Você está na página 1de 33

Letras musicas Natiruts

Cd Nativus 1997
Gravadora: Zen Records, Lançamento: 1997

Liberdade Pra Dentro Da Cabeça


Natiruts

Liberdade pra dentro da cabeça


Liberdade pra dentro da cabeça
Liberdade pra dentro da cabeça
Liberdade pra dentro da cabeça

Quando você for embora


Não precisa me dizer
O que eu não quero, jogo fora
Você pode entender

Desigualdades e a luta
A fim de encontrar
A liberdade e a paz
Que a alma precisa ter
Oh, baby!

Estar com você na virada do sol


É compreender
Que o que há de melhor
Tá na vida, na transformação
Da natureza que me traz a noção

Na verdade eu não vou chorar


Hoje sei, sei o que a terra veio me ensinar
Sobre as coisas que vêm do coração
Pra que eu possa trazer
Pra mim e pra você

Liberdade pra dentro da cabeça


Liberdade pra dentro da cabeça
Liberdade pra dentro da cabeça
Liberdade pra dentro da cabeça

Estar com você na virada do sol


É compreender que o que há de melhor
Tá na vida, na transformação
Da natureza que me traz a noção

Na verdade eu não vou chorar, eu não


Hoje sei, ser o que a terra veio me ensinar
Sobre as coisas que vêm do coração
Pra que eu possa trazer
Pra mim e pra você

Liberdade pra dentro da cabeça


Liberdade pra dentro da cabeça
Liberdade pra dentro da cabeça
Liberdade pra dentro da cabeça

Casulo
Natiruts

Tentando encontrar o fim


Não colhi os favos de mel
Borboleta foi embora
Mas casulo ficou
Folha de bananeira minha cama pra deitar
Mesmo que eu não queira
Tô sem seu amor

Até pensei que a brisa que passou


Trouxesse os frutos amargos que o vento arrancou
Mas lembrei, eu lembrei, brisa não leva rancor
Só sementes leves que ela tocou

Vou pedir pra Deus trazer pra mim


Cordão de couro, anel de marfim
Pra proteger o chão de minha amada
Pra proteger a nossa casa

Presente de Um Beija Flor


Natiruts
Beija-flor que trouxe meu amor
Voou e foi embora
Olha só como é lindo meu amor
Estou feliz agora

Beija-flor que trouxe meu amor


Voou e foi embora
Olha só como é lindo meu amor
Estou feliz agora

Veja só a névoa branca que sai de trás do bambuzal


Será que ela me faz bem ou será que me faz mal
Eu vou surfar no céu azul de nuvens doidas
Da capital do meu país
Pra ver se esqueço da pobreza e violência
Que deixa o meu povo infeliz

Beija-flor que trouxe meu amor


Voou e foi embora
Olha só como é lindo meu amor
Estou feliz agora

Beija-flor que trouxe meu amor


Voou e foi embora
Olha só como é lindo meu amor
Estou feliz agora
E a menina que um dia por acaso veio me dizer
Que não gostava de meninos tão largados
Que tocam reggae e MPB
Mas isso é coisa tão banal
Perto da beleza do Planalto Central
E das pessoas que fazem do Cerrado
O habitat quase ideal

Beija-flor que trouxe meu amor


Voou e foi embora
Olha só como é lindo meu amor
Estou feliz agora

Beija-flor que trouxe meu amor


Voou e foi embora
Olha só como é lindo meu amor
Estou feliz agora

Agradeço por estar aqui, manifestar a emoção


E colocar minhas ideias, sentimentos
Em forma de canção

Agradeço por poder cantar e ver você ouvir


E tentar entender essa mensagem
Que eu quero transmitir

Beija-flor que trouxe meu amor


Voou e foi embora
Olha só como é lindo meu amor
Estou feliz agora

Beija-flor que trouxe meu amor


Voou e foi embora
Olha só como é lindo meu amor
Estou feliz agora

Fim de ano vou embora de Brasília


Que é pra eu ver o mar
Mas diz pra mãe lá pro final de fevereiro
É que eu vou voltar

Que é pra surfar no céu azul de nuvens doidas


Da capital do meu país
Pra ver se esqueço da pobreza e violência
Que deixa o meu povo infeliz

