Você está na página 1de 9

Sociedade Musical Lyra de Apollo

A Sociedade Musical Lyra de Apollo é uma banda de música com aproximadamente 25 músicos
atuantes, localizada no município de Campos dos Goytacazes e que foi fundada em 19 de maio
de 1870. Ela tem, portanto, 149 anos de existência e atividade, sendo assim a banda mais antiga
da cidade e a quarta mais antiga de todo o estado do Rio de Janeiro. Constituem patrimônio
cultural do estado do Rio de Janeiro tanto a instituição como banda centenária (Lei nº 5.215 de
02 de Abril de 2008), quanto a sua sede histórica (processo E-18/300.595/85 do INEPAC,
conforme o inciso II, art. 5º do decreto º 5.808, de 1982). Além da inestimável importância
histórica da banda e de seu prédio, é importante destacar a sua relevância contemporânea na
cultura da cidade e do interior do Rio de Janeiro. A seguir foi preparado um breve roteiro
informativo que permite compreender parte dessa história e também da atual situação da Lyra de
Apollo.
1-Histórico

A Lyra de Apollo esteve presente e tocou em grandes acontecimentos de Campos e do estado do


Rio de Janeiro. No dia 20 de novembro de 1891, o célebre maestro e compositor Antônio Carlos
Gomes, quando esteve em Campos, hospedou-se no Grande Hotel Gaspar, assistiu a um
espetáculo no Theatro São Salvador, e ao findar o espetáculo, foi acompanhado até o hotel pela
Lyra de Apollo e grande multidão. A Lyra de Apolo também esteve presente na ocasião da visita
de Dom Pedro II e da Família Imperial, em 14 de junho de 1875. Nesta data foi lançada a pedra
fundamental da estação Campos, da Estrada de Ferro Carangola. Somam-se a esses, outro
acontecimentos importantes tais como a inauguração da Usina Santa Cruz; Liceu de Humanidades
de Campos; Teatro Trianon; Biblioteca Municipal de Campos; recepcionou o presidente Getúlio
Vargas; foi a banda oficial do Tiro de Guerra (1929); durante a campanha presidencial em 1950,
apresentou-se para o presidente Eurico Gaspar Dutra; tocou na inauguração do novo prédio dos
Correios; para o presidente Juscelino no Rio; na chegada do presidente João Goulart; na instalação
da TV Norte Fluminense; na inauguração do Sandu em Campos e em muitos outros eventos.
A Lyra de Apollo foi fundada por operário apaixonados pela arte da música, e começou com uma
média de 16 músicos, fazendo propaganda e recrutando voluntários para a Guerra do Paraguai.
Sua fundação se deu precisamente em 19 de maio de 1870, pelo músico Manoel Baptista Pereira
de Castro, o músico e funileiro Rodolpho D’Oliveira, o charuteiro Lourenço Antônio Soares e o
funileiro Bernardo Bento Alves. Faziam parte da banda os antigos componentes da então desfeita
Banda de Santa Cecília.
2-O prédio

Os terrenos do local onde está erguida a majestosa sede social da lira de Apolo foram comprados
por quatro contos e duzentos mil réis. E como não havia dinheiro para o início da construção, um
deles foi vendido por um conto de réis, exatamente onde havia a Confeitaria Americana, depois
a Bombonière Rex, hoje uma loja de calçados.
A construção começou em 1912, graças a donativos e a boa vontade dos associados e da
população. A sociedade sempre ocupou o 1º andar com sala de ensaio e sala de honra, para
solenidades; desde a construção do prédio, que a parte térrea foi destinada a ser ocupada por duas
casas comerciais alugadas, assim aumentando a renda econômica da Sociedade. O prédio
edificado com características ecléticas revela em seus belos adornos o amor e a paixão que seus
músicos dedicam a essa preciosa arte. Os trilhos de trem usados como ferragens nas construções
foram trazidos da estrada de ferro Leopoldina. As pedras, para o alicerce, foram trazidas às
escondidas da polícia, do Rio Paraíba do Sul. A inauguração festiva tivemo-la em 1914, quando
a Lira de Apolo entregou ao progresso da cidade de Campos o seu esplêndido edifício de linhas
arquitetônicas arrojadas.
Em 19 de novembro de 1990, o prédio da Sociedade Musical Lyra de Apollo sofre um incêndio
que destruiu não apenas boa parte da sede, mas também todos os instrumentos, partituras,
uniformes, móveis, etc., ali guardados. Desde então, a Lyra de Apollo luta diariamente pela
restauração da construção. As obras de restauração tiveram início em 2012 e prosseguem até os
dias de hoje, em sua grande maioria com recursos próprios e pequenas doações de admiradores
da banda. O ritmo das obras de restauração tem sido lendo, em razão dos escassos recursos obtidos
pelo aluguel de um dos pontos comerciais pertencentes à banda, que é integralmente aplicado na
restauração. Com isso, apesar de sacrificar gastos importantes para uma banda, como renovação
de instrumentos e investimento em programas de aulas de música para a comunidade, as obras de
restauro ainda estão longe de serem concluídas. Todas as etapas da obra são divulgadas nos jornais
locais e na página da Sociedade Musical, que frequentemente realiza apresentações musicais
comemorativas para cada etapa concluída, sendo a última delas a colocação de duas Liras no topo
dos torreões do prédio, que coroam a arquitetônica da construção.
3-Apresentações recentes

