Você está na página 1de 3

FRANCISCO JUSCINEUDO ALVES DE OLIVEIRA

R.A: 8066448

ÉTICA E FILOSOFIA POLÍTICA


PORTFÓLIO (CICLO 2)

Trabalho apresentado ao Centro


Universitário Claretiano para a disciplina
Ética e Filosofia Política, ministrada pelo
Tutor/Professor: Alessandro Reina.

João Pessoa
2019
A CONCEPÇÃO ÉTICA DE ARISTÓTELES

A concepção principal da ética aristotélica está associada a determinação do


que é o “bem” e o sentido que ele possui para o homem. Pois, para Aristóteles
apenas quem conhece o bem é capacitado de obter a felicidade, que está felicidade
não se trata apenas de um sentimento temporário, mas sim de algo que é construído
ao longo da vida inteira.
De acordo com Aristóteles, toda e qualquer arte e saber, bem como tudo o
que realizamos e decidimos, aparenta focar em algum bem. Por isso, que o bem é
aquilo em que todas as coisas pretendem, porém, há diferenças entre os objetivos
ou as finalidades, já que alguns são atividades, e outros são apenas produtos das
atividades que os produzem (ARISTÓTELES, 1094a, apud PERINE,1982). E o bem
vem por dois meios: pelas ações/atividades práticas, ou seja, aquelas que possuem
seus próprios objetivos (exemplo: ética e política); ou por meio das atividades
produtivas (sendo as artes ou as técnicas).
No que se refere à ética, o bem possibilita que cada indivíduo possa ser
capaz de conviver com os outros, ou seja, o “bem” possibilita a convivência na
sociedade. E a ética relacionada ao bem de todos, está diretamente ligada a
felicidade, entretanto, esta não é apenas um sentimento que surge, e depois some,
mas, a construção de algo no cotidiano da socialização do homem. Vale ressaltar
também que, na concepção da ética aristotélica o bem ético faz parte do modo de
vida excelente e a felicidade é a vida inteiramente realizada em sua superioridade
máxima. Por isso não se dá de imediato, é necessário que seja um exercício do
cotidiano realizado pela alma no decorrer da vida (ARISTÓTELES, 1094a, apud
PERINE,1982). Também podemos considerar que a justiça pode ser a maior virtude
entre todas, assim como o próprio Aristóteles acreditava, pois, a injustiça é capaz de
acabar com o bem, com a felicidade, com o home e com a sociedade.
Nesse sentido, a prática ética desenvolvida pelo homem no cotidiano da
atualidade difere dos moldes da teoria aristotélica já que o homem deixou de buscar
o bem coletivo e passou a buscar o bem próprio, passando por cima de tudo e de
todos, com ações contrárias a ética, fazendo com que não sejamos mais tão
virtuosos devido as nossas falhas como seres humanos, que vivemos em sociedade
mas o bem de todos não é visto com todos como algo que deve ser coletivo na
busca pelo bem e pela felicidade em seu grau máximo.
REFERÊNCIA

PERINE, Marcelo. Nas origens da ética ocidental: a Ética a Nicômaco. Revista


Síntese, n. 25, 1982. Disponível em:<https://s3.amazonaws.com/academia.edu.
documents/34390231/Perine_Nas_origens_da_etica_ocidental.PDF?AWSAccessKe
yId=AKIAIWOWYYGZ2Y53UL3A&Expires=1557174805&Signature=T2gnXbXpy1O1
VKXhaWC7R4OvEjg%3D&response-content-disposition=inline%3B%20filename%
3DNAS_ORIGENS_DA_ETICA_OCIDENTAL_A_ETICA_A.pdf>. Acessado em 03 de
maio de 2019.