Beija-flor que trouxe meu amor


Voou e foi embora
Olha só como é lindo meu amor
Estou feliz agora

Beija-flor que trouxe meu amor


Voou e foi embora
Olha só como é lindo meu amor
Estou feliz agora

Deixa o Menino Jogar


Natiruts

O valor de um amor não se pode comprar


Onde estará a fonte que esconde a vida
Raio de sol nascente brotando a semente

Os anos passam sem parar


E não vemos uma solução
Só vemos promessas de um futuro
Que não passa de ilusão
E a esperança do povo
Vem da humildade de seus corações
Que jogam suas vidas, seu destino
Nas garras de famintos leões

Deixa o menino jogar ô iaiá


Deixa o menino jogar ô iaiá
Deixa o menino aprender ô iaiá
Que a saúde do povo daqui
É o medo dos homens de lá
A sabedoria do povo daqui
É o medo dos homens de lá
A consciência do povo daqui
É o medo dos homens de lá
O valor de um amor não se pode comprar
Onde estará a fonte que esconde a vida
Raio de sol nascente brotando a semente
Sinhá me diz porque é que o menino chorou
Quando chegou em casa e num canto escuro encontrou
A sua princesa e o moleque fruto desse amor
Chorando de fome sem saber quem o escravizou

Deixa o menino jogar ô iaiá


Deixa o menino jogar ô iaiá
Deixa o menino aprender ô iaiá
Que a saúde do povo daqui
É o medo dos homens de lá
A consciência do povo daqui
É o medo dos homens de lá
Sabedoria do povo daqui
É o medo dos homens de lá

Semente Nativa
Natiruts

Plantei uma flor no coração dela (Bis 4x)

E ela me deu
Um sorriso trazendo paz
Agradeço a meu Senhor
Por fazer dela o meu Bem Querer
Trago ervas de cor
Pra enfeitar a menina mais bela
Como a gota de orvalho
Na flor do cerrado
Quando é Primavera

Plantei uma flor no coração dela (Bis 4x)

Por medo de perder você


Que uma semente nativa fui buscar
E os obstáculos que enfrentei
Não me impediram de continuar
E quando um milhão de milhas percorri
E com todo carinho lhe entreguei
A semente que então desabrochou
Sob a lua cheia

Plantei uma flor no coração dela (Bis 4x)

E ela me deu
Um sorriso trazendo paz
Agradeço a meu Senhor
Por fazer dela o meu Bem Querer
Trago ervas de cor
Pra enfeitar a menina mais bela
Como a gota de orvalho
Na flor do cerrado
Quando é Primavera

Plantei uma flor no coração dela (Bis 4x) Iêê...

Reggae de Raiz
Natiruts

Magia que envolve segredos de um grande amor


Nos fazem pensar que nossa liberdade é igual ao céu
Imensidão azul criada pelos raios do Sol
Protegida dos homens que não sabem admirar
O contraste das cores das nuvens ao entardecer
E a sinceridade de velhos amigos ouvindo seu som
Toda emoção nos versos de um reggae de raiz
E ter a ilusão que basta ser honesto para ser feliz

Hoje estou consciente da trilha que devo seguir


Pra encontrar o meu lugar
Não acabou, ela foi embora, mas pode voltar
Falo da esperança e da fé
Meu amor, até em um deserto posso sobreviver
Pois hoje encontrei a minha paz

Som de Bob
Natiruts
Ai ai ai, a minha alma foi passear
Quando eu fechei os olhos ouvindo o som de Bob tocar

Nessa tarde de calor (Oh, Oh)


Só quero cantar e dançar
Ouvindo esse som que vem dos elementos da natureza
Verde, amarelo e vermelho representando a unificação
Dos povos africanos, fazendo uma só nação

Na batida desse som (Oh, Oh)


Que vem para nos falar
Na batida desse som (Oh, Oh)
Que vem para nos falar
Do amor, da emoção, da liberdade
E de paz para todos os irmão

Mano Velho
Natiruts

Ah... se um dia eu pudesse encontrar


Um barco forte para me levar
Sob a tempestade que quer me matar

Mano velho quando ela chora


É medo que o seu passarinho encantado vá embora
Vejo na música as cores que um dia se uniram no céu para ver
A morte lenta da dor na alma daquele em que a felicidade tocou
Mano velho chorou quando ela ofereceu
Todo seu amor um presente de Deus
Mano velho chorou quando enfim descobriu
Que aquelas cores formaram o céu do Brasil

