Você está na página 1de 9

Os efeitos do diploma superior

nos resultados iniciais da


carreira profissional
André Vieira
(UFRJ, CEIPE/FGV)

Seminário “Ensino Superior, Qualidade e Eficiência”


28/06/2018

Copyright UFRJ | LAPES – Laboratório de Pesquisa em Ensino Superior. All Rights Reserved.
Métodos

 Pergunta: Quais os retornos econômicos do diploma superior no início


da carreira dos egressos? E quão heterogêneos são os retornos entre
setores e áreas de estudo?
 Dados: RAIS (2004-2015) e Enade (2009-2011).
 Resultado de interesse: log da remuneração semanal total.
 Preditor: recebimento de diploma superior.
 Controles: sociodemográfico, formação superior, engajamento no
mercado de trabalho.

Copyright UFRJ | LAPES – Laboratório de Pesquisa em Ensino Superior. All Rights Reserved.
Métodos

 Modelo: efeitos fixos no nível do estudante (estimados para homem e mulher).

 Intuição:
 Explora variação ao longo do tempo intra-indivíduo para controlar seletividade
não observada dos egressos do ES.
 Cada indivíduo serve como o seu próprio controle.

 Interpretação: impacto de receber um diploma para estudantes empregados que


concluíram um curso superior (“tratamento sobre os tratados”).

Copyright UFRJ | LAPES – Laboratório de Pesquisa em Ensino Superior. All Rights Reserved.
Resultados

Tabela 1: Estatísticas descritivas, Enade 2009-2011, RAIS 2004-2015


Resultados

Figura 1: Log da remuneração mensal ao longo do tempo, por status de tratamento

Copyright UFRJ | LAPES – Laboratório de Pesquisa em Ensino Superior. All Rights Reserved.
Resultados

Figura 2: Log da remuneração mensal, por status de tratamento e setor da IES

Copyright UFRJ | LAPES – Laboratório de Pesquisa em Ensino Superior. All Rights Reserved.
Resultados
Tabela 1: Retornos salariais para graduação em IES pública: Modelos FE, Enade 2009-2011, RAIS 2004-2015

Copyright UFRJ | LAPES – Laboratório de Pesquisa em Ensino Superior. All Rights Reserved.
Limitações e próximos passos

 Pressuposto do modelo é atendido? Tratamento não está


correlacionado a nenhuma característica individual variante no tempo
não mensurada?
 Rechecagem de erros de mensuração: raça, escolaridade dos pais,
experiência etc.
 Controles importantes ausentes: motivações, aspirações, desempenho
prévio etc.
 Testes de sensibilidade: mudanças na amostra, especificações do
modelo, operacionalização de variáveis.

Copyright UFRJ | LAPES – Laboratório de Pesquisa em Ensino Superior. All Rights Reserved.