Você está na página 1de 16

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE

CAMPUS PETROLINA

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E COORDENAÇÃO EM EDUCAÇÃO NA


MODALIDADE EAD

WILLIAM DA SILVA ALVES

INFLUÊNCIA DA FAMÍLIA NO DESEMPENHO DO ALUNO NA


APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

ÁGUAS BELAS – PE
2019
UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE

CAMPUS PETROLINA

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E COORDENAÇÃO EM EDUCAÇÃO NA


MODALIDADE EAD

WILLIAM DA SILVA ALVES

INFLUÊNCIA DA FAMÍLIA NO DESEMPENHO DO ALUNO NA


APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

Artigo científico apresentado à Universidade


de Pernambuco – UPE, no Núcleo de
Educação à distância, polo de Águas Belas –
PE, como requisito ao título de Especialista
em Gestão e Coordenação em Educação.

Orientadora: Profa. D.ra Walma Nogueira


Ramos Guimarães

ÁGUAS BELAS – PE
2019
UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE

CAMPUS PETROLINA

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E COORDENAÇÃO EM EDUCAÇÃO NA


MODALIDADE EAD

WILLIAM DA SILVA ALVES

INFLUÊNCIA DA FAMÍLIA NO DESEMPENHO DO ALUNO NA


APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

Artigo apresentado à Universidade de


Pernambuco - Campus Petrolina, como
requisito parcial para obtenção do título de
Especialização Gestão e Coordenação em
Educação.

Aprovado

Águas Belas, 06 de Abril de 2019

COMISSÃO EXAMINADORA

______________________________________
Prof. Me. José André Bezerra da Cruz
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

______________________________________
Prof. Esp. Antônio Ewerton Carneiro dos Santos
Faculdade Europeia de Administração e Marketing – FEPAM

______________________________________
Profa. Esp. Maria Aparecida de Lima
Universidade de Pernambuco - UPE
RESUMO

A pesquisa teve por objetivo, verificar: Qual a influência que a Família exerce sobre o
desempenho, o interesse do aluno em relação à Matemática? O trabalho se insere no
campo da Educação Matemática, no contexto da relação entre família-escola. O
interesse pelo trabalho, surge de observações empíricas, nas aulas de matemática do
6º ano do Ensino Fundamental II. Então, buscou-se com a pesquisa identificar
variáveis na relação família-escola através de pesquisa bibliográfica, que influenciam
de forma significativa na aprendizagem de matemática no contexto do Ensino
Fundamental II. A metodologia do trabalho consiste em uma revisão bibliográfica
sobre a influência familiar na educação matemática. Os processos metodológicos,
resumiram-se na seleção de trabalhos acadêmicos que fundamentam a pesquisa.
Essa escolha se deu por meio de pesquisas no Google e no site que contém acervos
de produções acadêmicas, o Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações
(BDTD). Com a pesquisa foram selecionadas, 12 obras acadêmicas, dentre elas:
Gonçalez (2000), Loos (2003), Malta (2008) e Iagla et al (2017). Os resultados
comprovaram a importância da família no desempenho escolar dos alunos, nesse
caso, relacionados a aprendizagem de matemática. A pesquisa também revelou que
é fundamental para a autoeficácia do aluno em matemática, que seus pais tenham
uma boa relação com a disciplina e que estejam presentes nas atividades cotidianas
relacionadas a matemática. Por último a escola deve propiciar ações que promovam
essa parceria entre escola e família, para que os pais possam entender que são
parceiros da escola na educação de seus filhos.

Palavras-Chave: Família. Escola. Matemática.


ABSTRACT

The aim of the research was to verify: What influence does the Family have on the
student's performance and interest in Mathematics? The work falls within the field of
Mathematics Education, in the context of the relationship between family-school. The
interest for the work, arises from empirical observations, in the mathematics classes of
the 6th year of Elementary School II. Thus, the research sought to identify variables in
the family-school relationship through bibliographic research, which influence in a
significant way the learning of mathematics in the context of Elementary School II. The
methodology of the work consists of a bibliographical review on the family influence in
mathematical education. The methodological processes were summarized in the
selection of academic papers that support the research. This choice was made through
searches on Google and the site containing collections of academic productions, the
Brazilian Digital Library of Theses and Dissertations (BDTD). The research was
selected, 12 academic works, among them: Gonçalez (2000), Loos (2003), Malta
(2008) and Iagla et al (2017). The results confirmed the importance of the family in the
students' school performance, in this case, related to learning mathematics. The
research also revealed that it is critical to student self-efficacy in mathematics, that
their parents have a good relationship with the discipline and that they are present in
everyday activities related to mathematics. Finally, the school should promote actions
that promote this partnership between school and family, so that parents can
understand that they are partners of the school in the education of their children.

