Você está na página 1de 6

®

Colégio Lúcia Vasconcelos - Concursos Públicos e Vestibulares – Fone: (62) 3093-1415

O RT O G R A F I A 6.2. GALICISMO. [Do fr. Gallicisme.] S. m. E. Ling.


OFICIAL Palavra, expressão ou construção afrancesada como, p.
ex., fetiche (por feitiço), gauche (por desajeitado), ter
lugar (por realizar-se), fazer um passeio (por dar um
passeio). [sin.: francesismo.]
 É a parte da gramática que estuda a correta escrita Exemplos: Vitrô. Bidê.
das palavras. As fontes de pesquisa da ortografia são:
6.3. ESPANHOLISMO. [De espanhol + -ismo.] S.m. 1.
1. Etimologia Palavra, locução ou construção própria da língua
2. Dicionário espanhola; hispanismo, castelhanismo. 2. Palavra ou
3. Regras de ortografia locução própria do espanhol e transportada para outra
língua; hispanismo, castelhanismo. 3. Emprego de
CONCEITOS MORFOLÓGICOS palavras, locuções ou construções espanholas em idioma
estrangeiro; hispanismo, castelhanismo.
1. VARIANTE Exemplo: Mecha
 É a evolução da palavra. A variante é sempre a
PRINCIPAIS REGRAS DE ORTOGRAFIA
palavra mais nova. A evolução das palavras é marcada
pela perda de fonemas, no máximo, pela troca de fonemas,
nunca pelo acréscimo. REGRA 1 – Os verbos “pôr, querer e usar” são
conjugados sempre com a letra “S”.
Ex.: enchova é variante de anchova
 Ex.: puser, quiser, pusemos, quisemos, quis, pus, usamos,
(peixe de alga salgada) usado, usemos, puseste, quiseste, usaste, etc.

Obs.: A variante pode ser usada na fala e na escrita. Obs. 1) A letra “S” sozinha entre duas vogais sempre dá o
som de “Z”, e não, de “S”.
2. VARIANTE COLOQUIAL LINGUÍSTICA Ex.: gasoso, casa, vaso, Pasárgada.

 É a evolução da palavra e só pode ser usada na fala. Obs. 2) Jamais se usa o dígrafo “SS’ após consoante, ou
seja, o “SS’ só poderá ser usado entre vogais.
Ex.: você é variante de vosmecê.
Ocê e cê  são variantes coloquiais linguísticas da Errados: Corretos:
palavra “você” e só podem ser usadas na escrita quando diverssão diversão
estiverem reproduzindo a fala do personagem.
3. NEOLOGISMO. [De neo - + - log(o)- + -ismo.] S.m. aniverssário aniversário
1. E. Ling. Palavra ou expressão nova numa língua, como,
p. ex., dolarizar, dolarização, no português. 2. p. ext. Obs. 3) Usa-se o dígrafo “SS” para se evitar o som
Significado novo que uma palavra ou expressão de uma de “Z” entre duas vogais.
língua pode assumir. [P.ex.: zebra, como ‘resultado
inesperado’.] Ex.: quisesse, pusesse, usasse, falasse, fosse, quiséssemos,
4. GÍRIA. [De or. obscura.] S. f. 1. E. Ling. Linguagem de puséssemos, etc.
malfeitores, malandros, etc., com a qual procuram ser REGRA 2 – Quando se acrescentam os sufixos “oso, osa,
entendidos pelas outras pessoas, 2. Linguagem peculiar isa” em relação à palavra primitiva, usa-se “S”
àqueles que exercem a mesma profissão ou arte: a gíria OBRIGATORIAMENTE.
dos artistas. 3. Linguagem que, nascida num determinado
grupo social, termina estendendo-se, por sua PALAVRA PRIMITIVA é aquela que dá origem à palavra
expressividade, à linguagem familiar de todas as camadas derivada.
sociais. 4. palavra ou expressão de gíria. Ex: Bacana.
PALAVRA DERIVADA é aquela que nasce da palavra
5. REGIONALISMO. [De regional + -ismo.] S.m. 1. primitiva, apresentando o mesmo radical desta.
Doutrina que incrementa os agrupamentos regionais. 2 .
RADICAL é a parte da palavra que não sofre alterações
locução peculiar a uma região ou as regiões. Ex: ficar no
dentro das palavras COGNATAS.
caritó (expressão NE p/ solteirona)
PALAVRAS COGNATAS são aquelas que apresentam o
6. ESTRANGEIRISMO. [De estrangeiro + -ismo.] S.m. mesmo radical, ou seja, pertencem à mesma família.
1. Emprego de palavra, frase ou construção sintática
estrangeira; PREFIXO é aquilo que se acrescenta antes do radical.
6.1. ANGLICISMO. [Do fr. Anglicisme.] S.m. E. Ling. 1. SUFIXO é aquilo que se acrescenta após o radical.
Palavra ou locução inglesa introduzida noutra língua e
empregada como se fora desta. 2. idiotismo dessa língua. Exemplos da REGRA 2:
Exemplos: Office-boy, Out-door, Self-service. gás  gasoso e gasosa

