Você está na página 1de 1

Capítulo II: Análise histórica da inflação no Brasil

 inércia inflacionária não só como uma memória inflacionária, mas também como uma
resistência da sociedade a uma iniciativa de estabilização.
 A ideia principal do autor é que parar uma espiral inflacionária envolve um problema
de decisão coletiva, conhecido como problema do franco-atirador: os agentes não
contribuem ao esforço coletivo quando percebem que o impacto de suas decisões
sobre os resultados do plano é desprezível.
 numa economia fonualmente superindexada, combater a inflação pelo simples
receituário monetário e fiscal é dar murro em ponta de faca
 Em 1965 - espiral preços- salários: os salários eram ajustados segundo decretos do
governo para compensarem o aumento do custo de vida e com isso os preços eram
corrigidos para anular o aumento do custo da mão de obra.
 Essa política salarial passou a ser aplicada de forma automática e com o objetivo claro
de combater a inflação.
 Após 68, temos o milagre econômico: crescimento do produto real, e
consequentemente, dos salários reais até 74. Em seguida, ocorreu o choque do
petróleo. Esse choque do petróleo aliado à ao crescimento da demanda agregada
interna brasileira ocasionou um aumento da inflação no período.
 Intenção dos planos de estabilização: Mais uma vez o objetivo dos governos era a
desindexação da economia e a ideia principal dos planos era reduzir a taxa de inflação
à zero, através de choques que teriam efeitos surpresa.
 Todos os planos visavam o congelamento de preços, porém, isso era uma ilusão.

Análise dos componentes de inflação: o que são e como se relacionam

 verificar os efeitos de diferentes fatores na determinação da taxa de inflação de cada


ano.
 a) variação cambial; b) inércia associada à parcela da inflação que excedeu a meta do
ano anterior; c) diferença entre as expectativas de inflação dos agentes e a meta; d)
choque de oferta; e) inflação dos preços livres (excluindo os efeitos das quatro
categorias anteriores) e f) inflação dos preços administrados (retirando os efeitos da
variação cambial e da inércia).
 Inércia
o a inflação corrente está atrelada à dinâmica inflacionária dos períodos
anteriores, porém para saber quantos períodos anteriores afetam a inflação
hoje é preciso medir o grau de inércia de cada país.
o quando no ano anterior o índice de inflação ultrapassa as expectativas da
sociedade, no ano imediatamente posterior o medo da desvalorização real da
moeda se traduz em inércia inflacionária alta

Você também pode gostar