Keywords: Family; School; Mathematics;


SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ........................................................................................................ 6
2. OBJETIVOS ............................................................................................................ 8
2.1 OBJETIVO GERAL ............................................................................................... 8
2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS ................................................................................. 8
3. REFERENCIAL TEÓRICO ...................................................................................... 9
3.1 A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA NA SOCIEDADE E NA ESCOLA .......................... 9
3.2 INFLUÊNCIA DA FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA ................................ 10
4. METODOLOGIA ................................................................................................... 11
5. RESULTADOS E DISCUSSÃO............................................................................. 12
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS .................................................................................. 13
7. REFERÊNCIAS
6

1. INTRODUÇÃO

A Família pode ser considerada a primeira instituição criada pelo homem. Essa
instituição desde tempos remotos exerce um papel central na construção da
sociedade. Mesmo em culturas distintas e isoladas, a família influencia
significativamente na formação dos indivíduos dessas comunidades. Sendo assim,
sabemos que o meio exerce grande influência na formação do ser humano, fato
inquestionável. De acordo com Marcondes (2012):

Assim, tanto a pessoa que está em desenvolvimento se modifica ao entrar


em contato com um meio que lhe ofereça possibilidades, como também este
ambiente é modificado por meio da interação com a pessoa, ou seja, é um
processo bidirecional (p. 92).

Antes do contato com a sociedade, o espaço de formação de personalidade


que a criança recebe é o seio familiar. A Família como constituinte da sociedade,
possui maior responsabilidade pela formação cidadã do indivíduo e não a sociedade.
A sociedade por ser constituída de famílias se torna produtos dessas. Então, o peso
que a Família exerce na formação cidadã deve ser considerado, estudado e
aperfeiçoado.
Dadas essas devidas considerações sobre a instituição familiar, há uma
segunda estrutura fundamental na constituição do ser enquanto cidadão, a Escola.
Todos reconhecem a importância da escola na sociedade, principalmente a
Academia. Em poucas palavras, além das atribuições de ensino das ciências, a escola
é responsável pela promoção da equidade na sociedade: em direitos, deveres e
oportunidades. Essa atribuição se materializa quando a escola complementa a
formação do indivíduo que é competência da família. O Estado por meio da escola se
torna partícipe desse processo de educação, mas, não pode e não deve atribuir para
si a primazia desse processo.
Oliveira (2010) sintetiza essa parceria:

A família sempre foi e contínua a ser a instituição chave onde se estreia a


socialização: é nela que a criança se inicia como indivíduo social desde o seu
nascimento. Depois, surge a escola, em parceria com a comunidade, onde o
indivíduo se insere, num processo de socialização que se desenrola ao longo
da vida. Portanto, a família, nunca pode abdicar da sua função socializadora,
embora, na escola, a interação social se amplifique, ganha uma nova
7

dimensão, diversificada e plural e se transforme num processo dinâmico que


funciona ou deve funcionar, sempre, numa convergência de esforços com a
família (p. 7).

