Você está na página 1de 8

Palestra

projetando com CAD, passado e futuro

Panorama e tendências dos softwares CAD

Texto original Henrique Hermeto – WWW.cadaula.com.br

O que é desenho técnico e porque precisamos dele para executar os nossos projetos?

Todo projeto precisa de representações gráficas para transmitir as informações para


sua construção, desenvolvimento ou para arquivamento. O Desenho Técnico é a forma
se apresentar corretamente estas informações. Como meio preferencial de
representação do projeto arquitetônico, o Desenho Técnico passou a ser o principal
meio de representação a partir do Renascimento. Com a Revolução Industrial, os
projetos das máquinas passaram a demandar maior rigor e precisão, desta forma,
instituíram-se a partir do século XIX, as primeiras normas técnicas de representação
gráfica de projetos. Origem: Wikipédia.

A normatização hoje está mais avançada e completa, embora o desenho arquitetônico


tenha passado a ser executado predominantemente em ambiente CAD (ou seja, de
forma eletrônica). Por outro lado, para grande parte dos profissionais, o desenho à mão
ainda é a gênese e o principal meio para a elaboração de um projeto. O Desenho
Técnico, para se expressar, faz uso dos diversos instrumentos disponíveis no desenho
tradicional, na geometria euclidiana e na geometria descritiva. Basicamente, o desenho
arquitetônico manifesta-se principalmente através de linhas e superfícies preenchidas
(tramas). Costuma-se diferenciar no desenho duas entidades: uma é o próprio desenho
(o objeto representado, um edifício, por exemplo) e o outro é o conjunto de símbolos,
signos, cotas e textos que o complementam. As principais categorias do desenho de
arquitetura são: as plantas, os cortes e seções e as elevações.

Desenho à mão - O desenho técnico sempre exigiu uma série e instrumentos de


precisão e móveis para sua execução. Ressalta-se, porém, que muitos destes materiais
estão se tornando raros nos escritórios de arquitetura, dada a sua informatização.

Veja a seguir os principais elementos do desenho técnico feito à mão:

Prancheta de desenho - Uma mesa, normalmente inclinável, na qual é possível manter


pranchas de desenho em formatos grandes e onde se possam instalar réguas T ou
paralelas. Régua T ou Régua paralela - Estas réguas eram instrumentos para traçado de
retas paralelas e perpendiculares, a serem usadas juntamente de um par de esquadros.
Par de esquadros - Elementos para auxiliar o traçado de retas em ângulos pré-
desenhados, como 30º, 45º, 60º e 90º. Escalímetro ou escala - Um tipo especial de
régua, normalmente com seção triangular, com a qual podem ser realizadas medidas
em escalas diferentes. Lapiseiras ou lápis e canetas nanquim - Tais canetas eram
utilizadas na finalização dos desenhos em papel vegetal. Exigiam cuidado constante
para prevenir seu entupimento. Freqüentemente arruinavam dias de trabalho com
derramamento de tintas, borrões, etc. Mata-gato - Constitui-se de uma placa perfurada
a ser posicionada sobre o setor do desenho a ser corrigido, de forma a que apenas se
apague o desejável. Borracha - Podendo ser a comum ou a elétrica. Conjunto de
normógrafo e réguas caligráficas - Auxiliam a escrita de blocos de texto padronizados e
com caligrafia técnica. Lâmina e borracha de areia - Permitem a correção de desenhos
errados efetuados à nanquim sobre papel vegetal. Gabaritos ou escantilhões -
Pequenas placas plásticas ou metálicas que possuem elementos pré-desenhados
vazados e auxiliam seu traçado, como instalações sanitárias, circunferências, etc. Curva
francesa - Um tipo especial de gabarito composto apenas por curvas, nos mais variados
raios. Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

