Você está na página 1de 6

(23ª AULA) "Dinâmica do Espelho"

Objetivo: Despertar para a valorização de si. Encontrar-se consigo e com seus valores.
Participantes: 10 a 20 pessoas
Tempo Estimado: 30 minutos
Material: Um espelho escondido dentro de uma caixa, de modo que ao abri-la o integrante veja seu próprio reflexo.
Descrição: O coordenador motiva o grupo: "Cada um pense em alguém que lhe seja de grande significado. Uma pessoa muito
importante para você, a quem gostaria de dedicar a maior atenção em todos os momentos, alguém que você ama de verdade...
com quem estabeleceu íntima comunhão... que merece todo seu cuidado, com quem está sintonizado permanentemente... Entre
em contato com esta pessoa, com os motivos que a tornam tão amada por você, que fazem dela o grande sentido da sua vida..."
Deve ser criado um ambiente que propicie momentos individuais de reflexão, inclusive com o auxílio de alguma música de
meditação. Após estes momentos de reflexão, o coordenador deve continuar:
Em seguida, o coordenador orienta para que os integrantes se dirijam ao local onde está a caixa (um por vez). Todos devem olhar
o conteúdo e voltar silenciosamente para seu lugar, continuando a reflexão sem se comunicar com os demais. Finalmente é
aberto o debate para que todos partilhem seus sentimentos, suas reflexões e conclusões sobre esta pessoa tão especial. É
importante debater sobre os objetivos da dinâmica.

(24ª AULA) "Superando a dor e o medo "


MÚSICA O SOL – JOTA QUEST
* Se possível ter texto em mãos para todos os alunos e refletir a partir do clipe (vídeo)
1. Escutar a música e destacar partes importantes:
a) O que gostamos de ouvir? b) O que temos dificuldade de ouvir? c) Quem é o sol na nossa vida? d) Para onde
vamos?
Reflita sobre:
b) A quem você escuta? c) O que você quer? d) Quais são seus medos? e) O que lhe dá segurança?
f) Quais são seus sonhos? g) Quem lhe importa? h) Para onde você vai? i) Quem vai com você?
Entendendo a canção:
01 – Qual a reação do eu lírico perante a vivência da dor e do medo nesta canção? Ele rejeita os espaços que lhe provocam
essas sensações e parte em busca da felicidade e da paz.
02 – O que nos mostra a letra da canção? Ela nos mostra que por mais que a escuridão da noite nos traga medos ocultos, a luz
do amanhecer sempre afasta tudo que há de ruim nos mostrando a beleza da vida ... com o sorriso do sol.
03 – O que representa pode representar o sol? Representa Deus que é vida, alegria, paz e felicidade.
04 – Medo e dor. Qual a relação? Ambos envolvem o estado emocional, a sensação de sofrimento, seja perante um eventual
perigo, uma lesão ou uma mágoa ou pesar.
05 – Como o sol pode ser “O Amigo” do eu lírico? Dando-lhe esperança, ouvindo seus problemas.
06 – O eu lírico personifica o medo e a dor? Explique. Sim, ele faz um chamamento ao medo e a dor quando diz: “Ei, dor! Ei,
medo! como se fosse uma pessoa dizendo: “Eu não te escuto mais.”
07 – Por que o medo e a dor. “Não leva a nada”? Porque o medo é um estado emocional e a dor é uma sensação de sofrimento,
ambos não duram para sempre.
08 – O eu lírico coloca o foco central da canção em quê? Ele critica fortemente a passividade, ou seja, devemos enfrentar nossas
angústias e dificuldades com iniciativa e com vontade de resolver os problemas.
Conclusão: Apresentar o vídeo com a legenda da música Tocando em frente de Almir Sater

(25ª AULA) "Flores que superam a mágoa"


DINÂMICA: FRAGILIDADE DA FLOR
Material: folhas de sulfites ou papéis coloridos finos
Objetivo: Falar de sentimentos, de amizade, da importância de cooperar e se ajudar. Podemos conversar sobre o planeta, o meio
ambiente amassado e desprotegido da ação do bicho homem. Qual “flor” você poderia dar a esse planeta? O que fazer para que
ele não seja mais tão destruído? Como agir e como não agir? Como retirar coisas boas de um ambiente degradado? Sendo
sensíveis e respeitando as diferenças entre as turmas, pode-se adaptar as dinâmicas para outros objetivos. Trabalhar o auto
conhecimento na adolescência - educação sexual. Na hora de trocar as flores, cada aluno tinha que falar o que mais gostava em
si mesmo e o que não gostava. Leva-se mais tempo assim.

