Você está na página 1de 5

DINÂMICA

Este é um exercício de apoio que você poderá utilizar para aprofundar seus
conhecimentos e fortalecer suas relações dentro da escola.
A ideia é ouvir a comunidade escolar por meio de uma dinâmica com professores,
funcionários, alunos e pais. Essa dinâmica poderá ser realizada em um único
encontro, com os quatro segmentos representados (professores, funcionários,
alunos e pais), ou em encontros separados.
É importante alinhar com a comunidade escolar a melhor estratégia para a condução
dessa atividade. Se a opção for a realização de encontros separados, é fundamental
que seja reservado um momento para que cada um dos segmentos compartilhe com
os outros os resultados de suas discussões.
A partir da síntese das observações e discussões dessa(s) dinâmica(s), você deverá
elaborar um relatório (ver o item II – Modelo do relatório) que poderá ser utilizado,
também, como subsídio na construção do seu projeto final.
A volta às aulas, logo após o recesso escolar, oferecerá uma ótima oportunidade
para a realização do(s) encontro(s) aqui proposto(s).

Dinâmica: A escola que temos e a escola que queremos

Objetivo: possibilitar a toda a comunidade escolar (mediante seus segmentos:


gestores, professores, funcionários, alunos e pais ou responsáveis) o
compartilhamento de pontos de vista e expectativas em relação à escola.
Sugestão: sugerimos que o tema desta dinâmica seja a pauta da primeira
assembleia do ano. As expectativas da comunidade escolar podem ser utilizadas
como base para o planejamento de ações futuras.
Material necessário: lousa, papel pardo ou cartolina, canetões, papel, caneta,
revistas, jornais, lápis de cor, cola, tesoura e durex ou fita crepe.

Desenvolvimento

1omomento:
Para essa atividade, os participantes da dinâmica deverão ser divididos em
pequenos grupos. É importante contar o total de participantes para que se formem
grupos com uma quantidade de integrantes equilibrada, capaz de garantir um melhor
aproveitamento de tempo nas apresentações que serão realizadas. Montados os

1
grupos, cada um deverá receber dois pedaços de papel pardo ou duas cartolinas.
Em um dos papéis, o grupo escreverá o título “A escola que temos” e no outro, “A
escola que queremos”. Assim, após discussões, cada grupo deverá representar por
meio de imagens, palavras, frases ou desenhos como a escola é atualmente e como
gostariam que ela fosse. Após o preenchimento dos dois papéis, cada grupo deverá
escolher um representante para expor o resultado aos demais. As apresentações
não deverão ser muito extensas, de forma a garantir um tempo maior para o
segundo momento, que representa a síntese dos grupos.
Sugestão: puxar palmas ao término de cada apresentação.

2o momento:
Em plenária, todos os participantes realizarão uma discussão mais ampla com o
objetivo de elaborar um registro coletivo que sintetize, na forma de dois painéis, “A
escola que temos” e “A escola que queremos”.

Observação:
1. É importante reforçar a ideia de que todos são responsáveis pelas ações que
poderão garantir a construção da “escola que queremos”;
2. É importante garantir que toda a comunidade escolar (gestores, professores,
funcionários, alunos e pais ou responsáveis) tenha acesso às ideias
discutidas e elencadas.

I – Algumas recomendações importantes para a realização da dinâmica:

1. Como uma variação da dinâmica apresentada, a divisão em pequenos grupos


pode ser suprimida, e a discussão será feita numa grande plenária. O
mediador/animador do encontro, na lousa ou em tiras de papel pardo, vai
preenchendo duas grandes colunas: “A escola que temos” e “A escola que
queremos”. Ao final, é feito um registro coletivo na forma de relatório ou painel
com os aspectos e pontos discutidos pelo grupo. A proposta apresentada
pode, ainda, ser substituída por outra dinâmica que conduza ao mesmo
objetivo. O livro Conflitos na Escola: Modos de Transformar: Dicas para
Refletir e Exemplos de como Lidar (CECCON, 2009) apresenta algumas
dinâmicas que você poderá escolher, se inspirar ou adaptar para a atividade
que estamos propondo. Um exemplo é a dinâmica “Elaboração Coletiva da
Visão da Escola” (CECCON, 2009, p. 101).

2
2. Essa dinâmica será uma oportunidade para a troca de informações entre
todos, para que, coletivamente, possam construir um plano de ação e
trabalho.

3. É importante que a organização da dinâmica seja elaborada por


representantes de toda a comunidade escolar (gestores, professores,
funcionários, alunos e pais ou responsáveis). Não esquecer:
 Dos critérios de participação garantindo uma amostra representativa de
todos os segmentos da comunidade escolar.
 De como realizar os convites para a participação da dinâmica,
informando a pauta que será utilizada.
 Da escolha da melhor data para realização da dinâmica.

