Você está na página 1de 51

Visagismo

O que é Visagismo

Visagismo é a arte de criar uma imagem pessoal que revela as qualidades


interiores de uma pessoa, de acordo com suas características físicas e os
princípios da linguagem visual (harmonia e estética), utilizando a maquilagem,
o corte, a coloração e o penteado do cabelo, entre outros recursos estéticos.

Transforme o seu visual com o visagismo

Talvez você não saiba exatamente o que significa, mas já deve ter ouvido falar
sobre visagismo por aí. Originário da palavra visage, que quer dizer rosto, o
visagismo é um conceito de personalização de imagem que serve como uma
ferramenta para auxiliar os profissionais de beleza a encontrar o estilo mais
adequado para cada cliente.

Seguindo a tendência da customização, a ideia é compor um look valorizando a


personalidade da pessoa por meio de técnicas de beleza como corte, coloração
e maquiagem. O ponto de partida para que o profissional possa colocar o
visagismo em prática é reconhecer a identidade da pessoa por meio de uma
simples conversa. É essencial que a pessoa também expresse qual imagem
deseja transmitir: séria, responsável, moderna, descolada.

O visagista também precisa observar quais as necessidades profissionais e


pessoais de sua cliente, seus gostos, bem como sua disponibilidade para
manter o look escolhido.

A mulher pode até usar a foto de sua atriz preferida como inspiração, mas pode
ser que o mesmo corte de cabelo, exatamente igual, não caia bem. É por isso
que uma das maiores regras do visagismo é a personalização, e não a
padronização.

Outro passo fundamental do visagismo é fazer uma análise sobre a geometria


do rosto, seus ângulos, tamanho e formato dos olhos, lábios, nariz,
sobrancelhas, queixo e cabelo. Ou seja, itens que interferem no resultado final.
O visagismo busca a melhor tonalidade e corte de cabelo para ajudar a
equilibrar os traços e harmonizar a expressão facial, alguns dos segredos para
criar um visual único.

Aliar o visagismo a técnicas de maquiagem tem o mesmo resultado


transformador de um trabalho feito no cabelo. O profissional precisa ter domínio
sobre os diferentes formatos de rosto e conhecimento das cores não apenas
para fazer combinações, mas para saber o significado e o que cada uma delas
transmite na hora de usá-las.

Por isso, da próxima vez que for ao salão, tenha em mente que não é o corte, a
nova cor de tintura ou o resultado da maquiagem que deve ficar bom, é o
conjunto todo. O conceito de visagismo proporciona mais do que um novo
visual, permite também que a pessoa se conheça melhor.

Visagismo não é corte de cabelo!! Mas afinal, o que é isso?

O visagismo é a arte de descobrir o que o cliente deseja expressar através de


sua imagem, ou seja, transformar uma intenção em uma imagem. O que falta
na maioria dos profissionais que trabalham com beleza é essa habilidade de
extrair do cliente essa intenção e conseguir colocar isso no visual com diversos
recursos, que podem ser cabelo, maquiagem, odontologia, plástica, barbearia,
sobrancelha...
Então visagista não é coisa de cabelereiro??? NÃO!!! O recurso do cabelo é
um dos que é usado para compor a imagem de uma pessoa, e ele realmente é
muito importante, mas não é só isso. O que seria dos carecas se fosse essa a
verdade, não é mesmo?
Para explicar mais na prática, todos nós quando vemos alguém, nosso cérebro
lê o rosto dessa pessoa através de suas formas, linhas e cores. Informações
sobre o comportamento dela entram direto em seu cérebro e te mandam
várias conclusões. E é isso que muitas vezes nos faz ter “pré conceitos” sobre
alguém que mal conhecemos. Sabe aquela coisa do “meu santo não bateu com
o dele”? Pois então... Não se sinta mal quando isso acontecer. Temos dentro
de nós essa ferramenta maravilhosa... Apenas não fomos treinados para
traduzir isso de forma objetiva, mas usamos ela o tempo todo.
Visagismo: entenda o que ele pode fazer por sua imagem

Já reparou como tem gente que fica ainda mais bonita com certos cortes de
cabelo? É como se ele tivesse sido inventado exclusivamente para aquele
rosto. O visagismo passa por aí…

Os hair stylists estão acostumados a receber clientes que trazem fotos das
celebridades e desejam um corte de cabelo igualzinho ao delas ou querem
copiar o look da personagem da novela que está bombando. É natural que seja
assim, mas nem sempre o visual serve para nós, por diversos motivos.

O formato do rosto e a estrutura dos ossos de cada pessoa muitas vezes não
favorecem certos estilos. É aí que entra em cena o visagismo. Uma verdadeira
arte de criar a imagem pessoal, que leva em consideração também
características interiores.
Ou seja, além de trabalhar com a parte física, conceitos de harmonia e estética,
o visagismo revela as qualidades interiores de uma pessoa. Para isso, utiliza
ainda recursos como a maquiagem, a coloração e os penteados.

A linguagem visual ajuda a colocar a imagem da pessoa em sintonia com seu


estilo de vida.

E como uma imagem fala mais do que mil palavras, é importante saber bem
que mensagem estamos transmitindo – e que reações emocionais elas podem
estar causando.
O visagismo é mais do que uma técnica…

Como você viu nos parágrafos acima, o visagismo ajuda a personalizar uma
imagem, fazendo com que o rosto expresse quem somos e revele nossas
qualidades. Tudo, é claro, com harmonia e estética.

Muito além de técnica, visagismo é um conceito, fruto das artes plásticas e do


conhecimento anatômico do rosto humano.
Um profissional treinado para aplicar o visagismo é capaz de perceber o
temperamento do cliente, seu modo de vida e as necessidades de seu
trabalho.

Ao procurar um visagista, tenha em mente o que deseja expressar através do


corte de cabelo/penteado. Portanto, o que você quer dizer aos outros a respeito
de si próprio. O mundo recebe a informação de quem você é (ou parece ser)
pelo modo como se veste, corta o cabelo, etc.

No visagismo, a imagem deve ir além da imagem. Lembre-se que ele afeta


seus relacionamentos e até suas emoções.

Por isso, para muitos, o visagista deve estudar um pouco de psicologia, para
que possa identificar os diferentes temperamentos.

Para as mulheres, principalmente, os penteados exercem uma influência


incrível na imagem. Em geral, funciona assim:

 Curvas nos cabelos indicam sensualidade, lirismo, amplitude e romantismo.


São os cabelos estilo “Gisele Bündchen”.

 Franjas são sinônimo de mulher convencional.

• Cabelos repicados ou desfiados transmitem a impressão de introversão.

• Linhas voltadas para fora são ideais para os fios das extrovertidas.

 Cabelos com linhas horizontais passam uma imagem estável. Porém, a


combinação de franja reta + cabelo com linhas verticais + base horizontal, por
exemplo, indica que a pessoa é convencional, pois cria uma espécie de
barreira.
• Linhas verticais transmitem estrutura.

• Cabelos com linhas inclinadas indicam dinamismo. Quando os desfiados ou


repicados se voltam para dentro, representam introversão e dinamismo. Algo
“perigoso”, pois mostra desequilíbrio.

O recomendado para unir dinamismo e extroversão é usar linhas inclinadas


voltadas para fora.

• Cabelos com linhas mais fechadas (cachos) costumam passar uma imagem
emocionalmente confusa.

• Cabelos com linhas quebradas (encaracolados) transmitem uma certa


infantilidade, pois seu aspecto é o de uma linha lúdica. Dizem até que os
encaracolados geralmente não são muito levados a sério.

Não é à toa que a maioria das mulheres, quando chega à idade adulta, prefere
fios mais lisos. Elas mesmas têm uma reação emocional desfavorável ao
encarar o espelho.

É óbvio que hoje existe todo um movimento social em torno da aceitação dos
cachos nos cabelos. Muitas mulheres estão, inclusive, abandonando o liso
obtido por meio de processos químicos e voltando a curtir seus fios naturais.

Tudo Sobre Visagismo

Hoje em dia muito se tem ouvido falar a respeito de visagismo, mas nem todos
sabem o que realmente essa palavra significa. Pensando nisso, preparamos
este artigo com todas as informações necessárias para quem deseja aplicar o
visagismo.
Em primeiro lugar é necessário explicar o que é o visagismo. Trata-se de uma
técnica usada para criar uma imagem pessoal para determinada pessoa de
forma totalmente personalizada. Ou seja, ao invés de você copiar o corte de
uma famosa em uma cliente, você irá adaptar o corte de modo que ele
favoreça os pontos fortes do rosto.

