Você está na página 1de 1

Só é um bom ensinante quem for um bom aprendente, a busca da aprendizagem contínua e

a curiosidade é a base para se tornar um bom professor. Ao iniciar a graduação, o


licenciando trás à tona vários aspectos que permeiam a prática docente, dentre eles vale
destacar as dificuldades em realizar um ensino coerente com suas vontades junto ao que é
preconizado pelos documentos que norteiam o ensino na educação básica. O PIBID é um
programa que veio para somar, de forma positiva, e muito contribuir para a melhoria da
qualidade da formação dos futuros professores que atuarão na educação básica.

Um bom professor é aquele que coloca o aluno no centro do processo de


ensino-aprendizagem e que encara sua profissão como um espaço de infinito aprendizado.
Ainda que você seja o professor, seus conhecimentos são ampliados dia após dia, até pelo
contato irreverente com cada aluno. A escolha deste programa envolve inúmeras
ferramentas que possam contribuir na formação do professor iniciante, pois reconhecendo
o PIBID como uma proposta de valorização e incentivo ao magistério, que possibilita aos
acadêmicos dos cursos de licenciatura a participação em experiências pedagógicas, por meio
da rotina escolar, bem como a elaboração de metodologias inovadoras, que constituem
fatores com impactos significantes na vida acadêmica de um bolsista

A troca de conhecimento é um forte contribuinte que une o programa e o docente. Além da


metodologia baseada na carga de leituras que todo professor traz de sua formação, é preciso
que também se tenha uma noção prévia de como isso pode ser aplicado na prática, dentro
da instituição em que passa a trabalhar. Por isso se faz tão importante a troca de experiência
com alunos, outros professores e funcionários que estão ali há mais tempo. O intercâmbio
de conhecimentos entre novos e antigos professores faz com que os novatos tenham noção
do terreno em que estão pisando, assim como pode trazer aos veteranos ideias de
transformação e aprimoramento do ato de lecionar.

Cabe ao profissional saber manipular corretamente as atividades para conciliar o programa


com a vida acadêmica ao propósito de estabelecer uma harmonia para que ambos possam
contribuir positivamente na vida deste profissional. Estabelecer uma prioridade, criar um
cronograma de compromissos, ter atenção às atividades básicas, otimizar o tempo livre, usar
a tecnologia ao seu favor e conversar com professores e coordenadores são exemplos de
atitudes iniciais que devem ser tomadas. O objetivo em ser um bolsista não é somente para
quem tem vontade de seguir a carreira acadêmica, esta atrelado em só querer vivenciar mais
de perto a rotina acadêmica, desenvolvendo uma visão crítica e aprofundamento de um
tema de interesse para até quem sabe uma preparação de TCC.

Considera-se valorosa essa primeira experiência como professor, pois proporciona reflexões
próprias e comuns que muitos docentes enfrentaram ou enfrentarão na hora de se deparar
com a responsabilidade diante de uma sala de aula. O carinho que recebe-se dos alunos é
gratificante e fruto de um bom trabalho. Porém, as soluções para uma prática docente de
qualidade não estão somente encerradas em quem está à frente da sala de aula, mas
depende de toda a escola e da estrutura que sustenta a educação no Estado e no país,
professores são um dos pilares principais na construção de uma sociedade igualitária e
respeitosa.