A felicidade é tão bela


Mais que a única rosa amarela
E tão linda rosa ela é
Que protegê-la é ato de fé
Cantaremos pela cidade
Esse reggae que é de verdade
E ao te ver cantando tão linda
Mais eu tomo gosto da vida

Dialetos da Paz
Natiruts

Deus do sol venha iluminar


Toda terra pra que possamos captar
Esse som positive vibrations
Tudo o que há de bom que você imaginar
Oh rainha do mar venha nos banhar com néctar da paz
Que nos traz a alegria de viver, de cantar
E dizer que hoje eu estou

Tonoiado, tonoiado, tonoiado...


De saber que você não beijou
Aquela moça linda, só por causa de sua cor
Isso não é assim pois o mesmo deus
Que cuida de você também cuida de mim
Além do mais sei que sou capaz de compreender
O porquê que você age assim
É espinho no coração ou então é medo de mim

Cantar
Natiruts

Cantar (meu cantar), não deixa a alegria ir embora


O meu cantar (meu cantar), não deixa a alegria ir embora

Acordamos de manhã bem cedo para trabalhar


Deixando em casa os filhos, com olhar de esperança
Acreditando que alguns poucos homens venham a se lembrar
Do que prometeram iô iô, na tarde de um belo dia

Guardo até hoje a camisa que você me deu


Que dizia em letras grandes o Brasil é todo seu
Mas só que eu não me lembrei de então perguntar
Se um dia iô iô, esse homem ia voltar
A pisar na lama ao menos para agradecer
Com a mesma falsidade a quem o fez enriquecer
É...é difícil meu irmão, mas se você não tentar
Não pense que eles tentarão, não
É...é difícil meu irmão, mas se você não tentar
Não pense que eles tentarão, porque

Quem te governa não quer saber de você


Quem te governa não quer te ver feliz
Quem te governa não quer te ver sorrir
Quem te governa não merece ter nascido aqui no Brasil, no
Brasil!

Cantar (meu cantar), não deixa a alegria ir embora


O meu cantar (meu cantar), não deixa a alegria ir embora

O que adianta brigar por mudanças se nós


Não nos dermos as mãos, caminharmos todos juntos
O que adianta a gente reivindicar se lutamos entre nós
Matamos nossas crianças

Guardo até hoje a camisa que você me deu


Que dizia em letras grandes o Brasil é todo seu
Mas só que eu não me lembrei de então perguntar
Se um dia iô iô, esse homem ia voltar

A pisar na lama ao menos para agradecer


Com a mesma falsidade a quem o fez enriquecer
Surfista do Lago Paranoá
Natiruts

Eu sou surfista do Lago Paranoá ( 4X )

É meio dia e eu vejo a seca castigar


15% é a umidade relativa do ar
Eu vou a clube a fim de me refrescar
Mas sinto falta de uma maré pra me levar
Aí eu vejo a piscina de ondas funcionar
E na TV surf brazuca arrebentar
Eu logo tiro uma conclusão elementar
Vou comprar uma prancha pra no mundo do surf me integrar

Eu sou surfista do Lago Paranoá ( 4X )

Eu sei que o Havaí não é aqui, que o mar está longe daqui
Mas pra quê que eu quero o mar se tenho o lago pra mim
Prometo que eu vou me esforçar pra um dia no topo eu chegar
E o mundo vai conhecer, surf lacustre que eu vou desenvolver

Adeus Mamãezinha
Natiruts

Adeus, adeus, adeus, adeus mamãezinha


Adeus, adeus, adeus, adeus mamãezinha
Vou-me embora, eu vou deixar o meu sertão
Qualquer hora mando um alô pro meu irmão
Mas não chora lágrimas de dor que molham o chão
Só fazem brotar semente chamada solidão

Adeus, adeus, adeus, adeus mamãezinha


Adeus, adeus, adeus, adeus mamãezinha

A filhinha da minha prima que nasceu


Me contou como é bonito lá no céu
E que um dia eu vou subir pra morar lá
Mas que agora minha missão será cantar

Adeus, adeus, adeus, adeus mamãezinha


Adeus, adeus, adeus, adeus mamãezinha

O rei (do reggae) com sua música ensinou


As leis (que regem) princípios da paz e do amor
Dizendo (pra gente) que a sabedoria está na mente
E não (e não) no credo ou na cor de qualquer gente

Adeus, adeus, adeus, adeus mamãezinha


Adeus, adeus, adeus, adeus mamãezinha

Povo Brasileiro
Lançamento: 1999

O Carcará e a Rosa
Natiruts

Ouvindo a música
Sentir o que ela me traz
Subo até as estrelas
Pra entender como é que se faz

Para esquecer a dor


Que os meus olhos não conseguem ver
Destrua o meu coração
Que estará destruindo você

Você é filho da terra


Dádiva dada por seu Deus
A fome dos meus filhos
Não será a riqueza do seus, do seus!