1
www.luciavasconcelos.com.br
®
Colégio Lúcia Vasconcelos - Concursos Públicos e Vestibulares – Fone: (62) 3093-1415

cheiro  cheiroso e cheirosa Ex.: marquês --------- marquesa


bom  bondoso e bondosa holandês --------- holandesa
feio  feioso e feiosa dinamarquês ---- dinamarquesa
máfia  mafioso e mafiosa montanhês ------ montanhesa
malícia  malicioso e maliciosa camponês ------- camponesa
horror  horroroso e horrorosa burguês ---------- burguesa
gosto  gostoso e gostosa pequinês --------- pequinesa (ou pequinense).

Obs. 1) Os sufixos “oso” e “osa” significam “CHEIO b) EZ, EZA  usado para escrever o substantivo
DE”. abstrato derivado (= nascido) de adjetivo.

Obs. 2) O sufixo “isa” é indicador de feminino. Ex.:


Substantivos
Ex.: poeta  poetisa Adjetivos abstratos
profeta  profetisa
papa  papisa belo beleza
bispo  episcopisa
diácono  diaconisa sensato sensatez

Obs.: 3) A palavra “gozo” não é exceção à regra, pois o pobre pobreza


“OZO” não é sufixo. Na palavra “gozoso”, o “OSO” é
sufixo. Assim temos os “mistérios dolorosos, gozosos e altivo altivez
gloriosos”.
viúvo viuvez
REGRA 3) Palavras terminadas em “ção, são e ssão”.
a) Se cortar todo o final dos verbos terminados em “ter, embriagado embriaguez
tir, der e dir”  usa-se “S” ou “SS”.
b) Se cortar apenas “R” dos verbos terminados em ter, rijo rijeza
tir, der e dir  usa-se “ç”.
c) Se cortar o final “to” das palavras terminadas em “to” rígido rigidez
 usa-se “ç”.
Ex.: divertir  diversão nobre nobreza
competir  competição
permitir  permissão rico riqueza
compreender  compreensão pequenez ou
ascender  ascensão pequeno
pequeneza
reverter  reversão
obter  obtenção Obs.: 1) PEQUINÊS  originário de Pequim e ainda a
abster  abstenção raça do cachorro.
conter  contenção
deter  detenção Obs.: 2) PEQUENEZ  relativo a pequeno.
progredir  progressão Ex.: A pequenez do cachorro pequinês é aconchegante.
escandir  escansão  
expandir  expansão Subst. Abstrato Adjetivo

Exemplos da letra “ç”: Regra 5) REGRA DO RADICAL: Toda palavra derivada


correto  correção deverá seguir o radical da sua palavra primitiva.
atento  atenção
Ex.:
distinto  distinção
discreto  discrição pretensão pretensioso
exceto  exceção
ânsia ansioso
Obs.: 1) A palavra “exceção” não deriva do verbo
“exceder”, e sim, da palavra “exceto”. Quem deriva de gás gasoso
“exceder” é “excesso, excessivo”.
rijo rijeza
Obs.: 2) Não existe a palavra “discreção”.
Regra 4) Final ÊS, ESA e EZ, EZA. rígido rigidez

a) ÊS, ESA  usado para escrever títulos, nacionalidade


e palavras que indicam origem. Regra 6) Após EN, no início da palavra e dentro do
radical, usa-se X, e não, CH.

