Você está na página 1de 155

Evita 2 dura

Ventilador de cuidados intensivos


Registro ANVISA nº: WWWWWWWWWW
Conteúdo: Um Ventilador de cuidados intensivos modelo Evita 2 dura e literatura técnica.

Manual de uso
Software 4.n
1-36-96
Como trabalhar com este manual de uso

Como trabalhar com este manual de uso

Parte superior - o título... Funcionamento


Inicialização
do capítulo principal
O título de cada sub-seção está impresso abaixo do título
principal - para auxiliar a busca de forma mais ágil entre
Inicialização
os temas.
Ligar
● Pressione a chave geral no painel traseiro até que o
botão encaixe no lugar = ligado.
A cobertura desce sobre a chave para evitar que o
Corpo da página... equipamento seja desligado inadvertidamente.

as instruções de uso O Evita 2 dura executa um autoteste.


● Aguarde até que a fase de 10 s de teste esteja completa.
combinando texto com ilustrações. A informação é O Evita 2 dura sempre começa a ventilação com os
valores de inicialização indicados por uma seta nos
traduzida diretamente em ações para permitir ao usuário botões da tela.
Para selecionar estes valores de inicialização, por favor,
aprender na prática como utilizar o equipamento. se refira às páginas 62 em diante.
Após quedas de energia elétrica e o acionamento do
modo de espera, os ajustes ativos imediatamente antes
da interrupção da operação permanecerão em uso.

Coluna da esquerda ...


o texto Modo do paciente
Após acionar o equipamento, o Evita 2 dura solicita a
provê explicações e guia o usuário gradativamente no escolha do modo do pacientes:
– »Adults« = pacientes adultos
uso prático do equipamento, através de instruções – »Paed.« = crianças

concisas, claras e de seqüência fácil de acompanhar. – »Neo.« = neonatais


(ao utilizar a opção "NeoFlow")

Os pontos indicam ações separadas. Onde várias ações – »prev. patient« = paciente anterior

são descritas, números são utilizados tanto para se referir Examplo:


Ventilação adulta
aos detalhes pertinentes nas ilustrações como para
especificar a sucessão de ações. Com esta informação, o Evita 2 dura define as faixas de
ajuste e os valores de inicialização dos parâmetros
ventilatórios.
O procedimento de inicialização pode, com a seleção do
modo do paciente, ser configurado pelo usuário, veja em
"Configuração" na página 55 em diante.

Coluna da direita ...


as ilustrações
fornecem uma referência visual ao texto e facilitam a
localização das várias partes do equipamento. Os
elementos mencionados no texto são realçados. Detalhes
desnecessários são omitidos. 22

As exibições na tela insitam o usuário a proceder e


confirmar as ações corretamente.

2
O que é novo no Evita 2 dura software 4.n

O que é novo no Evita 2 dura


software 4.n

Especificação do umidificador utilizado Evita Remote (controle remoto)


disponível opcionalmente
− »Active humidifier« (umidificador ativo)
– Controle remoto para operação paralela à distância das
ou
teclas de função no Evita 2 dura 4.n
− »HME/Filter« (nariz artificial)
− para medições mais precisas dos parâmetros de
volume

NIV
Controle da ventilação de apnéia disponível opcionalmente
– pode ser selecionado como configuração de – Modo de aplicação para o suporte de terapias
inicialização ventilatórias não invasivas

Faixa ampliada do ajuste para o tempo de alarme


TApnoea > Chamada de enfermeira
– de 5 a 60 segundos disponível opcionalmente
(antigamente de 15 a 60 segundos) – Terminal para conectar os sinais de alarme a uma
estação central de alarmes no hospital

Modo ventilatório BIPAPAssist


– para ventilação assistida controlada por pressão Ajustes simplificados
em "other modes" (outros modos)

Modo de paciente »prev. patient« (paciente anterior)


– para adotar os ajustes, inclusive os alarmes, que
eram efetivos antes de desligar o equipamento

Controle da compensação de vazamento


– para ativação e desativação da função de compensação
de vazamento automática

Monitoração de bloqueios do tubo


– Nova mensagem de alarme »Tube blocked !!!«
(tubo bloqueado)

Parâmetros adicionais de desmame


disponível com o software versão 4.n plus aperfeiçoado
além do parâmetro de pressão de oclusão P 0.1
O Evita 2 dura 4.n também determina os parâmetros
– RSB índice respiratório raso e rápido
e
– NIF índice da força inspiratória negativa
– fspn e MVspn como tendência

Fonte de fluxo externa


disponível com o software versão 4.n plus aperfeiçoado
– A quantidade de fluxo externo é calculada pelo Evita 2
dura 4.n (ex.: para insuflação de gás traqueano adicional)
e as tolerâncias de monitoração do volume são ajustadas
para evitar alarmes inadvertidos

3
4
Índice

Índice

Para sua segurança e a de seus pacientes ........................................ . 9

Uso previsto ................................................................................ 11

Conceito de operação .................................................................. . 13


Controles ventilatórios ...................................................... ........... . 14
Ajuste dos parâmetros ventilatórios ................................................... . 14
Seleção do modo ventilatório ........................................................... 14
Controles de operação da tela ....................................................... . 15
Teclas para funções de rotina e adicionais .......................................... . 15
Chave geral ................................................................................. 16
Tecla do modo de espera (standby) »O« ............................................. 16
Telas do monitor ......................................................................... . 17
Estrutura da tela principal ................................................................ 17
Estrutura das telas de aplicação específica ......................................... . 17
»Settings« (ajustes) ....................................................................... . 18
»Alarms« (alarmes) ........................................................................ . 18
»Measurements« (medições) ........................................................... . 18
»Calibration / Configuration« (calibração / configuração) ........................ . 19
Tela colorida ................................................................................ 20

Funcionamento ............................................................................ 21
Inicialização ................................................................................ 22
Ligar .......................................................................................... 22
Modo do paciente ......................................................................... 22
Selecionar o modo do paciente ......................................................... 23
Iniciar a ventilação ......................................................................... 24

Ajuste dos modos ventilatórios ...................................................... . 25


IPPV ......................................................................................... . 27
SIMV, SIMV/ASB ......................................................................... . 29
BIPAP, BIPAP/ASB ....................................................................... 31
BIPAPAssist ................................................................................. . 32
CPAP, CPAP/ASB ....................................................................... . 33
MMV, MMV/ASB ........................................................................... 34

Ventilação de apnéia .................................................................... 36

Ajuste dos limites de alarme .......................................................... . 37

No caso de um alarme .................................................................. 38


Perigo ........................................................................................ 38
Precaução ................................................................................... 38
Aviso .......................................................................................... 38
Silenciar o toque de alarme .............................................................. 39
Informação .............................................................................. 39

5
Índice

Índice

Exibição das curvas e valores de medição ......................................... 40


Na tela principal ........................................................................... . 40
Exibição dos valores de medição ....................................................... 41
Congelar a curva ........................................................................... 42

Funções especiais ....................................................................... . 43


Inspiração manual .......................................................................... 43
Manter a expiração manual ............................................................... 43
Nebulização de medicamento ........................................................... 44
Oxigenação para aspiração bronquial ................................................. 47

Acionar o modo de espera (standby) ................................................ 49

Calibração ................................................................................. . 50
Calibração manual do sensor de O2 ................................................... 50
Calibração manual do sensor de fluxo................................................. 51
Fonte de fluxo externa ..................................................................... 52

Desligar as funções de monitoração .................................................. 3

Configuração ............................................................................... 55
Ajustes do sistema ...................................................................... . 56
Ajuste do volume do alarme sonoro .................................................... 56
Ajuste do contraste ........................................................................ 56

Ajustes específicos do país ............................................................ 57


Seleção do idioma ......................................................................... 57
Ajuste da data e hora...................................................................... 57
Seleção das unidades de medida ..................................................... . 57

Interface.................................................................................... . 58
Seleção da interface ..................................................................... . 58

Tela .......................................................................................... . 59
Seleção da exibição da combinação dos valores de medição ................... . 59
Seleção da exibição das curvas ........................................................ . 61

Padrões de ventilação .................................................................. . 62


Padrões específicos do paciente ...................................................... . 62
Valores padrão dos parâmetros ventilatórios ......................................... 63
Controle do limite de pressão Pmax.................................................... 64
Controle da ventilação de apnéia ....................................................... 65
Controle da compensação de vazamento ............................................ . 66
Limites padrão de alarme ................................................................. 67
Modo ventilatório padrão ................................................................ . 69

6
Índice

Índice

Erro – Causa – Solução ................................................................ 71

Cuidados ................................................................................... . 79
Desmontagem ............................................................................. 80
Remoção das partes ...................................................................... 80
Desinfecção/Limpeza/Esterilização................................................. 83
Tabela de Desinfecção/Limpeza/Esterilização ...................................... 85
Montagem .................................................................................. 86
Montagem da válvula expiratória ....................................................... . 86
Inserção da válvula expiratória ........................................................... 86
Inserção do sensor de fluxo.............................................................. 87
Inserção do sensor de O2 ................................................................ 87
Observações quanto ao uso de trocadores de calor e umidade ................. 88
Observações quanto ao uso de filtros bacterianos ................................ . 88
Para ventilar adultos e crianças ......................................................... 89
Para ventilar bebês ....................................................................... . 91
Suprimento e conexões ................................................................. 92
Suprimento de energia elétrica ........................................................ . 92
Suprimento de gases .................................................................... . 93
Evita Remoto (opcional) ................................................................ . 94
Conexão ..................................................................................... 94
Observações quanto ao autoteste automático ....................................... 95
Chamada de enfermeira (opcional).................................................. . 96
Dados técnicos ............................................................................. 96
Antes de utilizar pela primeira vez ................................................... 97
Conferência do equipamento ........................................................ . 97
Preparo da conferência do equipamento ............................................. 97
Execução da conferência do equipamento ........................................... 99
Intervalos de manutenção ........................................................... . 107
Substituição do filtro de ar de refrigeração ......................................... 107
Remoção e reinserção do filtro do ar ambiente .................................... 108
Eliminação correta de baterias e sensores de O2 ................................. 108
Eliminação correta do equipamento .................................................. 108

Descrição ................................................................................ . 109


Modos ventilatórios ..................................................................... 110
Ventilação controlada por volume com PLV ....................................... . 110
Suspiro (PEEP intermitente) .......................................................... . 111
SIMV ....................................................................................... . 112
ASB ........................................................................................ . 113
BIPAP ..................................................................................... . 114
BIPAPAssist ................................................................................ 115

7
Índice

Índice

MMV........................................................................................ . 116
Medição do fluxo ........................................................................ . 117
Compensação automática de vazamento ........................................... . 119
Respiração rasa e rápida RSB ........................................................ . 121
Força inspiratória negativa NIF ........................................................ 121

Concentração insp. de O2 durante a


nebulização de medicamento ........................................................ 122

Bibliografia ............................................................................... . 123

O que é o que ............................................................................ 125


Unidade de controle ..................................................................... 126
Bloco de conexão dianteiro para ventilação......................................... 127
Painel traseiro ............................................................................ . 128

Abreviações .............................................................................. . 129


Símbolos................................................................................... 132

Dados técnicos .......................................................................... 133


Condições ambientais ................................................................... 134
Ajustes ...................................................................................... 134
Dados de performance .................................................................. 135
Exibições do valor de medição........................................................ . 136
Monitoração .............................................................................. . 137
Dados operacionais ...................................................................... 138

Lista de peças / Lista de pedido ................................................... . 141


Lista de peças ............................................................................ 142
Para ventilação adulta .................................................................. . 142
Para ventilação pediátrica .............................................................. 143

Lista de pedido ........................................................................... 144

Índex ........................................................................................ 146

8
Para sua segurança e a de seus pacientes

Para sua segurança e a de seus


pacientes

Siga estritamente o Manual de Uso Responsabilidade quanto à funcionalidade ou danos


Qualquer uso do aparelho requer a plena compreensão e A responsabilidade quanto à funcionalidade do aparelho é
estrita observância destas instruções. O equipamento só transferida irrevogavelmente ao proprietário ou operador,
deve ser utilizado para os propósitos especificados neste cujo aparelho não tenha sido assistido ou reparado pela
manual. assistência técnica exclusiva da Dräger ou alguém
autorizado por ela. O mesmo ocorre no caso do aparelho
Manutenção não ser utilizado conforme seu uso previsto.
O aparelho deve ser inspecionado e assistido A Dräger não se responsabiliza por danos causados pelo
regularmente a cada seis meses pela assistência técnica não cumprimento das recomendações citadas. As
especializada (e mantido um registro). cláusulas de garantia e responsabilidade dos termos de
Reparos e revisões gerais do aparelho só devem ser venda e entrega da Dräger não serão modificadas além
executados pela assistência técnica especializada. das recomendações citadas.
Recomendamos que um contrato de assistência técnica Dräger Medizintechnik GmbH
seja obtido com a Dräger e que todos os reparos também
sejam executados pela empresa. Somente peças de
reposição originais Dräger devem ser utilizadas.
Observe o capítulo "Intervalos de Manutenção".

Inspeções técnicas de segurança


O aparelho deve ser submetido a inspeções técnicas
regulares de segurança.

Acessórios
Não utilize outros acessórios além daqueles
especificados na lista de pedido.

Não utilize em áreas com risco de explosão


Este aparelho não é aprovado nem certificado para o uso
em áreas propícias a ocorrência de misturas gasosas de
combustível ou explosivas.

Conexão segura com outros equipamentos elétricos


Conexões elétricas com equipamentos que não estejam
listados neste Manual de Uso somente devem ser feitas
após a consulta aos respectivos fabricantes ou um
especialista.

9
Para sua segurança e a de seus pacientes
Uso seguro do equipamento

Uso seguro do equipamento

Este equipamento só deve ser utilizado sobre a Ventilação de emergência com um dispositivo de
supervisão de um corpo médico qualificado, de forma ventilação manual independente
que haja assistência imediata no evento de qualquer
Se uma falha for detectada no Evita 2 dura de forma que
falha ou mau funcionamento.
as funções de suporte vital não possam ser mais
asseguradas, inicie imediatamente a ventilação com um
Este equipamento não deve ser utilizado com gases dispositivo de ventilação independente - se necessário
ou agentes anestésicos inflamáveis. Risco de incêndio! com PEEP ou uma maior concentração inspiratória de O2
(ex.: Dräger Resutator 2000).
Não utilize telefones portáteis a um raio de 10 metros
de distância dos ventiladores!
Telefones portáteis podem interferir no funcionando de
aparelhos eletromédicos, pondo o paciente em risco1).

Monitoração apropriada da ventilação


As propriedades de monitoração embutidas no Evita 2
dura asseguram uma monitoração apropriada da terapia
ventilatória e detectam qualquer alteração indesejável nos
seguintes parâmetros ventilatórios:
– Pressão das vias aéreas, Paw
– Volume minuto expiratório, MV
– Concentração de O2 inspiratória, FiO2
– Temperatura do gás respiratório inspiratório, T
– Concentração de CO2 expiratória, etCO2 (opcional)
– Volume respiratório inspiratório, VTI
– Tempo de apnéia
– Monitoração de taquipnéia
As alterações nestes parâmetros podem ser causadas por:
– Mudanças bruscas na condição do paciente
– Erros de ajuste e manuseio
– Mau funcionamento do equipamento
– Queda de energia elétrica e suprimento de gás

Se uma falha ocorrer no equipamento, utilize


instrumentos de medição independentes.

1) Os equipamentos médicos da Dräger cumprem as exigências de


resistência a interferências segundo as normas específicas do produto e
a EN 60601-1-2 (IEC 601-1-2). Contudo, dependendo da construção do
telefone portátil e da circunstância de uso, campos de força podem
telefone portátil e da circunstância de uso, campos de força podem
surgir ao redor de um telefone portátil que excedem os limites
superiores das normas, causando então interferências.

10
Uso previsto
Índice

Uso previsto

Índice

Uso previsto ............. ................................................................... 11


Uso previsto

Uso previsto

Evita 2 dura BIPAPAssist (pressão positiva bifásica assistida das vias aéreas)
Ventilador de uso prolongado para cuidados intensivos. Ventilação assistida controlada por pressão
Para adultos, crianças e neonatais.
APRV Ventilação de alívio da pressão das vias aéreas,
Com os seguintes modos ventilatórios: respiração espontânea em dois níveis de pressão com
faixas prolongadas de tempo - independentemente ajustáveis.
IPPV Ventilação de pressão positiva intermitente,
ventilação controlada e assistida por volume constante.
Com as opções: Modos especiais:
– CPPV (Ventilação de pressão positiva contínua) Ventilação de apnéia
– PLV (Ventilação por pressão limitada) Para comutar automaticamente para ventilação
– AutoFlow (opcional) mandatória controlada por volume, se a respiração
para regulagem automática do fluxo inspiratório cessar.
– IRV (Ventilação de relação invertida) Se a apnéia acontecer, o Evita 2 dura emite um alarme
após o período de alarme prefixado (TApnoea > ) e inicia
SIMV Ventilação mandatória intermitente sincronizada, a ventilação controlada por volume.
procedimento para o desmame de pacientes do ventilador ILV (opcional)
após o início da respiração espontânea. Ventilação pulmonar independente,
Com as opções: Ventilação separada, diferenciada e sincronizada de duas
– PLV (Ventilação por pressão limitada) unidades de Evita, uma para cada pulmão.
– AutoFlow (opcional)
para regulagem automática do fluxo inspiratório

MMV Ventilação mandatória por volume minuto, Diagnósticos


respiração espontânea com ajuste automático da
ventilação mandatória para a exigência de volume minuto Medição da PEEP intrínseca (opcional)
do paciente. para determinar a PEEP intrínseca e medir o volume
Com as opções: capturado.
– PLV (Ventilação por pressão limitada) Medição da pressão de oclusão (opcional)
– AutoFlow (opcional) para avaliar a atividade respiratória durante a respiração
para regulagem automática do fluxo inspiratório. espontânea.

SB Respiração espontânea,
Respiração espontânea a pressão ambiente.
Com monitoração para
CPAP Pressão positiva contínua das vias aéreas,
Respiração espont. com pressão positiva das vias aéreas. pressão das vias aéreas, Paw
volume minuto expiratório, MV
ASB Respiração espontânea assistida, concentração de O2 inspiratória, FiO2
respiração espontânea assistida por pressão. temperatura do gás respiratório inspiratório, T
concentração de CO2 expiratória, etCO2 (optional)
BIPAP* Pressão positiva bifásica das vias aéreas, Saturação funcional de O2 e freqüência cardíaca (opcional)
Ventilação controlada por pressão combinada com a volume respiratório inspiratório, VTI
respiração espontânea livre durante todo o ciclo tempo de apnéia
respiratório, com pressão de suporte ajustável em nível monitoração de taquipnéia para detectar uma respiração
de CPAP. espontânea rápida e de pouca profundidade

Comutação automática de gás


No caso da falha no suprimento de um gás, a comutação
para o suprimento por outro gás é automática.

–––––––––––
* Marca comercial registrada

12
Conceito de operação
Índice

Conceito de operação

Índice

Controles ventilatórios .................................................................. 14


Ajuste dos parâmetros ventilatórios ................................................... . 14
Seleção do modo ventilatório............................................................ 14
Controles de operação da tela ....................................................... . 15
Teclas para funções de rotina e adicionais .......................................... . 15
Chave geral ................................................................................. 16
Tecla do modo de espera (standby) »O« ............................................. 16
Telas do monitor ......................................................................... . 17
Estrutura da tela principal ................................................................ 17
Estrutura das telas de aplicação específica .......................................... 17
»Settings« (ajustes) ....................................................................... . 18
»Alarms« (alarmes) ........................................................................ . 18
»Measurements« (medições) ........................................................... . 18
»Calibration / Configuration« (calibração / configuração) ........................ . 19
Tela colorida ................................................................................ 20

13
Conceito de operação
Controles ventilatórios

Controles ventilatórios
1 Teclas para selecionar os modos ventilatórios:
– IPPV D 2 Evita 2 dura

– SIMV
– BIPAP
e
– outros modos
2 Teclas para selecionar/ajustar os parâmetros ventilatórios:
– Volume corrente VT 3
– Tempo inspiratório Tinsp 1
– Freqüência f
– Fluxo inspiratório Flow
– Pressão inspiratória Pinsp
– Respiração espontânea assistida por pressão ∆PASB
– Pressão positiva final expiratória PEEP
– Tempo de elevação da pressão Ramp
– Concentração de O2 O2
– Sensibilidade Trigger
3 Botão rotativo central "gira e pressiona" para ajustar os
parâmetros:
Para ajustar = gire o botão rotativo
Para confirmar o ajuste = pressione o botão rotativo.

Ajuste dos parâmetros ventilatórios


2 Para ajustar um parâmetro ventilatório = pressione a
tecla do parâmetro correspondente.
O LED amarelo da tecla se acende.
3 Para ajustar o valor do parâmetro ventilatório =
gire o botão rotativo. O valor é exibido ao lado da tecla do
parâmetro.
3 Para confirmar o valor = pressione o botão rotativo.
O LED amarelo se apaga.

Seleção do modo ventilatório


1 Mantenha pressionada a tecla desejada por
aproximadamente 3 segundos ou
pressione brevemente a tecla desejada e
confirme = pressione o botão rotativo.
O modo ventilatório selecionado será ativado neste instante.

Para instruções detalhadas sobre como ajustar os modos


ventilatórios, veja a página 25.

14
Conceito de operação
Controles de operação da tela

Controles de operação da tela


1 Teclas do menu para selecionar o menu na tela.
D Evita 2 dura
2 Botão rotativo central "gira e pressiona" para selecionar
e ajustar as opções exibidas na tela.
Para selecionar/ajustar = gire o botão rotativo 1
Para confirmar = pressione o botão rotativo.

3 Teclas de operação da tela: 2


3
»Print « tecla para o registro manual da impressora
» « tecla para ajustar o brilho da tela para claro ou
escuro,
»Freeze « tecla para congelar as curvas,
»Curves « tecla para exibir um par diferente de
curvas,
»Values 1 2 « tecla para exibir uma combinação
diferente de valores de medição,
uma tecla reserva para futuras funções.

Teclas para funções de rotina e adicionais


4 Teclas freqüentemente utilizadas para funções de
rotina estão posicionadas ao lado direito do painel frontal: D Evita 2 dura

»g « tecla para silenciar o toque de alarme sonoro,


»Alarm Reset« (apagar alarme) tecla para apagar ou 5 4
reconhecer mensagens de alarme,
» « tecla para exibir informações e para auxiliar no
ajuste desejado,
» « tecla para proteger contra modificações
inadvertidas ou sem autorização dos ajustes dos
parâmetros ou modos ventilatórios.

5 Teclas para funções adicionais são posicionadas no


lado esquerdo do painel frontal:
» « tecla para controlar o nebulizador de
medicamento,
»O2 Suction« (aspiração) tecla para oxigenação
durante a aspiração bronquial.
»Insp. hold« para inspiração ativada manualmente,
»Exp. hold« para estender o período expiratório,
uma tecla reserva para futuras funções.

15
Conceito de operação
Chave geral
Tecla do modo de espera (standby) »O«

Chave geral
Para ligar e desligar o equipamento.
Localizado no painel da parte traseira, com uma
cobertura giratória para proteger a chave de ser desligada
inadvertidamente.

Tecla do modo de espera (standby) »O«


Localizada separadamente, longe de outras teclas.
D Evita 2 dura
Para manter o aparelho em modo de espera (standby)
ou
para iniciar a ventilação.

Para acionar o modo de espera:


● Pressione e segure a tecla »O« por pelo menos
3 segundos.

Para iniciar a ventilação:


● Pressione a tecla »O« brevemente e solte.

16
Conceito de operação
Telas do monitor

Telas do monitor

As telas do monitor consistem de duas estruturas básicas:


– a tela principal, que exibe todas as características
ventilatórias importantes à primeira vista,
e
– as telas de aplicação específica para funções e ajustes.

As funções de importância são exibidas na mesma


posição em ambas as estruturas:
– modo ventilatório e do paciente ativos
– mensagens de alarme, perigo ou aviso
– campo para as teclas de seleção do menu
– informação e ajuda. ➀ ➁

Estrutura da tela principal


➀ Linha para o modo ventilatório, modo paciente e
indicador da sensibilidade em uso.
➁ Linha para mensagens de alarme, perigo e aviso
➂ Campo para teclas de seleção do menu
➃ Campo para valores de medição
➄ Campo para curvas
➅ Linha para informações e ajuda

➅ ➄ ➃ ➂
➀ ➅ ➆ ➁
Estrutura das telas de aplicação específica
➀ Barra para o modo ventilatório e o modo paciente
em uso (exemplo: IPPV)
➁ Barra para mensagens de alarme, perigo e aviso
➂ Barra para informações e ajuda
➃ Campo para a barra de menu
➄ Campo de exibição contínua da pressão e monitoração
➅ Campo para exibir o menu selecionado
➆ Campo para teclas de seleção de menu
➇ Tecla da tela, selecionável com o botão rotativo
➈ Campo da tela, selecionável com o botão rotativo
➄ ➇ ➈ ➂ ➃

17
Conceito de operação
Telas do monitor

As teclas do menu na extremidade direita da tela


selecionam as telas para as seguintes situações de D Evita 2 dura

aplicação específica:
– Ajustes
– Alarmes
– Medições
– Manuseio das medições (opcional)
– Calibração / Configuração

»Settings« (ajustes)
– Para ajustar a ventilação de apnéia.
– Para ajustar a PEEP intermitente.
Para instruções operacionais detalhadas, veja em "Ajuste
dos modos ventilatórios", na página 25 em diante.

»Alarms« (alarmes)
– Para exibir os valores de medição com seus limites de
alarme.
– Para ajustar os limites de alarme.
Para instruções operacionais detalhadas, veja em "Ajuste
dos limites de alarme", na página 37.

»Measurements« (medições)
– Para exibir todos os valores de medição no modo
ventilatório em uso.
Pressione a tecla »Table jj« (tabela) na tela para exibir mais
opções de valores de medição em »Table 2« (tabela 2).
001 37 253

18
Conceito de operação
Telas do monitor

»Calibration / Configuration« (calibração / configuração)


Sensores
– Calibração dos sensores de O2 e fluxo
– Controle do sistema de monitoração

Equipamento
– Ajuste do volume do alarme sonoro
– Ajuste do contraste da tela
– Ajuste da data e hora
– Seleção do idioma e das unidades de medida
– Ajuste das interfaces externas

Exibição
– Seleção de 2 x 6 valores de medição na tela principal
– Seleção de 2 x 2 curvas na tela principal

Ventilação
– Modo do paciente
– Modo ventilatório
– Parâmetros ventilatórios
– Limites de alarme.

19
Tela colorida

Tela colorida

Para diferenciar os vários itens informativos na tela.