Desenho arquitetônico é, em um sentido estrito, uma especialização do desenho


técnico normatizado voltado à execução e a representação de projetos de arquitetura.
Em uma perspectiva mais ampla, porém, o desenho de arquitetura poderia ser
encarado como todo o conjunto de registros gráficos produzidos por arquitetos ou
outros profissionais que se manifestam como um código para uma linguagem,
estabelecida entre o emissor (o desenhista ou projetista) e o receptor (o leitor do
projeto). Desta forma, seu entendimento envolve um certo nível de treinamento, seja
por parte do desenhista ou do leitor do desenho. Por este motivo, este tipo de desenho
costuma ser uma disciplina importante nos primeiros anos das faculdades de
arquitetura. O desenho arquitetônico também costuma se constituir em uma profissão
própria: os desenhistas técnicos (ou a sua versão atual, representada pelos cadistas -
manipuladores do softwares CAD) são comuns nos escritórios de projeto. Origem:
Wikipédia, a enciclopédia livre

- como surgiu a profissão do engenheiro e arquiteto. Quando e onde houve uma


separação?

- Em que cenário vivemos? histórico da evolução do Softwares.

Atual em que vivemos um cenário de transição de tecnologias, ou de o processo de


desenvolvimento de projetos contava com poucos elementos tecnológicos mais
baseados na maneira de si facilitar o registro do desenhou métodos projetos através de
canetas, papéis especiais, maquetes, perspectivas, etc. com o surgimento do
microcomputador pouco a pouco foi se criando um novo ambiente onde a máquina
passou a auxiliar o processo de desenvolvimento e criação de projetos de arquitetura e
engenharia. A este processo chama-se computação e gráfica e, que é um termo mais
genérico que abrange a várias áreas já o termo CAD, é mais específico da área de
projetos de engenharia e arquitetura e design em geral. O acrônimo CAD (Computer
Aided Design - Projeto Assistido por Computador) foi utilizado pela primeira vez no
inicio dos anos 60 pelo pesquisador do Massachussetes Institute of technology (M.I.T)
Ivan Sutherland. O termo CAD pode ser definido como sendo: o processo de projeto que
se utiliza de técnicas gráficas computadorizadas, através da utilização de programas
(software) de apoio, auxiliando na resolução dos problemas associados ao projeto.

Por sua vez, a sigla CAM (Computer Aided Manufacturing - Fabricação Assistida por
Computador) refere-se a todo e qualquer processo de fabricação controlado por
computador. Sua origem remonta-se ao desenvolvimento das máquinas controladas
numericamente (C.N.) no final dos anos 40 e inicio dos 50. A tecnologia CAD/CAM
corresponde à integração das técnicas CAD e CAM num sistema único e completo.
Origem - http://www.demec.ufmg.br/Grupos/Usinagem/CADCAM.htm

O AutoCad é um dos principais softwares usados para se projetar com o auxílio do


computador e é produzido pela empresa americana Autodesk. O formato dos seus
arquivos é o “.dwg”. Um outro formato alternativo que é permeado por diversos
softwares CAD é o “. dxf”.

O Autocad é usado no desenho de arquitetura e engenharia civil, outras engenharias,


industria moveleira, industria de entretenimento e artes, assume cada vez mais
importância sendo utilizada em diversos contextos. Nele são elaboradas plantas, cortes
e alçados, geometria de traçado de vias de comunicação, obtenção de volumes, áreas e
comprimentos, traçado e isometria de redes de águas e esgotos, cotagem de peças,
produção de desenhos esquemáticos, etc.

AutoCAD é um produto com uma história longa e interessante. A primeira versão saiu
com o nome MicroCAD e foi apresentada na COMDEX Trade Show de Las Vegas em
novembro de 1982.

Esta primeira versão do AutoCAD começou uma revolução em projetos e design. Ele
permitia muito mais que representar graficamente coordenadas e pontos. Oferecia
Layers, textos e um menu de comandos, mas tudo muito limitado.

O AutoCAD assim como um de seus principais concorrentes, o Microstation, são


programas usados para uma gama bastante ampla de desenhos técnicos. Existem,
porém, softwares designados especificamente para o trabalho de projeto arquitetônico,
como o ArchiCAD, o Autodesk Architectural Desktop, o Revit Architecture, dentre
outros, que desenvolvem o modelo em 3d que retira diversas informações deste
modelo, inclusive as plantas de arquitetura.