Procedimento: Leve a sua turma para um lugar com bastante espaço - a quadra ou o pátio - faça uma roda enorme com a turma
toda. Distribua uma folha para cada aluno, certifique-se que não tem folhas de uma só cor. Peça para os alunos segurarem a folha
no comprido bem na pontinha, de modo que ela balance. Diga para balançarem e tirarem “música da folha”. Deixe-os tentarem.
Depois, fale para que os alunos amassem a sua folha, bem amassadinha. Peça, então, para desdobrar a folha. Deixe-os falar:
“Puxa, primeiro amassa e depois desamassa!” “Que pena, a minha folha estava tão linda!”
Agora, volte a pedir que tirem música da folha. Eles certamente não conseguirão. Fale como é ruim depois dos sentimentos
amassados, você retirar coisas boas, como música. Mas sempre há um jeito de arrumar isso. Fale para cada aluno fazer um
“copinho” com uma das mãos. E vá pedindo para que devagar coloque a folha no copinho pelo meio, até arrumar a flor. Introduza
a sua folha na mão do copo pelo centro com a ajuda da outra mão até que fiquem as partes de fora da folha, com se fossem as
pétalas. Enrole o cabinho que está “dentro do copo / mão” e mostre a turma como se faz. Depois, faça a turma trocar de flores.
Dar para alguém que você magoou, dar para alguém que você quer conhecer melhor, dar para um amigo. Fale que todos devem
trocar de flores.

(26ª AULA) "Os rótulos das pessoas"


"Dinâmicas dos rótulos”
Faixa etária: acima de 10 anos
Objetivo: Estimular e desenvolver a empatia e a aproximação interpessoal.
Participantes: 05 a 07
Preparação: O educador deve confeccionar um conjunto de etiquetas para cada aluno. Essas etiquetas devem conter, com letras
bem visíveis, as palavras: SOU SURDO (A) - GRITE / SOU PODEROSO(A) - RESPEITE / SOU ENGRAÇADO(A) - RIA / SOU
SÁBIO(A) - ADMIRE / SOU PREPOTENTE - TENHA MEDO / SOU ANTIPÁTICO(A) - EVITE / SOU TÍMIDO(A) - AJUDE.

Desenvolvimento: Sem que cada aluno veja o que está escrito, o professor deve colar na testa de cada aluno uma das etiquetas
e sugerir que, durante 04 (quatro) ou 05 (cinco) minutos, discutam um tema polêmico qualquer, proposto pelo educador. Avise
que, a etiqueta (rótulo) e o conteúdo da mesma deve ser levado em conta nas discussões, sem que seu possuidor, entretanto,
saiba o significado.Com os rótulos nas testas, os alunos iniciam a discussão que torna-se naturalmente inviável. Ao final do tempo,
solicitar que os alunos exponham suas conclusões que é, entretanto, impossível. Após essa tentativa, os alunos devem retirar a
etiqueta e debater as dificuldades que os muitos rótulos que recebemos impõem as relações mais profundas. A estratégia permite
aprofundar os problemas de comunicação e relacionamento impostos pelos estereótipos e pelos preconceitos.

Dica: Antes que cada aluno retire sua etiqueta da testa, o educador pode perguntar a ele se sabe qual o rótulo que carrega".

(27ª AULA) "Ame sua família, ame seus pais"