Portanto, em direção do objetivo de educar o indivíduo para viver em


sociedade, é necessária uma parceria efetiva entre Família e Escola. Deve ocorrer um
diálogo entre essas instituições, que seja verdadeiro e que se manifeste em ações
concretas. Por decorrência, o ensino de Matemática como integrante do currículo
escolar, está envolvido nessa relação Família-Escola. Portanto, há de considerar que
a Educação Matemática também se beneficia dessa relação.
Essa temática de relação entre família-escola-matemática tem sido estudada
por diversos pesquisadores nacionais. Merece destaque o trabalho de Oliveira (2015)
o qual faz uma análise de produções acadêmicas compreendidas entre os anos 2000-
2013 sobre a relação família-escola. Ele ressalta que a maior dificuldade que há nessa
relação família-escola, ocorre quando a família possui apenas uma relação
unidirecional com a escola, ou seja, presente apenas em alguns momentos. Segundo
o autor a Escola é responsável por melhorar essa relação, integrando a Família,
criando uma relação de parceria. O autor destaca que as análises têm mostrado que
mesmo as escolas que conseguiram efetivar uma relação de parceria apresentam
dificuldades, mas que o ponto positivo é que estão buscando solucioná-las.
Encontramos também em Silva (2015) um relato de uma pesquisa em uma
escola pública de São Paulo sobre a relação família-escola, em que ele faz uma
importante afirmação, em sua análise de dados conclui que os próprios alunos
afirmam que a participação dos pais na escola traz benefícios para os mesmos.
Destaca que os professores acreditam que o aluno a qual a família participa da escola
possui desempenho melhor e por último, pede que a reunião de pais e mestres não
se limite a descrever os aspectos negativos dos filhos aos pais.
Sendo assim, nesse contexto, a presente pesquisa se insere no Campo da
Educação Matemática, com a seguinte problemática: Qual a influência que a Família
exerce sobre o desempenho, o interesse do aluno em relação à Matemática? Então é
importante identificar, compreender e desenvolver ações que promovam essa relação
entre a Família e o ensino da Matemática.
A justificativa da escolha da temática, surgiu durante a prática docente com
alunos do 6º ano do Ensino Fundamental II, na disciplina de Matemática – onde
percebe-se de acordo com observações empíricas, que a importância dada pelos pais
8

na educação de seus filhos, tem favorecido o desempenho e compromisso de alguns


discentes.
Outro fator preponderante nessa escolha, é o fato de que tem crescido a
importância da Didática da Matemática e essa temática se insere nesse campo. Esses
estudos têm se mostrado efeitos consideráveis, em relação aos paradigmas de ensino
de matemática tradicionais. Autores como Chevallard, Brosseau que são expoentes
desse campo, mostraram a importância da relação entre professor e aluno na
construção do conhecimento e não apenas na suposta ‘transmissão’ do saber.
Portanto, propõe-se com esse trabalho, identificar variáveis na relação família-escola
através de pesquisa bibliográfica, que influenciam de forma significativa na
aprendizagem de matemática no contexto do Ensino Fundamental II.

2. OBJETIVOS

2.1 OBJETIVO GERAL

Identificar variáveis na relação família-escola que influenciam de forma


significativa na aprendizagem de matemática no contexto do Ensino Fundamental II.

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 Realizar um estudo bibliográfico sobre os fatores que influenciam a relação


família-escola na contribuição da aprendizagem de Matemática;
 Destacar ações que auxiliem os pais na contribuição da aprendizagem
matemática de seus filhos junto a instituição escolar;
9

3. REFERENCIAL TEÓRICO

3.1 A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA NA SOCIEDADE E NA ESCOLA

Ultimamente tem se desenvolvido e fortalecido nos mais variados ambientes


uma interpretação que de certa forma, diminui a importância da Família no
desenvolver da sociedade. Um pensamento popular explicita bem essa ideologia,
quando se diz que a sociedade é uma união de indivíduos e não mais de famílias. Se
a educação ocorre no seio familiar, ideias ou atitudes que diminuem a importância da
família na sociedade, podem favorecer uma educação com pouca qualidade.
Sabemos também que devido a diversas variantes, a estrutura padrão familiar (pai,
mãe e filhos) não está presente em todos os lares, falamos aqui de diversas
configurações familiares.
Conforme Silva e Lima (2009, p. 242):

A partir dessas novas configurações da estrutura familiar, utilizar


terminologias como “família desestruturada” para se referir a alguma
composição familiar distinta do padrão historicamente legitimado não
encontra mais repercussão, pois presenciamos um conjunto de novos e
diferenciados arranjos familiares existentes em nosso meio social. Sob tal
perspectiva, cabe aos profissionais da educação compreender as famílias
dos (as) seus (as) alunos (as) como portadoras de semelhanças e diferenças,
e respeitar a constituição da família de cada aluno dando-lhes tratamento
equitativo.