Como era o processo de desenvolvimento de um projeto de arquitetura, até bem pouco


tempo?

Até bem pouco tempo, todo em projetos de arquitetura era realizado em fases
bastante distintas seguindo o levantamento de dados e necessidades, estudo
conceitual, podendo ser expressos em perspectivas ou maquetes físicas, estudos em
papel manteiga, para o desenho final feito em nanquim com auxílio de réguas,
esquadros, compassos transferidor etc. Poucos eram aqueles que tinham habilidades
em expressar-se em três dimensões ou na elaboração de maquete físicas.

Como se trabalha com softwares na área de construção civil, hoje?

Hoje o processo de desenvolvimento de projetos na área de arquitetura e construção


civil, está em grande transformação, onde o computador veio a beneficiar para as
etapas deste processo, deste a sua criação e, até a sua representação com objetivos
executivos. Este é um processo em constante evolução, onde a especialização torna-se
cada vez mais necessária, bem como o conhecimento do ambiente da computação
gráfica como um todo. Hoje as técnicas e ferramentas antigas usadas na criação de
projetos foram transferidas na aplicação de softwares específicos. Por exemplo: o
desenho de uma Logomarca encomendada por um cliente deverá ser feita por um
software de tipo vetorial ou de edição de imagens, tais como Corel Draw, Ilustrator ou
Photoshop, ao mesmo tempo que um projeto de arquitetura e deverá ser executado
com o Autocad, Microstation ou outro similar. Todas as ferramentas como lápis, canetas
tinteiro, régua, borracha, esquadro, etc são elementos que foram substituídos por
ferramentas similares inseridas nos softwares para desenvolvimento de projetos. Mais
que isto, hoje há uma série de recursos que somente os softwares são capazes de
realizar, proporcionando uma nova dimensão no processo de desenvolvimento de
projetos.

Para exemplificar ainda mais o processo de especialização dos softwares de


desenvolvimento de projetos, existem, hoje, softwares específicos para a arquitetura,
para cálculos estruturais, para cálculos estruturais de pontes, para projetos de
instalações de ar-condicionado, só atletas para revisão de projetos, ao mesmo tempo
existem softwares que podem ser usados para todas estas necessidades sem uma
especialização, como exemplo: o próprio Autocad.

- Quais os principais softwares para a área de arquitetura, construção civil e design?

Podemos citar alguns dos principais softwares em uso, hoje em dia:

• Autocad e Microstation como os dois mais difundidos softwares CAD genéricos;

• Corel Draw, Illustrator, Free Hand – Softwares vetoriais ou híbridos;

• Photoshop, Fireworks, Indesign como softwares para tratamento de imagens ou


híbridos;

• Revit Architecture, All Plan, Archicad, Microtostation Triforma – Sofwares BIM


(Building Information Modeling – Tecnologia que utiliza todas as informações
geradas em Projetos em 3d para transformar em Projetos executivos em 2d,
totalmente consolidados);

• Solid Works, Inventor, Catia, - Como softwares para área industrial;

• 3d Max, Light Wave, Blender, Cinema 4d – área de computação gráfica e


animação e 3d;

• Promob, Vinte Vinte – Móveis planejados;

• Sketchup, Rinoceros, Form Z – modelagem em 3D;

Existe, ainda, uma infinidade de softwares para usos específicos área de engenharia
arquitetura e outras, como o mercado de games, área automotiva, naval, petrolífera,
não citados acima.
Como acontece o processo de desenvolvimento de um projeto, comparando-se em
várias fases da história?