Para mensagens:
Vermelho = Alarme
Amarelo = Mensagem de precaução ou aviso
Azul = Alarme não mais ativo

Exemplo: alarme "!!! Apnoea" (apnéia)

002 37 253
Para botões do menu:
Verde = pode ser selecionado
Preto = selecionado
Exemplo: botão de menu »Device + + « (equipamento)

003 37 253

Para teclas da tela:


LED verde na tecla da tela = função desativada
LED amarelo na tecla da tela = função ativada
Exemplo: Tela »Flow« (fluxo) - função ativada
004 37 253

20
Funcionamento
Índice

Funcionamento

Índice

Inicialização ................................................................................ 22
Ligar .......................................................................................... 22
Modo do paciente ........................................................................ . 22
Selecionar o modo do paciente ......................................................... 23
Iniciar a ventilação ........................................................................ . 24

Ajuste dos modos ventilatórios ...................................................... . 25


IPPV .......................................................................................... 27
SIMV, SIMV/ASB .......................................................................... 29
BIPAP, BIPAP/ASB ....................................................................... 31
BIPAPAssist .................................................................................. 32
CPAP, CPAP/ASB ........................................................................ 33
MMV, MMV/ASB ........................................................................... 34

Ventilação de apnéia .................................................................... 36

Ajuste dos limites de alarme .......................................................... . 37

No caso de um alarme .................................................................. 38


Perigo ....................................................................................... . 38
Precaução ................................................................................... 38
Aviso .......................................................................................... 38
Silenciar o toque de alarme .............................................................. 39
Informação ............................................................................... 39

Exibição das curvas e valores de medição ........................................ 40


Na tela principal ........................................................................... . 40
Exibição dos valores de medição ....................................................... 41
Congelar a curva .......................................................................... . 42

Funções especiais ........................................................................ 43


Inspiração manual ......................................................................... 43
Manter a expiração manual.............................................................. . 43
Nebulização de medicamento ........................................................... 44
Oxigenação para aspiração bronquial ................................................. 47

Acionar o modo de espera (standby)................................................. 49

Calibração ................................................................................. . 50
Calibração manual do sensor de O2 ................................................... 50
Calibração manual do sensor de fluxo ................................................ . 51
Fonte de fluxo externa ..................................................................... 52

Desligar as funções de monitoração ................................................ 53

21
Funcionamento
Inicialização

Inicialização

Ligar
● Pressione a chave geral no painel traseiro até que o
botão encaixe no lugar = ligado.
A cobertura desce sobre a chave para evitar que o
equipamento seja desligado inadvertidamente.
O Evita 2 dura executa um autoteste.
● Aguarde até que a fase de 10 s de teste esteja completa.
O Evita 2 dura sempre começa a ventilação com os
valores de inicialização indicados por uma seta nos
botões da tela.
Para selecionar estes valores de inicialização, por favor,
se refira às páginas 62 em diante.
Após quedas de energia elétrica e o acionamento do
modo de espera, os ajustes ativos imediatamente antes
da interrupção da operação permanecerão em uso.

Modo do paciente
Após acionar o equipamento, o Evita 2 dura solicita a
escolha do modo do paciente:
– »Adults« = pacientes adultos
– »Paed.« = crianças
– »Neo.« = neonatais
(ao utilizar a opção "NeoFlow")
– »prev. patient« = paciente anterior

Exemplo:
Ventilação adulta

Com esta informação, o Evita 2 dura define as faixas de


ajuste e os valores de inicialização dos parâmetros
ventilatórios.
O procedimento de inicialização pode, com a seleção do
modo do paciente, ser configurado pelo usuário, veja em
"Configuração" na página 55 em diante.
005 37 253

22
Funcionamento
Inicialização

A tecla da tela »prev patient« pode ser utilizada para


restabelecer os ajustes específicos do paciente, inclusive
os limites de alarme e o estado de monitoração, utilizados
antes de desligar o equipamento.
Exemplo:
Previous patient (paciente anterior)

Os modos anteriores são exibidos na linha de status:


– Modo de ventilação anterior (exemplo: IPPV)
– Modo paciente anterior (A = Adulto)
– Modo de aplicação anterior - cânula ou máscara para NIV
opcional (exemplo: NIV)

032 37 253
A tecla »prev. patient« não é exibida pelo Evita 2 dura
após a perda de dados ou a remoção da opção
previamente utilizada (exemplo: NeoFlow), impedindo
assim a restauração dos ajustes anteriores.

Seleção do modo do paciente


Para selecionar:
● Selecione a tecla »Adults«
ou
a tecla »Paed.«
ou
a tecla »Neo.« (opção NeoFlow) = gire o botão rotativo.
● Confirme = pressione o botão rotativo.
ou:
● Selecione a tecla »prev. patient« = gire o botão rotativo.
● Confirme = pressione o botão rotativo.

23
Funcionamento
Inicialização

Iniciar a ventilação
O Evita 2 dura inicia a ventilação com o modo ventilatório
configurado pelo usuário e com os ajustes de inicialização
específicos para o paciente ou com os ajustes utilizados
antes do equipamento ser desligado pela última vez.
Para selecionar outros ajustes de inicialização, veja na
página 63.
Se nenhuma seleção for feita ou caso o botão rotativo
não seja pressionado para confirmar os novos ajustes, o
equipamento automaticamente inicia a ventilação após 30
segundos com o último modo do paciente e modo
ventilatório selecionados, além dos parâmetros
ventilatórios associados.
A tela principal é exibida no monitor do Evita 2 dura.

006 37 253
O usuário pode conferir e corrigir os ajustes nos campos
de exibição ao lado das teclas dos parâmetros.

24
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios

Ajuste dos modos ventilatórios


Para ajustar os parâmetros ventilatórios:
1 Pressiona a tecla do modo ventilatório desejado. O LED D 1 Evita 2 dura
amarelo na tecla se acenderá.
2 Ajuste o valor desejado = gire o botão rotativo.
Confirme o valor = pressione o botão rotativo. O LED
amarelo se apagará.
Se o ajuste estiver no limite superior ou inferior da faixa
de ajuste para um parâmetro, o LED da tecla associada 2
irá piscar,
2 Para reconhecer = pressione o botão rotativo.
Se o novo ajuste não for confirmado dentro de 30 segundos,
os ajustes anteriores permanecerão operantes.

Ajuste dos parâmetros para outro modo ventilatório


1 Pressione brevemente a tecla do modo ventilatório
desejado. Seu LED ficará piscando.
No bloco de teclas de parâmetro, as teclas para os
parâmetros pertinentes ao novo modo ventilatório
começarão a piscar.

Ajuste os novos parâmetros ventilatórios:


1 Pressione a tecla desejada: seu LED deixará de piscar
e permanecerá constantemente aceso.
2 Ajuste o valor desejado = gire o botão rotativo.
Confirme o valor = pressione o botão rotativo. O LED
amarelo se apagará.

Para ativar o modo ventilatório: D Evita 2 dura

3 Teclas dos modos ventilatórios:


– IPPV
– SIMV
– BIPAP
e
– outros modos
4 A tecla »Other Modes« (outros modos) para outros 3 4
modos ventilatórios que estejam localizados na tela.
Ajustes de fábrica: CPAP/ASB.
● Mantenha a tecla desejada pressionada por 3 segundos,
ou
● Pressione brevemente a tecla desejada e pressione o
botão rotativo.
O modo ventilatório selecionado passará a ser ativo.

25
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios

Para prevenir que os ajustes sejam alterados


D Evita 2 dura

1 Pressione a tecla » «. Seu LED amarelo se acenderá.


As teclas de parâmetro e dos modos ventilatórios serão
protegidas contra alterações inadvertidas.
1
Antes de ajustar um novo valor:
1 Pressione a tecla » «. O LED amarelo apagará.

26
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios
IPPV

IPPV
Ventilação de pressão positiva intermitente Paw
Pausa
Ventilação controlada por volume com um volume minuto insp.
mandatório fixo MV, ajustado pelo volume corrente VT e a
freqüência f.
Pplat
Para pacientes que não respiram espontaneamente.

t
● Defina o formato da ventilação IPPV através das teclas
para os parâmetros ventilatórios: Tinsp Te

Volume corrente »VT« 1


Fluxo inspiratório »Flow« f
Fluxo
Freqüência »f«
Fluxo insp.
Tempo inspiratório »Tinsp«
Concentração de O2 »O2« t
Pressão positiva final expiratória »PEEP«

O IPPV pode ser complementado pelos seguintes


parâmetros ventilatórios:
Trigger (disparo - IPPV Assist) - para sincronizar a
ventilação mandatória com o esforço da respiração
espontânea do paciente.
Ao ativar o disparo e ao ajustar a sensibilidade do disparo,
os ciclos mandatórios do ventilador são sincronizados
com as tentativas de respiração espontâneas do paciente.
O disparo pode ser desativado caso a sincronização com
as tentativas de respiração espontânea do paciente não
seja necessária.

Para ativar / ajustar:


● Pressione a tecla de parâmetro ventilatório »Trigger«.
● Ajuste o valor = gire o botão rotativo,
Confirme o valor = pressione o botão rotativo.

Para desativar:
● Ajuste um valor inferior a 0,3 ou acima de 15 L/min.
A exibição mostrará: – – –

27
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios
IPPV

Suspiro – para prevenir a atelectasia.


A atelectasia pode ser prevenida ativando a função de
suspiro e ajustando o suspiro na forma de uma PEEP
intermitente.
Quando a função de suspiro é ativada, a pressão final
expiratória é elevada à PEEP intermitente ajustada por 2
ventilações aplicadas a cada 3 minutos.

Pmax
O IPPV pode ser complementado pelo parâmetro
ventilatório Pmax.
● Ative o limite de pressão »Pressure limit Pmax«, veja pág. 64.
● Ajuste o valor para a Pmax através da tecla para o
parâmetro ventilatório »Pinsp«.

Ventilação limitada por pressão PLV* – para manualmente Paw


limitar os picos de pressão para o limite de pressão Pmax.
O volume corrente permanece constante contanto que a
curva de pressão continue exibindo um pequeno platô de Pmax
pressão e a curva de fluxo exiba uma pausa breve no PEEP
fluxo entre a inspiração e a expiração.
A monitoração do volume fica constantemente ativa. Se o
volume corrente ajustado VT não puder ser mais aplicado, t
o alarme "Volume not constant" (volume inconstante) será
gerado automaticamente.
Fluxo
Ao comutar de IPPV para um modo ventilatório
controlado por pressão, o valor da Pmax é adotado,
porém limitado a 50 mbar (a exibição para o parâmetro
t
ventilatório »Pinsp« fica piscando).
● Confirme o valor = pressione o botão rotativo
ou
ajuste um valor mais alto.

–––––––––––––
* Para uma descrição detalhada sobre PLV, veja na página 110.

28
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios
SIMV, SIMV / ASB

SIMV, SIMV / ASB


Ventilação mandatória intermitente sincronizada *
Respiração espontânea assistida **
Volume minuto mandatório fixo MV, determinado pelo volume
corrente VT e a freqüência f. O paciente pode respirar
espontaneamente entre os ciclos ventilatórios mandatórios, Paw Pressão de suporte ASB
contribuindo assim com o volume minuto global. A Pmax tempo de tempo de
respiração espontânea pode ser assistida pelo ASB. elevação rápido elevação lento
PEEP
Para pacientes com respiração espontânea insuficiente
ou para pacientes sendo desmamados da ventilação
t
artificial por redução progressiva da proporção Janela de sensibilidade
mandatória do volume minuto total. Tinsp
1
A freqüência pode ser reduzida a 0 durante o processo de f
desmame. O equipamento altera automaticamente para o Fluxo
modo ventilatório CPAP ou CPAP/ASB. Este modo Fluxo insp.
ventilatório também é exibido.
t
Ajuste o formato da ventilação SIMV através das teclas
dos parâmetros ventilatórios:
Volume corrente »VT«
Fluxo inspiratório »Flow«
Freqüência »f«
Com f = 0/min, o ventilador altera para o modo CPAP.
Tempo inspiratório »Tinsp«
Sensibilidade »Trigger«
Concentração de O2 »O2«
Pressão positiva final expiratória »PEEP«

Adicionalmente para o modo SIMV / ASB:


Pressão de suporte »PASB«
Tempo de elevação da pressão »Ramp«

SIMV, SIMV / ASB pode ser complementada com os Respiração espontânea


seguintes parâmetros ventilatórios: com pressão de suporte
Paw ASB Início da
Ventilação de apnéia – para comutação automática em ventilação de apnéia
ventilação mandatória controlada por volume, caso o tempo de tempo de
elevação rápido elevação lento
paciente pare de respirar.
PEEP
Se a respiração cessar, o Evita 2 dura ativa um alarme após
o tempo de alarme ajustado (TApnoea > ) e inicia a ventilação
t
controlada por volume, com os parâmetros ajustados:
Freqüência »fApnoea«
Volume corrente »VTApnoea« Tempo de alarme de apnéia /
TApnoea >
Fluxo
O paciente pode respirar espontaneamente durante a
ventilação de apnéia. A freqüência ventilatória de apnéia
permanece constante. t
Ajuste da ventilação de apnéia, veja na página 36.

* Para uma descrição detalhada sobre SIMV, veja na página 112.


** Para uma descrição detalhada sobre ASB, veja na página 113.

29
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios
SIMV, SIMV / ASB

Pmax
O SIMV, SIMV / ASB pode ser complementado pelo
parâmetro ventilatório Pmax.
● Ative o limite de pressão "Pmax", veja na página 64.
● Ajuste o valor para Pmax através da tecla »Pinsp.«

Ventilação limitada por pressão PLV* – para limitar


manualmente os picos de pressão para o limite de
pressão Pmax.
O volume corrente permanece constante contanto que a
curva de pressão continue exibindo um pequeno platô de
pressão e a curva de fluxo exiba uma pausa breve no
fluxo entre a inspiração e a expiração.
A monitoração do volume fica constantemente ativa. Se o
volume corrente ajustado VT não puder ser mais
aplicado, o alarme "Volume not constant" (volume
inconstante) será gerado automaticamente.

––––––––––––
* Para uma descrição detalhada sobre PLV, veja na página 110.

30
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios
BIPAP, BIPAP / ASB

BIPAP, BIPAP / ASB


Pressão positiva bifásica das vias aéreas
Respiração espontânea assistida
Ventilação controlada por pressão combinada com a
Paw Pressão de suporte
respiração espontânea livre durante todo o ciclo tempo de tempo de ASB
respiratório, apoiada pela pressão adicional ajustável do elevação rápido elevação lento
tempo de elevação tempo de
nível de CPAP. Pinsp rápido elevação lento
A proporção mandatória do volume minuto total MV é
ajustada através da pressão inspiratória Pinsp, PEEP e PEEP
t
freqüência f. Tinsp
Janela de sensibilidade para
sincronização da insp. e exp.
Adaptável a uma larga gama de pacientes, desde aqueles 1
totalmente impossibilitados de respirar espontaneamente f
Fluxo
até aqueles que respiram espontaneamente antes da
extubação. Ideal para remover pacientes da ventilação artificial
reduzindo progressivamente a fração mandatória do volume t
minuto MV e o suporte da pressão artificial adicional PASB.
sem com
A freqüência pode ser reduzida a 0 durante o processo de respiração espontânea respiração espontânea
desmame. O equipamento altera automaticamente para o
modo ventilatório CPAP ou CPAP/ASB. Este modo de
ventilação também é exibido.
Ajuste o formato da ventilação BIPAP através das teclas
para os parâmetros ventilatórios:
Pressão inspiratória »Pinsp«
Se a Pinsp for ajustada ao mesmo valor da PEEP, o
equipamento comuta para o modo CPAP.
Freqüência »f«
Se f = 0/min, o equipamento altera para o modo CPAP.
Tempo inspiratório »Tinsp«
Sensibilidade »Trigger«
Concentração de O2 »O2«
Pressão positiva final expiratória »PEEP«

Adicionalmente para o modo BIPAP/ASB:


Pressão de suporte »PASB«
Tempo de elevação da pressão »Ramp«

O BIPAP, BIPAP/ASB pode ser complementado com os


seguintes parâmetros ventilatórios:
Ventilação de apnéia – para comutação automática em
ventilação mandatória controlada por volume, caso o
paciente pare de respirar.
Se a respiração cessar, o Evita 2 dura ativa um alarme
após o tempo de alarme ajustado (TApnoea > ) e inicia a
ventilação controlada por volume, com os parâmetros
ventilatórios ajustados:
Freqüência »fApnoea«
Volume corrente »VTApnoea«
O paciente pode respirar espontaneamente durante a
ventilação de apnéia. A freqüência ventilatória de apnéia
permanece constante.
Ajuste da ventilação de apnéia, veja na página 36.

31
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios
BIPAPAssist

BIPAPAssist

Pressão positiva bifásica das vias aéreas assistida


ventilação assistida controlada por pressão Paw
tempo de tempo de
Os ciclos inspiratórios são iguais aos do BIPAP, porém a elevação rápido elevação lento
comutação de Pinsp para PEEP não é sincronizada com Pinsp
a expiração do paciente.
O paciente pode respirar espontaneamente ao nível da PEEP
t
PEEP durante todo o processo ventilatório.
Tinsp Janela de sensibilidade
Toda atividade respiratória espontânea do paciente para sincronização
1
dispara um ciclo inspiratório sincronizado. f
Fluxo
Um ciclo inspiratório não sincronizado é iniciado pelo
equipamento ao mais tardar até expirar o tempo "f".
Para todos os pacientes, desde aqueles impossibilitados t
de respirar espontaneamente até aqueles respirando
espontaneamente antes de serem desmamados do ventilador.
sem com
Os valores de ajuste para os parâmetros ventilatórios respiração espontânea respiração espontânea
relevantes são exibidos ao lado das teclas dos
parâmetros ventilatórios.
● Ajuste o formato da ventilação para o modo BIPAPAssist
pelas teclas dos parâmetros ventilatórios:
Pressão inspiratória »Pinsp«
Freqüência »f«
Tempo inspiratório »Tinsp«
Concentração de O2 »O2«
Pressão positiva final expiratória »PEEP«
Tempo de elevação da pressão » «
Sensibilidade »Trigger«
Pressão inspiratória absoluta »Pinsp«

––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
Para ativar:
● Pressione o botão »other modes« (outros modos) do menu.
Quando o modo BIPAPAssist tiver sido selecionado no
menu pelo cursor:
● Mantenha o botão do menu »other modes« (outros
modos) pressionado por aprox. 3 segundos,
ou:
● Pressione o botão rotativo.
Caso contrário:
● Selecione BIPAPAssist = gire o botão rotativo,
ative = pressione o botão rotativo.
O LED da tecla na tela »BIPAPAssist« muda de verde
para amarelo. O modo ventilatório BIPAPAssist está
agora ativo e é exibido na linha de estado.
––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––

32
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios
CPAP, CPAP / ASB

CPAP, CPAP / ASB


Pressão positiva contínua das vias aéreas
Respiração espontânea assistida
Respiração espontânea a um nível de pressão elevado,
para aumentar a capacidade residual funcional FRC. Respiração espontânea
A respiração espontânea pode ser assistida com uma com pressão de suporte
ASB Início da
pressão adicional pelo ASB. Paw
ventilação de apnéia
Para pacientes que respiram espontaneamente. tempo de tempo de
elevação rápido elevação rápido
● Ajuste o formato da ventilação CPAP através das teclas PEEP
dos parâmetros ventilatórios:
Concentração de O2 »O2« t
Pressão positiva final expiratória »PEEP«
Adicionalmente, para o modo CPAP/ASB: Tempo de alarme de apnéia /
TApnoea >
Pressão de suporte »PASB« Fluxo
Tempo de elevação da pressão »Ramp«
Sensibilidade »Trigger« t
––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
Para ativar:
● Pressione o botão »other modes« (outros modos).

Quando o modo CPAP/ASB tiver sido selecionado no


menu pelo cursor:
● Mantenha o botão do menu »other modes« (outros
modos) pressionado por aprox. 3 segundos,
ou:
● Pressione o botão rotativo.

Caso contrário:
● Selecione CPAP/ASB = gire o botão rotativo,
ative = pressione o botão rotativo.
O LED da tecla na tela »CPAP/ASB« muda de verde para
amarelo. O modo ventilatório CPAP/ASB está agora ativo
e é exibido na linha de estado.
––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
O modo CPAP/ASB também pode ser ativado quando a
freqüência f = 0 em SIMV ou BIPAP.
O CPAP, CPAP/ASB pode ser complementado pelos
007 37 253
seguintes parâmetros ventilatórios:
Disparo – para ventilação sincronizada com as tentativas
de respiração espontânea do paciente.
Ativando o disparo e ajustando a sensibilidade do disparo,
os ciclos de suporte do ventilador são sincronizados com
as tentativas de respiração espontânea próprias do paciente.
Ventilação de apnéia – para comutação automática em
ventilação mandatória controlada por volume, caso o
paciente pare de respirar.
Se a respiração cessar, o Evita 2 dura ativa um alarme
após o tempo de alarme ajustado (TApnoea > ) e inicia a
ventilação controlada por volume, com os parâmetros
ventilatórios ajustados:
Freqüência »fApnoea«
Volume corrente »VTApnoea«
O paciente pode respirar espontaneamente durante a
ventilação de apnéia. A freqüência ventilatória de apnéia
permanece constante.
Ajuste da ventilação de apnéia, veja na página 36.
33
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios
MMV, MMV / ASB

MMV, MMV / ASB


Ventilação mandatória por volume minuto *
Respiração espontânea assistida
O volume minuto global é prefixado a um nível
mandatório que pode ser ajustado por meio do volume Paw Pressão de suporte ASB
corrente VT e a freqüência f. Pmax
tempo de tempo de
O paciente pode respirar espontaneamente e assim elevação rápido elevação lento
contribuir com uma proporção do volume minuto total. PEEP
A diferença entre o volume minuto espontaneamente
t
respirado e o volume minuto fixo é suplementada pelos
Tinsp Fase de sensibilidade
ciclos ventilatórios mandatórios. A respiração espontânea
pode ser assistida pela pressão de suporte ASB. 1
f
Fluxo
Este modo é ideal para pacientes sendo desmamados do VT
ventilador, reduzindo progressivamente a proporção Fluxo insp.
mandatória do volume minuto total. t

● Ajuste o formato da ventilação MMV através dos


parâmetros ventilatórios:
MV
Volume corrente »VT« MV
Fluxo inspiratório »Flow« MV por
ajustado MV mandatório respiração
espontânea
Freqüência »f« t
Tempo inspiratório »Tinsp« nenhuma início da respiração
respiração respiração espontânea
Sensibilidade »Trigger« espontânea espontânea suficiente

Concentração de O2 »O2«
Pressão positiva final expiratória »PEEP«

Adicionalmente, para o modo MMV / ASB:


Pressão de suporte »PASB«
Tempo de elevação da pressão »Ramp«

––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
Para ativar:
● Pressione o botão »other modes« (outros modos).
Quando o modo MMV tiver sido selecionado no menu
pelo cursor:
● Mantenha o botão do menu »other modes« (outros
modos) pressionado por aprox. 3 segundos,
ou:
● Pressione o botão rotativo.
Caso contrário:
● Selecione MMV = gire o botão rotativo,
ative = pressione o botão rotativo.
007 37 253

O LED da tecla na tela »MMV« muda de verde para


amarelo. O modo ventilatório MMV está agora ativo e é
exibido na linha de estado.
––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––

____________
Para uma descrição detalhada sobre MMV, veja na página 116.

34
Funcionamento
Ajuste dos modos ventilatórios
MMV, MMV / ASB

Pmax
O MMV, MMV/ASB pode ser complementado pelo
parâmetro ventilatório Pmax.
● Para ativar o limite de pressão »Pmax«, veja na página 64.

Ventilação limitada por pressão PLV* – para limitar


manualmente os picos de pressão para o limite de
pressão Pmax.
O volume corrente permanece constante contanto que a
curva de pressão continue exibindo um pequeno platô de
pressão e a curva de fluxo exiba uma pausa breve no
fluxo entre a inspiração e a expiração.
A monitoração do volume fica constantemente ativa. Se o
volume corrente ajustado VT não puder ser mais
aplicado, o alarme "Volume not constant" (volume
inconstante) será gerado automaticamente.

––––––––-––––––
* Para uma descrição detalhada sobre PLV, veja na página 110.

35
Funcionamento
Ventilação de apnéia

Ventilação de apnéia Paw


Início da ventilação de
apnéia
Para comutação automática em ventilação mandatória
Respiração espontânea
controlada por volume, caso o paciente pare de respirar. com pressão de suporte ASB
Pode ser acionado nos modos ventilatórios SIMV, BIPAP, PEEP
CPAP, APRV.
O Evita 2 dura emite um alarme de apnéia se durante o t
período de alarme ajustado »TApnoea« nenhum fluxo exp.
for medido ou se o gás inspiratório fornecido for insuficiente. tempo de alarme de apnéia 1
Se a respiração cessar, o Evita 2 dura ativa um alarme após Fluxo
TApnoea > fApnoea
o tempo de alarme ajustado (TApnoea >) e inicia a ventilação
controlada por volume, com os parâmetros ajustados:
Freqüência »fApnoea«
Volume corrente »VTApnoea« t

Os parâmetros ventilatórios »O2« e »PEEP« correspondem


aos ajustes efetivos na ocasião.
O tempo inspiratório para ventilação de apnéia é
determinado a partir da freqüência de apnéia ajustada
»fApnoea« e da relação I:E ajustada de 1:2.
Como no modo SIMV, o paciente pode respirar
espontaneamente durante a ventilação de apnéia e os
ciclos ventilatórios mandatórios são sincronizados com a
respiração espontânea do paciente. A freqüência
ventilatória de apnéia permanece constante.

––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
Para ajustar a ventilação de apnéia:
● Pressione o botão »Settings« (ajustes) do menu.
Exibição:
● Selecione a tecla »Apnoea vent.« = gire o botão rotativo.
Acione a ventilação de apnéia = pressione o botão rotativo.
O LED da tecla na tela muda de verde para amarelo =
ventilação de apnéia está acionada.
● Selecione o campo »VTApnoea« = gire o botão rotativo,
ative = pressione o botão rotativo.
● Ajuste os valores = gire o botão rotativo,
confirme = pressione o botão rotativo.
● Selecione, ajuste e confirme a »fApnoea« da mesma forma.
––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
Para finalizar a ventilação de apnéia:
008 37 253

● Pressione a tecla »Alarm Reset« (apagar alarme). O apa-


relho continuará operando no modo ventilatório anterior.
ou
● Selecione outro modo ventilatório.

Veja na página 66 para determinar a configuração da


ventilação de apnéia ao inicializar o equipamento.

36
Funcionamento
Ajuste dos limites de alarme

Ajuste dos limites de alarme

● Pressione a tecla »Alarms« (alarmes) do menu.


Tela de exemplo: »Limits« (limites)
Esta página exibe todos os limites de alarme que podem
ser acionados/ajustados.
= limite inferior de alarme
= limite superior de alarme

Exemplo: Ajuste do limite superior de alarme para fspont.


● Selecione o campo fspont na tela com o cursor = gire o
botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

009 37 253
● Ajuste o valor desejado = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

O limite inferior de alarme para a pressão das vias aéreas


Paw não precisa ser determinada, isto porque é
associada automaticamente ao ajuste da PEEP.

Os limites de alarme não precisam ser ajustados para a


concentração de O2. Estes limites são associados
automaticamente ao ajuste da concentração de O2.
Limite inferior de alarme:
para ajustes até 60 %Vol. O2: valor de –4 %Vol. O2
para ajustes de 60 a 100 %Vol. O2: valor de –6 %Vol. O2
Limite superior de alarme:
para ajustes até 60 %Vol. O2: valor de +4 %Vol. O2
para ajustes de 60 a 100 %Vol. O2: valor de +6 %Vol. O2

Faixas de ajuste

Parâmetro ventilatório Faixa de ajuste Ajuste de fábrica Ajuste específico do hospital*


0,1 a 41 MVtotal +50 % ....
MVtotal _ L/min
0,01 a 40 MVtotal –20 % ....

Paw mbar 10 a 100 50 ....


> sem limite inferior de alarme
0,021 a 4,0 VTi + 100 %
VTi > L
sem limite inferior de alarme
....

5 a 60 15
TApnoea > s
sem limite inferior de alarme
....

fspont > 1/min 5 a 120 50 ....


sem limite inferior de alarme

* Os ajustes específicos de cada hospital podem ser inseridos na tabela conforme o hospital em questão.

37
Funcionamento
No caso de um alarme

No caso de um alarme
1 o LED vermelho ou amarelo fica piscando.
D
2 A mensagem de alarme é exibida no canto direito da 1
linha superior da tela. 2 3
O Evita 2 dura avalia a mensagem de alarme de acordo
com sua prioridade, marca o texto com pontos de
exclamação e gera as várias sucessões de toques de alarme.

Perigo = mensagem de prioridade máxima


1 O LED vermelho fica piscando.
As mensagens de perigo são marcadas com três pontos
de exclamação.
Exemplo: !!! Apnoea (apnéia)
O Evita 2 dura gera uma sucessão de cinco toques que
é soada duas vezes e repetida a cada 7 segundos.

Precaução = mensagem de prioridade média


3 O LED amarelo fica piscando.
As mensagens de precaução são marcadas com dois
pontos de exclamação.
Examplo: !! Check settings (confira os ajustes)
O Evita 2 dura gera uma sucessão de 3 toques que é
repetida a cada 20 segundos.