Reflexão: Uma flor rara
- Ler o texto abaixo.
- Questionar sobre a família
- Fazer origami de uma flor ou em EVA e sugerir que a entregue a alguém da família dizendo o quanto ela é importante.
Havia uma jovem muito rica, que tinha tudo: um marido maravilhoso, filhos perfeitos, um emprego que lhe pagava
muitíssimo bem, uma família unida. O estranho é que ela não conseguia conciliar tudo isso, o trabalho e os afazeres lhe
ocupavam todo o tempo e a sua vida estava deficitária em algumas áreas. Se o trabalho lhe consumia muito tempo, ela tirava dos
filhos, se surgiam problemas, ela deixava de lado o marido... E assim, as pessoas que ela amava eram sempre deixadas para
depois. Até que um dia, seu pai, um homem muito sábio, lhe deu um presente: uma flor muito cara e raríssima, da qual havia um
apenas exemplar em todo o mundo. E disse a ela:
- Filha, esta flor vai te ajudar muito mais do que você imagina! Você terá apenas que regá-la e podá-la de vez em quando,
ás vezes conversar um pouquinho com ela, e ela te dará em troca esse perfume maravilhoso e essas lindas flores.
A jovem ficou muito emocionada, afinal a flor era de uma beleza sem igual. Mas o tempo foi passando, os problemas
surgiam, o trabalho consumia todo o seu tempo, e a sua vida, que continuava confusa, não lhe permitia cuidar da flor. Ela chegava
em casa, olhava a flor e as flores ainda estavam, lá, não mostravam sinal de fraqueza ou morte, apenas estavam lá, lindas,
perfumadas. Então ela passava direto. Até que um dia, sem mais nem menos, a flor morreu. Ela chegou em casa e levou um
susto! Estava completamente morta, suas raízes estavam ressecadas, suas flores caídas e suas folhas amarelas. A jovem chorou
muito, e contou a seu pai o que havia acontecido. Seu pai então respondeu:
- Eu já imaginava que isso aconteceria, e eu não posso te dar outra flor, porque não existe outra igual a essa, ela era
única, assim como seus filhos, seu marido e sua família. Todos são bênçãos que o Senhor te deu, mas você tem que aprender a
regá-los, podá-los e dar atenção a eles, pois assim como a flor, os sentimentos também morrem. Você se acostumou a ver a flor
sempre lá, sempre florida, sempre perfumada, e se esqueceu de cuidar dela. Cuide das pessoas que você ama!

Para pensar: E você? Tem cuidado das bênçãos que tem recebido? Das coisas boas que lhe acontece? Da sua família? Dos
seus amigos? Dos seus professores? Dos seus avós?
Lembre-se da flor, pois como elas são bênçãos, mas nós é que temos que cuidar delas.
Conclusão: Termine a aula passando o vídeo: Ame sua família, ame seus pais!!!
(28ª AULA) "NÃO VIVEMOS SOZINHOS"

Nenhuma criatura sobrevive sozinha, pois ninguém se basta a si mesmo. Nascemos e crescemos em uma pequena
comunidade, que é a família. De outra forma, não sobreviveremos. Aos poucos vamos ampliando os nossos espaços, participando
de outras comunidades e aumentando o nosso círculo de relacionamentos e amizades.
Precisamos dialogar, trocar ideias, dar e receber carinho, conviver com os outros seres humanos como nós. Isso é
necessário para uma vida saudável.
A verdade é que precisamos uns dos outros, em todos os sentidos. Você já parou para pensar no trabalho que inúmeras
pessoas realizam para o nosso bem estar?
Para que possamos descansar, recostar o corpo numa cadeira, ou mesmo deitar numa cama, ou ouvir uma música,
muitos tiveram de gastar horas e horas trabalhando...
Devemos valorizar o trabalho e a dedicação de todos, pois sem eles as coisas seriam complicadas, às vezes até
impossíveis.
Analisando tudo isso, podemos perceber que as criaturas dependem umas das outras. De que adianta “empinar o nariz” e
julgar-se autossuficiente, dar-se ares de que não precisa de ninguém? Nessa cadeia de inter-relações, ninguém é maior ou menor
do que o outro. Todos são muito importantes, necessários, e, portanto, devem executar a sua função da melhor maneira possível.
(Tongu, Maia Izabel de Oliveira. Alegria de Viver, Vol. 6 – Editora Moderna, 1997)

ATIVIDADE DE APROFUNDAMENTO
1) Responda as seguintes questões:
a) Você já se sentiu sozinho? Quando?
b) O que você pode fazer quando percebe alguém sozinho?
c) Você vive com sua família? Como ela é constituída?
d) O que você entende por trabalho a partir do texto?
e) Fale um pouco sobre um artista famoso que você admira e diga o que mais lhe chama a atenção na vida dele.

Reflita sobre a afirmação: “Homem algum é uma ilha”.

(29ª AULA) "AMAR AO PRÓXIMO? COMO?"


