Você está na página 1de 10

INDRODUÇÃO

O uso de drogas é um fenómeno mundial que precisa ser discutido nacional e


internacionalmente. Nada de tabu, vamos falar sobre drogas, para o Escritório das
Nações Unidas Contra Drogas e Crime, uma das formas mais importantes de prevenir o
uso de drogas é a informação. É preciso saber sobre os riscos do abuso dessas
substâncias. Por alterar o nível de consciência, o uso pode levar a práticas arriscadas,
como sexo sem preservativo ou compartilhamento de seringas e outros materiais que
podem transmitir doenças como o HIV/Aids e a hepatite. Actos violentos também
podem decorrer do abuso de substâncias. Este trabalho busca informar sobre os tipos de
drogas no nosso país, seus efeitos e como agem no organismo e também do álcool na
fase adolescente.

Página 1
1. As drogas
1.1. Drogas

Droga, em seu sentido original, é um termo que abrange uma grande quantidade
de substâncias - desde o carvão vegetal à aspirina.

Em medicina, refere-se a qualquer substância com o potencial de prevenir ou


curar doenças ou aumentar o bem-estar físico ou mental; em farmacologia, refere-se a
qualquer agente químico que altera os processos bioquímicos e fisiológicos de tecidos
ou organismos. Portanto, droga é uma substância que é, ou pode ser, incluída numa
farmacopeia.

Contudo, em um contexto legal e no sentido corrente (fixado depois de quase um


século de repressão ao consumo de certas drogas), o termo "droga" refere-se,
geralmente, a substâncias psicoativas e, em particular, às drogas ilícitas ou àquelas cujo
uso é regulado por lei, por provocarem alterações do estado de consciência do
indivíduo. Certos fármacos de uso médico controlado, tais como os opiáceos, também
podem ser tratados como drogas ilícitas, quando produzidos e comercializados sem
controlo dos órgãos sanitários ou se consumidos sem prescrição médica.

1.2. Surgimento

Há milénios o homem conhece plantas como a iboga, uma droga vegetal. O


historiador grego Heródoto anotou, em 450 a.C., que a Cannabis sativa, planta da
maconha, era queimada em saunas para dar barato em frequentadores. No fim do século
19, muitos desses produtos viraram, em laboratórios, drogas sintetizadas.

Ao analisarmos o quanto é gasto nessa Política Criminal de combate ao


Tráfico parece até mesmo inacreditável que as drogas já tenham sido legais, e até
mesmo incentivadas e comercializadas por algumas das Multinacionais mais
importantes do mundo. Os primeiros graves problemas com o vício maligno surgiram
no período da Guerra Civil americana (conflito que ocorreu nos Estados Unidos da
América de 1861 a 1865 e colocou em lados opostos o Sul e o Norte daquele país),
pois os médicos aliviavam as dores dos gravemente feridos através da Morfina, o que
resultou em inúmeros veteranos viciados (episódio o qual ficou conhecido como “A
Doença do Soldado”).

Página 2
Foram os imigrantes chineses que introduziram o Ópio na América (para fins
não medicinais) e, após o fim da Guerra passou a ser um hábito a prescrição dele para
todos os tipos de mal-estar como resfriados, dores de cabeça, cansaço e etc. A Heroína
(derivado do Ópio) passou a ser vendida livremente em farmácias e correios, sendo
comercializada até mesmo pela Bayer Company como um eficaz e inócuo remédio
substituto da morfina, sendo que seus anúncios mundialmente asseguravam: “Ao
contrário da Morfina, a nova substância produz um aumento da actividade e faz
desaparecer todo tipo de tosse". Em 1900, algumas sociedades filantrópicas chegaram
a distribuir amostras gratuitas de Heroína via correio tanto para os viciados em
Morfina e que desejavam reabilitar-se, como para crianças carentes as quais os pais
não tinham dinheiro para comprar remédios.

A Cocaína surgiu um pouquinho posteriormente (aproximadamente nos anos


de 1900) e mais uma vez com a falsa esperança de ser um poderoso remédio. Até
mesmo o pai da Psicanálise, o Médico Vienense Sigmund Freud (1856-1939),
acreditou durante um bom tempo que ela fosse uma droga útil para o tratamento da
depressão. Aos 28 anos, ele tinha certeza que a Cocaína era fundamental para curar
as" Doenças da Alma ", e inclusive usando-a ao diluí-la na água. Os primeiros
resultados foram animadores, mas aos poucos percebeu que os pacientes estavam
tornando-se viciados. A coisa já estava saindo do controle quando Freud deu uma
guinada: largando-a para “investigar o inconsciente sobriamente”.

Em 1914, com a proibição da Cocaína, Freud fez de tudo para dissociar sua
imagem da droga: Queimou documentos a respeito e negou que “A Interpretação dos
Sonhos” (uma de suas obras mais conhecidas) tenha sido escrita sob influência e
estímulos directos da substância. Se tivesse tido a oportunidade de vê-la sendo
responsável pelo mais lucrativo Império Criminoso da história, provavelmente ficaria
perplexo. O sucesso foi tanto entre as celebridades da época que uma bebida que era
uma mistura de vinho com cocaína, chamada “Vinho Mariani”, foi apreciada por
celebridades como Ulysses Grant, Thomas Edison e até mesmo o Papa Leão XIII. E a
Coca-cola Company que foi lançada em 1886 só foi retirá-la de sua fórmula original
em 1903.

