Você está na página 1de 3

Mineralizações em tecidos moles

➔ Mineralização Distrófica
Causada pela deposição de sais minerais em um tecido necrosado,
degenerado e/ou doente.
Níveis sorológicos de Calcio e fosfato normais.
- Nódulos linfáticos
A mineralização distrófica ocorre frequentemente em nódulos que estão
cronicamente inflamados.
São achados em radiografias panorâmicas, mais comumente nos nódulos
submandibulares e cervicais.
São frequentemente achados abaixo ou na base da mandíbula, na região
submandibular, próximos ao ângulo da mandíbula ou entre a borda
posterior do ramo da mandíbula e a coluna cervical. Pode ocorrer em uma
série de nódulos seguindo o mesmo trajeto.
Periferia irregular, com aspecto lobular SEMELHANTE A COUVE FLOR.
Diagnóstico diferencial: Sialólitos(possuem contorno uniforme) e
flebólitos(aspecto de anéis concêntricas “alvo”, e são geralmente múltiplos
dispostos de forma aleatória)
- Tonsilolitos
Mineralização distrófica causada por inflamações recorrentes nas criptas
tonsilares.
Geralmente assintomáticos mas quando estão em volumes maiores pode
causar mal cheiro, dificuldade de deglutição, dor e inchaço. Se apresentam
como pontos brancos e/ou amarelos que se projetam p fora das criptas
tonsilares.
Se apresentam em uma radiografia panorâmica como grupo de estruturas
radiopacas que se sobrepõem a porção média no ramo da mandíbula, no
espaço onde o dorso da língua se cruza com o espaço aéreo orofaríngeo.
FREQUENTEMENTE APARECEM NO TERÇO MÉDIO DO RAMO DA
MANDÍBULA INFERIORES AO CANAL MANDIBULAR COMO UM GRUPO
DE ESTRUTURAS RADIOPACAS CIRCULARES.
Diagnóstico diferencial: Condensação óssea e tórus.
- Cisticercose
Mineralização distrófica causada pelo óbito das larvas da Taena solium
Na face são localizados mais frequentemente nos músculos e na língua
São visualizados múltiplas radiopacidades pequentas com formato elíptico
lembrando um grão de arroz.
Diagnóstico diferencial: sialólito
- Placa de ateromatosa mineralizada
A mineralização distrófica ocorre na formação das placas dentro do
revestimento interno do vaso sanguíneo envolvido.
Se localiza frequentemente onde há a bifurcação da artéria
carótida,lateralmente a C3 e C4, entre o corno maior do osso hióideo e o
ângulo da mandíbula, podendo ser inferior ao osso hioideo também.
Quando achar essas características deve-se pedir uma AP de Towne
modificada, diminuindo os fatores de exposição para visualizar o achado, e
se tiver lateral as vértebras citadas é esse achado, se não for possível ver é
a mineralização idiopática da cartilagem laríngea.
Aparecem geralmente como um composto de áreas radiopacas com
espaços radiolúcidos.
➔ Mineralização idiopática
Causada por uma mineralização nos tecidos moles, sem uma causa
definida, com os níveis sorológicos de Calcio e fosfato normais.
- Mineralização da cartilagem trictícia
a cartilagem tritícia é bem pequena, no ponto superior da cartilagem
tireóidea, quando mineralizada é muito comum na região de mineralização
de placa de ateroma. A AP de towne modificada ajuda bastante na
diferenciação. - na radiografia panorâmica é muito comum ver o corno
superior do osso hioide mineralizado em conjunto com a tritícea. - pode ser
uni ou bilateral. - são visualizadas nas radiografias panorâmicas e na AP de
Towne modificada não!
- Sialólito
São mineralizações idiopáticas encontrada nos ductos das glândulas
salivares, mais frequentemente na g. submandibular (por ter um trajeto mais
sinuoso e um conteúdo mais mineral ) - > parótida -> sublingual.
São observados em radiografias periapicais sobreposto aos ápices
radiculares de pré-molares e molares..
Para diagnóstico, é necessário uma radiografia oclusal com tempo de
exposição diminuído a fim de que o assoalho bucal não sofra sobreposição
das estruturas mandibulares, a fim de ter uma boa visualização.
Sialólitos em g. parótidas podem aparecer anterior ao ramo na mandíbula,
seguindo o caminho do ducto que desemboca no segundo molar superior.
- Flebólito.
Mineralizações idiopáticas, trombos calcificados encontrados nas veias.
São mais comumente encontrados em regiões de hemangiomas.
São estruturas circulares radiopacas múltiplas, com anéis concêntricos que
formam aparência de “alvo”, dispostos aleatoriamente.
Diagnóstico Diferencial: Sialólito ( se diferencia pelo localização q pode ser
aleatória, pelas laminas concêntricas e por ser múltiplos)
- Rinolito (CAV NASAL) / Antrolito ( SEIO MAXILAR )
Mineralização idiopática causada pela deposição de sais de CA2+ em
corpos estranhos.
Assintomático
-> Mineralização metastática: Causada por alterações como
hiperparatiroidismo ou hipercalcemia que elevam os níveis sorológicos de
Calcio e fosfato. São extremamente raras nos tecidos de região oral.
-> Ossificação heterotrópica: Tecido ósseo que se forma em localização
incomum.
- Ossificação do ligamento estilo-hióideo
Comumente achado nas radiografias panorâmicas. Bilateral e
assintomático.
Se o paciente possui sintomas, provavelmente possui a síndrome de Eagle
(sente dor ou incomodo quando gira a cabeça, quando fala, mastiga,
deglute etc.. sensação de corpo estranho na garganta..)
DD: placa de ateroma quando apenas um ponto estiver ossificado.
- Osteoma cutâneo
Ossificação rara de tecido mole nos tecidos da pele ou subcutâneo, a
maioria dos casos ocorre secundariamente a presença de acne.
Se apresentam como imagens de baixa radiopacidade com aspecto de
disco localizadas na bochecha ou lábio.

Você também pode gostar