Objetivo – Mostrar aos educando, o valor do amor a si mesmo e, acima de tudo, o amor ao próximo no relacionamento que temos
na Escola, na nossa comunidade e na nossa família.
Você sabe quem é o seu próximo e porque deve amá-lo? Muitas pessoas não sabem como é importante amar o próximo.
Pensam apenas em si mesmas, vivem em torno dos seus próprios egos.
O que é o amor? O dicionário define amor como sendo: “Sentimento que impulsiona as pessoas para que o que se lhes
parece belo, digno ou grandioso”. Mas, não é só isso. Amar significa renunciar ao egoísmo. Só amamos de verdade quando
pensamos primeiro no próximo em detrimento de nossa própria vontade.
A quem devemos amar?
Se o amor pressupõe ação, a quem devemos amar e como podemos demonstrar esse amor?

Conclusão: Termine a aula passando o vídeo: Não desperdice seu tempo!!!

(30ª AULA) "Analisando Você"

OBJETIVO – através de questionamentos, fazer uma reflexão com os alunos sobre o medo, ódio, ciúme, inveja, fingimento,
inconstância.

1. VOCE TEM MEDO?


Da morte, de ser pobre, de ser rico, de ser traído, de ser fraco, de ser
feio, de ser tímido, de ficar doente, de ficar sozinho, da vida, de ter inimigos, de cobra, de escuro, de defunto, de que se torne
público algum segredo seu, de mulher muito avançada, de cirurgia, de anestesia, de envelhecer, de andar de avião, de água, de
rio, do mar, de ficar inválido, de altura, de ficar impotente,de perder alguém da família, de ser mal interpretado, de magoar os
outros, de ser prejudicado, de cemitério, de amar, de separação conjugal, do futuro, de não ser amado, de policia, do fogo, de
engordar, de passar fome, de não ser querido, de não ser aceito, de ficar solteiro, de ser abandonado, de brigas, de temporal, de
fazer dívidas, de animais, de chuva, de fantasmas, de ver sangue, da noite, do entardecer, do dentista, de certas cores, da faca,
de revólver, de multidão, de ficar com pessoas doentes, de não andar mais, de dormir, de relâmpagos, de ficar invalido surdo,
cego...etc.
2. VOCÊ TEM ÓDIO....
Por estar estudando, quando quer fazer alguma coisa e não dá certo ou não dá tempo, de trabalhar muito e ganhar pouco, de
deixar tudo limpo e alguém bagunçar e sujar tudo, de querer comprar as coisas e não ter dinheiro, de morar em casa dos outros,
de marcar um compromisso e a pessoa não ir, quando sente que as pessoas estão falando de você, de não ser inteligente, por
ter sido traído (a) por não admitir que perdeu a razão, por não ser competente, de pessoas falsas, de políticos, por não ter
percebido que te enganaram, da idade, do mundo, da família, de pessoas intrometidas, de tirar fotografia, porque não sai de casa,
da cidade onde mora, da cidade onde nasceu, da profissão que tem, de ser pobre, de ficar em filas, por não ter conseguido atingir
um objetivo, por ter sido roubado, por ter perdido tudo o que tinha, da casa onde mora, de crianças.
3. VOCÊ TEM CIUMES ...
Dos amigos, dos pertences pessoais, das pessoas que amam, do papai, da mamãe, do irmão (a), do vizinho, do amigo (a) , do
carro, do seu material, da casa, das plantas, da bicicleta, de sua bolsa, dos livros, das ferramentas, do seus brinquedos...
4. VOCE TEM INVEJA...
De quem tem liberdade de fazer o que quer, de pessoas versáteis, de pessoas que sabem cantar, dos que têm estabilidade
financeira, de quem sabe viver, de quem é inteligente, de quem dirige veículos, de quem tem carro, de quem tem casa própria, de
quem é bonito, de quem fala bem diante das pessoas, de quem tem liberdade para falar e agir, das pessoas que estudaram, de
quem tem poder, de pessoas simples e felizes, de pessoas equilibradas e seguras, de quem tem liderança, de pessoas que têm
muitos amigos (as), de pessoas que são muito amadas, de pessoas altas, de pessoas magras, de pessoas que crescem na vida,
de pessoas capacitadas, de pessoas que sabem dançar, de pessoas que podem descansar, de pessoas que têm o carinho e o
amor dos filhos, de pessoas que vão além de você, de pessoas fortes...
5. VOCÊ É FINGIDO...
No amor, quando diz que está sentindo dor, quando recebe visitas desagradáveis, quando você aceita idéias só para não
desagradar a pessoa, por conveniência, na fé, no trabalho, com os irmãos, com os pais, com os tios, com os avós, nos
sentimentos, para conseguir algo, para fazer negócios, para se sentir superior aos outros, quando está nervoso, para com você
mesmo, para satisfazer um desejo, quando está triste, com o patrão, com o professor, com o seu amiguinho (a), com os seus
subordinados.
6. VOCÊ É INCONSTANTE...
De temperamento, na vida, com as amizades, no desejo das coisas, no humor, em querer bem, nas convicções, emocionalmente,
nas decisões, nos sentimentos, na doação de si mesmo, nas ideias, no amor, no trabalho, na fé, nas responsabilidades, nas
atitudes, para conversar, nos desejos, nas reações nervosas, nos estudos, na maneira de se expressar...