Aviso = mensagem de prioridade baixa


3 O LED amarelo se acende e permanece constantemente aceso.
As mensagens de aviso são marcadas com um ponto de
exclamação.
Examplo: ! Malfunction fan (mau funcionamento da ventoinha)
O Evita 2 dura gera uma sucessão de 2 toques que soa
somente uma vez.

Para solucionar as falhas, por favor, se refira ao capítulo


"Erro – Causa – Solução" que inicia na página 72.

38
Funcionamento
No caso de um alarme

Uma vez estando a falha solucionada, o alarme sonoro é


desativado. D Evita 2 dura

Mensagens de precaução (!!) e mensagens de aviso (!)


desaparecem automaticamente. 1
Mensagens de perigo (!!!) são então exibidas na cor da
linha de status e devem ser confirmadas:
1 Pressione a tecla »Alarm Reset« (apagar alarme).
A mensagem é apagada da tela.

Silenciar o toque de alarme


Por no máximo 2 minutos:
D
2 Pressione a tecla »g «. Seu LED indicador amarelo se Evita 2 dura

acende e o toque de alarme é silenciado por 2 minutos. 2


Se a falha que ativou o alarme ainda não estiver 3
solucionada, o alarme sonoro se inicia novamente após
este período.
Se desejar reativar o alarme sonoro antes do término do
período de 2 minutos de silêncio:
2 Pressione a tecla »g « novamente. O LED amarelo se
apagará. A mensagem permanecerá na tela.
3 Os alarmes que podem ser reconhecidos devem ser
confirmados pela tecla »Alarm Reset« (apagar alarme),
veja em "Erro – Causa – Solução", página 72.

Informação
– Para auxiliar na operação do sistema. D Evita 2 dura

– Para auxiliar na solução de problemas.


4 Pressione a tecla » « : a informação requerida é exibida
na linha inferior da tela.
4
Para apagar a mensagem:
4 Pressione as tecla » « novamente.

39
Funcionamento
Exibição das curvas e valores de medição

Exibição das curvas e valores de


medição

Na tela principal
Um grupo de seis valores selecionáveis de medição é
exibido no campo da direita e duas curvas selecionáveis,
no campo da esquerda.

006 37 253
Para selecionar um segundo grupo de 6 valores de medição:
D
1 Pressione a tecla »Values 1 2 « (valores). Evita 2 dura

Para selecionar outro par de curvas:


2 Pressione a tecla »Curves « (curvas).

Os valores de medição e as curvas podem ser 2 1


selecionados, veja em "Seleção da exibição da
combinação dos valores de medição", página 59 e em
"Seleção da exibição das curvas", página 61.

Nas outras telas do monitor, estas curvas e valores de


medição não são exibidos. A pressão das vias aéreas é
indicada continuamente por meio de uma barra vertical
analógica no lado esquerdo da tela.
Exemplo: tela "Measured values 1" (valores de medição 1)
001 37 253

40
Funcionamento
Exibição dos valores de medição

Exibição dos valores de medição


● Pressione o botão do menu »Measured values«.

Exemplo de exibição: »Table 1« (tabela 1)


O Evita 2 dura exibe os valores de medição e suas unidades
de medida na forma de uma tabela. O menu »Table 1« (tabela)
é exibido com todos valores disponíveis de medição padrão.
O valor de medição MVleak representa o vazamento em
L/min e é determinado pelo Evita 2 dura comparando o
volume minuto inspiratório aplicado com o volume minuto
expiratório medido.
O valor de medição MVleak é utilizado pelo Evita 2 dura
para correção automática do volume corrente aplicado
VTi e as curvas de fluxo e volume. Isto pressupõe que a
compensação de vazamento foi ativada, veja na página 66.
Por razões de segurança, os valores de medição para o

001 37 253
volume minuto não são corrigidos.
Para exibir os valores de medição de funções
complementares (ex.: "Evita 2 dura CapnoPlus"):
● Selecione o menu »Table 2« com a tecla »Table jj«
do menu.
Extensões funcionais dos valores de medição são
exibidas em tabelas adicionais de valores de medição,
por exemplo, a monitoração CapnoPlus CO2.

Os seguintes valores são exibidos opcionalmente


(versão aperfeiçoada SW4.n plus):
VTASB Volume corrente insp. durante um ciclo de ASB
RSB Respiração rápida e de pouca profundidade 1)
NIF Força inspiratória negativa 2)

010 37 253

1) Para uma descrição detalhada sobre RSB, veja na página 121.


2) Para uma descrição detalhada sobre NIF, veja na página 121.
Para utilização de NIF, veja em "Expiração manual", página 43.

41
Funcionamento
Congelar a curva

Congelar a curva
D Evita 2 dura
Para estudar a(s) curva(s) em detalhes:
1 Pressione a tecla »Freeze « (congelar).

Para retornar a exibição de uma nova curva:

1 Pressione a tecla »Freeze « (congelar) novamente.

006 37 253

42
Funcionamento
Funções especiais
Inspiração manual

Funções especiais

Inspiração manual
Esta função pode ser utilizada em todos os modos, exceto
na respiração espontânea CPAP sem pressão de suporte ASB.
Um ciclo ventilatório automático pode ser ativado
independentemente do tempo de inicialização e assim
mantido até um máximo de 15 segundos.
Ou:
Entre dois ciclos ventilatórios automáticos, um ciclo
ventilatório pode ser ativado manualmente e assim
mantido por um máximo 15 segundos.
O formato do ciclo ventilatório manualmente ativado
depende do modo ventilatório utilizado.
Para IPPV, SIMV e MMV:
o ciclo ventilatório controlado por volume, definido pelos
ajustes VT e Tinsp.
Para BIPAP:
o ciclo ventilatório controlado por pressão, definido pelos
ajustes Pinsp e Tinsp.
Para CPAP/ASB:
o ciclo ventilatório controlado por pressão, definido pelo
ajuste PASB.

1 Pressione e segure a tecla »Insp. hold« (manter a


D
inspiração) pelo período desejado para a inspiração. Evita 2 dura

Até mesmo um ciclo ventilatório automático que tenha a


pouco se iniciado será prolongado pelo período em que a 1
tecla seja mantida pressionada. Caso seja durante um 2
intervalo, um novo ciclo ventilatório será iniciado e mantido
pelo período em que a tecla seja mantida pressionada -
em ambos os casos por um máximo de 15 segundos.

Manter a expiração manual


Pode ser utilizada em todos os modos ventilatórios.
Para determinar o valor de desmame NIF1)
2 Mantenha a tecla »Exp. hold« (manter exp.) pressionada.

A fase expiratória permanece efetiva e o Evita 2 dura


determina o valor de medição NIF pelo período em que a
tecla estiver pressionada.
Após 15 segundos, o sistema interrompe a fase
expiratória automaticamente.

1) Para uma descrição detalhada sobre NIF, veja na página 121.


Para utilização da NIF, veja em "Expiração manual", página 43.

43
Funcionamento
Funções especiais
Nebulização de medicamento

Nebulização de medicamento
Durante a ventilação adulta
Aplicável em todos os modos ventilatórios.
O Evita 2 dura aplica o aerossol de medicamento em
sincronia com a fase de fluxo inspiratório e mantém
constante o volume minuto.
Dependendo da concentração de O2 ajustada, o ventilador for-
nece ar medicinal, oxigênio puro ou uma mistura de ar medicinal
e oxigênio ao nebulizador de medicamento. As divergências
na concentração de O2 são então mantidas ao mínimo possível.
Em casos extremos (com um fluxo inspiratório mínimo de
15 L/min), as divergências podem atingir entre ±4% do volume*.
Para evitar maiores divergências, a nebulização de
medicamento é desativada automaticamente com fluxos
inspiratórios inferiores a 15 L/min.

Durante a ventilação pediátrica


A nebulização de medicamento é possível nos modos
ventilatórios pediátricos controlados por pressão.
Nos modos ventilatórios controlados por volume, a
nebulização de medicamento só é possível com o
AutoFlow® (opcional extra).
Ao contrário da ventilação adulta, o nebulizador demanda
o medicamento continuamente em toda a ventilação
pediátrica, mas o aerossol gerado durante a fase
expiratória não alcança os pulmões.
Dependendo do ajuste da concentração de O2, o nebulizador
de medicamento é alimentado pelo ventilador com ar medicinal,
oxigênio ou uma mistura de ambos. As divergências na
concentração de O2 são mantidas então ao mínimo possível.
Recomendamos que não use o nebulizador de medicamento
com freqüências respiratórias inferiores a 12 bpm.
Para freqüências respiratórias superiores a 12 bpm, se
refira ao gráfico na página 122 deste Manual de Uso.
As divergências máximas possíveis na concentração de
O2 são de ±4% do volume.

Para freqüências respiratórias inferiores a 12 bpm, as


divergências na concentração de O2 podem ser muito
mais elevadas.
Estas divergências não podem ser detectadas pelo
monitor interno de concentração de O2 do equipamento.

_____________
* Para uma descrição detalhada sobre a concentração de O2 inspiratória
durante a nebulização de medicamento, se refira ao apêndice na página 122.

44
Funcionamento
Funções especiais
Nebulização de medicamento

O nebulizador de medicamento é desativado


automaticamente após 30 minutos.
Após a administração do aerossol, o sensor de fluxo é
automaticamente limpo e calibrado, para evitar falhas na
medição do fluxo.

Utilize somente o nebulizador de medicamento


84 12 935 (peça intermediária branca).
Prepare o nebulizador de medicamento como
especificado em seu Manual de Uso.
Se outros nebulizadores pneumáticos de medicamento
forem usados, maiores divergências no volume corrente
e na concentração de O2 insp. podem ser ocasionadas.

Para utilização durante a ventilação adulta


1 Conecte o nebulizador no lado inspiratório (sensor de
temperatura) da peça-Y.
2 Conecte a traquéia inspiratória no nebulizador de
2
medicamento.
● Coloque o nebulizador de medicamento na posição
vertical. 1
● Utilizando os grampos de traquéia, dirija o tubo do
nebulizador para parte traseira do ventilador, ao longo
da traquéia expiratória.

Para utilização durante a ventilação pediátrica


3 Insira o conector de cateter (cone ISO Ø 15 / Ø 11) na 5 4 3
entrada do nebulizador de medicamento.
4 Insira o adaptador (cone ISO Ø 22 / Ø 11) na saída.

5 Encaixe a traquéia corrugada (0,13 m de comprimento)


no adaptador da saída.

6 Remova a traquéia corrugada do jogo de traquéias do


adaptador inspiratório da peça-Y e conecte-a no 7 6
adaptador da entrada do nebulizador de medicamento.
7 Conecte a extremidade solta da traquéia corrugada na
saída do nebulizador no adaptador inspiratório da
peça-Y.

45
Funcionamento
Funções especiais
Nebulização de medicamento

1 Conecte o tubo do nebulizador no terminal do painel


frontal do Evita 2 dura. D Evita 2 dura

● Preencha o nebulizador de medicamento conforme


especificado em seu Manual de Uso.

Perigo: o efeito de aerossóis sobre sensores, filtros,


trocadores de calor e umidade (HME) deve ser
considerado.
A função de medição do sensor de fluxo pode ser
prejudicada. 1
A resistência ao fluxo causada por filtros está sujeita a um
aumento e pode assim prejudicar a ventilação.
Não coloque filtros microbianos na saída do
nebulizador durante a aplicação de aerossóis!

Durante a nebulização de medicamento, não utilize


trocadores de calor e umidade (HME) na peça-Y.
Risco de aumento da resistência respiratória!

2 Mantenha a tecla » « pressionada até que o LED


amarelo se acenda.
D Evita 2 dura
● Mensagem de aviso na tela:
2
Nebuliser on! (nebulizador ativado)
O nebulizador permanece funcionando durante 30 min.

Se desejar interromper a nebulização de medicamento


antes que esteja completa:
2 Pressione » « novamente. O LED amarelo se apaga
e o nebulizador será desativado.

O sensor de fluxo é então automaticamente limpo e


calibrado.

● Remova o medicamento residual. Siga estritamente o


Manual de Uso do nebulizador de medicamento.

_____________
* Para uma descrição detalhada sobre a concentração de O2 inspiratória
durante a nebulização de medicamento, se refira ao apêndice na página 122.

46
Funcionamento
Funções especiais
Oxigenação para aspiração bronquial

Oxigenação para aspiração bronquial


Para evitar o risco de hipoxia durante a aspiração
bronquial, o Evita 2 dura oferece um programa para
oxigenação durante a remoção de secreções.
Após a inicialização do programa, o Evita 2 dura ventila o
paciente no modo ventilatório utilizado para uma fase de
oxigenação inicial de 180 segundos. No modo adulto, o
ventilador fornece 100% do volume com oxigênio, no
modo pediátrico fornece a concentração de O2 mais 25%
(ex.: ajuste = 60%Vol.;
administrado = 75%Vol.)
Quando o ventilador é desconectado para execução
da aspiração, o Evita 2 dura interrompe a ventilação.
Durante o período de aspiração, os alarmes sonoros são
silenciados, de forma que o procedimento de aspiração
não seja transtornado.
Após a aspiração e o reconhecimento automático da
reconexão, o Evita 2 dura fornece uma concentração
elevada de O2 para a fase de oxigenação final de 120
segundos. No modo adulto, a concentração de O2 é de
100% do volume. No modo pediátrico, a concentração
administrada é 25% superior a concentração ajustada.
Durante e após a aspiração, o limite inferior de alarme
para o volume minuto é desativado por 2 minutos.

Antes da aspiração
1 Mantenha a tecla »O2 Suction« (aspiração)
pressionada até que o LED amarelo se acenda. D Evita 2 dura

O Evita 2 dura ventila o paciente no modo ventilatório em


uso com a concentração de O2 elevada: 100% do volume 1
de O2 no modo adulto, e uma concentração de O2 25%
superior ao valor ajustado no modo pediátrico.
Caso a PEEP ajustada não seja superior a 4 mbar, uma
PEEP de 4 mbar será automaticamente ativada. Esta
PEEP permite que o Evita 2 dura detecte a desconexão
que será subseqüente.
Os outros parâmetros ventilatórios permanecem
inalterados.
● Exibição na linha de ajuda na parte inferior da tela:

O2 enrichment 180 s (oxigenação 180s)

O tempo restante é contado continuamente.


Esta oxigenação inicial dura no máximo 180 segundos.
Durante este período, o Evita 2 dura aguarda pela
desconexão para a execução da aspiração.
Se não houver a desconexão passados os 180 segundos,
o programa de oxigenação é automaticamente finalizado.

47
Funcionamento
Funções especiais
Oxigenação para aspiração bronquial

Após a desconexão para execução da aspiração


O Evita 2 dura fornece um fluxo reduzido durante o
período de desconexão para poder detectar
automaticamente o término da fase de desconexão. Na
linha de ajuda na parte inferior da tela, o tempo disponível
para a aspiração é contado continuamente (exemplo):
Execute suction and reconnect 120 s
(execute a aspiração e reconecte 120 s)
Se a execução da aspiração for finalizada e a ventilação
for reconectada dentro do período exibido, o Evita 2 dura
inicia a fase final de oxigenação.

Interrupção automática da oxigenação


Se não houver a reconexão dentro dos 120 segundos, o
programa de oxigenação é abortado. Todos os alarmes
são imediatamente reativados. O Evita 2 dura continua
imediatamente a ventilação no modo ventilatório selecionado.

Após a reconexão
O Evita 2 dura continua ventilando no modo ventilatório
ajustado, exceto que para a oxigenação final a
concentração de oxigênio é elevada para 100% do
volume para adultos e 25% acima da concentração
ajustada para ventilação pediátrica, sendo fornecida por
mais 120 segundos.
● Mensagem na linha de ajuda na parte inferior da tela:
Final O2 enrichment 120 s (oxigenação final 120 s)

O tempo restante é contado continuamente.

Para interromper a oxigenação


1 Pressione a tecla »O2 Suction« (aspiração) novamente.
D Evita 2 dura

48
Funcionamento
Acionar o modo de espera

Acionar o modo de espera (standby)

Nenhuma ventilação ocorre no modo de espera!


– para selecionar o modo do paciente
– para executar a conferência do equipamento
– para manter o Evita 2 dura pronto para operação
– para prefixar os parâmetros ventilatórios e limites de alarme.

Para acionar o modo de espera


1 Mantenha a tecla » O « pressionada por aprox. 3 s.
O toque de alarme do modo de espera é soado. D Evita 2 dura

2 A tecla »Alarm Reset« (apagar alarme) pode ser usada


para desativar o toque de alarme do modo de espera. 2
O toque de alarme do modo de espera não pode ser
silenciado com a tecla » g« .

Desativar o modo de espera


– para prosseguir a ventilação.
1 Pressione a tecla » O «.
O LED se apaga e a ventilação inicia.
Se o modo do paciente for alterado durante o modo de
espera, o Evita 2 dura determinará os novos valores de
inicialização para ventilação, veja na página 64.

Exibição (exemplo):

011 37 253

49
Funcionamento
Calibração

Calibração

A calibração e os valores de zeragem permanecem


armazenados até mesmo quando o equipamento é desligado.
Os sensores de pressão para medição da pressão das
vias aéreas são calibrados automaticamente.
O sensor de O2 e o sensor de fluxo são diariamente
calibrados automaticamente.
O sensor de fluxo e o sensor de O2 podem ser calibrados
manualmente a qualquer momento, até mesmo durante a
ventilação.

Calibração manual do sensor de O2


– Antes da operação, durante a conferência do equipamento,
– Após substituir o sensor de O2
(aguarde pelos 15 minutos do período de preaquecimento
do sensor de O2).
– Se o valor de medição e o valor de ajuste diferirem um
do outro por mais de 2 % Vol..
O sensor de O2 pode ser calibrado a qualquer momento,
até mesmo durante a ventilação. A concentração de O2
aplicada não é afetada pelo processo de calibração.
Assegure que o suprimento de O2 esteja conectado.
Inicie a calibração:
● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Selecione a tecla »O2« do menu = gire o botão rotativo.
● Inicie a calibração de »O2« = pressione o botão rotativo.

Exibição (exemplo):
Mensagem na linha de ajuda na parte inferior da tela:
O2 calibration (calibração de O2)

Após o término da calibração, a seguinte mensagem é


exibida na linha de ajuda:
Calibration ok (calibração ok)
012 37 253

50
Funcionamento
Calibração

Calibração manual do sensor de fluxo


– Antes da operação, durante a conferência do equipamento.
– Após substituir o sensor de fluxo.
O sensor de fluxo é automaticamente limpo e calibrado
após cada utilização do nebulizador de medicamento.

Para iniciar a calibração:


● Evite gases inflamáveis (ex.: vapores de álcool após
a desinfecção).
● Pressione a tecla »Calib./Config.«.
● Selecione a tecla »Flow« na tela = gire o botão rotativo.
● Inicie a calibração = pressione o botão rotativo.

Exibição (exemplo):

O Evita 2 dura utiliza a próxima fase inspiratória para a


calibração. Tempos inspiratórios muito curtos são
prolongados por aproximadamente 1 segundo.
Mensagem na linha de ajuda na parte inferior da tela:
Flow calibration (calibração de fluxo)

Após o término da calibração, a seguinte mensagem é


exibida na linha de ajuda:

013 37 253
Calibration ok (calibração ok)

51
Funcionamento
Fonte de fluxo externa

Fonte de fluxo externa


Quando um fluxo externo constante de até 12 L/min é
aplicado (ex.: durante a nebulização de medicamento com
suprimento de gás independente que não do Evita 2 dura
ou durante a insuflação independente de gás traqueano),
este fluxo pode ser determinado pelo Evita 2 dura e a
tolerância dos parâmetros que monitoram o sensor de
fluxo é aumentada para evitar a geração dos alarmes
"Flow measurement fault" (falha na medição do fluxo) e
"Neo. flow measurement fault" (falha na medição do fluxo
pediátrico) na opção de NeoFlow, durante estas
aplicações.
A medição original do volume expiratório continua:
Durante o fluxo expiratório, o Evita 2 dura mede um valor
correspondentemente mais alto para o VTe e o MV.
Para evitar alarmes:
● Ajuste o limite superior de alarme para o MV.

Para determinar o fluxo externo:


● Pressione o botão de menu »Calib./Config.«.
● Selecione o menu »Ext. Flow« (fluxo ext.) pelo botão de
menu »Sensor jj«.
● Selecione a tecla »Measure« (medição) na tela = gire o
botão rotativo, confirme = pressione o botão rotativo.
● O LED amarelo na tecla »Measure« (medição) se acende.
O fluxo externo é calculado pelo Evita 2 dura.
Exibição durante o cálculo:
Determining external flow (determinando fluxo externo)

014 37 253
Uma vez o fluxo externo determinado, o Evita 2 dura
exibe o valor associado à hora e data.
A seguinte mensagem é exibida simultaneamente pelo
Evita 2 dura:
Confirm value via (confirme o valor via)
● Confirme = pressione o botão rotativo.
A determinação do fluxo externo é abortada pelo Evita 2
dura caso o fluxo exceda 12 L/min ou caso a medição do
fluxo pelo Evita 2 dura esteja com defeito.
Quando o fluxo externo for corretamente determinado,
será considerado pela monitoração do sensor de fluxo:

o LED amarelo da tecla »Extern. flow« (fluxo ext.) se acende.


A mensagem de aviso
External flow ! (fluxo externo)
é exibida enquanto o fluxo externo estiver sendo
considerado pelo Evita 2 dura.
031 37 253

52
Funcionamento
Fonte de fluxo externa
Desligar as funções de monitoração

Quando o fluxo externo não for aplicado:


● Desative: selecione a tecla »Extern. flow« (fluxo ext.) =
gire o botão rotativo,
confirme = pressione o botão rotativo.
Uma vez que o fluxo externo tenha sido medido pelo Evita 2
dura, sua inclusão pode ser reativada a qualquer momento:
● Selecione a tecla »Extern. flow« (fluxo ext.) na tela =
gire o botão rotativo,
confirme = pressione o botão rotativo.
Se o fluxo externo for trocado:
● Pressione a tecla »Measure« (medição) de forma que o fluxo
externo possa ser determinado novamente pelo Evita 2 dura.

Desligar as funções de monitoração


Ex.: se um sensor gasto não puder ser imediatamente substituído.

● Uma função de monitoração externa adequada deve


ser imediatamente assegurada!
Exemplo: Desativar a monitoração de fluxo.
● Pressione a tecla de menu »Calib./Config.«.
● Selecione »Sensor on/off« com a tecla de menu »Sensor jj«.

Exibição de exemplo:

● Selecione a linha »Flow on« (fluxo) da tela =


gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
● No menu de seleção, selecione »off« (desativado) =
gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
Os valores de medição correspondentes desaparecem.
A função de alarme é desativada.
015 37 253

Para reativar a função de monitoração após substituir o


sensor:
● Selecione a linha »Flow off« (fluxo) da tela =
gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
● No menu de seleção, selecione »on« (ativado) =
gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

53
54
Configuração
Índice

Configuração

Índice

Ajustes do sistema ...................................................................... . 56


Ajuste do volume do alarme sonoro .................................................... 56
Ajuste do contraste ........................................................................ 56

Ajustes específicos do país ........................................................... . 57


Seleção do idioma ......................................................................... 57
Ajuste da data e hora ...................................................................... 57
Seleção das unidades de medida ..................................................... . 57

Interface .................................................................................... . 58
Seleção da interface ..................................................................... . 58

Tela .......................................................................................... . 59
Seleção da exibição da combinação dos valores de medição .................... 59
Seleção da exibição das curvas ........................................................ . 61

Padrões de ventilação .................................................................. . 62


Padrões específicos do paciente ...................................................... . 62
Valores padrão dos parâmetros ventilatórios ......................................... 63
Controle do limite de pressão Pmax ................................................... 64
Controle da ventilação de apnéia ...................................................... . 65
Controle da compensação de vazamento ............................................ . 66
Limites padrão de alarme................................................................. 67
Modo ventilatório padrão ................................................................ . 69

55
Configuração
Ajustes do sistema

Ajustes do sistema

Ajuste do volume do alarme sonoro


● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Pressione a tecla »Device j« (equipamento) do menu.
O menu »System« (sistema) é exibido.

Exibição (exemplo):

● Selecione o campo »Loudness« (volume) da tela = gire o


botão rotativo.
Ative = pressione o botão rotativo.
● Ajuste o volume desejado = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
● Após a confirmação do ajuste, o toque de alarme é soado
uma vez para permitir a avaliação do volume.

016 37 253
Ajuste do contraste
Não é possível com todos os tipos de monitor
● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Pressione a tecla »Device j« (equipamento) do menu.
O menu »System« (sistema) é exibido.
● Selecione o campo »Contrast« (contraste) na tela = gire o
botão rotativo.
Ative = pressione o botão rotativo.
● Ajuste o contraste = gire o botão rotativo,
confirme = pressione o botão rotativo.

O contraste ajustado será então ativado.

56
Configuração
Ajustes específicos do país

Ajustes específicos do país

Seleção do idioma
O Evita 2 dura é entregue no idioma do país do cliente.

Os seguintes idiomas podem ser selecionados:


– Inglês
– Francês
– Italiano
– Espanhol
– Holandês
– Sueco
– Inglês americano
– Japonês
– Grego
– Russo
– Português
– Árabe
– Chinês
– Turco
● Pressione a tecla »Calib./Config.«.
● Pressione a tecla »Device j« (equipamento) do menu.
● Com a tecla »Device j« (equipamento) do menu,
selecione o menu »Country« (país).
Exibição (exemplo):
● Selecione o campo »Language« (idioma) da tela = gire o
botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
● Selecione o idioma = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

Ajuste da data e hora


● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Pressione a tecla »Device j« (equipamento) do menu.
● Com a tecla »Device j« (equipamento) do menu,
selecione o menu »Country« (país). 017 37 253

● Selecione o campo »Day« (dia) da tela = gire o botão.


Confirme = pressione o botão rotativo.
● Ajuste a data = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
● Ajuste o mês, ano, hora e minuto da mesma maneira.

Seleção das unidades de medida


● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Pressione a tecla »Device j« (equipamento) do menu.
● Com a tecla »Device j« (equipamento) do menu,
selecione o menu »Country« (país).
No campo »units« (unidades):
● Selecione o campo »Pressures« (pressões) = gire o
botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
● Ajuste as unidades de »Temp.« e »CO2« (opcional) igualmente.
57
Configuração
Interface

Interface

Seleção da interface
O Evita 2 dura oferece os seguintes protocolos de interface:
– Impressora (HP Deskjet 500 Séries 500 e impressoras
compatíveis com a interface serial)
– MEDIBUS (protocolo de comunicações Dräger para
equipamentos médicos)
– LUST (programa direcional de interface universal
controlada por lista, compatível com a interface Evita
RS 232 do software versão 7.n)

● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.


● Pressione a tecla »Device j« (equipamento) do menu.
● Com a tecla »Device j« (equipamento) do menu,
selecione o menu »Interface«.
● Selecione a tecla de tela que corresponde à interface
desejada, »COM1«, »COM2«, »COM3« e »Analog«
(analógico) = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
(COM2, COM3 e Analógico são opcionais).
● Selecione o protocolo da interface desejado no campo
»Protocol« da tela = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

018 37 253
● Selecione o campo de tela que corresponde ao parâmetro
de interface desejado = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
● Ajuste o valor desejado = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

Para adaptar os protocolos de interface:


● Veja as instruções no Manual de Uso do dispositivo a ser
conectado.
Para o protocolo de impressora:
Velocidade de transmissão
Ajuste o intervalo necessário para a impressora
Para o protocolo MEDIBUS:
Velocidade de transmissão
Bits de conferência de paridade
Número de bits de parada
Para o protocolo LUST:
Velocidade de transmissão

58
Configuração
Tela

Tela

Seleção da exibição da combinação dos


valores de medição
O Evita 2 dura exibe um grupo de 6 valores de medição
selecionáveis no campo direito da tela principal.
Um segundo grupo alternativo pode ser exibido
pressionando a tecla »Values 1 2 « (valores).

