Você está na página 1de 8

Direito Trabalhista e Previdenciário

Lista de Exercícios de Aprendizagem

22/09/2015

1. (Analista Judiciário TRT/MS) Na falta de norma específica, o Juiz do


Trabalho poderá decidir de acordo com os usos e costumes. Entretanto,
deve observar que o interesse:

a) do empregado prevalece sobre o interesse público.

b) dos sindicatos de trabalhadores prevalece sobre o interesse público.

c) da empresa prevalece sobre o interesse público.

d) de classe ou de particular não prevalecem sobre o interesse público.

e) da classe pode prevalecer sobre o interesse público.

2. O Direito do Trabalho possui seus próprios princípios. Dentre eles, o


Princípio da Proteção, sem dúvida, é o de maior amplitude e
importância, visto que confere ao polo mais fraco da relação laboral
uma superioridade Jurídica. Sobre ele, é correto afirmar:

I. O princípio da proteção se concretiza em três ideias ou regras, a


saber: indubio pro operario, regra da norma mais favorável e
regra da condição mais benéfica.

II. O princípio da proteção determina que as regras legais


trabalhistas sejam interpretadas de forma a possibilitar os
melhores resultados aos trabalhadores.

III. A regra da condição mais benéfica informa que devem prevalecer


as condições mais favoráveis ao trabalhador; entretanto, quando
surge uma norma jurídica imperativa que prescreve menor nível
de proteção, por ser posterior e ocorrer durante a relação de
trabalho, esta modificação deve prevalecer sobre a regra anterior.

a) Todas as afirmativas estão corretas.

b) Apenas as afirmativas I e III estão corretas.

c) Apenas a afirmativa III está errada.

d) Apenas as afirmativas II e III estão corretas.

e) Todas as afirmativas estão erradas.


3. (TRT-RJ - Analista Judiciário) O princípio que determina a prevalência
das condições mais vantajosas para o trabalhador, ajustadas no
contrato de trabalho ou resultantes do regulamento da empresa, ainda
que vigore ou sobrevenha norma jurídica imperativa prescrevendo
menor nível de proteção e que com esta não sejam elas incompatíveis, é
o princípio:

a) da norma mais favorável:

b) da condição mais benéfica;

c) in dubio pro operario;

d) da primazia da realidade;

e) da intangibilidade.

4. Maria, estudante de ciências contábeis, conseguiu estágio em um dos


maiores escritórios de consultoria contábil de João Pessoa. Em seu
primeiro dia, conheceu toda a equipe de contadores e técnicos
contábeis, bem como o funcionamento do escritório e como ocorre a
divisão de tarefas entre os sócios e empregados. Muito satisfeita com
sua conquista, pensou o quanto teria a aprender com aquela
oportunidade única. Ocorre que, em sua segunda semana de trabalho,
foi requisitada para recepcionar os clientes, atender telefones e
repassar os recados. Com o passar dos dias, estava preparando cafés e
servindo água para todos. Também passou a realizar trabalhos
externos, como pagamentos em bancos. Foi percebendo que sua
aprendizagem prática era mínima ou quase nula. Decidiu, então,
compartilhar sua inquietação em sala de aula e indagou ao professor de
Direito Trabalhista se ocupava um posto de estágio ou de trabalho. Ao
que seu professor lhe respondeu que suas funções correspondiam a de
um:

a) Estagiário comum.

b) Estagiário contábil.

c) Empregado.

d) Prestador de serviços.

e) Terceirizado.

5. (TRT 3ª Região) A existência da relação de emprego pressupõe:

a) A pessoalidade na prestação de serviços.

b) Solenidade prevista em lei para admissão do empregado.


c) Prazo determinado para a duração do contrato.

d) Prestação de serviços com exclusividade.

e) Eventualidade na prestação de serviços.

6. (TRT 16 ª Região) O elemento que distingue a relação de emprego das


relações afins é a:

a) dependência pessoal.

b) dependência social.

c) dependência técnica.

d) subordinação jurídica.

e) subordinação intelectual.

7. Um representante comercial ajuíza reclamação trabalhista, pleiteando


vínculo de emprego e verbas daí decorrentes, não obstante a prestação
de serviços tenha ocorrido mediante a celebração de contrato de
representação autônoma. À luz do princípio da primazia da realidade:

a) prevalece o contrato celebrado entre as partes, por força do


princípio jurídico de que todo contrato deve ser cumprido.

b) prevalece o contrato celebrado entre as partes, a menos que fique


demonstrada a presença de coação ou dolo na celebração do contrato de
representação comercial.

c) o vínculo de emprego poderá ser reconhecido se, da realidade dos fatos,


resultar demonstrada a presença dos requisitos necessários para a
configuração do contrato de trabalho.

d) o vínculo de emprego será sempre reconhecido porque houve uma


prestação de trabalho mediante a remuneração.

e) o vínculo de emprego será sempre reconhecido, uma vez que os atos


visam anular, fraudar ou desvirtuar direitos trabalhistas, e estes são nulos de
pleno direito.