Conclusão: Termine a aula passando o vídeo: Comportamento na adolescência!

(31ª AULA) "Viver a vida como se não houvesse amanhã"

[...] Viver e não ter vergonha de ser feliz,


Cantar, e cantar, e cantar
A beleza de ser um eterno aprendiz (aí meu Deus).
Eu sei que a vida deveria ser bem melhor e será,
Mas isso não impede que eu repita:
É bonita, é bonita e é bonita.
[...] Somos nós que fazemos a vida.
Como der, ou puder, ou quiser…
Sempre desejada, por mais que esteja errada.
Ninguém quer a morte,
Só saúde e sorte.
E a pergunta roda, e a cabeça agitada. [...]
(Gonzaguinha)

Trocando ideias: Para refletir e debater:


•O que você entende por viver?
•Do que mais gosta na sua vida?
•O que faz para tornar a sua vida cada vez melhor?
•Como reage diante de uma situação difícil na sua vida?
•Quais as soluções que encontra para resolver os seus problemas?

Para refletir: Viver a vida, algo muito fácil que às vezes se torna extremamente difícil. Viver bem ou mal está basicamente
relacionado às escolhas que fazemos, às atitudes que tomamos ao longo da vida. O tempo todo estamos optando por alegrias ou
tristezas; ódio ou amor; ilusão ou realidade; acertos ou erros; realizações ou decepções. A vida será sempre um grande mistério
que o ser humano sempre estará tentando desvendar. Ao mesmo tempo, tem-se a certeza de que ela é uma gota que pode se
transformar em uma nuvem ou num imenso oceano. O segredo da vida é amar as pessoas como se não houvesse amanhã,
pois se você parar pra pensar não há.

Conclusão: Termine a aula passando o vídeo: AME SUA FAMÍLIA


(32ª AULA) "ADOLESCENTE OU “ABORRECENTE”?
A adolescência é uma etapa da vida recheada de transformações físicas e psicológicas, decorrentes da puberdade. Um
turbilhão de hormônios começa a atuar sobre o corpo, e a maneira de agir do adolescente diante do novo origina uma série de
novas atitudes.
O adolescente, por não poder mais comportar-se como criança e ainda não responder como adulto, passa por momentos
conflitantes em busca de respostas às suas dúvidas. A cabeça fervilha de perguntas a respeito de como lidar com as novas
mudanças.
Os pais, tidos durante toda a infância como super-heróis, passam de uma hora para outra a ser encarados como ultrapassados.
Os pensamentos, opiniões, ideias e atitudes deles são vistos pelos filhos como fora de uso, o que leva a divergências familiares,
sendo o adolescente taxado de aborrecente.
A paciência e o diálogo constituem maneira encontradas pelos pais e filhos para superar os momentos difíceis
enfrentados pelo jovem nessa fase, tornando-a mais amena. Adolescer é estar diante de situações que antes podiam facilmente
ser resolvidas pelos pais, mas que agora é necessário que ele próprio tome conhecimento. A responsabilidade passa a fazer parte
da sua realidade, o que leva ao crescimento e ao amadurecimento para poder encontrar e desempenhar o seu papel na
sociedade.
Trocando ideias:
1.“A infância é uma etapa da vida recheada de boas lembranças” O que mais lhe dá saudade ao recordar dessa fase?
2.Durante o período da sua adolescência, quais foram as principais divergências com seus pais?
3.Com que você “desabafa” quando está com um problema para solucionar?
4.Elabore com seus colegas uma lista dos principais “grilos” que surgiram durante a adolescência.
5.Para você, qual é o papel dos pais nessa nova fase de vida?

