Você está na página 1de 13

Sistema Seriado de Avaliação

COLETÂNEA DE PROVAS – 2015 À 2017

LÍNGUA PORTUGUESA
SSA – 1ª Fase

1º Dia Página 2
SSA – 1ª Fase
LÍNGUA PORTUGUESA/ 2015

Texto 1 (questões de 1 a 6)
Mais de 21% dos jovens têm sintomas de depressão; 5% tentaram suicídio
Mais de 21% dos brasileiros de 14 a 25 anos têm sintomas indicativos de depressão. Entre as mulheres,
a proporção é ainda maior e passa de 28%, segundo dados do 2º Levantamento Nacional de Álcool e
Drogas (Lenad), divulgado nesta quarta-feira (26) pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Os pesquisadores do Lenad avaliaram os indicadores do transtorno por meio de uma ferramenta de
diagnóstico validada no país, a escala CES-D. Eles alertam, no entanto, que a diferença entre os gêneros
pode se dar simplesmente porque as mulheres tendem a relatar mais seus sintomas e procurar ajuda.
Você está deprimido ou é só tristeza?
Confundir tristeza com depressão é muito comum e não traz graves consequências. O problema é quando
a pessoa acha que está triste e, na verdade, está deprimida. Nesse caso, além de gerar sofrimento, a
situação pode colocar a saúde em risco.
Suicídio
Na população de adolescentes e jovens adultos, quase 1 em cada dez já pensou, em algum momento,
em tirar a própria vida – índice que foi semelhante entre os jovens dos dois sexos; 5% dos jovens
declararam já terem feito alguma tentativa de suicídio.
A OMS prevê que até o ano de 2020 a depressão passe a ser a segunda maior causa de incapacidade e
perda de qualidade de vida na população mundial.
“Este tipo de dado causa um pouco de espanto, pois, se pensarmos na faixa etária, diríamos que estão
na chamada ‘flor da idade’. E, novamente, as meninas são a maioria. Porém, é bom lembrarmos que elas
costumam relatar mais facilmente seus sentimentos e opiniões que os garotos”, salienta a psicóloga e
doutora em psiquiatria Ilana Pinsky, uma das responsáveis pela pesquisa.
Cármen Guaresemin. Disponível em:
http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2014/03/26/mais-de-21-dos-jovens-tem-sintomas-de-depressao-5-tentaram-suicidio.htm. Acesso em:
18/07/2014. Adaptado.

1. O texto 1 se caracteriza por


I. apresentar, já no título, informações que serão detalhadas no texto.
II. fornecer ao leitor informações baseadas em dados empíricos.
III. objetivar, principalmente, convencer os leitores a mudarem de atitude.
IV. trazer a voz de uma autoridade, que é apresentada em discurso direto.
Estão CORRETAS as proposições:
a) I, II e III, apenas.
b) I, II e IV, apenas.
c) I, III e IV, apenas.
d) II, III e IV, apenas.
e) I, II, III e IV.

2. Considerando o conteúdo global do texto 1, é CORRETO afirmar que ele


a) tem um público-alvo muito restrito, já que trata de assunto que interessa particularmente a
especialistas.
b) revela preconceito da autora em relação ao gênero feminino, pois ela faz referências
negativas às mulheres.
c) atenua a gravidade dos atos suicidas, pelo fato de desvelar dados sigilosos sobre o suicídio
entre jovens.
d) apresenta uma opinião que vai de encontro à previsão da OMS sobre a depressão, para o
futuro da população mundial.
e) aborda de forma objetiva um tema de relevância social, que ajuda o leitor a inteirar-se da
realidade circundante.

1º Dia Página 3
SSA – 1ª Fase

3. São palavras-chave do texto 1:


a) pesquisa, depressão e tristeza.
b) tristeza, juventude e OMS.
c) jovens, depressão e suicídio.
d) brasileiros, Lenad e jovens.
e) Unifesp, suicídio e pesquisa.