Página 3
1.3. Tipos de drogas

As drogas são definidas como toda substância, natural ou não, que modifica as
funções normais de um organismo. Também são chamadas de entorpecentes ou
narcóticos. As maiorias das drogas são produzidas à partir de plantas (drogas naturais),
como por exemplo a maconha, que é feita com Cannabis sativa, e o Ópio, proveniente
da flor da Papoula. Outras são produzidas em laboratórios (drogas sintéticas), como o
Ecstasy e o LSD. A maioria causa dependência química ou psicológica, e podem levar à
morte em caso de overdose. Existem exames médicos que conseguem detectar a
presença de várias drogas no organismo - são chamados de Exames Toxicológicos.

As pessoas que tentam abandonar as drogas podem sofrer com a Síndrome de


Abstinência, que são reacções do organismo à falta da droga.

O tráfico de drogas é chamado de narcotráfico. Algumas dessas substâncias são


utilizadas em medicamentos (drogas lícitas), outras são proibidas em quase o mundo
todo (drogas ilícitas).

1.3.1. Principais tipos de drogas

Existem drogas lícitas e drogas ilícitas. As drogas lícitas são as que podem ser
comercializadas como o cigarro e as bebidas alcoólicas. Já as drogas ilícitas são aquelas
que têm a sua venda proibida, como a maconha, crack, cocaína, ecstasy.

Os principais tipos de drogas são:

 Drogas naturais: como a maconha que é feita da planta cannabis sativa, e o ópio
que tem origem nas flores da papoula;
 Drogas sintéticas: que são produzidas de forma artificial em laboratórios, como
o ecstasy e o LSD;
 Drogas semi-sintéticas: como heroína, cocaína e crack, por exemplo.

Além disso, as drogas ainda podem ser classificadas como sendo depressoras,
estimulantes ou perturbadoras do sistema nervoso.

Página 4
Independentemente do tipo de droga, o mais importante é tentar abandonar o
seu uso. Para isso, existem vários tipos de programas, de vários meses, que procuram
ajudar a pessoa a resistir à vontade de consumir a droga.

1.4. Efeitos das drogas

Os efeitos das drogas podem ser percebidos em poucos minutos, logo após seu
uso mas tendem a durar poucos minutos, sendo necessária uma nova dose para
prolongar seu efeito no corpo. Assim é muito comum a pessoa ficar viciada
rapidamente.

A seguir indicamos os efeitos logo após o uso de qualquer droga ilícita:

1. Efeitos imediatos das drogas depressoras

As drogas depressoras, como heroína, causam efeitos no organismo como:

 Menor capacidade de raciocínio e de concentração


 Sensação exagerada de calma e tranquilidade
 Relaxamento exagerado e bem-estar
 Aumento da sonolência
 Diminuição dos reflexos
 Maior resistência à dor
 Maior dificuldade em fazer movimentos delicados
 Diminuição da capacidade para dirigir
 Diminuição da capacidade de aprendizagem na escola e do rentabilidade no
trabalho

2. Efeitos imediatos das drogas estimulantes

As drogas estimulantes, como cocaína e crack, provocam:

 Intensa euforia e sensação de poder


 Estado de excitação
 Muita atividade e energia
 Diminuição do sono e perda do apetite
 Fala muito rápida
 Aumento da pressão e da frequência cardíaca

Página 5
 Descontrole emocional
 Perda da noção da realidade
 Heroína e cocaínaHeroína e cocaína

3. Efeitos imediatos das drogas perturbadoras

As drogas perturbadoras, também conhecidas por alucinógenas ou


psicodislépticas, como maconha, LSD 25, e ecstasy provocam:

 Alucinações, principalmente visuais como alteração das cores, formas e


contornos dos objetos,
 Sensação alterada do tempo e do espaço, sendo que minutos parecem horas ou
metros parecem Km
 Sensação de enorme prazer ou de medo intenso
 Facilidade em entrar em pânico e exaltação
 Noção exagerada de grandiosidade
 Delírios relacionados com roubos e perseguições.

1.5. Drogas mais perigosas

As drogas mais perigosas do mundo são:

1- Benzodiazepínicos

Os Benzodiazepínicos são usados nos tratamentos de distúrbios de ansiedade e


tensão. Têm propriedades sedativas, relaxantes musculares e anticonvulsivantes.
Causam pouca depressão no sistema nervoso central, mas se usados em grandes
quantidades podem levar ao coma.

2- GHB

Droga conhecida como G – pronúncia em inglês – ou ecstasy líquido. GHB é a


sigla para ácido gama hidroxibutírico. Tem a versão GBL que é o ácido gama butil-
lactona. As altas dosagens podem causar convulsões, coma e morte por depressão
respiratória.

