos (orgânico) do homem e de seu universo
41

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

de mercado (isto é, a taxa bancária) põem em concorrência, todos os fatores tendem a receber uma
movimento um processo de expansão (ou de taxa real de rendimento igual ao valor de seus
contração) que eleva (ou baixa) os preços dos bens e produtos físicos marginais.
dos fatores e, assim, o nível geral de preços. Dessa
forma, o relacionamento entre a taxa real e a
monetária dos juros pode ser inferida no
comportamento do nível geral de preços.
Teoria dos jogos
Conceito econômico, na teoria da concorrência, que

Teorema de Buler diz respeito às estratégias alternativas e suas


recompensas relacionadas ao alcance dos
concorrentes. Se um participante for pessimista
Conceito econômico, na teoria da repartição, sobre a provável contra-estratégia de seu rival, ele
expresso por um teorema matemático que diz tem a probabilidade de escolher uma estratégia
respeito às propriedades de equações linearmente defensiva que resultará em um ganho máximo-
homogêneas. Uma equação é linearmente mínimo (maximin). Em um jogo de soma-zero
homogênea se uma mudança em qualquer das (duas pessoas), se seu oponente for igualmente
variáveis de um de seus lados modificar pessimista, uma estratégia defensiva na realidade
proporcionalmente o outro. Aplicado à função resultará em uma grande recompensa para seu
produção, significa que um dado aumento em todas concorrente.
as produções dos fatores aumentará o produto total
na mesma proporção.

Tecnoestrutura
Teoria Conceito econômico introduzido por Galbraith a
fim de descrever o atual sistema de produção em
Consiste num sistema de proposições ou hipóteses que a moderna tecnologia facilitou uma capacidade
que têm sido constatadas como válidas (ou produtiva tão vasta que o sucesso financeiro das
plausíveis) e sustentáveis. sociedades anônimas exige que elas gerem procuras
de consumidor para seus bens; Galbraith chama este
último caso de "efeito-dependência".

Teoria da
produtividade Tese da
marginal da proporcionalidade
repartição Conceito econômico, na forma de uma tese de
comportamento de consumo, em que os aumentos
de renda estão associados com aumentos
Conceito econômico, na teoria da repartição, para proporcionais em consumo (em longo prazo). Isto
designar a teoria de que em longo prazo e sob contraria o relacionamento implicado por Keynes
42

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

em sua lei psicológica fundamental.


Teoria do
Teoria quantitativa segundo melhor
Conceito econômico mediante o qual se examina a
da moeda possibilidade de incrementar o bem-estar reduzindo
o número de condições não cumpridas para a
Conhecimento metódico e organizado da teoria consecução de um ótimo de Pareto.
econômica que relaciona mudanças no preço em
nível agregado (P; nível geral de preços) a
mudanças na quantidade de moeda (M), supondo-se
que a velocidade (V) e as transações (T), são
magnitudes constantes no curto prazo.
Tese da
estagnação
Teoria do valor do secular
trabalho Conceito econômico de Hansen para defini a
hipótese de que há um enfraquecimento progressivo
na vitalidade das forças de crescimento que derivam
O conceito surgiu com Smith para indicar a hipótese do aumento da população, do progresso tecnológico
de que a taxa à qual um bem pode ser trocado por e da abertura de novas fronteiras.
outro é igual ao valor do esforço de trabalho nele
contido. Uma versão menos rigorosa é que o valor
de troca tende a ser proporcional ao valor do esforço
de trabalho que se acha contido em um bem.
Tipo Ideal
As construções de tipo ideal fazem parte do método
Teorema da tipológico criado por Max Weber que, até certo
ponto, se assemelha ao método comparativo. Ao
comparar fenômenos sociais complexos, o
impossibilidade pesquisador cria tipos ou modelos ideais,
construídos a partir de aspectos essenciais dos
Conceito econômico (Arrow), na teoria hicksiana, fenômenos. A característica principal do tipo ideal é
representado pelo teorema que diz ser impossível não existir na realidade, mas servir de modelo para
construir um sistema de ordenação social em base a análise de casos concretos, realmente existentes.
de escolhas individuais que satisfaçam os requisitos
da regra da maioria e sejam transitivos, isto é,
estejam em consonância com as ordenações
individuais.
43

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Totem Transformações
Animal, planta ou objeto do qual deriva o nome
de um grupo ou clã, e que se constitui supostamente
sociais
em seu ancestral ou está relacionado de maneira
Constituem etapas de mudança social.
sobrenatural com um antepassado. Sobre o totem
Apresentam as seguintes formas:
recai tabu alimentício e se manifestam atitudes
especiais. a) Transformação definida e contínua, isto é, um
processo.
b) Transformação definida e contínua em uma
direção específica que poderá ser:
Totemismo b.1) determinada quantitativamente, com
relação à magnitude: crescimento;
Forma de organização social e prática religiosa
que supõe, de modo típico, uma íntima associação b.2) determinada quantitativamente em relação
entre o grupo ou clã e seu totem. a uma diferenciação estrutural ou funcional:
evolução;
b.3) determinada quantitativamente de acordo
com sua concordância com padrão de valores:
Traços culturais progresso;
b.4) determinada em relação a outro objeto ou
A menor parte ou componente significativo da sistema, segundo sua compatibilidade no seio
cultura. de um processo comum: adaptação.

Tradição Usos
Aspectos culturais, material e espiritual, Normas de conduta coletiva; não são
transmitidos oralmente, de geração a geração, consideradas obrigatórias.
através de hábitos, usos e costumes.

Utilitarismo
Transculturação Sistema de Ética, principalmente associado a
Processo de difusão e infiltração de complexos Bentham e outros filosóficos mais ou menos
ou traços culturais de uma para outra sociedade ou radicais que afirmavam que o ideal do "maior bem
grupo cultural; troca de elementos culturais. para o maior número de pessoas" podia ser
conseguido por providências educativas e punitivas
a fim de promover as espécies de escolhas
individuais que maximizariam a felicidade humana.
44

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Utilidade cardinal Valor


O conceito econômico expressa a mensuração da Consiste em qualquer dado que possua um
satisfação em termos de números cardinais, como, conteúdo empírico acessível aos membros do grupo
p. ex., 1, 2, 3... e uma significação com relação à qual é, ou poderá
ser, objeto de atividade (Thomas).