2
www.luciavasconcelos.com.br
®
Colégio Lúcia Vasconcelos - Concursos Públicos e Vestibulares – Fone: (62) 3093-1415

Viajar  que eu viaje


que tu viajes
Obs.: EN  não poderá ser prefixo, ou seja, deverá fazer
que ele/a viaje
parte do radical.
que nós viajemos
Ex.: enxaqueca, enxame, enxuta, enxurrada, enxaguar, que vós viajeis
enxergar, enxada, enxoval, enxofre. que eles viajem
Obs.: encher, encharcar, enchumaçar, enchiqueirar, Arranjar  que eu arranje
enchapelar escrevem-se com CH, pois são palavras que tu arranjes
derivadas de palavras primitivas que já tinham CH: cheio, que ele/a arranje
charco, chumaço, chiqueiro e chapéu, respectivamente. que nós arranjemos
Sabemos que toda palavra derivada deve seguir o radical que vós arranjeis
de sua primitiva, conforme a REGRA 5 já estudada. que eles arranjem
Regra 7) Após ditongo, usa-se S, e não, Z. Essa regra vale
também para os nomes próprios de qualquer natureza, de Regra 10) Verbos terminados em ISAR ou IZAR.
acordo com o Formulário Ortográfico da Língua
Portuguesa (F.O.L.P.), da Academia Brasileira de Letras, a) Se se acrescentar o sufixo IZAR em relação à palavra
de 1943. primitiva, usa-se Z obrigatoriamente. Não interessa se a
palavra primitiva tenha S ou Z.
Ex.: pausa, causa, coisa, lousa, Neusa, Deusa, Eleusa,
Sousa, Cleusa, maisena, etc. b) Se se acrescentar o sufixo AR em relação à palavra
primitiva, conserva-se a letra que já havia na palavra
NOTA: Sabemos que muitas pessoas pensam que podem
primitiva.
escrever os nomes próprios como querem, sem submeter-
se a qualquer regra gramatical. MAS ISSO É UM
Ex.:
EQUÍVOCO. Os nomes próprios também estão
submetidos às mesmas regras estabelecidas para os nomes Palavras Primitivas Palavras Derivadas
comuns (conforme o item 039 do F.O.L.P.). Quando o
nome próprio não se enquadra dentro de regra alguma, aí catequese catequizar
sim, ele poderá ser escrito do jeito que se quiser.
hipnose hipnotizar
Ex.: Teresa ou Tereza
síntese sintetizar
Resende ou Rezende
Luís ou Luiz análise analisar
César ou Cézar aviso avisar
Elisa ou Eliza
deslize deslizar
Isabel ou Izabel
canal canalizar
Regra 8) Após ditongo, usa-se X, e não, CH.
real realizar
Ex.: faixa, feixe, peixe, caixa, caixote, encaixar, ameixa, ameno amenizar
madeixa, etc.
fértil fertilizar
Obs.: RECAUCHUTAR  palavra derivada do radical cristal cristalizar
CAUCHO.
útil utilizar
CAUCHO  palavra de origem indígena das margens do concreto concretizar
alto Amazonas e significa árvore da qual se extrai a
borracha. profeta profetizar
batismo* batizar*
Regra 9) Quando se acrescenta o sufixo AGEM em
relação à palavra primitiva, usa-se G, e não, J. paralisia paralisar

Ex.: selva  selvagem * Nota: De BATISMO para BATIZAR, ocorreu troca de


aprendiz  aprendizagem sufixos.
hóspede  hospedagem “BAT” é radical “ISMO” e “IZAR” são sufixos.
lanterna  lanternagem
via  viagem Regra 11) Formação de diminutivos.
bobo  bobagem
a) Se se acrescentar o sufixo:
viagem  viajem
  INHO  conserva-se a letra.
Subst. verbo “viajar” conjugado no presente do ZINHO  usa-se Z obrigatoriamente.
subjuntivo.
b) O diminutivo no singular deve sair da palavra no
singular, da seguinte forma: acrescentam-se os sufixos