No entanto, não podemos perder as referências, os padrões. Independente


desses aspectos teóricos, lares sem ordem, provocam desordem e influenciam na
relação do aluno com a escola. Conforme Ribeiro (2016):

Diante da diversidade da formação familiar que nos deparamos no dia-a-dia


da sala de aula, há diversidade na maneira como os pais atuam. Percebemos
que muitos pais deixam de ser autoritários, são mais liberais, deixam os filhos
mandarem em si mesmos, frequentar a escola quando estiverem dispostos e
realizar as atividades quando desejam. (p. 7).

Iagla et al (2017, p. 6), também corrobora com a influência que a família exerce
no indivíduo e por consequência na sociedade, quando diz que:
10

“A relação do indivíduo com a família influenciará nos seus comportamentos


na sociedade. A família possui o papel de passar para o indivíduo a base de
como se deve proceder na sociedade, ajudando no seu desenvolvimento
social.

Ainda segundo Ribeiro (2016) se a família e a escola se unirem, alcançaram


seus objetivos em prol da formação do aluno e de seu melhor desempenho na
aprendizagem. O autor ressalta que essa parceria deve ser democrática e destaca a
importância da gestão democrática nessa relação.
Oliveira (2015) faz uma ressalva importante, ao alertar os professores que não
observem o fator socioeconômico das famílias dos seus alunos, como explicação para
sua falta de influência e consequentemente desempenho de seus filhos na escola.
Ainda segundo a autora, em muitas situações os contatos com esses pais, resumem-
se a abordar comportamentos indisciplinares de seus filhos.
Motta (2008) em seu estudo sobre a relação da família com a matemática e a
crença da autoeficácia de seus filhos, também complementa quando afirma que
“embora a causa de todo sucesso e todo fracasso da educação escolar da criança
não ser dos pais, a família exerce importante papel no desenvolvimento acadêmico
das crianças”.

3.2 INFLUÊNCIA DA FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

Na análise literária sobre a temática, Gonçalez (2000) atesta em sua tese que
a influência dos familiares é fator preponderante sobre o desenvolvimento de atitudes
favoráveis a matemática por parte dos discentes, onde afirma que:

A revisão da literatura mostrou que a atitude em relação à Matemática pode


ser influenciada pelos familiares, pelo gênero e pela confiança. Esses
fatores são de grande importância para os estudiosos preocupados com o
desenvolvimento das atitudes favoráveis em relação ao ensino de qualquer
disciplina, e aqui se destaca a Matemática. As atitudes mais positivas
encorajam os alunos à independência, gerando a autonomia na construção
de um saber crítico e reflexivo, favorecendo as transformações. (2000, p.
113)

Ainda temos autores como Loos (2003), Bonetti (s.d) mostram a importância da
relação entre família e aprendizagem matemática, embora também apresentam como
11

resultados de suas pesquisas, que alguns alunos apresentam resultados diferentes a


determinadas condutas de seus familiares, fatores que poderiam contribuir sobre seus
desempenhos, não produzem os resultados esperados.
Segundo Motta (2008) alguns pais acreditavam que por terem baixo
desempenho em matemática quando estudavam, seus filhos também o teriam.
Portanto, essa visão dos pais pode favorecer atitudes negativas, fazendo com que os
mesmos não se envolvam nas atividades escolares de seus filhos por conta de suas
experiências negativas com a matemática.
Ainda segundo a autora a relação atitudes dos pais e desempenho em
matemática foi comprovada por meio da avaliação que o mesmo fez com os discentes,
onde comparando os resultados das entrevistas com os pais, ficou mostrada uma forte
correlação no desempenho dos alunos em que os pais possuam boa relação com a
matemática.

4. METODOLOGIA

A metodologia do trabalho consiste em uma revisão bibliográfica sobre a


influência familiar na educação matemática. Os processos metodológicos, resumiram-
se na seleção de trabalhos acadêmicos que fundamentam a pesquisa. Essa escolha
se deu por meio de pesquisas no Google e no site que contém acervos de produções
acadêmicas, o Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD)1. Para
delimitar as produções a serem analisadas, foram utilizados três critérios de seleção
das obras: a) palavras-chave nos títulos das produções acadêmicas, as quais foram:
“família matemática” e “família escola”; b) publicações a partir do ano 2000 e c) resumo
do trabalho.
No site BDTD fora selecionado o campo Título e utilizado as palavras-chave:
“família matemática”, foram encontradas seis produções acadêmicas. De acordo com
os critérios foram selecionados três trabalhos: Gonçalez (2000); Loos (2003) e Motta
(2008). No mesmo site com o uso das palavras-chave: “família escola”, foram
encontrados duzentos e oitenta e seis resultados. Foi utilizado um filtro “relação