006 37 253
Estes dois grupos podem ser compostos na tela de
configuração:
● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Pressione a tecla »Display jj« (equipamento) do menu.
● Com a tecla »Display jj« (equipamento) do menu,
selecione o menu »Values« (valores).

Exibição (exemplo):

019 37 253

Para substituir o valor de medição exibido por outro:


● Selecione o campo de tela desejado = gire o botão rotativo.
Ative = pressione o botão rotativo.
A lista de seleção com os todos valores de medição
disponíveis é então exibida à direita da tela.

59
Configuração
Tela

Exibição (exemplo): Substituir o MV


● Selecione o outro valor de medição, ex.: »MV«
= gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo

020 37 253

60
Configuração
Tela

Seleção da exibição das curvas


O Evita 2 dura exibe duas curvas no campo esquerdo da
tela principal.
Um par diferente de curvas pode ser selecionado
pressionando a tecla »Curves « (curvas).

006 37 253
Os pares de curva podem ser combinados como desejado.
● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Pressione a tecla »Display jj« (exibição) do menu.
O menu »Curves« (curvas) é exibido.
Exibição (exemplo):

021 37 253

A exibição de uma curva pode ser substituída por outra:


● Selecione o campo desejado = gire o botão rotativo.
Ative = pressione o botão rotativo.
A lista de todas as curvas disponíveis para seleção é
exibida ao lado direito da tela.
Exemplo de exibição: Substituindo o Paw

● Selecione a outra curva ("Flow"- fluxo) = gire o botão.


Confirme = pressione o botão rotativo.
022 37 253

61
Configuração
Padrões de ventilação

Padrões de ventilação

– Para definir os parâmetros de inicialização específicos


do paciente »f« e »VT«.
– Parâmetros ventilatórios ativos na inicialização do
equipamento.
– Limites de alarme ativos na inicialização do equipamento.
– Modo ventilatório.
O menu »Ventilation« (ventilação) para os ajustes padrão
ativos no início da ventilação só pode ser acessado após
a entrada do código numérico 3032.
Este código de proteção é projetado para evitar
alterações acidentais na configuração.

023 37 253
Padrões específicos do paciente
para o modo Adulto ou Pediátrico.
– Para ajustar os valores dos parâmetros »VT« e »f«
ativos na inicialização do equipamento.

● Pressione a tecla »Calib./Config.« no menu.


● Pressione a tecla »Ventilation jj« (ventilação) no menu.
● Entre com o código numérico »3032«.
● O menu »Patient« (paciente) é exibido.

Exibição (exemplo):
● Selecione o campo »VT« da tela = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
● Ajuste o valor desejado = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
024 37 253

62
Configuração
Padrões de ventilação

Padrões específicos do paciente VT, f:

Ajuste de fábrica Ajustes específicos do hospital*


Modo do
paciente Volume corrente Freqüência ventilatória Volume corrente Freqüência ventilatória
VT mL f 1/min VT mL f 1/min

Pediátrico 50 29 ...................................... ......................................

Adulto 500 12 ...................................... ......................................

* Os padrões específicos do hospital em questão podem ser inseridos nesta tabela.

Valores padrão dos parâmetros ventilatórios


– Estes padrões definem os parâmetros ventilatórios e os
limites de alarme que não são específicos do paciente,
mas aqueles ativados na inicialização do equipamento.

● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.


● Pressione a tecla »Ventilation jj« (ventilação) do menu.
● Entre com o código numérico »3032«.
● Selecione o menu »Parameter« (parâmetro) com a tecla
»Ventilation jj« (ventilação) do menu.

Exibição (exemplo):
● Selecione o campo de tela desejado Pmax =
gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
● Ajuste o valor = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

025 37 253

63
Configuração
Padrões de ventilação

Parâmetros ventilatórios padrão


Os padrões específicos do hospital podem ser inseridos
nesta tabela.

I:E Pinsp PASB PEEP Ramp Trigger O2


mbar mbar mbar s L/min Vol.%

Ajuste de 1:2 15 0 5 0.2 5 30


fábrica
Ajuste
especifico do
hospital* .............. ...................... ........................ ........................ ........................ ........................ ........................

* Os padrões específicos do hospital em questão podem


ser inseridos nesta tabela.
Para restabelecer os padrões de configuração de fábrica:
● Selecione o campo »Basic settings« (ajustes básicos) da
tela = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

Controle do limite de pressão Pmax


– Este parâmetro define o limite de pressão para
ventilação limitada por pressão nos modos ventilatórios
IPPV, SIMV e MMV.
● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Pressione a tecla »Ventilation jj« (ventilação) da tela.
● Entre com o código numérico »3032«.
● Com a tecla »Ventilation jj« (ventilação) do menu,
selecione o menu »Parameter« (parâmetro).

Exibição (exemplo):

● Selecione a tecla »Pmax« da tela = gire o botão rotativo.


O LED amarelo da tecla »Pmax« na tela se acende.
O Pmax é ativado.
● Para desativar o Pmax = pressione o botão rotativo, o
LED verde da tecla »Pmax« se acende.
025 37 253

64
Configuração
Padrões de ventilação

Ajuste o valor para o »Pmax«:


D Evita 2 dura
● Pressione a tecla de parâmetro »Pinsp«.
● Ajuste o valor desejado = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

Controle da ventilação de apnéia


Para determinar se a ventilação de apnéia deve estar pronta
automaticamente para o uso na inicialização do equipamento.
● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Pressione a tecla »Ventilation jj« (ventilação) do menu.
● Entre com o código numérico »3032«.
● Selecione o menu »Mode« (modo) através da tecla
»Ventilation jj« (ventilação) do menu.
● Selecione »Apnoea vent.« (vent. de apnéia) = gire o botão.
● Acione a ventilação de apnéia = pressione o botão
rotativo, o LED amarelo da tecla »Apnoea vent.« (vent. de
apnéia) na tela se acende.
● Para desativar a ventilação de apnéia = pressione o
botão rotativo, o LED verde da tecla »Apnoea vent.«
(vent. de apnéia) na tela se acende.

65
Configuração
Controle da compensação de vazamento

Controle da compensação de vazamento


A compensação de vazamento automática permite ao aparelho
compensar vazamentos de até 100% do volume corrente ajustado
em todos os modos ventilatórios controlados por volume.
A configuração para o controle da compensação de vazamento
é gravada e permanece efetiva quando o equipamento é reiniciado.
● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu,
● Pressione a tecla »Ventilation jj« (ventilação) da tela e
insira o código numérico 3032.
● Selecione o menu »Parameters« (parâmetros) através da
tecla »Ventilation + + « (ventilação) do menu.
Exibição:

025 37 253
● Selecione a tecla »Leakage comp.« (comp. de vazamento),
● Para acionar a »Leakage comp.« (comp. de vazamento)
= pressione o botão rotativo, o LED amarelo na tecla
»Leakage comp.« (comp. de vazamento) na tela se acende.

● Para desativar a »Leakage comp.« (comp. de vazamento)


= pressione o botão rotativo, o LED verde na tecla
»Leakage comp.« (comp. de vazamento) na tela se acende.

_____________
1) para uma descrição detalhada sobre a compensação de vazamento,
se refira a página 119 no anexo.

66
Configuração
Padrões de ventilação

Limites padrão de alarme


● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Pressione a tecla »Ventilation jj« (ventilação) do menu.
● Insira o código numérico »3032«.
● Com a tecla » V
» entilation jj« (ventilação) do menu,
selecione o menu »Alarms« (alarmes).

Exibição (exemplo):

027 37 253
● Selecione o campo de tela do limite de alarme desejado
= gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
● Altere o valor = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

67
Configuração
Padrões de ventilação

Limites padrão de alarme

Parâmetros ventilatórios Ajustes padrão de fábrica Ajustes padrão


do hospital*

MVtotal _ L/min MVtotal +50 % ....


MVtotal –20 % ....
Paw > mbar 50 ....

VTi > L VTi + 100 % ....

TApnoea > s 15 ....


fspont > 1/min 50 ....

* Nos padrões específicos do hospital selecionados


podem ser inseridos na tabela.

O limite inferior de alarme não precisa ser fixado para a


pressão das vias aéreas Paw, pois é automaticamente
associado ao ajuste da PEEP.

Os limites de alarme não precisam ser ajustados para a


concentração de O2, pois são automaticamente
associados com o ajuste da concentração de O2.
Limites inferiores de alarme:
para ajustes até 60 % Vol. O2:
valor do ajuste -4 % Vol. O2
para ajustes de 60 a 100 % Vol. O2:
valor do ajuste -6 % Vol O2
Limites superiores de alarme:
para ajustes até 60 % Vol. O2:
valor do ajuste +4 % Vol. O2
para ajustes de 60 a 100 % Vol. O2:
valor do ajuste +6 % Vol O2

Para restabelecer os ajustes padrão de fábrica:


● Selecione o campo »Basic settings« (ajustes básicos) da
tela = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

68
Configuração
Padrões de ventilação

Modo ventilatório padrão


Após a inicialização, o Evita 2 dura aciona o modo
ventilatório exibido quando esta tecla é selecionada na tela.
Se desejar um modo ventilatório de inicialização diferente:
● Pressione a tecla »Calib./Config.« do menu.
● Pressione a tecla »Ventilation jj« (ventilação) do menu.
● Insira o código numérico »3032«.
● Com a tecla »Ventilation jj« (ventilação) do menu,
selecione o menu »Mode« (modo).

Exemplo de exibição: SIMV

● Selecione o campo de tela para o modo ventilatório = gire


o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
A lista de todos os modos ventilatórios disponíveis para
seleção é então exibida à direita da tela.

● Selecione o outro modo ventilatório = gire o botão


rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

028 37 253

69
70
Erro – Causa – Solução
Índice

Erro – Causa – Solução

Índice

Erro – Causa – Solução ................................................................ 72

71
Erro – Causa – Solução

Erro – Causa – Solução A prioridade das mensagens de alarme é determinada


através de pontos de exclamação:
Perigo = Mensagem com prioridade alta !!!
As mensagens de alarme são exibidas em ordem Precaução = Mensagem com prioridade média !!
hierárquica no campo de exibição de alarme. Aviso = Mensagem com prioridade baixa !
Por exemplo, se duas falhas são detectadas ao mesmo
tempo, a mais crítica será exibida. Na tabela abaixo, as mensagens são listadas em ordem
alfabética.
A tabela deve auxiliar na identificação da causa de qualquer
alarme, além de assegurar uma solução rápida do problema.

Mensagem Causa Solução

!!! Air supply down Pressão de suprimento de ar muito baixa. Certifique se a pressão é superior a 3 bar.

! Air supply down Pressão de suprimento de ar muito baixa. Certifique se a pressão é superior a 3 bar.
Pressão de suprimento de ar
desnecessária quando FiO2 = 100 %Vol..

!! Air supply pressure high Pressão de suprimento de ar muito alta. Assegure se a pressão é inferior a 6 bar.

! Air supply pressure high Pressão de suprimento de ar muito alta. Assegure se a pressão é inferior a 6 bar.
Suprimento de ar desnecessário para
FiO2 = 100 %Vol..

!!! Airway pressure high O limite superior de alarme para pressão Confira a condição do paciente,
das vias aéreas foi excedido. O paciente Confira o formato da ventilação,
está "lutando" contra o ventilador, tosse. Corrija o limite de alarme se necessário.

Traquéia ventilatória dobrada. Confira o sistema de traquéias e tubos.

!!! Airway pressure low Manguito vazando. Infle o manguito e execute o teste de fugas.

Vazamento ou desconexão. Confira se as conexões estão firmes.


Confira se a válvula expiratória está
encaixada corretamente.

!!! Apnoea A respiração espontânea do paciente Aplique a ventilação controlada.


cessou.

Estenose Confira as condições do paciente, traquéia.

Sensor de fluxo descalibrado ou Calibre o sensor de fluxo. Substitua se


defeituoso. necessário.

!! Apnoea ventilation Devido a apnéia detectada, o sistema Confira o procedimento de ventilação.


comutou automaticamente para Retorne ao procedimento de ventilação
ventilação mandatória. original através da tecla »Alarm Reset«.
Confira a condição do paciente, traquéia.

! ASB > 1.5 s Só é exibida no modo pediátrico. Teste os vazamentos do sistema ventilatório.
O ciclo de ASB foi desativado 3 vezes
devido à limitação de tempo.

!!! ASB > 4 s Só é exibida no modo adulto. Teste os vazamentos do sistema ventilatório.
O ciclo de ASB foi desativado 3 vezes
devido à limitação de tempo.

72
Erro – Causa – Solução

Erro Causa Solução

!! Check settings Queda de energia durante o ajuste de um Confira o formato da ventilação e os


padrão ventilatório ou limite de alarme. limites de alarme. Confirme a mensagem
com a tecla »Alarm Reset«.

!!! Device failure Equipamento defeituoso. Chame a assistência técnica da Dräger.

! Evita Remote ? O controle remoto não foi identificado Remova o controle remoto.
corretamente. Confirme a mensagem com a tecla »Alarm
Reset« (apagar alarme). Chame a ass.
técnica Dräger na próxima oportunidade.

! Evita Remote inop. Uma tecla foi pressiona no controle Confirme a mensagem com a tecla »Alarm
remoto durante o autoteste. Reset«. Remova e reconecte o controle
remoto. Assegure que nenhuma tecla
esteja pressionada no controle remoto.

Controle remoto defeituoso. Confirme a mensagem com a tecla »Alarm


Reset« (apagar alarme). Remova o controle
remoto. Chame a ass. técnica da Dräger.

!! Execute device check Conferência do aparelho não efetuada. Execute a conferência do aparelho, pág. 97.
Confirme a mensagem com a tecla »Alarm
Reset« (apagar alarme).

! Exp. hold interrupted A tecla »Exp. hold« (manter exp.) foi Solte a tecla »Exp. hold« (manter exp.).
pressionada por mais de 15 segundos.

!!! Exp. valve inop. Válvula expiratória conectada Empurre a válvula expiratória firmemente
incorretamente no terminal. no terminal até que encaixe no lugar.

Sensor de fluxo descalibrado ou Calibre o sensor de fluxo, página 51,


defeituoso. substitua se necessário.

Válvula expiratória defeituosa. Substitua a válvula expiratória.

! External Flow O Evita 2 dura calcula o fluxo da fonte Desative o cálculo do fluxo externo, veja
externa ao monitorar o funcionamento página 53.
correto da medição de fluxo.

!!! Fan failure Ventoinha defeituosa. Chame a assistência técnica da Dräger.

!!! FiO2 high Sensor de O2 descalibrado. Calibre o sensor de O2, página 50.

Função de mistura defeituosa. Chame a assistência técnica da Dräger.

!!! FiO2 low Sensor de O2 descalibrado. Calibre o sensor de O2, página 50.

Função de mistura defeituosa. Chame a assistência técnica da Dräger.

!!! Flow measurement inop. Sensor de fluxo molhado. Seque o sensor de fluxo.

Sensor de fluxo defeituoso. Calibre o sensor de fluxo, página 51,


substitua se necessário.

Mau funcionamento da medição de fluxo. Chame a assistência técnica da Dräger.

! Flow monitoring off A monitoração de fluxo está desativada. Ative a monitoração de fluxo novamente,
como descrito na página 95, ou
disponibilize imediatamente uma função
de monitoração externa adequada.

73
Erro – Causa – Solução

Erro Causa Solução

!!! Flow sensor ? Sensor de fluxo não inserido por completo Insira o sensor de fluxo corretamente.
no terminal de borracha da vál. expiratória.

!! Hard key xx failed Tecla xx (ex.: »g« ) não pode mais ser Chame a assistência técnica da Dräger.
pressionada.

!!! High frequency O paciente está respirando a uma Confira a condição de paciente,
freqüência espontânea muito alta Confira o formato da ventilação,
Corrija o limite de alarme se necessário.

! Insp. hold interrupted A tecla »Insp. hold« (manter insp.) foi Solte a tecla »Insp. hold« (manter insp.).
pressionada por mais de 15 segundos.

!!! Insp / Exp cycle failure O equipamento não fornece gás. Confira o ajuste do Pmax/PEEP.
Ajuste uma freq. IPPV de pelo menos 4/min.
Aumente o tempo de alarme TApnoea >.

Equipamento defeituoso. Chame a assistência técnica da Dräger.

!! Key xx overused ? A tecla foi repetidamente pressionada em Confirme a mensagem com a tecla
um curto período (ex.: »g«). »Alarm Reset« (apagar alarme)
Se a mensagem for exibida repetidamente,
chame a assistência técnica da Dräger.

!! Key overused ? Devido ao uso muito freqüente da tecla, o Confirme a mensagem com a tecla
conteúdo da tela é repetidamente »Alarm Reset« (apagar alarme).
redesenhado.

Falha breve de comunicação entre o Confirme a mensagem com a tecla »Alarm


processador de exibição e o processador Reset«. Se esta mensagem for novamente
principal. exibida, chame a ass. técnica da Dräger.

! Leakage O volume minuto de vazamento medido Confira se a conexão das mangueiras está
MVleak é 20% superior ao volume minuto livre de vazamentos.
medido no lado expiratório. Confira se as traquéias estão encaixadas.

!!! Loss of data Bateria de lítio descarregada. Chame a assistência técnica da Dräger.

! Malfunction fan Temperatura muito alta do equipamento. Confira o funcionamento da ventoinha ou a


limpeza do filtro de ar de refrigeração.

! MEDIBUS COM. inop. O conector do cabo MEDIBUS estava Encaixe o conector novamente e evite a
desconectado durante a operação. desconexão através dos dois parafusos.

Cabo MEDIBUS defeituoso. Use um novo cabo MEDIBUS.

Interface defeituosa. Chame a assistência técnica da Dräger.

!!! Mixer inop. Mau funcionamento do misturador. Ventile imediatamente com um disposi-
FiO2 pode divergir consideravelmente. tivo de ventilação manual independente!
Chame a assistência técnica da Dräger.

74
Erro – Causa – Solução

Erro Causa Solução

! Multi functional board A placa multifuncional para operar a Confirme a mensagem com a tecla »Alarm
inop. chamada de enfermeira ou o controle Reset«. Chame a assistência técnica da
remoto está defeituosa. Dräger na próxima oportunidade.
As funções ventilatórias originais do
Evita 2 dura não são afetadas. O
funcionamento correto da chamada de
enfermeira ou do controle remoto não são
garantidos, portanto: remova a chamada
de enfermeira e/ou o controle remoto.

!! Multi functional board A placa multifuncional para operar a Confirme a mensagem com a tecla »Alarm
inop. chamada de enfermeira ou o controle Reset«. Chame a assistência técnica da
remoto está defeituosa. Dräger na próxima oportunidade.
As funções ventilatórias originais do
Evita 2 dura não são afetadas. O
funcionamento correto da chamada de
enfermeira ou do controle remoto não são
garantidos, portanto: remova a chamada
de enfermeira e/ou o controle remoto.

!!! MV high O volume minuto excedeu o limite Confira a condição do paciente,


superior de alarme. confira o formato da ventilação, corrija
o limite de alarme se necessário.

Sensor de fluxo descalibrado, defeituoso. Calibre o sensor de fluxo, página 51,


.
substitua se necessário.

Sensor de fluxo molhado. Esvazie o dreno de água do sistema.


Seque o sensor de fluxo.

Mau funcionamento do equipamento. Chame a assistência técnica da Dräger.

!!! MV low O volume minuto excedeu o limite inferior Confira a condição do paciente,
de alarme. confira o formato da ventilação, corrija
o limite de alarme se necessário.

Estenose. Confira a condição do paciente, traquéia.


.

Vazamento no sistema respiratório. Confira os vazamentos do sist. respiratório.

Sensor de fluxo descalibrado, defeituoso. Calibre o sensor de fluxo, página 51,


substitua se necessário.

Mau funcionamento do equipamento. Chame a assistência técnica da Dräger.

!! Nebulisation interrupted Só no modo pediátrico. A nebulização só Selecione o modo do paciente.


é possível na ventilação controlada por Reinicie a nebulização.
pressão ou com AutoFlow®. Reconheça o alarme com a tecla
»Alarm/Reset« (apagar alarme).

Só no modo pediátrico, só para ventilação Acione a monitoração de fluxo, calibre o


com AutoFlow®. sensor de fluxo (página 51), substitua o
Sensor de fluxo não está pronto para sensor de fluxo ou altere o modo.
medição. Reinicie a nebulização.
Reconheça o alarme com a tecla
»Alarm/Reset« (apagar alarme)

75
Erro – Causa – Solução

Erro Causa Solução

! Nebulizer on O nebulizador de medicamento está Desligue o nebulizador de medicamento


ligado, página 44. se necessário, página 46.

!!! O2 measurement inop. O sensor de O2 fornece valores de Calibre o sensor de O2, página 50,
medição inválidos. substitua se necessário.

Mau funcionamento da medição de O2. Chame a assistência técnica da Dräger.

! O2 monitoring off Monitoração de O2 desativada. Acione a monitoração de O2 novamente,


como descrito na página 53, ou promova
imediatamente uma função de monitoração.

!!! O2 supply down Pressão do suprimento de O2 muito baixa. Confira se a pressão é superior a
3 bar.

! O2 supply down Pressão do suprimento de O2 muito baixa. Confira se a pressão é superior a


Pressão do suprimento de O2 é 3 bar.
desnecessária quando FiO2 = 21 %Vol..

!! O2 supply pressure high Pressão do suprimento de O2 muito alta. Confira se a pressão é inferior a 6 bar.

! O2 supply pressure high Pressão do suprimento de O2 muito alta. Confira se a pressão é inferior a 6 bar.
Pressão do suprimento de O2 é
desnecessária quando FiO2 = 21 %Vol..

!!! PEEP high Sistema expiratório obstruído. Confira o sist. de traquéias e a válvula exp..

Resistência expiratória está aumentando. Confira o filtro bacteriano.


Substitua se necessário.

Equipamento defeituoso. Chame a assistência técnica da Dräger.

!!! PEEP valve inop. Válvula PEEP interna defeituosa. Chame a assistência técnica da Dräger.

! Pressure limited Limite de pressão Pmax está ativo. Confira a condição do paciente,
confira o formato da ventilação,
corrija o ajuste se necessário.

!!! Pressure meas. inop. Fluido na válvula expiratória. Substitua a válvula expiratória, página 86,
então limpe e seque.

Defeito na medição de pressão. Chame a assistência técnica da Dräger.

!!! Standby activated O modo de espera do Evita 2 dura foi Confirme o modo de espera com a tecla
acionado. »Alarm Reset« (apagar alarme).

!!! Temperature high Temperatura do gás respiratório superior Desligue o umidificador.


a 40 °C.

!!! Temperature meas. inop. Sensor de temperatura defeituoso. Insira um novo sensor de temperatura,
veja na página 90.

!!! Temperature sensor ? Sonda do sensor de temperatura foi Reconecte a sonda.


desconectada durante a operação.

Cabo do sensor quebrado. Insira um novo sensor de temperatura,


veja na página 90.

76
Erro – Causa – Solução

Erro Causa Solução

!!! Tidal volume high O limite superior de alarme do volume Confira a condição do paciente,
corrente VT inspiratório aplicado foi confira o formato da ventilação,
excedido durante três ciclos corrija o limite de alarme se necessário.
ventilatórios sucessivos.

Vazamento ou desconexão. Confira se as conexões do sistema de


traquéias estão sem vazamento.

! Tidal volume high O volume corrente VT inspiratório Confira a condição do paciente,


excede o limite superior de alarme. confira o formato da ventilação,
corrija o limite de alarme se necessário.

Vazamento ou desconexão. Confira se as conexões do sistema de


traquéias estão sem vazamento.

!!! Tube blocked O Evita 2 dura aplica um volume muito Confira a condição do paciente,
pequeno a cada ciclo mecânico, talvez confira a traquéia.
porque a traquéia esteja bloqueada.

O paciente "luta" contra os ciclos Confira a condição do paciente,


mecânicos na ventilação controlada por confira os ajustes do equipamento.
pressão, de forma que o volume da
pressão inspiratória ajustada é alcançado
mesmo com um volume muito pequeno.

!! Volume not constant Devido ao limite de pressão ou limite Tempo inspiratório demasiado »Tinsp«
de tempo, o volume corrente VT não Aumente o fluxo inspiratório »Flow«
foi aplicado. Eleve o limite de pressão »Pmax«.
Pressione a tecla »Alarm Reset« para
suprimir o alarme visual e sonoro até que
a causa do alarme seja eliminada.

77
78
Cuidados
Índice

Cuidados

Índice

Desmontagem ............................................................................ . 80
Remoção das partes ...................................................................... 80
Desinfecção/Limpeza/Esterilização ................................................. 83
Tabela de Desinfecção/Limpeza/Esterilização ...................................... 85
Montagem .................................................................................. 86
Montagem da válvula expiratória ....................................................... . 86
Inserção da válvula expiratória ........................................................... 86
Inserção do sensor de fluxo.............................................................. 87
Inserção do sensor de O2 ................................................................ 87
Observações quanto ao uso de trocadores de calor e umidade ............... .. 88
Observações quanto ao uso de filtros bacterianos ................................ . 88
Para ventilar adultos e crianças ......................................................... 89
Para ventilar bebês ....................................................................... . 91
Suprimento e conexões ................................................................. 92
Suprimento de energia elétrica ........................................................ . 92
Suprimento de gases .................................................................... . 93
Evita Remoto (opcional) ................................................................. 94
Conexão ..................................................................................... 94
Observações quanto ao autoteste automático ....................................... 95
Chamada de enfermeira (opcional).................................................. . 96
Dados técnicos ............................................................................. 96
Antes de utilizar pela primeira vez ................................................... 97
Conferência do equipamento ........................................................ . 97
Preparo da conferência do equipamento ............................................. 97
Execução da conferência do equipamento ........................................... 99
Intervalos de manutenção ............................................................ 107
Substituição do filtro de ar de refrigeração ......................................... 107
Remoção e reinserção do filtro do ar ambiente ................................... . 108
Eliminação correta de baterias e sensores de O2 ................................. 108
Eliminação correta do equipamento .................................................. 108

79
Cuidados
Desmontagem

Desmontagem

Limpe e prepare o equipamento após cada paciente.


Recomendação:
Troque o sistema de traquéias e a válvula expiratória a
cada 24 horas. Mantenha os sistemas substitutos prontos.
Observe os regulamentos de higiene de hospital!

Remoção das partes


● Desligue o ventilador e o umidificador, remova o plugue
da tomada elétrica.
● Esvazie o dreno de água e as traquéias ventilatórias.
● Esvazie o contentor de água do umidificador.

Umidificador
● Desmonte conforme o Manual de Uso específico e
prepare para desinfecção/esterilização.

Sensor de temperatura (opcional)


● Remova o sensor de temperatura da peça-Y – não puxe
pelo cabo. Remova a sonda do sensor do painel da parte
traseira do Evita 2 dura.
● O sensor de temperatura é projetado para desinfecção a
seco.
O sensor de temperatura não é idealizado para
autoclavagem ou desinfecção por imersão.

Nebulizador de medicamento (opcional)


1 Desconecte o tubo do nebulizador de medicamento e
do terminal do equipamento.
2 Desconecte o nebulizador de medicamento do sistema
adulto de traquéias ou 2 1

2 do sistema pediátrico de traquéias.


3 Remova o conector de cateter (cone ISO ø 15 / ø 11) 4 3
da entrada.
5
4 Remova o adaptador (cone ISO ø 22 / ø 11) da saída.
2 1
5 Remova a traquéia corrugada do adaptador.
● Desmonte o nebulizador de medicamento conforme o seu
Manual de Uso.
● Prepare as partes individuais do nebulizador de
medicamento e as partes do adaptador para limpeza e
desinfecção na autoclave.

80
Cuidados
Desmontagem

Traquéias ventilatórias
● Remova as traquéias ventilatórias dos terminais do aparelho.
● Remova os dreno de água das traquéias ventilatórias.
Remova os contentores de água dos drenos de água.
● Prepare as traquéias ventilatórias, drenos de água,
contentores de água e a peça-Y para desinfecção e
limpeza por autoclave.