4. Considerando alguns recursos lexicais e gramaticais da coesão do Texto 1, analise as


proposições a seguir.
No trecho: “Entre as mulheres, a proporção é ainda maior” (linha 2), a autora pôde optar pela elipse
após o termo ‘proporção’ porque o leitor recupera a informação que ficou elíptica a partir do trecho
imediatamente anterior.
No trecho: “a diferença entre os gêneros pode se dar simplesmente porque as mulheres tendem a
relatar mais seus sintomas e procurar ajuda.” (2º parágrafo), a relação hiperônimo-hipônimo dos
termos destacados contribui para garantir a coerência do elo coesivo.
No trecho: “O problema é quando a pessoa acha que está triste e, na verdade, está deprimida.”, a
opção por ocultar o sujeito dos verbos destacados só é possível porque o verbo está repetido.
No trecho: “Este tipo de dado causa um pouco de espanto, pois, se pensarmos na faixa etária,
diríamos que estão na chamada ‘flor da idade’.” (parágrafo final), evidencia-se falta de paralelismo
entre os tempos verbais utilizados pela entrevistada.
Estão CORRETAS, apenas:
a) I, II e IV. b) I e II. c) III e IV. d) I e III. e) II e IV.

5. Observe: “Eles alertam, no entanto, que a diferença entre os gêneros pode se dar simplesmente
porque as mulheres tendem a relatar mais seus sintomas e procurar ajuda.”. Acerca de relações lógico-
semânticas presentes nesse trecho, assinale a alternativa CORRETA.
a) O conectivo “no entanto” expressa uma relação de conclusão, a qual permaneceria inalterada
se ele fosse substituído por “portanto”.
b) A relação semântica estabelecida por “no entanto” seria substancialmente alterada se ele
fosse colocado no início do trecho.
c) Embora o conectivo “porque” geralmente expresse uma relação de causalidade, no trecho
apresentado expressa consequência.
d) No segmento: “as mulheres tendem a relatar mais seus sintomas”, o leitor deve perceber que
há uma comparação implícita.
e) O conectivo “e”, geralmente de valor aditivo, é empregado para contrastar ideias divergentes
nos segmentos finais do trecho.

6. Acerca de aspectos gramaticais do Texto 1, analise as proposições a seguir.


No trecho: “5% dos jovens declararam já terem feito alguma tentativa de suicídio.”, o autor optou
pela forma plural do verbo. Nesse caso, a forma singular estaria igualmente de acordo com a norma-
padrão.
No trecho: “Na população de adolescentes e jovens adultos, quase 1 em cada dez já pensou, em
algum momento, em tirar a própria vida – índice que foi semelhante entre os jovens dos dois sexos.”,
o travessão indica uma pausa breve e realça a informação que vem após ele.
O segmento “tirar a própria vida” pode ser parafraseado por “dizer não à vida”. Nessa paráfrase, o
sinal indicativo de crase é obrigatório.
Assim como “depressão”, também se grafam com “ss” palavras como “admirassão" e “excessão”.

Estão CORRETAS, apenas:


a) I e II. b) I e IV. c) II e IV. d) III e IV. e) II e III.

1º Dia Página 4
SSA – 1ª Fase

Texto 2 (questões 7 e 8)

(Disponível em: http://grupago.org/2012/index.php?option=com_content&view=article&id=228&Itemid=259. Acesso em: 23/07/14)

7. Considerando a forma de apresentação do Texto 2, analise as afirmações abaixo.


Embora estejam presentes elementos não verbais, a organização tradicional em parágrafos é a
que prevalece.
Os elementos não verbais, apesar de predominantemente ilustrativos, contribuem para atrair a
atenção dos leitores.
Do ponto de vista gráfico, o fato de o texto apresentar cada uma das “metas do milênio” em um
espaço próprio, marcado com cores diferentes, é um recurso que contribui para os efeitos de sentido
pretendidos.
O fato de a síntese do texto vir somente no final é uma estratégia bem-sucedida, que instiga o leitor
a ler o texto até o fim.
Estão CORRETAS, apenas:
a) I e III. b) II, III e IV. c) I, III e IV. d) I e II. e) I e IV.