(33ª AULA) "Precisamos uns dos outros"


Objetivo – Questionar com os alunos a vivencia do respeito a si, ao próximo e acima de tudo com a religião de cada um.
O respeito é uma conquista diária. É saber respeitar e ser respeitado. Nem sempre isso é fácil, porque não sabemos
estabelecer e colocar limites para o bom relacionamento entre os que amamos.
Muitas vezes respeitar não significa escolher o caminho mais fácil. No crescimento de cada um de vocês, que são nossos
alunos, ou de nossos filhos, é preciso ter firmeza e fazer com que vocês percebam que devem experimentar o sofrimento. Saber
dizer “não”, às vezes é a maior prova de respeito que podemos dar. PENSE NISSO!

UMA VEZ...
Durante uma era glacial bem remota, grande parte do planeta se achava coberto por densas camadas de gelo. Muitos
animais não resistiram ao frio intenso e morreram indefesos por não se adaptarem às condições do clima hostil. Foi então que
uma grande manada de porcos espinhos, numa tentativa de se proteger e sobreviver, começaram a se unir, a juntar-se mais e
mais. Bem próximo um do outro, cada qual podia sentir o calor do corpo do outro. E assim bem juntos, bem unidos, agasalhavam-
se mutuamente. Assim aquecidos, conseguiam enfrentar por mais tempo aquele inverno terrível.
Vida ingrata, porém...Os espinhos de cada um começaram a incomodar, a ferir os companheiros mais próximos,
justamente aqueles que lhes forneciam mais calor. Feridos, magoados e sofridos começaram a afastar-se. Por não suportarem
mais os espinhos dos seus semelhantes, eles se dispersaram.
Novo problema: afastados, separados, começaram a morrer congelados.
Os que sobreviveram ao frio, voltaram a se aproximar, pouco a pouco. Com jeito e precauções. Unidos novamente, mas
cada qual conservando uma certa distância do outro. Distância mínima, mas suficiente para conviver, sem ferir, para sobreviver
sem magoar, sem causar recíprocos. Assim agindo, eles resistiram à longa era glacial. Apesar do frio e dos problemas,
conseguiram sobreviver.

Reflexão:
1. O que é respeitar para você?
2. Em casa? Na Escola? Na cidade? Na Igreja?
3. É possível conviver em qualquer lugar com outras pessoas sem que haja regras? Explique? Comente.
4. Quando precisamos dos outros?
5. Por que as pessoas são importantes pra você?
Formar um círculo com os alunos, e deixar que falem a vontade, baseando-se sempre na reflexão da historinha, e levando a aula
sempre embasada no tema PRECISAMOS UNS DOS OUTROS.

(34ª AULA) "COMUNICAÇÃO E BOAS MANEIRAS"