1 http://bdtd.ibict.br/vufind/
12

família-escola” no menu Assunto, para delimitar o acervo, assim, apresentou-se treze


resultados e conforme critérios foram escolhidos dois trabalhos acadêmicos: Oliveira
(2015) e Silva (2015).
Por fim, no Google também utilizando outras palavras-chave como: “família
aprendizagem”, família escola”, “família matemática”, outras obras foram escolhidas
conforme critérios, destaca-se: Bonetti (s.d), Casarin (2007), Ribeiro (2016) e Iagla et
al (2017).

5. RESULTADOS E DISCUSSÃO

Diante dos 12 trabalhos encontrados, pode-se observar que a efetiva


participação dos pais na escola influenciam de forma significativa no desempenho de
seus filhos na escola e consequentemente no desempenho em matemática, apesar
de algumas exceções. Conforme Motta (2008, p. 122): “Todavia, a contribuição da
família no desenvolvimento da aprendizagem é inegável”.
Marcondes (2012) e Casirin (2007) salientam a importância da família no
desempenho escolar do aluno. Corrobora Oliveira (2010), o autor acrescenta ao
responsabilizar a escola em promover essa relação com os pais.
Sobre a relação família e matemática, Gonçalez (2000), Loos (2003) e Bonetti
(s.d.) atestam que essa relação é positiva, mostram que as atitudes dos pais em
relação a matemática influenciam o desempenho dos seus filhos na disciplina. Logo,
quando os pais possuem boa relação com a matemática e contextualizam os
conhecimentos com seus filhos no cotidiano, tais atitudes diminuem as dificuldades
que seus filhos têm em matemática e assim melhoram seu desempenho escolar.
Merece destaque a observação feita por Loos (2003), que as expectativas que os pais
têm no desempenho escolar de seus filhos, faz com que eles aumentem a crença em
seu próprio potencial, favorecendo um melhor aprendizado.
É importante frisar, que mesmo diante dessa influência dos pais na educação
dos filhos, no desempenho escolar e matemático, os docentes não devem esquivar-
se de suas responsabilidades, em fazer da aula, um lugar onde os alunos possam
13

sentir-se motivados a aprendizagem. Motta (2008) salienta essa consideração em sua


exposição:

As atitudes em relação à Matemática podem ser desenvolvidas através das


experiências agradáveis com essa disciplina, trocas afetivas entre professor
e aluno, observação e imitação das atitudes de outros, conhecimento a
respeito da Matemática, entre outros fatores. (p. 117).

Então, com base na análise da literatura, podemos concluir que a relação


família e escola é fundamental para a aprendizagem do estudante e por fim, que a
aprendizagem de matemática também é beneficiária dessa relação família-escola.

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Percebemos na análise literária a importância da participação efetiva dos pais


no desempenho de seus filhos na escola e consequentemente na aprendizagem de
Matemática.
Se faz importante também mencionar a mudança de paradigma na visão dos
professores em relação ao que significa participação dos pais na escola. Tal alteração
se faz necessária, visto que para muitos a presença dos pais, limita-se ao
acompanhamento das notas e comportamentos de seus filhos. Para que esse
entendimento seja efetivo, é necessário que a Escola, procure formas de envolver os
pais em suas atividades.
Infelizmente muitos pais ainda não compreendem a importância que possuem
em auxiliar a escola na educação de seus filhos. Muitos ainda consideram que a
educação é apenas obrigação da instituição. Esse pensar precisa ser superado.
Ainda sobre os pais, é importante que os mesmos se sintam capazes de
envolver-se nas atividades matemáticas de seus filhos, vimos que os alunos se
sentem mais confiantes em Matemática quando os pais mostram atitudes positivas
quanto a disciplina. A escola pode aproveitar a reunião de pais e mestres para
desenvolver essa percepção nos pais.
Sobre os trabalhos, foi possível constatar que o quantitativo de pesquisa sobre
a relação família e desempenho do aluno em matemática é pouco, comparado as
14

pesquisas sobre a relação família e escola. Outro fator que pode ser explorado é a
pesquisa dessa relação da influência da família no desempenho do aluno em
matemática no nível médio, as pesquisas focam mais no ensino fundamental.