Utilidade marginal Valor de uso


decrescente O conceito, de acordo com Smith, indica a
capacidade de um bem em proporcionar satisfação.
Conceito econômico que define: a satisfação que
um indivíduo aufere de quantidades adicionais de
um determinado bem diminui à medida que mais
unidades são consumidas em um determinado
período. Valor de troca
O conceito surgiu com Smith para indicar a
qualidade de um bem de ser equivalente a outro
Utilidade ordinal com o qual pode ser trocado. O fato da troca se
baseia em que o bem tem um valor em uso, embora
Smith não reconhecesse este relacionamento.
Conceito econômico, na tradição marshalliana, de
classificação de preferência. A declaração de que
"A" é preferido a "B" (cesta de bens de consumo, p.
ex.) significa que um determinado indivíduo prefere
“A” a “B”, sem que isso implique que a extensão da
preferência seja mensurável.
Vizinhança
Significa contato, interação e intercâmbio entre
pessoas que se conhecem; pode ser definida como
uma área em que os residentes dão-se pessoalmente,
Utopia desenvolvem o hábito de se visitarem, trocam
diversos artigos e serviços e, de modo geral,
desenvolvem certas atividades conjuntas.
Designa o regime social, econômico e político
que, por ser perfeito e ideal, não pode ser
encontrado em nenhum lugar.
45

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

COMTE Augusto DURKHEIM Émile


Filósofo e pensador social francês (Montpellier, Sociólogo francês de origem judaica (Épinal,
1798 – Paris, 1857). Fundou a escola filosófica 1858 – Paris, 1917). Suas teorias e trabalhos
conhecida como positivismo e criou um conceito de contribuíram para o estabelecimento das bases da
ciência social a que deu o nome de sociologia. sociologia moderna. Durkheim discordava da
maioria dos sociólogos do final do séc. XIX, que
consideravam o estudo do indivíduo como a base da
sociologia. Durkheim definia a sociologia como o
estudo dos grupos que envolvem o indivíduo e que
o influenciam. Durkheim expôs suas teorias
sociológicas em seu livro As regras do método
sociológico (1895).
Em A divisão do trabalho (1893), Durkheim
desenvolveu a teoria de que as sociedades são
mantidas coesas devido a duas fontes de unidade. A
essas fontes ele chamava solidariedade mecânica e
solidariedade orgânica. A solidariedade mecânica
decorria de pontos de vista semelhantes
compartilhados pelas pessoas de uma mesma
sociedade, como os valores e as crenças religiosas.
A solidariedade orgânica resultava da divisão do
trabalho em profissões especializadas. Durkheim
acreditava que a divisão do trabalho fazia as pessoas
dependerem umas das outras e, assim, ajudava a dar
Comte procurou descobrir as leis que, segundo ele, unidade a uma sociedade.
governavam a evolução da mente. Em seu livro Durkheim estudou milhares de casos de suicídio
Curso de filosofia positiva (1830-1842), apresentou para demonstrar sua teoria de que a pessoa se
sua "lei dos três estados". Essa lei antecipava a idéia suicida por causa da influência da sociedade. Ele
de que os homens tentavam compreender os expôs essa teoria em Suicídio (1897). Ele estudou
fenômenos de três modos. Comte acreditava que os na Escola Normal Superior de Paris e lecionou
homens procuravam inicialmente uma explicação sociologia na Universidade de Bordeaux e na
teológica, depois uma explicação metafísica e, Sorbonne.
finalmente, uma explicação positiva. A explicação
positiva origina-se do exame objetivo dos próprios
fenômenos. Comte acreditava que os estudiosos
deviam preocupar-se apenas com os fenômenos que FRIEDMAN Milton
tivessem uma existência "positiva", objetiva. Essa Economista judeu norte-americano (Rahway,
crença é a base do positivismo. Nova Jersey, 1912), suas teorias opõem-se às de
Encarava o pensamento social como um todo John Maynard Keynes. Obras principais: Uma
inter-relacionado, cujas leis podiam ser descobertas história monetária dos Estados Unidos (1963, em
pela coleta daquilo que ele considerava os fatos. colaboração com Anna Schwarz); Uma teoria da
Suas idéias influenciaram os estudiosos de teoria função de consumo (1957); Um programa de
histórica e social de criminologia e filósofos como estabilidade monetária (1960); Teoria de preço
Herbert Spencer e John Stuart Mill, que estavam (1962). Prêmio Nobel, 1976.
buscando uma "ciência da sociedade".
46

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

1883, e faleceu em Sussex, em 1946. Teve vida


HAYEK Friedrich August agitada e sua atividade estendeu-se por campos
VON muito variados do saber, da política e da arte. Foi
funcionário público, professor, conferencista,
Economista britânico de origem austríaca assessor do tesouro britânico, diretor do banco da
(Viena, 1899 – Friburgo em Breisgau, 1992). Inglaterra, político, economista, financista, protetor
Estudioso das crises cíclicas, recebeu o prêmio das artes e colecionador de livros raros.
Nobel de 1974. Representou a Inglaterra em: várias reuniões
importantes. Participou ativamente da vida política,
social e econômica de sua época. Mas o que o
tornou conhecido no mundo todo foi sua obra de
economista, principalmente a Teoria geral... que
KEYNES John Maynard representou a ruptura com a teoria econômica
Eonomista e financista britânico (Cambridge, 1883 prevalecente até então
– Firle, Sussex, 1946). Aluno de ª Marshall em Keynes foi fruto da época vitoriana. Para
Cambridge. Foi conselheiro do Tesouro briânico compreende-lo, é preciso compreender sua época.
durante a I Guerra Mundial. Após a Guerra Seu pai, John Neville Keynes, era um professor de
Economia muito preocupado com os problemas de
metodologia científica e de lógica, e íntimo amigo.
de Alfred Marshall. Sua mãe, Florence, era uma das
poucas mulheres da época que possuía um título
universitário e chegou a ser reitora da universidade
de Cambridge.
Keynes estudou Filosofia e Matemática. Chegou
mesmo a apresentar uma dissertação sobre Teoria
das probabilidades, com a qual pretendia ingressar
no mundo acadêmico. Esta dissertação não foi
aceita inicialmente, em Cambridge (1908). Abraça,
então, o estudo da Economia. Pouco depois, a
convite de Marshall e Pigou, torna-se professor de
Economia em Cambridge, mas sem vínculos
formais com a universidade. Sua dissertação é,
então, reapresentada e aceita e ele assume
formalmente a cadeira de Economia. Permanece em
Cambridge até 1915. De 1915 a 1919 trabalha no
Tesouro Britânico, onde já estivera antes. Como
publicou Conseqüências econômicas da paz (1919); membro do Tesouro, representa a Inglaterra na
Autor de um Tratado sobre moeda (1930) e, depois, Conferência de Paz, de Paris. Discorda da posição
a Teoria geral do emprego, do juro e do dinheiro dos aliados que pretendem impor excessivos
(1936), considerada uma das obras mais importantes encargos de guerra à Alemanha. Deixa a
da economia. Esse livro transformou a teoria e a Conferência em protesto e escreve The eeonomie
política econômicas, e ainda hoje serve de base à consequences of lhe peace (dez. 1919) em que
política econômica da maioria dos países não critica a posição aliada. Este pequeno livro torna-o
comunistas. famoso. Alguns anos depois, o livro se mostraria
também profético. Foi a falta de visão dos aliados,
Keynes nasceu em Cambridge (Inglaterra), em na Conferência, que alimentou a revolta alemã,
47