Sensor de fluxo
1 Empurre o sensor de fluxo para esquerda até o fim
e
2 puxe-o para fora.
O sensor de fluxo não pode ser autoclavado ou
esterilizado a vapor.
● Desinfete o sensor de fluxo por aproximadamente 1 hora
em solução de 70% de álcool etílico.
● Exponha o sensor ao ar livre por pelo menos 30
minutos para permitir que o álcool evapore.
Caso contrário o sensor pode ser danificado pela
ignição de qualquer álcool residual durante a 1 2
calibração.
● O sensor de fluxo pode ser reutilizado enquanto a
calibração puder ser corretamente executada.

81
Cuidados
Desmontagem

Válvula expiratória
● Empurre a trava para a direita e puxe a válvula expiratória
ao mesmo tempo para fora.

Se a válvula expiratória possuir um dreno de água opcional:


● Remova o contentor de água.

Somente desmonte a válvula expiratória se estiver muito suja:


● Desparafuse a tampa com a mão e remova juntamente
com o diafragma.
● Não desmonte a válvula expiratória além disto.
● A válvula expiratória é projetada para desinfecção e
limpeza por autoclave
e
● para esterilização a vapor.

82
Preparo
Desinfecção/Limpeza/Esterilização

Desinfecção/Limpeza/Esterilização

Utilize desinfetantes de superfície. Para compatibilidade


da superfície, utilize desinfetante a base de:
– aldeídos,
– compostos amônicos quaternários.
Para evitar a possibilidade de danos no material,
não utilize desinfetante a base de:
– Compostos a base de alquilamina
– Compostos a base de fenol,
– Compostos liberadores de halogênio,
– Ácidos orgânicos fortes,
– Compostos liberadores de oxigênio.
Para usuários na República Federal de Alemanha,
recomendamos utilizar somente desinfetantes da lista da
DGHM (DGHM: Sociedade alemã para higiene e
microbiologia).
A lista da DGHM (publicada pela mhp-Verlag, Wiesbaden)
também classifica cada desinfetante por seus agentes
ativos. Para países onde a lista da DGHM não está
disponível, recomendamos os tipos de desinfetante citados.
Os desinfetantes contêm freqüentemente – além dos
agentes ativos principais – elementos aditivos que também
podem danificar os materiais. Em caso de dúvida, pergunte
ao fornecedor / fabricante do agente desinfetante / limpeza.

Não esterilize as peças em óxido de etileno –


Risco para a saúde!

83
Cuidados
Desinfecção/Limpeza/Esterilização

Unidade básica do Evita 2 dura com carrinho, braço


articulado, mangueiras de gás medicinal e sensor de
temperatura:
Desinfecção superficial
● ex.: com Buraton 10 F ou Terralin (Schülke & Mayr,
Norderstedt, Alemanha).
Obedeça as instruções do fabricante.

Traquéias ventilatórias, peça-Y, drenos de água e


contentores, válvula expiratória:
● Desinfete com vapor aquecido (93 °C / 10 minutos).
Utilize somente agentes de limpeza.
Válvula expiratória ou suas peças individuais
● Após desinfetar com vapor aquecido, esterilize com vapor
a 134 °C.
Caso contrário, falhas no funcionamento do equipamento
poderão ser causadasdevido ao líquido residual na linha de
medição de pressão.

Se nenhuma lavadora estiver disponível:


● Desinfecção por imersão, ex.: Sekusept (Henkel).
Obedeça as instruções do fabricante.
Após isto, enxágüe com água limpa, preferencialmente de
uma fonte de água doce. Chacoalhe a água para fora
completamente e deixe o produto secar.
Então esterilize a vapor a válvula expiratória.

Traquéias ventilatórias, peça-Y, drenos de água e


contentores, válvula expiratória, sensor de temperatura,
são estáveis termicamente e podem ser esterilizadas a
vapor a 134 °C.

Umidificador
● Prepare conforme seu Manual de Uso próprio.

84
Cuidados
Desinfecção/Limpeza/Esterilização

Tabela de desinfecção/ limpeza / esterilização para o ventilador


de cuidados intensivos Evita 2 dura
Aplicável para o uso em pacientes não infecciosos.
Para pacientes infecciosos, todas as peças que conduzem o gás respiratório
devem ser adicionalmente esterilizadas após a desinfecção e limpeza.
As peças listadas aqui podem ser esterilizadas - veja na coluna "Esterilização".

Peça Qual freqüência Como


Componentes Intervalos de Desinfecção e limpeza Esterilização
reutilizáveis limpeza Autoclavagem a Superficial Banho de Vapor
recomendados1) 93 °C 10 minutos imersão 134 °C 10 minutos
Unidade básica do por paciente não externo não não
Evita 2 dura
Carrinho
Braço articulado por paciente não externo não não
Mangueiras de gás
Traquéias ventilatórias,
Peça-Y,
Drenos de água, diariamente sim não possível sim
Contentores de água
por paciente,
Válvula expiratória sim3) não possível sim
semanalmente
Sensor de temperatura diariamente não sim impossível2) sim
Sensor de fluxo não externo não

1) Esta tabela serve apenas como orientação.


Os protocolos do setor responsável pela higiene do hospital permanecem inalterados!
2) Tratamento especial, veja na página 81.

3) Após a desinfecção/ limpeza: esterilize a 134 °C.


Caso contrário haverá o risco de mau funcionamento devido a algum líquido residual na linha de medição de pressão.

85
Cuidados
Montagem

Montagem

Só utilize componentes devidamente preparados!

Montagem da válvula expiratória


As peças devem estar secas para evitar o mau funcionamento.
Tenha cuidado ao inserir o diafragma na posição correta.
● Segure a tampa pela flange e insira o diafragma no
colarinho da tampa.

● Insira a tampa com o diafragma por baixo do corpo da


válvula e rosqueie firmemente.

Se a válvula expiratória possuir um dreno de água adicional:


● Insira o contentor de água.

Inserção da válvula expiratória


● Empurre a válvula expiratória na conexão até que encaixe
no lugar. Confira se está travada na posição puxando
ligeiramente o conector.

86
Cuidados
Montagem

Inserção do sensor de fluxo


1 Empurre o terminal para a esquerda até o final.

2 Insira o sensor de fluxo – com o conector de frente para


o ventilador – no suporte e empurre-o completamente no
terminal.
Então:
3 Empurre o sensor de fluxo para a direita até encaixar no
terminal de borracha da válvula expiratória completamente.

3 2

Inserção do sensor de O2
– ao utilizar o sistema pela primeira vez
– quando a tela exibe:
O2 measurement inop (medição de O2 inoperante)
– quando a calibração não puder mais ser executada.

1 Gire o terminal para baixo ou para a esquerda.


2 Desparafuse (ex.: com uma moeda) e remova a
cobertura protetora.
3 Solte os dois parafusos e abra o suporte do sensor. 1 2
4 Insira o novo sensor. A extremidade do sensor com as
ranhuras circulares visíveis nos contatos deve estar
voltada para o suporte.
3 Tampe o suporte do sensor firmemente com os dois
parafusos.
● Parafuse a cobertura protetora novamente no lugar.
Após inserir:
● Aguarde 15 minutos pelo aquecimento do sensor de O2. 4
O sensor não pode ser calibrado até que tenha se aquecido. 3
● Calibre manualmente o sensor de O2, veja na página 50.
● Os sensores gastos podem ser devolvidos a Dräger
Medizintechnik GmbH para eliminação.

87
Cuidados
Montagem

Observações quando ao uso de trocadores


de calor e umidade

O uso de um trocador de calor e umidade (HME - "nariz


artificial") na conexão do paciente pode aumentar a
resistência respiratória consideravelmente. Um aumento
na resistência respiratória conduzirá em troca a um maior
esforço na respiração espontânea e/ou um maior esforço
de disparo durante a ventilação assistida. Sobre condições
desfavoráveis, um aumento na resistência respiratória
pode conduzir a uma PEEP intrínseca indesejável.
Esta resistência respiratória na conexão do paciente não
pode ser monitorada diretamente pelo ventilador.
Portanto:
● A condição do paciente e os valores de medição do
ventilador para o volume de ar e a resistência devem ser
conferidos com maior freqüência.
● Siga as instruções do Manual de Uso do trocador de calor
e umidade (HME).
● Não utilize o trocador de calor e umidade (HME)
simultaneamente a um nebulizador de medicamento
ou umidificador!

Observações quanto ao uso de filtros bacterianos


O uso de filtros bacterianos expiratórios ou inspiratórios
não são recomendados no ventilador.

Porém, se mesmo assim filtros bacterianos forem usados


no lado expiratório, é possível ocorrer um aumento
indesejável na resistência respiratória.
Especialmente durante a nebulização de medicamento e
a umidificação, a resistência do filtro bacteriano expiratório
pode aumentar gradualmente. Para o paciente, o efeito pode
ser o aumento do esforço respiratório e uma PEEP intrínseca.
Uma PEEP intrínseca pode ser reconhecida pelo fato do
fluxo expiratório não retornar a "0" antes do fim da
expiração.
Se a PEEP for inaceitavelmente alta, o equipamento
sinaliza o alarme »PEEP high« (PEEP alta).
● Confira o filtro bacteriano e substitua-o se for a causa da
PEEP.

A resistência respiratória inspiratória e expiratória do


sistema do paciente pode ser determinada antes da
ventilação pela conferência do equipamento no modo de
espera – veja na página 97 em diante.

88
Cuidados
Montagem

Para ventilar adultos e crianças


A partir de 100 mL de volume corrente VT no modo do
paciente »Adult« (adulto)

Conexão do umidificador Aquapor


● Prepare o Aquapor de acordo com as instruções
próprias do seu Manual de Uso.
1 Fixe o Aquapor no trilho através da brida e aperta os
parafusos.
2 Insira do conector cotovelo no Aquapor.
3 Insira o conector duplo no conector cotovelo.
3
● Preencha o recipiente do Aquapor com água destilada 2
até a marca superior.

Se utilizar um umidificador de gás respiratório, não


utilize um trocador de calor e umidade adicional (HME). 1
Risco de um aumento na resistência respiratória devido
à condensação. Remova as traquéias ventilatórias.
Não utilize traquéias antiestáticas ou condutivas*.
Dependendo da posição desejada do ventilador em
relação à cama, o braço articulado pode ser fixo em
ambos os lados do equipamento.

Fixação no lado esquerdo:


D Evita 2 dura
4 Gire ambos os terminais para a esquerda.
5 Gire o Aquapor para a esquerda.
A descrição acima se aplica quando as traquéias
ventilatórias foram fixas ao lado esquerdo.

______________
* DIN VDE 0750 Parte 215:
O uso de material antiestático ou eletricamente condutivo no sistema
respiratório do ventilador pulmonar não é considerado como qualquer
contribuição na melhoria da segurança. Pelo contrário, o uso destes
materiais aumenta o risco de choque elétrico para o paciente e de
incêndio devido à presença de oxigênio.

89
Cuidados
Montagem

1 Fixe o braço articulado no trilho do lado esquerdo e


aperta os parafusos.
● Conecte as traquéias ventilatórias, observe o
comprimento das traquéias (metros).
2 Gire os terminais na direção das traquéias.
3 Instale os drenos de água na posição vertical no ponto
mais baixo das linhas de traquéias.
● Conecte a peça-Y, com a conexão de borracha da peça-Y 1 0,4m
no lado inspiratório.
2
0,6m

0,6m

0,6m
0,4m

Fixação do sensor de temperatura (opcional)


4 Insira o sensor totalmente na conexão de borracha do
lado inspiratório da peça-Y-pedaço. Alinhe a peça-Y de
forma que o sensor permaneça para cima. 4
5 Prenda o cabo do sensor com clipes de traquéia. 5

6 Insira o conector do sensor de temperatura no terminal


da parte traseira do equipamento.

90
Cuidados
Montagem

Para ventilar bebês

até 300 mL de volume corrente VT no modo paciente »Ped.«.

Fixação do umidificador e traquéias ventilatórias


D Evita 2 dura
● Insira o filtro bacteriano no terminal inspiratório.

● Não utilize um trocador de calor e umidade (HME)


simultaneamente a um umidificador.
Risco de aumento da resistência respiratória por
motivo de condensação.

● Prepare o umidificador "Fisher & Paykel MR 730"


conforme as instruções de seu Manual de Uso próprio,
usando o jogo de traquéias K (pediátrico), como fornecido.
1 Fixe o umidificador com uma brida no suporte abaixo do
equipamento e aperte os parafusos.
2 Fixe o braço articulado com uma brida no trilho do lado
esquerdo e aperte os parafusos.
2
● Conecte as traquéias ventilatórias, observe seus
comprimentos (em metros).
3 Posicione o dreno de água na posição vertical. 0,4m

1,1m
0,6m
0,6m

1
3

91
Cuidados
Suprimento e conexões

Suprimento e conexões

Suprimento de energia elétrica


O ventilador é projetado para uma tensão de:
Opcionalmente : 220 V a 240 V, 50 / 60 Hz
ou : 100 V a 127 V, 50 / 60 Hz
O adaptador de tensão embutido do Evita 2 dura comuta
automaticamente para o suprimento elétrico da rede.
● Insira o plugue na tomada da rede elétrica.

Para o funcionamento com o acessório "Unidade de força CC


embutida 12 / 24 V - Evita 4 CC" e bateria externa (opcional).
Opcionalmente : 12 V
ou : 24 V
● Siga as instruções do Manual de Uso "Evita 4 CC".

Observações quanto ao uso de um distribuidor de


tomadas elétricas
Conectar outros dispositivos à mesma extensão de
distribuição de tomadas elétricas pode, no caso de falha
do aterramento, causar o aumento da corrente de fuga
para o paciente acima dos valores permissíveis.
Neste caso, o risco de choque elétrico não pode ser
eliminado.

Interrupção temporária do suprimento de energia elétrica


ex.: ao acionar o suprimento de energia reserva
Sem a unidade de força CC embutida (12/24 V - Evita 4 CC):
Durante a queda de energia, o Evita 2 dura emitirá um
toque contínuo por no máximo 2 minutos.
Este toque contínuo pode ser emitido por um período inferior
se o Evita 2 dura tiver sido acionado por menos de 15 minutos.
O Evita 2 dura tolera interrupções de força inferiores a
10 milissegundos - sem qualquer efeito na ventilação.
No caso de quedas de energia que durem muito mais
tempo que 10 milissegundos, o equipamento reinicia com
um curto autoteste que dura aproximadamente 4 segundos
– a ventilação prossegue com os mesmos valores que
foram ajustados antes da interrupção da energia.
Se um limite inferior de alarme tiver sido ajustado para o
volume minuto, o alarme MV low (MV baixo) permanece ativo
até que o valor medido ultrapasse o limite inferior de alarme.

Com a unidade de força 12 / 24 V CC (12 / 24 V - Evita 4 CC)


O funcionamento continua sem interrupção, até mesmo
se a força for interrompida por mais de 10 milissegundos.
A capacidade das baterias embutidas na unidade de força CC
pode atravessar uma queda de tensão de pelo menos 10 min..

92
Cuidados
Suprimento e conexões

Suprimento de gás
Os gases comprimidos não devem conter poeira, óleo
ou umidade. A pressão do gás deve ser de 3 a 6 bar.
● Rosqueie as mangueiras de conexão de ar medicinal e
oxigênio no painel traseiro do Evita 2 dura e insira os
conectores nos terminais de parede.

Air O2

Se nenhuma bandeja de instrumentos (opcional)


estiver fixa ao equipamento
2 2
Vede as ranhuras no painel superior com as tampas:
1 Pressione as tampas em forma de cantoneiras nas
ranhuras dianteiras - arredondado voltado para fora. 1 1
2 Pressione as tampas planas nas ranhuras traseiras.

D Evita 2 dura

Não coloque nenhum recipiente líquido (ex.: frasco de


infusão) sobre ou acima do Evita 2 dura.
Qualquer vazamento, derramamento ou infiltração
poderia prejudicar o bom funcionamento do equipamento.

93
Preparo
Evita Remoto

Evita Remoto
Unidade de controle remoto opcional (controle remoto)
O kit só deve ser instalado e programado por
técnicos especializados.
Para operação paralela à distância dos seguintes LED's e
teclas de função:
1 LED vermelho – para indicar mensagens de perigo
2 LED amarelo – para indicar mensagens de precaução e
aviso
3 »g« – para silenciar o toque de alarme por aprox. 1
2 minutos 2
4 »Alarm Reset« – para reconhecer mensagens de alarme 3
5 » Neb.« – para controlar a nebulização de 4
medicamento
6 »O2 suction« – para aspiração bronquial
5
7 »Insp. hold« – para prolongar a inspiração induzida 6
manualmente
7
8 »Exp. hold« – para prolongar a expiração.
8
As funções dos respectivos LED's e teclas é idêntica
àquelas dos elementos correspondentes no painel frontal
do Evita 2 dura e são descritas nos capítulos de aplicação
do Manual de Uso.

Conexão
● Conecte o cabo do controle remoto no terminal » « na
parte traseira do Evita 2 dura. O plugue pode ser
conectado ou desconectado a qualquer momento sem
prejudicar o funcionamento do Evita 2 dura.

94
Preparo
Controle remoto

● Enganche o suporte sobre um trilho padrão e fixe no lugar.


● Encaixe o controle remoto por cima do suporte.

Observações quanto ao autoteste automático


– ao conectar o controle remoto enquanto o Evita 2 dura é
acionado
ou
– ao acionar o Evita 2 dura após conectar o controle
remoto.
● Não pressione nenhuma tecla no controle remoto.
● Todos os LED's do controle remoto se acendem durante 5 s:
– LED vermelho
– LED amarelo
– LED's amarelos nas teclas
● O controle remoto é testado pelo Evita 2 dura. Uma
mensagem de aviso é gerada se uma falha for detec-
tada, veja na página 71 em "Erro - Causa - Solução".

95
Preparo
Chamada de enfermeira

Chamada de enfermeira
(opcional)
Terminal na parte traseira do Evita 2 dura para conectar os
sinais de alarme a uma estação de alarme central no hospital.
5
● O kit só deve ser instalado por técnicos especializados.
● O plugue redondo de 6-pinos DIN (conector fêmea) deve
ser conectado ao cabo da estação de alarme central do 3
hospital por um especialista.

1
A conexão 3-5 se fecha e a chamada de enfermeira é
acionada assim que o Evita 2 dura sinaliza um alarme.

● Insira o conector no terminal » « na parte traseira e


1 5
rosqueie no lugar.
Somente sinais de perigo são transmitidos pela 3
chamada de enfermeira.
As mensagens de perigo são exibidas na linha superior
da tela em vermelho e com três pontos de exclamação,
veja na página 78. Mensagens de precaução e aviso não
são transmitidas. A chamada de enfermeira também é
ativada se o gerador dos toques de alarme original do
equipamento estiver defeituoso ou se o suprimento de
energia do equipamento falhar.

Confira o funcionando correto da chamada de enfermeira


após a conexão.

A conexão de uma chamada de enfermeira não


dispensa o dever de conferir a monitoração na tela do
Evita 2 dura em intervalos regulares.
As exibições na tela devem ser conferidas regularmente.

Dados técnicos
Contato CC
Tensão de entrada Máx. 40 V =
Corrente de entrada Máx. 500 mA
Capacidade de troca Máx. 15 W

96
Cuidados
Antes de utilizar pela primeira vez
Conferência do equipamento

Antes de utilizar pela primeira vez


● Confira se o equipamento está pronto para ser operado,
veja em "Conferência do equipamento", iniciando na
página 97.

Conferência do equipamento

Antes de utilizar no paciente


Imediatamente antes de utilizar no paciente, confira se o aparelho
está funcionando corretamente e está pronto para ser operado.
O Evita 2 dura executa esta "conferência do equipamento"
por meio de uma lista de conferência embutida, que guia o
usuário pelo teste em modo de diálogo.
As seguintes funções são executadas durante esta conferência
do equipamento:
Sistema:
– Válvula expiratória
– Sensor de fluxo
– Nível adequado do umidificador
– Montagem completa das traquéias
Função:
– Válvula de comutação Ar-O2
– Válvula de segurança
– Suprimento de gás
– Alarme auxiliar (ativado se o gerador de alarme falhar)
– Lâmpadas/LED's
Sensores:
– Calibração do sensor de fluxo
– Calibração do sensor de O2
Teste de vazamento:
– Vazamento
– Complacência
– Resistência

Os resultados do teste determinados pela conferência do


equipamento e os valores de calibração do sensor
permanecem na memória, até a próxima calibração,
mesmo que o equipamento seja desligado.

Preparo da conferência do equipamento


● Coloque a peça-Y no suporte do lado direito do
equipamento.

97
Preparo
Conferência do equipamento

Preparo do pulmão de teste adulto 84 03 201


para o sistema adulto de traquéias
O pulmão de teste consiste de um cotovelo conector para
conexão na peça-Y, uma conexão de cateter de 7 mm de
diâmetro para simular a resistência das vias aéreas e um balão
respiratório de 2 litros para simular a complacência.
Balões respiratórios fadigados não devem ser usados,
pois podem causar interferências durante a conferência.
● O cotovelo conector não deve ser fixado na conexão do
paciente da peça-Y até que o Evita 2 dura o solicite.

Preparo do pulmão de teste pediátrico 84 09 742


para o jogo pediátrico de traquéias
O pulmão de teste consiste em um tubo traqueano CH 12
para simular a resistência das vias aéreas e um pequeno
fole para simular a complacência.
● Só insira o cotovelo conector na peça-Y quando o
Evita 2 dura o solicite na tela.

98
Cuidados
Conferência do equipamento

Execução da conferência do equipamento


● Ligue o equipamento = pressione a chave geral no painel
traseiro até que faz encaixe na posição.
O Evita 2 dura executa o procedimento de autoteste.
● Aguarde até que a fase de 10 segundos de teste seja
completada.

Após o autoteste:
1 Acione o modo de espera (standby) do Evita 2 dura =
pressione a tecla » O « por aprox. 3 segundos. D Evita 2 dura

O toque sonoro de alarme auxiliar é soado.


2
2 Desative o toque de alarme auxiliar com a tecla
»Alarm Reset« (apagar alarme).
O toque de alarme auxiliar não pode ser desativado com 1
a tecla »g«.
● Pressione a tecla »Check« (conferir) do menu.

99
Preparo
Conferência do equipamento

Antes de iniciar a conferência, informe o tipo de


umidificador selecionado:
– Umidificador ativo, ex.: Dräger Aquapor
ou
– TCU/Filtro (nariz artificial)
Se o tipo de umidificador é conhecido, o Evita 2 dura
pode considerar a situação da temperatura e umidade ao
medir os parâmetros de volume.
● Toque a tecla »Humid.« (umidificação) da tela.

● Toque a tecla »Active Humid.« (ativar umidific.) da tela


ou
● Toque a tecla »HME/Filter« (TCU/filtro) da tela.
● Confirme a seleção = pressione o botão rotativo.
O tipo de umidificador selecionado é indicado por um
ponto preto na tecla da tela correspondente.
A seleção do umidificador é gravada e permanece efetiva
até mesmo quando o equipamento é reinicializado.
Se o tipo de umidificador for alterado e tiver que ser
selecionado novamente na tela, os seguintes passos do
teste são exibidos como inválidos (– –) após a conferência:
– Umidificação
– Conferência da vedação do ar
O operador é incitado a repetir a conferência do
equipamento para estes dois passos.

Inicie o procedimento de conferência:


● Pressione a tecla »Check« (conferir) na tela.

100
Cuidados
Conferência do equipamento

Inicie a conferência do equipamento:


● Ative a tecla »Start« (iniciar) da tela.

O Evita 2 dura inicia com a conferência orientada por um


diálogo. O procedimento de conferência é semi-automático.
O usuário do Evita 2 dura é instruído a executar certas
ações específicas no equipamento.

Equipamento
Válvula expiratória
1 Inserida e posicionada corretamente?
● Selecione a tecla »Yes« (sim) = gire o botão rotativo.
1
Confirme = pressione o botão rotativo. 2
O funcionando correto da válvula expiratória é conferido
pelo Evita 2 dura.

Sensor de fluxo
2 Instalado corretamente?
● Selecione a tecla »Yes« (sim) = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
0,4m

Nível do umidificador
0,6m
3 Nível suficiente de Aqua dest? 4
Umidificador pronto para ser operado?
0,6m
● Selecione a tecla »Yes« (sim) = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
0,6m 3
0,4m

Direcionamento das traquéias


4 Sistema de traquéias montado corretamente?
● Selecione a tecla »Yes« (sim) = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.
4
0,4m

1,1m
0,6m
0,6m

101
Cuidados
Conferência do equipamento

Válvula de comutação Ar-O2


● Selecione a tecla »Yes« (sim) = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

● Conecte o pulmão de teste adulto na peça-Y.


● Não utilize um balão respiratório fadigado, pois pode
causar interferências durante a conferência do
equipamento.
● Confirme a tecla »Yes« (sim) da tela = pressione o botão
rotativo.
● Retire o conector de O2.
O sistema confere se a válvula de comutação ar/O2 está
funcionando corretamente.

Válvula de segurança
● Insira o conector de O2. Retire o conector de ar
medicinal.
● O equipamento detecta a escassez de ar medicinal.
● Recoloque o conector de ar medicinal.

Suprimento de gás
● O equipamento confere se os conectores ar medicinal e
O2 estão inseridos.

Alarme auxiliar
● O toque de alarme foi soado?
● Selecione a tecla »Yes« (sim) = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

Teste de iluminação
● Todas as lâmpadas/LED's se acenderam?
● Selecione a tecla »Yes« (sim) = gire o botão rotativo.
Confirme = pressione o botão rotativo.

102
Cuidados
Conferência do equipamento

Calibração do sensor de fluxo


Automática

Calibração do sensor de O2
Automatica

Teste de vazamento
● Com a tecla »Check jj« (conferir) do menu, selecione o
menu »Tightness« (vedação).
● Ative a tecla »Start« (iniciar) da tela = pressione o botão
rotativo.

Vazamento
● O equipamento determina o vazamento em L/min com
referência a uma pressão de 60 mbar.

O procedimento de teste »Tightness« (vedação) também


pode ser selecionado separadamente.

029 37 253
No modo de espera (standby):
● Pressione a tecla »Check jj« (conferir) do menu.
● Com a tecla »Check jj« (conferir) do menu, selecione o
menu »Tightness« (vedação).
Uma ação corretiva pode ser tomada com o auxílio da
exibição do vazamento.

Complacência
● O equipamento calcula a complacência do sistema em
mL/mbar.
Os ciclos ventilatórios controlados por volume e os
valores de medição da monitoração de fluxo são corrigidos
automaticamente pela complacência do sistema calculada.
Após alterar o sistema de traquéias:
● Repita o teste de vazamento.

Resistência
● O equipamento calcula a soma da resistência inspiratória
e expiratória em mbar/L/s.

103
Cuidados
Conferência do equipamento

Ao término da conferência do equipamento, uma lista de


conferência é exibida na tela para exibir os resultados do teste.
Resultado correto :✓
Resultado incorreto :F
Conferência não executada :––

No caso de resultados incorretos, por exemplo, se o


sistema de traquéias não está suficientemente vedado:
● Elimine a causa da falha
● Selecione a tecla »Repeat« (repetir) da tela = gire o botão
rotativo.
Ative = pressione o botão rotativo.

029 37 253
Somente os testes com resultados incorretos são repetidos.

Para a utilização imediata (ex.: em uma emergência) a


conferência do equipamento pode ser interrompida:
● Pressione a tecla » O «. O equipamento inicia
imediatamente a ventilação.