8. Sabe-se que existem relações de trabalho que não caracterizam


vínculo empregatício. Neste contexto, assinale a alternativa que
correlacione corretamente a definição do trabalhador:

I. Aquele que presta serviços a diversas empresas, com intermediação


obrigatória do órgão gestor de mão de obra ou do sindicato da
categoria;
II. Pessoa física contratada apenas para trabalhar em uma ocasião
específica, sem qualquer relação permanente;

III. Pessoa natural que presta serviços com habitualidade, continuidade,


por conta própria, a uma ou mais pessoas, assumindo os riscos da
atividade econômica.

a) I- autônomo, II- avulso, III- eventual.

b) I- eventual, II- avulso, III- autônomo.

c) I- avulso, II- eventual, III- autônomo.

d) I- autônomo, II- eventual, III- avulso.

e) I- eventual, II- autônomo, III- avulso.

9. Maria foi contratada para prestar determinados serviços de maneira


autônoma, entretanto, ao término do contrato, ajuíza reclamação
trabalhista requerendo que seja reconhecido o vínculo empregatício.
Assinale a alternativa que contém requisitos que devem estar presentes
na relação de Maria com a empresa para que seja considerada
empregada:

a) Alteridade e impessoalidade.

b) Impessoalidade e onerosidade.

c) Não continuidade e onerosidade.

d) Não continuidade e subordinação.

e) Subordinação e alteridade.

10. Considere as seguintes assertivas acerca das relações de trabalho e


seus sujeitos:

I. As instituições beneficentes, para os efeitos da relação de emprego,


são equiparadas ao empregador quando admitirem trabalhadores como
empregados.

II. Não há solidariedade pelas obrigações trabalhistas entre as empresas


de um grupo econômico quando cada qual é dotada de personalidade
jurídica própria.

III. Embora o empregado doméstico não desempenhe atividade


econômica, diversos direitos atribuídos aos trabalhadores urbanos são
garantidos aos trabalhadores domésticos em nível constitucional.
IV. O trabalho temporário difere da relação de emprego por ser exercido
sem subordinação e sem onerosidade.

V. O constituinte assegurou aos empregados rurais os mesmos direitos


dos empregados urbanos.

Está correto o que consta APENAS em:

a) II, III e IV.

b) III, IV e V.

c) II e IV.

d) I, II, III e IV.

e) I, III e V.

11. Artur desenvolveu atividade de pedreiro em obra residencial ao


longo de três meses ininterruptos, segundo avençado pelas partes e
mediante paga, sem, contudo, ter sido feito registro em sua CTPS.

De acordo com a CLT e os princípios do direito do trabalho, na situação


descrita,

a) houve vínculo laboral e, portanto, Artur faz jus ao registro do pacto em sua
CTPS e às verbas não-pagas.

b) o labor desenvolvido por Artur equipara-se ao do trabalhador doméstico.

c) houve uma relação de trabalho.

d) houve contrato de trabalho de experiência, visto que o período de


execução do trabalho não ultrapassou o limite de noventa dias.

e) qualquer questionamento judicial acerca do pacto deverá, segundo


emenda constitucional, ser realizado na esfera cível, dado que não houve
registro na CTPS.

12. A relação de trabalho autônomo se diferencia da relação de emprego


basicamente pela presença, no tocante à relação de emprego, do
requisito da:

a) prestação de trabalho por pessoa física;

b) prestação de trabalho por pessoa jurídica;

c) autonomia na prestação dos serviços;

d) subordinação na prestação dos serviços;


e) onerosidade.

13. Não estabelece vínculo empregatício a contratação de:

a) carregador de mercadorias em porto, que não seja privativo.

b) motorista para atender a residência particular.

c) costureira mensalista que recebe cortes para montagem em sua


residência.

d) empregada doméstica mensalista que não pernoita no local de trabalho.

e) gerente administrativo com poderes de gestão.