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

criando condições para a subida de Hitler ao poder. Para evitar a depressão, Keynes recomendou
São conhecidas as invectivas deste último ao Dietat que o governo aumentasse seus gastos e que
de Versalhes. O espírito picuinha, vingativo e houvesse maior disponibilidade de dinheiro para
estúpido dos aliados contra a Alemanha lançará a empréstimo a baixas taxas de juro. Tais medidas,
Europa e o mundo na Segunda Guerra Mundial. segundo ele, incentivariam os investimentos,
aumentariam o número de empregos e dariam ao
Keynes fora discípulo de Marshall e aceitava os
consumidor condições de comprar mais. Sua análise
ensinamentos ortodoxos. Alguns de seus melhores
mostrou que é necessário um alto nível de demanda
biógrafos, como Roy Harrod e Moggridge, indicam
para se manter o crescimento econômico e o pleno
o ano de 1925 como o ano de transição que
emprego.
culminará com a Teoria gera...l. Mas a questão é
controversa. Sua grande obra, A treatise on money, Keynes estudou na Universidade de Cambridge.
escrita já em 1930, ainda está longe da visão Trabalhou no Tesouro britânico de 1915 a 1919.
revolucionária da Teoria geral... (1936). Esta última Tornou-se mundialmente famoso depois que
será fruto do esforço de Keynes e de suas discussões publicou As conseqüências econômicas da paz
com um grupo de alunos e colegas privilegiados, (1919). Este livro combatia o pagamento das
com os quais mantinha reuniões e debates indenizações que os Aliados exigiam das potências
freqüentes. Entre estes estavam Austin Robinson, centrais derrotadas — Alemanha, Áustria, Bulgária
Joan Robinson, Richard Kahn, James Meade, Abba e Turquia — e previa o rompimento do tratado de
Lerner, Sraffa e outros. Formavam o chamado Versalhes, acordo de paz que pôs fim à Primeira
"círculo" que passou a reunir-se inicialmente para Guerra Mundial. Durante a década de 1920, época
discutir as idéias expostas por Keynes no Treatise, em que a Inglaterra sofreu grandes dificuldades
já mencionado. econômicas, Keynes escreveu vários livros e
ensaios que criticavam a política econômica do
É defensável a tese de Dudley Dillard, segundo a
governo e estabeleciam as bases para o seu grande
qual Keynes chegou ao rompimento com a doutrina
livro de 1936. Desses trabalhos, os mais importantes
clássica e à elaboração de uma teoria alternativa, ao
são: Tratado sobre a reforma monetária (1923), O
verificar que a política econômica decorrente dos
fim de Laissez Faire (1926) e Tratado sobre o
postulados clássicos não resolvia os problemas
dinheiro (1930).
concretos do desemprego.
Tornou-se conselheiro do governo em 1940, e
Keynes analisou os processos que causam as
diretor do Banco da Inglaterra em 1941. Em 1942
depressões econômicas e estabeleceu uma política
recebeu o título de lorde.
para evitá-las. Foi um dos primeiros economistas a
propor concretamente que o governo tomasse
medidas para conter a depressão. Suas idéias
ajudaram a desprestigiar o laissez faire, teoria
econômica que sustenta que o governo não deve
interferir nas atividades econômicas.
MARX Karl
A base da economia de Keynes é simples: o Filósofo, cientista social e revolucionário
nível da atividade econômica depende do total que alemão (Trier, 1818 –Londres, 1883). Poucos têm
os consumidores, as empresas e o governo gastam exercido no mundo uma influência tão grande e
para adquirir bens e serviços. Quando as empresas duradoura quanto a sua. Marx foi o principal
não estão esperando fazer grandes negócios, idealizador do socialismo e do comunismo
reduzem os investimentos. Isto faz com que revolucionário.
diminua o gasto total da economia. Quando isso
acontece, a economia entra em depressão, e pode
ficar assim por muito tempo.
48

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Em 1841, Marx formou-se em filosofia pela


universidade de Jena. Tentou obter colocação como
professor, mas não conseguiu por causa de sua
oposição ao governo prussiano. Tornou-se jornalista
free-lance e ajudou a criar e dirigir vários jornais
radicais. Após o seu casamento em 1843, ele e sua
mulher mudaram-se para Paris. Lá conheceram
Friedrich Engels, um jovem radical alemão que se
tornou o melhor amigo de Marx e com ele trabalhou
em vários artigos e livros. Após ter vivido em
Bruxelas, na Bélgica, de 1845 a 1848, Marx
retornou à Alemanha e editou o Neue Rheinische
Zeitung, que foi publicado em Colônia durante a
revolução alemã de 1848. Este jornal tornou Marx
conhecido em toda a Alemanha como o porta-voz
da reforma democrática radical.
Após o malogro da revolução de 1848, Marx
fugiu da Prússia e passou o resto de sua vida como
exilado político em Londres.
Foi algumas vezes ignorado ou mal Levou uma vida difícil porque era demasiado
compreendido até mesmo pelos seus seguidores. orgulhoso, ou demasiado profissional como
Contudo, muitas das ciências sociais, especialmente revolucionário, para trabalhar pelo seu sustento.
a sociologia, têm sido influenciadas pelas suas Chegou a escrever artigos ocasionais para jornais e
teorias. Muitos dos cientistas sociais importantes do seu emprego mais regular nesse ramo de atividade
final do séc. XIX e do séc. XX só podem ser foi o de repórter político do New York Tribune.
inteiramente compreendidos quando se percebe a Geralmente, porém, Marx, sua mulher e seus seis
maneira pela qual eles estavam reagindo às idéias filhos somente conseguiam sobreviver porque
de Marx. Engels mandava-lhes dinheiro regularmente. Em
1864, Marx fundou a Associação Internacional dos
Trabalhadores, uma organização destinada a
A Vida de Marx melhorar a vida da classe operária e preparar uma
revolução socialista.
Karl Heinrich Marx nasceu e foi criado em
Marx sofria de freqüentes enfermidades, muitas
Trier, na Prússia, antiga região do norte da
das quais deviam ser de fundo psicológico. Mesmo
Alemanha. Seu pai era advogado. Marx desde cedo
quando se encontrava fisicamente bem, ele passava
se destacou intelectualmente e foi estudar direito na
por longos períodos de apatia e depressão que o
universidade de Bonn em 1835. No ano seguinte,
impediam de trabalhar. Marx era culto e refinado,
transferiu-se para a universidade de Berlim. Nela se
mas muitas vezes mostrava-se obstinado e
tornou muito mais interessado pela filosofia, uma
arrogante. Tinha muitos admiradores, mas poucos
disciplina altamente politizada na Prússia, onde os
amigos. Com exceção de Engels, ele perdeu a
cidadãos não podiam participar diretamente dos
maioria de seus amigos, muitos dos quais se
assuntos públicos. Marx juntou-se a um grupo de
tornaram seus inimigos. Marx rompeu o contato
estudantes e professores esquerdistas radicais, cujas
com sua mãe, e era indiferente para com as irmãs.
idéias filosóficas implicavam uma forte oposição ao
Mas com sua mulher e seus filhos ele era atencioso,
modo severo pelo qual a Prússia era governada.
espirituoso e brincalhão.
49