No visagismo, o profissional estuda em detalhes as formas, volumes, linhas do


rosto e cabelos para destacar o que cada um tem de melhor. Através desse
estudo, é possível adaptar a maquiagem, o cabelo, a sobrancelha, tudo de
acordo com a personalidade de cada um. A técnica valoriza as características
individuais das pessoas e foge das regras prontas muitas vezes ditadas pela
moda.

Como surgiu o Visagismo?

Foi o desenhista francês Claude Juillard que criou o visagismo, que é um


método de comunicação e análise estética para realçar a beleza de cada
pessoa. Isso inclui um conjunto de técnicas pelas quais um estudo detalhado
de formas, volumes e linhas faciais do rosto é feito, então surgem as
possibilidades de adaptação de maquiagem, cabelo e sobrancelha de acordo
com o rosto e tom de pele.

Juillard ensinou em diferentes partes do mundo a teoria e a prática do “visage”.


Depois de estudar Belas Artes, o francês tornou-se designer. Muito
rapidamente ele percebeu que a formação de cabeleireiro tinha duas falhas:
Não era ensinado quais são os efeitos de um corte de cabelo ou uma
maquiagem e a forma como ensinavam a tratar os clientes impediam que eles
expressassem os seus verdadeiros desejos.

Isso explica, segundo ele, porque muitos clientes ficam insatisfeitos quando um
corte não sai da maneira que ele esperava. Juillard também inventou o espelho
tridimensional, que é uma ferramenta fundamental no visagismo, assim você
pode mostrar ao seu cliente as mudanças que você está fazendo. Com esse
espelho o cliente vê o resultado em detalhes, com volume e não uma imagem
plana como a que o espelho normal reflete.

O visagismo estuda a forma do rosto para dar valor à beleza de uma pessoa
com a ajuda de técnicas de styling. É um serviço que requer habilidade, pois o
visagista deve combinar três elementos na escolha de um estilo: o desejo do
cliente, a forma do seu rosto e a tendência atual. Além disso, o profissional
deve ser capaz de personalizar o seu serviço para realçar a beleza e a
personalidade de seu cliente.

Tipos de Rostos

Os tipos de rostos são classificados por sua forma geométrica. Um rosto pode
ser: oval, redondo, quadrado, triangular, alongado.

Por exemplo, um rosto redondo tem um formato curto, largo, por isso você
deve encontrar um corte de cabelo que dê um efeito de alongamento. Da
mesma forma, um rosto alongado precisa ter suas linhas verticais reduzidas
para ficar mais harmônico.

Para cada tipo de rosto existem algumas recomendações na área de


maquiagem, corte de cabelo e estilo. Profissionais que desejam oferecer um
serviço mais completo para os seus clientes, e que ainda não fizeram estudos
relacionados ao visagismo devem começar a realizar algumas pesquisas nesta
área e irão conhecer um mundo infinito de possibilidades.

Como analisar o rosto da cliente e indicar o melhor corte


Os cabeleireiros também fazem parte da lista de fatores que reforçam ainda
mais a autoestima de uma mulher. É no salão de beleza que elas
encontram serviços para deixar os cabelos ainda mais bonitos e,
consequentemente, se sentirem mais belas. Portanto, dicas básicas
de visagismo - como analisar o formato do rosto, por exemplo - são de
grande valia para os profissionais que se preocupam em oferecer o melhor
tratamento para suas clientes. Confira algumas explicações com a ajuda do
visagista Philip Hallawell.

Como analisar o formato do rosto da cliente?

O formato do rosto é uma das características que precisa ser analisada pelo
cabeleireiro antes de sugerir determinado corte. "A melhor maneira é imprimir
uma boa foto tirada de frente. O rosto não pode estar abaixado, nem levantado,
e a pessoa não pode estar sorrindo e tem de estar totalmente visível, sem
cabelo caindo sobre ele. Com um lápis forte, trace linhas em volta do contorno
do rosto e o formato aparecerá", explicou o expert.

Quais são os formatos que existem?

De acordo com Philip, existem nove formatos de rostos: oval, redondo,


retangular, quadrado, hexagonal de lateral reta e hexagonal de base reta,
triangular e triangular invertido, e losangular.

- Rostos redondos e ovais: "A lateral é curva. A diferença entre os dois é que o
redondo tem a largura quase igual à altura. A largura do rosto oval é dois terços
da sua altura. Vale lembrar que o rosto redondo não é comum nas raças
ocidentais, é encontrado com mais frequência em orientais e indígenas".

-Rosto retangulares ou quadrado: "A lateral é vertical e reta quando o ângulo


da mandíbula estiver abaixo da boca. A proporção do rosto quadrado é igual à
do rosto redondo, enquanto o rosto retangular tem a mesma proporção do rosto
oval. Se o ângulo da mandíbula estiver na altura da boca, o rosto é hexagonal
de lateral reta e, geralmente, o queixo é pontudo".

- Rosto triangular invertido ou losangular: "É quando a lateral do rosto é uma


linha inclinada que vai quase diretamente ao queixo e a testa é larga. Porém,
se a testa for triangular e as bochechas forem salientes, o rosto é losangular".

- Rostos hexagonal de base reta: "Se a lateral do rosto é uma linha inclinada,
mas o queixo tem uma linha reta horizontal, é um rosto hexagonal de base reta.
Neste caso a testa também é geralmente reta no topo e as bochechas são
salientes. Esse rosto é parecido com o losangular, mas a diferença é que o
losangular tem o queixo pontudo e no hexagonal o queixo é quadrado".

- Rosto triangular: "Tem a parte inferior mais larga do que a testa e a lateral
também é inclinada, porém num ângulo invertido dos rostos".

Visagismo Masculino: Como isso pode te ajudar

Visagismo é a técnica que estuda os formatos de rostos e que podem ser


usadas para melhorar os pontos fortes e disfarçar os fracos. É uma variação da
palavra visage, de origem francesa, que significa rosto.

Tendo consciência disso, a técnica de visagismo visa aperfeiçoar a imagem


que você passa para os outros de acordo com os pontos fortes que você tem,
estudando o máximo do seu rosto para que isso aconteça. Obviamente, em um
post não é possível sair um expert na técnica, mas você vai conseguir
aproveitar boa parte para começar a aplicar em você.

Você deve ter em mente que a imagem final de uma pessoa é constituída por
vários fatores: entender o que a pessoa está sentindo, o formato do rosto de
cada um, as feições, cor da pele, corte de cabelo, cor do cabelo, entre outras
coisas… E, para nós, homens, a barba também conta. E muito!

Espero que vocês tenham entendido um pouquinho da teoria até


agora, porque nós vamos começar a parte prática.
Aplicando o Visagismo: reconhecendo seu tipo de rosto

Depois de analisar todos os seus traços no passo a passo acima, é hora de


descobrir qual é seu tipo de rosto. Sabendo qual é o formato, você terá a faca e
o queijo na mão, ok? Com isso, você vai poder escolher melhor várias coisas,
como um óculos de sol, por exemplo.

O rosto em formato de coração tem a testa mais larga e o queixo


pontudo. Esse rosto é mais comum em japoneses.

O rosto diamante possui as maçãs do rosto mais largas do que a testa e


queixo. O queixo é mais pontudo, como o coração.

O rosto redondo é bem parecido com o oval, porém, a largura tem quase o
mesmo tamanho do comprimento.
(Este é o meu) O rosto oval é um dos mais harmônicos. Tem a testa
levemente mais larga, as laterais mais afinadas e o queixo mais ovalado.

O rosto retangular é mais comprido que os demais. Tem a testa e o queixo


alongados.

O rosto quadrado tem as mandíbulas e o queixo quadrado. As maçãs do rosto


seguem em paralelo ao maxilar.
O rosto triangular tem a testa mais fina, engrossando ao longo do rosto e
terminando no maxilar largo. Ou o contrário, chamado de triângulo invertido.