8. Considerando o vocabulário empregado no Texto 2, assinale a alternativa CORRETA.


a) A ideia de “Acabar com a fome e a miséria” equivale semanticamente à de “Extinguir a fome e
a miséria”.
b) Com a expressão “Igualdade entre sexos”, o texto pretendeu apoiar os relacionamentos
homoafetivos.
c) A ideia de “Reduzir a mortalidade infantil” mantém uma relação de antonímia com “Minimizar
a mortalidade infantil”.
d) A ideia de “Melhorar a saúde das gestantes” contempla igualmente homens e mulheres.
e) Na ideia de “Combater a AIDS, a malária e outras doenças”, percebemos a tentativa de
aproximar três campos semânticos distintos.

1º Dia Página 5
SSA – 1ª Fase

LÍNGUA PORTUGUESA/ 2016


Texto 1 (questões de 01 a 07)

Português no topo das línguas mais importantes

(1) A língua portuguesa é a segunda língua mais importante no mundo dos negócios, pelo menos
para quem tem o inglês como língua materna. Quem o diz é Ofer Shoshan, um colaborador da
revista norte-americana Entrepeneur, num artigo divulgado esta semana.
(2) Espanhol, português e chinês são, na opinião do autor do artigo, as línguas que “todos os
diretores executivos de empresas globais devem aprender”. A lista refere um total de 6 línguas,
incluindo o russo, o árabe e o alemão.
(3) “A língua portuguesa já é a quarta língua mais traduzida, na nossa empresa, o que reflete o seu
crescimento nos últimos anos”, diz Ofer, que é o diretor executivo da empresa de traduções One
Hour Translations.
(4) O autor admite, contudo, que este aumento da ‘procura’ da língua portuguesa está ligado ao
Brasil e não a Portugal, já que “a economia brasileira está a deixar de ser emergente para passar
a ser uma das mais ricas do mundo, com uma população gigantesca, vastos recursos naturais e
uma forte comunidade tecnológica”.
(5) Ofer Shoshan recorda que o próprio Bill Gates assumiu, recentemente, um dos seus maiores
arrependimentos: não falar uma segunda língua para além do inglês.
(6) Por outro lado, o autor refere o momento em que o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg,
“mostrou um impressionante domínio da língua chinesa, durante uma visita, em outubro passado,
a uma universidade de Pequim”.
(7) “Ao aprender chinês, Zuckerberg demonstrou que dominar a língua local é fundamental para
aprofundar relações de negócio e conquistar a alma e o coração dos mercados”, diz Ofer Shoshan.
Disponível em: https://iilp.wordpress.com/2015/05/06/portugues-no-topo-das-linguas-mais-importantes
Acesso em:23/05/2015. Adaptado.
SSA – 1ª Fase

1. Podemos afirmar que, no Texto 1, o título representa a síntese de sua informação principal. Ao
longo do texto, o autor esclarece ao leitor que a importância da língua portuguesa, apontada no título,
justifica-se pelo:

I. crescente destaque que Portugal tem experimentado no contexto da comunidade europeia.


II. forte incremento das condições socioeconômicas que se tem verificado no cenário brasileiro.
III. estreitamento das relações comerciais entre o Brasil e a China, especialmente na área
tecnológica.
IV. aumento da demanda pelo aprendizado dessa língua, provocado por interesses comerciais.

Estão CORRETAS:

a) I e IV, apenas.
b) I, II e III, apenas.
c) II, III e IV, apenas.
d) II e IV, apenas.
e) I, II, III e IV.