104
Cuidados
Conferência do equipamento

Após a conclusão bem sucedida da conferência do


aparelho, o Evita 2 dura está pronto para ser operado.
Opcionalmente:
● Deixe o Evita no modo de espera (standby) e se
necessário pré-selecione o modo ventilatório e os
parâmetros ventilatórios.
ou:
1 Inicie imediatamente o Evita 2 dura, D Evita 2 dura
pressione » O «,

ou ainda:
2 Desligue o Evita 2 dura para uma utilização posterior.
Desative o painel traseiro = gire a cobertura para o lado,
pressione botão até o fim e solte-o.
2

105
Preparo
Conferência do equipamento

Teste de vazamento do sistema de traquéias


O sistema de traquéias é testado para vazamentos
durante a conferência do equipamento, mas também
deve ser monitorado independentemente da conferência
do equipamento, ex.: após alterar o sistema de traquéias.
● Selecione o menu »Leak tightness« (vedação) através do
botão »Check + + « (conferir) do menu.
● Ative a tecla »Start« (iniciar) = pressione o botão rotativo.
Durante o teste, o fluxo de vazamento momentâneo é
continuamente exibido.
Um fluxo de vazamento de até 300 mL/min a uma pressão
de 60 mbar é permitido.
Após o teste de vazamento, o Evita 2 dura determina a
complacência e resistência do sistema de traquéias.
A complacência calculada do sistema de traquéias é usada
pelo Evita 2 dura para corrigir automaticamente os ciclos
ventilatórios controlados por volume e os valores de
medição do sistema de monitoração do fluxo, veja pág. 118.
A resistência do sistema de traquéias calculada é
utilizada pelo Evita 2 dura para corrigir a medição da
pressão na presença de um fluxo de base (opção NeoFlow).
Ao alterar o modo do paciente ou o tipo de umidificador, o
equipamento automaticamente ajusta a complacência e
resistência das traquéias para os valores padrão.
Ao executar o teste de vazamento do sistema, o aparelho
determina a complacência e resistência momentânea.
Portanto:
Ao alterar o modo do paciente, o sistema de traquéias
ou o tipo de umidificador:
● Sempre execute o teste de vazamento!

106
Cuidados
Intervalos de manutenção

Intervalos de manutenção

Limpe e desinfete o equipamento e / ou componentes antes de qualquer procedimento de manutenção


– e antes de retornar o equipamento à fábrica para conserto!

Sensor de O2 Substitua quando a seguinte mensagem for exibida:


O2 measurement inop (medição de O2 inop)
e quando a calibração não for mais possível.
Sensores de O2 gastos podem ser devolvidos a Dräger
Medizintechnik GmbH para eliminação.
Filtro do ar ambiente Limpe ou substitua após 4 semanas – veja na página 108.
Elimine como resíduo doméstico.
Filtro do ar de refrigeração Substitua após 1 ano.
Elimine como resíduo doméstico comum.
Filtros nas entradas de Deve ser substituído por técnicos especializados a cada 2 anos.
gás comprimido
Bateria de lítio para o Deve ser substituída por técnicos especializados a cada 2 anos.
armazenamento de dados Eliminação: veja na página 108.
Relógio de tempo real Deve ser substituído por técnicos especializados a cada 6 anos.
Eliminação: veja na página 108.
Redutor de pressão Deve ser substituído a cada 6 anos pela assistência técnica da Dräger.
Inspeção e assistência A cada 6 meses por técnicos especializados.
técnica do equipamento

Substituição do filtro de ar de refrigeração


– Limpe ou substitua a cada 4 semanas.
Substitua ao mais tardar anualmente.
1 Remova o filtro de ar de refrigeração de sua abertura na
parte traseira do equipamento. 1
● Substitua ou limpe em água morna com detergente;
seque bem.
● Insira o filtro de ar de refrigeração na abertura, tomando
cuidado para não dobra-lo.
● Elimine o filtro de ar de refrigeração gasto como resíduo
doméstico.

107
Cuidados
Intervalos de manutenção

Remoção e reinserção do filtro de ar ambiente


– Limpe ou substitua a cada 4 semanas.
Substitua o filtro anualmente.
1 Gire o terminal para a esquerda.
1 2
2 Solte o parafuso (ex.: com uma moeda) e remova a
cobertura protetora.

3 Remova o filtro de ar ambiente da cobertura protetora.

● Substitua ou limpe em água morna com detergente.


Seque bem.
3 Insira o filtro de ar ambiente novo / limpo por baixo dos
retentores. 3
● Recoloque a cobertura protetora e aperte o parafuso com
uma moeda.
● Elimine o filtro de ar ambiente gasto como resíduo
doméstico.

Eliminação correta de baterias e sensores de O2


Baterias e sensores de O2:
● Não incinere ou atire ao fogo; risco de explosão.
● Não force para abrir; risco de corrosão.
● Não recarregue as baterias.

As baterias devem ser eliminadas como resíduo especial:


● Maiores informações podem ser obtidas através das
autoridades ambientais e de saúde pública locais ou de
companhias aprovadas de eliminação de resíduos.

Os sensores de O2 podem ser devolvidos a


Dräger Medizintechnik GmbH.

Eliminação correta do equipamento


– ao término de sua vida útil
● Após contatar a companhia de eliminação de resíduos
competente, entregue o Evita 2 dura para eliminação
apropriada.
Os regulamentos legais aplicáveis devem ser observados.

108
Descrição
Índice

Descrição

Índice

Modos ventilatórios ..................................................................... 110


Ventilação controlada por volume com PLV ....................................... . 110
Suspiro (PEEP intermitente) .......................................................... . 111
SIMV ........................................................................................ 112
ASB ........................................................................................ . 113
BIPAP ..................................................................................... . 114
BIPAPAssist ................................................................................ 115
MMV ....................................................................................... . 116
Medição do fluxo ......................................................................... 117
Compensação automática de vazamento ........................................... 119
Respiração rasa e rápida RSB ....................................................... . 121
Força inspiratória negativa NIF ........................................................ 121

Concentração insp. de O2 durante a


nebulização de medicamento ....................................................... 122

Bibliografia............................................................................... . 123

109
Descrição
Modos ventilatórios

Modos ventilatórios

Ventilação controlada por volume com PLV

Ciclo ventilatório mandatório com volume constante


Paw
Em ciclos ventilatórios mandatórios, o parâmetro »Flow« Pausa
(fluxo) restringe o fluxo inspiratório. Se o fluxo inspiratório insp.
for tão alto que o volume corrente VT ajustado seja
atingido antes do tempo inspiratório Tinsp ter decorrido Pplat Pmax
completamente, a válvula inspiratória se fecha e o PEEP
suprimento de gás respiratório se encerra. A válvula
expiratória permanece fechada até o término do tempo
t
inspiratório Tinsp. Esta fase, a pausa inspiratória, pode Tinsp Te
ser identificada como o platô Pplat na curva Paw (t).
1
f
Fluxo
Limite de pressão manual com Pmax Fluxo insp.
O Evita 2 dura pode evitar picos de pressão, mesmo
assim mantendo o volume corrente VT ajustado, por meio t
do limite de pressão Pmax. O volume corrente VT
permanece constante, contanto que um platô de pressão
Pplat ainda seja perceptível e a curva de fluxo exiba uma
pausa breve de fluxo zero entre a inspiração e a expiração.
O Evita 2 dura executa esta função reduzindo o fluxo
inspiratório ao atingir o valor ajustado da Pmax. Se o
volume corrente VT não puder ser mais atingido com a
pressão selecionada Pmax, devido a uma complacência
reduzida, o alarme "Volume not constant" (volume
inconstante) é gerado automaticamente.
O limite de pressão manual pode ser utilizado em todos
os modelos de Evita.

110
Descrição
Modos ventilatórios

Suspiro (PEEP intermitente)


O "Suspiro", em forma de PEEP intermitente, pode ser
aplicado em IPPV, IPPV Assist e modos de ILV. Paw
Fase de suspiro
O propósito do suspiro expiratório durante a ventilação é
abrir as áreas colapsadas do pulmão ou manter abertas Pmax
as áreas "lentas" do pulmão. interm.
PEEP
Sendo que os alvéolos com atelectasia exigem uma constante PEEP
de tempo mais longa – também causada pelos bronquíolos t
obstruídos – é necessário manter uma pressão elevada das
vias aéreas por um período mais longo para poder abri-los.
Em muitos casos, a função de suspiro pode ser aplicada
através do aumento do ciclo ventilatório; porém, devido ao
curto tempo disponível, esta forma de suspiro apresenta uma
melhora insignificativa no preenchimento dos alvéolos "lentos".
No Evita 2 dura, o suspiro atua durante a expiração com
uma PEEP intermitente.
A pressão média das vias aéreas é mais alta e normalmente
se dispõe de um tempo de preenchimento mais longo.
Para evitar a superinflação do pulmão, os picos de pressão
durante a fase de suspiro podem ser limitados pelo limite
de pressão Pmax, sem prejudicar a função de suspiro.
Durante a fase de suspiro, o alarme "Volume not constant"
(volume inconstante) é desativado.

111
Descrição
Modos ventilatórios

SIMV
Ventilação mandatória intermitente sincronizada
Combinação da ventilação mandatória com a respiração
espontânea. Paw ventilação respiração ciclo mandatório
mandatória espontânea sincronizado
O SIMV permite que o paciente respire espontaneamente
em intervalos regulares predeterminados, entre os ciclos
ventilatórios mecânicos que asseguram uma ventilação
mínima. PEEP
Esta ventilação mínima é definida pelo ajuste de dois t
valores, o volume corrente (VT) e a freqüência ventilatória (f). Janela de Tinsp tempo de resp. tempo de resp.
sensibilidade espontânea espontânea + T
A ventilação mínima é o produto de VT x f.
tempo IMV ajustado tempo IMV ajustado
O formato da ventilação é definido pelo ajuste dos 1 1
f f
seguintes valores: volume corrente VT, Fluxo insp.,
freqüência f e tempo inspiratório Tinsp.
Para evitar que o ciclo ventilatório mandatório seja aplicado
durante a expiração espontânea, o fluxo de disparo do
aparelho assegura que o ciclo ventilatório só seja ativado
dentro de uma "janela" de sensibilidade e assim esteja
sincronizado com a inspiração espontânea do paciente.
A "janela" de sensibilidade não pode ser superior a 5
segundos no modo adulto e 1,5 segundo no modo
pediátrico. Caso os tempos expiratórios sejam
respectivamente inferiores a 5 segundos ou 1,5 segundo,
a janela de sensibilidade cobrirá todo o tempo expiratório.
Como a sincronização do ciclo ventilatório mandatório
reduz o tempo efetivo do SIMV, o que por conseqüência
normalmente resultaria em um aumento indesejável da
freqüência IMV efetiva, o Evita 2 dura compensa esta
redução do tempo SIMV prolongando a fase de
respiração espontânea subseqüente pela diferença do
tempo T – evitando assim um aumento da freqüência
SIMV. O parâmetro de freqüência f permanece inalterado.
Este parâmetro, em combinação com o volume corrente
VT, define a ventilação mínima. Se o paciente inspirar um
volume inspiratório considerável no início da janela de
sensibilidade, o equipamento reduzirá o ciclo ventilatório
mandatório subseqüente, encurtando o tempo da fase de
fluxo inspiratório e o tempo inspiratório.
Deste modo, o volume corrente VT permanece constante,
evitando o preenchimento exagerado dos pulmões.
Durante as fases respiratórias espontâneas, o paciente
pode ser assistido pela pressão de suporte ASB.
No processo progressivo de desmame do paciente da
ventilação artificial, a freqüência ventilatória f deve ser
cada vez mais reduzida enquanto o tempo respiratório
espontâneo aumentado, até que finalmente o volume
minuto total necessário seja provido integralmente pela
respiração espontânea. A respiração espontânea pode
ser assistida pelo ASB.

112
Descrição
Modos ventilatórios

ASB
Respiração espontânea assistida
Pressão de suporte para respiração espontânea insuficiente.
Paw
A função do equipamento em assistir a respiração espontânea
insuficiente é semelhante àquela que o anestesista aplica Pressão prescrita
Fase ideal das vias aéreas
manualmente ao assistir e monitorar a respiração espontânea I II
do paciente sentindo o balão respiratório.
PASB
O equipamento assume parte da função de inalação, com
o paciente mantendo o controle da respiração
espontânea. CPAP
O sistema CPAP supre o paciente que respira
t
espontaneamente com gás respiratório, até mesmo se o Início da inspiração Término da inspiração
esforço inspiratório for fraco.
A pressão de suporte do sistema ASB é ativada: Fluxo insp.
– quando o fluxo inspiratório espontâneo atinge o valor máx. 4 s para ventilação adulta
ajustado do fluxo de disparo máx. 1,5 s para ventilação pediátrica

– quando o volume inspiratório espontâneo excede


25 mL (12 mL no modo pediátrico).
O equipamento produz então um aumento da pressão até 25 % Fluxo insp. adulto
a pressão ASB pré-selecionada PASB que é ajustável 6 % Fluxo insp. pediátrico
conforme as exigências respiratórias do paciente. t

O tempo para este aumento de pressão (»Ramp«) é


ajustável de 0,05 segundo até 2 segundos.
Com um aumento rápido da pressão
O Evita 2 dura apóia a respiração espontânea insuficiente
do paciente com um fluxo de pico alto.
Com um aumento lento da pressão
O Evita 2 dura inicia suavemente com o fluxo insp. uniforme. O
paciente precisa assumir um maior esforço respiratório, melho-
rando a tonificação dos músculos respiratórios gradualmente.
Com o aumento de pressão ajustado pelo paciente e o
nível ASB predefinido, PASB, a própria atividade
respiratória do paciente define o fluxo inspiratório exigido
que pode atingir 2 L/s em 8 ms.
O ASB é finalizado:
– quando o fluxo inspiratório retorna a zero durante a fase I,
ex.: quando o paciente expira ou luta contra o ventilador,
ou
– quando o fluxo inspiratório na fase II cai abaixo de uma
certa relação do valor máximo previamente fornecido:
25% do fluxo insp. para adultos
25% do fluxo insp. para pediátricos

ou
– ao mais tardar após 4 segundos (1,5 segundo na
ventilação pediátrica), caso os dois critérios anteriores
não tenham sido ativados.
Se este critério de tempo for ativado por três vezes
seguidas, o Evita 2 dura emiti um alarme e adverte de um
possível vazamento no sistema ventilatório.

113
Descrição
Modos ventilatórios

BIPAP Paw Pressão de suporte


Pressão positiva bifásica das vias aéreas tempo de tempo de ASB
elevação rápido elevação lento
O BIPAP é um modo ventilatório com pressão controlada / tempo de elevação tempo de
Pinsp rápido elevação lento
ciclado por tempo, no qual o paciente sempre pode respirar
espontaneamente. O BIPAP é freqüentemente descrito como PEEP
uma alternância controlada por tempo entre dois níveis CPAP*. t
Janela de sensibilidade para
Tinsp
sincronização da insp. e exp.
A alternância da pressão ciclada pelo tempo produz uma
1
ventilação controlada que corresponde à ventilação f
Fluxo
controlada por pressão PCV. Porém, a possibilidade
permanente de respirar espontaneamente permite uma
transição suave entre a respiração controlada e a t
respiração espontânea independente, durante o processo
de desmame, sem requerer qualquer alteração no modo
sem com
ventilatório. Para se adaptar facilmente ao respiração esontânea respiração esontânea
comportamento da respiração espontânea do paciente, a
mudança do nível de pressão expiratória para o nível de
pressão inspiratória, como também a mudança do nível
de pressão inspiratória para o nível de pressão
expiratória, é sincronizada com a respiração espontânea.
A freqüência da alternância é mantida constante, até mesmo
com a sincronização do paciente, ao definir uma janela de
tempo de sensibilidade com um tempo fixo constante.
A "janela de sensibilidade" é de 5 segundos no modo
adulto e 1,5 segundo no modo pediátrico.
Para tempos expiratórios inferiores a 5 segundos ou 1,5
segundo respectivamente, a janela de sensibilidade cobre
todo o tempo expiratório.
Ao nível Pinsp, a "janela de sensibilidade" é ¼ x Tinsp em
segundos.
Esta adaptação suave para a respiração espontânea do
paciente requer menos sedação, de forma que o paciente
retorna à respiração espontânea mais rapidamente.
Como em todos os modos ventilatórios controlados por
pressão, não se impõe ao paciente um volume corrente (VT)
fixo. O volume corrente resulta principalmente da
diferença de pressão entre os ajustes da PEEP e Pinsp.
A exibição do volume corrente medido na expiração, VTe,
é utilizada para fixar a diferença necessária entre os dois
níveis de pressão. Qualquer aumento nesta diferença
causará um ciclo ventilatório de BIPAP mais elevado.
Mudanças na complacência pulmonar e nas vias aéreas,
bem como uma "luta" ativa do paciente, pode conduzir a
alterações no volume corrente. Este é um efeito desejado.
Sabendo que o volume corrente, e conseqüentemente o
volume minuto, não são constantes, o limite de alarme
para o volume minuto deve ser ajustado com cuidado.

_____________
* Bibliografia (1), (2), (3), (4), (5), (6), (7), (8), (9), (10) página 123

114
Descrição
Modos ventilatórios

Utilização do BIPAP
ciclo mandatório respiração ciclo sincronizado
Como no IPPV, o padrão do tempo é definido utilizando Paw BIPAP espontânea BIPAP
os parâmetros básicos de ajuste de freqüência f e tempo
inspiratório Tinsp. O nível inferior de pressão é definido pelo
parâmetro da PEEP, enquanto o nível superior pelo Pinsp.
Ao comutar de uma ventilação com volume controlado
para o modo BIPAP – mantendo o mesmo padrão de PEEP
tempo – só o ajuste do Pinsp deve ser alterado.
t
A inclinação do aumento da pressão é controlada pelo Janela de
Tinsp
sensibilidade tempo de respiração
ajuste »Ramp«. O tempo efetivo para o aumento da espontânea
pressão não deve ser superior ao tempo inspiratório
1
Tinsp ajustado. f

Esta precaução assegura que o nível de pressão superior


Pinsp seja alcançado com segurança durante a
inspiração. A transição entre a ventilação controlada e a
respiração completamente espontânea, durante a fase de
desmame, é alcançada através da redução gradual da
pressão inspiratória Pinsp e / ou da freqüência f.

BIPAPAssist

Pressão positiva bifásica das vias aéreas assistida


Ventilação assistida controlada por pressão
Os ciclos inspiratórios são iguais ao do modo BIPAP,
exceto que a alternância de Pinsp para PEEP não é Paw
tempo de tempo de
sincronizada com a expiração do paciente. elevação rápido elevação lento
A duração da Pinsp depende do Tinsp.
Pinsp
O paciente pode respirar espontaneamente ao longo de
todo processo ventilatório.
PEEP
t
Toda atividade respiratória espontânea do paciente Tinsp Janela de sensibilidade
dispara um ciclo inspiratório sincronizado. para sincronização
1
Um ciclo inspiratório não sincronizado é ativado pelo Fluxo
f
equipamento ao mais tardar até que se expire o tempo
inspiratório definido pelos parâmetros »f« e »Tinsp«.
t
Para todos os pacientes, desde aqueles impossibilitados
de respirar espontaneamente até aqueles que já respiram
espontaneamente antes de serem desmamados do ventilador. sem com
respiração espontânea respiração espontânea

115
Descrição
Modos ventilatórios

MMV
Ventilação mandatória por volume minuto
Ao contrário do SIMV, o modo ventilatório MMV demanda
a respiração mandatória somente se a respiração Paw Pressão de suporte ASB
espontânea for insuficiente e regredir abaixo da Pmax
tempo de tempo de
ventilação mínima pré-selecionada. elevação rápido elevação lento
PEEP
Esta ventilação mínima é controlada pelo ajuste de dois
valores, o volume corrente VT e a freqüência f, resultando t
do produto entre VT x f. Fase de sensibilidade
Tinsp
Diferentemente do SIMV, os ciclos mandatórios não ocorrem 1
regularmente, mas só no caso de uma ventilação insuficiente. Fluxo
f
VT
A freqüência dos ciclos mandatórios é determinada pelo Fluxo insp.
nível de respiração espontânea: Se a respiração espontânea t
for insuficiente, os ciclos mandatórios intermitentes do
volume corrente VT não serão aplicados.
Se não houver nenhuma respiração espontânea, os
ciclos mandatórios serão aplicados na freqüência f
ajustada. MV
O Evita 2 dura monitora continuamente a diferença entre MV MV por
a respiração espontânea e a ventilação mínima ajustada. ajustado MV mandatório respiração
espontânea
t
Assim que a relação se torna negativa, pois a respiração nenhuma início da respiração
respiração respiração espontânea
espontânea não é mais suficiente, o Evita 2 dura aplica
espontânea espontânea suficiente
um ciclo ventilatório mandatório com o volume corrente VT
ajustado, de forma que a relação se torne novamente positiva.
A experiência demonstra que os pacientes respiram muito
irregularmente.
Fases de respiração fraca se alternam com fases de
respiração pesada. Para permitir estas flutuações individuais,
o processo de balanceamento também considera a
extensão pela qual a ventilação mínima ajustada foi excedida.
Esta permissividade positiva é progressivamente reduzida
a zero pelo Evita 2 dura dentro de um período máximo de
7,5 segundos após a apnéia.
Em outras palavras, o tempo de resposta do Evita 2 dura
antes de ativar a ventilação mandatória é adaptado ao ciclo
precedente de respiração espontânea automaticamente:
Se esta respiração espontânea estivesse próxima à
ventilação mínima, o equipamento responderia
rapidamente dentro do tempo de ciclo (1/f). Por outro
lado, se a respiração espontânea do paciente fosse muito
superior à ventilação mínima ajustada, o Evita 2 dura
toleraria uma pausa respiratória mais longa. Em casos
extremos de apnéia súbita após uma fase respiratória
pesada, o tempo de resposta seria de 7,5 segundos mais o
tempo de disparo, com um mínimo de 1 período de ciclo (1/f).

116
Descrição
Modos ventilatórios

Tempos de resposta superiores a 15 segundos só podem ocorrer


caso a ventilação mínima com uma freqüência f de IMV muito
baixa for ajustada para os valores correspondentemente baixos.
Neste caso, o Evita 2 dura ativa um alarme de apnéia que
é novamente cancelado assim que os ciclos ventilatórios
mandatórios forem aplicados. Se o tempo de ciclo for
ajustado para um período superior ao limite de alarme
TApnoea > e se não houver nenhuma respiração
espontânea entre os ciclos ventilatórios mandatórios, o
alarme de apnéia será ativado regularmente.
Examplo: f = 3/min = tempo IMV = 20 segundos
TApnoea > = 15 segundos
Este sistema é projetado para evitar que a ventilação
mandatória seja ativada prematuramente no caso de uma
respiração espontânea irregular, fornecendo ao mesmo tempo
um alarme para qualquer período prolongado de baixa ventilação.

Medição de fluxo
Independente se a ventilação é controlada por volume ou
pressão, pressões positivas são geradas no sistema
respiratório e no pulmão do paciente durante a fase
inspiratória.
Dependendo da relação entre a complacência pulmonar e
a complacência do sistema de traquéias, o volume fornecido
pelo ventilador é distribuído pelo pulmão do paciente e pelo
sistema de traquéias instalado entre o ventilador e o paciente.
As divergências entre o fluxo expiratório medido e os valores
fornecidos, tal como entre o volume minuto e o volume
respiratório, são baixos para pacientes adultos, devido a
sua complacência pulmonar relativamente alta em relação à
complacência muito mais baixa das traquéias ventilatórias.
Porém, uma vez que somente o volume que atinge e é
submetido ao pulmão é relevante à eficiência da ventilação,
e uma vez que diferenças maiores são possíveis durante a
ventilação pediátrica, o Evita 2 dura fornece uma compensação
básica para a complacência das traquéias durante a ventilação.

117
Descrição
Modos ventilatórios

Compensação do efeito da complacência do sistema


de traquéias
Durante a conferência do equipamento antes do início da
ventilação, o Evita 2 dura determina a complacência das
traquéias ventilatórias, e então, durante a ventilação, compensa
o efeito da complacência na medição do fluxo volumétrico.
Dependendo da pressão das vias aéreas, o Evita 2 dura
aumenta o volume corrente pela quantidade que
permanece nas traquéias ventilatórias.
Além da complacência do sistema de traquéias, a
medição de fluxo / volume é influenciada pelos fatores
ambientais de temperatura e umidade, como também por
vazamentos no sistema de traquéias.
O Evita 2 dura considera estes fatores e corrige os
valores dos ajustes e medições adequadamente.

Conversão de acordo com as condições ambientes


O volume ocupado por um gás depende das condições
ambientes de temperatura, pressão e umidade.
Na fisiologia pulmonar, o volume minuto e o volume corrente
são decorrentes das condições ambientes no pulmão:
37 °C temperatura corporal, pressão do pulmão,
100 % umidade relativa.
Os valores de medição de fluxo e volume sob estas
condições são identificados pela sigla BTPS*. Por outro
lado, os gases medicinais de cilindros ou do suprimento
central estão secos (aprox. 0% u.r.) e são fornecidos ao
ventilador a 20 °C. Os valores de medição de fluxo e volume
sob estas condições são identificados pela sigla NTPD**.
A diferença entre os valores de medição sob as
condições NTPD e BTPS é normalmente de aprox. 12 %.
Exemplo: um volume corrente de 500 mL em NTPD
aumenta para 564 mL em BTPS, quando aquecido a 37 °C
e umedecido a 100% u.r..
O Evita 2 dura fornece o volume corrente após a
conversão, de forma que o volume corrente ajustado é
efetivo no pulmão sob as condições de BTPS.

* BTPS = Body Temperature, Pressure, Saturated (temperatura corporal, pressão, saturado).

118
Descrição
Modos ventilatórios

Compensação automática de vazamento


O Evita 2 dura determina a diferença entre o fluxo
fornecido no lado inspiratório e o fluxo medido no lado
expiratório.
Esta diferença determina a medida da quantidade de
vazamento e é exibida pelo Evita 2 dura como o volume
minuto de vazamento MVleak. O Evita 2 dura pode compen-
sar este vazamento na ventilação controlada por volume.
Exemplo:
Volume corrente VT ajustado = 500 mL, 10 % vazamento na traquéia.

Compensação de vazamento desativada


O Evita 2 dura fornece 500 mL. Isto é indicado como o
volume corrente inspiratório VTi. 50 mL escapam por um
vazamento durante a inspiração e 450 mL alcançam o
pulmão. 450 mL são expirados e 45 mL novamente são
perdidos por vazamentos.
Um volume corrente de 405 mL é medido no lado
expiratório e é indicado como VTe.
Com uma freqüência ventilatória de 10 ciclos por minuto,
um volume minuto de 5,0 L/min é fornecido no lado inspira-
tório e um volume minuto de 4,05 L/min é medido no lado
expiratório. O pulmão é ventilado com um MV de 4,5 L/min.
Sem a compensação de vazamento, o VT ajustado
determina o volume fornecido pelo Evita 2 dura.

Compensação de vazamento ativada


Com a compensação automática de vazamento, o Evita 2
dura fornece 550 mL com base no volume minuto de
vazamento medido, ao invés dos 500 mL ajustados.
500 mL entram no pulmão e o volume corrente VT
inspiratório exibido é 500 mL.
O volume de 450 mL medido no lado expiratório é exibido
sem compensação, até mesmo quando a compensação
de vazamento está ativada. O volume minuto medido no
lado expiratório é de 4,5 L/min e também não é
compensado.
Se isto não fosse assim, o alarme para um baixo volume
minuto poderia ser inibido pela compensação expiratória
de vazamento. O Evita 2 dura deve sempre emitir um
alarme se o volume minuto for muito baixo.
Com a compensação de vazamento, o VT ajustado
determina o volume a ser entregue ao paciente.
Este exemplo foi simplificado:
Na verdade, a correção de vazamento calculada leva em
conta as pressões no sistema de traquéias. Um volume
porcentual maior é perdido no lado inspiratório do que no
lado expiratório, pois a pressão durante a inspiração é
mais alta. O volume minuto de vazamento exibido MVleak
se baseia na pressão média Pmean.

* BTPS = Body Temperature, Pressure, Saturated (temperatura corporal, pressão, saturado).


** NTPD = Normal Temperature Pressure Dry (temperatura normal pressão seco).

119
Descrição
Modos ventilatórios

O volume minuto de vazamento MVleak também


considera os vazamentos do lado inspiratório. A soma do
volume minuto MV + o volume minuto de vazamento MVleak
é conseqüentemente superior ao volume minuto
inspiratório que é entregue ao paciente.

A compensação de volume ilimitada é inadequada.


O Evita 2 dura compensa perdas de até 100% do volume
corrente VT ajustado.
Devido a tolerâncias técnicas, um pequeno volume
minuto de vazamento pode ser exibido até mesmo se o
sistema de traquéias estiver completamente vedado.