“Gente não vive sem gente!” Essa é uma grande verdade! Veja só de quantas pessoas dependemos desde que
acordamos pela manhã até a chegada à escola.
Basta reparar em nosso café da manhã. Para tomar um leite quente e gostoso, coisa que parece tão simples, foi preciso:
pessoas criarem e cuidarem da vaca, alguém tirar-lhe o leite, outros o transportarem, outros o colocarem na embalagem, alguém,
com carinho, ferve-lo e coloca-lo na nessa para nós. O café? Por quantas mãos passou! Foi plantado, foi tratado, colhido, secado,
despolpado, beneficiado, torrado, moído e coado antes de chegar até nós. O mesmo acontece com o pão, desde o plantio do trigo
até chegar à nossa mesa. Quanta gente trabalhou para nós! Assim é com tudo: Com o que usamos. Nossas roupas, nossos livros
e mais mil coisas que vocês mesmos irão descobrindo. Já pensaram quantas pessoas colaboram conosco e nos ajudam todas as
manhãs?
É legal demais a gente pensar que faz parte de um todo que é a humanidade! Nesse todo, temos a nossa parte de dar…
São os nossos diretos e os nossos deveres.
Como somos todos irmãos, é justo que nos ajudemos uns aos outros, pelo menos cada qual cumprindo direitinho com as suas
tarefas e obrigações. Por isso é tão importante a gente estudar bem e se preparar para o futuro, refletindo sobre o presente!
Poderemos ser muito úteis à humanidade. Foi assim que os grandes inventores e os grandes homens se prepararam e usaram
sua inteligência e seu preparo para o bem comum.( direito, dever).
Todos precisam de nós e nós precisamos de todos. Aí é que surge a necessidade de nos comunicarmos uns com os
outros.Quando melhor for a comunicação, mais fácil e agradável se torna a vida. Qual será o meio mais fácil, simples e natural de
nos comunicarmos?
A fala, isto é, A PALAVRA. É muito importante, pois , cultivar o Dom da Palavra. Falando com clareza…. bem explicado…
e o mais simples possível!!! Nada de ter medo de falar! Falar todas as vezes que tiver alguma coisa para dizer.Porém, sem se
precipitar…e pensando no que vai dizer.
Existe muita gente que exagera! Fala demais, aborrecendo todo o mundo!… Outros põem sua vida toda a público! E a da sua
família também… contando tudo o que vivem fazendo fofocas e falando mal dos outros… que acham disso? Aí, entre uma coisa
muito importante: o respeito por si mesmo e pelos outros. É também uma questão de Critério Mas …o que será esse negócio de
Critério? Critério é uma crítica que cada um faz a si mesmo antes de falar ou de agir, para verificar se o que vai dizer ou fazer não
irá prejudicar os outros ou a si mesmo.
Isso também se chama BOM SENSO e ajuda incrivelmente as pessoas que possuem. Quem não o tiver muito
desenvolvido poderá perfeitamente se exercitar e conseguir essa qualidade tão importante para todos: é só faze uma parada
antes de começar a falar para dar uma peneirada no que vai dizer , (esse hábito pode ajudar muito).
Existem várias maneiras de nos comunicarmos: o olhar… o sorriso…a palavra falada… a palavra escrita… a mímica… os
gestos… o canto…os jogos em comum…expressão corporal… e muitas outras. Há também : televisão… cinema… rádio…
teatro… circo… música… telefone… correio… a própria escola, além de muitos outros.
Tudo isso nos põe em contato com os nossos semelhantes e estabelece o intercâmbio entre os homens, unindo suas
ideias. Há muita gente, porém , que fala muito bem mas não sabe ouvir! Não dá oportunidade para os outros falarem… Ouvir
também é um meio de comunicação! E muito importante! Saber ouvir é uma arte! Quantas vezes podemos ajudar muito apenas
ouvindo o que alguém tem a dizer!…
Veja agora uma coisa que parece estranha: apesar de hoje em dia existirem tantos meios de comunicação,há no mundo
milhares e milhares de pessoas SOLITÁRIAS, embora rodeadas de gente! Sabia? Nas ruas… nas escolas… e até nos próprios
lares… por falta de comunicação! As vezes nós mesmo contribuímos para nosso próprio isolamento e para o isolamento dos
outros. Talvez por não queremos ou não sabemos nos comunicarmos, pensando e observando todas essas coisas.
Como é bom a gente se comunicar! Fazendo com que os outros possam aproveitar também das coisas lindas que temos dentro
do nosso coração e da nossa cuca1 Por que não? Coisas que precisam ser ajudadas, pois muitas vezes os outros podem nos
ajudar, e muito! Do mesmo modo que podemos também, com amor, tentar descobrir as dificuldades dos outros e ajuda-las a
vencer essas dificuldades. Muito importante é desenvolver e cultivar o Espírito crítico.
Já imaginou, por exemplo, se fôssemos acreditar em tudo o que os anúncios dizem? Quanto exagero! Quanta mentira! A
gente sabe perfeitamente que tudo aquilo é só para vender o produto . Mas não deixa de ser uma tapeação pra cima de nós… E
os programas de televisão? Podemos acreditar em tudo o que eles dizem? Achar certo tudo aquilo que vemos ?Claro que não! É
tão gostoso saber distinguir as coisas boas das coisas más… a verdade da mentira…É muito útil a gente saber analisar e julgar!
Assim não se vai facilmente na conversa dos outros.
Cada um de nós é um ser livre! Ninguém pode nos obrigar a fazer uma coisa que achamos errada.. A verdade é que , no
fundo, todos admiram e respeitam aqueles que agem com lealdade, querendo acertar sempre!

APROVEITAMENTO DA LEITURA
1.Explique por que gente precisa de gente.
2.Por que não podemos viver sozinhos?
3.Quais são nossos direitos na sociedade em que vivemos?
4.Quais nossos deveres?
5.Qual é o meio mais fácil e natural de nos comunicarmos?
6.Como cultivar o DOM DA PALAVRA?
7.Que é critério ou Bom Senso?
8.É necessário saber ouvir Por quê?
9.Por que é tão importante desenvolver o ESPIRITO CRITICO?
10.Qual a vantagem de sermos LIVRES?