2. Como em todo texto, também no Texto 1, o autor utiliza diversos recursos coesivos, que
colaboram para a coerência textual. Acerca desses recursos, é CORRETO afirmar que

a) no trecho: “Quem o diz é Ofer Shoshan” (1º parágrafo), o termo destacado faz referência ao
substantivo próprio que vem logo em seguida (Ofer Shoshan).
b) o trecho: “Espanhol, português e chinês são, na opinião do autor do artigo,” (2º parágrafo)
apresenta certa incoerência, já que o leitor não tem como relacionar o segmento destacado
a outras partes do texto.
c) no trecho: “A língua portuguesa já é a quarta língua mais traduzida, na nossa empresa” (3º
parágrafo), a forma plural destacada foi utilizada porque o autor do Texto 1 é, também, dono
da empresa mencionada.
d) no trecho: “O autor admite, contudo,” (4º parágrafo), o segmento destacado faz referência
ao fundador do Facebook, Mark Zuckerberg.
e) no trecho: “Ofer Shoshan recorda que o próprio Bill Gates assumiu, recentemente, um dos
seus maiores arrependimentos” (5º parágrafo), a forma pronominal destacada tem como
referente “Bill Gates”.

3. A análise de aspectos semânticos do Texto 1 nos permite afirmar que

a) o trecho: “para quem tem o inglês como língua materna” equivale semanticamente a “para
quem é fluente na língua inglesa”.
b) com a forma verbal utilizada no trecho: “Espanhol, português e chinês são as línguas que
‘todos os diretores executivos de empresas globais devem aprender’”, o leitor deve
compreender que se faz uma recomendação.
c) no trecho: “A língua portuguesa já é a quarta língua mais traduzida, o que reflete o seu
crescimento nos últimos anos”, o segmento destacado corresponde a “o que atenua”.
d) a ideia presente em: “vastos recursos naturais” se opõe àquela presente em: “recursos
naturais abundantes”.
e) ao afirmar que “dominar a língua local é fundamental”, o autor pretendeu dizer que “é
irrelevante saber a língua do lugar onde se está”.
SSA – 1ª Fase

4. No que se refere a algumas relações semânticas que se apresentam no Texto 1, analise as


afirmações abaixo.

I. No trecho: “A língua portuguesa é a segunda língua mais importante no mundo dos negócios,
pelo menos para quem tem o inglês como língua materna.”, o segmento sublinhado expressa
uma ressalva.
II. No trecho: “O autor admite, contudo, que este aumento da ‘procura’ da língua portuguesa
está ligado ao Brasil”, o termo destacado indica que o autor pretendeu mudar a direção
argumentativa do texto.
III. Ao iniciar o sexto parágrafo com a expressão “Por outro lado”, o autor sinaliza ao leitor que
vai inserir no texto um novo ponto de vista.
IV. No trecho: “Ao aprender chinês, Zuckerberg demonstrou que dominar a língua local é
fundamental para aprofundar relações de negócio”, o segmento destacado expressa
condicionalidade.

Estão CORRETAS:

a) I, II e III, apenas.
b) I, II e IV, apenas.
c) I, III e IV, apenas.
d) II, III e IV, apenas.
e) I, II, III e IV.

5. Sabemos que a língua portuguesa falada e escrita em Portugal apresenta diferenças em relação
à língua portuguesa do Brasil. Uma dessas diferenças está evidenciada no seguinte trecho do Texto
1:

a) “um colaborador da revista norte-americana Entrepeneur”.


b) “que é o diretor executivo da empresa de traduções One Hour Translations”.
c) “a economia brasileira está a deixar de ser emergente”.
d) “o próprio Bill Gates assumiu um dos seus maiores arrependimentos”.
e) “[...] é fundamental para conquistar a alma e o coração dos mercados”.