Pode-se dizer que na pré-história só existia o carvão ou pigmento para se expressar e


registrar idéias. De uns tempos para cá todo o processo vem ficando cada vez mais
especializado e elaborado, sendo hoje a informática imprescindível dentro do processo
de movimentos de projetos em geral. A quantidade de informações, detalhes,
necessidades de estudos relacionados a um projeto desta natureza, exige hoje,
ferramentas mais poderosas capazes de proporcionar ao criador a gestão mais
dinâmica da informação a qual precisa processar. As demandas são cada vez maiores
para os projetos de hoje, exigindo cada vez mais qualidade, soluções criativas, soluções
específicas em termos de conforto ambiental e consumo a energético, tornando
praticamente inviável o desenvolvimento dos projetos sem o apoio das novas
tecnologias. Podemos dizer que este é um casamento da tecnologia consigo mesma,
pois ao mesmo tempo em que se exigem projetos cada vez mais complexos, as
ferramentas para sua execução, também, estão cada vez mais evoluídas. Há poucos
anos atrás, falar em consumo energético e sustentável de uma edificação parecia coisa
de excêntricos, hoje esta é uma necessidade cada vez mais exigida em todo projeto,
até mesmo uma pequena residência.

- Quais os principais recursos disponíveis hoje em dia para desenvolvimento e


apresentação de projetos?

As principais diferenças da nova geração de softwares é que estes tratam dos projetos
de forma mais aproximada com a realidade, de onde sairão uma série de informações
que serão usadas como formas de projetos executivos, representação para um melhor
entendimento do mesmo e execução ou para vendas.

Até que ponto o uso de softwares pode ajudar ou atrapalhar o processo criativo no
desenvolvimento de projetos de arquitetura e engenharia?

Existe uma grande discussão em torno deste tema, ao que podemos observar, o uso
da informática como única forma em um processo criativo, pode criar vícios, por
exemplo: tornar por demais racionalizado o processo criativo. Uma idéia nasce na
mente de forma espontânea, devendo ser lançada o mais rápido possível com a menor
interferência entre a fonte e seu meio, assim o uso da máquina nestes momentos
poderá cortar a fluidez das idéias que vêm naturalmente. Este processo pode ser
melhor explicado através da relação homem X máquina, onde esta passa a controlar o
processo através dos inputs necessários para evoluir a Idea e por acessar áreas
distintas do cérebro responsáveis por processos mais racionais. É sabido também, que
certos movimentos que fazemos com nosso corpo e nossas mãos, vão acessar uma
outra área do nosso cérebro mais ligada à parte criativa, ou seja, o lado direito deste,
tornando nossas mãos uma extensão de nossas idéias.

Por outro lado, assim que a idéia se torne mais efetiva, o uso dos softwares permite a
simulação de uma realidade virtual, podendo se testar certas idéias antes de aplicá-las
em seu fim, assim como o lançamento dos projetos executivos, que hoje em dia tem
como termo mais específico chamado de documentação. Outro benefício é a facilidade
de manipulação e armazenamento e propagação de todas as informações extraídas de
um projeto de arquitetura e engenharia com o design.

Quais as similaridades entre processos criativos entre arquitetos, decoradores e


engenheiros, quanto ao uso de softwares atualmente?

Existe um processo similar quanto ao desenvolvimento e dos softwares de suas


finalidades, seja ele para arquitetos e engenheiros designers, todos serão beneficiados
com a disseminação das tecnologias aplicadas ao desenvolvimento de projetos. Existe
hoje um tipo de solução que é propagada simultaneamente em vários softwares. Por
exemplo: hoje layout dos softwares tem usado um tipo de organização chamada
Ribbon, onde uma faixa de comandos é concentrada na parte superior do software,
contendo diversas seções sensíveis ao tipo de uso que está acontecendo na tela. Desta
mesma forma, algumas das ferramentas que estão sendo desenvolvidas para softwares
voltados para arquitetura, estão beneficiando softwares voltados para a área de
engenharia e vice-versa.

Quais as novidades em termos de ferramentas? E Qual o futuro na área de softwares


voltados para o desenvolvimento de projetos de arquitetura, engenharia e design?

Atualmente existe uma forte tendência de integração de todas as áreas da criação de


um projeto, procurando se criar uma espinha dorsal, onde o elemento principal da
criação sofra a menor necessidade de uso de softwares de plataformas diferentes. Isto
pode ser bem explicado através das famílias de softwares que se comunicam entre si,
onde um mesmo projeto arquitetura pelo designer da estrutura civil e projetos
complementares, sem a necessidade e de se converter o arquivo para uma plataforma
genérica.