Corte cabelo masculino de acordo com o tipo de rosto: Dicas e fotos

Se você está pensando em cortar o cabelo, mas não quer apenas ir no “pela
porco” e mandar ver na maquina 2, vai poder dar um up no seu visual se
observar as dicas dessa matéria. Que tal estudar o seu tipo de rosto e adequar
o corte de acordo com ele? Isso se chama visagismo, portanto mãos à obra e
faça o seu corte ficar perfeito pra você.

Dica 1 – Tire uma foto (ou várias!)

A melhor maneira de descobrir é tirando uma foto frontal do seu rosto, com
cabelo puxado pra trás. Depois imprima em tamanho grande pois tentar
identificar só olhando no espelho pode ser não ser uma tarefa fácil.
Dica 2 – Analise o perímetro

Na foto, você deve observar o perímetro da sua face. Visualize a linha do couro
cabeludo e a linha do queixo. Passe um lápis no contorno da face, e observe
qual figura geométrica se assemelha.

Dica 3 – Compare Testa/queixo

Observe e compare a largura da sua testa com a do seu queixo (maxilar). Qual
deles é mais largo? Seu queixo é fino?

Dica 4 – As bochechas

Observe a proeminência de suas bochechas. Elas são saltadas?

Dica 5 – A distância dos olhos

Note o espaço entre seus olhos. Depois observe a distância do final de um olho
até a linha do início do couro cabelo. Qual dos espaços é maior?

Corte de cabelo masculino para quem tem rosto triangular

Alguns cortes de cabelo podem ser usados sem problemas para mais formatos
de rosto, como é o caso do rosto quadrado e retangular. Por isso,
selecionamos os principais tipos de rostos para podermos ver quais os cortes
de cabelo com que eles combinam, veja.
Características: As medidas da testa larga começam a diminuir bastante ao
longo do rosto, até deixar o queixo bem afinado, parecendo frágil.

Corte de cabelo ideal para o rosto triangular

Fios mais compridos (com possibilidade de mechas longas caindo sobre a


face), volumosos, desconectados nas laterais e que cubram ligeiramente as
orelhas.
Mude com o penteado!

Para parecer mais másculo: Basta aplicar mousse no cabelo, levantando a


raiz com a ajuda dos dedos – assim o rosto triangular parece mais largo, quase
oval. Para um “desgrenhado mais comportado”: Como seu corte é irregular
e tem um certo volume nas laterais, basta aplicar pomada no cabelo seco e,
com as mãos entre os fios, ir sacudindo a cabeleira. O resultado é um
despenteado respeitável, como é ocaso do penteado usado pelo Brad Pitt
(perfeito!).
Corte de cabelo masculino para quem tem o rosto redondo

Características: Como o próprio nome indica, é um círculo perfeito, tem


medidas praticamente iguais na altura e na largura, podendo apresentar
bochechas salientes.

Corte de cabelo ideal para quem tem o rosto redondo

Vale tanto o quadrado (inclusive na nuca e na franja bem curta) com costeletas
médias, que afinam as laterais sem ganhar volume, quanto o desestruturado,
com linhas triangulares nas laterais do rosto.
Mude com o penteado!

Mais seriedade no visual

Naturalmente quem tem o formato de rosto redondo transmite um ar mais


infantil, mas um mudança no penteado pode fazer toda a diferença. O próprio
corte de linhas retas e quadradas já quebra o efeito infantil que esse formato
transmite.

Não está satisfeito? O uso de gel no alto da cabeça e nas laterais deixa o look
mais formal. Se quiser um estilo mais forte e agressivo, aplique uma pomada
puxando levemente os fios mais curtos junto à testa e garanta um estilo
energético e fashion.

Corte de cabelo masculino para quem tem o rosto quadrado

Características: O tipo de rosto quadrado, a largura dos maxilares acompanha


de perto a largura da testa.

O corte de cabelo ideal para quem tem o rosto quadrado: Assimétrico, ou


seja, com fios em diferentes comprimentos, repicados ou com pontas
irregulares, que afinam os traços do rosto e quebram a seriedade do formato
quadrado.
Mude com o penteado!

Mais descontraído: Duro por natureza, o corte de cabelo para quem tem o
rosto quadrado pode transmitir severidade excessiva. Para quebrar o gelo, vale
criar um leve topete despenteado com gel (num estilo roqueiro) ou jogar o
cabelo todo para trás e aplicar gel de efeito molhado.

Se o objetivo for quebrar os traços mais fortes e o aspecto “sisudo”, aposte em


um corte maior com uma leve franja desconectada, assim os traços do rosto
tendem a ficar mais leves.

Corte de cabelo masculino para quem tem o rosto retangular

Muito semelhante ao rosto quadrado, o formato retangular pode ser


considerado o rosto mais fácil de combinar os cortes, ou seja, combinam com a
maioria deles.

Que tipo de corte devo usar? Desfie fios do topo e os direcione para a testa.
Cuide somente para que a testa não aparente ficar grande demais na hora da
escolha do penteado.
Corte de cabelo masculino para quem tem rosto oval

Assim como o rosto quadrado o formato oval se comporta bem com quase
todos os cortes. Vale atentar somente para o penteado cuidando para não
destacar demais o nariz ( e olhos.
Características A testa é levemente mais larga do que o contorno do queixo,
as laterais são afinadas e a ponta do queixo tem desenho ovalado.

Corte de cabelo ideal: Considerado o mais harmônico dos formatos, combina


com qualquer corte, do comprido e desfiado ao comportado e prático, rente à
cabeça.
Mude com o penteado!
Mais ousado, estilo básico – curto e bem penteado:

fica mais irreverente com a aplicação de gel no alto da cabeça, gerando um


efeito arrepiado.

Mais moderno:

Penteados para trás e fixados com a ajuda de gel, os fios mais compridos e
desfiados ganham ar contemporâneo. Já com o uso de mousse na parte
frontal, numa versão “jogado de lado”, o corte fica mais jovial.

Visagismo: Como Combinar cores e Maquiagem

O visagismo tem como intuito ressaltar todos os pontos importantes do rosto e


disfarçar aquelas imperfeições para tornar a sua maquiagem mais harmônica.
Por isso, a técnica nascida na França, também está atrelada a escolha de
cores que serão usadas na elaboração da makeup – tanto para os tons que
devem ser combinados entre si quanto para os tons que funcionam melhor
para os tipos de coloração pessoal de acordo com o subtom de pele.

Subtom de Pele

Basicamente, os subtons de peles são divididos em duas formas: tons


quentes (com fundo amarelado) e tons frios (com fundo rosado). Garanto que é
possível identificar o seu em casa! Quer ver?

· Peles quentes tendem a ficarem bronzeadas depois da exposição ao sol,


enquanto os tons frios ficam avermelhados;

· Analise a pele do rosto e do colo em um ambiente com alta incidência de luz


natural: nas peles quentes é possível notar nuances puxadas para o marrom na
área dos olhos enquanto as frias apresentam tons azulados ou arroxeados.
Combinando as Cores

Com o subtom de pele identificado, o entendimento das cores se torna mais


prático. As peles quentes combinam melhor com as cores também quentes,
como vermelhos, amarelos e laranjas enquanto as peles frias harmonizam com
os tons frios, como nuances de azul e roxo.

Desta forma utilizamos o círculo cromático para auxiliar a compreensão das


cores, tanto na identificação de cores frias e quentes quanto na elaboração das
combinações.

Cores complementares: estão diretamente opostas na disposição do círculo,


sendo que um dos tons se torna dominante em relação ao outro.

Cores análogas: são as cores que estão dispostas lado a lado no círculo e
uma das três se torna a dominante na composição e harmonização.
Cores triádicas: são os tons que estão dispostos em um triângulo e são
espaçados a 120º um do outro. Como possuí um forte contraste visual, este é
um esquema bastante utilizado.
Com essa orientação, a escolha da paleta de cores para você ou para a sua
cliente se torna muito mais fácil e objetiva. Além disso, a harmonização de tons
entre sombras, batons e contornos também é facilitada e te ajuda a escolher as
melhores opções.

Entender o círculo cromático e saber trabalhar a harmonização e combinação


das cores é fundamental para qualquer profissional que trabalhe com
maquiagem.

Visagismo aplicado a maquiagem: Por que é tão importante?

Visagismo! Sim, visagismo. Eu fico muito impressionada com a quantidade de


profissionais das áreas de beleza e estilo que nunca ouviram falar no termo
‘visagismo’ e na sua aplicabilidade.