Oh! Chama que destrói


Corrói o que é belo, tudo que faz bem
Controle suas palavras
Minha liberdade não pertence a ninguém
Mas o amor pode chegar
Iluminar e colorir
Quando um coração está cansado de ver
As lágrimas da rosa ao ver o espinho morrer
Mas o carcará foi dizer à rosa
Que a luz dos cristais vem da lua nova e do girassol

Olhe, vá em frente, não se esqueça


Liberdade dentro da cabeça
E a cabeça fora do que há
De mal pra você

Olhe, vá em frente, não se esqueça


Liberdade dentro da cabeça
E a cabeça fora do que há
De mal pra você

Meu Reggae É Roots


Natiruts

Meu Reggae é Roots


Palavras também
Mas o meu coração
É brasileiro

Deixa eu aprender o que é o amor


Por mais difícil que isso seja
Deixa que a chuva vem lavar
A mente de alguém que deseja

Sair cantando por aí


Tentando sempre imaginar
Frases estranhas pra dizer
Mensagens simples de entender

Cantando eu mando um alô: Oi!


Para você que acreditou
Que podia ser mais feliz
Vendo o outro ser feliz

E abriu seu coração


E seu sorriso
Todo para ela

Proteja-se e Lute
Natiruts

Proteja-se e lute!
Proteja-se e lute!
Eu quero poder andar
Ser feliz e estar contigo
E se livre pra pensar
Decidir que a mente fique
Ou vá, ou vá, ou vá...
Não deixe que o ódio escravize
As nossas crianças
Que a hipocrisia não tenha valor
Assim estaremos vivos
Pare e reflita no ouve e sente
Nunca aceite sem pensar
Todo pensamento bom tem seu valor
O valor de ser livre

Eu e Ela
Natiruts

No seu pensamento sou rei


E o certo caminho eu não sei
Há mil formas para sorrir
Só uma para ser feliz
No espaço lancei uma canção que vai
(Uma linda canção pra mostrar)
Força nos dreadlocks que só o tempo traz
(Que só o tempo traz)
O bem que ela me fez a noite toda dancei
Se a onda não está aqui
Talvez não possa sentir

Eu e ela

Só eu andei, (solidão)
Não encontrei, (flor maior)
Se amarrou receba o sorriso e tudo que é bom

Dreadlocks longe estão dos seus valores


Sinais dos pobres homens e suas cores
Mas a música que te faz
Ser feliz pra mim é demais
E os segredos assim se revelarão
E os receios só se quebram

Eu e ela

I don't wanna wait in vain for your love


I don't wanna wait in vain for your love
I don't wanna wait in vain for your love
I don't wanna wait in vain for your love
(I don't wanna wait in vain for your love)

I don't wanna, I don't wanna, I don't wanna


I don't wanna, I don't wanna wait in vain
I don't wanna, I don't wanna, I don't wanna
I don't wanna, I don't wanna wait in vain

I don't wanna, I don't wanna, I don't wanna


I don't wanna, I don't wanna wait in vain
I don't wanna, I don't wanna, I don't wanna
I don't wanna, I don't wanna wait in vain
Palmares 1999
Natiruts

A cultura e o folclore são meus


Mas os livros foi você quem escreveu
Quem garante que palmares se entregou
Quem garante que zumbi você matou
Perseguidos sem direitos nem escolas
Como podiam registrar as suas glórias
Nossa memória foi contada por vocês
E é julgada verdadeira como a própria lei
Por isso temos registrados em toda história
Uma mísera parte de nossas vitórias
É por isso que não temos sopa na colher
E sim anjinhos pra dizer que o lado mau é o candomblé
A energia vem do coração
E a alma não se entrega não
A energia vem do coração
E a alma não se entrega não
A influência dos homens bons deixou a todos ver
Que omissão total ou não
Deixa os seus valores longe de você
Então despreza a flor zulu
Sonha em ser pop na zona sul
Por favor não entenda assim
Procure o seu valor ou será o seu fim
Por isso corre pelo mundo sem jamais se encontrar
Procura as vias do passado no espelho, mas não vê
E apesar de ter criado o toque do agogô
Fica de fora dos cordões do carnaval de salvador
A energia vem do coração
E a alma não se entrega não
A energia vem do coração
E a alma não se entrega não