3
www.luciavasconcelos.com.br
®
Colégio Lúcia Vasconcelos - Concursos Públicos e Vestibulares – Fone: (62) 3093-1415

“inho” ou “zinho”, de acordo com a letra final da palavra 01. (Univ. Est. Feira de Santana-BA) “O ..... do público
primitiva. ao ..... da reunião foi feito ..... severa vigilância.”
a) acesso – recinto - sob
c) O diminutivo no plural deve sair da palavra no plural, b) assesso – recinto – sobre
da seguinte forma: corta-se o “s” do plural, acrescenta-se o c) assesso – rescinto – sob
sufixo “zinho" e, finalmente, usa-se o “s” do plural. d) acesso – rescinto – sobre
e) ascesso – rescinto – sob
Ex.: animal  animalzinho
animais  animaizinhos 02. (Unisinos-RS) A alternativa em que aparece uma
palavra incorretamente grafada é:
anel  anelzinho a) puseram – quiseste - análise
anéis  aneizinhos b) duquesa – aridez – prazeroso
c) estrangeiro – enxada – mexerico
pai  paizinho d) ascensão – sucinto – suscitar
pais  paizinhos e) pretencioso – exceção – excesso
03. (Cefet-PR) Marque a alternativa em que todas as
país  paisinho
palavras estão corretamente grafadas.
países  paisezinhos a) previlégio – aterrizar - malcriado
b) obsessão – exceção – disenteria
giz  gizinho
c) beneficinte – berinjela – sarjeta
gizes  gizezinhos
d) cachumba – rixa – misto
chafariz  chafarizinho e) explendor – assessor – explêndido
chafarizes  chafarizezinhos 04. (Fac. Med. Triângulo Mineiro-MG) “Em virtude
do ..... de visitantes, não havia local para o ..... dos .....”
francês  francesinho a) escesso – descanso - excursionistas
franceses  francesezinhos b) excesso – descanço – excurcionistas
c) excesso – descanso – excursionistas
dinamarquês  dinamarquesinho
d) excesso – descanço – excursionistas
dinamarqueses  dinamarquesezinhos
e) escesso – descanço – excurcionistas

IMPORTÂNCIA DO DICIONÁRIO: toda e qualquer 05. (Univ. Est. Londrina-PR) “Nem todos os alunos .....
dúvida em relação à escrita ou à pronúncia do ..... de participar da festa ..... .”
correta de uma determinada palavra deve ser a) gozarão – privilégio - beneficiente
pesquisada no DICIONÁRIO. b) gosarão – previlégio – beneficiente
c) gozarão – previlégio – beneficiente
Exemplos: as palavras abaixo são corretas e têm o mesmo d) gozarão – privilégio – beneficente
significado, de acordo com o “NOVO AURÉLIO, e) gosarão – previlégio – beneficente
SÉCULO XXI, O DICIONÁRIO DA LÍNGUA 06. (Univ. Fed. de Ouro Preto-MG) A alternativa em que
PORTUGUESA, EDITORA NOVA FRONTEIRA.” a associação está bem feita quanto à ortografia é:
a) extinção e admição (o emprego do ç)
barrer ou varrer b) hiléia e idéiazinha (o acento agudo)
loiro ou louro c) simpleza e duqueza (a letra z).
coisa ou cousa d) simpleza e limpidez (a letra z).
oiro ou ouro e) sensibilizar e pesquisar (a letra z).
balançar ou balangar
bassoura ou vassoura 07. (Univ. Alfenas-MG) Organizamos um (*) musical (*)
xérox ou xerox e tivemos o (*) de contar com um público educado que
voar ou avoar Obs.: a escrita “cincoenta” é teve o bom (*) de permanecer em silêncio durante o
berruga ou verruga incorreta. O correto é espetáculo.
assobio ou assovio “cinquenta”. a) conserto, beneficiente, privilégio, senso
brabo ou bravo b) concerto, beneficente, privilégio, censo
balanço ou balango c) concerto, beneficente, privilégio, senso
catorze ou quatorze d) conserto, beneficente, previlégio, senso
colmeia e) concerto, beneficiente, previlégio, censo
Obs.: Antes do novo Acordo Ortográfico, existiam as
grafias colméia ou colmeia. A partir dele, as paroxítonas 08. (Univ. Alfenas-MG) Assinale a alternativa em que
com ditongo oral aberto não serão acentuadas. todas as palavras estão grafadas corretamente.
a) disenteria, páteo, siquer, goela
EXERCÍCIOS ORTOGRAFIA b) capoeira, empecilho, jabuticaba, destilar
c) boliçoso, bueiro, possue, crânio
d) borburinho, candieiro, bulir, privilégio