Vamos pelo começo. Visagismo é uma palavra que deriva do francês ‘visage’,
que significa “rosto”. Este termo foi criado na década de 1930, pelo maquiador
francês, Fernand Aubry. O Visagismo engloba um conjunto de técnicas
conceituais, desenvolvidas através do estudo dos traços da face,
características físicas e psicológicas, únicas de cada indivíduo. Ele aponta o
rosto como reflexo da identidade de cada um.

Então, como aplicar o visagismo a maquiagem? E por que isso é tão


importante?

Para começar, entender as técnicas de visagismo é fazer uma leitura da


identidade, aquilo que torna a pessoa única e, por consequência, revela
particularidades do estilo dela. Isso ajuda na construção de um referencial de
beleza que vai ser harmônico, equilibrando traços e fortalecendo a
personalidade e identidade. Significa criar um estilo que a pessoa sustente, que
ela seja reconhecida por uma beleza que é dela, sem força, sem parecer outra
identidade ou um personagem criado para encenar uma situação.
Vamos pensar na prática agora, gosto mais assim. Uma jovem vem até você
para fazer uma maquiagem social para uma ocasião muito especial. Ela tem
uma temperamento tímido e sensível ( você não a conhece intimamente, mas
conseguiu fazer esta leitura através das técnicas de visagismo). Você vai
propor um batom escuro? Um olho marcado? Cílios? ( Por mais que seja
adequada a ocasião, uma maquiagem exagerada pode não ser adequada…. E
adivinha?! A jovem não sabe disso, ela vai sentir-se bem com uma maquiagem
sofisticada!). Falamos somente de temperamento, o visagismo aqui seria chave
para estudarmos as formas do rosto e proporções também.

Exemplo dois. Você vai maquiar uma noiva. Aplicando a consultoria visagista
você consegue descobrir que ela tem uma personalidade muito forte, é uma
pessoa decidida, que já sabe o que deseja. Parece familiar?

Este estudo vai te ajudar a criar o estilo da noiva, respeitando a identidade.


Propor uma paleta roxa/lilás não vai trazer a tona toda beleza, toda
particularidade dela. E isso vai muito além…

Um maquiador visagista pode atuar de diversas formas. Da mesma forma que


revelar uma beleza natural é papel da maquiagem em situações sociais,
casamentos, formaturas… Construir um personagem é outro trabalho. Este é
realizado no cinema, teatro,

O entendimento das técnicas de visagismo agrega valor ao trabalho, ao


resultado final de maquiagem. Ele traz para o Maquiador técnicas conceituais
que vão diversificar o seu trabalho, melhorar o resultado e, acima de tudo, a
satisfação de seus clientes. Aprender a ouvir o cliente e ao mesmo tempo
extrair informações sobre o seu temperamento e assim, criar um estilo que caia
como uma luva para a pessoa é muito gratificante. No final da maquiagem é
perceptível o impacto na autoestima da cliente, na forma que ela enxerga ou
enxergava a sua beleza pessoal. Isso significa: Missão Cumprida!
Visagismo

O visagismo coloca a imagem em sintonia com o modo de vida de cada um.

Uma imagem fala mais do que palavras, ainda mais quando aplicamos isso na
imagem pessoal pois a reação de quem olha é meramente emocional. Não é
preciso conhecer as técnicas de visagismo para reconhecer as mensagens
transmitidas pela imagem do outro. Utilize o visagismo e descubra qual tipo de
corte combina com você:

Rosto Oval – Aceita diversos tipos de cortes, que podem variar desde os curtos
até os longos. A franja também é opcional para este tipo de formato de rosto.
Para dar um toque extra, entre na moda e evite desenhos retos para os fios.
Um corte mais desfiado ou desconectado pode render charme extra a este
visual. Rosto Redondo – É importante não abusar no volume dos fios, em sua
extensão.

Deixe a parte de cima mais carregada e as laterais desfiadas. As franjas e o


comprimento um pouco abaixo do ombro são recomendados e podem ser tanto
assimétricos quanto retos. Rabo de cavalo pode não ficar bom para esse
formato de rosto. Rosto Quadrado – Cortes de comprimentos variados são
indicados para este formato de rosto.

Caso queira um look mais curto, o chanel é uma boa aposta. Cortes mais
longos também são indicação certeira. A franja reta deve ser evitada, mas se
for em camadas, mais longa, pode cair bem. Rosto Triangular – Os cabelos
desconectados são uma ótima indicação para este rosto. Seja o corte longo,
médio ou curto, os fios assimétricos rendem charme e equilibram o formato da
face. Especialmente se o seu cabelo for cacheado ou crespo, evite os fios
retos. As franjas podem ser curtas e retas ou longas e desfiadas.

Cabelos com linhas verticais e retas: Transmitem estrutura Cabelos com linhas
retas horizontais: Transmitem estabilidade. No entanto, uma franja reta e um
cabelo com linhas verticais e base na horizontal, por exemplo, cria uma espécie
de barreira e mostra que a pessoa é convencional. Cabelos com linhas
inclinadas: Transmite dinamismo. Os cabelos com linhas inclinadas (desfiados
ou repicados) que se voltam para dentro representam introversão e dinamismo,
é algo perigoso, pois mostra desequilíbrio.
O ideal são as linhas inclinadas voltadas para fora, pois elas mostram que a
pessoa é dinâmica e extrovertida. Cabelos com linhas curvas: Os cabelos estilo
“Gisele Bündchen” transmitem amplitude, sensualidade, lirismo e romantismo.
Cabelos com linhas mais fechadas (cachos): transmite uma imagem
emocionalmente conturbada. Cabelos com linhas quebradas (encaracolados):
É uma linha lúdica, que transmite infantilidade.

Os encaracolados normalmente não são levados a sério. “Por isso que a


maioria das mulheres, quando chega à idade adulta não gosta desse tipo de
cabelo. Elas reagem emocionalmente, instintivamente ao se olhar no espelho.
E essa é a mesma reação de quem as vê. Visagismo é a arte de criar uma
imagem pessoal que revela as qualidades interiores de uma pessoa, de acordo
com suas características físicas e os princípios da linguagem visual harmônica
e estética. Oferece uma imagem personalizada e única ao levar em conta o
formato do rosto, a textura dos fios de cabelo, o tom da pele e o tipo físico.

Analisa as características faciais, a postura e a forma de andar. Traduz o


intelecto, decifra a emoção, a expressão, a intuição e a vontade.

7 PASSOS PARA SE TRANSFORMAR COM O VISAGISMO

O visagismo é uma técnica estética que ajuda a criar uma imagem pessoal
que reflita as qualidades interiores da mulher. Usando os recursos
da maquiagem e da produção do cabelo, essa mulher mudar seu semblante e
postura; inclusive elevando a autoestima.

Com alguns cuidados, a mulher pode se mostrar mais confiante e cheia de


atitude, independente da idade. "As mulheres poderosas de hoje em dia, não
importa qual seja a idade, sabem que cuidar do visual não é mais sinônimo de
pura vaidade.

1) Levantar olhos caídos

Para amenizar os efeitos de pele flácida abaixo da sobrancelha, decorrentes da


idade, faz-se um degradê de sombras que ultrapassa a área da pálpebra,
preenchendo até um pouco acima do côncavo.

2) Aumentar o tamanho dos olhos

Para dar a ilusão de que o olho é maior, utilizam-se cores mais claras no canto
interno e no meio do olho e uma cor mais escura só no canto externo.
3) Harmonizar rosto em formato de triângulo invertido

Passar pó bronzeador nos cantos externos da testa e iluminar o queixo com


corretivo iluminador.

4) Consertar nariz torto

Iluminar a base do nariz. Se o nariz for mais virado para a direita, iluminar a
ponta e a lateral esquerda e esfumar em linha reta, seguindo o osso do nariz
com pó bronzeador.

Fazer o inverso, se o nariz for virado para a esquerda.

5)Aumentar a boca

Desenhar o contorno da boca com lápis labial e depois passar batom (sempre
com cores claras para dar a ilusão de ser maior).

Aplicar gloss transparente só no centro da boca, para criar um "bico", que dará
a impressão de aumentar ainda mais a boca.

6)Dar volume ao cabelo fino e escasso

Cortar em camadas graduadas, para agregar volume ao cabelo fino e escasso.