6. Considerando algumas formas verbais empregadas no Texto 1, assinale a alternativa


CORRETA.

a) O tempo e o modo da forma verbal empregada no trecho: “A língua portuguesa é a segunda


língua mais importante no mundo dos negócios” expressam a incerteza do autor em relação
à afirmação que ele faz.
b) Na variante brasileira do português, o fato de os verbos “ter” e “haver” serem, às vezes,
empregados como equivalentes, pode ser exemplificado no trecho “para quem tem o inglês
como língua materna”.
c) No trecho: “Ofer Shoshan recorda que o próprio Bill Gates assumiu, recentemente, um dos
seus maiores arrependimentos”, a variação presente/passado das formas verbais
destacadas resulta em incorreção no texto.
d) Com a forma verbal selecionada no trecho: “Mark Zuckerberg mostrou um impressionante
domínio da língua chinesa”, o autor pretendeu indicar uma ação iniciada no passado e ainda
não concluída.
e) No trecho: “‘Ao aprender chinês, Zuckerberg demonstrou que [...]’, diz Ofer Shoshan”, a
forma verbal destacada, embora esteja no presente, indica uma ação do passado.
SSA – 1ª Fase

7. Para alcançar seus propósitos comunicativos, o autor do Texto 1 utiliza alguns recursos
linguísticos. Acerca desses recursos, analise as afirmações abaixo.
I. Em atendimento às exigências do gênero do Texto 1, o autor seguiu as normas ortográficas
vigentes em nosso país. Atente-se, por exemplo, para o termo “português”, que se grafa como
“gravidês” e “embriaguês”.
II. No trecho: “as línguas que ‘todos os diretores executivos de empresas globais devem
aprender’” (2º parágrafo), a forma verbal destacada está no plural em concordância com seu
sujeito plural “as línguas”.
III. No trecho: “Ofor Shoshan recorda que o próprio Bill Gates assumiu, recentemente, um dos
seus maiores arrependimentos: não falar uma segunda língua para além do inglês” (5º
parágrafo), os dois pontos introduzem um segmento explicativo.
IV. No parágrafo final, o autor empregou as aspas para indicar que estava utilizando ‘outra voz’
no texto, em discurso direto.
Estão CORRETAS:

a) I e III, apenas. b) I e IV, apenas. c) II, III e IV, apenas. d) III e IV, apenas. e) I, II, III e IV.

Texto 2 (questão 08)

(Disponível em: https://www.cers.com.br/noticias-e-blogs/noticia/aproveite-40-de-desconto-na-semana-da-lingua-


portuguesa. Acesso em: 07/07/2015.)
8. Alguns conhecimentos prévios ajudam o leitor a compreender adequadamente o Texto 2. Dentre
esses conhecimentos, o leitor deve saber que, por exemplo,

a) a expressão “língua portuguesa” é empregada, também, para fazer referência a uma disciplina
escolar, e pode ser objeto de transação comercial.
b) “40% off” é uma expressão corrente no Brasil, e significa que o estudante poderá parcelar o
pagamento de sua compra em até 40 vezes.
c) o termo “isoladas” faz referência ao fato de o estudante poder receber aulas de língua
portuguesa individualmente, e não em turmas maiores.
d) o termo “pegadinhas” é empregado para fazer referência às questões mais recorrentes nos
concursos públicos, em que a língua portuguesa é obrigatória.
e) a expressão “semana da língua portuguesa” faz referência a uma semana especial, em que,
no nosso país, a língua portuguesa é homenageada.
SSA – 1ª Fase

LÍNGUA PORTUGUESA/ 2017


Texto 1 (questões de 01 a 07)