A Cor
Natiruts

Queria tanto te falar


Das angústias desse meu viver
A força que afugenta as idéias

E tenta nos impedir de ser mais


Então a gente põe o pé na estrada
Coragem não se sabe de onde vem(vem do céu)
E deixa a promessa de um dia voltar
Para os braços daquela que te quer bem
Se ela te deixou e disse que nunca mais
Saiba que levou sentimentos imortais
Mas se ela te beijou e disse que vai ficar
Isso são mistérios não se pode explicar
Ela diz que precisa-se acreditar

E vê nos astros coisas que não pode-se pensar (Ela foi


aos céus)
Ela jura aquela volta prometida
E justifica alguma barra que ela passou

Mas ela sabe muito bem dos seus segredos


E reconhece que isso tudo pode ter um fim(Pode
terminar)
Mas ela busca a perfeição do espelho

E oferece para ele com perdão enfim

A cor daquela pétala de flor


Com todo amor
Daquela petála de flor
E todo amor daquela pétala de flor
E toda cor daquela petála de flor

Em Paz
Natiruts

Dizem que o medo e a dor


Fazem a gente aprender
A superar como for
Um mal de amor pra valer
Verbos e sonhos se vão
Deixando a mesma impressão
Não vale a pena viver por viver
Pelo seu amor, cho...rei
Pelo seu amor que essa alma se lançou
E o encanto bom que existe então chegou
Quer viver assim, assim tão perto de mim
E eu que era sozinho agora estou
Em paz
Estrela do meu céu azul renasceu Uh Uh
Em paz
Indo do Cruzeiro pra Sul renasceu Uh Uh
Em paz

Praia dos Golfinhos


Natiruts

Tempo ensinou, pra ter liberdade


Mais que amor, devo ter coragem
Pode trocar sua jóia cara
Por três cores de um pôr de sol
Ou seis animais de Deus
Por três cores de um pôr de sol
Se um sentimento meu
For a tempo de tocar
Um pêlo de corpo seu
Terei permissão pra dar
Coisas que não posso ver
Apenas posso sentir
É a vontade de ver o meu povo sorrir
E poder falar de novo
Não me deixe só
Seu destino é meu
E minha vida sofrerá se eu não vir longe
Seu sorriso sob o sol e golfinhos sobre o mar

Pode Ser
Natiruts

Pode ser que o amor entre aqui


Mas mesmo assim reconheço
Eu não mereço seu apreço
Eu não mereço
Eu não mereço seu apreço
Eu não mereço
Eu não mereço seu apreço
Fecho os olhos, lembro que o sonho ainda não se perdeu
Abro os olhos
E o filho de um amigo nasceu
E fez bem
A mulher é linda e a vida também
Mas não sei ainda se está tudo bem
Talvez seja melhor desistir
Sonhei, hoje posso conseguir
Já dei mil voltas pela cidade
Achei toda força de verdade bem dentro de mim

Pedras Escondidas
Natiruts

Espero você detrás daquele monte


De lá dá até pra ver o dia indo embora
Dá até pra deitar olhando para o céu
E ver ele girar feito nossas vidas

Dá também pra ver os falsos sentimentos


De quem só quer você se você tiver
Algo além do seu amor
Que possa oferecer
Paraísos de ilusão e de fantasia