Uma outra tendência que se pode observar é a segmentação quanto à especialização


dentro e dos escritórios de engenharia e arquitetura, ficando as etapas de criação e
desenvolvimento e documentação nas mãos de especialistas cada vez mais técnicos e
preparados para gerenciar o às necessidades de estes escritórios. Um exemplo desta
observação é a criação da profissão de gerente de CAD, com cargos cujas atribuições
vão estar relacionadas ao bom funcionamento de todo o sistema de softwares e
hardware, bem como da organização das informações armazenadas destes.

Voltando um pouco a segmentação no processo de criação de um projeto, os softwares


da nova geração que trabalham com a tecnologia BIM, necessitam de certos
preparativos que o processo possa fluir sem muitas interrupções e isto requer uma
pessoa especializada trabalhando paralelamente, enquanto o projeto evolui. Esta
especialização se dá, também na hora de organizar a grande quantidade de
informações a serem processadas, principalmente nos grandes escritórios, que
precisam lidar com projetos cada vez maiores, necessitando uma organização similar a
uma fábrica de projetos, criando uma linha de montagem no tratamento das várias
etapas e atribuições. Podemos dizer que estamos vivendo uma revolução na
organização dos escritórios e atribuições de arquitetos, engenheiros e designers nunca
antes vista.

- qual o papel do arquiteto, engenheiro e projetista no cenário da construção civil?


- porque o profissional deve investir em capacitação na tecnologia e de Softwares?

como os softwares podem nos ajudar a desenvolver nossos projetos?

Muitas possibilidades foram viabilizadas com o uso da informática. O que trouxe coisas
boas e ruins. O conhecimento e acesso aos meios está cada vez mais nivelado,
destacando aqueles com melhor estrutura, criatividade, inteligência competitiva, etc.
Assim, com o surgimento dos primeiros softwares CAD, aquelas pessoas que tinham
dificuldades no uso de canetas nanquim foram bastante beneficiadas, bem como
aqueles que tinham dificuldades de ficar em uma posição que forçava suas colunas.
Outros benefícios mais atuais são aqueles em que o simples lançamento de uma idéia
em 3D desde o primeiro momento, possibilita a visualização mais aproximada da
realidade, tornando mais dinâmica a solução das propostas e visualização dos
problemas.

quais as perspectivas do mercado de trabalho para computação gráfica?

Com a qual a popularização da informática, diversas possibilidades se abriram, até


mesmo para aqueles que não são da área, coisa que tem acontecido em muito
ultimamente. Por exemplo, o arquiteto pode treinar uma pessoa que não é
necessariamente da área, mas possua certas habilidades para trabalhar ou por
conveniência. Ao mesmo tempo qualquer pessoa pode passar a desenvolver certas
atividades, antes inerentes a projetistas como complemento de renda, como um hobby,
ou como uma saída para a uma nova possibilidade de mercado.

Como exemplo os podemos citar uma grande quantidade pessoas prestando serviços
de maquetes eletrônicas, trabalhando como vendedores e em lojas de móveis
planejados, abrindo seu próprio negócio onde é necessário o uso de softwares CAD.

- quais os principais softwares existentes no mercado e quais os mais difundidos?

- quase soltas básicos um arquiteto deve dominar?

- qual o salto é mais adequado para a área de arquitetura?

- como se trabalha hoje em dia em um este escritório de arquitetura?

- como se encontra o papel do arquiteto no mercado de trabalho?

- quais os novos só atletas que deverão dominar o mercado de agora em diante?

- qual a nova tecnologia dominante?

- o que é bim e quais as suas perspectivas?

- como a aprender e implantar um só atleta com tecnologia de mim em meu escritório?

- quais os tipos de curso existentes e aquele mais indicado para mim que sou iniciante?

- quais os ganhos ou ter a nos dar um só atleta como Revit?

- com a mão obter resultados práticos com Revit? Qual seria um atitude prática
reprodutiva?
- a peça se iniciar os trabalhos com leve que serei capaz de abandonar Autocad?

- o que é preciso para ganhar auto-suficiência no Revit?

- como ganhar produtividade e trabalhar melhor com o Revit?