Franja grande, cortada seguindo o contorno do rosto, com o objetivo de


diminuir a testa e nivelar o rosto em formato de triângulo invertido.

7)Harmonizar o cabelo com o tom de pele

Fazer mechas platinadas, cor louro, tom 11.11 - Alfaparfe, visando retirar o tom
amarelado da pele. Rosto com estrutura de tom quente, subtom amarelado,
combina com cabelos em tom frio (platinado).

Visagismo - uma área de atuação em plena expansão e muito valorizada

O Visagismo nada mais é do que a arte de criar uma imagem


pessoalpersonalizada de uma pessoa, baseada no princípio de que
o rostodeve expressar quem ela é, além de revelar suas qualidades.

Em resumo, o visagismo se refere a um estilo de corte de cabelo que, além de


combinar muito bem com o formato de seu rosto, expressa também seu estilo
de vida. É a arte de criar uma imagem pessoal que revela as qualidades
interiores de uma pessoa, de acordo com suas características físicas e os
princípios da linguagem visual (harmonia e estética), utilizando a maquilagem,
o corte, a coloração e o penteado do cabelo, entre outros recursos estéticos.

O visagista, devidamente habilitado, pode atuar profissionalmente em salões,


em institutos de beleza diversos, em serviços de spas clínicos, estéticos,
terapêuticos, spa days, hotéis, resorts e cruzeiros, atuando diretamente com os
consumidores de serviços de beleza.

Como consultor de imagem pessoal, após concluída com êxito sua


capacitação, esse profissional estará habilitado a orientar na definição de
estilos e na adoção de produtos para cuidados com cabelos e maquiagem,
podendo atuar em parceria com empresas da área cosmética, de beleza e de
moda. Em todos os campos de atuação, este profissional deve trabalhar com
criatividade, iniciativa, sociabilidade, desenvoltura social e cultural.

O bom profissional deverá dominar, com toda desenvoltura, as técnicas


básicas de corte de cabelos, coloração, ondulação temporária e permanente,
alisamentos e penteados de cabelos, assim como as técnicas básicas de
maquiagem.

A beleza é o resultado de medidas exatas que formam uma proporção muito agradável aos olhos de
quem vê

Como ponto de partida, o visagista precisa saber que a beleza é o resultado de


medidas exatas que formam uma proporção muito agradável aos olhos de
quem vê.

Por isso, o visagista pode transformar o rosto de quem não tem as proporções
perfeitas em um rosto bonito usando todas técnicas à sua disposição. Sendo
assim, quanto mais atualizado ele estiver, melhor para o seu sucesso
profissional e sua satisfação pessoal.

O foco de trabalho do visagista é o rosto do seu cliente. Este objeto deverá ser
calmamente observado, analisado e estudado de forma que o profissional seja
capaz de visualizar todas as imperfeições e possíveis melhorias no visual de
seus clientes, levando-se em consideração todos os fatores, como, por
exemplo, formato do rosto, manchas, cicatrizes, cabelo e inúmeras outras
imperfeições.

Um rosto padrão, considerado harmônico e bonito, possui o tamanho da altura


do nariz, igual ao tamanho da distância entre a base do nariz e o queixo, e
igual à altura da testa, que vai da base do nariz até a raiz do cabelo. E que
também é igual à distância entre o centro e a lateral do rosto, na parte mais
larga. A distância entre os olhos e o queixo deve ser igual à distância entre os
olhos e o topo da cabeça.

Portanto, os olhos estão situados exatamente no meio do rosto. O tamanho da


base do nariz deve ser um pouco maior que a largura do olho. A distância entre
a ponta do nariz e a base da orelha também deve ser igual à distância entre o
começo da borda do nariz até o canto interno do olho.

Rosto oval
No rosto oval, a testa é arredondada e a linha do cabelo é em forma de arco. A
maçã do rosto é levemente saliente e desce até a curva da mandíbula, que
começa na altura da boca. A largura do rosto oval corresponde a dois terços de
seu comprimento, portanto, é o que possui a proporção áurea, ou seja, uma
proporção perfeita. Por isso, o rosto oval é considerado o formato ideal para
uma mulher.

Uma variação do rosto oval é o formato oblongo. Nesse formato, o


comprimento é maior do que no formato oval. É um rosto de estrutura óssea
bastante comprida e estreita. Geralmente, a pessoa de rosto oblongo também
tem pescoço fino e comprido. A maquiagem deve diminuir o comprimento do
rosto.

Rosto redondo
No rosto redondo, a testa e o queixo são menores que nos rostos ovais e os
olhos frequentemente são mais espaçados do que o usual. Nos dá a impressão
de que a pessoa está acima do peso. É um formato muito encontrado entre
pessoas de origem asiática e indígena.

Rosto quadrado
O rosto quadrado apresenta os ângulos retos. A testa é retangular e a linha do
cabelo é reta. A linha que desce das maçãs do rosto até a mandíbula é reta e
tem pouca inclinação. A curva da mandíbula está abaixo da linha da boca e
corre quase horizontal até o queixo. O queixo pode ser um pouco mais
evidente. Os rostos mais retos são de pessoas com perfis mais sérios,
determinadas e corajosas. O rosto quadrado é muito atraente e, por isso, nada
deve ser disfarçado.

Rosto retangular
O rosto retangular possui ângulos como o quadrado, mas é mais comprido que
largo. Não é preciso corrigir nem o quadrado nem o retangular, pois são
formatos interessantes que passam uma imagem de pessoa moderna e forte.

Rosto triangular
No rosto triangular, também conhecido como formato de pera, a mandíbula é
bem evidente, larga e quadrada. A testa é pequena e estreita. A parte de baixo
é muito semelhante à do rosto quadrado. A curvatura da mandíbula é abaixo da
linha da boca. A linha da maçã do rosto até a mandíbula é para fora, ao
contrário dos outros formatos.

Rosto triangular invertido


No rosto triangular invertido, a testa é larga e a mandíbula é estreita. Quase
não se percebe a curva da mandíbula. Uma linha contínua vai da maçã do
rosto até o queixo.
Rosto hexagonal
O rosto hexagonal é muito semelhante ao triangular invertido, porém, a testa do
rosto hexagonal é muito menos larga. Em vez de ser reta, forma uma ponta ou
curva acentuada.

O contorno facial ideal para cada formato de rosto

Corretivo e iluminador são essenciais para um contorno perfeito

Mesmo que não seja uma prática muito comum reparar no formato de rosto das
pessoas, saber identificá-lo é o primeiro requisito para garantir uma make linda
e condizente com as feições de cada um. Para cada configuração de rosto,
com seus detalhes e particularidades, um diferente contorno deve ser feito. Os
tipos mais comuns de serem encontrados são aqueles com formato oval,
quadrado, triangular, triangular invertido e redondo. Independente do feitio do
rosto, é imprescindível ter um corretivo mais escuro que o tom da pele e um
iluminador, peças-chave para uma maquiagem contornada bem feita.

A regra básica é: o que você quer esconder deve ser contornado com o
corretivo escuro e a parte que você quer mostrar, deve ser iluminada. Sempre
usando o pincel e sem deixar divisões entre as cores. A maquiagem deve estar
sempre uniforme.

Rostos ovalados são os mais fáceis de contornar

Rostos com formato oval são considerados pelos maquiadores como os mais
fáceis de se produzir pois precisam de poucos truques e correções. Com linhas
totalmente arredondadas, eles são caracterizados principalmente por serem
sutilmente mais largos nas maçãs do rosto do que na parte da testa e do
maxilar. "O rosto oval é um pouco mais estreito em direção ao queixo e muitas
vezes é considerado como o formato ideal, uma vez que é favorecido por
qualquer estilo”. Para quem se encaixa nesse tipo de rosto, que pode ser
identificado em várias celebridades como Beyoncé, Jéssica Alba e Luana
Piovani, é fácil embelezar ainda mais a produção, já que ele não requer
grandes habilidades. A dica do profissional é usar o corretivo mais escuro para
escurecer sob as maçãs do rosto e iluminar a área abaixo dos olhos e o eixo
central da face, ou seja, a linha imaginária entre o queixo, o ossinho do nariz e
a testa.