Segredos são pedras escondidas


Distantes da ambição
Segredos são pedras escondidas
Distantes da ambição

Segredos são pedras escondidas


Distantes da ambição
Segredos são pedras escondidas
Distantes da ambição

Tempo abriu, tempo abriu


Chuva forte foi embora
Quem não viu chegar pode estar
Preso pela solidão

Cavaleiros Azuis
Natiruts

A noite chegou, estamos numa confraternização


Ao nosso redor as pessoas sorriem e bebem também
Olhando as meninas,falando da festa que passou
Reencontrando amigos de fé, relembrando estórias que o tempo
levou
Tudo era alegria, quando de repente alguém avistou
Duas luzes incandescentes, representando o bem e o mal
O azul que é o céu, o vermelho a cor do cristal
Protegidos por suas espadas que cospem o fogo mortal
Eles fazem perguntas, destroem o ego de quem está perto
Corra se puder, esconda-se se for esperto
E ao ver eles agirem com tanta coragem e determinação
Ficamos nos perguntando ao vermos as notícias na televisão

Refrão:
Cavaleiros azuis aonde estão vocês
Quando os verdadeiros marginais
Matam inocentes nas barbas da lei

Verso 2:

Os acordes são iguais aos do primeiro verso


Preto, branco, não importa a cor se for pobre e trabalhador
Você sempre será o alvo predileto do executor
Pois aqui nesse país a classe baixa da população
Só é linda e tem futuro quando é época de eleição
E mesmo quem conseguiu um bom nível de vida alcançar
Não está livre de ser humilhado basta pra isso num beco encontrar
Um o mais cavaleiros azuis, sempre com suas espadas na mão
Pegando sua dignidade e jogando-a toda no chão

Una Vez Mas


Natiruts

Mais uma vez


Prisioneiro da solidão
E ela está chorando
Mas eu não sei
Os segredos do girassol
Nem a cor do vento
Se eu voltar
Terei medo de prosseguir e sobrevoar o rio inteiro
Graças a Deus os meus olhos podem se abrir
Perceber a cor do seus
Diz que não merece nem abrir seus olhos para ver o sol
E nem andar pelas pedras seguindo a vista do mar
Mas a tristeza que tinha em seu peito já foi embora

Povo Brasileiro
Natiruts

Ei, povo brasileiro


Não ponha suas crianças nas ruas para mendigar
Pois a saída de nossos problemas é a educação
Se você não teve sua chance
Dê-a seus filhos então

Mesmo que não seja ainda


O momento de lutar pela revolução
Certamente se passou o tempo de buscarmos a nossa
conscientização
As crianças são o futuro, mas o presente depende muito de
você
Não venda sua identidade cultural
Esse é o maior tesouro que um país pode ter
Alimentar, educar, investir
Mais tarde os seus filhos vão lhe agradecer
Muita atenção no outro quinze de novembro
Quando os homens sorridentes surgem em sua TV
Pois o mensageiro arco-íris
Virá do infinito pra nos presentear
Com o livro de nossa cultura
E a música dos povos para representear
O ressurgimento de nossas raízes
Olhe, sorria, goste da sua cor
Procure sempre sua consciência
E jamais tenha vergonha de falar de amor

Ei, vamos cantar


Tudo pode estar
Em seu coração

Forasteiro
Natiruts

Forasteiro no litoral
Nasci no planalto central
Nas ondas não mando muito bem
Sou aprendiz daquela que me quer bem

Se ela voltar, volto também


Se ela ficou, fico também
Se ela remou, quero remar
Se ela gostou, gosto com ela
Quero aprender, ela quer me ensinar
Todo segredo das ondas do mar
Será que ela gosta de mim

Já sou local no litoral


Saudade do planalto central
Nas ondas até que já estou mandando bem
Pois aprendi o valor que elas têm

Quero voltar pro interior


Horizonte sem fim, cerrado nativo
Será que ela gosta de mim, comigo quer voltar
Quer aprender segredos de lá
Muitas coisas sonhei, momentos vivi

No litoral e no interior do país


Ela gosta de mim, hoje sou assim
Filho do Sol, das ondas do mar
Servo da mata nativa
Quero o mundo pra mim

Olha, é o Sol
Olha, é o céu
Olha, é o amor

behaviorismo
substantivo masculino
1. 1.
PSICOLOGIA
teoria e método de investigação psicológica que procura examinar do modo
mais objetivo o comportamento humano e dos animais, com ênfase nos fatos
objetivos (estímulos e reações), sem fazer recurso à introspecção.

Neobehaviorismo é uma escola de pensamento que postula que o estudo da


aprendizagem e um foco em métodos de observação objetivos rigorosos formam a
chave para a psicologia científica.Neobehaviorismo é a segunda fase do
behaviorismo, que estava intimamente associado com BF Skinner. Tolman.