7. REFERÊNCIAS

BONETTI, Salete Terezinha. A Interferência da família na aprendizagem


matemática das crianças. [s.l.]: [s.n.], [s.d.]. Disponível em:
<http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/707-4.pdf>. Acesso em:
27 de março de 2019.

CASARIN, Nelson Elinton Fonseca. Família e Aprendizagem Escolar.


Universidade Católica do Rio Grande do Sul. (Dissertação). Porto Alegre, RS: [s.n.],
2007. Disponível em:
<http://tede2.pucrs.br/tede2/bitstream/tede/3465/1/389091.pdf>. Acesso em: 27 de
março de 2019.

GONÇALEZ, Maria Helena Carvalho de Castro. Relações entre a família, o


gênero, o desempenho, a confiança e as atitudes em relação à Matemática.
(Tese de Doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação.
Campinas, SP: [s.n.], 2000. Disponível em:
<http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/251473>. Acesso em: 27 de
março de 2019.

IAGLA, Ingrid Kauana; GARCIA, Patrícia; SOUZA, Tayza Codina. Os Efeitos da


Participação Ativa da Família na Educação. (Artigo). Primavera do Leste, MT:
[s.n.], 2017. p. 6. Disponível em:
<https://even3storage.blob.core.windows.net/anais/69617.pdf>. Acesso em: 27 de
março de 2019.

LOOS, Helga. Atitude e desempenho em matemática, crenças auto -


referenciadas e família: uma path-analysis. (Tese de Doutorado). Universidade
Estadual de Campinas, Faculdade de Educação. Campinas, SP: [s.n.], 2003.
Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/253109>.
Acesso em: 27 de março de 2019.

MARCONDES, K. H. B.; SIGOLO, Silvia R. R. L. Comunicação e Envolvimento:


Possibilidades de Interconexões entre Família-escola? Paidéia, Araraquara, SP, v.
22, n. 51, p. 91-99, jan.-abr. 2012. p. 92. Disponível em:
<http://www.scielo.br/pdf/paideia/v22n51/11.pdf>. Acesso em: 27 de março de 2019.
15

MOTTA, Kelly Christinne Maia de Paula. A família, o desenvolvimento das


atitudes em relação a matemática e a crença de auto-eficacia. (Dissertação de
Mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação.
Campinas, SP: [s.n.], 2008. Disponível em:
<http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/252046>. Acesso em: 27 de
março de 2019.

OLIVEIRA, Luana Maria de. A relação família-escola nos periódicos científicos


brasileiros (2000-2013). (Dissertação). Universidade Federal de São Paulo, Pós-
Graduação em Educação. São Carlos, SP: [s.n.], 2015. Disponível em:
<https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/7269>. Acesso em: 27 de março de 2019.

OLIVEIRA, R. P. Escola, Desempenho, Família: Relações que se


constroem. (Monografia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de
Educação. Porto Alegre, RS: [s.n.], 2010. p. 7. Disponível
em: <https://lume.ufrgs.br/handle/10183/35732>. Acesso em: 27 de março de 2019.

RIBEIRO, Antônia Ivaneide Mourão. Os efeitos da participação ativa da família na


educação. (Artigo). Universidade Federal do Paraná. Curitiva, PR. [s.n.], 2016. p. 7.
Disponível em: <https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/53067/R%20-
%20E%20-
%20ANTONIA%20IVANEIDE%20MOURAO%20RIBEIRO.pdf?sequence=1>.
Acesso em: 27 de março de 2019.

SILVA, Maria Lucia Spadini da. Participação da família na vida escolar dos filhos
segundo o olhar dos gestores, familiares e educandos: um estudo de caso em
uma escola pública da cidade de São Paulo. (Tese de Doutorado). Pontifícia
Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, SP: [s.n.], 2015. Disponível em:
<https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16172>. Acesso em: 27 de março de 2019.

SILVA, Maria Vieira; LIMA, Lucianna Ribeiro de. A participação da família na escola:
Contribuições à democratização da gestão. Revista Retratos da Escola, Brasília, v.
3, n. 4, p. 239-252, jan./jun. 2009. p. 242. Disponível em:
<http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/viewFile/115/304>. Acesso em:
27 de março de 2019.