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Os Escritos de Marx existe apenas como um conjunto de apontamentos


dispersos.
A maioria dos escritos de Marx foi preservada.
Eles abrangem não apenas os seus livros, como Em O capital Marx expôs a sua visão do
também a maior parte de sua correspondência e sistema da livre-empresa. Segundo ele, esse era o
anotações de seus discursos. mais eficiente e dinâmico sistema econômico
inventado. Marx, porém, via nesse sistema defeitos
Ensaios Filosóficos. Alguns dos ensaios que acabariam por destruí-lo através de períodos
filosóficos de Marx foram publicados ainda em cada vez mais graves de inflação e depressão. O
vida, mas outros só foram descobertos no séc. XX. mais grave defeito do sistema da livre-empresa,
Marx escreveu alguns deles sozinho e outros com segundo ele, é que o mesmo acumula cada vez mais
Engels. Os ensaios variam desde um com cerca de riquezas mas torna-se cada vez mais incapaz de
15 frases a outro que forma um livro de 700 empregá-las sabiamente. Conseqüentemente, Marx
páginas, A ideologia alemã (1845-1846), escrito em via a acumulação de riquezas ser acompanhada por
colaboração com Engels. uma rápida propagação da miséria humana.
Marx escreveu seus ensaios entre 1842 e 1847. Outros Escritos. Marx e Engels escreveram
Dentre os principais temas desses ensaios, estão a também o que se pode chamar hoje de colunas sobre
sua visão de que as forças econômicas estavam política. Eles discutiam todo o tipo de fatos e
gradualmente oprimindo os seres humanos e a sua influências nos assuntos nacionais e internacionais
crença de que a ação política é uma parte necessária — personalidades, derrubadas de governos,
da filosofia. Os ensaios revelam também a mudanças ministeriais, debates parlamentares,
influência da filosofia da história desenvolvida pelo guerras e rebeliões dos trabalhadores.
filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel.
Marx escreveu também sobre os problemas
O Manifesto Comunista foi um panfleto práticos relacionados com a liderança de um
escrito em colaboração com Engels às vésperas da movimento revolucionário internacional. A
revolução alemã de 1848. Seu título completo é principal fonte desses comentários é a sua
Manifesto do partido comunista. O manifesto é uma correspondência com Engels e outros amigos.
breve porém vigorosa exposição das teorias
políticas e históricas de seus autores, e também o
único trabalho por eles produzido que pode ser
considerado uma demonstração sistemática das As Teorias de Marx
teorias que ficaram conhecidas como marxismo. O A doutrina de Marx é por vezes chamada de
Manifesto comunista interpreta a história como uma materialismo dialético, sendo que parte da mesma
série de conflitos de classes e prediz que a recebe o nome de materialismo histórico. Esses
burguesia, classe dominante, será derrubada pela termos foram tirados da filosofia da história de
classe operária. O resultado dessa revolução, Hegel. Marx, ao contrário de Engels e da maioria
segundo Marx e Engels, será uma sociedade sem dos marxistas posteriores, jamais os empregava.
classes na qual os principais meios de produção
pertencem à coletividade. Os escritos de Marx abrangem mais de 40 anos.
Seus interesses variavam e ele freqüentemente
O Capital foi a principal obra de Marx, que mudava de opinião. Sua filosofia, porém,
levou cerca de 30 anos escrevendo-a. O primeiro permaneceu surpreendentemente sólida, e bastante
volume surgiu em 1867. Engels trabalhou nos complexa. Com exceção do breve Manifesto
segundo e terceiro volumes, baseados nos comunista, ela jamais expunha suas idéias
manuscritos de Marx. Ambos os volumes foram sistematicamente.
publicados após a morte de Marx. O quarto volume
50

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Produção e Sociedade. A base do marxismo é personalidade, as crenças e as atividades são


a convicção de que o socialismo é inevitável. Marx moldadas por essas instituições. Sabendo
acreditava que o sistema da livre-empresa, ou reconhecer essas forças, dizia ele, as pessoas se
capitalismo, estava condenado, e que o socialismo tornarão capazes de dominá-las através da ação
era a única alternativa que se deparava. revolucionária.
Marx discutiu o capitalismo dentro de uma Marx acreditava que a propriedade privada dos
ampla perspectiva histórica que abrangia a história principais meios de produção era o centro do
da raça humana. Ele acreditava que o indivíduo, e sistema de classes. Para as pessoas se tornarem
não Deus, era o ser mais elevado. As pessoas verdadeiramente livres, afirmava ele, os meios de
transformam-se através de seu próprio trabalho. produção deviam pertencer à comunidade como um
Elas usam sua inteligência e seu talento criativo todo. Com a igualdade econômica e social daí
para dominar o mundo por meio de um processo resultante, todas as pessoas teriam uma
chamado produção. Através da produção, as oportunidade para seguir suas próprias inclinações e
pessoas fabricam os bens de que necessitam para empregar criativamente o seu tempo de lazer.
viver. Os meios de produção abrangem riquezas Desapareceriam, então, as instituições e os
naturais, fábricas, maquinaria e trabalho. costumes injustos. Tudo isso, dizia Marx,
acontecerá quando o proletariado se revoltar contra
O processo de produção, segundo Marx, é um
a burguesia.
esforço coletivo, e não individual. As sociedades
organizadas são os principais agentes criadores da Estratégia Política. Não está bem definida a
história humana e o progresso histórico requer estratégia que Marx teria proposto para alcançar a
sociedades cada vez mais desenvolvidas para o revolução que preconizava. Somente através de seus
processo de produção. Essas sociedades são obtidas discursos, artigos, cartas e atividades políticas pode-
através de um contínuo aperfeiçoamento dos se fazer alguma idéia dessa estratégia. Como guia
métodos de produção e da divisão do trabalho. Com para a prática política o marxismo é vago. Os
a expressão divisão do trabalho Marx queria dizer seguidores de Marx muito têm discutido entre si a
que cada pessoa se especializa numa atividade, respeito de diferentes interpretações e orientações
resultando daí o desenvolvimento de duas classes políticas.
básicas de pessoas: os dominadores e os
trabalhadores. A classe dominante detém a posse
dos meios de produção. A classe operária é formada
pelos não-proprietários, que são explorados pelos Marx nos tempos atuais
proprietários. Atualmente, Marx é estudado tanto como
A Luta de Classes. Marx acreditava que havia revolucionário quanto como economista. Sua
uma tensão em todas as sociedades porque a importância como pioneiro das ciências sociais
organização social jamais acompanhava o torna-se cada vez mais reconhecida. Marx tem sido
desenvolvimento dos meios de produção. Uma muito combatido por ter-se rebelado contra todas as
tensão ainda maior originava-se da divisão da sociedades estabelecidas, por ter sido um escritor
sociedade em classes. arrogante que desprezava seus críticos e por causa
de suas opiniões radicais.
Segundo Marx, toda a história é uma luta entre
a classe dominante e a classe dominada, e todas as Os estudiosos do mundo ocidental custaram a
sociedades têm sido dilaceradas por esse conflito. reconhecer a importância de Marx. Durante muitos
As sociedades do passado tentaram manter sob anos, poucos se deram ao trabalho de estudar seus
controle a classe explorada através de organizações escritos. Atualmente, porém, tornou-se essencial,
políticas elaboradas, leis, costumes, tradições, em vários campos, ter algum conhecimento sobre
ideologias, religiões e rituais. Marx afirma que a Marx. Um desses campos é a economia. Embora
51