A banda nunca cessou suas apresentações de caráter gratuito e ao ar livre, cuja finalidade é tão
somente contribuir para a cultura local e estadual, além de divulgar o trabalho que tem sido
realizado pela Lyra de Apollo. Entre as apresentações mais recentes, à nível local pode-se citar,
por exemplo, a retreta de Natal em frente ao museu municipal de Campos em 23/12/2016,
marchinhas de carnaval na festa beneficente da UENF "Ressaca na Villa" em 04/03/2017 e tocata
em comemoração ao dia internacional da mulher que ocorreu no Boulevard Francisco Paula
Carneiro, no centro de Campos, em 08/03/2017. Participou como representante da cidade de
Campos no festival nacional do Dia da Música, que é o maior festival de música em rede do
Brasil, em 24/06/2017. Em 29/06/2017, apresenta uma retreta para comemorar o quinto ano de
funcionamento do Museu Histórico de Campos dos Goytacazes, sediado em um prédio da cidade
restaurado. Se apresentou em 11/08/2017 nas calçadas do Museu Histórico, em frente à Praça São
Salvador, em homenagem ao dia dos pais. Se apresentou aos alunos e professores do Colégio João
Paulo II no dia 21/10/2017. Realizou apresentação musical em formato de ‘Vesperata’ no museu
municipal de Campos dos Goytacazes em 31/10/2017, em comemoração do sesquicentenário do
campista Nilo Pessanha, ex-presidente da república que também foi membro sócio da Lyra de
Apollo. Participou em 05/12/2017 do Festival José Carlos Ligiero com apresentação de arranjos
e composições do mesmo, em homenagem ao trombonista e compositor brasileiro que
completaria 87 anos em 2017. Em 15/12/2017 se apresentou na câmara municipal de Campos dos
Goytacazes para receber a Medalha Tiradentes, condecoração destinada a pessoas e entidades que
prestem relevantes serviços à causa pública do estado do Rio de Janeiro. Realizou uma retreta
com músicas natalinas nas ruas de Campos em 23/12/2017.

Em 28/05/2018, para comemorar o restauro da escada e assoalho, que viabilizaram o retorno da


banda ao segundo andar do prédio após 28 anos, realizou-se uma apresentação aberta à
comunidade e com ampla divulgação em jornais locais. Em 05/06/2018, visando difundir a cultura
de bandas nas escolas do município, se apresentou em evento comemorativo dos 50 anos do
Externato João XXIII. Em 19/05/2019, a tradicional Sociedade Musical Lyra de Apollo
comemorou seu aniversário de 149 anos de existência, com uma apresentação musical que teve
início em frente ao prédio da banda e terminou no salão de honra do segundo piso. Além disso,
ao longo de seus vários anos de atividade, a banda já participou de inúmeras festividades
tradicionais da cidade de Campos dos Goytacazes, como a Festa de São Salvador, desfiles de 7
de Setembro, entre muitos outros. Também já se apresentou em muitos outros municípios como,
por exemplo, na capital Rio de Janeiro, Cabo Frio, São Fidélis e Rio das Ostras.
4-Papel Social

A banda realiza um importante papel social em Campos e no estado do Rio de Janeiro por um
conjunto de motivos. Em primeiro, cabe destacar o contínuo oferecimento de aulas de música de
forma gratuita. Os músicos da Lyra de Apollo, apesar contar com recursos extremamente escassos
para aquisição de materiais didáticos, equipamentos diversos e instrumentos musicais, ainda
assim manteve a continuidade das aulas de música, ofertadas gratuitamente e abertas à população
em geral. Normalmente aos sábados, alunos de idades diversas frequentam a banda para aprender
um instrumento de sopro ou percussão e, com isso, a banda cumpre um importante papel social
junto à comunidade local. Além disso a Lyra de Apollo contribui com apresentações em função
de diversas causas sociais relevantes, como a “Ressaca na Vila”, evento carnavalesco organizado
com intuito de arrecadar doações para a UENF e o “Espaço Cult”, que recebe eventos culturais
para fins filantrópicos diversos.
5-Importância Cultural

A Lyra de Apollo e seu prédio tem chamado cada vez mais a atenção da comunidade acadêmica
e da população local. Atualmente é possível perceber uma quantidade crescente de trabalhos
acadêmicos e difusão midiática voltada para a banda. Destacam-se os trabalhos desenvolvidos
pela pesquisadora Karina Barra Gomes, que produziu uma dissertação de mestrado na
Universidade Estadual do Norte Fluminense sobre as bandas centenárias de Campos, e também
os trabalhos realizados pelo professor Humberto das Chagas e alunos do curso de arquitetura do
Instituto Federal Fluminense, que organizaram eventos como o “Salve a Lyra”, destinado a
arrecadar doações para as telhas das torres da banda. Também há uma tendência crescente de
divulgação da banda pelos meios tradicionais de comunicação e pelas redes sociais: cada vez mais
o cenário de obras chama a atenção da comunidade local.
6-Recursos e ajuda

Por fim, apesar de várias tentativas de parceria com o poder local, a Lyra de Apollo atualmente
conta apenas com o dinheiro recebido de um ponto de aluguel, o que é extremamente escasso para
manutenção das atividades da banda e para a restauração do prédio. Todos os seus músicos têm
compromissos variados e, ainda assim, compõem o corpo musical da banda e participam das
apresentações como voluntários. A obra de restauração da banda é realizada por etapas e entre
cada uma dessas etapas existe um largo hiato que é o tempo necessário para arrecadar ou quitar
os valores específicos das etapas. Apoio financeiro na restauração do prédio daria fôlego aos
recursos da banda para readquirir uniformes, instrumentos adequados, aumentar a frequência
possível de apresentações e expandir o programa de aulas gratuitas. O custo de uma obra dessa
natureza, e em conformidade às exigências do INEPAC, são altos, porém pouco previsíveis.
Ainda assim, é o que têm feito a diretoria da banda desde 2012.