4. Antes da dinâmica:
 Elaborar um pequeno roteiro do encontro, de preferência com previsão
de tempo para os momentos de discussão, apresentação, plenária,
fechamento, avaliação etc.
 Definir “o que cada um fará” para a realização do encontro.
 Como a sala será arrumada. Como será a disposição do mobiliário, de
maneira a possibilitar que vários grupos trabalhem separadamente e
depois se reúnam em plenária.
 Como os participantes serão recepcionados. Haverá café, música etc.?
 Escolha de quem será o coordenador, animador e/ou mediador do
encontro. Lembrando que esta pessoa precisa ter boa comunicação,
liderança e ser democrático com todos os participantes.

5. Durante a dinâmica:
 Procurar estabelecer uma atmosfera e um clima de reunião
descontraída e aberta para que todos participem.
 Apresentar a proposta e a programação do encontro, que já devem ter
sido explicitadas no convite.
 Pensar em como será a apresentação dos participantes.
 Como algumas pessoas apresentam resistência às dinâmicas de
grupo, seria interessante explicar o papel que qualquer dinâmica
cumpre em encontros como este, que é o de descontrair, integrar e
introduzir um tema para discussão.
 Lembrar de que qualquer reunião ou encontro, para ter um bom
andamento, precisa satisfazer as seguintes necessidades dos
participantes: de acolhimento, de valorização da sua participação e de
liberdade de expressão.
 Valorizar e respeitar a fala de todos os participantes.

3
6. Problematizando a dinâmica...
Dar ênfase aos pontos positivos ou negativos da escola, questionando os
participantes quanto a:
 Se sentir parte da comunidade escolar.
 Se sentir acolhido e ouvido pela escola.
 Enxergar o seu papel dentro da escola e o papel da escola na
sociedade.
 Acreditar na importância do trabalho coletivo.
 Estar aberto ao diálogo.
 Se sentir comprometido com as mudanças que vê como necessárias.
Aqui, cabe uma dica: o mediador do encontro buscará equilibrar as contribuições
dos participantes. Por exemplo, se o grupo estiver ressaltando apenas aspectos
negativos, irá intervir amigavelmente e perguntar: “ Será que não há nada
positivo em nossa escola? Pode ser algo ainda pequeno, mas que se
trabalharmos juntos poderá ser fortalecido. Que tal pensarmos em metas para
melhorar nossa escola?”

7. Avaliação e Fechamento da dinâmica:

 A avaliação do encontro pressupõe liberdade de expressão. Assim, os


participantes não devem ser intimados a falar. Não é um momento para
discussão, e sim para escuta e reflexão. Os participantes poderão ser
incentivados com o levantamento de algumas questões sobre a dinâmica,
como:
 Vocês acham que ela ajudou a fortalecer a conexão e/ou o
vínculo entre nós?
 Em que ela favoreceu a nossa participação na escola?
 Em que ela favoreceu o diálogo e a colaboração entre nós?

 No fechamento, não se esqueça de agradecer a participação de todos,


pontuar a riqueza da singularidade e da contribuição de cada um e
ressaltar a importância das trocas interpessoais no ambiente escolar.
Outra observação é quanto ao compromisso de todos em manter o que
está indo bem na escola e na construção do que queremos melhorar

8. Outras dicas: no livro Conflitos na Escola: Modos de Transformar: Dicas para


Refletir e Exemplos de como Lidar (CECCON, 2009, p. 61-62 e 95-96), você
vai encontrar dicas interessantes sobre questões de comunicação e diálogo
que vão, certamente, ajudar na mediação desses encontros.

4
II – Modelo do relatório:
O relatório deverá conter uma síntese das discussões realizadas dentro da
comunidade escolar. Deverá, também, observar os seguintes itens:

A. Apresentação
Fazer um resumo conciso do que será apresentado no relatório, relembrando os
objetivos da dinâmica.

B. Desenvolvimento
Discriminar em detalhes o modelo de dinâmica utilizado, o material e a metodologia
empregados ao longo do encontro com a comunidade escolar. Seria interessante
registrar como foi desenvolvido todo o processo de elaboração e de realização da
dinâmica.
Relate, passo a passo, desde a primeira reunião do grupo até o fechamento da
atividade proposta pelo curso. Lembre-se de explicitar quais as dificuldades
encontradas para a realização da dinâmica.

C. Resultados e discussões
O relatório deve apresentar os resultados das discussões, os painéis elaborados
pela comunidade escolar e as propostas e as observações relevantes de todos os
segmentos participantes.

D. Conclusões
Finalizar o relatório com as percepções e observações a respeito de:
Como a comunidade escolar vê a escola e como ela está aberta ao diálogo e às
novas propostas?
Quais as perspectivas e os desafios a serem enfrentados na realização do trabalho
coletivo na sua escola?
Quais metas ou possibilidades viáveis de mudança foram apontadas pela
comunidade escolar?
Quais meios efetivos de participação foram apontados (direta ou indiretamente)
durante a dinâmica?
E, por fim, não se esqueça de indicar a data em que o relatório foi elaborado e quem
o redigiu.

Você também pode gostar