Pedestre, a medida de todas as coisas

Na palestra que fiz mês passado no uma inversão de sentido, que o planejamento
seminário A Mobilidade a Pé e o Futuro do comece pelo chão, por onde anda o pedestre e,
Recife, organizado pelo INTG – Instituto da aí, vá “subindo” até chegar ao satélite. Se isso
Gestão – e apoiado pelo Cesar, pela fosse feito, com certeza, não teríamos muitas
Urbana/PE e pela Fiepe, tive oportunidade de das atrocidades que suportamos nas cidades
falar sobre a importância crucial do pedestre brasileiras andando por elas…
para o urbanismo contemporâneo. Esse Na Grécia antiga, a filosofia pré-socrática
seminário regional foi um desdobramento, no defendia que “o homem é a medida de todas as
Recife, do seminário internacional Cidades A coisas”. Na cidade, a medida de todas as
Pé, realizado em São Paulo, no mês de coisas, sem a menor sombra de dúvida, é o
novembro do ano passado. pedestre! Não entender isso é ficar na
Disse que, embora graduado em contramão da história contemporânea do
Arquitetura e Urbanismo pela UFPE, só fui urbanismo. Que o digam Jan Gerl com seu
entender o que considero vital na questão consagrado livro “Cidade para as Pessoas”, e
urbana atual depois que andei milhares de Jeff Speck com o seu excelente livro “Cidade
quilômetros no Recife. Depois, portanto, que, Caminhável”. Que o digam as cidades da
na prática, me “pós-graduei” pelos pés. O Europa e, já, muitas dos EUA, além de
essencial do que aprendi foi que se o pedestre praticamente todas as capitais latino-
se sente mal no solo é porque o urbanismo é americanas…
ruim e o planejamento urbano, se houve, Já existem, inclusive, um conceito e um
falhou. conjunto de indicadores que ajudam a
O planejamento urbano tradicional, o que materializar essa tendência. Trata-se, o
se aprende na escola e amiúde se aplica por aí, conceito, do Walkability, e o conjunto de
começa olhando o espaço pelo satélite (ainda indicadores, do Walk Score, que mede o quanto
mais agora com a proliferação das tecnologias “caminhável” é determinado local, bairro ou
de internet…), depois “desce” para o mapa, cidade. Temos que seguir por aí. Afinal, como
para a planta, para o detalhe, e termina por não repete aquele complemento de comercial de
chegar ao nível do chão, de quem está andando rádio e TV, independente do meio de transporte
na rua. Depois de gastar muita sola de sapato que utilizemos, “na cidade, todos somos
por aí, defendo que haja pedestres”.
SSA – 1ª Fase
Francisco Cunha. In: Revista Algomais, Ano 11, n 124, julho de 2016, p.50. Adaptado.

1. No Texto 1, seu autor defende, principalmente, a ideia de que

a) o urbanismo contemporâneo deve ficar na contramão da filosofia pré-socrática, que tomava o


homem como a medida de todas as coisas.
b) o planejamento urbano tradicional explore mais a proliferação das tecnologias de internet e
comece olhando o espaço pelos satélites.

c) nós, pedestres, temos o dever de saber quão „caminhável‟ é nosso bairro ou nossa cidade,
independentemente do meio de transporte que utilizemos.
d) os pedestres precisam se sentir responsáveis pelo planejamento urbano, de modo que as
cidades, no Brasil e no exterior, tornem-se „caminháveis‟.
e) todos os projetos que visam planejar a mobilidade das cidades deveriam ter o bem-estar e as
necessidades dos pedestres como parâmetros.

2. No que se refere ao título e aos aspectos gráficos de apresentação do Texto 1, analise as


proposições a seguir.

I. A adequação do título se evidencia pelo fato de ele representar uma síntese da principal ideia
expressa no texto.
II. A disposição gráfica dos parágrafos, em colunas, é uma estratégia do autor que provoca
estranhamento no leitor, uma vez que essa não é a disposição característica do gênero textual
em questão.
III. Já no título fica óbvio que o autor pretende dialogar com a categoria “pedestres”, sendo essa
categoria o público-alvo do texto.
IV. O recurso gráfico “itálico” aparece no texto com diferentes funções: no parágrafo introdutório,
indica, de forma diferenciada, os títulos dos eventos mencionados; no parágrafo conclusivo, além
de indicar denominação com substantivos próprios, marca o uso de palavras/expressões
estrangeiras.