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

seus métodos de análise do capitalismo sejam Utilitarismo (1863), A liberdade (1859), A sujeição
considerados por alguns como antiquados, muitos das mulheres (1869) e Autobiografia (1873).
estudiosos reconhecem o brilho de sua análise.
Muitos consideram a sua crítica do capitalismo e a
sua visão das transformações que a humanidade
realizou no mundo tão atuais quanto eram há 100
anos. Até mesmo a análise que Marx fez do ciclo da RICARDO David
atividade comercial é estudada como uma das
muitas explicações para a inflação e a depressão. Principal economista britânico do início do séc.
XIX (Londres, 1772 – Gatcomb Park, 1823). Um
Na sociologia a obra de Marx é encarada com dos primeiros teóricos da economia política
respeito cada vez maior. Sem as suas contribuições, clássica, que enfatizam a liberdade econômica
a sociologia não teria chegado ao grau de através do livre comércio e da livre concorrência,
desenvolvimento que hoje possui. Marx fez um estabeleceu a lei da renda fundiária.
trabalho pioneiro em muitas áreas com as quais lida
a sociologia. Ele escreveu sobre as classes sociais, Em seu livro Princípios de economia política e
sobre o relacionamento entre a economia e o Estado tributação (1817), Ricardo definiu as condições que
e sobre os princípios que formam a base de um deveriam permitir que a economia de um país
sistema político ou econômico. alcançasse seu maior potencial. Acreditava que a
acumulação de capital era a chave para o rápido
Muitos ainda recorrem a Marx em busca de uma crescimento econômico. Argumentava que a
explicação para os males sociais, econômicos e liberdade para que os negociantes obtivessem
políticos que afligem o mundo atual. grandes lucros resultaria em uma rápida acumulação
de capital.
Ricardo considerava o trabalho como a fonte

MILL (John mais importante de riqueza. Mas também pensava


que o crescimento populacional reduziria os salários
a um nível em que dificilmente sustentariam as
Stuart) pessoas. À medida que a economia se expandisse, e
a população continuasse a crescer o preço da terra
aumentaria. Isto reduziria os lucros, a acumulação
filósofo e economista inglês da escola
de capital sofreria uma desaceleração, e o
experimental (Londres, 1806 – Avignon, 1873).
crescimento econômico seria interrompido. Ricardo
Filho de James Mill, tornou-se o líder do
acreditava, porém, que, nessa época, a
movimento utilitarista. John Stuart Mill foi um dos
industrialização já teria se espalhado por todo o
pensadores mais avançados de seu tempo. Procurou
mundo, e o ápice da produção seria uma realidade.
ajudar a classe trabalhadora inglesa através da
promoção de medidas destinadas à melhor divisão As teorias de Ricardo influenciaram outros
dos lucros. Era a favor de um sistema cooperativo economistas. Sua teoria dos custos comparados é
de agricultura e de maiores direitos para as ainda a base da teoria moderna do comércio
mulheres. internacional. Karl Marx foi influenciado pela teoria
do valor do trabalho, de Ricardo, a qual sustentava
Sua grande contribuição à filosofia e sua obra
que o valor de um bem é determinado pela
principal, o Sistema de lógica indutiva e dedutiva
quantidade de trabalho gasta em sua produção.
(1843), equipara-se aos trabalhos de Aristóteles
Henry George desenvolveu a teoria do rendimento,
nesse campo. Mill aplicou princípios econômicos às
de Ricardo, em um estudo detalhado de progresso e
condições sociais em Princípios de economia
pobreza. John Stuart Mill, filósofo e economista
política (1848). Entre suas outras obras incluem-se
52

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

britânico, utilizou a teoria de Ricardo como base é calculado apenas pelo trabalho imediato, mas
para uma filosofia da reforma social. também pelo trabalho mediato. Se uma mercadoria
for produzida pelo emprego de uma máquina e um
David Ricardo fez fortuna na bolsa de valores
trabalhador, entram no cálculo do valor da
com cerca de 20 anos. Foi membro do Parlamento
mercadoria não só o custo em trabalho do
britânico de 1819 até sua morte.
trabalhador (custo imediato), mas também o custo
Idéias importantes do trabalho incorporado à máquina (custo mediato),
Principais idéias da escola clássica: David portanto, considerando o dispêndio de certa
Ricardo quantidade de trabalho na fabricação da máquina.
Dessa forma no preço “da mercadoria está o valor,
O contexto em que se insere o pensamento de D. atrás do valor estão os custos de produção e atrás
Ricardo é indicado na seguinte ilustração: dos custos de produção está o trabalho humano
porque todo custo pode, em última análise, ser
decomposto em sua expressão mais simples que é o
trabalho humano”.
Mercantislista Fisiocrática
Não escapava aos clássicos que a utilidade tinha
certo peso na determinação dos preços. Mas esta
Smith importância era relativa, permitindo que os preços
oscilarem em torno de determinada escala, mas não
explicava o nível do mesmo nessa escala ou
patamar. Por que um carro custa $ 10.000 e um saco
Malthus D. Ricardo de batatas custa $ 20 mesmo quando as proporções
entre oferta e procura para estes dois bens são as
mesmas? O preço não pode ser explicado
unicamente por um elemento subjetivo. A oferta e a
Marshall Marx
procura explicam as oscilações dos preços em torno
de determinado patamar.
Keynes Alguns neoclássicos mais atentos, como, p. ex.,
Marshall, perceberam esse problema e consideraram
os custos de produção como integrantes do valor.
Mas os custos de produção não são o último elo da
A parte que segue sintetiza idéias importantes da corrente. Eles podem ainda ser decompostos em
obra de D. Ricardo, agrupadas em quatro tópicos: trabalho. O trabalho é o elemento mais simples, e
1) Teoria do Valor irredutível a qualquer outro. Na determinação do
preço deve haver um elemento objetivo que só pode
Ricardo voltar-se-á para o problema do valor, ao
ser o trabalho humano.
interpretar a inflação que ocorria na Inglaterra e ao
se envolver em discussões sobre o preço das Ricardo percebeu que sua lei tinha exceções. O
mercadorias. Algumas considerações, nesse sentido, preço de certos objetos raros como, por exemplo,
foram adotadas pelo Banco da Inglaterra e foram obras de arte e vinhos finos não era determinado
criticadas. Ao tentar aprofundar este assunto e pelo seu custo em trabalho. Mas, a exceção não
responder às críticas, Ricardo defronta-se com o invalidava a lei geral. Afirmava ele que o custo em
problema do valor. Para ele, o valor de uma trabalho só explica o valor quando se trata de bens
mercadoria é determinado pela quantidade de que "a indústria humana pode reproduzir de maneira
trabalho (isto é, pelo seu custo em trabalho: teoria praticamente ilimitada". Não devemos esquecer-nos
do valor-trabalho) nela incorporada. Este custo não de que as leis econômicas têm de captar a essência
53

