Você está na página 1de 1

Irrigação por superfície

Introdução

 É um método de irrigação não-pressurizado em que a água é conduzida por gravidade


diretamente sobre a superfície do solo até o ponto de aplicação, exigindo, portanto, áreas
sistematizadas e com declividades de 0 a 6 %, de acordo com o tipo de irrigação.

 Não é recomendado para solos com alta permeabilidade, por proporcionarem grandes perdas
por percolação, e em solos instáveis pela formação de crateras quando molhados.

 Áreas com declividades acentuadas e superfície do solo desuniforme, não são recomendadas
para esse sistema, pois, apresentariam um alto custo de sistematização, além da possibilidade de
exposição do subsolo;

 É um alto consumidor de água quando comparado com os outros sistemas;

 Possui baixa eficiência de aplicação de água, devido as grandes perdas durante a aplicação. A
esse fato, podem ser atribuídas duas razões: falta de combinação adequada das variáveis,
comprimento da área, declividade da superfície do solo, vazão aplicada e tempo de aplicação, e o
manejo deficiente.

Situação da Irrigação por Superfície

 A irrigação por superfície foi o primeiro método de irrigação a ser utilizado no mundo. Há
6.000 anos a civilizações da Mesopotâmia, egípcia e chinesa já empregavam esse método de
irrigação, ainda que de forma rudimentar.

 Em 1980, cerca de 16 % das terras cultivadas no mundo eram irrigadas, sendo que 10 %
desse total eram irrigadas por superfície.

Em 1982 o Estado de Minas Gerais contava com uma área irrigada de 123.000 ha, sendo que
74 % desta era irrigada por superfície.

 Hoje no Brasil aproximadamente 1.700.000 ha são irrigados por superfície.

Tipos de Irrigação por Superfície

Irrigação por Sulco

Irrigação por Faixa

Irrigação por Inundação