4
www.luciavasconcelos.com.br
®
Colégio Lúcia Vasconcelos - Concursos Públicos e Vestibulares – Fone: (62) 3093-1415

e) habitue, abutoe, quase, constóe A (*) de uma guerra nuclear provoca uma grande (*) na
humanidade e a deixa (*) quanto ao futuro.
09. (Univ. Alfenas-MG) Apenas uma das frases abaixo
a) espectativa, tensão, exitante
está totalmente correta quanto à ortografia. Assinale-a.
b) espectativa, tenção, hesitante
a) Espalhei as migalhas da torrada por todo o trageto.
c) expectativa, tensão, hesitante
b) Meu trabalho parduo não obteve hêsito algum.
d) expectativa, tenção, hesitante
c) Quiz fazer coisas que não sabia.
e) espectativa, tenção, exitante
d) Ao puxar os detritos, eles voaram no tapete persa.
e) Acrecentei algumas palavras ao texto que corrigi. 17. (Univ. Fed. Maranhão) Assinale a opção em que
todas as palavras estão escritas corretamente:
10. (PUCC-SP) Barbarismos ortográficos acontecem a. sossego – sucesso – começo.
quando as palavras são grafadas em desobediência à lei b. ricaço – sussego – assúcar.
ortográfica vigente. Indique a única alternativa que está c. missanga – assado – assucena.
de acordo com essa lei, e por isso, correta: d. moça – argamassa – salça.
a) exceção, desinteria, pretensão, sessenta e. calsa – cansaço – falsa.
b) exceção, desinteria, pretensão, secenta
c) rejeição, berinjela, xuxu, atrazado 18. (Univ. Amazonas-AM) “Às vezes........a pena fazer
d) jeito, mecher, consenso, setim uma....”
e) discernir, quizer, herbívoro, fixário a. valhe – excessão.
b. vale – excessão.
11. (F. Londrina-PR) O jovem falava com muita (*) e c. valhe – exceção.
grande (*) de gestos. d. vale – exceção.
a) expontaneidade, exuberância
b) espontaneidade, exuberancia 19. (Univ. Est. Londrina-PR) “Os........do diretor
c) expontaniedade, exuberancia retiraram os........dos antigos funcionários.”
d) espontaneidade, exuberância a. assessores – previlégios.
e) espontaniedade, exuberância b. acessores – privilégios.
c. assessores – privilégios.
12. (F. Londrina-PR) Numa ação espetacular, os pilotos d. ascessores – previlégios.
(*), em pleno (*), os (*) de um jato comercial. e. acessores – previlégios.
a) apreenderam, voo, sequestradores
b) apreenderam, vôo, sequestradores 20. (Univ. Est. Feira de Santana-BA) “Ao erguer-se
c) aprenderam, voo, sequestradores para........a mão, o........realçou seu porte........”
d) apreenderam, vôo, sequestradores a. extender – jovem – magestoso.
e) aprenderam, vôo, sequestradores b. estender – jóvem – magestoso.
c. estender – jovem – majestoso.
13. (F. Londrina-PR) A (*) entre os membros do partido d. extender – jóvem – magestoso.
acabou provocando uma (*) interna. e. extender – jóvem – majestoso.
a) discidência, cisão
b) dissidência, cizão
Gabarito
c) dissidência, cissão
1- a
d) discidência, cizão
2- e
e) dissidência, cisão
3- b
14. (FMSCSP) Assinale a alternativa que completa 4- c
corretamente as lacunas: 5- d
Não (*) os (*) de (*) desse tipo. 6- d
a) perdoo, deslizes, indivíduos 7- c
b) perdôo, deslizes, indivíduos 8- b
c) perdôo, deslises, individuos 9- d
d) perdoo, deslises, indivíduos 10- a
e) perdoo, deslizes, individuos 11- d
12- a
13- e
15. (FMSCSP) Não (*) a porta desse (*), que ela jã está 14- a
meio (*). 15- b
a) puche, jeito, pensa 16- c
b) puxe, jeito, pensa 17- a
c) puche, geito, pença 18- d
d) puxe, geito, pença 19- c
e) puxe, geito, pensa 20- c
16. (FUVEST-SP) Preencha os espaços com as palavras
grafadas corretamente.