Estão CORRETAS:
a) I e IV, apenas.
b) I, II e III, apenas.
c) II e III, apenas.
d) II, III e IV, apenas.
e) I, II, III e IV.

3. Considerando os recursos utilizados para assegurar a coesão e a coerência do Texto 1, assinale a


alternativa CORRETA.

a) A opção por iniciar o segundo parágrafo por “Disse que...” se configura como um equívoco nos
elos coesivos do texto, pois nele não são fornecidas informações que contextualizem a ação de
„dizer‟.
b) No trecho: “O planejamento urbano tradicional, o que se aprende na escola e amiúde se aplica por
aí” (3º parágrafo), o termo destacado representa uma retomada de “na escola”.
c) No trecho: “Se isso fosse feito, com certeza, não teríamos muitas das atrocidades que suportamos
nas cidades brasileiras andando por elas…” (3º parágrafo), o autor obriga o leitor a relacionar o
segmento sublinhado com os parágrafos anteriores, nos quais algumas atrocidades foram listadas.
d) No trecho: “Que o digam Jan Gerl [...] e Jeff Speck [...]” (4º parágrafo), o termo destacado indica
o complemento do verbo „dizer‟ e se refere às afirmações feitas pelo autor, nos períodos
imediatamente anteriores, no texto.
e) Para compreender o segmento destacado no trecho: “Que o digam as cidades da Europa e, já,
muitas dos EUA, além de praticamente todas as capitais latino-americanas…” (4º parágrafo), o leitor
deve completar a seguinte informação que está implícita: “muitas pessoas dos EUA”.
1º Dia Página 11
SSA – 1ª Fase
4. Há, no Texto 1, alguns recursos linguísticos que situam o leitor em relação ao contexto no qual o
texto é construído. Acerca desses recursos, assinale a alternativa CORRETA.
a) Logo no início do texto, o leitor pode perceber que há um “eu” que emite opiniões, o que imprime
um tom confessional ao texto e permite a abordagem de uma temática pessoal, individualizada.
b) No terceiro parágrafo, o autor primeiramente resgata a dinâmica do planejamento urbano
tradicional, a fim de, na sequência, apontá-la como a solução para vencer “as atrocidades” das
cidades brasileiras.
c) Os dois parágrafos introdutórios são importantes, no sentido de apresentar ao leitor, além de
dados contextuais de espaço e tempo, a informação de que o autor é uma pessoa que tem
„autoridade‟ para abordar o assunto em pauta.
d) A informação, apresentada no texto, de que o autor é “graduado em Arquitetura e Urbanismo pela
UFPE” (2º parágrafo) justifica sua opção por utilizar um registro extremamente formal, ao longo de
todo o texto.
e) No quarto parágrafo, o autor deixa explícita para o leitor a informação de que toda a reflexão que
ele faz, no texto, está restrita ao espaço geográfico da Grécia antiga.

5. Acerca de algumas relações lógico-semânticas presentes no Texto 1, analise as afirmações a


seguir.
I. No trecho: “Disse que, embora graduado em Arquitetura e Urbanismo pela UFPE, só fui entender
o que considero vital na questão urbana atual depois que andei milhares de quilômetros no
Recife.” (2º parágrafo), o segmento sublinhado deve ser interpretado como uma ressalva.
II. Com o trecho: “Depois, portanto, que, na prática, me „pós-graduei‟ pelos pés.” (2º parágrafo), o
autor apresenta a conclusão do que tinha dito, anteriormente, no texto.
III. Com o segmento destacado no trecho: “O essencial do que aprendi foi que se o pedestre se
sente mal no solo é porque o urbanismo é ruim” (2º parágrafo), o autor faz uma afirmação
categórica.
IV. O segmento destacado no trecho: “Depois de gastar muita sola de sapato por aí, defendo que
haja uma inversão de sentido” (3º parágrafo) situa temporalmente o segmento final.