Como suavizar suas linhas marcantes em rostos quadrados

Os rostos com formato quadrado como os de Angelina Jolie, Alinne Moraes e


Isabeli Fontana, por exemplo, podem ser identificados pela fisionomia larga e
forte, com maxilar amplo e traços marcantes. Para esse tipo de rosto existem
ainda duas variações: aqueles que são mais largos, fazendo o estilo
completamente quadrado e os mais afilados, que lembram um retângulo. Com
o intuito de suavizar as linhas muito retas e angulares desse formato de rosto e
criar uma aparência mais leve e delicada, o contorno com corretivo escuro e
iluminador pode ajudar bastante. O segredo é escurecer as laterais da testa e
do maxilar e iluminar o centro da testa e do queixo, além do topo do nariz.

Rostos triangulares possuem parte de baixo mais larga que a de cima

Como a nomenclatura sugere, esse tipo de rosto lembra a figura geométrica de


mesmo nome, ou seja, a parte de cima do rosto é mais estreita, alargando-se
na linha do maxilar. Essa configuração faz com que a base do rosto fique em
evidência, aparência que às vezes não agrada quem possui esse formato de
rosto, como Olivia Palermo e Kylie Jenner. Para atenuar essa diferença, que
traz a atenção da make para a linha dos lábios, o maquiador indica escurecer
as laterais do maxilar com o corretivo mais escuro que o tom de pele. Já as
áreas da testa, sob os olhos e o queixo ganham atenção especial com o
iluminador.

Rosto com formato coração ou triângulo invertido: topo mais fino que a
base

Esse formato é o oposto do triangular, ou seja, a linha da testa é mais larga do


que a do maxilar e do queixo, que costuma ser mais alongado. Também
conhecido como modelo coração, esse é o feitio do rosto de diversas famosas
como Scarlett Johansson, Emma Watson, Flávia Alessandra e Giovanna
Ewbank. A ideia do contorno para esse tipo de rosto é suavizar a diferença
entre a parte de cima mais larga e a de baixo mais afinada do rosto. Para isso,
a dica do expert em maquiagem é usar o corretivo para escurecer as laterais
da testa e o maxilar, dando a impressão de um rosto mais fino por inteiro. Já o
iluminador deve ser aplicado na "zona T", atraindo a atenção para essa parte.

Rosto redondo: como afiná-lo com uma maquiagem contornada

Por último, o rosto redondo é aquele que não possui ângulos definidos. A
tendência é que ele seja mais largo nas maçãs do rosto e nas bochechas e
mais arredondado nas linhas da testa e do maxilar. Isis Valverde, Drew
Barrymore e Miley Cyrus são algumas das celebridades que possuem essa
configuração de rosto. A maquiagem contornada para esse formato surge com
o objetivo de fornecer uma sensação de altura ao rosto, fazendo com que ele
pareça mais comprido e menos gordinho. Para conseguir isso, Rick aconselha
que toda a lateral da face seja escurecida, optando por iluminar somente o eixo
central.

Especialista explica o Visagismo: a linguagem visual na construção da


imagem pessoal.

Você pode ainda não saber exatamente o que significa o termo visagismo mas,
com toda certeza, já ouviu falar dele em rodas de conversa, salões de beleza
ou leu por aí nas revistas especializadas da área de estética e comportamento.

Essa técnica, que apareceu pela primeira vez na França, consiste em valorizar
a beleza de cada pessoa buscando os seus melhores aspectos baseada em
sua personalidade e características físicas. A ideia é que cada pessoa tem uma
beleza única e que pode ficar ainda mais incrível se receber os cuidados e as
orientações de um profissional especializado. Certamente você se
surpreenderá ao descobrir traços que nem imaginava que pudesse explorar
com sucesso.

Com o visagismo você passa a entender que não adianta querer copiar o corte
de cabelo da moda, a roupa da atriz da novela, o tom de cabelo da cantora de
sucesso e os acessórios que aparecerem na TV. Apesar de ficarem lindos em
outras mulheres nem sempre será a melhor opção para o seu biotipo. Traços
da sua personalidade e características como a sua estatura e peso podem
esconder, sem que você perceba, quais são as opções que valorizam sua
beleza e te fazem única.

As técnicas de visagismo são muitas e variam de acordo com cada profissional


da área. O certo é que, na maioria delas, uma conversa inicial com o visagista
pode ser o primeiro passo para um processo de transformação. As próximas
etapas geralmente incluem estudos personalizados do seu estilo de vida, suas
preferências de vestuário e até mesmo sobre os seus objetivos de vida.

Se ainda restou alguma dúvida de como o visagismo pode te valorizar, uma


pesquisa revela que 70% da imagem que passamos inicialmente é
determinada pelo que apresentamos dos ombros para cima: ou seja, os
cuidados e apresentação de cabelos, sobrancelhas, maquiagem e acessórios.

Tudo isso aliado à consagrada ideia de que a primeira impressão é a que fica.
É muito bacana constatar que um investimento em si mesma pode auxiliar no
resgate da autoestima perdida com o tempo e na valorização de uma beleza
que sempre esteve ali e só precisava ser lapidada.

Como não existe um kit padrão, cada pessoa tem o seu próprio “diagnóstico”
num processo de visagismo. É um trabalho personalizado e exclusivo. O
resultado disso é uma melhor imagem transmitida em círculos sociais,
ambiente de trabalho e nas relações interpessoais. Ou seja, além de mudar a
maneira como você se vê, muda também a forma como as pessoas te
enxergam. Além de um resultado estético satisfatório, estudos comprovam que
uma pessoa realizada com sua aparência desenvolve melhor aspectos como
segurança e autoconfiança.

Um estudo completo de visagismo pode mudar uma pessoa da cabeça aos


pés, literalmente. Quando um profissional promove uma mudança completa,
ele harmoniza todos os aspectos: desde o corte de cabelo, que vai seguir as
características pessoais e as tendências de moda, com uma nova identidade
do guarda-roupa e até mesmo um kit completo de acessórios que vão ornar
com o novo modelo.

Neste trabalho, observa-se ainda a proporção de cada linha do seu rosto e


como ela se comporta com o novo corte de cabelo e o design da sobrancelha.
Tudo é feito para que a harmonia de todos estes elementos promovam a
renovação de sua beleza.

Visagismo: O Papel da Técnica na Construção da Imagem Pessoal

Em todas as áreas de artes visuais, inclusive na de imagem pessoal, há uma


tendência de focar em técnica e ignorar o estudo da linguagem visual. Aliás,
muitas pessoas nem sabem o que é linguagem visual.

A técnica é essencial ao processo criativo. Sem ela, não há como executar um


trabalho, e quanto maior for o domínio e a experiência com diversas técnicas,
mais recursos o criador da imagem terá. Na construção da imagem pessoal, o
aprendizado de técnicas habilita o profissional a criar diversos efeitos, no corte,
na coloração, no penteado, no design de sobrancelhas e na maquilagem.

Com conhecimento técnico, sabe em que ângulo cortar uma mecha para obter
o efeito desejado, ou com que instrumento deve trabalhar. Sabe como aplicar
uma tintura corretamente e como usar escovas. O maquilador sabe como
aplicar os cosméticos, para criar efeitos diversos, e como utilizar uma pinça,
por exemplo. No entanto, mesmo sabendo fazer tudo isso, o profissional não
saberá estilizar um corte, definir uma intenção ou expressar-se através da cor e
da luz, se não adquirir outros conhecimentos. O fazer e o idealizar são fases
distintas e separadas do processo criativo.

O processo criativo tem quatro estágios interligados: a concepção, a


materialização, a interpretação e a re-interpretação. Eu não sou cabeleireiro,
nem maquilador. Sou artista plástico e pesquisador da linguagem visual há
quase 40 anos. Embora não possa executar um corte de cabelo ou uma
maquilagem, porque não domino as técnicas, consigo estabelecer um conceito
de corte e materializá-lo visualmente, desenhando o conceito. Mas também
poderia materializá-lo verbalmente, simplesmente explicando o que visualizo
mentalmente. Em outras palavras, consigo criar um estilo, mas não sei
executá-lo, ou interpretá-lo.

Na fase da idealização, que compreende a concepção e a materialização,


estabelece-se o que se deseja expressar através da imagem. Na fase do fazer,
a interpretação, é decidido como isso será realizado. Em algumas artes, como
na música, duas ou mais pessoas estão envolvidas no processo de criação. O
compositor idealiza a música; o intérprete a executa.