5
www.luciavasconcelos.com.br
®
Colégio Lúcia Vasconcelos - Concursos Públicos e Vestibulares – Fone: (62) 3093-1415

Sentença (frase)
SIGNIFICAÇÃO DE
PA L AV R A S Homônimas homógrafas: possuem mesma grafia e
pronuncia diferente. Exemplos:
Sede (ê) = vontade de beber
Sede (é) = administração/casa de fazenda
É o estudo da significação das palavras e as Almoço (ô) = substantivo
mudanças sofridas pelas mesmas de acordo com o Almoço (ó) = verbo
contexto. Sabemos que o sentido original é a sua própria Colher (ê) = verbo
significação etimológica, mas este também sofre Colher (é) = substantivo
constantes alterações no decorrer do tempo, devido à sua
expansão ou generalização. Por exemplo, carrasco era o Homônimas homófonas: possuem grafia diferente
nome do algoz Belchior Nunes Carrasco e generalizou-se e mesma pronúncia. Exemplos:
para todos os algozes e anfitrião era personagem de uma Acender = pôr fogo
comédia de Plauto e expandiu-se a todos aqueles que à sua Ascender = subir, elevar
casa reúnem convidados e amigos. Coser = costurar
Cozer = cozinhar
Cessão = doação (verbo doar)
Seção (secção) = repartição/departamento
VOCABULÁRIO: Sessão = período de duração de algum evento
SINONÍMIA E
ANTONÍMIA

SINONÍMIA: ocorre quando duas ou mais


palavras se identificam exatamente, ou aproximadamente,
quanto ao significado. Exemplos:
rival/adversário/antagonista – cloreto de sódio/sal –
íntegro/probo/correto/justo/honesto – unhas/garras -
aguardar/esperar – pessoa/indivíduo – cara/rosto.

ANTONÍMIA: ocorre quando duas ou mais


palavras se opõem pelo significado. Exemplos:
feliz/infeliz – bem/mal – rico/pobre – amor/ódio –
euforia/melancolia – sagrado/profano – claro/escuro.

PARONÍMIA: é quando as palvras possuem grafia


e pronúncia parecidas, com significado diferente.
Exemplos:
Discrição = reserva em atitudes
Descrição = ato de descrever
Infração = violação da lei
Inflação = desvalorização da moeda
Tráfego = trânsito
Tráfico = comércio ilícito
Imergir = mergulhar
Emergir = vir à tona
Cível = relativo ao Direito Civil
Civil = relativo ao cidadão

HOMONÍMIA: é quando as palavras possuem


grafia ou pronúncia igual, por causa de sua origem, sendo
que o seu significado é diferente. As palavras homônimas
podem ser:

Homônimas perfeitas (ou polissêmicas): possuem


mesma grafia e mesma pronúncia. Exemplos:
Real (verdadeiro)
Real (relativo à realeza)
Real (moeda brasileira)
Senteça (condenação)

6
www.luciavasconcelos.com.br