Você está na página 1de 2

8 Atitudes para uma Vida Plena

Por Luiz Eduardo Conti – Psicólogo – conti.psicologo@gmail.com

Maior qualidade de vida, mais motivação, maior produtividade, relacionamentos satisfatórios,


enfim, a vida plena que todos desejam, depende de atitudes!

Veja as 8 atitudes que podem melhorar a qualidade da sua vida:


Foco em você
1. Propósito Identifique uma razão para a sua vida
Dê um sentido grandioso a todas as suas ações.
“Sucesso não tem a ver com acumular, mas com fazer aquilo de que se gosta e que dá sentido à vida.”
Gustavo Ranieri
O sentimento de utilidade é provavelmente o mais prazeroso do ser humano. A convicção de que
podemos fazer a diferença nos energiza e nos move, mesmo diante das maiores dificuldades impostas
pelo mundo. A consciência de que nossa vida tem um sentido e de que deixaremos um legado, são
fatores que promovem bem-estar e previnem as dores psicológicas.
Segundo Victor Hugo: “O mundo tem vários nomes. Para os fracos e covardes, chama-se impossível.
Para os comodistas, inútil. Para os pensadores e os valentes, ideal”. Sejamos, pois, valentes na prática
persistente dos nossos ideais.

2. Visão Determine o ponto de chegada


Saiba aonde quer chegar e caminhe nessa direção.
“Nada contribui tanto para tranquilizar a mente quanto um objetivo claro – um ponto sobre o qual a
alma possa fixar seu olhar intelectual.” Mary W. Shelley
Precisamos viajar mentalmente para o futuro e fincar uma bandeira no ponto onde queremos chegar.
Depois, abrir os olhos e caminhar decididamente naquela direção, afinal, como disse William James,
“aquilo que prende a atenção determina a ação”.

3. Planejamento Estabeleça prioridades


Identifique o que é mais importante e prepare-se para fazê-lo primeiro.
“Ao lado da nobre arte de conseguir fazer coisas existe a nobre arte de deixar as coisas por fazer. A
sabedoria da vida consiste em eliminar o que não é essencial.” Lin Yutang
O mundo tecnológico no qual vivemos nos ‘bombardeia’ informações continuadamente. Muita coisa
boa, mas também muita coisa ruim. Compreender a diferença entre elas e nos dedicar apenas àquilo
que de fato vale a pena (naquilo que nos direciona à nossa visão) é a única maneira de não nos
perdermos na caminhada que nos manterá em direção à nossa missão.

4. Ação Tome a iniciativa


Você é responsável pela sua vida. Mexa-se!
“Querer é quase sempre poder: o que é excessivamente raro é o querer.” Alexandre Herculano
A vida nos impõe inúmeros obstáculos. Usamos o livre arbítrio para decidir como iremos enfrentá-los.
Os pessimistas escolhem nada fazer, acomodam-se. Convivem com a dor e a frustração.
Os que têm iniciativa, não se conformam. Decidem ir adiante, enfrentando os desafios que os
obstáculos impõem. Pode doer... Certamente vai doer. Mas mesmo que não dê certo, fica ao menos a
boa sensação de ter arriscado vencer.
5. Harmonia Busque o equilíbrio
Cuide do seu corpo e da sua mente com atitudes saudáveis e divertidas.
“Devemos ouvir pelo menos uma pequena canção, ler um bom poema, ver uma pintura de qualidade e,
se possível, dizer algumas palavras sensatas”. Goethe
Shakespeare nos ensinou que “Mal usada, mesmo a mais dura faca perde o fio.” O mesmo vale para o
nosso corpo e para a nossa mente: mal usados ou mal cuidados, perdem a vitalidade e a clareza de
ideias. Boa saúde física, boa saúde psíquica e aprendizado constante: eis as condições necessárias para
continuarmos atuando com sucesso do palco do mundo.

Foco nos seus relacionamentos


6. Empatia Considere o ponto de vista do outro
Ouvir e compreender, depois falar.
“Quem só conhece seu próprio lado do problema sabe pouco sobre ele.” John Stuart Mill
Quando retrucamos o argumento alheio antes mesmo dele se concluir, inviabilizamos a verdadeira
comunicação. Um relacionamento genuíno precisa de comunicação plena que só será possível se formos
capazes de argumentar apenas após compreender o ponto de vista da outra pessoa. Como afirma
Covey: “Procurar compreender exige consideração, procurar ser entendido requer coragem. A eficácia
(da comunicação) reside no equilíbrio das duas coisas.”.

7. Altruísmo Fortaleça as pessoas


O bem-estar do outro também importa.
“Torna as coisas mais fáceis para si mesmo quem torna as coisas mais fáceis para os outros.” Ditado
asiático
O ser humano possui natureza gregária, precisa da presença do outro. Nada mais lógico, portanto, que
essa convivência seja sadia, equilibrada. Esse equilíbrio só será possível se nossas escolhas promoverem
o bem-estar daqueles com quem convivemos. Aliás, proporcionar o bem-estar do outro é “uma das mais
saudáveis, certas e generosas alegria da vida”.

8. Cooperação Colabore para o sucesso da equipe


Fazendo junto o resultado é melhor.
“Leve é a tarefa quando muitos dividem o trabalho.” Homero
A vida é repleta de grandes desafios. Nesses momentos, poder contar com a cooperação de outras
pessoas nos alivia. Trabalhar em regime de cooperação, no entanto, exige cuidados. Respeitar e
valorizar as diferenças, saber ouvir e refletir antes de argumentar, são habilidades essenciais nessas
ocasiões. Acha difícil agir assim? Veja como pensa Ralph W. Emerson: “Nunca encontrei alguém que não
fosse superior a mim em alguma coisa”.

Baseado no livro “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes” de Stephen Covey e nos conceitos da Psicologia
Positiva.