Página 6
3- Maconha

A famosa cannabis entrou na lista em oitavo lugar por conta do custo que sua
proibição acarreta para Estados. Ela mostra pequeno potencial ofensivo ao organismo e
é mais perigosa ilegal do que legal, pois traficada ajuda a financiar o crime. Para se ter
uma ideia, os Estados Unidos gastam em média 20 bilhões por ano na luta contra o
tráfico de maconha.

4- Anfetamina

Anfetaminas são estimulantes – inclusive encontradas em pílulas de ecstasy.


Oferecem aumento de energia, euforia e excitação, mas o uso prolongado leva a
alterações de humor, alucinações, paranóias e agressividade. O chamado ‘rebite’,
popular entre estudantes e motoristas que precisam trabalhar nas madrugadas, é uma
anfetamina popular.

5- Cigarro

Tabaco ficou atrás apenas da cocaína por conta dos danos a longo prazo, as
perdas por conta da dependência e custas dos tratamentos de problemas acarretados pelo
fumo.

6- Cocaína

A pesquisa constatou que a cocaína é cara e as pessoas não fazem ideia do que
podem estar inalando ou injectando. As misturas preparadas para venda em massa
levam quantidades relativamente pequenas de cocaína pura misturada a farinha,
cloridrato de metilfenidato, adrenalina, fluido de bateria e até vidro moído.

7- Meta Anfetamina

Meta anfetamina é também chamada de cristal. Sua forma de administração


varia, podendo ser fumada, cheirada, diluída e injectada na corrente sanguínea ou no
ânus (sem agulha). A droga causa hipertermia, aumento da pressão sanguínea que,
dependendo do ritmo, pode levar a ataques cardíacos, derrame cerebral, coma ou morte.
Usuários de meta podem passar dias sem dormir e desenvolverem paranóia e desejo de
suicídio.

Página 7
8- Crack

O crack é o subproduto da cocaína. Os dejectos químicos que sobram do refino


da cocaína são acessíveis – barato – e tem grande concentração química. Essa relação de
custo e efeito coloca o crack entre as drogas com maior potencial destrutivo.

9- Heroína

A droga que matou Kurt Cobain é conhecida pelo poder de causar dependência
e aumentar a depressão do sistema nervoso central, levando a casos de dependência
psíquica e física. A longo prazo, quando não leva a morte, a droga causa danos
neurológicos irreversíveis.

10- Álcool

O álcool encabeçou a lista por vários factores. Agrava os casos de depressão,


seu uso a longo prazo causa doenças no fígado, cânceres e danos cerebrais. Causa
dependência física e psicológica e, além de ser acessível, tem seu consumo estimulado
pela publicidade. Mas os danos do consumo de álcool não afectam só o indivíduo. São
inúmeros os casos de mortes por brigas acidentes de trânsito com mortes causados por
pessoas embriagadas. O Estado tem o custo da fiscalização de consumo (por motoristas
e menores) em contrapartida ao estimulo do uso.

1.6. Tipos de drogas estimulantes

Os estimulantes aumentam temporariamente o estado de alerta e a energia. As


drogas ilícitas mais usadas que entram nesta categoria são a cocaína e as anfetaminas.
Os estimulantes prescritos vêm em comprimidos ou cápsulas. Quando usados
indevidamente, são engolidos, injectados na forma líquida ou triturados e cheirados.

São muitas, Algumas são de origem vegetal: por exemplo, a cafeína do café ou
chá. Todos sabem que o café tira o sono, deixa a pessoa mais activa, mais acordada. A
cafeína é um estimulante suave do cérebro. Outro exemplo e a cocaína, que é obtida de
uma planta, a coca. Só que a cocaína é um estimulante muitíssimo mais poderoso que a
cafeína. Temos ainda os estimulantes sintéticos, isto é fabricado em laboratório, como a
anfetamina ("bolinha"), a metanfetamina ("ice" ou "pervitin"), e várias substâncias que
são usadas para tirar a fome (os chamados anoréticos ou inibidores do apetite).

Página 8
Conclusão

Constatou que o consumo de drogas é uma realidade no mundo todo e que o


álcool é a droga com prevalência mais elevada. A liamba e o tabaco têm ainda taxas de
prevalência altas. A heroína é a droga com prevalência mais baixa Os consumos
começam na adolescência pelo haxixe, a gasolina, a liamba e o álcool. A heroína é a
droga que é consumida com idades mais elevadas. Antes do tratamento o álcool,
seguido do tabaco e da liamba são as drogas consumidas com mais frequência, enquanto
o haxixe e a heroína são tem frequências de consumo baixas.

Página 9
Referências bibliográficas

https://pt.wikipedia.org/wiki/Droga

https://pedromaganem.jusbrasil.com.br/noticias/305945070/as-10-drogas-mais-
perigosas-do-mundo

https://caiorivas.jusbrasil.com.br/artigos/317748721/historia-e-evolucao-das-drogas

https://www.tuasaude.com/efeitos-das-drogas/

https://www2.unifesp.br/dpsicobio/cebrid/quest_drogas/drogas_estimulantes.htm

Página 10

Você também pode gostar