Você está na página 1de 4

1

1 Pré-relatório

1.1 Prática 03 - Lei de Kirchhoff das Correntes (LKC) e Lei de


Kirchhoff das Tensões (LKT)
Universidade Federal do Piauí
Centro de Tecnologia
Curso de Engenharia Elétrica
Disciplina: Laboratório de Circuitos Elétricos I - 2017.2
Professor: Dr. Aryfrance Rocha Almeida
Discente: Nádia Raquel Matos Oliveira
Turma: III

1.2 Procedimentos

1. Selecionar os seguintes valores de resistores para montar o circuito da Figura 1:

• R1 = 1, 0KΩ
• R2 = 2, 2KΩ
• R3 = 1, 5KΩ
• R4 = 1, 0KΩ
• R5 = 1, 5KΩ

Figura 1 – Circuito para verificação das medições.

2. Medir, com um multímetro, os valores dos resistores selecionados, para confirmar se


foram selecionadas as resistências corretas para a montagem.
2 Capítulo 1. Pré-relatório

Tabela 1 – Medição de resistências para a montagem

Resistências Valor nominal Valor medido


R1
R2
R3
R4
R5

3. O circuito deve ser alimentado com 5V . Posteriormente, devem ser medidas todas as
tensões e correntes, indicadas na Figura 1, utilizando um multímetro convencional e
preenchidas nas Tabelas 2 e 3.
Aplicando-se as Leis de Kirchhoff para a análise de circuitos elétricos, tem-se que
a soma, das correntes que entram em um nó com as que saem, é nula. Sendo algo
similar em relação às tensões, isto é, a soma das tensões, em uma malha, também é
nula. Com isso, pelas indicações das correntes na Figura 1, pode-se deduzir que:

Is = I1 = I5 (1.1)
I3 = I4 (1.2)
I1 = I2 + I3 (1.3)
I3 = I2 + I4 (1.4)

Adotando-se o sentido horário para as correntes, em relação as malhas, ao ser aplicado


a LKT para malha 1 da Figura 1 e usando-se as Equações 1.1 a 1.4, tem-se:

−Vs + 1, 0kΩ · I1 + 2, 2kΩ · I2 + 1, 5kΩ · I5 = 0 (1.5)

Substituindo I5 por I1 , tem-se:

−Vs + 1, 0kΩ · I1 + 2, 2kΩ · I2 + 1, 5kΩ · I1 = 0


Vs = 2, 5kΩ · (I2 + I3 ) + 2, 2KΩ · I2
Vs = 4, 7kΩ · I2 + 2, 5KΩ · I3 (1.6)

Em relação à malha 2, ao se aplicar LKT, obtém-se:

1, 5kΩ · I3 + 1, 0kΩ · I4 = 2, 2kΩ · I2 (1.7)

Pela Equação 1.7, usando-se que I3 = I4 , é obtido:

2, 2kΩ · I2 = 1, 5kΩ · I3 + 1, 0kΩ · I4


2, 2kΩ · I2 = 1, 5kΩ · I3 + 1, 0kΩ · I3
2, 2kΩ · I2 = 2, 5kΩ · I3
2, 5
 
I2 = · I3 (1.8)
2, 2
1.2. Procedimentos 3

Substituindo a equivalência entre I2 e I3 , na Equação 1.8, na Equação 1.6, tem-se:


2, 5
 
Vs = 4, 7kΩ · · I3 + 2, 5KΩ · I3
2, 2
4, 7
 
Vs = 2, 5 · I3 · 1 + k
2, 2
5, 0 = 2, 5 · I3 · 3, 1k
I3 = 0, 645mA ⇒ I2 = 0, 733mA (1.9)

Assim, através dos resultados da Equação 1.9, tem-se:

I1 = I2 + I3
I1 = 0, 733mA + 0, 645mA
I1 = 1, 378mA (1.10)

Sabendo-se as correntes no circuito da Figura 1, pode-se determinar todas as tensões


existentes usando-se 1a Lei de Ohm:

V1 = R1 · I1 = 1, 0kΩ · 1, 378mA ⇒ V1 = 1, 378V (1.11)

V2 = R2 · I2 = 2, 2kΩ · 0, 733mA ⇒ V2 = 1, 613V (1.12)


V3 = R3 · I3 = 1, 5kΩ · 0, 645mA ⇒ V3 = 0, 968V (1.13)
V4 = R4 · I4 = 1, 0kΩ · 0, 645mA ⇒ V4 = 0, 645V (1.14)
V5 = R5 · I5 = 1, 5kΩ · 1, 378mA ⇒ V1 = 2, 067V (1.15)

Figura 2 – Simulação das medições de tensão do circuito da Figura 1

Tabela 2 – Medição das tensões dos resistores da Figura 1

Tensão Valor teórico Valor simulado Valor medido


V1 1,378V 1,362V
V2 1,613V 1,594V
V3 0,968V 0,956V
V4 0,645V 0,638V
V5 2,067V 2,043V
4 Capítulo 1. Pré-relatório

Figura 3 – Simulação das medições de corrente do circuito da Figura 1

Tabela 3 – Medição das correntes nos resistores da Figura 1

Corrente Valor teórico Valor simulado Valor medido


I1 1,378mA 1,362mA
I2 0,733mA 0,724mA
I3 0,645mA 0,638mA
I4 0,645mA 0,637mA
I5 1,378mA 1,362mA

Você também pode gostar