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

dos fenômenos e não a aparência; é certo que É o capitalista que se dedica à produção e para isso
podem existir muitas causas que poderão explicar a aluga a terra do latifundiário e contrata operários
oscilação dos preços e que é impossível relaciona- para cultiva-la.
las, mesmo na era da informática. Entretanto, deve
Na formação da renda (renda é a parte do produto
uma lei que dê coerência e unidade a todo o resto e
que vai para o latifundiário) Ricardo apresenta um
que tenha grande poder explicativo. A teoria do
novo país onde a terra é livre e onde só a melhor
valor-trabalho tem esse papel no modelo ricardiano.
terra é cultivada porque a população ainda não é
Tanto para Ricardo como para Smith, toda suficientemente grande para pressionar os recursos
mercadoria tinha dois preços: o preço natural, naturais.
equivalente ao valor e o preço de mercado que
Nestas circunstâncias não se paga renda. Mas, se a
oscilava em torno do valor, conforme a oferta e a
população aumenta e novas terras menos férteis são
procura.
incorporadas à estrutura produtiva, então o preço do
A teoria do valor-trabalho de Ricardo será bem que é produzido nessa nova terra menos fértil e
retomada e aperfeiçoada por Marx. Os neoclássicos com maior pressão da população, deverá cobrir os
a abandonaram não por ser ela simplista, mas por custos do cultivo; será necessário utilizar mais
trazer problemas para a economia. A preocupação capital e mais trabalho e os custos de produção
de Ricardo, no seu capítulo consagrado ao valor, é sobem ao se cultivar a terra de menor qualidade.
mostrar que os movimentos dos preços dependem
O valor de troca da produção deverá ser regulado
das variações dos produtos e não das flutuações dos
pelo custo de produção nas circunstâncias menos
salários o que é básico para se compreendera teoria
favoráveis. Isto porque a competição intercapitalista
da repartição.
levará os lucros a se equalizarem. Com o
2) Teoria da repartição aparecimento da terra de segunda qualidade, surge a
renda na terra de primeira qualidade.
O problema central da Economia Política, segundo
Ricardo, é explicar as leis que regulam a repartição A renda é a diferença entre o produto obtido pelo
do produto nacional entre as diversas classes emprego de duas quantidades iguais de capital e
sociais, com efeitos no crescimento econômico. trabalho ou, se quiserem, é o saldo que vai para as
mãos dos proprietários das terras mais férteis.
A composição de classes foi considerada por
Ricardo como um fator tão condicionante do A situação, aqui, é a seguinte: o capitalista da terra
crescimento econômico que tal crescimento não mais fértil produz a um custo mais baixo que o da
poderia ser explicado se não se partisse do estudo de terra de inferior qualidade, mas vende seu produto a
como o produto social se distribui entre as classes. um preço que, pelo menos, cobre os custos do
Dessa forma, só poderá elucidar o crescimento cultivo da terra de inferior qualidade.
explicando a repartição do produto entre as várias
Se a população crescer e pressionar por mais
classes. A parte do produto nacional que cabe aos
alimentos, novas glebas de terras de menor
latifundiários depende das diferentes condições em
qualidade serão necessárias, sendo com as terras
que se dá a produção agrícola.
inferiores, que não produzem renda, se estará
Essa parte tende a subir porque, com o crescimento contribuindo para aumentar os benefícios dos
da população, terras cada vez menos férteis terão de latifundiários com as melhores terras, conforme se
ser incorporadas à estrutura de produção: teoria da ilustra com o seguinte gráfico:
renda da terra.
No esquema ricardiano há três classes sociais:
latifundiária, capitalista e operária. Os latifundiários
ou proprietários de terra geralmente não a cultivam.
54

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

salários e o lucro natural, ou seja, aquela


remuneração mínima sem a qual o empresário não
iniciará o negócio. Estes dois componentes não se
comportam da mesma maneira, sendo que o lucra é
renda
um resíduo, depois de ser pago o salário. O salário,
par sua vez, divide-se:
Terras de inferior qualidade

renda
de terceira qualidade

Custo de produção
a) salário natural; é aquele que permite a aquisição
de

renda
de uma cesta mínima de bens que possibilite aos
operários subsistirem sem aumenta nem diminuição;
qualidade
Terras de melhor

segunda

não se trata de subsistência física apenas; esse


qualidade

mínimo depende da grau de civilização da


Terras

Terras

sociedade; por exemplo, se o trabalhador exigir para


gastar com instrução, este tipo de gasto fará parte da
mínima de subsistência; considerado dessa forma o
salário mínimo, Ricardo parte para explicar o
aumento secular da salário real sem abandonar sua
Com terras cada vez menos férteis, tinha-se de definição de que o salário natural é aquele que
aumentar a quantidade de trabalho (e, portanto, os proporciona o mínimo para os operárias
salários) para se colher a mesma quantidade de sobreviverem.
trigo. Acrescente-se a isto que os proprietários de
terra ainda detinham o poder político e, com isto, b) salário de mercado; é aquele determinado pela
impediam a importação de produtos, fato que oferta e procura de trabalhadores; esse salário estará
poderia baratear os salários. em torno do salário natural, mas, poderá ser maior
ou menor, dependendo da oferta e da procura de
O temor dos latifundiários era que, com o fim das trabalhadores. Se a mão-de-abra for abundante, o
guerras napoleônicas, o produto (trigo) chegasse salário tenderá a diminuir; pelo contrário, se for
abundante e barato à Inglaterra, o que prejudicaria escassa, tenderá a aumentar.
seus interesses. Por isso mantiveram a "lei dos
cereais". Com o cultivo de terras cada vez menos férteis,
sobe a preço do produto (trigo); subindo este preço,
A teoria ricardiana da renda da terra nasceu de uma sobe, também, o salário natural e, como efeito,
realidade, do embate político que se travava no diminui o lucro.
momento, e do qual Ricardo foi um dos
protagonistas. Ele percebe o conflito de interesses Com a incorporação de terras inferiores à atividade
entre as classes e toma partido em favor dos agrícola produtiva, surge um saldo que vai para os
capitalistas contra os latifundiários, porque, em sua latifundiários, enquanto que os capitalistas que
teoria, o motor do crescimento econômico é o lucro ocupavam essas terras, não se beneficiam com isto.
(excedente disponível para investimento) que tendia Ao a utilização em terras de inferior qualidade os
a diminuir se o cultivo de terras cada vez menos capitalistas são abrigados a aplicarem mais trabalha
férteis se ampliasse. Essa era a essência da evolução para obter a mesmo produto, o que resulta em queda
econômica (sintetizada, neste glossário, apenas em de seus lucros. Por outro lado, Ricardo aceita a
termos de salários, lucros e investimento) e do teoria da população de Malthus, segundo a qual a
crescimento econômico. população aumenta quando os salários aumentam e
diminui quando os salários diminuem. Dessa forma,
3) Teoria da evolução econômica: Salários, o salário de mercado estará sempre próximo da
lucros e investimentos salário natural (mínimo de subsistência). Isto,
Segundo Ricardo, os componentes do preço mínimo porque, se os salários subirem, a população
(que deve igualar-se aos custos de produção) são os aumentará e haverá excesso de trabalhadores. A
55