120
Descrição
Respiração rasa e rápida RSB
Força inspiratória negativa NIF

Respiração rápida e rasa RSB


O índice de respiração rápida e rasa (RSB)* é o
quociente da freqüência respiratória espontânea
(respiração espontânea por minuto) e o volume corrente:
RSB [1/(min x L)] = fspont [1/min]
VT [L]
Quanto mais baixo o índice RSB para um paciente com
respiração espontânea, mais provável é o bom resultado
do desmame. O significado do índice RSB deve-se ao
fato que pacientes com melhores resultados no desmame
tendem a ter uma freqüência respiratória espontânea
mais baixa e um volume corrente mais alto que aqueles
que não estão preparados para o desmame.
Em seu estudo de 1991*, Yang e Tobin mostraram que o
índice RSB é um instrumento efetivo para predizer o
sucesso de uma tentativa de desmame de um paciente.
Pacientes com um índice RSB < 100 1/(min x L) foram
desmamados com uma probabilidade de 80% de sucesso,
enquanto 95% desses com um índice RSB > 100 não
estavam ainda prontos para o desmame.
O Evita 2 dura indica o índice RSB nos modos CPAP/ASB
e PPS.

Força inspiratória negativa NIF


O índice de força inspiratória negativa (NIF)** mede o
esforço inalatório máximo do paciente após a exalação. O
sistema do paciente é fechado durante a medição da NIF.
Este valor também é conhecido como Pressão
inspiratória máxima (MIP). Como resultado do esforço
inalatório durante a expiração manualmente prolongada,
o paciente gera uma pressão negativa em relação à
PEEP. A probabilidade de que o paciente tenha bons
resultados no desmame aumenta de acordo com o
crescimento desta pressão negativa. Pacientes com uma
NIF < -30 mbar podem certamente ter um desmame com
bons resultados, enquanto aqueles com uma NIF de até
-20 mbar provavelmente fracassarão.
O Evita 2 dura determina o valor da NIF durante a
expiração manualmente prolongada. O sistema do
paciente se mantém fechado após a expiração enquanto
a tecla »Exp. hold« estiver pressionada, o Evita 2 dura
então mede o esforço inalatório máximo executado pelo
paciente. A NIF é determinada através da pressão
contrária à PEEP. O procedimento de medição é
finalizado quando a tecla »Exp. hold« é solta ou no
máximo após 15 segundos. O último valor medido da NIF
e o horário da medição são exibidos na tabela 2 da tela.

––––––––––––––––
* Bibliografia (8), página 123
** Bibliografia (9), (10), página 123

121
Descrição
Modos ventilatórios

Concentração inspiratória de O2 durante a


nebulização de medicamento

Concentrção de O2 aplicada FiO2 %Vol.


Utilize somente o nebulizador de medicamento
84 12 935 (peça intermediária branca). 100
90
Se outros nebulizadores de medicamento forem 80
utilizados, divergências consideráveis podem ocorrer 70
no volume corrente e na concentração inspiratória de O2! 60
50
Para minimizar a divergência em relação à concentração 40
de O2 ajustada, o Evita 2 dura gera uma mistura de gás 30
para impulsionar o nebulizador de medicamento. 20
20 30 40 50 60 70 80 90 100
Na ventilação adulta, esta mistura de gás é gerada pela
alternância dos gases comprimidos (ar medicinal e Concentração de O2 ajustada FiO2 %Vol.
oxigênio) em sincronia com a inspiração.
Na ventilação pediátrica, o nebulizador funciona continuamente,
com ar medicinal e o oxigênio se alternando.
O gás que impulsiona o nebulizador de medicamento
corresponde então aproximadamente ao FiO2 ajustado.
O gráfico exibe as possíveis divergências da
concentração de O2 aplicada em função do FiO2
ajustado, a um fluxo inspiratório mínimo (15 L/min) na
ventilação adulta, ou a freqüências ventilatórias acima de
12 bpm na ventilação pediátrica.

122
Descrição
Bibliografia

Bibliografia

(1) Baum, M., Benzer, H., Putensen, Ch., Koller, W.,


Putz, G.:
Biphasic Positive Airway Pressure (BIPAP) – eine
neue Form der augmentierenden Beatmung
Anaesthesist 38 (1989), 452-458
(2) Luger, Th.J., Putensen, Ch., Baum, M., Schreithofer,
D., Morawetz, R.F., Schlager, A.:
Entwöhnung eines Asthmatikers mit Biphasic Positi-
ve Airway Pressure (BIPAP) unter kontinuierlicher
Sufentanil Gabe
Anaesthesist (1990) 39: 557-560
(3) Hensel, I.:
Atemnotsyndrom nach Beinahe-Ertrinken
Rettung durch neuartiges Beatmungsprogramm?
Rettungsdienst 11 (Nov. 1991), 737-739
(4) Meyer, J.:
Neue Beatmungsformen
Anästhesiol. Intensivmed. Notfallmed. Schmerzther.
26 (1991) 337 - 342
(5) Vincent, J.-L.:
Yearbook of Intensive Care and Emergency
Medicine
Springer-Verlag 1993
(6) E. Voigt:
BIPAP Anwendungshinweise und Kasuistik.
Dräger-Mitteilungen "Medizintechnik aktuell" 1/94
(7) E. Bahns:
BIPAP – Zwei Schritte nach vorn in der Beatmung
Dräger Fibel zur Evita Beatmung
(8) Yang, K.L.; Tobin, M.J.:
A Prospective Study of Indexes Prediction the
Qutcome Of Trials of Weaning from Mechanical
Ventilation
The Nes England Journal of Medicine, 1991, 324, S.
1445-1450
(9) Tobin, Jubran, A.:
Advances in Respirators Monitoring During Mecha-
nical Ventilation
CHEST 1999, 116, S. 1416-1425
(10) Tobin, M.J., Charles, G.A.:
Discontinuation of Mechanical Ventilation
in: Tobin, M.J. Principles and Practice of Mechanical
Ventilation, 1994, S. 1177-1206

123
124
O que é o que
Índice

O que é o que

Índice

Unidade de controle .................................................................... . 126


Bloco de conexão dianteiro para ventilação ....................................... . 127
Painel traseiro............................................................................ . 128

Abreviações ............................................................................. . 129


Símbolos ................................................................................. . 132

125
O que é o que

Unidade de controle

1 2 3
4
5
6
26
7
25
8
24
9
23
22
10

MT 50-97
21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11

1 Monitor para exibir as telas de apliacação 13 Tecla para o modo ventilatório BIPAP.
específica.
14 Tecla para o modo ventilatório SIMV.
2 Teclas de menu para exibir as telas de aplicação
15 Tecla para o modo ventilatório IPPV.
específica.
16 Tecla para futuras funções.
3 Teclas de parâmetro com exibições indicando seus
ajustes – para definir os parâmetros ventilatórios. 17 »Values E « tecla para alterar o grupo de
valores exibidos.
4 LED vermelho para indicar mensagens de perigo
18 »Curves « tecla para alterar o par de curvas
5 LED amarelo para indicar mensagens de precaução
exibidas.
e aviso
19 »Freeze « tecla para congelar as curvas.
6 »g « tecla para silenciar o toque de alarme sonoro
por 2 minutos. 20 » « tecla para alterar o brilho da tela entre
claro / escuro.
7 »Alarm Reset« tecla para reconhecer e apagar
mensagens de alarme. 21 »Print « tecla para o registro manual da impressora.
8 » « tecla para solicitar informações e auxílio durante 22 Tecla para futuras funções.
o ajuste.
23 »Exp. hold« tecla para prolongar manualmente a
9 » « tecla ("trava") para proteger os parâmetros fase expiratória.
ventilatórios e o modo ventilatório contra modificações
24 »Insp.hold« tecla para inspiração manual.
não autorizadas.
25 »O2 Suction« tecla para aspiração bronquial
10 »O « tecla ("standby") para comutar entre a ventilação
e o modo de espera. 26 » « tecla de controle do nebulizador de
medicamento.
11 Botão rotativo central "gire e pressione" para selecionar
e confirmar ajustes.
12 »Other Modes« tecla para utilizar outros modos
ventilatórios programados na tela.

126
O que é o que

Bloco de conexão dianteiro para ventilação

1-167-96
1 2 3 4 5 6 7 8

1 Sensor de fluxo
2 Válvula expiratória com terminal expiratório
3 Trava para a válvula expiratória
4 Terminal de suprimento de gás para a nebulização de medicamento
5 Terminal inspiratório
6 Conexões para medição de pressão opcional
(ainda não está em uso)
7 Parafuso de trava para cobertura protetora
(atrás: sensor de O2 filtro de ar ambiente)
8 Suporte de repouso para a peça-Y

127
O que é o que

Painel traseiro

1 2 3 4 5 6

7
16
15

MT-628-2000
14 13 12 11 10 9 8

1 Ventoinha
2 Chave geral com cobertura giratória
3 »COM2«, »COM3« terminais para interfaces RS 232 e
analógicas (opcional)
4 Conexão » « para o controle remoto, opcional
5 Conexão » « para chamada de enfermeira, opcional
6 Filtro de ar de refrigeração
7 Terminal ILV, opcional
8 Conexão para oxigênio
9 Conexão para ar medicinal
10 »Temp m « terminal para sensor de temperatura
11 »CO2 m « terminal para sensor de CO2, opcional
12 »Sync.« terminal para sincronização C-Lock-ECG
para medição opcional de SpO2, opcional
13 »SpO2 m « terminal para medição de SpO2
funcional, opcional
14 »COM1 RS232C« terminal para interface RS 232,
ex.: para impressora
15 Fusíveis da rede elétrica
16 Conector do cabo de força

128
Abreviações

Abreviações

Abreviação Definição

APRV Airway Pressure Release Ventilation (ventilação de alívio da pressão das vias aéreas)
Respiração espontânea a uma pressão positiva contínua das
vias aéreas com um curto período de alívio de pressão
ASB Assisted Spontaneous Breathing (respiração espontânea assistida)
Respiração espontânea com pressão de suporte
BIPAP Biphasic Positive Airway Pressure (pressão positiva bifásica das vias aéreas)
Modo ventilatório para respiração espontânea a uma pressão positiva
contínua das vias aéreas com dois níveis diferentes de pressão
BIPAPAssist Biphasic Positive Airway Pressure Assisted
Modo ventilatório para ventilação assistida com pressão positiva
contínua das vias aéreas com dois níveis diferentes de pressão
Body Wt Peso corporal (kg)
bpm breaths per minute (respirações por minuto)
BTPS Body Temperature, Pressure. Saturated (temperatura corporal, pressão, saturado)
Valores de medição baseados na condição dos pulmões do paciente,
com temperatura corporal a 37 ºC, gás saturado de umidade e
pressão atmosférica
C Complacência
CPAP Continuous Positive Airway Pressure (pressão positiva contínua nas vias aéreas)
Respiração com pressão positiva contínua nas vias aéreas
etCO2 Concentração final expiratória de CO2
FeCO2 Concentração expiratória de CO2
f Freqüência
fApnoea Ajuste da freqüência da ventilação de apnéia
fmand Porção mandatória mecânica da freqüência respiratória
total
fspn Porção respiratória espontânea da freqüência respiratória
total
Fail to cycle Falha no ciclo respiratório. O equipamento não detecta nenhuma inpiração
FiO2 Concentração inspiratória de O2
Flow Valor de ajuste para o fluxo inspiratório máximo
HME Heat Moisture Exchanger
Trocador de calor e umidade
Int. PEEP Intermittent Positive End-Expiratory Pressure (pressão positiva final expiratória intermitente)
= Suspiro
IPPV Intermittent Positive Pressure Ventilation (ventilação de pressão positiva intermitente)
IPPVAssist Ventilação de pressão positiva intermitente assistida
IRV Inversed Ratio Ventilation (ventilação de relação inveritda)
Ventilação com relação inpiratória / expiratória invertida
ISO 5369 Norma internacional para ventiladores mecânicos - "Ventiladores
Pulmonares"

129
Abreviações

Abreviação Definição

I:E Relação entre a inspiração e a expiração


MMV Mandatory Minute Volume Ventilation (ventilação mandatória por volume minuto)
MV Minute Volume (volume minuto)
MVleak Volume minuto de vazamento
MVspn Volume minuto respirado espontaneamente
NIF Negative Inspiratory Force (força inspiratória negativa)
Esforço inalatório máximo
O2 Valor de ajuste para concentração inspiratória de oxigênio [%Vol.]
PASB Valor de ajuste da pressão de suporte ASB
Paw Pressão das vias aéreas
PEEP Positive End-Expiratory Pressure (pressão positiva final expiratória)
PEEPi Intrinsic Positive End-Expiratory Pressure (pressão positiva final expiratória intrínseca)
Phigh Valor de ajuste do nível superior de pressão APRV
Pinsp Valor de ajuste do nível superior de pressão BIPAP
Pmax Valor de ajuste para ventilação limitada por pressão
Pmean Pressão média das vias aéreas
PLV Pressure Limited Ventilation (ventilação limitada por pressão)
Ppeak Pressão de pico
Pplat Pressão final inspiratória das vias aéreas
Ptief Valor de ajuste do nível inferior de pressão BIPAP
R Resistência
Ramp Ajuste da aceleração do aumento de pressão ASB
RSB Rapid Shallow Breathing (respiração rápida e rasa)
Quociente entre da freqüência respiratória espontânea e o volume corrente
SIMV Synchronised Intermittent Mandatory Ventilation (ventilação mandatória intermitente sincronizada)
T Temperatura do gás respiratório inspiratório
TApnoea Tempo para o alarme de apnéia
Te Tempo expiratório
Thigh Tempo para o nível superior de pressão APRV
Tinsp Valor de ajuste do tempo inspiratório
Tlow Tempo para o nível inferior de pressão APRV
* CO2 Produção de CO2 [L/min]
Vds Espaço morto serial

130
Abreviações

Abreviação Definição

VT Ajuste do volume corrente


VTApnoea Ajuste do volume corrente para a ventilação de apnéia
VTASB Volume respiratório inspiratório durante um ciclo ASB
VTe Volume corrente expiratório
VTi Volume corrente inspiratório
Vtrap Volume capturado no pulmão pela PEEP intrínseca
e exalado durante a expiração subseqüente.

131
Símbolos

Símbolos
Símbolo Definição

V Controle do nebulizador de medicamento

”Y
O2
Suction Ativa / desativa a oxigenação para a aspiração bronquial

, Inicia a inspiração manual

”Exp.
hold Prolonga manualmente a fase expiratória

⁄ Controla a função de ajuda


Print
Registro manual da impressora

” Ajuste do brilho da tela claro / escuro

”Freeze
"Congela" as curvas na tela


Values
1
2
2
Seleciona outra combinação de valores de medição


Curves
Seleciona outra(s) curva(s)

G Silencia o alarme sonoro por 2 minutos

”Alarm
Reset Reconhece e apaga os alarmes

” Protege os parâmetros e modos ventilatórios

E Modo de espera / modo operacional

_ Limite inferior e superior de alarme

Siga o Manaul de Uso!

m Classe de proteção Tipo B

m Classe de proteção Tipo BF

Insira o sensor de fluxo

Para destravar o sensor de fluxo

Controle remoto do Evita

Chamada de enfermeira

132
Dados técnicos
Índice

Dados técnicos

Índice

Condições ambientais ................................................................. . 134


Ajustes ..................................................................................... 134
Dados de performance................................................................. . 135
Exibições do valor de medição ........................................................ 136
Monitoração .............................................................................. . 137
Dados operacionais .................................................................... . 138

133
Dados técnicos

Dados técnicos

Condições ambientais
Durante o funcionamento
Temperatura 10 a 40 °C
Pressão atmosférica 700 a 1060 hPa
Umidade rel. 0 a 90 %
Durante o armazenamento
Temperatura –20 a 60 °C
Pressão atmosférica 500 a 1060 hPa
Umidade rel. 0 a 100 %

Ajustes
Modos ventilatórios IPPV / IPPV Assist,
SIMV, SIMV / ASB
MMV, MMV / ASB
BIPAP / ASB
BIPAPAssist
CPAP / ASB
Freqüência ventilatória f 0 a 100/min
Tempo inspiratório Tinsp 0,1 a 10 s
Volume corrente VT
Pediátrico 0,02 a 0,3 L; BTPS*
Precisão ±10 % do valor de ajuste, ou ±10 mL,
dependendo de qual for maior.
Adulto 0,1 a 2,0 L; BTPS*
Precisão ±10 % do valor ajustado, ou ±25 mL,
dependendo de qual for maior.
Fluxo inspiratório
Pediátrico 6 a 30 L/min
Adulto 6 a 120 L/min
Pressão ispiratória Pinsp 0 a 80 mbar
Limite de pressão inspiratória Pmax 0 a 100 mbar
Concentração de O2 21 a 100 %Vol.
Precisão ±5 % do valor de ajuste, ou ±2 %Vol.,
dependendo de qual for maior.

––––––––––
* BTPS = Body Temperatur, Pressure, Saturated (temperatura corporal, pressão, saturado)
Valores de medição com referência às condições do pulmão do paciente,
Temperatura corporal 37 °C, umidade saturada, pressão ambiente.

134
Dados técnicos

Pressão positiva final expiratória PEEP ou


PEEP interm. 0 a 35 mbar
Sensibilidade do disparo 0,3 a 15 L/min
Pressão de suporte PASB 0 a 80 mbar
Tempo de elevação da pressão de suporte 0a2s
(Ramp)
I:E 1:9,5 a 4:1
(só pode ser configurado nos ajustes padrão)

Dados de performance
Princípio de controle Ciclado por tempo, volume constante, controlado por pressão
Freqüência da PEEP intermitente 2 ciclos a cada 3 minutos
Nebulização de medicamento por 30 minutos
Aspiração bronquial
detecção de desconexão automática
detecção de reconexão automática
oxigenação máx. 3 minutos
fase ativa de aspiração máx. 2 minutos
oxigenação final 2 minutos
Tempo de resposta da válvula T0...90 ≤5 ms
Sistema de suprimento para respiração espontânea
e ASB sistema CPAP adaptável com alto fluxo inicial
taxa de fluxo máx. 2 L/s em 8 ms
fluxo inspiratório máx. 180 L/min
Complacência do equipamento
(com umidificador, Aquapor e sistemas adulto
de traquéias) ≤2 mL/mbar
Resistência inspiratória ≤2,3 mbar/L/s
Resistência expiratória ≤3,8 mbar/L/s
Complacência do equipamento
(com o umidificador Fisher & Paykel MR 730 e
sistema K de traquéias para uso pediátrico) ≤1 mL/mbar
Resistência inspiratória ≤4,1 mbar/L/s
Resistência expiratória ≤4,1 mbar/L/s
Funções adcionais:
Válvula de alívio inspiratória Abre se o suprimento de ar medicinal falhar (pressão <1,2 bar),
permite a respiração espontânea com ar ambiente filtrado.
Válvula de segurança Abre o sistema respiratório a 100 mbar.

135
Dados técnicos

Exibições dos valores de medição


Medição da pressão das vias aéreas
Pressão máx. das vias aéreas Ppeak
Pressão de platô Pplat
Pressão pos. final exp. PEEP
Pressão média das vias aéreas Pmean
Pressão mínima das vias aéreas Pmin
Faixa 0 a 99 mbar
Resolução 1 mbar
Precisão ±2 mbar
Medição de O2 no fluxo principal (lado inspiratório)
Concentração de O2 inspiratória FiO2
Faixa 15 a 100 Vol.%
Resolução 1 Vol.%
Precisão ±3 Vol.%

Medição de fluxo
Volume minuto MV
Volume minuto respirado espontaneamente MVspon
Faixa 0 a 99 L/min, BTPS*
Resolução 0,1 L/min
Precisão ±8 % do valor medido
T0...90 aprox. 35 s
Volume corrente VTe
Volume corrente espontaneamente respirado VTspon
Faixa 0 a 3999 mL, BTPS*
Resolução 1 mL
Precisão ±8 % do valor medido
Volume tidal VTASB
Volume corrente inspiratório durante um ciclo ASB
Faixa 0 a 3999 mL, BTPS1)
Resolução 1 mL
Precisão ±8 % do valor medido

Medição de freqüência
Freqüência respiratória f
Freqüência respiratória espontânea fspon
Faixa 0 a 150 /min
Resolução 1 /min
Precisão ±1 /min
T0...90 aprox. 35 s

Medição da temperatura do gás respiratório


Faixa 18 a 51 °C
Resolução 1 °C
Precisão ±1 °C

––––––––––
* BTPS = Body Temperatur, Pressure, Saturated (temperatura corporal, pressão, saturado)
Valores de medição com referência às condições do pulmão do paciente,
Temperatura corporal 37 °C, umidade saturada, pressão ambiente.

136
Dados técnicos

Exibições dos valores computados


Complacência C
Faixa 0 a 999,0 mL/mbar
Resolução
Faixa 0 a 99,9 mL/mbar 0,1 mL/mbar
Faixa 100 a 999 mL/mbar 1 mL/mbar
Precisão ±10 % do valor medido
Resistência R
Faixa 0 a 999,0 mbar/L/s
Resolução
Faixa 0 a 99,9 mL/mbar 0,1 mbar/L/s
Faixa 100 a 999 mL/mbar 1 mbar/L/s
Precisão ±10 % do valor medido
Volume minuto de vazamento MVleak
Faixa 0 a 99 L/min, BTPS
Resolução 0,1 L/min ou para valores inferiores a 0,1 L/min: 0,01 L/min
Precisão ±18 % do valor medido
T 0...90 aprox. 35 s

Exibições das curvas


Pressão das vias aéreas Paw (t) –10 a 100 mbar
Fluxo Flow (t) –150 a 180 L/min
Volume V (t) 0 a 2000 mL

Respiração rápida e rasa RSB


Faixa 0 a 9999 1/(min x L)
Resolução 1/(min x L)
Precisão veja a medição de VT e f
Força inspiratória negativa NIF
Faixa –45 a 0 mbar
Resolução 1 mbar
Precisão ±2 mbar

Monitoração
Volume minuto expiratório MV
Limite superior de alarme é gerado quando o MV excede o limite superior de alarme.
Faixa de ajuste 41 a 0,5 L/min em passos de 0,1 L/min
Limite inferior de alarme é gerado quando o MV cai abaixo do limite inferior de alarme.
Faixa de ajuste 0,1 a 40 L/min em passos de 0,1 L/min

Pressão das vias aéreas Paw


Limite superior de alarme é gerado quando o valor "Paw alto" é excedido.
Faixa de ajuste 10 a 100 mbar
Limite inferior de alarme é gerado quando o valor "PEEP +5 mbar" (somado ao valor da PEEP
ajustada) não é excedida por pelo menos 96 ms em 2 ciclos
ventilatórios sucessivos.

137
Dados técnicos

Concentração de O2 insp. FiO2


Limite superior de alarme é gerado se o FiO2 exceder o limite superior de alarme por pelo menos 20 segundos.
Limite inferior de alarme é gerado se o FiO2 cair abaixo do limite inferior de alarme por pelo menos 20 segundos.
Faixa os limites de alarme são automaticamente definidos a partir do valor ajustado:
inferior a 60 %Vol.: ±4 %Vol.
60 %Vol. e acima: ±6 %Vol.

Temperatura do gás respiratório insp.


Limite superior de alarme é gerado quando a temperatura atinge 40 °C
(O Evita 2 dura também pode ser utilizado sem o sensor de temperatura
se o sensor não estiver conectado na inicialização do equipamento.)

Monitoração de taquipnéia
Alarma quando a freqüência respiratória inspiratória é excedida durante
a respiração espontânea.
Faixa de ajuste 5 a 120/min

Monitoração do volume
Limite inferior de alarme se o volume corrente VT ajustado (unido ao valor de ajuste VT)
não tiver sido fornecido.
Limite superior de alarme se o volume corrente aplicado excede o valor do limite de alarme,
a inspiração é interrompida e a válvula expiratória é aberta.
Faixa de ajuste 0,021 a 4,0 L

Tempo do alarme de apnéia


Alarma se nenhuma atividade respiratória for detectada.
Faixa de ajuste 5 a 60 s, ajustável em passos de 1 segundo.

