Você está na página 1de 4

Explicações para o Preenchimento das Folhas de RDPD

1. Cada vez que você experimentar uma mudança de sentimentos ou de sensações tome isso como
um sinal para você iniciar um registro.
2. Anote a situação em que isto está ocorrendo. Descreva-a brevemente mas com razoável detalhe
para que seu/sua terapeuta possa compreender o que estava acontecendo.
3. Especifique a(s) emoção(ões), sentimento(s) ou sensação(ões) (ex.: medo, raiva, taquicardia,
falta de ar etc.) que você esteja sentindo. Assinale a intensidade de cada emoção numa escala de
0 a 100.
4. Anote o(s) pensamento(s) automático(s) associados às emoções da forma como apareceram em
sua mente e indique o grau de sua convicção para cada pensamento numa escala de 0 a 100.
5. Registre cada resposta alternativa para o(s) pensamento(s) registrado(s). Cada uma vai ser o
resultado de uma análise racional que você está fazendo. Para isso, submeta-os às seguintes
perguntas: (1) que provas eu tenho da verdade de cada pensamento? (2) que outras
possibilidades eu tenho para compreender a situação? Qual é a pior coisa que pode acontecer? A
melhor? A mais provável? Procure imaginar um amigo que pudesse estar passando pelo que você
está e tendo os sentimentos e pensamentos que você está tendo, o que você diria para ele?
6. Avalie o grau de sua convicção em cada resposta racional (0-100). Reavalie o grau de convicção
em cada pensamento automático (0-100) e reavalie a intensidade de cada emoção (0-100).
Quadro 7: Registro Diário de Pensamentos Disfuncionais

Dia/Hora Situação Sentimentos Pensamentos Automáticos Resposta Alternativa Reavaliação


Descrever: 1. Especificar a emoção (ex.: 1. Anotar o(s) pensamento(s) associados 1. Anotar cada resposta racional para o(s) 1. Reavaliar o grau de
1. o que está acontecendo que triste, ansioso, zangado à emoção da forma como apareceram pensamento(s) registrado(s) convicção em cada
possa ter levado à emoção etc.) na mente 2. Avaliar o grau de convicção em cada Pensamento Automático
2. Corrente de pensamento, 2. Assinalar a intensidade da 2. Indicar o grau de convicção para cada resposta alternativa (0-100) (PA = 0-100)
devaneio ou lembrança que emoção numa escala de pensamento numa escala de 0 a 100 2. Reavaliar a intensidade de
possa ter levado à emoção 0 a 100 cada emoção (E = 0-100)
Perguntas para ajudar a compor uma resposta alternativa: (1) quais são as provas que o meu pensamento é verdadeiro? Não verdadeiro? (2) Há explicações alternativas? (3) O que é o pior que poderia acontecer?
Eu poderia superar isso? É tão catastrófico assim? Qual o melhor que poderia acontecer? Qual o resultado mais provável, mais realista? (4) Se [um amigo(a) meu/minha] estivesse na situação e tivesse esse
pensamento, o que eu diria para ele/ela? (5) O que eu deveria fazer a esse respeito? Reavalie a convicção nos pensamentos automáticos e nos sentimentos associados. (5) Qual é o efeito da minha crença no
pensamento automático? Qual poderia ser o efeito de mudar o meu pensamento?

3
4

Você também pode gostar