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

abundância de trabalhadores provocará queda dos certa quantidade de tecido, na mesma unidade de
salários de mercado; quando os salários estiverem tempo, ocupa 90 homens. Para produzir estas
muito baixos, a situação se inverterá, com redução mesmas quantidades de vinho e tecido, por unidade
da população e escassez de trabalhadores. de tempo, a Inglaterra ocupa 120 e 100 homens
respectivamente. Portugal tem vantagem absoluta
O crescimento econômico só é passível com o
tanto em vinho quanto em tecido, mas tem
investimento, sendo que o investimento é parte do
vantagem relativa em vinho, ou seja, é mais
lucro aplicado na produção. Investir é a função do
eficiente na produção de vinho; ganhará, portanto,
capitalista.
ocupando todos seus homens na produção de vinho
No estado estacionário de Ricardo a economia não e trocando o vinho excedente pelo tecido excedente
cresce nem diminui, embora possa ser afetado da Inglaterra, que ganhará mais se dedicando a
quando forme tomadas certas medidas, tais como a produzir tecidos. Os países devem especializar-se
aplicação de melhores técnicas de cultiva e naquilo que são mais capazes de produzir, mesmo
importação de cereais. Com essas teses coloca-se que um deles seja mais eficiente do que o outro na
um defensor do livre comércio. produção de todos os bens. Este tipo de
4) Teoria das vantagens comparativas argumentação (correta se considerarmos as
economias como estáticas) foi uma poderosa arma
A teoria das vantagens comparativas é um avanço nas mãos dos adeptos do livre-cambismo.
em relação à teoria das vantagens absolutas de
Adam Smith que mostrara que o livre comércio Os estudos de Raul Prebish e da CEPAL, sobre a
seria benéfico para as diversas nações. Se as nações deterioração das relações de troca entre países
se especializarem na produção daquilo para o qual desenvolvidos e subdesenvolvidos, mostraram que a
estão mais aparelhadas e, em seguida, trocarem a argumentação ricardiana continha supostos
produção excedente entre si, todas serão irrealistas. Os fatos levantavam-se contra a
beneficiadas. Trata-se de uma aplicação evidente do argumentação de Ricardo apoiada nas vantagens
princípio da divisão do trabalho que é ampliado relativas. Onde estaria a falha dessa argumentação?
quando Ricardo mostra que mesmo no caso de um No fato de se considerar o mundo econômico de
país ser superior ao outro na produção de dois bens, maneira estática; retornando à analogia: é de todo
ainda assim o comércio entre eles é compensador, evidente que o financista deva dedicar-se totalmente
conforme se infere com a seguinte analogia e à consultoria e deixar as traduções para o tradutor,
raciocínio: seja um tradutor e financista e que o mas este último não precisa permanecer
trabalho na área financeira exija a tradução de eternamente tradutor; se as condições são tais que o
determinadas revistas especializadas; para financista sempre estará lucrando mais que o
simplificar, suponha-se que se gaste, em média, 8 tradutor, este poderá se tornar financista. Uma das
horas para traduzir 20 páginas, com um $ 10 (dez forças que impede esta transformação é a
unidades monetárias); e que ganhe $ 20 por 8 horas argumentação ideológica. É ela que lança mão dos
de consultoria financeira; é evidente que você argumentos ricardianos sobre livre comércio para
preferirá dedicar-se totalmente à consultoria e justificar a atual divisão internacional do trabalho.
contratar o indivíduo B para fazer as traduções,
mesmo que este tradutor seja menos eficiente do
que você. Você é mais eficiente que B em finanças
e em tradução, mas em termos monetários é mais
eficiente em finanças do que em tradução.
Ricardo apresenta um exemplo análogo. Para
produzir certa quantidade de vinho, por unidade de
tempo, Portugal ocupa 80 homens e para produzir
56

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

SMITH Adam que resulta em harmonia social. Smith afirmou que


tudo isso aconteceria sem qualquer controle ou
Eonomista francês (Kirkcaldy, 1723 – Edimburgo, direção consciente, "como se dirigido por uma
1790). Geralmente é considerado o fundador da vontade invisível".
economia moderna.
Admitia que o trabalho, não a propriedade ou o
dinheiro, era tanto a fonte quanto a medida final do
valor. Afirmou que os salários dependiam das
necessidades básicas dos trabalhadores, e que a
renda dependia da produtividade da terra. Os lucros,
afirmava ele, era a diferença entre o preço de venda
e o custo do trabalho e da renda. Smith afirmava
que os lucros seriam usados para expandir a
produção. Tal expansão, por sua vez, criaria mais
empregos, e a renda nacional cresceria.
Pensava que a livre-empresa e uma economia
autoreguladora resultariam em progresso social.
Criticou as tarifas e outras limitações sobre a
liberdade individual no comércio, adotadas pelo
governo britânico. Defendeu a idéia de que o
governo precisava apenas preservar a lei e a ordem,
reforçar a justiça, defender a nação e proporcionar
algumas poucas medidas sociais que não poderiam
ser obtidas através do mercado. A tese de uma
política governamental de não-interferência com
Sua principal obra é A riqueza das nações relação aos negócios e a sua análise de forças
(título completo: Investigação sobre a natureza e as econômicas lançaram as idéias básicas do
causas da riqueza das nações). Publicado em 1776, liberalismo econômico.
foi o primeiro livro completo sobre economia Smith estudou na universidade de Glasgow e
política. Coloca em questão a relação entre em Oxford. Em 1751, tornou-se professor em
liberdade e ordem, analisando os processos Glasgow. Escreveu, então, A teoria do sentimento
econômicos e atacando as limitações do sistema moral (1759). Esta obra filosófica lhe granjeou uma
mercantil britânico sobre a livre-empresa. Esses três posição de tutor do jovem duque de Buccleuch, em
aspectos estão intimamente ligados, criando uma 1764. Este posto levou Adam Smith a viajar para a
teoria social unificada. França, onde começou a escrever A riqueza das
O livro trata do problema básico de como a nações. Quando retornou à Inglaterra em 1766, o
ordem social e o progresso humano podem tornar-se padrasto do duque assegurou-lhe uma renda regular
possíveis em uma sociedade na qual os indivíduos anual, que lhe permitiu aposentar-se do cargo de
seguem seus próprios interesses particulares. Smith professor e devotar-se apenas a escrever nos dez
argumentava que o individualismo levava à ordem e anos seguintes. A riqueza das nações teve cinco
ao progresso. Para produzir dinheiro, as pessoas edições ainda durante a vida de Smith. Teve,
realizam coisas que outras pessoas querem comprar. contudo, pouca influência na política econômica até
Os compradores gastam dinheiro naquelas coisas de o começo do séc. XIX.
que necessitam ou que mais desejam. Quando os Principais idéias
compradores e os vendedores se encontram no
mercado, desenvolve-se um padrão de produção, A. Smith preocupa-se com três problemas básicos:
57