Estão CORRETAS:
a) I e III, apenas.
b) I, II e IV, apenas.
c) II e IV, apenas.
d) III e IV, apenas.
e) I, II, III e IV.

6. Considerando aspectos semânticos do vocabulário utilizado no Texto 1, assinale a alternativa


CORRETA.

a) A ideia de “importância crucial do pedestre” (1º parágrafo) equivale semanticamente à ideia de


„importância fundamental que tem o pedestre‟.
b) Uma ideia que se opõe a “o que considero vital na questão urbana” (2º parágrafo) é „o que
considero negativo na questão urbana‟.
c) Com a afirmação de que “na prática, me „pós-graduei‟ pelos pés” (2º parágrafo), o autor
pretendeu afirmar que, na prática, ele tinha estudado profundamente a fisiologia dos pés.
d) As afirmações: “o planejamento urbano, se houve, falhou” e „o planejamento urbano, se houve,
declinou‟ têm sentidos contrários.
e) O termo “caminhável” (5º parágrafo) é um neologismo criado pelo autor para expressar a ideia de
„difícil de caminhar‟.

7. No que se refere a aspectos gramaticais presentes no Texto 1, analise as proposições a seguir.


I. A palavra “pedestre” é formada a partir do radical “pedra”, que era o material do qual eram feitas
as primeiras vias terrestres.
II. Segundo a norma-padrão da língua, no enunciado: “Já existem, inclusive, um conceito e um
conjunto de indicadores que ajudam a materializar essa tendência.” (5º parágrafo), o verbo
1º Dia Página 12
SSA – 1ª Fase
“existir” poderia ser substituído pelo verbo “haver”, sem alteração da concordância.
III. No trecho: “Na Grécia antiga, a filosofia pré-socrática defendia que „o homem é a medida de
todas as coisas‟.” (4º parágrafo), a vírgula cumpre a função de isolar um adjunto adverbial, e as
aspas, no segmento sublinhado, foram utilizadas para delimitar uma citação.
IV. O fato de ter grafado com acento termos como “pé”, “mês”, “só” e “já” revela que o autor seguiu
a regra ortográfica vigente na atualidade de acentuar os monossílabos tônicos.
Está(ão) CORRETA(S):
a) I, II, III e IV. b) I, II e III, apenas. c) I, II e IV, apenas. d) III, apenas. e) III e IV, apenas.

Texto 2 (Questão 8)

Disponível em: https://andersoncoutodotcom.wordpress.com/2012/07/08/criacao-e-redacao-de-anuncios-publicitarios. Acesso em:


12/07/2016. Adaptado.

8. A compreensão do Texto 2 exige que o leitor perceba que, nele, apresentam-se duas normas
linguísticas. Para diferenciá-las, o principal recurso utilizado pelo autor foi o de
a) representar, nas ilustrações, duas diferentes classes sociais. Isso justifica, por exemplo, as imagens
de pessoas bem-vestidas juntamente com outras, de pessoas malvestidas.
b) mesclar, no texto, elementos verbais com elementos não verbais. Isso possibilitou que o texto fosse
escrito na „norma culta‟, e as imagens representassem a „norma popular‟.
c) grafar algumas palavras em desacordo com as convenções ortográficas, porém de maneira mais
aproximada da fala. Isso justifica, por exemplo, as diferentes grafias de “bem está” / “bem-estar”.
d) distribuir o texto em diferentes planos. Isso permitiu que a norma considerada „culta‟ ficasse
destacada em primeiro plano, e a norma considerada „não culta‟ ficasse em segundo.
e) trazer, para o texto, diferentes gêneros. Isso possibilitou que a „norma culta‟ fosse expressa na forma
de versos, no gênero poema; e a „norma não culta‟ fosse expressa na forma de prosa, no gênero
anúncio publicitário.

1º Dia Página 13