A última fase, a reinterpretação, envolve o espectador, ou, no caso da imagem


pessoal, o cliente e as pessoas com quem tem contato, que re-interpreta aquilo
que o artista criou.

O aprendizado da linguagem visual habilita o profissional a criar uma imagem


conscientemente. Ele aprende o que as formas, linhas e cores expressam, os
princípios de harmonia, estética e equilíbrio, a teoria da cor e como a luz
funciona e como utilizá-la para criar volume. Essa linguagem não é baseada
em regras ou em preferências culturais, mas na física ótica, na matemática, na
geometria e na ciência cognitiva, que estuda como o ser humano processa
imagens no cérebro e como funciona a percepção visual. Com esse
conhecimento, uma pessoa pode criar uma imagem que expressa um conceito,
ou idéia. Isso é a mesma coisa que criar um estilo.
Infelizmente, a grande maioria das pessoas que lida com imagens não tem
esse conhecimento formal. Isso acontece porque raramente é ensinado nas
escolas e faculdades. Antigamente era ensinado por meio do desenho,
academicamente. As academias estabeleceram regras no uso da linguagem
visual, o que limitava a criatividade, e as escolas modernas não souberam
separar o conhecimento das regras, abandonando o ensino do desenho por
completo desde 1960.

Como resultado, a maioria dos profissionais usa somente a intuição, que


depende do grau de inteligência visual, ou copia estilos pré-determinados por
outros e assimilados por fotografias, ou pela observação de outros trabalhando.
Além de limitar o profissional, isso causa frustração e um senso de impotência.
Mesmo um profissional com alto grau de inteligência visual se beneficiará
adquirindo o conhecimento formal da linguagem visual.

Além de proporcionar muito mais opções e liberdade para criar, esse


aprendizado faz com que o trabalho se torne consciente. O profissional saberá
explicar o conceito do corte para o cliente, o que expressará e como o afetará.
Também permitirá analisar a imagem que o cliente tem ao entrar no salão, o
que expressa e o que não é adequado esteticamente, para sua personalidade
e para suas atividades.

O profissional que conhece muitas técnicas, mas nunca estudou a linguagem


visual, é limitado. Para exercer sua criatividade plenamente, o profissional
precisa ter domínio da linguagem visual e de diversas técnicas, e saber usá-las
em conjunto. Isso exige treino, prática e estudo.

A importância das técnicas e conceitos do visagismo aplicadas na área


da estética e imagem pessoal.

O Visagismo é a arte de customizar a imagem pessoal, este conceito foi


desenvolvido pelo artista plástico Philip Hallawell, e tem como objetivo, a busca
por soluções que expressem visualmente características positivas de uma
personalidade. Para isso, faz uso consciente dos elementos de linguagem
visual como: linhas, formas e cores. As técnicas e conceitos do visagismo
ajudam a revelar, na imagem pessoal, as qualidades de uma pessoa, com
harmonia e estética.

Por qualidades, entendem-se não só as físicas, mas também as da


personalidade. Trabalha de acordo com o princípio “a forma define a função”,
ou seja, antes de pensar a forma, pensa na pessoa, em sua personalidade, em
suas necessidades e em seu estilo de vida, a função. Já a imagem pessoal
determina as mensagens que a pessoa quer transmitir. A imagem conta quem
a pessoa é, e bem utilizada é uma linguagem poderosa que ajuda a
complementar as habilidades pessoais, profissionais, pois é através da imagem
pessoal, que a pessoa transmite sua identidade 2,3.

Um dos maiores desafios , quando se começa a trabalhar com o conceito do


Visagismo, é não olhar os aspectos estéticos em primeiro lugar, mas sim a
pessoa por trás do rosto. O que pode ser esteticamente agradável talvez não
faça bem a ela. É preciso descobrir o que cada pessoa deseja expressar de si
mesmo depois, pensar em como criar uma imagem bonita. "Esse é o caminho
para estilizar verdadeiramente a imagem de uma pessoa". Este trabalho visa
discutir os conceitos e técnicas do visagismo, e sua utilização na área da
estética e imagem pessoal através do estudo bibliográfico. Pretende-se discutir
e ressaltar como e onde podem ser aplicadas essas técnicas e conceitos,
inserindo de forma clara, como o visagismo pode ser um diferencial na área de
estética e imagem pessoal.

O profissional deve ter consciência que cada pessoa é única e necessita de


uma imagem que condiz com sua personalidade, profissão, estilo de vida, e
suas características físicas.

Estética e imagem pessoal

A palavra estética vem do grego aísthesis, que significa sensação, sentimento.


Diferentemente da poética, que já parte de gêneros artísticos constituídos, a
estética analisa o complexo de sensações e dos sentimentos, investiga sua
integração nas atividades físicas e mentais do homem, debruçando-se sobre
produções (artísticas ou não) da sensibilidade, com o fim de determinar suas
relações com o conhecimento, à razão e a ética .
Conceitualmente, estética é a apreciação da beleza, ou a combinação de
qualidades que proporcionam intenso prazer aos sentidos, às faculdades
intelectuais e morais. Portanto a identificação da beleza está relacionada a uma
sensação de prazer diante da visualização de um objeto, um som, uma pessoa.
Por ser uma sensação prazerosa, o conceito de beleza é próprio de cada
indivíduo, sendo estabelecido a partir de valores individuais relacionados ao
gênero, raça, educação e experiências pessoais; e a valores da sociedade
como o ambiente e a publicidade (mídia), cada vez mais responsável pela
globalização do conceito de beleza . A primeira avaliação do indivíduo é dada
pela imagem pessoal em harmonia, independente da vontade, quando se
observa a aparência de uma pessoa retira-se imediatamente uma gama de
informações significativas: sexo, idade, raça, nível socioeconômico e outras .

A imagem do indivíduo é composta por seu formato de rosto, feições, cor de


pele, corte de cabelo, penteado, coloração, maquilagem, adornos e, no caso
dos homens, pelos faciais. Esses fatores fazem uma declaração de quem ele é
através da linguagem visual. Hoje há quase 6,5 bilhões de pessoas no mundo.
No entanto cada pessoa é única. Nenhuma pessoa é igual à outra, física ou
psicologicamente. Portanto é preciso ter muita cautela quando se fala em
avaliar a personalidade de alguém.

Ao conhecer alguém, se passa inconscientemente a analisar essa pessoa, e


sua imagem pessoal, essa imagem transmite as primeiras sensações, sejam
elas negativas ou positivas. Os profissionais de estética precisam aprender a
avaliar seu cliente como um todo, conhecer sua personalidade, e saber até
onde poderá alterar sua identidade para pode auxiliar na melhora de sua
imagem pessoal.

Visagismo

A palavra visagisme surgiu na França originária do termo visage que significa


rosto, e estabelece o que seria a criação ou adequação da imagem pessoal
segundo características pessoais autênticas. O objetivo do visagismo é o
estudo da linguagem visual, mais especificamente dos símbolos arquetípicos
mais básicos (linhas, formas e cores), e seu processo de interpretação pelo
cérebro humano e a possibilidade de seu uso consciente para gerar imagens
com significado.

O termo Visagismo refere-se à arte de criar uma imagem pessoal, revelando as


qualidades de uma pessoa, combinando com suas peculiaridades físicas e os
inícios da linguagem visual (harmonia e estética), utilizando de recursos como
o corte, delineamento de sobrancelhas, maquilagem, cosméticos, coloração de
cabelos e penteados entre outros.

Todo mundo tem uma compreensão intuitiva da linguagem visual, mas poucos
sabem como realmente funciona. É a mais antiga e primitiva linguagem dos
seres humanos e a primeira utilizada para compreender o mundo que nos
cerca. Intuitivamente entendemos o que significam as diversas linhas, formas,
cores e outros elementos que compõem uma imagem. É por isso que é
possível sentir o que as imagens transmitem.

Desta maneira, torna-se possível construir uma imagem pessoal pela


aparência. Segundo Hallawell essa técnica estuda a personalidade do cliente
adequando-a ao seu visual por meio de conhecimento profundo da linguagem
visual. Pessoas que trabalham com imagem, como os profissionais da área da
beleza, geralmente têm inteligência visual acima da média e, instintivamente,
sabem como lidar com uma imagem. No entanto, para exercer o visagismo, é
preciso conhecer essa linguagem profundamente.