Dados operacionais
Conexão de energia elétrica 100 V a 240 V
50 / 60 Hz
Entrada de corrente
a 230 V máx. 1,3 A
a100 V máx. 3,2 A
Consumo de energia normalmente aprox. 125 W
Fusíveis do equipamento
faixa 100 V a 240 V F 5 H 250 V IEC 127-2 (2x)

138
Dados técnicos

Classe de proteção
Equipamento Classe I
Sensor de CO2 (sensor conectado) Tipo BF m
Sensor de temperatura AWT 01 Tipo BF m
(sensor conectado)
Suprimento de gás
Manômetro de O2 3 bar –10 % a 6 bar
Rosca de conexão de O2 M 12 x 1, fêmea
Manômetro de ar 3 bar –10 % a 6 bar
Rosca de conexão de ar M 20 x 1,5; macho
Os gases devem estar isentos de óleo, umidade e partículas.
Consumo de gás do sistema de controle Ar medicinal ou O2 aprox. 3.5 L/min
Saída para o nebulizador pneumático Rosca de conexão de O2, máx. 2 bar, máx. 10 L/min
de medicamento

Comutação automática de gás se um dos gases falhar (pressão de entrada < 1,5 bar),
o equipamento comuta para outro gás.
Nível de ruído da pressão máx. 47 dB (A)
(medição sobre campo aberto e
uma superfície refletora)
Dimensões (L x A x P)
Equipamento básico 530 x 290 x 450 mm
Equipamento com carrinho 580 x 1335 x 660 mm
Peso
Equipamento básico aprox. 27 kg
Equipamento básico com carrinho
incl. gabinete 8H aprox. 69 kg

Saídas do equipamento
Saída digital Saída e recepção via interface RS 232 C
COM 1 Protocolo LUST
Veloc. de transmissão: 1200, 2400, 4800, 9600, 19200 baud
Bits de dados: 7
Paridade: par
Bits de parada: 1
Protocolo MEDIBUS
Veloc. de transmissão: 1200, 2400, 4800, 9600, 19200 baud
Bits de dados: 8
Paridade: par, ímpar, nenhuma
Bits de parada: 1 ou 2
(19200 baud são exigidos para transmissões de dados de alta
velocidaade, ex.: para curva de fluxo)
Protocolo da impressora HP Deskjet, series 500
Veloc. de transmissão: 1200, 2400, 9600, 19200 baud
Bits de dados: 8
Paridade: nenhuma
Bits de parada: 1

139
Dados técnicos

Comprimento do cabo Até 15 m


Impedância 3000 a 7000 ohm
Nível do sinal
(a uma impedância de 3000 a 7000 ohm)
Baixo Entre 3 e 15 V
Alto Entre –3 e –15 V
Isolamento elétrico O terminal COM 1 é eletricamente isolado da eletrônica do equipamento.
A tensão de teste para o isolamento elétrico é igual a 1500 V.
Identificação dos pinos Pino 2 RxD
Pino 3 TxD
Pino 5 GND
Corpo do conector Corpo do equipamento
Saída digital Saída para um ventilador pulmonar independente (ILV)
Saída digital (opcional) para saída e recepção via
duas interfaces RS 232 C
Saída digital (opcional) para saída e recepção via interface CAN
Saída analógica (opcional) para saída e recepção via interface CAN

Compatibilidade eletromagnética (EMC) Testado de acordo com a EN 60601-1-2


(conforma a Diretiva Européia 89/336/EEC)

Classificação II b
segundo a Diretiva EC 93/42/EEC
Anexo IX

Código UMDNS 17-429


Universal Medical Device
Nomenclature System –
Nomenclatura para produtos médicos

Materiais usados

Peça Aparência Material


Traquéia ventilatória leitoso, transparente borracha de silicone
Drenos de água amarelo, transparente polisulfone
Peça-Y amarelo, transparente polisulfone
com
conexão para medição de temperatura leitoso, transparente borracha de silicone
Corpo da válvula branco poliamida
expiratória, fechamento
Diafragma esbranquiçado e cinza borracha de silicone e alumínio
Cuvete de O2 amarelo, transparente polisulfone com janelas de vidro
Sensor de temperatura / cabo leitoso / verde ou azul borracha de silicone
Sensor de CO2 / cabo cinza / cinza poliuretano

140
Lista de peças / Lista de pedidos
Índice

Lista de peças / Lista de pedidos

Índice

Lista de peças ............................................................................................................ 142


Para ventilação adulta .............................................................................................. 142
Para ventilação pediátrica .........................................................................................143

Lista de pedido ........................................................................................................... 144


Índex ............................................................................................................................. 146

141
Lista de peças

Para ventilação adulta

N° item Nome/Descrição N° de pedido N° item Nome/Descrição N° de pedido


1 Evita 2 dura 84 11 800 13-13.1 Dreno de água 84 04 985
2 Bandeja de instrumentos 84 11 621 13.1 Contentor de água 84 03 976
3 Sensor de fluxo (5 unids.) 84 03 735 14 Traquéia espiral, adulta, silic. 0,35 m 21 65 619
4 Válvula expiratória (válvula expiratória) 84 10 580 15 Conector M 25 647
5 Brida (para Aquapor) 84 11 956 16 Cotovelo conector ISO M 25 649
6 Sensor de O2 68 50 645 17 Peça-Y, lisa 84 05 435
7 Filtro de ar ambiente 84 12 384 18 Conector cateter, liso,
7a Filtro de ar de refrigeração 84 12 384 tamanho 12,5 (10 unids.) M 23 841
(traseira do Evita 2 dura, sem ilust.) 19 Grampo de traquéia 84 03 566
8 Carrinho "EvitaMobil" (alto) 84 11 950 20 Traquéia corrugada 0,32 m 84 02 041
8a Carrinho "EvitaMobil" (baixo) 84 11 965 21 Conector cateter, adulto
8b Gabinete 8H, 360 mm de altura Jogo de conectores cateter, adulto 84 03 685
(4 gavetas) M 31 796 Tamanhos 6 a 12 (12 unids.)
8c Gabinete 4H (2 gavetas) (sem ilust.) M 31 795 22 Adaptador, adulto 84 03 076
8d Jogo de suporte de cilindro 23 Capa (5 unids.) 84 02 918
"EvitaMobil" (sem ilust.) 423a
11 970 Pulmão de teste adulto (balão) 84 03 201
8e Compressor de ar resp. (sem ilust.) 84 13 890 24-24b Braço articulado 84 09 609
10 Aquapor (220 – 240 V) 84 05 020 ou Braço articulado de rápida fixação 2 2M 85 706
Aquapor (110 V) 84 05 199 24a Brida 84 09 746
10.1 Peça do paciente, Aquapor 84 05 029 24b Grampo de traquéia 84 09 841
10.2 Jogo de bridas reservas 84 03 345 25-27 Opção CapnoPlus 84 13 780
11 Sensor de temperatura 84 05 371 25 Sensor de fluxo principal de CO2 68 70 300
12-23 Jogo de traquéias, adulto (term. azul) 84 12 092 26 Cuvete, adulto 68 70 279
12 Traquéia espiral, adulta, silicone 0,6 m 21 65 627 27 Suporte para sensor de CO2 84 12 840
28 Jogo de suporte do MU pequeno 84 11 615
29 Pino de repouso da peça-Y 84 11 784

142
Lista de peças

Para ventilação pediátrica

N° item Nome/Descrição N° de pedido N° item Nome/Descrição N° de pedido


1 Evita 2 dura 84 11 800 31 Cabo guia 1,5 m
2 Bandeja de instrumentos 84 11 621 (sem ilustr.) 23 47 013
3 Sensor de fluxo (5 unids.) 84 03 735 32-43 Jogo de traquéias, pediátricas
4 Válvula expiratória (válvula expiratória) 84 10 580 (Fisher & Paykel) 84 12 081
5 Brida (para Aquapor) 84 11 956 32-32a Dreno de condensação, expiração 84 09 627
6 Sensor de O2 68 50 645 32 Contentor de água 84 03 976
7 Filtro de ar ambiente 84 12 384 33 Conector cônico duplo 84 09 897
7a Filtro de ar de refrigeração 84 12 384 34 Suporte do sensor de temperatura 84 11 044
(traseira do Evita 2 dura, sem ilust.) 35 Adaptador 90° 84 03 075
8 Carrinho "EvitaMobil" (alto) 84 11 950 36 Capa 5x 84 01 645
8a Carrinho "EvitaMobil" (baixo) 84 11 965 37 Fole, pediátrico, completo 84 09 742
8b Gabinete 8H, 360 mm de altura 38 Traquéia corrugada, flex, 0,7 m 84 09 634
(4 gavetas) M 31 796 39 Conector cateter, tamanho 11 M 19 351
8c Gabinete 4H (2 gavetas) (sem ilust.) M 31 795 40 Traquéia espiral, pediátrica,
8d Jogo de suporte de cilindro silicone 22/10; 0,40 m 21 65 856
"EvitaMobil" (sem ilust.) 441
11 970 Traquéia espiral, pediátrica,
8e Compressor de ar resp. (sem ilust.) 84 13 890 silicone 22/10; 1,10 m 21 65 651
24-24b Braço articulado 84 09 609 42 Traquéia espiral, pediátrica,
ou Braço articulado de rápida fixação 2 2M 85 706 silicone 22/10; 0,60 m 21 65 821
24a Brida 84 09 746 43 Traquéia espiral, pediátrica,
24b Grampo de traquéia 84 09 841 silicone 10/10; 0,60 m 21 65 848
26-28 Umidificador, unidade básica MR 730 44 Aquecedor de traquéia 1,10 m 23 47 020
(Fisher & Paykel) 23 47 000 45 Filtro bacteriano 84 09 716
26 Adaptador do aquecedor de traquéia 84 11 097
46-48 Opção CapnoPlus 84 13 780
27 Jogo de montagem (grampo de trilho) 23 47 010 46 Sensor de fluxo principal de CO2 68 70 300
28 Sensor de temperatura duplo 23 47 007 47 Cuvete, pediátrico 68 70 280
29-30 Reservatório do umidificador MR 340 23 47 002 48 Suporte para sensor de CO2 84 12 840
30 Papel filtro (200 unids., sem ilustr.) 23 47 004 49 Jogo de suporte do MU 84 11 615
50 Suporte de repouso da peça-Y 84 11 784

143
Lista de pedido

Lista de pedido
Nome/Descrição N° de pedido Nome/Descrição N° de pedido
Unidade básica
Evita 2 dura 84 11 800 Jogo de traquéia, pediátrico (Fisher & Paykel) 84 12 081
consiste de:
aquecedor de traquéia 84 11 045,
Acessórios necessários para o funcionamento
traquéias do paciente, drenos de água,
Braço articulado 84 09 609 peça-Y, conectores cateter,
ou
Filtro bacteriano 84 09 716
Braço articulado de rápida fixação 2 2M 85 706
Mangueira de conexão de O2 3 m,
cor neutra1) M 34 402 Acessórios especiais
ou
Bandeja de instrumentos 84 11 621
Mangueira de conexão de O2 5 m,
cor neutra1) M 34 404 Suporte para o manual de referência rápida
(Manual de Uso, versão minimizada) 84 11 615
Mangueira de conexão de ar medicinal 3 m,
Brida de parede, modulo 2000 Tipo 13 84 08 613
cor neutra1) M 34 408
alternativa ao carrinho
ou
Mangueira de conexão de ar medicinal 5 m, Nebulizador pneumático de medicamento 84 12 935
cor neutra1) M 34 409
Carrinho EvitaMobil 84 11 950 Para ventilação manual:
Resutator 2000 21 20 046
Resutator 2000, pediátrico 21 20 984
Para ventilação adulta Baby-Resutator 21 20 941
Gancho para Resutator M 26 349
Sensor de temperatura 84 05 371
Pulmão de teste adulto, 84 03 201
Umidificador Aquapor 84 05 020
consiste de:
Jogo de bridas reserva 84 03 345 Cotovelo para máscara M 25 649
Conector cateter ISO tamanho 7 M 25 591
Jogo de traquéias, adulto 84 12 092
Balão respiratório, 2 L 21 65 694
consiste de: traquéias do paciente, drenos
de água, Peça-Y, conectores cateter Para o carrinho:
Unidade de gabinete 8H, 360 mm de altura M 31 796
Para suprir o Evita 2 dura com ar medicinal:
Para ventilação pediátrica
Compressor de ar respiratório 84 13 890
Umidificador, unidade básica, MR 730 MR 730 Opção padrão 84 13 939
(Fisher & Paykel), Transformador de tensão especial 84 13 936
incl. adaptador, aquecedor de traquéia
Cabo MEDIBUS 83 06 488
Jogo de montagem (bridas de trilho) 23 47 010
Cabo da impressora 83 06 489
Reservatório do umidificador, MR 340 23 47 002
Sensor de temperatura duplo 23 47 007
Opcionais
Cabo guia; 1,5 m 23 47 013
Ventilation Plus 84 13 540
Monitoring Plus 84 13 545
1) As seguintes traquéias, que não estão mais incluidas na faixa
padrão fornecida pela Dräger Medizintechnik GmbH Service Plus 84 13 550
desde 13.06.98, também podem ser utilizadas:
Mangueira de conexão de O2 3 m, azul M 29 231 Evita 2 dura Link 84 11 735
Mangueira de conexão de O2 5 m, azul M 29 251
Evita 2 dura Sat 84 13 035
Mangueira de conexão de ar medicinal 3 m, amarelo M 29 239
Mangueira de conexão de ar medicinal 5 m, amarelo M 29 259 Evita 4 DC 84 13 034

144
Lista de pedido

Nome/Descrição N° de pedido Nome/Descrição N° de pedido


CapnoPlus 84 13 780 Para ventilação adulta:
Sensor de temperatura 84 05 371
Acessórios para o Evita 2 dura CapnoPlus:
Jogo de reposição para tampa do Aquapor 84 06 135
Cuvete adulto 68 70 279
Recipiente do Aquapor 84 04 739
Cuvete pediátrico 68 70 280
Flutuador do Aquapor 84 04 738
Sensor de fluxo principal de CO2 68 70 300
Traquéia espiral, adulta, silicone 0,6 m 21 65 627
Brida para o repouso do sensor de CO2 84 12 840
Traquéia espiral, adulta, silicone 0,35 m 21 65 619
Jogo de modificação - Vent. por máscara (NIV) 84 14 474 Dreno de água 84 04 985
Contentor de água 84 03 976
Jogo de modificação - Chamada de enfermeira 84 14 476
Grampo de traquéia 84 03 566
Plugue conector da chamada de enfermeira 18 46 248
Conector M 25 647
Jogo de modificação – EvitaRemote 84 14 472 Peça-Y 84 05 435
Conector cateter, liso,
Jogo de atualização –
tamanho 12,5 (10 unids.) M 23 841
Software 4.0 Evita 2 dura 84 14 468
Traquéia corrugada 84 02 041
Jogo de atualização – Adaptador, adulto 84 03 076
Software 4.0 plus Evita 4 84 14 469 Jogo de conectores cateter, adulto 84 03 685
Jogo de tampas (5 unids.) 84 02 918
Jogo de modificação – 2º sensor de pressão 84 14 479
Cotovelo conector ISO M 25 649

Para medição de CO2 (opcional) Para ventilação pediátrica:


Fitro de teste 68 70 281 Traquéia espiral, pediátrica,
silicone, 22/10; 1,10 m 21 65 651
Jogo de calibração 84 12 710
Traquéia espiral, pediátrica,
Cilindro de gás de teste
silicone, 22/10; 0,60 m 21 65 821
5 %Vol. CO2, 95 %Vol. N2 68 50 435
Traquéia espiral, pediátrica,
silicone, 10/10; 0,60 m 21 65 848
Jogo reserva para esterilização
Traquéia espiral, pediátrica,
Válvula expiratória (válvula expiratória) 84 10 580
silicone, 22/10; 0,40 m 21 65 856
Para ventilação adulta:
Traquéia corrugada flex 2 x 7 cm 84 09 634
Jogo de traquéias, adulto 84 12 092
Conectores cateter, tamanho 11 (10 unids.) M 19 351
Peça do paciente do Aquapor 84 05 029
Tampa 84 01 645
Sensor de temperatura 84 05 371
Adaptador, pediátrico, 90° 84 03 075
Nebulizador de medicamento pneumático 84 12 935
Conector cônico duplo 84 09 897
Cuvete, adulto 68 70 279
Suporte do sensor de temperatura 84 11 044
Para ventilação pediátrica: Dreno de condensação, expiração 84 09 627
Jogo de traquéias, pediátrica (Fisher & Paykel) 84 12 081 Contentor de água 84 03 976
Reservatório do umidificador MR 340 MR 340 Aquecedor de traquéia 1,10 m 23 47 020
incl. papel filtro para o reservatório do Sensor de temperatura 23 47 007
umidificador (100 unids.) Adaptador para o aquecedor de traquéia 84 11 097
Cuvete, pediátrico 68 70 129 Cabo guia, 1,5 m 23 47 013
Reservatório do umidificador, MR 340, 23 47 002
Peças de reposição
incl. papel filtro (100 unids.)
Para o Evita 2 dura:
Papel filtro para o reservatório do
Cápsula do sensor de O2 68 50 645
umidificador (100 unids.) 23 47 004
Sensor de fluxo (5 unids.) 84 03 735
Filtro bacteriano 84 09 716
Bateria de lítio para armazenamento de dados 18 35 343
Para o braço articulado:
Suporte 84 09 746
Grampo de traquéia 84 09 841 Documentação técnica disponível sob pedido.

145
Índex

Índex

Abreviações .................................................... 129 Elementos operacionais


Acessórios ......................................................... 9 para ventilação ............................................... 14
Ajuste do alarme de taquipnéia .............................. 37 para tela ....................................................... 15
Ajustes ............................................................ 18 Eliminação ...................................................... 108
Ajustes de inicialização ........................................ 62 Erro - Causa - Solução ......................................... 71
Alarme ........................................................ 38, 71 Esterilização ...................................................... 83
Alarme central ................................................... 96 Evita Remote ..................................................... 94
Alarme de freqüência .......................................... 37 Expiração manual ............................................... 43
Alarmes ................................................. 18, 38, 71
Aquapor ........................................................... 89
Filtro (ar ambiente / válvula de emergência) ............. 108
Filtro (ar de refrigeração) ........................ ............ 107
Armazenamento de ajustes ................................... 26 Filtro (sistema de traquéias) ................................... 52
ASB .............................................................. 113 Filtro bacteriano ................................................. 88
Aspiração bronquial ............................................ 47 Filtro de ar ambiente .......................................... 108
Filtro de ar de refrigeração, substituição / eliminação . 107
Bateria de lítio ................................................. 107 Filtro microbiano ................................................ 46
Baterias ......................................................... 108 Fontes externas de fluxo ................................ ....... 52
BIPAP/ASB ............................................... 31, 114 Força inspiratória negativa máxima ............ ............ 121
BIPAPAssist ............................................... 32, 115 Funcionamento .................................................. 47

Cabo de força ................................................... 92 Glossário / abreviações ..................................... 129


Calibração ........................................................ 50
Calibração / configuração .................................... 19 Hora ............................................................... 57
Chamada de enfermeira ....................................... 96
Chave geral ...................................................... 16 Idioma ............................................................. 57
Informações ...................................................... 39
Código UMDNS ............................................... 140
Inicialização ...................................................... 22
Compensação, sistema de traquéias C ............ 106, 118 Inovações desde a última versão de SW ..................... 3
Compensação, vazamento ............................. 66, 119 Inspiração manual ............................................... 43
Complacência ........................................... 103, 118 Insuflação de gás traqueano .. ................................ 52
Conceito de operação ......................................... 13 Interface ........................................................... 58
Concentração insp. de O2 durante a nebulização ...... 122 Interface externa ................................................. 58
Conferência do equipamento ................................ 97 IPPV................................................................ 27
Conferência do equipamento antes da utilização ........ 47
Configuração .................................................... 55 Limites de alarme
Contraste ......................................................... 56 ajustes de fábrica ......................... .................. 37
Controle remoto ................................................. 94 Limpeza ........................................................... 83
CPAP/ASB ...................................................... 33 Lista de cuidados ......................... ...................... 85
Curvas ............................................................. 40 Lista de peças .................................................. 142
Lista de pedido ................................................ 146
Dados técnicos................................................ 133
Data................................................................ 57
Descrição ....................................................... 109
Desinfecção...................................................... 83
Desmontagem ................................................... 80
Disparo............................................................ 27

146
Índex

Manutenção ............................................... 10, 107 Sensibilidade de fluxo ....................................... 112


Medição de fluxo ................................................ 99 Sensor de fluxo
Mensagens de aviso ............................................ 71 calibração .................................................... 51
MMV ........................................................ 34, 116 utilização ..................................................... 87
MMV/ASB ........................................................ 34 Sensor de O2
Modo de espera (standby) ............................... 16, 49 calibração ................................................... 50
Modo do paciente............................................... 22 uso ............................................................ 87
Modos ventilatórios ............................................. 25 substituição / eliminação ........................ 107, 108
Modo ventilatório, seleção .................................... 14 Sensor de temperatura ........................................ 90
Monitoração ................................................. 37, 40 Símbolos ........................................................ 132
Monitoração apropriada ....................................... 10 SIMV, SIMV/ASB......................................... 29, 112
Monitoração da ventilação .................................... 10 Sistema de traquéias ...................................... 89, 91
Montagem (válvula expiratória) ............................... 86 Sistema do paciente (válvula expiratória) .............. 82, 86
Suprimento de energia elétrica .............................. 92
Nariz artificial ............................................... 46, 88 Suprimento de gás ............................................. 93
Nebulização ...................................................... 44 Suspiro .......................................................... 111
Nebulização de medicamento .............................. 122
Nebulização, medicamentos .................................. 44 Teclas para funções de rotina e adicionais ................ 16
Nebulizador ...................................................... 80 Telas do monitor ................................................ 17
NIF (força negativa inspiratória máxima) .................. 121 Telefones portáteis, uso de ................................... 10
Teste de vazamento........................................... 106
O que é o que ................................................. 105 Toque de alarme, silenciar .................................... 39
Oxigenação para aspiração bronquial ...................... 47 Traquéias ventilatórias .................................... 89, 91
Trocador de calor e umidade ............................ 46, 88
Parâmetros de desmame .................................... 121
Parâmetros ventilatórios Umidificação ..................................................... 89
ajuste de fábrica ...................................... 6 3, 64 Umidificador, tipo de ......................................... 100
Parâmetros ventilatórios, ajuste .............................. 14 Unidades ......................................................... 57
Parte de aplicação ............................................ 127 Uso previsto ...................................................... 11
Parte operacional ............................................. 126
Parte traseira .................................................. . 128 Valores de medição ....................................... 18, 40
Peças de consumo ...................................... 141-145 Válvula expiratória ........................................ 86, 101
Peças de reposição ..................................... 141-145 Vazamento ...................................................... 103
PEEP Intermitente ............................................ 111 Vedação ......................................................... 103
PLV .......................................................... 28, 110 Ventilação adulta ................................................ 89
Pmax ................................................................ 64 Ventilação de apnéia ................................. 12, 36, 65
Precaução ........................................................ 38 Ventilação infantil ............................................... 91
Preparo ........................................................... 79 Ventilação limitada por pressão PLV ...................... 110
Ventilação manual .............................................. 10
Queda de energia elétrica .................................... 92 Ventilação pediátrica ........................................... 91
Volume (intensidade) ........................................... 56
Referências literárias ......................................... 123
Relação freqüência-volume RSB ........................... 121
Resistência ..................................................... 103
RSB (índice de respiração rápida e rasa) ................ 121

147
DECLARAÇÃO

As partes, peças e acessórios descritos a seguir são comercializados


somente com o equipamento Ventilador De Cuidados Intensivos Evita 2dura,
devendo apenas serem utilizados para o fim a que se destinam.

Utilizar unicamente os acessórios mencionados na lista dos acessórios.

O Ventilador De Cuidados Intensivos Evita 2dura é constituído de:

Acessórios necessários para o funcionamento


Braço articulado 84 09 609
ou
Braço articulado de rápida fixação 2 2M 85 706

Mangueira de conexão de O2 3 m, cor neutra1) M 34 402


ou
Mangueira de conexão de O2 5 m, cor neutra1) M 34 404
Mangueira de conexão de ar medicinal 3 m, cor neutra1) M 34 408
ou
Mangueira de conexão de ar medicinal 5 m, cor neutra1) M 34 409
Carrinho EvitaMobil 84 11 950

Para ventilação adulta


Sensor de temperatura 84 05 371
Umidificador Aquapor 84 05 020

Jogo de bridas reserva 84 03 345

Jogo de traquéias, adulto 84 12 092

consiste de: traquéias do paciente, drenos de água, Peça-Y, conectores cateter


Para ventilação pediátrica
Umidificador, unidade básica, MR 730 MR 730

(Fisher & Paykel), incl. adaptador, aquecedor de traquéia


Jogo de montagem (bridas de trilho) 23 47 010

Reservatório do umidificador, MR 340 23 47 002

Sensor de temperatura duplo 23 47 007

Cabo guia; 1,5 m 23 47 013


Jogo de traquéia, pediátrico (Fisher & Paykel) 84 12 081

consiste de:
aquecedor de traquéia 84 11 045,
traquéias do paciente, drenos de água, peça-Y, conectores cateter, Filtro
bacteriano 84 09 716
Acessórios especiais
Bandeja de instrumentos 84 11 621

Suporte para o manual de referência rápida Manual de Uso, versão minimizada)


84 11 615
Brida de parede, modulo 2000 Tipo 13 84 08 613
alternativa ao carrinho
Nebulizador pneumático de medicamento 84 12 935
Para ventilação manual:
Resutator 2000 21 20 046
Resutator 2000, pediátrico 21 20 984
Baby-Resutator 21 20 941
Gancho para Resutator M 26 349
Pulmão de teste adulto, 84 03 201
consiste de:
Cotovelo para máscara M 25 649
Conector cateter ISO tamanho 7 M 25 591
Balão respiratório, 2 L 21 65 694
Para o carrinho:
Unidade de gabinete 8H, 360 mm de altura M 31 796

Para suprir o Evita 2 dura com ar medicinal:


Compressor de ar respiratório 84 13 890
Opção padrão 84 13 939
Transformador de tensão especial 84 13 936
Cabo MEDIBUS 83 06 488
Cabo da impressora 83 06 489
Opcionais
Ventilation Plus 84 13 540
Monitoring Plus 84 13 545
Service Plus 84 13 550
Evita 2 dura Link 84 11 735
Evita 2 dura Sat 84 13 035
Evita 4 DC 84 13 034
CapnoPlus 84 13 780

Acessórios para o Evita 2 dura CapnoPlus:


Cuvete adulto 68 70 279
Cuvete pediátrico 68 70 280

Sensor de fluxo principal de CO2 68 70 300

Brida para o repouso do sensor de CO2 84 12 840

Jogo de modificação - Vent. por máscara (NIV) 84 14 474


Jogo de modificação - Chamada de enfermeira 84 14 476
Plugue conector da chamada de enfermeira 18 46 248
Jogo de modificação – EvitaRemote 84 14 472
Jogo de atualização –
Software 4.0 Evita 2 dura 84 14 468
Jogo de atualização –
Software 4.0 plus Evita 4 84 14 469
Jogo de modificação – 2º sensor de pressão 84 14 479
Para medição de CO2 (opcional)
Fitro de teste 68 70 281
Jogo de calibração 84 12 710
Cilindro de gás de teste
5 %Vol. CO2, 95 %Vol. N2 68 50 435
Jogo reserva para esterilização
Válvula expiratória (válvula expiratória) 84 10 580

Para ventilação adulta:


Jogo de traquéias, adulto 84 12 092
Peça do paciente do Aquapor 84 05 029
Sensor de temperatura 84 05 371
Nebulizador de medicamento pneumático 84 12 935
Cuvete, adulto 68 70 279
Para ventilação pediátrica:
Jogo de traquéias, pediátrica (Fisher & Paykel) 84 12 081
Reservatório do umidificador MR 340 MR 340
incl. papel filtro para o reservatório do umidificador (100 unids.)
Cuvete, pediátrico 68 70 129
Peças de reposição
Cápsula do sensor de O2 68 50 645
Sensor de fluxo (5 unids.) 84 03 735
Bateria de lítio para armazenamento de dados 18 35 343
Para o braço articulado:
Suporte 84 09 746
Grampo de traquéia 84 09 841
Para ventilação adulta:
Sensor de temperatura 84 05 371

Jogo de reposição para tampa do Aquapor 84 06 135


Recipiente do Aquapor 84 04 739
Flutuador do Aquapor 84 04 738
Traquéia espiral, adulta, silicone 0,6 m 21 65 627

Traquéia espiral, adulta, silicone 0,35 m 21 65 619

Dreno de água 84 04 985

Contentor de água 84 03 976

Grampo de traquéia 84 03 566

Conector M 25 647
Peça-Y 84 05 435

Conector cateter, liso, tamanho 12,5 (10 unids.) M 23 841


Traquéia corrugada 84 02 041

Adaptador, adulto 84 03 076


Jogo de conectores cateter, adulto 84 03 685
Jogo de tampas (5 unids.) 84 02 918
Cotovelo conector ISO M 25 649
Para ventilação pediátrica:
Traquéia espiral, pediátrica,silicone, 22/10; 1,10 m 21 65 651
Traquéia espiral, pediátrica, silicone, 22/10; 0,60 m 21 65 821
Traquéia espiral, pediátrica, silicone, 10/10; 0,60 m 21 65 848
Traquéia espiral, pediátrica, silicone, 22/10; 0,40 m 21 65 856

Traquéia corrugada flex 2 x 7 cm 84 09 634

Conectores cateter, tamanho 11 (10 unids.) M 19 351


Tampa 84 01 645
Adaptador, pediátrico, 90° 84 03 075

Conector cônico duplo 84 09 897

Suporte do sensor de temperatura 84 11 044

Dreno de condensação, expiração 84 09 627

Contentor de água 84 03 976

Aquecedor de traquéia 1,10 m 23 47 020


Sensor de temperatura 23 47 007
Adaptador para o aquecedor de traquéia 84 11 097
Cabo guia, 1,5 m 23 47 013
Reservatório do umidificador, MR 340, 23 47 002
incl. papel filtro (100 unids.)

Papel filtro para o reservatório do umidificador (100 unids.) 23 47 004


Filtro bacteriano 84 09 716

_____________________
Milton de Barros Júnior
CREA: 5060362179
Responsável Técnico
Este Manual de Uso é válido somente para:
Evita 2 dura
Registro ANVISA nº: WWWWWWWW
com Número de série: XXXXXXXXXX
Se nenhum número de série estiver
preenchido pela Dräger, este Manual de
Uso só tem efeito informativo e não é
direcionado para o uso de qualquer
equipamento ou dispositivo específico.

Directiva 93/42/EEC
sobre Equipamentos Médicos

Dräger Medical AG & Co. KGaA


Alemanha
H Moislinger Allee 53 – 55
D-23542 Lübeck
T (4 51) 8 82 - 0
X 26 80 70
FAX(4 51) 8 82-20 80
! http://www.draeger.com

Distribuidor no Brasil:
Dräger Indústria e Comércio Ltda.
Autorização de funcionamento: 1.04.073-7
Alameda Pucuruí, 51
Tamboré – Barueri
CEP: 06460-100
Tel.: (11) 4689-4946
Fax.: (11) 4191-6606
Responsável Técnico: Milton de Barros Júnior
CREA: 5060362179

90 37 253 - GA 5664.822 port


 Dräger Medical AG & Co. KGaA
1ª edição – Janeiro 2001
Sujeito a alterações

____________
Assumimos total responsabilidade pelas informações
apresentadas neste manual.

_____________________ _____________________
Orlando Cabral da Silva Milton de Barros Júnior
Responsavel Legal Responsavel Técnica

Dräger Indústria e Comércio Ltda.


Alameda Pucuruí, 51 Tamboré – Barueri CEP: 06460-100
Tel.: (11) 4689-4946 Fax.: (11) 4191-6606

Você também pode gostar