14. A cláusula segundo a qual o adquirente não se responsabiliza por


quaisquer débitos trabalhistas anteriores à compra de um
estabelecimento:

a) não é válida apenas com relação aos contratos de trabalho que forem
mantidos.

b) não é válida porque qualquer alteração na estrutura jurídica da empresa


não afetará os direitos adquiridos por seus empregados.

c) é válida porque o contrato de compra e venda é de natureza civil.

d) é válida porque a disposição decorre da vontade das partes contratantes.

e) é válida apenas com relação aos débitos decorrentes de contratos de


trabalho já extintos.

15. O trabalho desenvolvido por pessoa natural, na arrumação da casa,


em proveito de unidade familiar que tenha residência fixa em área rural,
caracteriza contrato:

a) doméstico.

b) de trabalho urbano, da modalidade doméstica.

c) doméstico, da modalidade esporádica.

d) de trabalho rural.

e) de trabalho urbano, se o contratante exercer atividade remunerada em


área urbana.

16. Sobre a sucessão de empresas, é correto afirmar que:


a) nada poderá ser exigido do sucessor quando houver cláusula contratual
que o exima dos débitos trabalhistas referentes aos contratos findos antes da
sucessão.

b) a aquisição parcial de propriedades móveis de um banco por outro banco,


sem transferência de sua parte produtiva, não configura sucessão trabalhista.

c) a mera substituição da pessoa jurídica é suficiente para caracterizar a


sucessão, se se tratar de exploração de concessão de serviço público.

d) qualquer alteração jurídica na estrutura da empresa não afeta os direitos


adquiridos por seus empregados afetando, todavia, os contratos de trabalho
respectivos.

e) mudanças na propriedade ou na estrutura jurídica da empresa não afetam


os contratos de trabalho, embora possam afetar os direitos adquiridos por
seus empregados.

17. No que diz respeito ao cumprimento das obrigações trabalhistas, a


existência de um grupo industrial, comercial ou de qualquer outra
atividade econômica, sob a direção, controle ou administração de uma
empresa embora cada uma delas possua personalidade jurídica própria,
configura responsabilidade:

a) civil;

b) penal;

c) comercial;

d) solidária;

e) subsidiária.

18. Acerca do contrato de trabalho por prazo determinado, assinale a


opção incorreta.

a) Quando celebrado para a execução de serviços certos e especificados, o


contrato a prazo não poderá ter duração superior a dois anos, salvo
configurado motivo de força maior, devidamente reconhecido pelos órgãos do
Ministério do Trabalho.

b) Será válido o contrato por prazo determinado quando as atividades


empresariais desenvolvidas forem de caráter transitório ou quando envolver a
execução de serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a limitação do
prazo.

c) Quando celebrado o contrato a título de experiência, sem cláusula que


assegure o direito recíproco de rescisão antecipada, a indenização cabível,
em caso de rescisão pelo empregador, corresponderá à metade dos salários
devidos até o término do termo inicialmente ajustado.

d) Como condição especial, a predeterminação do prazo de vigência do


contrato deve ser assinalada na CTPS do empregado.

e) O contrato de experiência não pode ser celebrado com duração superior a


noventa dias, admitida dentro desse período uma única prorrogação.

19. O contrato individual de trabalho:

a) não produz efeitos jurídicos válidos quando celebrado com preterição da


forma prescrita na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), pouco
importando a boa-fé dos contratantes.

b) correspondendo à relação jurídica de emprego, apenas se caracteriza


quando celebrado de modo expresso, com os registros na Carteira de
Trabalho do operário.

c) quando envolver trabalhador com idade inferior a dezesseis anos, apenas


será válido se firmado com a assistência de seus representantes legais ou do
Ministério Público do Trabalho.

d) deve ser submetido à aprovação prévia dos órgãos do Ministério do


Trabalho, quando envolver a execução de serviços insalubres, penosos ou
perigosos.

e) não disciplina o vínculo jurídico entre os trabalhadores e as cooperativas


às quais associados, salvo quando presentes a pessoalidade, a subordinação
jurídica, a onerosidade e a habitualidade na prestação de serviços.

20. Com fundamento nas disposições da CLT, em relação ao contrato de


trabalho por prazo determinado, este:

a) não é admitido pelo ordenamento jurídico brasileiro.

b) pode ser prorrogado, tácita ou expressamente, por no máximo três vezes.

c) pode ser celebrado livremente pelas partes, para qualquer tipo de atividade
empresarial.

d) não poderá ser estipulado por mais de 2 anos, ou, no caso de contrato de
experiência, não poderá ser estipulado por mais de 90 dias.

e) será considerado por prazo indeterminado se suceder, dentro de um ano,


a outro contrato por prazo determinado.