O visagismo é utilizado não só na estética, mas também em outras áreas


como, por exemplo: moda, arquitetura e design de interiores.

O reconhecimento dos formatos de rostos

No todo que constitui o corpo de cada indivíduo, sobressai à face, tida como
“cartão de visita” de cada um. A face é a parte do corpo que mantém um
relacionamento mais direto com o mundo e a partir do qual se dá o primeiro
contato interpessoal. É através da face que o ser humano expressa
sentimentos e emoções tais como felicidade, raiva, tristeza, preocupação, entre
outras. Por ser a face o segmento do corpo mais representativo e valorizado do
ser humano, é natural que nela se concentrem esforços de promoção e
conservação de estética e beleza.
Segundo o visagista Hallawell, o formato do rosto é determinado, pela estrutura
óssea da pessoa. Por exemplo, se o osso frontal de uma pessoa for largo e a
mandíbula fina, o rosto provavelmente será triangular invertido. Por outro lado,
pessoas com arcos zigomáticos grandes, altas e largas, tem tendência ao
formato hexagonal. Os pontos principais a serem observados nos rostos são a
altura e a largura da testa, o formato das maçãs e o formato da mandíbula.
Rostos ovais e redondos têm formas arredondadas, rostos quadrados são
constituídos por ângulos retos, e rostos triangulares e hexagonais têm
características angulares. O primeiro passo é observar as linhas que compõem
o formato do rosto. Hallawell destaca oito tipos: quadrangular, oval, retangular,
redondo, hexagonal com linhas retas, losangulo, triangular e triangular
invertido.

O autor destaca que, por muito tempo, o formato oval foi considerado o ideal de
beleza para as mulheres, porque expressa delicadeza e suavidade. No entanto,
esse conceito presume que o ideal de mulher é a delicadeza e a suavidade,
algo preconceituoso e antiquado no mundo atual. Há beleza na delicadeza e na
suavidade, e ainda na força, na expressividade e no dinamismo.

As Feições

O terço médio é ocupado pela região emocional (olhos) e pela região do ritmo
vital (nariz). O terço inferior é ocupado pela região da expressão da intuição
(boca) e pela região da vontade (queixo). A testa e as sobrancelhas são
relacionadas com o 6 intelecto. As feições dão harmonia ao rosto e começa
pela sobrancelha, olhos, nariz, boca e queixo.

As sobrancelhas conferem definição e força ao rosto, além de estruturar os


olhos 9. Os formatos de sobrancelhas são diversos como: arqueadas, caídas,
longas, retas e curtas. Além de redondas e espessas. Os olhos são conhecidos
como as janelas da alma. Variam de cor, formato e tamanho. A boca e os olhos
são as partes mais expressivas do rosto, os olhos podem ser: pequenos,
redondos, caídos, amendoados, orientais. Os cantos da boca são os pontos
que transmitem expressão. A boca também varia de tamanho e formato como:
boca padrão, grossa, fina, pequena, larga, cupido, caída e curva.
O nariz é a parte do rosto que apresenta as maiores variações. Para identificar
o formato de nariz de uma pessoa é preciso observá-lo de frente e perfil. Pode-
se encontrar nariz padrão, curto, largo, longo, fino, pontudo, pronunciado,
chato, grande, pequeno, arrebitado, redondo, caído, adunco, e com o osso
nasal saltado. O formato do queixo este muito ligado ao do rosto, mas há
variações importantes como: queixo padrão, queixo pronunciado, queixo
retraído, queixo pontudo, redondo e reto.

Em relação à concepção de espaço, consegue-se perceber a forma de algo


quando se compara o espaço que ele ocupa com o espaço a sua volta. O
espaço ocupado por algo é chamado espaço positivo, e o espaço ao seu redor
é o espaço negativo. A concepção de espaços é importante para identificar o
formato da cabeça, do rosto e das partes. É importante acostumar a observar
os espaços ao redor das partes e suas formas, pois também serão maquiadas
(no caso de maquiagem), e precisam ser tratadas com a mesma importância
que a boca, o nariz, os olhos, o cabelo, e a vestimenta.

A coloração pessoal

As cores devem valorizar a aparência, complementar e harmonizar com a


coloração pessoal do indivíduo, para compra de roupas e acessórios, aplicação
na maquiagem e coloração de cabelo 10. A coloração pessoal é avaliada a
partir do tom da pele, da cor dos olhos, dos cabelos; as variações da cor da
pele variam de acordo com a quantidade de três pigmentos: Hemoglobina igual
a vermelho, Melanina igual a marrom-azulado/ marrom-alaranjado, Carotina
igual a amarelo.

Coloração pessoal pode ser quente ou fria, dependendo da quantidade dos três
pigmentos. A pele tem uma tonalidade de base, que é azulada (fria) ou dourada
(quente), é uma intensidade que vai do claro ao escuro. O pintor suíço
Johannes Itten, ao observar seus alunos, constatou que eles tendiam a usar
nas pinturas cores semelhantes às de sua coloração pessoal (pele, olhos, e
cabelo). Criou então uma teoria na qual a pessoa deveria usar no seu vestuário
cores que repetissem e valorizasse sua coloração, Suzanne Caygill, estilista de
São Francisco, Califórnia, usou há cerca de sessenta anos a teoria de
Johannes na moda, organizando as cores em quatro grupos básicos, que
denominou de primavera, verão, outono e inverno. Assim nasceu a paleta
sazonal.

Quando a pessoa usa a cor que se harmoniza com sua coloração, a aparência
se torna mais iluminada, saudável, rejuvenescida, caso contrário, a pessoa vai
aparentar cansaço, envelhecimento e se torna apagada. A fim de encontrar as
cores que harmonizam com a coloração pessoal, é necessário que a pessoa
passe por uma análise. O analista faz uma seleção cuidadosa das cores que a
pessoa deve usar. Para o profissional que trabalha com beleza no Brasil, é
muito importante ter conhecimento de todas essas classificações. A população
brasileira é muito eclética, encontram-se todos os tipos em todos os lugares,
devido às diversas descendências e mistura de raças.

Linguagem visual

Para exercer o visagismo, é preciso exercitar a linguagem visual


profundamente. Esse conhecimento permite analisar as formas e os traços de
um rosto, ajudando a analisar a personalidade de uma pessoa, e o que ela
deseja transmitir através de sua imagem. Com esse conhecimento, o
profissional consegue, depois de alguma prática, fazer uma leitura muito rápida
de seu cliente. Conversando com esse, descobrirá mais sobre ele (a): seu
trabalho, suas atividades, seu estilo de vida, seus desejos e suas
necessidades. Então saberá o que sua imagem deve expressar, para lhe
proporcionar maiores benefícios nos seus relacionamentos, levantar sua
autoestima e criar bem estar em geral.

O aprendizado da linguagem visual habilita o profissional a criar uma imagem


conscientemente. Ele aprende o que as formas, linhas e cores expressam os
princípios de harmonia, estética e equilíbrio, a teoria da cor, e como a luz
funciona e como utilizá-la para criar volume. Essa linguagem não é baseada
em regras ou em preferências culturais, mas na física ótica, na matemática, na
geometria e na ciência cognitiva, que estuda como o ser humano processa
imagens no cérebro e como funciona a percepção visual. Com esse
conhecimento, uma pessoa pode criar uma imagem que expressa um conceito,
ou ideia.
Como resultado, a maioria dos profissionais usa somente a intuição, que
depende do grau de inteligência visual, ou copia estilos pré-determinados por
outros e assimilados por fotografias, ou pela observação de outros trabalhando.
Além de limitar o profissional, isso causa frustração e um senso de impotência.
Mesmo um profissional com alto grau de inteligência visual, se beneficiará,
adquirindo o conhecimento formal da linguagem visual. Além de proporcionar
muito mais opções e liberdade para criar, esse aprendizado faz com que o
trabalho se torne consciente. O profissional saberá explicar o conceito do corte
para o cliente, o que expressará e como o afetará. Também permitirá analisar a
imagem do cliente, o que expressa e o que não é adequado esteticamente,
para sua personalidade e para suas atividades. Para exercer sua criatividade
plenamente, o profissional precisa ter domínio na área visual e de diversas
técnicas, e saber usá-las em conjunto. Isso exige treino, prática e estudo