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

a) Que fatores são responsáveis pela riqueza das sua vez, a maior parte também constitui
nações e como se dá o crescimento econômico provavelmente um ofício especial. Um operário
nelas? desenrola o arame, um outro o endireita, um
terceiro o corta, um quarto faz as pontas, um quinto
b) Que fatores impedem o desmoronamento da o afia nas pontas para a colocação da cabeça do
sociedade (que mantêm a sua coesão social) que alfinete (...). Assim, a importante atividade de
é composta, em parte, por pessoas egoístas que fabricar um alfinete está dividida em
se orientam e buscamos seus próprios aproximadamente 18 operações distintas, as quais,
interesses? em algumas manufaturas, são executadas por
pessoas diferentes, ao passo que, em outras, o
c) Para onde caminha e/ou em que direção se mesmo operário às vezes executa 2 ou 3 delas. Vi
orienta a sociedade? uma pequena manufatura desse tipo, com apenas
10 empregados, e na qual alguns desses
Em essência, a causa da riqueza das nações é o executavam 2 ou 3 operações diferentes. Mas,
trabalho humano que pode gerar um produto anual embora não fossem muito hábeis... conseguiam,
maior ou menor, dependendo de dois fatores; esses quando se esforçavam, fabricar em tomo de 12
fatores são: a divisão do trabalho como sendo um libras de alfinetes por dia. Ora, 1 libra contém mais
fator decisivo com o qual dá início a sua obra A de 4 mil alfinetes de tamanho médio. Por
riqueza das nações e a proporção ou relação de conseguinte, essas 10 pessoas conseguiam produzir
trabalhadores produtivos trabalhadores aos entre elas mais do que 48 mil alfinetes por dia.
improdutivos. Assim, já que cada pessoa conseguia fazer um
décimo de 48 mil alfinetes por dia, pode-se
Para Smith a divisão do trabalho resulta da considerar que cada uma produzia 4.800 alfinetes
tendência inata do homem para a troca e traz diariamente. Se, porém, tivessem trabalhado
consigo uma série de conseqüências positivas, como independentemente uma da outra, e sem que
são: nenhuma delas tivesse sido treinada para esse ramo
de atividade, certamente cada uma não teria
a) aumento da destreza pessoal; conseguido fabricar 20 alfinetes por dia”.
b) economia de tempo A citação coloca em evidência o significativo
c) condições mais favoráveis para que os aumento da produtividade resultante da divisão do
trabalhadores inventem ou aperfeiçoem trabalho. E quem determina a divisão do trabalho?
máquinas e instrumentos que lhes poupem Segundo Smith, ela decorre de nossa tendência inata
esforço. para a troca. Em outras palavras, é condicionada
pela extensão dos mercados. A linha de raciocínio
Ao tentar ilustrar sua tese, ele recorre a um exemplo de Smith é lógica. A produtividade decorre da
que se tornou clássico na literatura econômica, a divisão do trabalho, esta decorre de nossas
fabricação de alfinetes. tendências inatas para a troca, e esta por sua vez, é
“Tomemos, pois, um exemplo tirado de uma estimulada pela ampliação dos mercados. Portanto,
manufatura muito pequena, mas na qual a divisão é preciso ampliar mercados para aumentar a
do trabalho muitas vezes tem sido notada: a produtividade e a riqueza.
fabricação de alfinetes. Um operário não treinado
para essa atividade, nem familiarizado com as
Na obra A riqueza das nações, cap. 3 do Livro 11,
máquinas ali empregadas... dificilmente poderia Smith aborda o tema da acumulação de capital e
fabricar talvez um único alfinete, em um dia, mostra como essa acumulação aumenta as forças
empenhando o máximo de trabalho; de qualquer produtivas da nação. A acumulação decorre da
forma, certamente não conseguirá fabricar vinte. poupança. Daí seu elogio da parcimônia e da
Entretanto, da forma como essa atividade é hoje frugalidade. Este enfoque, mais tarde, será tratado
[na época] executada, não somente o trabalho todo por Keynes, conforme se sintetiza neste glossário
constitui uma indústria específica, mas ele está para o curso Iniciação às ciências sociais.
dividido em uma série de setores, dos quais, por
58

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Com relação a segunda pergunta, Smith entra em Dessa forma, qual deveria ser, o papel do Estado
considerações sobre as leis do mercado e a teoria da para Smith? O Estado deveria:
mão invisível. Todo ser humano é levado a agir pelo
a) proteger a sociedade contra os ataques externos;
desejo de uma recompensa, sendo que esse impulso
é inato. Inscreve-se na natureza da pessoa, conforme b) estabelecer a justiça e os mecanismos de sua
citação: "Não é da bondade do açougueiro ou do aplicação;
padeiro que podemos esperar nosso jantar, mas de c) manter obras e instituições necessárias à
seu interesse. Nós nos dirigimos não a seu espírito sociedades, mas obras não lucrativas e que, por isso,
humanitário mas ao seu interesse e nunca lhes não seriam empreendidas pela iniciativa privada.
falamos de nossas necessidades e sim de suas
vantagens." Ao Estado caberia ainda o controle de emissão de
papel-moeda (fora das mãos dos banqueiros), o
Os homens, ao seguirem seus impulsos egoístas, controle da taxa de juros, em determinados casos, e
interagem uns com os outros. Assim, a busca do até mesmo a proteção da indústria nacional
próprio interesse "leva ao mais inesperado dos essencial à defesa do país. Uma não-intervenção do
resultados: a harmonia social". Esta harmonia foi Estado na economia não era a tese de Smith: uma
provocada pelo confronto das pessoas no mercado, não-intervenção do Estado nas leis do mercado, em
ou seja, pela competição. Dessa forma, o choque lugar de não-intervenção do Estado na economia.
entre egoísmo e competição leva ao melhor dos
mundos. Não se deve intervir nas leis do mercado: A terceira questão proposta para indagação de
deixada a si mesma, a economia caminha para o Smith é uma decorrência da anterior e do papel que
melhor dos resultados, conduzida por uma espécie ele atribui à acumulação de capital, resultante do
de mão invisível. Esta é a essência do que ficou aumento de produtividade, provocado pela divisão
conhecido como liberalismo econômico. E é uma do trabalho. Embora não fosse boa a situação do
conseqüência do suposto de Smith (e dos clássicos operariado na época, ele via, com a tranqüila certeza
em geral) de que a economia é uma ciência regida dos que acreditam no determinismo das leis que a
por leis naturais, universais e eternas, tal como a riqueza se poderia crescer e com ela se estaria
física newtoniana. beneficiando a todos o que era uma visão otimista.
A posição de Smith de não-intervenção do Estado
nas leis do mercado foi, em grande parte,
responsável pelo sucesso de sua obra. Naquela
época, a Inglaterra entrava numa nova era e as
regulamentações, decretos e demais intervenções
WEBER Max
governamentais impediam a livre movimentação do Sociólogo e economista alemão (Erfurt, 1864 –
capital e do trabalho, requerida pelos novos Munique, 1920). Auxiliou, com suas teorias, a
empresários. Smith não era tão benevolente para estabelecer as bases da sociologia moderna. Weber
com os empresários como aparece em algumas considerou a burocracia o aspecto mais importante
obras e críticos. Seu senso de observação o levou a da sociedade moderna. A burocracia é um método
verificar que os empresários raramente se reuniam de administração baseado na especialização de
para tratar de seus assuntos, mas quando o faziam tarefas, na ação de acordo com as regras e em uma
era para tramar algo contra o interesse dos ordem estável de autoridade. Weber também
consumidores ou para elevarem os preços. Apesar desenvolveu o método do tipo ideal, para estudar a
desse registro, sua obra dá argumentos para a defesa sociedade. Esse método observa os elementos
da burguesia nascente, que combatia com todos os básicos das instituições sociais e como estas se
meios as regulamentações e os monopólios relacionam entre si.
comerciais nascidos da legislação mercantilista.
59

Material de consulta para subsidiar o


Estudo das ciências sociais

Em A ética protestante e o espírito do


capitalismo (1904-1905) Weber desenvolveu a
teoria de que a doutrina calvinista criou a
mentalidade capitalista.
Estudou nas universidades de Berlim, Göttingen
e Heidelberg. Outras obras importantes de sua
autoria são Economia e sociedade (1922) e Sobre
sociologia e política social (1924).

Você também pode gostar